Base de dados : LILACS
Pesquisa : F03.675.050 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 219 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 22 ir para página                         

  1 / 219 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-728850
Autor: Vasconcellosa, Silvio José Lemos; Salvador-Silva, Roberta; Gauer, Viviane; Gauer, Gabriel José Chittó.
Título: Psychopathic traits in adolescents and recognition of emotion in facial expressions / Traços psicopáticos em adolescentes e reconhecimento de emoções expressas pela face
Fonte: Psicol. reflex. crit;27(4):768-774, Oct-Dec/2014. tab.
Idioma: en.
Resumo: Recent studies have investigated the ability of adult psychopaths and children with psychopathy traits to identify specific facial expressions of emotion. Conclusive results have not yet been found regarding whether psychopathic traits are associated with a specific deficit in the ability of identifying negative emotions such as fear and sadness. This study compared 20 adolescents with psychopathic traits and 21 adolescents without these traits in terms of their ability to recognize facial expressions of emotion using facial stimuli presented during 200 milliseconds, 500 milliseconds, and 1 second expositions. Analyses indicated significant differences between the two groups' performances only for fear and when displayed for 200 ms. This finding is consistent with findings from other studies in the field and suggests that controlling the duration of exposure to affective stimuli in future studies may help to clarify the mechanisms underlying the facial affect recognition deficits of individuals with psychopathic traits. (AU)

Estudos recentes têm investigado a capacidade de psicopatas adultos e crianças com traços de psicopatia identificarem determinadas emoções expressas pela face. Resultados conclusivos quanto ao fato dos traços de psicopatia mostrarem-se associados a deficiências na capacidade de identificar emoções negativas, a exemplo de medo e tristeza, ainda não foram alcançados. O presente estudo comparou 20 adolescentes com traços de psicopatia e 21 adolescentes sem traços de psicopatia no que se refere à capacidade de reconhecer emoções expressas pela face em tempos de exposição de 200 milissegundos, 500 milissegundos e 1 segundo. As análises indicaram diferenças estatísticas significativas entre os dois grupos somente para o reconhecimento de medo em um tempo de exposição de 200 milissegundos. Esses achados são consistentes com outros estudos nesse campo e sugerem que o controle do tempo de exposição dos estímulos afetivos em pesquisas futuras pode ajudar a elucidar mecanismos subjacentes relacionados à deficiência, na esfera afetiva, de reconhecimento das expressões faciais em indivíduos com traços de psicopatia. (AU)
Descritores: Emoções
Expressão Facial
Transtorno da Personalidade Antissocial/psicologia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR574.2 - Biblioteca


  2 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1022282
Autor: Olmedo Hernández, Isaac Jahir; Denis Rodríguez, Edmundo; Barradas Alarcón, María Esther; Villegas Domínguez, Josué Elí; Denis Rodríguez, Patricia Beatriz.
Título: Agresividad y conducta antisocial en individuos con dependencia al teléfono móvil: un posible factor criminogénico / Aggression and antisocial behavior in individuals with mobile phone dependence: a possible factor conducive to crime
Fonte: Horiz. méd. (Impresa);19(3):12-19, Set. 2019. tab.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo: Determinar la frecuencia de agresividad y conducta antisocial en estudiantes universitarios con dependencia al teléfono móvil. Materiales y métodos: Se incluyeron 66 estudiantes universitarios entre 18 a 25 años (54,5 % eran mujeres). Los participantes completaron la escala Mobile Phone Problematic Use Scale para la dependencia del teléfono móvil y la escala del Inventario Multifásico de la Personalidad de Minnesota, versión 2-RF para comportamiento antisocial y la agresividad. Resultados: Se encontró dependencia del teléfono móvil en el 22,7 % de la muestra (punto de corte: percentil 80). Además, se observó una significación estadística (p <0.01) en 8 escalas del MPPI-2-RF, que incluían CR4, AG y AGGR-r, relacionadas con la agresión y el comportamiento antisocial. Conclusiones: Existe una relación entre la dependencia del teléfono móvil y las escalas de agresividad y comportamiento antisocial. Postulamos que la dependencia del teléfono móvil podría ser un factor criminógeno.

Objective: To determine the frequency of aggression and antisocial behavior in university students with mobile phone dependence. Materials and methods: Sixty-six (66) university students from 18 to 25 years old (54.5 % females) participated in the study. They completed the Mobile Phone Problematic Use Scale (MPPUS) to assess the mobile phone dependence, and the Minnesota Multiphasic Personality Inventory 2-RF (MMPI-2-RF) to assess the antisocial behavior and aggression. Results: Twenty-two point seven percent (22.7 %) of the sample showed mobile phone dependence (cutoff point: 80th percentile). Additionally, a statistical significance (p <0.01) was observed in eight scales of the MPPI-2-RF, including CR4, AG and AGGR-r, which are related to aggression and antisocial behavior. Conclusions: There is a relationship between mobile phone dependence and the scales assessing aggression and antisocial behavior. We postulate that mobile phone dependence could be a factor conducive to crime.
Descritores: Dependência (Psicologia)
-Agressão
Transtorno da Personalidade Antissocial
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: PE383.9


  3 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-348313
Autor: Frías-Armenta, Martha; López-Escobar, Amelia Eréndida; Díaz-Méndez, Sylvia Guadalupe.
Título: Predictores de la conducta antisocial juvenil: un modelo ecológico / Juvenil antisocial behavior: the ecological model
Fonte: Estud. psicol. (Natal);8(1):15-24, jan.-abr. 2003. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Este estudio pone a prueba un modelo ecológico como marco teórico explicativo de la antisocialidad juvenil. 204 jóvenes mexicanos que cursaban la educación secundaria o preparatoria contestaron un cuestionario con preguntas acerca de la violencia intrafamiliar, su conducta antisocial, la ingesta de alcohol de sus madres, los problemas de conducta escolar, algunas características del ambiente familiar, escolar y del barrio y las actitudes acerca de la violencia. Los datos fueron analizados a través de un modelo estructural en el cual las variables investigadas constituyeron factores e índices que representaban a los niveles de la teoría ecológica. Los resultados mostraron que el microsistema tuvo un efecto directo en la conducta antisocial de los menores, el exosistema mostró un efecto también directo en el microsistema y por lo tanto uno indirecto en la conducta antisocial de los menores, y el macrosistema tuvo un efecto directo en el exosistema y uno indirecto en la antisocialidad de los jóvenes. Lo anterior parece respaldar el modelo ecológico, como explicación coherente de la conducta antisocial en los menores.
Descritores: Comportamento Social
Violência/psicologia
Adolescente
México
Modelos Teóricos
Transtorno da Personalidade Antissocial/psicologia
-Psicologia Social
Entrevista
Pesquisa Qualitativa
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1274.1 - Biblioteca Central Zila Mamede


  4 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-666007
Autor: Davoglio, Tárcia Rita; Gauer, Gabriel José Chittó; Jaeger, João Vitor Haeberle; Tolotti, Marina Davoglio.
Título: Personalidade e psicopatia: implicações diagnósticas na infância e adolescência / Personality and psychopathy: diagnostic implications in childhood and adolescence
Fonte: Estud. psicol. (Natal);17(3):453-460, set.-dez. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo de revisão de literatura examinou o construto da psicopatia associado ao desenvolvimento da personalidade em crianças e adolescentes, privilegiando as questões diagnósticas incipientes. Observou-se que a busca de uma terminologia mais apropriada para descrever as manifestações desviantes precoces, a construção e utilização de instrumentos de avaliação dirigidos à psicopatia em jovens, bem como a estabilidade dos sintomas ao longo do desenvolvimento, têm sido preocupações recorrentes nas pesquisas atuais. Pode-se afirmar que a presença de traços de psicopatia na infância e adolescência ainda suscita questionamentos, demandando por estudos empíricos que explorem aspectos evolutivos e a etiologia multifatorial do construto, preferencialmente, dentro da concepção geral dos transtornos de personalidade.

This literature review article examined the psychopathy construct associated to the development of personality in children and adolescents focusing on the incipient diagnostic issues. It was observed that the search for a more appropriate terminology for describing the early deviant manifestations, the building and using of instruments of evaluation directed to psychopathy in youngsters as well as the stability of the symptoms during growth have been recurrent issues in current researches. It can be affirmed that the presence of psychopathy traits in childhood and adolescence still raises doubts, requiring empirical studies which explore the evolutive aspects and the multifactorial etiology, preferentially within the general conception of personality disorders.
Descritores: Personalidade
Psicopatologia
Comportamento Social
Transtornos do Comportamento Social/psicologia
Criança
Adolescente
Transtorno da Personalidade Antissocial/psicologia
-Brasil
Saúde Mental
Limites: Seres Humanos
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1274.1 - Biblioteca Central Zila Mamede


  5 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-647469
Autor: Ferreira, Ademir Pacelli.
Título: Violência: dimensão do humano? / Violência: dimensão do humano?
Fonte: Estud. pesqui. psicol. (Impr.) = Estud. pesqui. psicol;12(1):327-330, abr. 2012.
Idioma: pt.
Descritores: Violência
-Estresse Psicológico
Transtorno da Personalidade Antissocial
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1691.1 - Biblioteca CEH/A


  6 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: lil-786918
Autor: Silveira, Katia Simone da Silva; Zappe, Jana Gonçalves; Dias, Ana Cristina Garcia.
Título: Correlatos dos comportamentos antissociais limitados à adolescência e dos comportamentos antissociais persistentes / Correlates aspects of adolescence-limited antisocial behavior in adolescence and antisocial persistent behaviour / Correlatos de los comportamientos antisociales limitados a la adolescencia y de los comportamientos antisociales persistentes
Fonte: Psicol. Estud. (Online);20(3):425-436, jul.-set. 2015.
Idioma: en; pt.
Resumo: Os comportamentos antissociais podem ser categorizados como persistentes (quando iniciam na infância e tendem a prosseguir até a fase adulta) e transitórios (quando se encontram restritos a uma fase do desenvolvimento, em geral a adolescência). Nesse sentido, o objetivo principal deste trabalho é revisar estudos que apresentam evidências empíricas da pertinência do modelo tipológico de Moffitt (1993), cuja análise pode oferecer elementos que possibilitem diferenciar os comportamentos antissociais transitórios dos persistentes. A busca foi realizada na base de dados PsycINFO, em que foram recuperados 162 trabalhos, dentre os quais 14 fizeram parte deste estudo. Os achados sugerem quefalta de maturidade, especialmente junto aos pares, disparidade entre o crescimento corporal e maturidade psicológica e social são fenômenos que podem impulsionar comportamentos antissociais transitórios na adolescência. Já os comportamentos antissociais persistentes têm sua origem na infância devido a múltiplas variáveis que podem contribuir para a produção desses comportamentos (violência familiar, problemas escolares, neurológicos, etc). Acredita-se que quanto mais cedo os comportamentos antissociais persistentes são identificados, maiores são as chances de sucesso nas ações e intervenções terapêuticas.

Antisocial behavior can be categorized as persistent (when started in childhood and continues during adulthood) and transient (when they are restricted to development stage, in general, adolescence). The main purpose of this study was to review studies that present empirical evidence supporting the typological model of Moffitt (1993), which proposes an analysis that make it possible to differentiate between transient and persistent antisocial behavior. The search performed using PsycINFO database identified 162 studies related to theme, but only 14 were in this review. The findings suggest that transient antisocial behavior in adolescence may be a result of lack of maturity, especially among peers, and of aperceived difference between body growth and psychological and social maturity. On the other hand, persistent antisocial behavior has its origin in childhood due to the multiple variations that can contribute to the development of these behaviors (familyviolence, school problems, neurological etc.). It is believed that the earlier the persistent antisocial behaviors are identified the bigger are the chances to obtain successful results in the actions and therapeutic interventions.

Los comportamientos antisociales pueden ser categorizados como persistentes (cuando comienzan en la infancia y suelen proseguir hasta la fase adulta) y transitorios (cuando se encuentran restrictos a una fase del desarrollo, en general, la adolescencia). A partir de eso, el objetivo principal de este trabajo es revisar los estudios quepresentan evidencia empírica de la pertinencia del modelo tipológico de Moffitt (1993), cuyo análisis puede proporcionar elementos que permitan diferenciar entre el comportamiento antisocial transitorio y persistente. La búsqueda fue realizada en la base de datos PsycINFO, en la cual se recuperó 162 trabajos, de los cuales 14 formaron parte de este estudio. Los hallados sugieren que falta de madurez, especialmente junto a los pares, disparidad entre el crecimiento corporal y madurez psicológica y social son fenómenos que pueden impulsar comportamientos antisociales transitorios en la adolescencia. Ya los comportamientos antisociales persistentes tienen su origen en la infancia debido a múltiples variables que pueden contribuir para la producción de esos comportamientos (violencia familiar, problemas escolares, neurológicos, etc.). Se cree que cuanto más temprano los comportamientos antisociales persistentes son identificados mayores son las posibilidades de éxito en las acciones e intervenciones terapéuticas.
Descritores: Adolescente
Psicopatologia
Transtorno da Conduta
-Transtorno da Personalidade Antissocial
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  7 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-995915
Autor: Deutsch, Helene.
Título: O impostor: contribuição à psicologia do Ego de um tipo de psicopata / The impostor: contribution to the Ego psychology of a type of psychopath
Fonte: Rev. psicanal;26(1):http://revista.sppa.org.br/index.php/RPdaSPPA/article/view/403/436, 2019.
Idioma: pt.
Resumo: A autora descreve e discute um tipo particular de personalidade psicopática, que denomina o impostor de tipo não dramático. Relata o tratamento de Jimmy, iniciado na adolescência, aos 14 anos, e retomado após uma interrupção de 8 anos. Descreve a intensa sintomatologia de conduta, de natureza predominantemente antissocial, apresentada pelo paciente, a qual começou a se manifestar ainda na infância, logo após a recuperação de um episódio depressivo por volta de seus 7 anos, causado pela abrupta separação do pai, que se isolou, vítima de doença crônica grave. Discute o que entende ser a patologia do Ideal do Ego, que resultaria em um Ego desvalorizado e cheio de culpa, estabelecendo também diferenças entre o impostor e as personalidades como se. Destaca a importância das características de personalidade dos pais de Jimmy como elementos de sua predisposição a um desenvolvimento emocional perturbado, mas enfatiza sobremaneira a vivência traumática ocasionada pela doença do pai como desencadeante de sua psicopatologia de personalidade na vida adulta.
Descritores: Psicopatologia
-FUMARATE HYDRATASE0
Transtorno da Personalidade Antissocial
Responsável: BR18.9


  8 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-953515
Autor: SALESSI, Solana; OMAR, Alicia.
Título: Psychometric properties of a scale to measure the dark side of personality / Propriedades psicométricas de uma escala para medir o lado escuro da personalidade
Fonte: Estud. Psicol. (Campinas, Online);35(2):159-170, abr.-jun. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: The psychometric characteristics of the Dark Triad Scale in an Argentinian context are presented. Two successive studies were carried out. Three hundred sixteen people, with an average age of 34.48 years (SD = 10.57), participated in Study 1. An exploratory factor analysis indicated a three-factor structure with suitable internal consistency (Machiavellianism: α = 0.92; narcissism: α = 0.91, and psychopathy: α = 0.89). Two hundred seventy-five people, with an average age of 32 years (SD = 8.10), participated in Study 2. A confirmatory factor analysis corroborated the three-factor structure. The three factors reached Satisfactory Composite Reliability (greater than 0.70) and adequate Convergent-Discriminant Validity (Average Variance Extrated greater than 0.50). The invariance of the scale's parameters was demonstrated by sex. The results indicate that the Argentinian version of the Dark Triad Scale measures the dark side of personality with appropriate validity and reliability, both in men and women.

Este estudo apresenta as características psicométricas da Dark Triad Scale para o contexto da Argentina. Dois estudos sucessivos foram realizados. Participaram do primeiro estudo trezentas e dezesseis pessoas, com uma idade média de 34,48 anos (DP = 10,57). A análise fatorial exploratória indicou uma estrutura de três fatores com adequada consistência interna (Maquiavelismo: α = 0,92; narcisismo: α = 0,91, e psicopatia: α = 0,89). Do segundo estudo participaram duzentas e setenta e cinco pessoas, com uma idade média de 32 anos (DP = 8,10). A análise fatorial confirmatória confirmou a adequação da estrutura trifatorial. Os três fatores resultantes apresentaram Confiabilidade Composta Satisfatória (maior que 0,70) e indicadores adequados de validade convergente-discriminante (AVE maior que 0,50). A invariância dos parâmetros da escala foi demonstrada por meio do sexo. Os resultados indicam que a versão argentina da Dark Triad Scale mede o lado escuro da personalidade com validade e confiabilidade adequadas, tanto em homens quanto em mulheres.
Descritores: Psicometria
Maquiavelismo
Narcisismo
Transtorno da Personalidade Antissocial
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR27.1 - Biblioteca do Campus II


  9 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-763113
Autor: Formiga, Nilton; Duarte, Vera; Neves, Sofia; Machado, Márcia; Machado, Francisco.
Título: Escala de condutas antissociais e delitivas: estrutura fatorial da versão portuguesa / Scale of antisocial and criminal conducts: factorial structure of the portuguese version
Fonte: Psicol. reflex. crit;28(4):718-727, out.-dez. 2015. tab.
Idioma: pt.
Resumo: ResumoA Escala de Condutas Antissociais e Delitivas tem vindo a ser usada em vários países como uma medida comportamental do desvio juvenil, evidenciando resultados muito consistentes. Este artigo apresenta e discute a análise da validade empírica da estrutura fatorial da sua versão Portuguesa. A amostra foi constituída por 443 estudantes, 305 do sexo feminino e 138 do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 15 e os 23 anos de idade (M = 14,8; DP = 1,90; Mo = 20), maioritariamente de nacionalidade portuguesa (92,1%). Em 60,6% dos casos os/as estudantes frequentavam a universidade. Os resultados sugerem a adequação psicométrica do instrumento, corroborando a estrutura bifatorial proposta em estudos prévios. São discutidas as potencialidades da utilização do instrumento em Portugal (AU).

AbstractThe Scale of Antisocial and Criminal Conducts has been used in several countries as a behavioral measure, showing very consistent results. This paper presents and discusses the analysis of the empirical validity of the factorial structure of its Portuguese version. The sample was comprised of 443 students, 305 female and 138 male, aged between 15 and 23 years (M = 14.8; SD = 1.90; Mo = 20), mostly Portuguese (92%), and 60.6% were college students. Results suggest the psychometric adequacy of instrument, confirming the bi-factorial structure proposed in previous studies. Advantages of its use with the Portuguese population are discussed (AU).
Descritores: Reprodutibilidade dos Testes
Delinquência Juvenil
Transtorno da Personalidade Antissocial/diagnóstico
-Portugal
Psicometria
Inquéritos e Questionários
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR574.2 - Biblioteca


  10 / 219 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-603314
Autor: Gerk, Eliane; Cardoso, José Augusto Rento; Krafft, Luiza Martins.
Título: Ajustamento de alunos ingressantes ao ensino superior: o papel do comportamento exploratório vocacional / Adjustament of begginers college students: the role of vocational exploratory behavior
Fonte: Estud. pesqui. psicol. (Impr.) = Estud. pesqui. psicol;11(2):719-724, ago. 2011. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Psiquiatria/história
Psicopatologia
Transtorno da Personalidade Antissocial
-Transtornos da Personalidade
Limites: Seres Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1691.1 - Biblioteca CEH/A



página 1 de 22 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde