Base de dados : LILACS
Pesquisa : F04.711.513.603 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 49 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 5 ir para página              

  1 / 49 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1016590
Autor: Pacheco Pacheco, Bernardo; Riquelme Laso, María Soledad.
Título: Cómo realizar una evaluación psiquiátrica integral en niños y adolescentes / How to perform a comprehensive psychiatric evaluation in children and adolescents
Fonte: ARS med. (Santiago, En línea);42(2):55-66, 2017. Tab.
Idioma: es.
Resumo: La prevalencia de trastornos psiquiátricos en niños y adolescentes es alta en nuestro país. La mayoría de los afectados inicialmente suelen tener un primer contacto con el médico de atención primaria, sea este pediatra o médico familiar, de ser necesario, posteriormente estos realizan una derivación al especialista en salud mental. La entrevista y el registro de un examen mental son herramientas que ayudan al clínico a realizar una evaluación psiquiátrica en profundidad. En este contexto clínico, contar con habilidades comunicacionales y tener conocimientos teóricos de cómo llevar a cabo una entrevista psiquiátrica es de suma importancia. La evaluación psiquiátrica de niños y adolescentes, por características propias del desarrollo mental de los afectados, requiere de consideraciones especiales y habilidades particulares que todo evaluador debe tomar en consideración. El propósito de este artículo es revisar desde una perspectiva clínica, integrando los aspectos individuales y relacionales, en qué consiste una evaluación psiquiátrica integral infanto-juvenil y analizar sus complejidades. Pensamos que el artículo puede ser un aporte como material de conocimiento para aquellos que se están formando en la especialidad de psiquiatría infantil, como también para profesionales de la salud mental que trabajan con niños y adolescentes, y que necesitan aprender o perfeccionarse en entrevistas clínicas.(AU)

In Chile there is a high prevalence of mental disorders in children and adolescents. In most cases, they have their first encounters with a primary care physician, such as a pediatrician or a family doctor who refer these patients to mental health specialists when needed. The psychiatric interview and the registration of a mental state examination are skills that aid the clinician to perform a psychiatric assessment in depth. In the clinical context, counting on communication abilities and having a theoretical background about how to perform a psychiatric interview are extremely relevant. Because of the characteristics of mental development in children and adolescents, the psychiatric assessment requires special skills and considerations that every clinician should bare in mind. Acquiring knowledge on how to perform a better psychiatric assessment with our clients brings us closer to determine whether there is or not presence of psychopathology and therefore, a psychiatric diagnosis, which is the aim of the integral psychiatric assessment. The aim of this article is to review from a clinical perspective the aspects of the psychiatric clinical interview applied to children and adolescents and analyze its complexities. We believe this article may be used as a support for those who are training in this speciality as it may be useful for other mental health professionals working with children and adolescents and who seek to improve in clinical interview.(AU)
Descritores: Psiquiatria
Criança
Adolescente
-Pais
Entrevista
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Criança
Adolescente
Adulto
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CL10.1 - Biblioteca Biomédica


  2 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1002017
Autor: Yoshida, Hélio Mamoru; Barreira, Júlia; Fernandes, Paula Teixeira.
Título: Habilidade motora, sintomas depressivos e função cognitiva em pacientes pós-AVC / Habilidad motora, síntomas depresivos y función cognitiva en pacientes pos-ACV / Motor skills, depressive symptoms and cognitive functions in post-stroke patients
Fonte: Fisioter. Pesqui. (Online);26(1):9-14, Jan.-Mar. 2019. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Capes.
Resumo: RESUMO Os objetivos deste estudo foram (1) caracterizar pacientes pós-AVC em relação à habilidade motora (HM), sintomas depressivos (SD) e função cognitiva (FC); (2) realizar comparações desses aspectos entre sexo, idade, nível de atividade física; e (3) correlacioná-los com o tempo pós-AVC. Avaliamos 135 sujeitos com idade média de 60 (±15) anos e tempo médio pós-AVC de 17 meses. Foram usados os seguintes instrumentos: questionário sociodemográfico, Protocolo de Habilidade Motora de Fugl-Meyer (HM), Inventário de Depressão de Beck (SD) e Mini Exame do Estado Mental (FC). O teste Mann-Whitney foi utilizado para comparação entre sexo, idade e prática de atividade física. O coeficiente de Spearman para verificar a correlação entre o tempo pós-AVC e as variáveis analisadas (HM, SD e FC). O grupo obteve uma média de 118,19 (±30,45) para HM, 9,93 (±7,14) para SD e de 21,7 (±5,43) para FC. Além disso, nossos resultados mostram que as mulheres apresentam maiores níveis de sintomas depressivos do que os homens, pacientes maiores de 50 anos apresentaram pior escore para FC. Não houve diferenças significativas entre pacientes praticantes e não praticantes de atividade física em relação à habilidade motora, sintomas depressivos e função cognitiva. Não foram encontradas correlações significativas entre o tempo pós-AVC e as variáveis analisadas. Nossos resultados contribuem para o planejamento e ações que busquem a melhora da qualidade de vida dos pacientes.

RESUMEN Los objetivos de este estudio fueran (1) caracterizar a los pacientes después del accidente cerebrovascular en relación con las habilidades motoras (HM), síntomas depresivos (DS) y la función cognitiva (CF), (2) hacer comparaciones de estos aspectos en cuanto al sexo, edad, nivel de actividad física y (3) correlacionar con el tiempo post-AVC. Se evaluaron 135 sujetos con edad media de 60 (± 15) años y tiempo medio post-AVC de 17 meses. Se utilizaron los siguientes instrumentos: cuestionario sociodemográfico, Protocolo de Habilidad Motora de Fugl-Meyer (HM), Inventario de Depresión de Beck (SD) y Mini Examen del Estado Mental (FC). La prueba Mann-Whitney fue utilizada para la comparación entre sexo, edad y práctica de actividad física. El coeficiente de Spearman fue utilizado para verificar la correlación entre el tiempo post-AVC y las variables analizadas (HM, SD y FC). El grupo obtuvo una media de 118,19 (± 30,45) para HM, 9,93 (± 7,14) para SD y de 21,7 (± 5,43) para FC. Además, nuestros resultados muestran que las mujeres presentan mayores niveles de síntomas depresivos que los hombres; los pacientes mayores de 50 años presentaron peor escore para FC. No hubo diferencias significativas entre pacientes practicantes y no practicantes de actividad física en relación con la habilidad motora, síntomas depresivos y función cognitiva. No se encontraron correlaciones significativas entre el tiempo post-AVC y las variables analizadas. Los resultados contribuyen a la planificación y acciones que busquen la mejora de la calidad de vida de los pacientes.

ABSTRACT The aim of this study was (1) to characterize post-stroke patients according to motor skills (MS), depressive symptoms (DS) and cognitive function (CF), (2) compare these aspects according to sex, age, level of physical activity and (3) correlate them to time after stroke. We evaluated 135 subjects with mean age of 60 (± 15) years and 17 months post-stroke time. The following instruments were used: sociodemographic questionnaire, Fugl-Meyer Motor Scale (MA), Beck Depression Inventory (DS) and Mini Mental State Examination (CF). The Mann-Whitney test was used to compare sexes, ages and physical activity practice. The Spearman coefficient was used to verify the correlation between post-stroke time and the variables analyzed (MA, DS and CF). The group obtained an average of 118.19 (± 30.45) to MA, 9.93 (± 7.14) for DS and 21.7 (± 5.43) to CF. The results showed that women presented higher levels of depressive symptoms than men, patients older than 50 years presented lower scores for CF. There were no significant differences between sedentary and non-sedentary patients with regard to motor skills, depressive symptoms and cognitive function. No significant correlations were found between time and the variables analyzed. Our results will contribute to action and planning which seeks to improve the patient's quality of life.
Descritores: Cognição
Acidente Vascular Cerebral
Depressão
Destreza Motora
-Escalas de Graduação Psiquiátrica
Inquéritos e Questionários
Avaliação da Deficiência
Estilo de Vida Sedentário
Testes de Estado Mental e Demência
Atividade Motora
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação


  3 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1002007
Autor: Mendes, Liliane Patrícia de Souza; Malta, Fernanda Ferreira; Ennes, Thaís de Oliveira; Ribeiro-Samora, Giane Amorim; Dias, Rosângela Corrêa; Rocha, Bianca Louise Carmona; Rodrigues, Marina; Borges, Larissa Faria; Parreira, Verônica Franco.
Título: Prediction equation for the mini-mental state examination: influence of education, age, and sex / Equação de predição para o miniexame do estado mental: influência da educação, idade e sexo / Ecuación de predicción para el mini-examen del estado mental: influencia de la educación, edad y sexo
Fonte: Fisioter. Pesqui. (Online);26(1):37-43, Jan.-Mar. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CNPq; . Fapemig; . Capes.
Resumo: ABSTRACT The mini-mental state examination (MMSE) is a screening test used worldwide for identifying changes in the scope of cognition. Studies have shown the influence of education, age and sex in the MMSE score. However, in Brazil, the studies consider only one factor to score it. The aim of this study was to establish a prediction equation for the MMSE. An exploratory cross-sectional study was developed and trained researchers examined participants at the community. The volunteers were evaluated by the MMSE and also by the Geriatric Depression Scale (GDS). The MMSE score was the dependent variable. Age, educational level, sex, and GDS score were the independent variables. Multivariate regression analysis was used to determine the model of best prediction value for MMSE scores. A total of 250 participants aged 20-99 years, without cognitive impairment, were assessed. The educational level, age, and sex explained 38% of the total variance of the MMSE score (p<0.0001) and resulted in the following equation: MMSE=23.350+0.265(years of schooling)-0.042(age)+1.323(sex), in which female=1 and male=2. The MMSE scores can be better explained and predicted when educational level, age, and sex are considered. These results enhance the knowledge regarding the variables that influence the MMSE score, as well as provide a way to consider all of them in the test score, providing a better screening of these patients.

RESUMO O mini-exame do estado mental (MEEM) é um teste de rastreio mundialmente utilizado para identificar alterações no âmbito da cognição. Estudos têm demonstrado a influência da educação, idade e gênero na pontuação do MEEM. No entanto, no Brasil, os estudos consideram apenas um fator para a pontuação no teste. O objetivo do estudo foi estabelecer uma equação preditiva para o MEEM. Um estudo transversal exploratório foi desenvolvido e examinadores treinados avaliaram participantes da comunidade. Os voluntários foram avaliados pelo MEEM e pela Escala de Depressão Geriátrica (EDG). A pontuação do MEEM foi a variável dependente. A idade, nível educacional, gênero e pontuação na EDG foram as variáveis independentes. A análise de regressão multivariada foi utilizada para determinar o modelo de melhor valor preditivo para os escores do MEEM. Foram avaliados 250 indivíduos entre 20 e 99 anos, sem comprometimento cognitivo. O nível educacional, a idade e o sexo explicaram 38% da variância total da pontuação do MEEM (p<0,0001) e resultaram na equação: MEEM=23,350+0,265(anos de escolaridade)-0,042(idade)+1,323(gênero), em que mulher=1 e homem=2. A pontuação do MEEM pode ser melhor explicada e predita quando o nível educacional, idade e gênero são considerados. Os resultados contribuem para o conhecimento sobre as variáveis que influenciam o escore do MEEM, bem como fornece uma maneira de considerá-las na pontuação do teste, proporcionando uma melhor triagem desses pacientes.

RESUMEN El mini-examen del estado mental (MEEM) es una prueba de rastreo mundialmente utilizada para identificar alteraciones en el ámbito de la cognición. Los estudios han demostrado la influencia de la educación, la edad y el sexo en la puntuación del MEEM. Sin embargo, en Brasil, los estudios consideran sólo un factor para la puntuación en la prueba. El objetivo del estudio fue establecer una ecuación predictiva para el MEEM. Un estudio transversal exploratorio fue desarrollado y examinadores entrenados evaluaron a participantes de la comunidad. Los participantes fueron evaluados por el MEEM y la Escala de Depresión Geriátrica (EDG). La puntuación del MEEM fue la variable dependiente. La edad, nivel educativo, sexo y puntuación en la EDG fueron las variables independientes. El análisis de regresión multivariada fue utilizado para determinar el modelo de mejor valor predictivo para los escores del MEEM. Se evaluaron 250 individuos entre 20 y 99 años, sin comprometimiento cognitivo. El nivel educativo, la edad y el sexo explicaron el 38% de la varianza total de la puntuación del MEEM (p <0,0001) y resultaron en la ecuación: MEEM=23,350+0,265(años de escolaridad)-0,042 (edad)+1,323 (sexo), en que mujer = 1 y hombre = 2. La puntuación del MEEM puede ser mejor explicada y predecible cuando se considera el nivel educativo, la edad y el sexo. Los resultados contribuyen para el conocimiento sobre las variables que influencian el score del MEEM, así como proporciona una manera de considerar las variables en la puntuación de la prueba, proporcionando una mejor forma de triar a estos pacientes.
Descritores: Transtornos Cognitivos/diagnóstico
Testes de Estado Mental e Demência
AMERICAN HEART ASSOCIATIONABDOMINAL INJURIESABDOMEN
-Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Fatores Etários
Escolaridade
Questionário de Saúde do Paciente
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação


  4 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952959
Autor: Brigola, Allan Gustavo; Ottaviani, Ana Carolina; Souza, Érica Nestor; Rossetti, Estefani Serafim; Terassi, Mariélli; Oliveira, Nathalia Alves; Luchesi, Bruna Moretti; Pavarini, Sofia Cristina Iost.
Título: Descriptive data in different paper-based cognitive assessments in elderly from the community: stratification by age and education / Dados descritivos em diferentes avaliações cognitivas em idosos da comunidade: dados estratificados por idade e escolaridade
Fonte: Dement. neuropsychol;12(2):157-164, Apr.-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: FAPESP.
Resumo: ABSTRACT Cognitive aging is dynamic and heterogeneous in elderly, thus adequate tools such as paper-based tests are relevant to describe the cognitive profile of this population. Objective: To describe different paper-based cognitive assessments tests in elderly people stratified by age and education. Methods: A cross-sectional study of 667 elderly (≥60 years) living in the community was conducted. Sociodemographic information was collected. Global cognition was assessed by the Addenbrooke's Cognitive Examination-Revised (ACE-R), Mini Addenbrooke's Cognitive Examination (M-ACE) and Mini-Mental State Examination (MMSE). The data were analyzed using descriptive statistics, the t-test and Pearson's Correlation Coefficient. Results: The findings showed a predominance of women (53.8%), mean age of 71.3 (±7.7) years and 3.6 (±3.5) years of education. The best global cognitive performance and cognitive domain assessment scores were found in the group with higher formal educational level. Each year of education was associated with an increase of up to 10% in scores on the M-ACE and MMSE and up to 11% in ACE-R scores. The mean values of the scores varied according to age, where the 60-69 years group had better scores than other age groups. The correlation matrix between the cognitive tests showed that near perfect correlations (r=1) were frequent in the subgroup with higher education. Conclusion: Younger elderly and those with higher educational level had greater global and domain scores. This study describes the scores of elderly for different strata of education and age. In practice, it is important to choose the most suitable screening instrument, considering the characteristics of the elderly.

RESUMO O envelhecimento cognitivo é dinâmico e heterogêneo, ressaltando a importância de ferramentas adequadas para avaliação da função cognitiva na população idosa brasileira. Objetivo: Descrever os dados estratificados em idade e escolaridade do desempenho de idosos em diferentes testes cognitivos baseados em papel. Métodos: Estudo transversal com 667 idosos da comunidade. Informações demográficas foram coletadas. A cognição global foi mensurada pelo Exame Cognitivo de Addenbrooke - Revisado (ACE-R), Mini Exame Cognitivo de Addenbrooke (M-ACE) e pelo Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva, teste T e pelo Coeficiente de Correlação de Person. Resultados: A maioria dos idosos era mulher (53,8%), as médias foram 71,3 (±7,7) anos para idade e 3,6 (±3,5) anos para escolaridade. O melhor desempenho cognitivo global e nos domínios foram nos idosos com maior nível educacional. Cada ano de escolaridade esteve associado com o melhor desempenho em até 10% nos escores de M-ACE e MEEM e até 11% nos escores de ACE-R. Os valores das médias dos escores variaram entre faixas etárias, sendo que o grupo 60-69 anos apresentou melhor desempenho. A matriz de correlação entre os testes cognitivos mostrou que as correlações próximas à perfeição (r=1) aconteceram frequentemente no subgrupo mais escolarizado. Conclusão: Idosos mais jovens e com maior escolaridade apresentaram melhores escores cognitivos. Esse estudo oferece uma descrição dos dados dos testes cognitivos considerando faixa etária e escolaridade. Na prática, é consistente que a escolha dos testes para o rastreio cognitivo considere as características da população idosa.
Descritores: Envelhecimento Cognitivo
-Idoso
Escolaridade
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  5 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891017
Autor: Moura, Ricardo; Andrade, Peterson Marco Oliveira; Fontes, Patrícia Lemos Bueno; Ferreira, Fernanda Oliveira; Salvador, Larissa de Souza; Carvalho, Maria Raquel Santos; Haase, Vitor Geraldi.
Título: Mini-mental state exam for children (MMC) in children with hemiplegic cerebral palsy / Mini-exame do estado mental para crianças (mmc) na paralisia cerebral
Fonte: Dement. neuropsychol;11(3):287-296, July-Sept. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: undação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais; . CNPq.
Resumo: ABSTRACT Cognitive impairment is frequent in cerebral palsy (CP) and there is a lack of multiprofessional screening instruments. OBJECTIVE: The aim of this study was to investigate the utility of the Mini-Mental State Examination for Children (MMC), an adapted version of the Mini-Mental State Examination, in screening for cognitive impairments in children with CP. METHODS: We assessed 397 Brazilian children, 310 with typical development and 87 with CP (hemiplegic and quadriplegic forms), aged 5-16 years. Association between the MMC and general intelligence was assessed by the Colored Progressive Matrices instrument. RESULTS: Psychometric indexes for the MMC were adequate. ROC analyses revealed effective diagnostic accuracy in all ages assessed. Cut-off values are reported. Major difficulties on the MMC were observed in children with CP, particularly individuals with the quadriplegic form. Moreover, the MMC showed moderate correlation with the intelligence test, and was reliable in discriminating, among clinical cases, those with poorer cognitive abilities. CONCLUSION: The MMC could be useful as a multiprofessional screening instrument for cognitive impairment in children with hemiplegic CP. Results of the MMC in quadriplegic CP children should be interpreted with caution. Diagnosis should be confirmed by further psychological testing.

RESUMO Comprometimentos cognitivos são frequentes na Paralisia Cerebral (PC) e existe uma falta de instrumentos multiprofissionais para uma triagem. OBJETIVO: Investigar a viabilidade do uso do mini-exame do estado mental para crianças (MMC), uma adaptação do mini-exame do estado mental, como uma triagem para comprometimento cognitivo em crianças com PC. MÉTODOS: Nós avaliamos 397 crianças brasileiras, 310 com desenvolvimento típico e 87 com PC (hemiplégica e quadriplégica), com idades entre cinco e 16 anos. A associação entre MMC e a inteligência geral foi avaliada através das Matrizes Coloridas Progressivas de Raven. RESULTADOS: Os índices psicométricos para o MMC foram adequados. As análises ROC revelaram eficácia diagnóstica para todas as idades avaliadas. Os valores de corte são relatados. Dificuldades importantes na MMC foram observadas em crianças com PC, principalmente em crianças tetraplégicas. Além disso, MMC mostrou correlação moderada com o teste de inteligência e boa precisão na identificação das crianças com PC que possuem habilidades cognitivas prejudicadas. CONCLUSÃO: O MMC poderia ser útil como um instrumento de triagem multiprofissional para comprometimento cognitivo em crianças hemiplégicas. Os resultados de MMC em crianças tetraplégicas devem ser interpretados cuidadosamente. O diagnóstico deve ser confirmado por mais testes psicológicos.
Descritores: Paralisia Cerebral
Triagem
Disfunção Cognitiva
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  6 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891004
Autor: Musa, Gada; Henríquez, Fernando; Muñoz-Neira, Carlos; Delgado, Carolina; Lillo, Patricia; Slachevsky, Andrea.
Título: Utility of the Neuropsychiatric Inventory Questionnaire (NPI-Q) in the assessment of a sample of patients with Alzheimer's disease in Chile / Utilidade do questionário de inventário neuropsiquiátrico (npi-q) na avaliação de uma amostra de pacientes com doença de Alzheimer no Chile
Fonte: Dement. neuropsychol;11(2):129-136, Apr.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Conicyt.
Resumo: ABSTRACT. The Neuropsychiatric Inventory Questionnaire (NPI-Q) is an informant-based instrument that measures the presence and severity of 12 Neuropsychiatric Symptoms (NPS) in patients with dementia, as well as informant distress. Objective: To measure the psychometric properties of the NPI-Q and the prevalence of NPS in patients with Alzheimer's disease (AD) in Chile. Methods: 53 patients with AD were assessed. Subjects were divided into two different groups: mild AD (n=26) and moderate AD (n=27). Convergent validity was estimated by correlating the outcomes of the NPI-Q with Neuropsychiatric Inventory (NPI) scores and with a global cognitive efficiency test (Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised - ACE-R). Reliability of the NPI-Q was analysed by calculating its internal consistency. Prevalence of NPS was estimated with both the NPI and NPI-Q. Results: Positive and significant correlations were observed between the NPI-Q, the NPI, and the ACE-R (r=0.730; p<0.01 and 0.315; p<0.05 respectively). The instrument displayed an adequate level of reliability (Cronbach's alpha=0.783). The most prevalent NPS were apathy/indifference (62.3%) and dysphoria/depression (58.5%). Conclusion: The NPI-Q exhibited acceptable validity and reliability indicators for patients with AD in Chile, indicating that it is a suitable instrument for the routine assessment of NPS in clinical practice.

RESUMO. O Questionário de Inventário Neuropsiquiátrico (NPI-Q) é um instrumento baseado em informantes que mede a presença e a gravidade de 12 Sintomas Neuropsiquiátricos (NPS) em pacientes com demência, bem como o sofrimento do informante. Objetivo: Avaliar as propriedades psicométricas do NPI-Q e a prevalência de NPS em pacientes com doença de Alzheimer (DA). Métodos: Foram avaliados 53 pacientes com DA. Eles foram divididos em dois grupos diferentes: AD leve (n=26) e AD moderado (n=27). A validade convergente foi estimada correlacionando os resultados do NPI-Q com os escores do Inventário Neuropsiquiátrico (NPI) e um teste de eficiência cognitiva global (Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised - ACE-R). A confiabilidade do NPI-Q foi analisada pelo cálculo da sua consistência interna. A prevalência de NPS foi estimada com NPI e NPI-Q. Resultados: Foram observadas correlações positivas e significativas entre NPI-Q, NPI e ACE-R (r=0,730; p<0,01 e 0>315; p<0>05). O instrumento apresentou um nível adequado de confiabilidade (alfa de Cronbach=0J83). Os NPS mais prevalentes foram apatia/indiferença (62,3%) e disforia/depressão (58,5%). Conclusão: O NPI-Q apresenta indicadores de validade e confiabilidade aceitáveis em pacientes com DA, o que indica que é um instrumento adequado para a avaliação rotineira de NPS na prática clínica.
Descritores: Prevalência
Manifestações Neurocomportamentais
Demência
Doença de Alzheimer
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  7 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888392
Autor: Luz, Vivian Baptista da; Ghiringhelli, Rosângela; Iório, Maria Cecília Martinelli.
Título: Restrições de participação e estado mental: estudo em novos usuários de próteses auditivas / Restrictions in participation and mental state in new hearing aids users
Fonte: Audiol., Commun. res;23:e1884, 2018. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Resumo: RESUMO Introdução: A deficiência auditiva pode exacerbar mudanças cognitivas decorrentes do envelhecimento. Objetivo: Estudar a restrição de participação em atividades diárias e processos cognitivos em idosos, novos usuários de próteses auditivas. Métodos: Foram avaliados 50 idosos com perda auditiva neurossensorial de grau leve a moderadamente severo, novos usuários de amplificação sonora, distribuídos em três grupos, segundo o grau da perda auditiva. Foram aplicados o Hearing Handicap Inventory For Elderly e o Mini Exame do Estado Mental, antes e após 12 a 16 semanas de uso das próteses auditivas. O tratamento estatístico foi realizado por meio da análise de variância e comparações múltiplas de Bonferroni, com nível de significância de 0,05. Resultados: Após a estimulação acústica por meio do uso de próteses auditivas por 12 a 16 semanas, houve redução da restrição de participação em atividades diárias, tanto na subescala emocional, quanto na social/situacional do Hearing Handicap Inventory For Elderly. Idosos com perda de grau moderadamente severo apresentaram maiores restrições de participação na subescala social e no escore total do Hearing Handicap Inventory For Elderly. O Mini Exame do Estado Mental revelou maiores escores total e dos domínios orientação, memória imediata, atenção e cálculo, evocação e linguagem, após o uso das próteses auditivas. Quanto ao gênero, idosos do gênero feminino apresentaram média dos escores menores em atenção e cálculo. Conclusão: Os idosos com deficiência auditiva apresentaram redução da autopercepção das restrições de participação e melhora dos processos cognitivos de orientação, memória imediata, atenção e cálculo, evocação e linguagem, com a estimulação acústica.

ABSTRACT Introduction: Hearing impairment may accentuate cognitive decline caused by ageing. Purpose: To study restriction of participation in daily activities and cognitive processes in new elderly hearing aids users. Methods: Fifty elderly individuals, all new users of amplification, with mild to moderately severe post-lingual symmetrical sensorineural hearing loss were evaluated. They were then divided into three groups according to the degree of hearing loss. The Hearing Handicap Inventory for the Elderly questionnaire and the Mini Mental State Examination were applied pre and post-fitting of the hearing aids (after 12 to 16 weeks). The analysis of variance and Bonferroni multiple comparisons with significance level of 0.05 were used as statistical analyses. Results: After acoustical stimulation through the use of hearing aids for 12 to 16 weeks, there was a reduction in the restriction of participation in daily activities both in the emotional and social/situational scales of the Hearing Handicap Inventory for the Elderly. Elderly individuals with moderately severe loss reported higher hearing handicap at the social subscale and the global score. The Mini Mental State Examination analysis revealed higher scores for the Orientation to Time and Place, Repetition/Registration, Attention and Calculation, Recall, and Language domains at the post-fitting evaluation. Regarding gender, females presented lower mean scores in Attention and Calculation. Conclusion: Elderly individuals were benefited by the use of hearing aids, which reduced self-perception of hearing handicap and improved cognition aspects of Orientation to Time and Place, Repetition/Registration, Attention and Calculation, Recall, and Language.
Descritores: Implantes Cocleares
Envelhecimento Cognitivo
Perda Auditiva Neurossensorial
-Isolamento Social
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Idoso
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR663.1 - Biblioteca da Saúde da Mulher e da Criança


  8 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-778558
Autor: Beckert, Michele; Loureiro, Fernanda; Menta, Caroline; Mello, Elisa Fasolin; Nogueira, Eduardo L; Gunten, Armin von; Gomes, Irênio.
Título: Performance of low-educated elders with depression on Addenbrooke's Cognitive Examination-Revised (ace-r) test / O desempenho no Addenbrooke's Cognitive Examination-Revised (ACE-R) e seus domínios cognitivos em idosos de baixa escolaridade
Fonte: Dement. neuropsychol;10(1):19-25, Jan.-Mar. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT. Along with cognitive disorders, depression has been a concern for mental health services due to its highly debilitating effect on the functioning and quality of life of the elderly. However, there is still little understanding of the cognitive alterations resulting from depression or of the difficult differential diagnosis with mild cognitive impairment (MCI). It is known that performance on cognitive tests is strongly influenced by education but few studies have been conducted involving low-educated populations. Objective: To evaluate the performance of elders with low education and no dementia on Addenbrooke's Cognitive Examination-Revised (ACE-R) test and its cognitive domains, and compare patients with Current Major Depressive Episode (CMDE) against those without depressive symptoms. Methods: A retrospective, cross-sectional analytical study was conducted based on medical files of patients treated at the Cerebral Aging Clinic of the Hospital São Lucas of the PUCRS. The study included 116 individuals with low education (< 8 years of education) aged between 60 and 84 (69.6 ± 6.4) years, with MCDE (N = 41) and controls (N = 75). Results: No significant difference was observed between control and MCDE groups in median scores on the ACE-R, Mini-Mental State Examination, and the five cognitive domains. There was also no difference between the groups on separate analyses of results on the clock drawing test, the categorical verbal and phonological fluency test, and the naming test. Conclusion: The results of this study showed that depressive symptoms did not influence scores on the ACE-R tests conducted in elders with low education.

Depressão, juntamente com os transtornos cognitivos, tem sido uma preocupação entre os serviços de saúde mental, devido ao alto índice de prejuízo na funcionalidade e qualidade de vida desta população. Contudo, ainda permanece em aberto a compreensão das alterações cognitivas decorrentes da depressão e de difícil diagnóstico diferencial com o comprometimento cognitivo leve (CCL). Sabe-se que o desempenho nos testes cognitivos é fortemente influenciados pela escolaridade, no entanto, poucos estudos tem sido realizados em populações de muito baixa escolaridade. Objetivo: Avaliar o desempenho no Addenbrooke's Cognitive Examination-Revised (ACE-R) e seus domínios cognitivos em idosos de baixa escolaridade, sem demência, e comparar aqueles que tem diagnóstico de Episódio de Depressão Maior Atual (EDMA), com os que não têm quadro depressivo. Métodos: Estudo transversal analítico, retrospectivo, através dos prontuários dos pacientes atendidos no Ambulatório de Envelhecimento Cerebral (AMBEC) do Hospital São Lucas da PUCRS. Foram incluídos 116 indivíduos com baixa escolaridade (< 8 anos de estudo) e idade entre 60 e 84 anos (69,6 ± 6,7), com EDMA (N = 41) e controles (N = 75). Resultados: Na comparação das médias do ACE-R e os cinco domínios cognitivos, entre o grupo controle e o grupo com EDMA, não foi observada diferença significativa. Também não houve diferença entre os grupos quando analisado separadamente os resultados do teste do relógio, da fluência verbal categórica e fonológica e do teste de nomeação. Conclusão: Como observado neste estudo, os sintomas depressivos não modificam os valores dos testes realizados no ACE-R de idosos com baixa escolaridade.
Descritores: Idoso
Depressão
Escolaridade
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  9 / 49 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-778555
Autor: Souza, Elisa Moreira de; Buoniconti, Caroline Schleiffer; Valim, Frederico Cunha; Moura, Alexandre Sampaio.
Título: Risk factors for neurocognitive impairment in HIV-infected patients and comparison of different screening tools / Fatores de risco para alterações neurocognitvas em pacientes infectados pelo HIV e comparação de diferentes ferramentas de triagem
Fonte: Dement. neuropsychol;10(1):42-46, Jan.-Mar. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: HIV-associated neurocognitive disorder (HAND) is relatively frequent among HIV-infected patients and is often underdiagnosed. Assessment of HAND in daily clinical practice is challenging and different tools have been proposed. Objective : To evaluate risk factors and compare different screening tools for neurocognitive impairment in HIV-infected patients. Methods : HIV-infected patients were evaluated using the International HIV-Dementia Scale (IHDS), Mini-Mental State Examination (MMSE) and a neurocognitive self-perception questionnaire recommended by the European AIDS Clinical Society. Sociodemographic, clinical and laboratory data were obtained through chart review and patient interview. Results : Among the 63 patients included, low performance on the IHDS was observed in 54.0% and IHDS score was inversely associated with age (OR 0.13; 95%CI [0.02-0.67]). Regarding cognitive self-perception, 63.5% of patients reported no impairment on the three domains covered by the questionnaire. Among those patients self-reporting no problems, 42.1% had low performance on the IHDS. None of the patients scored below the education-adjusted cut-off on the MMSE. Conclusion : IHDS scores suggestive of HAND were observed in more than half of the patients and lower scores were found among older patients. There was low agreement between the different tools, suggesting that the MMSE may be inadequate for assessing HAND. The self-assessment questionnaire had low sensitivity and might not be useful as a screening tool.

As alterações neurocognitivas associadas ao HIV (HAND) são relativamente frequentes entre pacientes infectados pelo HIV, porém são subdiagnosticadas. Avaliação de HAND na prática clínica diária é desafiador e diferentes ferramentas têm sido propostas. Objetivo : Avaliar fatores de risco e comparar diferentes ferramentas de rastreamento de alterações neurocognitivas em pacientes infectados pelo HIV. Métodos : Pacientes infectados pelo HIV foram avaliados usando a Escala Internacional de Demência pelo HIV (IHDS), Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e um questionário de autopercepção neurocognitiva recomendado pela Sociedade Clínica Europeia de AIDS. Dados sociodemográficos, clínicos e laboratoriais foram obtidos por revisão de prontuário e entrevista com o paciente. Resultados : Entre os 63 pacientes incluídos no estudo, um baixo desempenho no IHDS foi observado em 54,0% e o escore no IHDS esteve inversamente associado à idade (OR 0,13; IC95% [0,02-0,67]). Em relação à autopercepção cognitiva, 63,5% dos pacientes não relataram nenhum prejuízo nos três domínios avaliados pelo instrumento. Nenhum paciente apresentou escore no MEEM abaixo do ponto de corte ajustado para escolaridade. Conclusão : Escores no IHDS sugestivos de HAND foram observados em mais da metade dos pacientes e valores mais baixos foram encontrados entre pacientes mais velhos. Houve pouca concordância entre os diferentes métodos de avaliação, sugerindo que o MEEM é inadequado para avaliação de HAND e o questionário de auto-avaliação tem uma baixa sensibilidade, não parecendo ser útil como ferramenta de triagem.
Descritores: Complexo AIDS Demência
HIV
Demência
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  10 / 49 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-778554
Autor: Pinto, Joana; Lopes, Emanuela; Gonçalves, Gerly; Silva, Ângela; Carnero-, Pardo; Peixoto, Bruno.
Título: Phototest for neurocognitive screening in multiple sclerosis / O Fototest no rastreio neurocognitivo na Esclerose Múltipla
Fonte: Dement. neuropsychol;10(1):12-18, Jan.-Mar. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Multiple Sclerosis (MS) is one of the most common neurological disorders. Cognitive dysfunction is considered a clinical marker of MS, where approximately half of patients with MS have cognitive impairment. Objective : The Phototest (PT) is a brief cognitive test with high diagnostic sensitivity, accuracy and cost-effectiveness for detecting cognitive deterioration. Our aim was to test the utility of the PT as a neurocognitive screening instrument for MS. Methods : The study enrolled 30 patients with different types of MS from an outpatient clinic as well as 19 healthy participants. In conjunction with the PT, the Montreal Cognitive Assessment (MoCA), Barthel Index (BI), Expanded Disability Status Scale (EDSS), and Fatigue Severity Scale (FSS) were administered. Results : The MS group obtained significantly lower results on all domains of the PT, except for the naming task. The PT showed good concurrent validity with the MoCA. In direct comparison to the MoCA, PT showed a greater area under the curve and higher levels of sensitivity and specificity for MS neurocognitive impairments. A cut-off score of 31 on the Phototest was associated with sensitivity of 100% and specificity of 76.7%. Conclusion : The PT is a valid, specific, sensitive and brief test that is not dependent on motor functions. The instrument could be an option for neurocognitive screening in MS, especially in identifying cases for further neuropsychological assessment and intervention.

A Esclerose Múltipla (EM) é das doenças neurológicas mais comuns. A disfunção cognitiva consiste num marcador clínico da EM, cerca de metade dos pacientes apresentam comprometimento cognitivo. Objetivo : O Fototest (FT) é um teste breve, sensível, específico e com boa relação custo-eficácia na deteção de deterioração cognitiva. Pretendemos testar a validade do FT como um instrumento de screening neurocognitivo na EM. Métodos : O estudo envolveu uma amostra de 30 doentes com diferentes tipos de EM de uma clínica de tratamento ambulatório e 19 participantes saudáveis. Em conjunto com o FT, foram aplicados o Montreal Cognitive Assessment (MoCA), o Índice de Barthel (IB), a Expanded Disability Status Scale (EDSS) e a Escala de Severidade de Fadiga (FSS). Resultados : O grupo EM obteve resultados significativamente inferiores em todos os domínios do FT, excepto na tarefa de nomeação. O FT apresenta boa validade concorrente com o MoCa. Na comparação direta com o MoCa, o FT revelou uma área sob a curva superior e níveis de sensibilidade e especificidade para os défices cognitivos na EM superiores. Ao ponto de corte de 31 no FT correspondem valores de sensibilidade de 100% e especificidade de 76,7%. Conclusão : O FT é um teste válido, específico, sensível e breve, não dependente das funções motoras. Pode ser uma opção para o screening neurocognitivo na EM, especialmente na identificação de casos para posterior avaliação neuropsicológica e intervenção.
Descritores: Fadiga
Testes de Estado Mental e Demência
Esclerose Múltipla
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante



página 1 de 5 ir para página              
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde