Base de dados : LILACS
Pesquisa : F04.408 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1973 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 198 ir para página                         

  1 / 1973 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1100176
Autor: Andrade, Karoline; Zeferino, Maria Terezinha; Fialho, Marcelo Brandt.
Título: Articulação da rede de atenção psicossocial para o cuidado às crises / Coordination of the psychosocial care network for mental health crisis / Coordinación de la red de atención psicosocial para el cuidado a la crisis
Fonte: Psicol. Estud. (Online);21(2):223-233, abr.-jun. 2016.
Idioma: en; pt.
Resumo: O objetivo deste estudo consistiu em conhecer a articulação entre os pontos da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no cuidado às situações de crise em saúde mental, na visão dos seus trabalhadores. Trata-se de uma pesquisa exploratória descritiva com abordagem qualitativa. O estudo foi realizado com base em 62 portfólios elaborados pelos alunos do Curso Crise e Urgência em Saúde Mental, respondendo à questão reflexiva: "Considerando seu local de trabalho como ponto da RAPS/RUE, descreva, reflita e elabore uma síntese sobre como se dá a articulação com os demais pontos da rede na realidade do seu município". Os dados foram analisados segundo o método de Análise de Conteúdo Temático de Bardin, que compreende três fases: pré-análise, exploração do material e tratamento das informações, inferência e a interpretação. Os dados resultaram em três categorias temáticas: encaminhamento, modelo tradicional de cuidado, o qual evidenciou o encaminhamento inadequado gerador de um cuidado fragmentado; matriciamento, a proposta atual, que traduz uma estratégia de articulação que contribui para o cuidado prestado ao usuário; e novas estratégias, exemplificado por encontros que abordam novas maneiras de viabilizar o cuidado em rede. Considera-se que a articulação entre os serviços de saúde é de extrema importância para um cuidado humanizado e integral ao usuário. Para tanto, faz-se necessário que os trabalhadores tenham conhecimento da sua rede de apoio, bem como utilizem meios de se integrar à mesma, seja por reuniões, capacitações ou encontros que favoreçam a troca de experiências.

This research aimed to investigate the coordination of the psychosocial care network (RAPS) for mental health crisis care, in its workers' view. It is a descriptive exploratory study with qualitative approach. The study was carried out from 62 portfolios made by the students of the Mental Health Crisis and Urgency Course, who answered the reflective question: "Considering your workplace as a point of RAPS / RUE, describe, reflect and write a text with the synthesis regarding the articulation with the other network points in the reality of your municipality". The data were analyzed according to Thematic Content Analysis method suggested by Bardin, which comprises three phases: Pre-analysis, Material Exploration and Treatment of the Information, inference and interpretation. As a result, three thematic categories were identified: Referral, the traditional way of referring to specialized care, which is associated to a more fragmented care process; Matrix support, the current proposal of collaborative care, ajoint strategy that contributes to the complex care demanded by mental health services users; and new strategies for network care, exemplified by meetings or sessions that discuss new ways to enable the network care.

El objectivo de este estudio fue conocer la relación entre los puntos de la Red de Atención Psicosocial para el cuidado de las crisis en salud mental, a la vista de sus trabajadores. Es una investigación exploratoria descriptiva con enfoque cualitativo. El estudio recurrió a 62 carteras realizadas por los estudiantes de la crisis de salud mental y Curso Urgencia que respondió a la pregunta reflexiva: "Teniendo en cuenta su lugar de trabajo como punto de RAPS/RUE, describir, reflexionar y elaborar un resumen de cómo es la relación con los demás puntos de la red en la realidad de su municipio". Los datos se analizaron según el método de análisis de contenido temático sugerido por Bardin, que consta de tres fases: Pre-análisis, exploración y tratamiento de la información, la inferencia e interpretación de lo material. Como resultado se identificaron tres categorías: Referencia, la forma tradicional de hacer referencia a la atención especializada, que se asocia a un proceso de atención más fragmentado; Ayuda matricial: la propuesta de la época, haciendo de esta una estrategia conjunta que contribuya a la atención proporcionada al usuario; y Nuevas estrategias para el cuidado en red, ejemplificadas por las reuniones o sesiones que tratan sobre los nuevos modos de activar el cuidado de la red
Descritores: Saúde Mental
Capacitação Profissional
Serviços de Saúde Mental
-Equipe de Assistência ao Paciente
Atenção Primária à Saúde
Transtornos Mentais/psicologia
Categorias de Trabalhadores
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  2 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890213
Autor: Pereira, Melissa de Oliveira; Sá, Marilene de Castilho; Miranda, Lilian.
Título: Uma onda que vem e dá um caixote: representações e destinos da crise em adolescentes usuários de um CAPSi / A wave that comes rushing in and dunks you: representations and destinies of the crisis in adolescent users of a CAPSi
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(11):3733-3742, Nov. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O artigo enfoca os aspectos intersubjetivos envolvidos na atenção à crise psicossocial de adolescentes, suas representações e desdobramentos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, desenvolvida através da perspectiva psicossociológica, através da construção de narrativas de vidas de adolescentes que se tratam num Centro de Atenção Psicossocial para Crianças e Adolescentes (CAPSi). Baseamo-nos nas contribuições teóricas de René Kaës sobre aspectos grupais e culturais da crise, assim como sua relação com a adolescência. As narrativas de vida, construídas através de entrevistas em profundidade com adolescentes, parentes próximos dos mesmos e profissionais do CAPSi, apresentam a crise como "surpresa", violência e estranhamento, momento que precisa ser esquecido, negado, silenciado e medicalizado. Concluímos que a crise envolve forte sofrimento psíquico por parte do adolescente, pessoas próximas e também profissionais, o que coloca em questão as possibilidades e os limites do cuidado. Apontamos, assim, para a importância de espaços protegidos, na instituição e na rede de saúde, que possibilitem construção coletiva de novos sentidos, representações e destinos da crise, tanto por parte de usuários quanto de profissionais.

Abstract This article focuses on the inter-subjective aspects involved in the care of psychosocial crises of adolescents, their representations and developments. A qualitative research was developed from a psycho-sociological perspective by constructing life story narratives of adolescents treated at a Psychosocial Care Center for Children and Adolescents (CAPSi). It was based on the theoretical contributions of René Kaës on group and cultural aspects of the crisis, as well as its relation to adolescence. Life narratives, constructed through in-depth interviews with adolescents, close relatives, and CAPSi caretakers depict crisis as a "surprise", as violence and estrangement, an episode that must be forgotten, denied, silenced, and medicalized. We concluded that the crisis involves strong mental suffering for adolescents, for the people close to them, and for caretakers, which calls into question the possibilities and limits of care. We, therefore, highlight the importance of protected spaces in both the institution and the health network that would allow the collective construction of new meanings, representations and destinies of crisis, both by users and caretakers.
Descritores: Cuidadores/psicologia
Intervenção na Crise/métodos
Transtornos Mentais/terapia
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
-Brasil
Entrevistas como Assunto
Pesquisa Qualitativa
Transtornos Mentais/psicologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1177506
Autor: Cayres, Alina Zoqui de Freitas.
Título: Avanços e recuos na implantação da Rede de Atenção Psicossocial no Estado de São Paulo: regiões de saúde e pactuações interfederativas / Advances and setbacks in the implementation of the Psychosocial Care Network in the State of São Paulo: health regions and inter-federative agreements.
Fonte: São Paulo; s.n; 2020. 258 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O Sistema Único de Saúde (SUS), desde o Pacto pela Saúde, em 2006, passou oficialmente a organizar as ações e serviços de saúde de forma regionalizada, indicar as responsabilidades de cada ente federado e a legitimar ações pactuadas em instâncias colegiadas deliberativas. As regiões de saúde foram constituídas de acordo com a disponibilidade de serviços da atenção básica à média e alta complexidade em uma demarcação geográfica que envolve dado agrupamento de municípios que necessitam desses serviços. A garantia da atenção psicossocial e a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) foi indicada como prioridade e uma das condições para a constituição dessas regiões. Sua função é disponibilizar acesso e organizar ofertas de atendimento às pessoas em sofrimento psíquico, por meio de diferentes modalidades e níveis de complexidade. Na proposta de rede é necessária a elaboração coletiva de um plano de ação regional que deve ser discutido e pactuado em espaços colegiados consultivos e deliberativos de instâncias locais, regionais e estaduais. A partir desses processos, o estudo analisou os avanços e recuos na implantação da RAPS no Estado de São Paulo, em termos das regiões de saúde e das pactuações interfederativas, por meio do Grupo Condutor Estadual (GCE). Trata-se de pesquisa qualitativa, embora tenha realizado levantamento de normativas e dados quantitativos em bases públicas, para subsidiar as discussões da pesquisa. Foram 3 processos de coleta de dados: 1) Acesso a dados em fontes públicas, normas, portarias e documentos oficiais referentes às políticas públicas de Saúde Mental; 2) Consulta a documentos produzidos no GCE; 3) Entrevistas semiestruturadas com membros do GCE (sobre os dados levantados e ações do grupo). Os dados indicaram que há diferenças entre as regiões do Estado de São Paulo, onde a associação de uma maior ou menor cobertura da Atenção Básica e dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) de uma região pode relacionar-se com a frequência das internações em psiquiatria realizadas ou recebidas nessa mesma região. É possível que esse fenômeno esteja ligado a uma lógica de funcionamento mais ou menos medico-centrada e hospitalocêntrica (principalmente em regiões com hospitais psiquiátricos), geralmente associado com uma história regional pregressa. Assim como, por conta dessa história, a RAPS paulista convive com a presença de alguns serviços que não se enquadram aos pontos de atenção previstos e às vezes funcionam apartados de sua dinâmica. Observou-se também que as internações são mais prolongadas nas regiões com hospitais psiquiátricos, com risco de gerar novos moradores nestes serviços. E que no perfil dessas internações há aumento de casos relacionados com o uso prejudicial de álcool e drogas. Essas características, associadas com as mudanças na estrutura dos pontos de atenção da RAPS pela publicação da Portaria 3.588/2017 (reforçada em polêmica nota técnica que versa sobre uma pretensa nova política de saúde mental), incluindo o hospital psiquiátrico como serviço previsto em sua estrutura, podem dificultar o processo de desinstitucionalização em andamento no Estado, fragilizar o modelo da atenção psicossocial e dificultar a continuidade da reforma psiquiátrica. Cabe questionar eticamente sobre as consequências que uma internação a longo prazo acarreta tal como a lógica hospitalocêntrica que coexiste na RAPS. É no trabalho micropolítico da rede que será possível fazer um movimento de crítica e ruptura a esse funcionamento quando se oferece as condições de possibilidade necessárias a essa finalidade, como maior investimento físico e formativo nos serviços. Realizar um acompanhamento mais sistemático das informações das regiões e redes de saúde e oferecer apoio técnico regional nas instâncias colegiadas, como os Grupos Condutores Regionais (GCR) e o GCE e às equipes de saúde, podem ajudar a fortalecer a RAPS. É possível que a autonomia entre os entes federados e a descentralização das políticas sustentem o modelo de atenção psicossocial preconizado pela reforma psiquiátrica e a luta antimanicomial, mesmo que de forma desigual nos territórios, a depender das posições e disputas políticas locais e regionais. Contudo, a pesquisa não desconsidera o impacto que as mudanças nas políticas de saúde mental, efeito de um momento de contrarreforma psiquiátrica, associado as diferenças regionais, as transições de gestores, as pactuações e repactuações nos diferentes níveis de gestão e o próprio cenário atual de crise, acarretam nos avanços e recuos dos processos da RAPS.

The Unified Health System (SUS), since the Pact for Health, in 2006, has officially started to organize health actions and services in a regionalized way, indicating the responsibilities of each federated entity, and legitimizing actions agreed in deliberative collegiate instances. The health regions were constituted according to the availability of primary care services for medium and high complexity, in a geographical demarcation that comprehends a given group of municipalities in need of such services. The guarantee of psychosocial care and the Psychosocial Care Network (RAPS) was indicated as a priority and one of the conditions for the constitution of these regions. The RAPS aim is to provide access and organize provision of such care to people in psychological distress, through different modalities and levels of complexity. For the network proposal, the collective elaboration of a regional plan of action is required; one that should be discussed in and agreed upon by local, regional and state consultative and deliberative boards. Starting from these processes, this study analyzed the advances and setbacks in the implementation of RAPS in the State of São Paulo, regarding health regions and inter-federative agreements, through the State Conductor Group (GCE). Although it is qualitative research, a survey of norms and quantitative data on public bases to support the research discussions, was conducted. We followed three data collection processes: 1) Access to data from public sources, rules, ordinances and official documents related to public mental health policies; 2) Consultation of documents produced at the GCE; 3) Semi-structured interviews with GCE members (about the data collected and the group's actions). The data indicated that there are differences between the regions of the State of São Paulo, where the association of a more or less extended coverage of Primary Care and Psychosocial Care Centers (CAPS) in a region may be related to the frequency of hospitalizations for psychiatric care made or received in the same region. This phenomenon may also be linked to a logic of operation more or less medic-centered and hospital admission centric (mainly in regions where there are psychiatric hospitals), generally associated with a previous regional history. Likewise, the RAPS in the state of São Paulo, due to this past, coexist with the practice of some services that do not fit the expected points of attention, and sometimes work aside their dynamics. It was also observed that hospitalisations are longer in regions with psychiatric hospitals, risking to create a precedent by accepting new permanent residents in these premises. Furthermore, there is an increase in cases related to chemical dependence. These characteristics, associated with the changes in the structure of the RAPS points of care, effectuated by the publication of Ordinance 3,588 / 2017 (reinforced in a controversial technical note), which includes the psychiatric hospital as centres of service provided for in its structure, may hinder the ongoing de-institutionalization process in the State, weaken the psychosocial care model and obstruct the continuation of the psychiatric reform. One must question the ethics and consequences of long-term hospitalisation; practice adopted by the hospital-centered logic that coexists in RAPS . It is through the network's micropolitical work that it will be possible to make a critical and disruptive movement, by offering the necessary possibilities, such as greater physical investment, and also in the qualification of service. The undertaking of more systematic monitoring of information received from regions and health networks, the offer of regional technical support in collegiate bodies such as the Regional Conductor Group (GCR) and GCE and health teams, should help to strengthen the RAPS. It is possible that the autonomy of the federated entities and the decentralization of policies support the psychosocial care model advocated by the psychiatric reform and the anti-asylum struggle, even if unevenly in the territories, and subject to local and regional political positions and disputes. The research does not disregard, though, the impact that changes in mental health policies has, added by the effect of a moment of psychiatric counter-reform, regional differences, managers' transitions, pacts and renegotiations at different levels of management, and the current scenario of crisis, as key players in the advances and setbacks in RAPS processes.
Descritores: Saúde Mental
Pesquisa Qualitativa
Políticas Públicas de Saúde
Serviços de Saúde Mental
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  4 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1157020
Autor: Menezes, Etiene Silveira de; Kantorski, Luciane Prado; Couto, Maria Laura de Oliveira; Ramos, Camila Irigonhé.
Título: Grupo de adolescentes em serviços de saúde mental: uma ferramenta de reabilitação psicossocial / Group of adolescents in mental health services: a psychosocial rehabilitation tool / Grupo de adolescentes en servicios de salud mental: una herramienta de rehabilitación psicosocial
Fonte: Vínculo;17(2):118-140, jul.-dez. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo teve como objetivo conhecer a dinâmica de funcionamento de grupos de adolescentes coordenados por enfermeiras/os em Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada entre março e maio de 2019. Neste período foram realizadas observações sistemáticas em grupos de adolescentes realizados em dois centros de atenção psicossocial. As observações foram registradas em diário de campo, e entrevistas discursivas foram realizadas com os enfermeiros coordenadores destes grupos. A análise temática dos dados foi baseada no referencial teórico de grupos de Pichon-Rivière. Evidenciou-se que as técnicas grupais se mostraram fundamentais enquanto práticas de reabilitação psicossocial para os adolescentes nestes grupos, por este ser um período de muitas dúvidas e experimentações. Contudo, os enfermeiros nem sempre coordenam os grupos a partir de um referencial teórico. Considera-se que a orientação teórica é importante para o desenvolvimento desta terapêutica. Por fim, a teoria de Pichon-Rivière se mostrou uma abordagem possível para se pensar a prática do enfermeiro no atendimento em grupo no CAPS.

This study aimed to understand the functioning dynamics of the adolescent's groups coordinated by nurses in Psychosocial Care Centers. It is a qualitative research. Data collection was carried out between March and May 2019. During this period, systematic observations were carried out in adolescents groups of two psychosocial care centers. The observations were recorded in a field diary, and discursive interviews were conducted with the nurse coordinators of these groups. Thematic analysis of the data was based on the theoretical framework of Pichon-Rivière groups. It was evident that group techniques were fundamental as psychosocial rehabilitation practices for adolescents in these groups, as this is a period of many doubts and experiments. However, nurses do not always coordinate groups based on a theoretical framework. It is considered that theoretical guidance is important for the development of this therapy. Finally, Pichon-Rivière's theory proved to be a possible approach to think about the nurse's practice in group care at CAPS.

Este estudio tuvo como objetivo comprender la dinámica del funcionamiento de grupos de adolescentes coordinados por enfermeras en Centros de Atención Psicosocial (CAPS). Es una investigación cualitativa. La recolección de datos se realizó entre marzo y mayo de 2019. Durante este período, se realizaron observaciones sistemáticas en grupos de adolescentes en dos centros de atención psicosocial. Las observaciones se registraron en un diario de campo y se realizaron entrevistas discursivas con las enfermeras coordinadoras de estos grupos. El análisis temático de los datos se basó en el marco teórico de los grupos de Pichon-Rivière. Se evidenció que las técnicas grupales fueron fundamentales como prácticas de rehabilitación psicosocial para los adolescentes de estos grupos, ya que este es un período de muchas dudas y experimentos. Sin embargo, las enfermeras no siempre coordinan grupos en base a un marco teórico. Se considera que la orientación teórica es importante para el desarrollo de esta terapia. Finalmente, la teoría de Pichon-Rivière resultó ser un posible enfoque para pensar en la práctica de la enfermera en la atención grupal en CAPS.
Descritores: Orientação
Psicoterapia de Grupo
Atenção
Terapêutica
Técnicas
Pesquisa Qualitativa
Reabilitação Psiquiátrica
Serviços de Saúde Mental
Enfermeiras e Enfermeiros
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  5 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-954346
Autor: da-Silveira, Belisa Vieira; dos-Santos-Reinaldo, Amanda Márcia.
Título: Reports of cohesion and manifestation of the madness social imaginary by family members and users of mental health at the time of admission / Relatos de coerción y manifestación del imaginario social de la locura por familiares y usuarios de salud mental en el momento de la internación / Relatos de coerção e manifestação do imaginário social da loucura por familiares e usuários da saúde mental no momento da internação
Fonte: Invest. educ. enferm;34(3):502-510, Dec. 2016.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective. To understand the social imaginary of madness and its manifestation at the time of referral to hospitalization of users of mental health by their families. Methods. Case study, qualitative, conducted in a mental health service in the city of Belo Horizonte, Brazil. Data collection was through non-participant observation and interviews with semi-structured to eight service users. Data were analyzed using content analysis proposed by Bardin. Results. The results indicate that the mad man speech is still denied and has no space due to the social imaginary of madness. Therefore, the hospital appears as a solution for the family, since they do not understand the mental illness process, designing the patient as bum. Since the mad man speech is not recognized, the family's demand prevails and becomes coercive. Conclusion. The conclusion of this study is that the social imaginary of madness is still associated with unreason and social inadequacy of the subject in psychological distress, which leads families to choose the hospital psychiatric hospitalization.

Resumen Objetivo. Comprender el imaginario social de la locura y su manifestación en el momento de hospitalización de los pacientes de salud mental por sus familias. Métodos. Es un estudio de caso, de naturaleza cualitativa, llevada a cabo en un servicio de salud mental de la ciudad de Belo Horizonte, Brasil. La recolección de información se realizó por observación no participante y de entrevistas semiestructuradas a ocho usuarios de los servicios. Los datos se analizaron mediante análisis de contenido propuesto por Bardin. Resultados. Los hallazgos indicaron que el discurso del loco sigue siendo negado y no tiene espacio debido al imaginario social de la locura. Por lo tanto, la hospitalización se presenta como una solución para la familia que no entiende el proceso de la enfermedad mental, considerando al paciente como un vagabundo. Como el discurso del loco no es reconocido, la demanda de la familia prevalece y se convierte en coercitiva. Conclusión. El imaginario social de la locura aun está asociado con la irracionalidad y la inadaptación social del sujeto en sufrimiento, que lleva a las familias a decidirse por la hospitalización psiquiátrica.

Resumo Objetivo. Compreender o imaginário social da loucura e sua manifestação no momento do encaminhamento para a internação de usuários da saúde mental por seus familiares. Métodos. Estudo de caso, de natureza qualitativa, realizado em um serviço de saúde mental na cidade de Belo Horizonte, Brasil. A coleta dos dados se deu por meio de observação não-participante e por entrevistas com roteiro semiestruturado a 8 usuários do serviço. Os dados foram analisados mediante análise de conteúdo proposta por Bardin. Resultados. Os resultados indicam que o discurso do louco ainda é negado e não tem espaço, devido ao imaginário social da loucura. Assim, a internação aparece como uma solução para a família, uma vez que esta não entende o processo de adoecimento mental, concebendo o doente como vagabundo. Como o discurso do louco não é reconhecido, a demanda da família impera e torna-se coercitiva. Conclusão. A conclusão deste estudo é que o imaginário social da loucura ainda está associado à desrazão e inadequação social do sujeito em sofrimento psíquico, o que leva familiares a decidirem pela internação psiquiátrica hospitalar.
Descritores: Coerção
Pesquisa Qualitativa
Hospitalização
Transtornos Mentais
Serviços de Saúde Mental
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CO103.1 - Biblioteca


  6 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-829041
Autor: Poreddi, Vijayalakshmi; Gandhi, Sailaxmi; Thimmaiah, Rohini; BM, Suresh.
Título: Attitudes toward consumer involvement in mental health services: a cross-sectional survey of Indian medical and nursing undergraduates / Actitudes hacia la participación de los consumidores de los servicios de salud mental: un estudio transversal en estudiantes de medicina y enfermería de la India / Atitudes para a participação dos consumidores dos serviços de saúde mental: um estudo transversal em estudantes de medicina e enfermagem da Índia
Fonte: Invest. educ. enferm;34(2):243-251, June 2016. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Objective.To understand the views of medical and nursing undergraduates regarding consumer involvement in mental health services. Methods. A descriptive cross sectional survey was conducted in Bangalore, South India, among medical (n=155) and nursing (n=116) undergraduates using self-reported the Mental Health Consumer Participation Questionnaire of Happell et al. ''Mental health consumer'' or ''consumer'' is defined as a person who is currently using mental health services as either an in-patient or out-patient. Results. The overall mean score on Mental Health Consumer Participation Questionnaire (54.1±6.7) implies that 64% of the participants hold positive attitudes towards consumer involvement in mental health services. Medical students possessed more positive attitudes than nursing in: consumer capacity (p<0.001), consumer as staff (p< 0.001) and overall score on mental health consumer participation questionnaire (t=6.892, p<0.001). Conclusion. The findings suggest that majority of the participants hold positive attitudes towards mental health consumer involvement in health care services. However, additional research is urgently required from developing countries to understand the effectiveness of involving mental health consumers in academic programs at undergraduate level.

Objetivo.Describir las actitudes de los estudiantes de medicina y de enfermería con respecto a su participación como consumidores de los servicios de salud mental. Métodos. Se realizó un estudio descriptivo de corte transversal en Bangalore, sur de la India, en estudiantes de medicina (n=116) y de enfermería (n=155) utilizando el Mental Health Consumer Participation Questionnaire de Happell et al. contestado por autorreporte. Se definió ''consumidor de salud mental'' o ''consumidor'' como aquella persona que estaba utilizando los servicios de salud mental pero no era paciente hospitalizado ni de consulta externa. Resultados. La puntuación media global en la salud mental, cuestionario de participación de los consumidores (54.1±6.7), implica que el 64% de los participantes tiene actitudes positivas hacia la participación como consumidores de los servicios de salud mental. Los estudiantes de medicina poseían una actitud más positiva que los de enfermería en: la capacidad de consumo (p<0.001), consumidor como parte del staff (p<0.001) y la puntuación global del cuestionario (p<0.001). Conclusión. Los hallazgos sugieren que la mayoría de los participantes tienen una actitud positiva hacia su participación como consumidores en los servicios de salud. Sin embargo, se requiere con urgencia una investigación adicional para comprender la efectividad de la participación de los consumidores de programas académicos a nivel de pregrado.

Objetivo.Descrever as atitudes dos estudantes de medicina e de enfermagem com respeito a sua participação como consumidores dos serviços de saúde mental. Métodos. Se realizou um estudo descritivo de corte transversal em Bangalore, sul da índia, em estudantes de medicina (n=116) e de enfermagem (n=155) utilizando o Mental Health Consumer Participation Questionnaire de Happell et al. contestado por auto-reporte. Se definiu ''consumidor de saúde mental'' ou ''consumidor'' como aquela pessoa que estava utilizando os serviços de saúde mental mas não era paciente hospitalizado nem de consulta externa. Resultados. A pontuação média global na saúde mental questionário de participação dos consumidores (54.1±6.7) implica que 64% dos participantes têm atitudes positivas à participação como consumidores dos serviços de saúde mental. Os estudantes de medicina possuíam uma atitude mais positiva que os de enfermagem em: a capacidade de consumo (p<0.001), consumidor como parte do staff (p<0.001) e a pontuação global do questionário (p<0.001). Conclusão. As descobertas sugerem que a maioria dos participantes têm uma atitude positiva a sua participação como consumidores nos serviços de saúde. Embora, se requere com urgência uma investigação adicional para compreender a efetividade da participação dos consumidores de programas acadêmicos a nível de graduação.
Descritores: Estudantes de Medicina
Estudantes de Enfermagem
Atitude
Serviços de Saúde Mental
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CO103.1 - Biblioteca


  7 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890426
Autor: Paula, Milena Lima de; Jorge, Maria Salete Bessa; Lima, Leilson Lira de; Bezerra, Indara Cavalcante.
Título: Experiências de adolescentes em uso de crack e seus familiares com a atenção psicossocial e institucionalização / Experiences of adolescent crack users and their relatives with psychosocial care and institucionalization
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(8):2735-2744, Ago. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A Política de Atenção Integral ao Usuário de Drogas determina que as práticas de cuidado abranjam as dimensões biopsicossociais. Evidências, entretanto, revelam uma prática institucionalizante, na qual as famílias priorizam o afastamento do sujeito de seu contexto de uso. Este estudo objetivou compreender as implicações da atenção psicossocial e da institucionalização no atendimento às necessidades de adolescentes em situação de uso de crack e de seus familiares. Onze adolescentes e seis familiares narraram suas experiências, por meio de entrevistas em profundidade, as quais foram analisadas à luz da Hermenêutica Fenomenológica, de Paul Ricoeur. Observou-se um fluxo, no qual os adolescentes, na busca pelo cuidado, inicialmente, são institucionalizados para, em seguida, serem encaminhados aos serviços substitutivos. Urge, portanto, a necessidade do fortalecimento da rede de atenção psicossocial para que o cuidado ao adolescente usuário de crack seja ofertado de forma integral, garantindo o respeito aos direitos fundamentais dos adolescentes, como o direito à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Abstract The Drug User Comprehensive Care Policy establishes that care practices should cover biopsychosocial realms. However, evidence reveals an institutionalized practice, in which families prioritize the subject's seclusion from its context of use. This study aimed to understand the implications of psychosocial care and institutionalization in meeting the needs of adolescent crack users and their families. Eleven teenagers and six relatives narrated their experiences through in-depth interviews, which were analyzed in the light of Paul Ricoeur's Phenomenological Hermeneutics. A flow was observed in which teenagers seeking care are initially institutionalized and then referred to replacement services. Thus, there is an urgent need to strengthen the psychosocial care network so that adolescent crack users' care is offered comprehensively, ensuring respect for their fundamental rights, such as the right to freedom and to experience family or community life.
Descritores: Cocaína Crack
Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/reabilitação
Usuários de Drogas/psicologia
-Aceitação pelo Paciente de Cuidados de Saúde
Entrevistas como Assunto
Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/psicologia
Direitos do Paciente
Institucionalização
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
Limites: Humanos
Masculino
Criança
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890444
Autor: Bonilla-Escobar, Francisco Javier; Osorio-Cuellar, Gisel Viviana; Pacichana-Quinayáz, Sara Gabriela; Sánchez-Rentería, Gabriela; Fandiño-Losada, Andrés; Gutiérrez, Maria Isabel.
Título: Do not forget culture when implementing mental health interventions for violence survivors / Não se esqueça da cultura quando for implementar intervenções mentais em saúde para sobreviventes da violência
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3053-3059, Set. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Armed conflict has positioned Colombia as the country with the second highest internal displacement of citizens. This situation has forced government projects and international cooperation agencies to intervene to mitigate the impact of violence; however, the coping strategies implemented by the country's minorities are still unknown. The study objective is to describe the coping strategies and their relation with mental health within Afro-descendant culture in Colombia and the effects that armed conflict has on these coping mechanisms, through a phenomenological study involving focus groups and interviews with experts. Rituals and orality have a healing function that allow Afro-Colombian communities to express their pain and support each other, enabling them to cope with loss. Since the forced displacement, these traditions have been in jeopardy. Armed conflict prevents groups from mourning, generating a form of latent pain. Afro-Colombians require community interventions that create similar spaces for emotional support for the bereaved persons in the pre-conflict period. Thus, it is essential to understand the impact of this spiritual and ritualistic approach on mental health issues and the relevance of narrative and community interventions for survivors.

Resumo O conflito armado posiciona a Colômbia como o país com o segundo maior deslocamento interno em todo o mundo. Esta situação obrigou projetos do governo e agências de cooperação internacional a intervir; no entanto, as estratégias de enfrentamento implementadas por minorias do país ainda são desconhecidas. O objetivo do estudo é descrever as estratégias de enfrentamento e sua relação com a saúde mental dentro da cultura afro-descendente na Colômbia e os efeitos que o conflito armado tem sobre esses mecanismos de enfrentamento, por meio de um estudo fenomenológico envolvendo grupos focais e entrevistas com especialistas. Rituais e oralidade têm uma função de cura que permite que as comunidades afro-colombianas para expressar sua dor e apoiar uns aos outros, permitindo-lhes lidar com a perda. Em razão do deslocamento forçado, essas tradições têm estado em perigo; o conflito armado impede-os de realizar o luto, gerando uma forma de dor latente. Elas exigem intervenções comunitárias que criem espaços de apoio emocional para as pessoas enlutadas similares aos do período pré-conflito. Assim, é essencial compreender o impacto dessa abordagem ritualista em questões de saúde mental, bem como a pertinência das intervenções comunitárias e narrativa para os sobreviventes.
Descritores: Violência/psicologia
Sobreviventes/psicologia
Conflitos Armados/psicologia
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
-Adaptação Psicológica
Grupos Focais
Colômbia
Características Culturais
Grupo com Ancestrais do Continente Africano/psicologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1973 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890438
Autor: Osorio-Cuellar, Gisel Viviana; Pacichana-Quinayáz, Sara Gabriela; Bonilla-Escobar, Francisco Javier; Fandiño-Losada, Andrés; Gutiérrez-Martinez, Maria Isabel.
Título: Perceptions about implementation of a Narrative Community-based Group Therapy for Afro-Colombians victims of Violence / Percepções sobre a implementação de uma Terapia Narrativa grupal baseada na Comunidade para afro-colômbianos vítima da Violência
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3045-3052, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Given the context and the number of armed conflict victims in the Colombian Pacific coast and their difficulties to access psycho-social care, Narrative Community-based Group Therapy appears as a viable mental health intervention. The objective of this study is to describe the process of implementation and results of the intervention in Afro-Colombian victims of violence, in the municipalities of Buenaventura and Quibdó. More specifically, we will be looking at the perspectives of workers and supervisors, through evaluative case studies and individual in-depth interviews. The therapy allows us to identify support and coping systems through coexistence, communication and interaction. It requires an adaptation process to the diversity of knowledge and expressions of victims of Colombian violence, greater empathy from care providers and rigor in their profiles selection, facilities ensuring security and confidentiality, and links with other educational, employment and recreational organizations. It is important to include these results while improving current and future intervention processes.

Resumo Dado o contexto e os números das vítimas de conflitos armado na costa do Pacífico da Colômbia, e as dificuldades de acesso aos cuidados psicossociais, a Terapia Narrativa de grupo Baseado na Comunidade aparece como uma intervenção de saúde mental viável. O objetivo do estudo é descrever o processo de implementação e os resultados da intervenção em vítimas afro-colombianas de violência, nos municípios de Buenaventura e Quibdó - Colômbia, a partir da perspectiva de trabalhadores e supervisores, através de estudos de avaliação e entrevistas em profundidade individuais. A terapia permite a identificação sistemas de apoio para o enfrentamento e o luto e através de convivência, comunicação e interação. Ele requer um processo de adaptação à diversidade necessária de conhecimento e expressões populares de vítimas da violência colombiana, maior empatia por parte dos prestadores de cuidados e rigor na seleção de seus perfis, instalações para garantir a segurança e confidencialidade, e links para outras organizações educacionais, trabalho e lazer. É importante incluir esses resultados na melhoria da intervenção processo atual e futuro.
Descritores: Psicoterapia de Grupo/métodos
Violência/psicologia
Adaptação Psicológica
Vítimas de Crime/psicologia
-Relações Profissional-Paciente
Colômbia
Serviços de Saúde Comunitária/organização & administração
Confidencialidade
Conflitos Armados/psicologia
Grupo com Ancestrais do Continente Africano/psicologia
Empatia
Acesso aos Serviços de Saúde
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 1973 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890488
Autor: Pinho, Eurides Santos; Souza, Adrielle Cristina Silva; Esperidião, Elizabeth.
Título: Processos de trabalho dos profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial: revisão integrativa / Working processes of professionals at Psychosocial Care Centers (CAPS): an integrative review
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(1):141-152, Jan. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Trata-se de uma revisão integrativa da literatura acerca dos processos de trabalho dos profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), refletindo sobre as práticas dos serviços, destacando a reinserção social dos usuários, através do cumprimento da perspectiva biopsicossocial. A bibliografia levantada objetiva demonstrar como os processos de trabalho estão sendo desenvolvidos pelos profissionais dos CAPS, e suas repercussões para o usuário desse serviço. A revisão da literatura foi feita nas bases de dados Lilacs, SciELO e PubMed, em Português, Inglês e Espanhol, com o produto de 57 artigos que foram analisados e organizados em planilha Excel. Este estudo mostrou deficiências na quantidade e qualidade dos recursos físicos, humanos e materiais, fragilidade da rede em saúde mental, além de identificar dissonâncias no atendimento aos usuários e seus familiares, o que leva à redução da qualidade nos processos de trabalho. Os desfechos mais pautados foram acolhimento, projeto terapêutico singular e a territorialização como dissonância na proposta de desinstitucionalização. Este trabalho reúne experiência e conhecimentos profissionais espalhados por todo o país, com notas que orientam o redirecionamento das práticas assistenciais.

Abstract This is an integrative review of the literature on the working processes of professionals staffing the Psychosocial Care Centers (CAPS), reflecting on service practices, in particular social reinsertion of service users from the bio-psychosocial perspective. The literature review aims to show how working processes are being developed by CAPS professionals, and the repercussions for service users. This literature review used the Lilacs, SciELO and PubMed databases in Portuguese, English and Spanish, selecting 57 articles that were analyzed and organized using an Excel spreadsheet. This study revealed shortcomings in the amount and quality of physical, human and material resources, a fragile mental health network, and dissonances in the care provided to users and their families, reducing the quality of the working processes. The outcomes mentioned most often were intake, unique therapeutic project and territory as dissonant components of the de-institutionalization proposal. This work combines the experience and knowledge of professionals across the country, with score to guide the re-direction of care practices.
Descritores: Pessoal de Saúde/organização & administração
Transtornos Mentais/terapia
Serviços de Saúde Mental/organização & administração
-Serviços Comunitários de Saúde Mental/organização & administração
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 198 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde