Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.829.401.650 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 772 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 78 ir para página                         

  1 / 772 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1100289
Autor: Castro, Elisa Kern de; Bianchini, Daniela; Peuker, Ana Carolina; Romeiro, Fernanda Bittencourt.
Título: Comunicação em oncologia: uma análise qualitativa sob o enfoque psicanalítico / Communication in oncology: a qualitative analysis based on psychoanalysis / Comunicación en oncología: un análisis cualitativo basado em el psicoanálisis
Fonte: Psicol. Estud. (Online);21(2):349-358, abr.-jun. 2016.
Idioma: en; pt.
Resumo: Trata-se de um estudo qualitativo exploratório sobre a percepção de pacientes com câncer e a comunicação com sua equipe de saúde. Foram entrevistados 14 pacientes em tratamento oncológico em diferentes estágios da doença. Os instrumentos utilizados foram: ficha de dados sociodemográficos e entrevista semiestruturada. As entrevistas foram gravadas em áudio e transcritas na íntegra. Os dados foram assim analisados: leitura inicial sem julgamentos ("naive"); análise estrutural e categorização do conteúdo; interpretação crítica e discussão. Dois juízes independentes avaliaramos conteúdos das entrevistas e realizou-se o índice de concordância (Kappa=0,834). Foram criadas três categorias sobre a comunicação: 1) comunicação técnica; 2) comunicação técnica com suporte emocional; 3) comunicação insuficiente. O embasamento psicanalítico utilizado ofereceu uma visão compreensiva dessa temática e uniu aspectos subjetivos do adoecimento com as evidências empíricas. Os resultados demonstraram que a comunicação com suporte emocional contribuiu para maior satisfação e saúde psicológica do paciente durante o tratamento oncológico. Sensação de bem-estar e amparo foram sentimentos apontados pelos pacientes ao experienciarem esse tipo de comunicação. A comunicação técnica com suporte emocional fornece ao paciente confiança na realidade e amplia a esperança na vida e conforto perante a morte. Percepções mais negativas em relação à comunicação com os profissionais de saúde estavam vinculadas às falhas na troca de informações, sensação de distanciamento emocional e ausência de interesse por aspectos pessoais do paciente.

This article discusses the findings of an exploratory qualitative study about patients' perceptions of communication with the health care team during chemotherapy. Interviews were conducted with 14 patients undergoing cancer treatment at different stages of the disease. The instruments used were: sociodemographic data sheet and semi-structured interview. The interviews were audio-recorded and transcribed. The data were analyzed regarding reading nonjudgmental; structural analysis and content categorization; critical interpretation and discussion. Two independent judges evaluated the interviews contents and evaluated concordance index (Kappa = 0.834). Three categories of communication were created: 1) Technical Communication; 2) Technical Communication with Emotional Support; 3) Insufficient communication. The psychoanalytic theory offered a comprehensive view of this issue and joined subjective aspects of illness with the empirical evidence. The results showed that communication with emotional support contributed to greater satisfaction and psychological health of the patient during cancer treatment. Wellness feeling and support feelings were mentioned by patients to refer this type of communication. The technical communication with emotional support provides the patient trust in reality and extends hope in life and comfort before death. More negative perceptions regarding communication with health professionals were linked to failures in the exchange of information, sense of emotional detachment and lack of interest on personal aspectsof the patient.

El presente artículo trata de un estudio cualitativo exploratorio sobre la percepción de pacientes concáncer y la comunicación con su equipo de salud. Se entrevistaron 14 pacientes en tratamiento para el cáncer en distintos niveles de gravedad de la enfermedad. Los instrumentos utilizados fueron: ficha de datos sociodemográficos y entrevista semiestructurada. Se grabaron las entrevistas en audio y transcriptas. Se analizaron dos datos de la siguiente manera: lectura inicial sin juicios; análisis estructural y categorización del contenido; interpretación crítica y discusión. Dos jueces independientes evaluaron los contenidos de las entrevistas y fue evaluado el índice de concordancia (Kappa = 0,834). Fueron creadas tres categorías sobre la comunicación: 1) Comunicación Técnica; 2) Comunicación Técnica con apoyo emocional; 3) Comunicación insuficiente. La teoría psicoanalítica ofreció una visión comprehensiva del tema e integró aspectos subjetivos de la enfermedad con las evidencias empíricas. Los resultados mostraron que la comunicación con apoyo emocional contribuyó para una mayor satisfacción y salud psicológica del paciente durante el tratamiento oncológico. La sensación de bienestar y amparo fueron sentimientos revelados por los pacientes a partir de la experiencia de este tipo de comunicación. La comunicación técnica con apoyo emocional da al paciente la confianza en la realidad y amplía la esperanza en la vida y el conforto delante de la muerte. Percepciones más negativas sobre la comunicación con los profesionales de salud estaban relacionadas a fallos en el cambio de informaciones, sentimiento de alejamiento emocional y ausencia de interés por los aspectos personales del paciente.
Descritores: Relações Profissional-Paciente
Comunicação em Saúde
Oncologia
-Equipe de Assistência ao Paciente
Psicanálise
Pessoal de Saúde/psicologia
Morte
Disseminação de Informação
Tratamento Farmacológico/psicologia
Emoções
Esperança
Neoplasias/psicologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  2 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1152233
Autor: Soeltl, Sarah Baffile; Fernandes, Isabel Cristine; Camillo, Simone de Oliveira.
Título: The knowledge of the nursing team about autistic disorders in children in the light of the human caring theory / O conhecimento da equipe de enfermagem acerca dos transtornos autísticos em crianças à luz da teoria do cuidado humano
Fonte: ABCS health sci;46:e021206, 09 fev. 2021. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: INTRODUCTION: Autistic Spectrum Disorders (ASD) or Autistic Disorders (AD) are complex neurodevelopmental disorders characterized by social communication deficits, social interaction, and nonverbal behavior in multiple contexts. OBJECTIVE: To analyze the knowledge of the nursing team about ASD and the approach to the subject during professional training based on the principles addressed in the Human Caring Theory. METHODS: Descriptive study with a qualitative approach, adopting the Human Caring Theory by Jean Watson as a theoretical reference. Ten semi-structured interviews were conducted with professionals from the nursing team of a Primary Health Center in the ABC Region from São Paulo State, Brazil, in May 2019. Their knowledge about ASD in children was assessed by a 7-question guiding script. Data analysis was performed using Content Analysis Method. RESULTS: Four main categories were elaborated: the care based on humanistic-altruistic values, the cultivation of sensitivity for self and the other, the valorization of the feelings expression and the interpersonal relationship, the promotion of intra and interpersonal teaching-learning process. CONCLUSION: The nursing team professionals are not prepared to work in the care of children with ASD. During their training, the subject's approach is poor, making professionals feel insecure and unable to provide care to this child and his family.

INTRODUÇÃO: Os Transtornos do Espectro Autista (TEA) ou Transtornos Autísticos (TA) são desordens do neurodesenvolvimento complexas caracterizadas por déficits na comunicação social, interação social e no comportamento não verbal em múltiplos contextos. OBJETIVO: Analisar, com base nos princípios abordados na Teoria do Cuidado Humano, o conhecimento da equipe de enfermagem acerca dos TEA e a abordagem do tema durante a formação profissional. MÉTODOS: Estudo descritivo, de abordagem qualitativa, que adotou a Teoria do Cuidado Humano de Jean Watson como referencial teórico. Foram realizadas dez entrevistas semiestruturadas com os profissionais da equipe de enfermagem de uma Unidade Básica de Saúde-Escola da Região do ABC Paulista em maio de 2019. Seu conhecimento sobre o conhecimento acerca dos TEA em crianças foi avaliado com o auxílio de um roteiro norteador composto por 7 questões. A análise dos dados foi realizada por meio do método de Análise de Conteúdo. RESULTADOS: Foram elaboradas quatro categorias principais: o cuidado baseado em valores humanístico-altruístas, o cultivo da sensibilidade para si e para o outro, a valorização da expressão de sentimentos e a relação interpessoal, a promoção do ensino-aprendizagem intrapessoal e interpessoal. CONCLUSÃO: Os profissionais de enfermagem não estão preparados para atuar na assistência da criança com TEA. O tema é pouco abordado durante sua formação, fazendo com que os profissionais se sintam inseguros e incapazes de prestar assistência a essa criança e sua família.
Descritores: Transtorno Autístico/enfermagem
Teoria de Enfermagem
Cuidado da Criança
Capacitação Profissional
Cuidados de Enfermagem
Equipe de Enfermagem
-Relações Profissional-Paciente
Centros de Saúde
Saúde da Criança
Pesquisa Qualitativa
Emoções
Limites: Humanos
Criança
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  3 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Moreira, Martha Cristina Nunes
Texto completo
Id: biblio-890440
Autor: São Bento, Paulo Alexandre de Souza; Moreira, Martha Cristina Nunes.
Título: A experiência de adoecimento de mulheres com endometriose: narrativas sobre violência institucional / The experience of illness of women with endometriosis: narratives about institutional violence
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3023-3032, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O artigo evoca a centralidade ocupada pela categoria relacional de gênero, para iluminar as narrativas de vida de mulheres com uma doença crônica - a endometriose. O objetivo é discutir o significado da experiência de adoecimento de mulheres com endometriose na interface com a violência institucional. À luz do referencial de Bertaux, no método Narrativas de Vida, 20 foram as participantes desta pesquisa convidadas a partir de dois espaços virtuais de discussão e encontros sobre o viver com endometriose. As entrevistas foram realizadas pessoalmente no circuito RJ, SP e MG. A abordagem teórica foi abalizada por autores que tratam da experiência do adoecimento crônico enquanto fenômeno sociocultural, leituras metafóricas do problema e críticas à violência institucional. Os resultados identificam situações de violência de gênero/institucional perpetradas nos diversos espaços de atenção às mulheres. Expressam-se a partir da banalização dos discursos das mulheres; das tensões estabelecidas entre usuárias e médicos, onde o suposto saber leigo funciona como ultraje ao saber biomédico oficial e, precipuamente, na dificuldade de acesso aos serviços, levando as mulheres a uma peregrinação por cuidados e a se submeterem a formas de assistência não necessariamente baseadas em boas práticas.

Abstract This paper conjures up the centrality of the relational category of gender to shed a light on women's life narratives with a chronic disease named endometriosis. It aims to discuss the meaning of the illness experience of women with endometriosis in the interface with institutional violence. Based on Bertaux reference, in the Narratives of Life method, twenty women participated in this research. They were invited from two virtual spaces of discussion and gatherings about living with endometriosis. Interviews were conducted in person in the States of Rio de Janeiro, São Paulo and Minas Gerais circuit. Authors sustained the theoretical approach and addressed the experience of chronic illness as a sociocultural phenomenon, metaphorical readings of the problem and criticism of institutional violence. The results identify situations of gender/institutional violence perpetrated in various women care settings. They are expressed through the trivialization of women's discourses; user-physician tensions, where the supposed lay knowledge appears as an insult to official biomedical knowledge and, mainly, the difficult access to services, leading women to a care pilgrimage and to submit themselves to care types not necessarily based on best practices.
Descritores: Relações Profissional-Paciente
Violência/estatística & dados numéricos
Endometriose/terapia
Instalações de Saúde/estatística & dados numéricos
-Brasil
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
Doença Crônica
Entrevistas como Assunto
Assistência à Saúde/normas
Narração
Endometriose/psicologia
Violência de Gênero/estatística & dados numéricos
Instalações de Saúde/normas
Acesso aos Serviços de Saúde
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890446
Autor: Azeredo, Yuri Nishijima; Schraiber, Lilia Blima.
Título: Violência institucional e humanização em saúde: apontamentos para o debate / Institutional violence and humanization in health: notes to debate
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3013-3022, Set. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O presente trabalho parte das políticas de humanização e seu debate acadêmico para refletir sobre a violência institucional na saúde. Tendo por base pesquisa sobre as publicações científicas na Saúde Coletiva, constata-se que nesse debate a violência que se identifica nas relações entre profissionais e usuários, núcleo das indagações na temática da humanização, é concebida como um excessivo poder no uso da autoridade profissional, sendo esta pouco discutida. Apresentando as reflexões de Hannah Arendt como um novo aporte teórico acerca dos conceitos de 'autoridade', 'poder' e 'violência', objetiva-se distinguir e repensar esses fenômenos. Conjugando essas reflexões com a história da institucionalização da saúde no Brasil, em especial as mudanças no trabalho médico durante o século XX, concluímos que o problema da violência institucional na saúde não se fundamenta em um excesso de autoridade e poder dos profissionais, mas no seu contrário: quando a autoridade profissional se esvazia e as relações entre os homens não se dão através das relações de poder é que está aberto o espaço para o fenômeno da violência.

Abstract This paper starts from humanization policies and the academic debate around them to reflect about institutional violence inside health services. Based on research on scientific publications in Collective Health, it was observed that violence in relationships between health professionals and users - which is at the core of the humanization's debate - is conceptualized as an excessive power in exercise of professional authority. Using Hannah Arendt thinking as theoretical contributions regarding the concepts of 'authority', 'power' and 'violence', our objective is to define and rethink these phenomena. Melting these reflections with the history of institutionalization of health in Brazil, and especially the changes in medical work during the twentieth century, we conclude that the problem of institutional violence on health services is not based on excess of authority and power of professionals, but rather in its opposite. When there is a vacuum of professional authority, and relationships between people do not happen through power relations, there is space for the phenomenon of violence.
Descritores: Relações Profissional-Paciente
Violência/estatística & dados numéricos
Assistência à Saúde/organização & administração
Instalações de Saúde/estatística & dados numéricos
-Brasil
Poder Psicológico
Política de Saúde
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890438
Autor: Osorio-Cuellar, Gisel Viviana; Pacichana-Quinayáz, Sara Gabriela; Bonilla-Escobar, Francisco Javier; Fandiño-Losada, Andrés; Gutiérrez-Martinez, Maria Isabel.
Título: Perceptions about implementation of a Narrative Community-based Group Therapy for Afro-Colombians victims of Violence / Percepções sobre a implementação de uma Terapia Narrativa grupal baseada na Comunidade para afro-colômbianos vítima da Violência
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3045-3052, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Given the context and the number of armed conflict victims in the Colombian Pacific coast and their difficulties to access psycho-social care, Narrative Community-based Group Therapy appears as a viable mental health intervention. The objective of this study is to describe the process of implementation and results of the intervention in Afro-Colombian victims of violence, in the municipalities of Buenaventura and Quibdó. More specifically, we will be looking at the perspectives of workers and supervisors, through evaluative case studies and individual in-depth interviews. The therapy allows us to identify support and coping systems through coexistence, communication and interaction. It requires an adaptation process to the diversity of knowledge and expressions of victims of Colombian violence, greater empathy from care providers and rigor in their profiles selection, facilities ensuring security and confidentiality, and links with other educational, employment and recreational organizations. It is important to include these results while improving current and future intervention processes.

Resumo Dado o contexto e os números das vítimas de conflitos armado na costa do Pacífico da Colômbia, e as dificuldades de acesso aos cuidados psicossociais, a Terapia Narrativa de grupo Baseado na Comunidade aparece como uma intervenção de saúde mental viável. O objetivo do estudo é descrever o processo de implementação e os resultados da intervenção em vítimas afro-colombianas de violência, nos municípios de Buenaventura e Quibdó - Colômbia, a partir da perspectiva de trabalhadores e supervisores, através de estudos de avaliação e entrevistas em profundidade individuais. A terapia permite a identificação sistemas de apoio para o enfrentamento e o luto e através de convivência, comunicação e interação. Ele requer um processo de adaptação à diversidade necessária de conhecimento e expressões populares de vítimas da violência colombiana, maior empatia por parte dos prestadores de cuidados e rigor na seleção de seus perfis, instalações para garantir a segurança e confidencialidade, e links para outras organizações educacionais, trabalho e lazer. É importante incluir esses resultados na melhoria da intervenção processo atual e futuro.
Descritores: Psicoterapia de Grupo/métodos
Violência/psicologia
Adaptação Psicológica
Vítimas de Crime/psicologia
-Relações Profissional-Paciente
Colômbia
Serviços de Saúde Comunitária/organização & administração
Confidencialidade
Conflitos Armados/psicologia
Grupo com Ancestrais do Continente Africano/psicologia
Empatia
Acesso aos Serviços de Saúde
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890484
Autor: Signorelli, Marcos Claudio; Taft, Angela; Pereira, Pedro Paulo Gomes.
Título: Domestic violence against women, public policies and community health workers in Brazilian Primary Health Care / Violência doméstica contra mulheres, políticas públicas e agentes comunitários de saúde na Atenção Primária Brasileira
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(1):93-102, Jan. 2018.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Domestic violence creates multiple harms for women's health and is a 'wicked problem' for health professionals and public health systems. Brazil recently approved public policies to manage and care for women victims of domestic violence. Facing these policies, this study aimed to explore how domestic violence against women is usually managed in Brazilian primary health care, by investigating a basic health unit and its family health strategy. We adopted qualitative ethnographic research methods with thematic analysis of emergent categories, interrogating data with gender theory and emergent Brazilian collective health theory. Field research was conducted in a local basic health unit and the territory for which it is responsible, in Southern Brazil. The study revealed: 1) a yawning gap between public health policies for domestic violence against women at the federal level and its practical application at local/decentralized levels, which can leave both professionals and women unsafe; 2) the key role of local community health workers, paraprofessional health promotion agents, who aim to promote dialogue between women experiencing violence, health care professionals and the health care system.

Resumo A violência doméstica (VD) cria múltiplos agravos à saúde das mulheres e é um desafio para profissionais e para os sistemas de saúde. O Brasil aprovou recentemente políticas públicas (PP) para manejo e cuidado de mulheres em situação de VD. Considerando essas PP, este estudo objetivou explorar como a VD contra mulheres é usualmente manejada na atenção primária à saúde brasileira, por meio da investigação de uma unidade básica de saúde e de sua estratégia de saúde da família. Foi adotada metodologia de pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, com análise temática de categorias emergentes, interrogando os dados com teoria de gênero e com a produção teórica do campo da saúde coletiva brasileira. A pesquisa de campo foi conduzida em uma unidade básica de saúde e em seu território adscrito, localizado na região sul do Brasil. O estudo revelou: 1) um hiato entre PP direcionadas à VD contra mulheres implantadas a nível federal e sua aplicação prática a nível local/descentralizado, que pode deixar tanto profissionais quanto mulheres em risco; 2) o papel chave de agentes comunitários de saúde, profissionais de promoção da saúde, que objetivam promover o diálogo entre as mulheres experienciando violência, profissionais de saúde e o sistema de saúde.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/organização & administração
Política Pública
Violência Doméstica
Violência de Gênero
-Relações Profissional-Paciente
Brasil
Saúde da Família
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Vítimas de Crime/psicologia
Política de Saúde
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1102443
Autor: Lançoni Júnior, Antônio Carlos; Azevedo, Adriano Valério dos Santos; Crepaldi, Maria Aparecida.
Título: Comunicação entre equipe de saúde, família, criança em unidade de queimados / Communication between health team, family and children in burning units / Comunicación del equipo de salud, familia y niños en unidad de quemados
Fonte: Psicol. Estud. (Online);22(4):623-634, out.-dez. 2017.
Idioma: en; pt.
Resumo: Este artigo objetivou compreender o processo de comunicação entre equipe de saúde-família-criança em uma unidade de queimados. Trata-se de um estudo exploratório descritivo de natureza qualitativa com 12 profissionais de uma equipe de saúde de diferentes áreas de atuação. Utilizou-se a entrevista semiestruturada e os dados foram analisados mediante análise categorial temática com o software Atlas.ti 7. Os dados possibilitaram a construção da categoria ­A comunicação no contexto hospitalar ­e subcategorias­comunicação entre equipe de saúde, família, criança e seus elementos facilitadores e dificultadores. Na comunicação com a criança, as informações são transmitidas de maneira clara e direta por meio do diálogo e do brincar. E com o familiar cuidador ocorre nas conversas diárias a fim de verificar o momento adequado e a maneira pela qual este compreende as informações recebidas. Foram identificados elementos facilitadores: o interesse e a participação do familiar, a possibilidade de utilização de materiais informativos e o repasse gradativo das informações. Por outro lado, o grau de instrução e os sentimentos de culpa dos familiares integram os elementos dificultadores. Os profissionais de saúde estão atentos às diferentes formas de transmissão de informações, e diante dos desafios inerentes às dificuldades de comunicação, é necessário refletir sobre estratégias para atender às necessidades da criança e família na unidade de queimados, para promover acolhimento das demandas que serão identificadas durante o período de hospitalização.

The main purpose of this article was to comprehend the process of communication between the health team, the family, and the child in a Burning Unit. This is a descriptive explanatory study with qualitative nature counting with 12 professionals from a health team of different areas of acting. It was used the half-structured interview, and all the data was analyzed through thematic categorical analysis with the Atlas.ti 7 Software. The data allowed the construction of the category ­The communication in hospital context ­and subcategories ­communication between health team, family, child and its facilitators and diffusers. When it comes to the communication with a child, the information is transmitted clear and straight through dialogue and activities. And, with the familiar caregivers occurs in daily conversations verifying the proper moment, and the way of which they comprehend the receiving information. It was identified facilitators: the family's interest and participation, the possibility in the use of informative materials, the gradual pass through of information. However, the instruction's degree and the family's guilt integrate the diffusers elements. Health professionals are attentive to the different ways of transmitting information, and giving the challenges related to the difficulties of communication, it is necessary to reflect about strategies to attend the necessities of the child and the family in the burning unit, as to promote the reception of demands which will be identified during the hospitalization period.

En este artículo se tuvo por objetivo comprender el proceso de comunicación entre equipo de salud familia-niño en una unidad de quemados. Se trata de un estudio exploratorio descriptivo de naturaleza cualitativa con 12 profesionales de un equipo de salud de diferentes áreas de actuación. Se utilizó la entrevista semiestructurada y los datos analizados mediante análisis categorial temático con software Atlas. Ti 7. Los datos posibilitaron la construcción de la categoría ­La comunicación en contexto hospitalario -subcategorías ­comunicación entre equipo de salud familia, niño y sus elementos facilitadores y dificultadores. En comunicación con niños las informaciones son transmitidas de manera clara y directa por intermedio del diálogo y del jugar. Y con el familiar cuidador ocurren las conversaciones diarias verificando el momento adecuado y de manera por la cual este comprende las informaciones recibidas. Se identificaron elementos facilitadores: el interés y participación del familiar, la posibilidad de utilización de materiales informativos, y el repase gradual de las informaciones. Por otro lado, el grado de instrucción y los sentimientos de culpa de los familiares integran los elementos dificultadores. Los profesionales de la salud están atentos a las diferentes formas de transmisión de informaciones, y delante de los desafíos inherentes a las dificultades de comunicación, es necesario reflexionar sobre estrategias para atender las necesidades de los niños y sus familias en la unidad de quemados, para promover acogida de las demandas que serán identificadas durante el período de hospitalización.
Descritores: Equipe de Assistência ao Paciente/ética
Unidades de Queimados
Relações Familiares/psicologia
Comunicação em Saúde/ética
-Relações Profissional-Paciente
Estresse Psicológico/psicologia
Queimaduras/psicologia
Criança Hospitalizada/psicologia
Cuidadores/psicologia
Emoções
Acolhimento
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  8 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890592
Autor: Ferreira, Laura Ribeiro; Artmann, Elizabeth.
Título: Discursos sobre humanização: profissionais e usuários em uma instituição complexa de saúde / Pronouncements on humanization: professionals and users in a complex health institution
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(5):1437-1450, Mai. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O artigo apresenta os discursos de profissionais e usuários de uma instituição de pesquisa e assistência em saúde acerca da humanização. Foram entrevistados 16 profissionais e 44 usuários. As entrevistas foram analisadas pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo e discutidas à luz do referencial teórico que inclui a Teoria da Ação Comunicativa, de Habermas e autores reconhecidos da saúde coletiva. Os achados apontam para a importância do conjunto de tecnologias duras, leve-duras e leves para a prática humanizada. O papel de articulação da ação comunicativa foi destacado, tanto para a formação de redes entre os profissionais, como na relação entre profissionais e pacientes. O fato de a instituição realizar pesquisa foi considerado pelos profissionais e usuários como fator que eleva a qualidade da assistência e contribui para a humanização. Usuários enfatizaram a importância da resolutividade para um atendimento humanizado e consideraram-se bem atendidos. Os profissionais destacaram as condições de trabalho e a autonomia de profissionais e de pacientes, com a valorização do saber de cada um. O trabalho intersetorial aparece como um importante desafio para o instituto e para o SUS.

Abstract This paper presents the pronouncements on humanization of professionals and users of a health care and research institution. Interviews were conducted with 16 professionals and 44 users. The analytical method employed was the Discourse of the Collective Subject, the results of which were discussed based on the theoretical framework presented, which includes the Theory of communicative action of Habermas and recognized authors in the public health area. The findings point to the importance of the set of hard, light-hard and light technologies for humanized practice. The articulation role played by communicative action was highlighted both for the creation of a network of professionals and in the relationship between professionals and patients. The practice of research was considered by professionals and users as a factor that increases the quality of care and contributes to humanization. Care at the institute was considered good, both by practitioners and users, who emphasized the importance of problem resolution for humanization. The professionals highlighted the working conditions and the autonomy of professionals and patients, with the appreciation of each person's knowledge. The intersectoral work revealed itself to be an important challenge for the Brazilian Health System (SUS).
Descritores: Pessoal de Saúde/estatística & dados numéricos
Assistência à Saúde/organização & administração
Humanismo
Programas Nacionais de Saúde/organização & administração
-Relações Profissional-Paciente
Qualidade da Assistência à Saúde
Brasil
Atitude Frente a Saúde
Saúde Pública
Entrevistas como Assunto
Autonomia Profissional
Comunicação
Autonomia Pessoal
Assistência à Saúde/normas
Programas Nacionais de Saúde/normas
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 772 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952609
Autor: Oliver-Mora, Martí; Iñiguez-Rueda, Lupicinio.
Título: La contribución de las tecnologías Web 2. 0 a la formación de pacientes activos / The contribution of Web 2. 0 technologies to the empowerment of active patients
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(3):901-910, mar. 2017. tab.
Idioma: es.
Resumo: Resumen El sistema sanitario español ha estado marcado recientemente por la emergencia de pacientes más activos que se caracterizan por estar mejor informados sobre su enfermedad, por disponer de una actitud más participativa, por querer incidir en mayor medida en la toma de decisiones sobre su salud y por reivindicar sus derechos como pacientes. Tomando este punto de partida, el presente artículo tiene como objetivo dar cuenta de cómo la introducción de las tecnologías Web 2.0 puede contribuir a la configuración de un nuevo modelo de pacientes más activos. Para ello, hemos realizado 14 entrevistas semi-estructuradas a pacientes y a representantes de asociaciones de pacientes que hayan utilizado las tecnologías Web 2.0 para relacionarse con otros pacientes o para comunicarse con sus profesionales de la salud de referencia. Entre los resultados obtenidos, destacamos que las tecnologías Web 2.0 proporcionan un mayor acceso a información relacionada con la salud, mejoran la comunicación entre los pacientes y sus profesionales de referencia, y permiten la creación de nuevos espacios de interacción entre pacientes. Todo ello contribuye a la formación de un rol más activo por parte de los pacientes.

Abstract The Spanish health system has recently been marked by the emergence of more active patients who are characterized as being better informed about their disease, having a more participatory attitude, wanting to have a greater influence in making decisions about their health and asserting their rights as patients. Therefore, this article aims to report on how the introduction of Web 2.0 technologies can contribute to the empowering of more active patients. To achieve this, 14 semi-structured interviews were conducted with patients and representatives of patient associations who have used Web 2.0 technologies to interact with other patients or to communicate with health professionals. From the results obtained, we highlight the fact that Web 2.0 technologies provide greater access to health-related information, improve communication between patients and health professionals, and enable the creation of new spaces of interaction among patients. All of the facts above contribute to the formation of a more active role on the part of patients.
Descritores: Participação do Paciente
Internet
Direitos do Paciente
Mídias Sociais
-Relações Profissional-Paciente
Espanha
Poder Psicológico
Entrevistas como Assunto
Comunicação
Assistência à Saúde/tendências
Comportamento de Busca de Informação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 772 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1160842
Autor: Cifuentes, Santos.
Título: Los derechos personalisimos: la salud y la vida intima / The personal rights: health and private live
Fonte: Bol. Acad. Nac. Med. B.Aires;(supl):35-51, jul. 1992.
Idioma: es.
Conferência: Apresentado em: Simposio Ambiente y Salud para el siglo XXI, 10, Buenos Aires, 14-16 abr. 1993.
Descritores: Confidencialidade/legislação & jurisprudência
Consentimento Livre e Esclarecido
Legislação Médica
Relações Médico-Paciente
Relações Profissional-Paciente
-Ética Médica
Limites: Humanos
Responsável: AR1.1 - Biblioteca Rafael Herrera Vegas



página 1 de 78 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde