Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.829.458.205.250 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 62 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 62 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-974800
Autor: Mesa-Fernández, María; Pérez-Padilla, Javier; Nunes, Cristina; Menéndez, Susana.
Título: Bienestar psicológico en las personas mayores no dependientes y su relación con la autoestima y la autoeficacia / Psychological well-being in non-dependent active elderly individuals and its relationship with self-esteem and self-efficacy
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;24(1):115-124, ene. 2019. tab.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Este estudio tuvo como objetivo examinar las relaciones entre el bienestar psicológico, la autoeficacia para envejecer y la autoestima en personas mayores de 60 años no dependientes. Han participado 148 personas con edades comprendidas entre 60 y 96 años, completando una batería de instrumentos relacionados con la autonomía, el grado y tipo de actividad, la autoeficacia para afrontar el proceso de envejecimiento, la autoestima y el bienestar psicológico. Los resultados indican que el bienestar psicológico no está asociado con la edad, sino con un conjunto de factores de corte psicológico. En concreto la percepción de la salud, las actividades físico-deportivas, la autoeficacia para envejecer, la autoestima y la autonomía se relacionan con el bienestar psicológico, aunque sólo los tres últimos indicadores lo explican. Por tanto la autoeficacia y la autoestima funcionan como promotores del bienestar físico, psicológico y social, de manera que resulta fundamental motivar la participación de los mayores en actividades físico-deportivas, recreativas, sociales y cognitivas promoviendo así su bienestar.

Abstract The aim of this study was to examine the relationship between psychological well-being, self-efficacy and self-esteem in non-dependent individuals over the age of 60. The participants included 148 seniors between 60 and 96 years of age. Data were collected through the following questionnaires: autonomy and physical and social activity scale, self-efficacy for aging scale, self-esteem scale, and the Spanish version of the wellness psychology scale. The results suggest that psychological well-being was not associated with age, but with a set of psychological factors. Psychological well-being was associated with health perception, physical and sports activities, self-efficacy, self-esteem and autonomy. The last three variables are predictors of psychological well-being. Consequently, self-efficacy and self-esteem are considered promoters of physical, psychological and social well-being, encouraging participation in physical and sports, recreational, social and cognitive activities promoting wellness and, ultimately, active aging.
Descritores: Autoimagem
Saúde Mental
Autoeficácia
Autonomia Pessoal
-Percepção
Nível de Saúde
Inquéritos e Questionários
Fatores Etários
Envelhecimento Saudável/psicologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Veras, Renato Peixoto
Texto completo
Id: lil-702591
Autor: Veras, Renato Peixoto; Caldas, Célia Pereira; Cordeiro, Hesio de Albuquerque.
Título: Modelos de atenção à saúde do idoso: repensando o sentido da prevenção / Models of health care for the elderly: rethinking the meaning of prevention
Fonte: Physis (Rio J.);23(4):1189-1213, 2013. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A partir de uma análise crítica sobre os atuais modelos de atenção à saúde para idosos, este artigo de opinião apresenta uma proposta de linha de cuidados para este segmento etário tendo como foco a promoção e prevenção da saúde. A alternativa para evitar a sobrecarga desse sistema é investir em políticas de prevenção de doenças, estabilização das enfermidades crônicas e manutenção da capacidade funcional. O conhecimento científico já identificou corretamente os fatores de risco para a população idosa, mas isso não basta. É prioritário utilizar esse conhecimento para efetuar a necessária transição do modelo assistencial clínico para o modelo com ênfase na prevenção. O modelo precisa configurar-se como um fluxo de ações de educação, promoção da saúde, prevenção de doenças evitáveis, postergação de moléstias, cuidado precoce e reabilitação de agravos. Ou seja, uma linha de cuidado para o idoso que seja um percurso assistencial por dentro de uma rede articulada, referenciada e com um sistema de informação desenhado em sintonia com essa lógica.

From a critical analysis of the current models of health care for the elderly, this opinion article presents a proposal for a line of care for this age group with a focus on health promotion and prevention. The alternative to avoid the overhead of this system is to invest in policies for disease prevention, stabilization of chronic diseases and maintenance of functional capacity. Scientific knowledge has correctly identified the risk factors for the elderly, but this is not enough. It is a priority to use this knowledge to make the necessary transition from clinical care model for the model with emphasis on prevention. The model needs to configure itself as a stream of education initiatives, health promotion, prevention of preventable diseases, delay of diseases, early care and rehabilitation of injuries. That is, a line of care for the elderly as a healthcare course within an articulated network and referenced with an information system designed in line with this logic.
Descritores: Saúde do Idoso
Assistência Integral à Saúde
Prevenção de Doenças
Envelhecimento Saudável
Modelos de Assistência à Saúde
Serviços de Saúde para Idosos
-Brasil
Integralidade em Saúde
Política de Saúde
Promoção da Saúde
Limites: Humanos
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  3 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-881346
Autor: Farinasso, Adriano Luiz da Costa.
Título: Perfil dos idosos em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família / Profile of the elderly in an area covered by the Family Health Strategy
Fonte: Rev. bras. med. fam. comunidade;3(11):221-221, nov. 2007.
Idioma: pt.
Resumo: O envelhecimento saudável, com vistas à manutenção da capacidade funcional, deve ser o foco das políticas sociais e de saúde para os idosos. Neste contexto, a instrumentalização das equipes de saúde da família para atender esta emergente parcela populacional deve ser vista como primordial para a consolidação do sistema formal de apoio ao idoso. Assim, este estudo objetivou caracterizar um grupo de idosos velhos (75 anos e mais de idade), residentes na área de abrangência da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do município de Jandaia do Sul-PR, quanto ao perfil sóciodemográfico e de saúde. A amostra estudada foi obtida pelo sorteio aleatório de 20% da população de idosos com 75 anos e mais de idade, residentes na zona urbana de abrangência da ESF. A coleta foi realizada no domicílio dos idosos utilizando uma adaptação do Older Americans Resources and Services (OARS). Foram estudados 86 idosos com média de idade de 82,02 anos; 51,2% eram do sexo feminino; a média de filhos foi de 5,71; 39,5% eram analfabetos e 39,4% trabalhavam em atividades relacionadas à agricultura. Em relação à saúde, 77,9% eram independentes; 83,7% autoavaliaram a saúde entre .regular. e .boa.; 76,7% apresentavam co-morbidades e, a principal rede de apoio relatada foram os filhos. O estudo revelou a importância da adoção de medidas preventivas e promocionais de saúde pelas equipes de saúde da família, na garantia de apoio formal para o idoso e sua família.
Descritores: Saúde do Idoso
-Equipe de Assistência ao Paciente
Perfil de Saúde
Saúde da Família
Estratégia Saúde da Família
Envelhecimento Saudável
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM


  4 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-898179
Autor: Reis, Luana Araújo dos; Menezes, Tânia Maria de Oliva.
Título: Religiosity and spirituality as resilience strategies among long-living older adults in their daily lives / Religiosidad y espiritualidad como estrategias de resiliencia del anciano en la vida diaria / Religiosidade e espiritualidade nas estratégias de resiliência do idoso longevo no cotidiano
Fonte: Rev. bras. enferm;70(4):761-766, Jul.-Aug. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: to investigate religiosity and spirituality as a resilience strategy for the long-living older adults in their daily lives. Method: Qualitative research of phenomenological approach based on Martin Heidegger thoughts. Interviews were conducted with 14 older adults registered at a family health unit in the city of Jequié, BA, Brazil. The data were analyzed in the light of Being and Time. Results: The results revealed that God occupies a central position in their lives, and the reading of the bible, praying the rosary and prayers are resilience strategies used for coping with unfavorable situations, recovery and/or maintenance of health, personal and family protection, and, above all, the experience of a satisfactory aging. Final considerations: Religiosity and spirituality were presented as an important resilience strategy in the existence of older adults, showing that through them it is possible to achieve well-being and cope with health and social problems.

RESUMEN Objetivo: Develar la religiosidad y la espiritualidad como estrategias de resiliencia del anciano en la vida diaria. Métodos: Investigación cualitativa de abordaje fenomenológica fundamentada en el pensamiento de Martin Heidegger. Se entrevistaron 14 personas mayores longevas registradas en una unidad de salud de la familia del municipio de Jequié, Bahía, Brasil. Los datos se analizaron a la luz de Ser y Tiempo. Resultados: Dios ocupa una posición central en sus vidas y la lectura de la biblia, el rezo del Rosario y la oración son estrategias de resiliencia utilizadas para enfrentar situaciones desfavorables, para recuperar y/o mantener la salud, la protección personal y familiar y, sobretodo, la vivencia de una vejez satisfactoria. Consideraciones finales: La religiosidad y la espiritualidad son importantes como estrategias de resiliencia en la existencia del anciano, ya que a través de ellas alcanza el bienestar y consigue enfrentar problemas sociales y de salud.

RESUMO Objetivo: Desvelar a religiosidade e espiritualidade nas estratégias de resiliência do idoso longevo no cotidiano. Métodos: Pesquisa qualitativa de abordagem fenomenológica fundamentada no pensamento de Martin Heidegger. Foram realizadas entrevistas com 14 pessoas idosas longevas cadastradas em uma unidade de saúde da família no município de Jequié, BA, Brasil. Os dados foram analisados à luz de Ser e Tempo. Resultados: Desvelaram que Deus ocupa uma posição central em suas vidas, e a leitura da bíblia, a reza do terço e a oração são estratégias de resiliência utilizadas para o enfretamento de situações desfavoráveis, a recuperação e/ou manutenção da saúde, a proteção pessoal e familiar e, sobretudo, a vivência de uma velhice satisfatória. Considerações finais: A religiosidade e espiritualidade foram desveladas como importante estratégia de resiliência no existir da pessoa idosa longeva, sinalizando que, por meio dela, é possível alcançar o bem-estar e enfrentar problemas de saúde e sociais.
Descritores: Adaptação Psicológica
Espiritualidade
Envelhecimento Saudável/psicologia
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Pesquisa Qualitativa
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-650728
Autor: Ferreira, Olívia Galvão Lucena; Maciel, Silvana Carneiro; Costa, Sônia Maria Gusmão; Silva, Antonia Oliveira; Moreira, Maria Adelaide Silva Paredes.
Título: Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional / Active aging and its relationship to functional independence / Envejecimiento activo y su relación con la independencia funcional
Fonte: Texto & contexto enferm;21(3):513-518, jul.-set. 2012. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo da presente pesquisa foi analisar os fatores determinantes de um envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. A pesquisa foi realizada com 100 idosos de uma Unidade de Saúde da Família, em João Pessoa-PB. Como instrumentos para a avaliação dos idosos foram utilizados a Medida de Independência Funcional e um questionário sociodemográfico. Os dados foram analisados através do software SPSS. De acordo com os resultados, todos os idosos apresentaram independência funcional para a realização das atividades analisadas. Os dados mostraram também que a independência funcional promove uma maior inserção dos idosos na comunidade, através do fortalecimento dos vínculos sociais e familiares, da amizade e do lazer, sendo estes fatores considerados como determinantes para um envelhecimento ativo.

This study's objective was to analyze the factors determining active aging and its relationship to functional independence. It was conducted with a hundred elderly individuals cared for in a Family Health Unit in João Pessoa, PB, Brazil. The Functional Independence Measure and a socio-demographic questionnaire were used to assess the elderly participants. Data were analyzed using the SPSS. According to the results, all the participants were functionally independent for the performance of the studied activities. Data also showed that functional independence promotes greater integration of elderly individuals within the community, through strengthening social and family bonds, friendship and leisure, factors considered to be determinants of an active aging process.

El objetivo del presente estudio fue analizar los factores determinantes del envejecimiento activo y su relación con la independencia funcional. La investigación se realizó con 100 personas mayores de una Unidad de Salud de la Familia, en João Pessoa-PB, Brasil. Como instrumentos para la evaluación de personas mayores se utilizó la Medida de Independencia Funcional y un cuestionario sociodemográfico. Los datos fueron analizados a través del software SPSS. Según los resultados, todos los sujetos presentan la independencia funcional para llevar a cabo las actividades analizadas. Los datos también demostraron que la independencia funcional promueve una mayor integración de las personas mayores en la comunidad, mediante el fortalecimiento de los lazos sociales y familiares, de amistad y de ocio, y esos factores se consideran como determinantes del envejecimiento activo.
Descritores: Envelhecimento Saudável
Limites: Humanos
Responsável: BR17.1 - Biblioteca Setorial Centro de Ciências da Saúde (BSCCSM)


  6 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1094197
Autor: Celis-Morales, Carlos; Troncoso-Pantoja, Claudia; Leiva-Ordoñez, Ana.
Título: ¿Cuál es el perfil de envejecimiento de la población chilena en comparación a otros países del mundo? / What is the profile of the Chilean population compared to other countries of the world?
Fonte: Rev. méd. Chile;147(12):1630-1631, dic. 2019. graf.
Idioma: es.
Descritores: Envelhecimento/fisiologia
-Chile
Dinâmica Populacional/estatística & dados numéricos
Envelhecimento Saudável
Limites: Humanos
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Carta
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  7 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-985260
Autor: Santos, Jair Licio Ferreira.
Título: Apresentação do suplemento / Presentation of the supplement
Fonte: Rev. bras. epidemiol;21(supl.2):e180001, 2018.
Idioma: pt.
Descritores: Envelhecimento/fisiologia
Envelhecimento Saudável/fisiologia
-Brasil/epidemiologia
Atividades Cotidianas
Limites: Humanos
Idoso
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Lebräo, Maria Lúcia
Texto completo
Id: biblio-985265
Autor: Brito, Tábatta Renata Pereira de; Nunes, Daniella Pires; Duarte, Yeda Aparecida de Oliveira; Lebrão, Maria Lúcia.
Título: Redes sociais e funcionalidade em pessoas idosas: evidências do estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE) / Social network and older people's functionality: Health, Well-being, and Aging (SABE) study evidences
Fonte: Rev. bras. epidemiol;21(supl.2):e180003, 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO: Introdução: Possuir redes sociais ativas parece influenciar positivamente o desempenho funcional de idosos. Objetivo: Verificar a associação entre as características das redes sociais de idosos e o surgimento de comprometimento funcional. Métodos: Estudo longitudinal de base populacional que utilizou as coortesde2006 (n = 1.413) e 2010 (n = 990) do Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE). Para caracterização das redes sociais utilizou-se as seguintes variáveis: número de integrantes da rede; arranjo domiciliar; sexo e idade dos integrantes; co-residência com criança ou apenas com idosos; satisfação com a relação; recebimento e oferecimento de apoio social (financeiro, material, emocional, realização de tarefas dentro e fora de casa, companhia e cuidados pessoais). Utilizou-se regressão logística para a análise dos dados. Todos os cuidados éticos foram observados. Resultados: As redes sociais dos idosos possuem, em média, 8,15 integrantes e são constituídas predominantemente por familiares com idade entre 15 e 59 anos. Idosos dependentes recebem mais apoio material, para realização de tarefas domésticas, fora de casa e cuidados pessoais, enquanto os idosos independentes recebem mais apoio emocional e companhia. Oferecer apoio social (OR = 0,32; IC95% 0,14-0,71) diminuiu as chances de desenvolver dependência, independente de condições sociodemográficas e de saúde. Conclusão: Deve-se estimular o fortalecimento das redes sociais na velhice, uma vez que a confiança no cuidado informal, oferecido, principalmente pelas famílias, pode não ser a melhor opção para lidar com a demanda de cuidado crescente que acompanha o envelhecimento da população brasileira.

ABSTRACT: Introduction: Possessing active social networks seems to positively influence the functional performance of elderly people. Objective: To verify the association between the characteristics of social networks of the elderly people and the emergence of functional impairment. Methods: This is a longitudinal population-based study, which used the 2006 (n = 1,413) and 2010 (n = 990) cohorts of the Health, Well-Being, and Aging (SABE) Study. To characterize the social networks, the following variables were used: number of members in the network; living arrangements; sex and age of the members; coresidence with children or only elderly individuals; satisfaction with the relationships; and receiving and offering social support (financial, material, emotional, performing tasks inside and outside the home, providing companionship, and personal care). Logistic regression was used to analyze the data. All ethical guidelines were followed. Results: The social networks of the elderly people had an average of 8.15 members and consisted predominantly of family members aged between 15 and 59 years. Dependent elderly people received more material support, help in performing household tasks and those outside the home, and personal care, while the independent elderly people received more emotional support and companionship. Provision of social support (OR = 0.32, 95%CI 0.14 - 0.71) decreased the chances of developing dependency, independent of sociodemographic and health conditions. Conclusion: The strengthening of social networks in old age should be encouraged since confidence in informal care offered, mainly by families, may not be the best option for dealing with the growing demand for care that accompanies the aging of the population.
Descritores: Envelhecimento/fisiologia
Rede Social
Envelhecimento Saudável/fisiologia
-Apoio Social
Fatores Socioeconômicos
Brasil
Atividades Cotidianas
Família
Modelos Logísticos
Características de Residência
Fatores Sexuais
Estudos Longitudinais
Idoso Fragilizado
Fatores Etários
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 62 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Antunes, José Leopoldo Ferreira
Lebräo, Maria Lúcia
Texto completo
Id: biblio-985267
Autor: Antunes, José Leopoldo Ferreira; Chiavegatto Filho, Alexandre Dias Porto; Duarte, Yeda Aparecida Oliveira; Lebrão, Maria Lúcia.
Título: Desigualdades sociais na autoavaliação de saúde dos idosos da cidade de São Paulo / Social inequalities in the self-rated health of the elderly people in the city of São Paulo, Brazil
Fonte: Rev. bras. epidemiol;21(supl.2):e180010, 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO: Objetivo: Descrever a prevalência da autoavaliação de saúde ruim e muito ruim em idosos não asilados vivendo na cidade de São Paulo em 2010 e identificar se persistem as desigualdades sociais anteriormente relatadas para esta condição. Métodos: Foi realizado um estudo transversal, com amostra representativa de 1.344 pessoas com 60 anos ou mais vivendo na cidade, participantes do Estudo SABE (Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento). Foi aplicado questionário sobre características sociodemográficas, incluindo três questões de autoavaliação de saúde: uma pergunta direta sobre a condição atual, uma comparação com a condição das demais pessoas da mesma idade, e uma comparação consigo mesmo há um ano. A análise comparativa utilizou modelos de regressão de Poisson, relatando a razão de prevalências como medida de associação entre variáveis. Resultados: Apenas 7,8% dos idosos relataram autoavaliação negativa de saúde em 2010, proporção análoga à dos que se consideraram em pior condição de saúde que as demais pessoas de mesma idade (8,7%). No entanto, foi mais elevada a prevalência de idosos que relataram piora em relação ao ano anterior: 29,2%. Independentemente da questão utilizada, a prevalência de autoavaliação negativa de saúde associou-se diretamente com piores indicadores de renda, escolaridade e classes de consumo. Também foram observadas diferenças significativas entre os sexos, grupos etários e categorias de cor da pele. Conclusão: Diferenças na prevalência de autoavaliação negativa de saúde persistem afetando os grupos sociodemográficos. O conhecimento já disponível sobre desigualdades sociais de saúde não propiciou suprimir ou atenuar a injustiça social neste desfecho.

ABSTRACT: Objective: To describe the prevalence of the self-rated poor and very poor health status among elderly people who were not in nursing homes and were living in São Paulo, Brazil, in 2010, and to identify whether the social inequalities previously reported for this condition persist. Methods: We carried out a cross-sectional study, with a representative sample of 1,344 people aged 60 years or more living in the city, who participated in the SABE Study (Health, Well-Being, and Aging). We applied a questionnaire about sociodemographic characteristics, which included three questions on self-rated health status: a direct question about the current condition, a comparison with the condition of the other people of the same age, and a comparison with oneself a year before. The comparative analysis used Poisson regression models, reporting the prevalence ratio as a measure of association between variables. Results: Only 7.8% of the elderly individuals reported a negative self-rated health status in 2010, similar proportion to those that consider themselves to be in worse health condition than the other people of the same age (8.7%). However, the prevalence of elderly people that reported worsening in comparison with the previous year was higher, of 29.2%. Regardless of the question used, the prevalence of negative self-rated health was directly associated with worse indicators of income, educational status, and consumer classes. Significant differences between genders, age groups, and skin color categories were also observed. Conclusion: Differences in the prevalence of self-rated negative health status continue to affect the sociodemographic groups. The knowledge already available about social inequalities in health did not eliminate or attenuate social injustice in this outcome.
Descritores: Disparidades nos Níveis de Saúde
Autoavaliação Diagnóstica
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
Estudos Transversais
Fatores Etários
Distribuição por Sexo
Distribuição por Idade
Autorrelato
Envelhecimento Saudável
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 62 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Lebräo, Maria Lúcia
Texto completo
Id: biblio-985268
Autor: Santos, Jair Licio Ferreira; Duarte, Yeda Aparecida de Oliveira; Lebrão, Maria Lúcia.
Título: Condições pregressas e saúde no estudo "Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento" (SABE) / Early life conditions and current health status as per the study "Health, Well-being and Aging" (SABE)
Fonte: Rev. bras. epidemiol;21(supl.2):e180011, 2018. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.
Resumo: RESUMO: Introdução: Condições da infância podem influenciar peculiaridades individuais do desenvolvimento e assim afetar a saúde dos adultos. Objetivo: Avaliar associações entre condições pregressas e saúde, como informadas nas pesquisas SABE de 2000, de 2006 e de 2010. Métodos: Condições pregressas referem-se a situações anteriores aos 15 anos: a condição econômica, a fome, a avaliação da saúde, a presença de doenças e ter vivido em ambiente rural por mais de cinco anos. As variáveis de controle foram o sexo, a escolaridade e a renda. O desfecho é a autoavaliação da saúde nas categorias "Boa" e "Má". A análise abrangeu pessoas entre 60 e 65anos. Resultados: A análise bivariada mostrou associações segundo a origem nas três coortes. Foram ainda significantes a condição econômica e ter passado fome, para os entrevistados em 2006. Na análise multivariada pela regressão de Poisson, o elemento de comparação foi a razão de prevalência. Origem rural foi a única entre as condições pregressas a apresentar significância no modelo inicial. As variáveis de controle- sexo, coorte, escolaridade - também apresentaram significância. No modelo final, foram consideradas as variáveis significantes no inicial e uma interação entre origem rural e número de doenças. Permaneceram significantes a coorte, o sexo, a escolaridade e o número de doenças quando o indivíduo teve origem rural. Estenúmero não foi associado ao desfecho se a origem fosse urbana. Conclusão: Há conexões entre as condições pregressas e a saúde do idoso, o que constitui em importante instrumento para a atenção à saúde, tanto para o indivíduo como para a comunidade.

ABSTRACT: Introduction: Childhood conditions can influence some aspects of development of an individual and thus affect health in adult life. Objective: To evaluateassociations between early life conditions and health, as reported by the survey SABE in 2000, 2006, and 2010. Methods: Early or previous conditions refer to the situations before 15 years of age of the interviewees, such as economic condition, famine, health assessment, medical conditions, and having lived in the countryside for over 5 years. The control variables were gender, education, andincome. The outcome was self-reported health as "good" or "bad." This study focused on ages between 60 and 65years. Results: Bivariate analysis showed significant associations of the individual's origin in all the three cohorts. Economic and famine conditions were also significant for cohort B (2006). Multivariate Poisson regression was used with prevalence ratio as an element of comparison. Rural origin was the only significant early condition in the initial model. Thecontrol variables - gender, cohort, and education - were also significant. In the final model, the significant variables in the initial model were included, plus relation between rural origin and the number of diseases. Cohorts, gender, education, and the number of diseases were still significant factors when individuals had rural origin, but were not associated with the outcome if their origin was urban. Conclusion: There were connections between early conditions of life and the health of the elderly, and this might be an important tool for health care for both the individual and the community.
Descritores: Nível de Saúde
Envelhecimento Saudável/fisiologia
-População Rural
Fatores Socioeconômicos
População Urbana
Brasil
Distribuição de Poisson
Fatores Sexuais
Análise Multivariada
Fatores de Risco
Estudos de Coortes
Fatores Etários
Autoavaliação Diagnóstica
Autorrelato
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde