Base de dados : LILACS
Pesquisa : G02.111.222 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 86 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 9 ir para página                      

  1 / 86 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-756701
Autor: Ferreira, José Roberto de Oliveira.
Título: Caracterização funcional de variantes de patogenicidade incerta, MLH1 LEU676PRO E MSH2 MET729ILE, encontradas em pacientes diagnosticados com síndrome de Lynch / Functional characterization of variants of uncertain pathogenicity, MLH1 Leu676Pro and MSH2 Met729Ile, found in patients diagnosed with Lynch syndromeneoplasias and uterine cervix squamous cell carcinoma.
Fonte: São Paulo; s.n; 2014. 110 p. tab, ilus, quadros.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Antônio Prudente para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O melanoma cutâneo é uma neoplasia que acomete indivíduos jovens e apresenta comportamento agressivo quando diagnosticado tardiamente. Sendo assim, novos métodos diagnósticos auxiliares ao exame clínico, como a dermatoscopia e a microscopia confocal in vivo (MC), têm sido desenvolvidos com o objetivo de melhorar a acurácia diagnóstica desse tumor. Semelhante à dermatoscopia, a MC revela detalhes morfológicos da arquitetura tecidual no plano paralelo à pele e, além disso, fornece imagens instantâneas com alta magnificação e resolução celular. A realização de cortes histológicos transversais (mesmo plano da dermatoscopia e MC) poderia contribuir para melhor caracterizar os achados observados tanto na dermatoscopia quanto na MC. Não existem relatos na literatura médica comparando as características dermatoscópicas, a MC e os achados histopatológicos em cortes transversais. O objetivo deste estudo foi descrever a técnica para realização dos cortes histológicos transversais e comparar as principais características dermatoscópicas do melanoma cutâneo à MC e à histopatologia em cortes perpendiculares e transversais, no intuito de oferecer uma interpretação mais precisa dos achados celulares e arquiteturais observados in vivo. Foram avaliadas 65 lesões com diagnóstico dermatoscópico de melanoma cutâneo de 63 pacientes recrutados no Núcleo de Câncer de Pele e Dermatologia do A.C. Camargo Cancer Center no período de junho de 2011 a abril de 2013. Uma forma fácil, segura e confiável para a realização dos cortes histológicos transversais foi apresentada. Os aspectos celulares e arquiteturais no exame de MC das principais características dermatoscópicas do melanoma cutâneo foram determinados e comparados aos achados histopatológicos nos cortes transversais e perpendiculares. A MC permitiu a identificação de uma nova estrutura chamada de “papila em mitocôndria” que pode representar um critério adicional para o diagnóstico do melanoma in situ. Os cortes histológicos...

Cutaneous melanoma is a cancer that affects young individuals and shows aggressive behavior when diagnosed lately. Therefore, new diagnostic tools to unaided eye, such as dermoscopy and in vivo reflectance confocal microscopy (RCM), have been developed with the aim of improving the diagnostic accuracy of this tumor. Similarly to dermoscopy, RCM reveals morphological details of tissue architecture in parallel plane to the skin and, moreover, provides instant images with high magnification and cellular level resolution. The performance of transverse histopathological sections (same plane of dermoscopy and RCM) could help to better characterize the features observed in both dermoscopy and RCM. There are no reports in the medical literature comparing dermoscopic, RCM and histopathological features in transverse sections. The purpose of this study was to describe the technique for acquiring the transverse sections and compare the main dermoscopic features of cutaneous melanoma to the RCM and histopathology in perpendicular and transverse sections, in order to offer a more precise interpretation of the cellular and architectural features observed in vivo. This study included 65 lesions with dermoscopic diagnosis of cutaneous melanoma in 63 patients recruited at the Dermatology Center of the AC Camargo Cancer Center from June 2011 to April 2013. An easy, safe and reliable way for handle the transverse sections was presented. The RCM cellular and architectural aspects of the main melanoma dermoscopic features were determined and compared to histopathological findings in the transverse and perpendicular sections. We described a new structure called “papillae in mitochondria” which may represent an additional clue for the melanoma in situ diagnosis. The transverse sections allowed a more precise interpretation of the main RCM features in cutaneous melanoma...
Descritores: Clonagem Molecular
Imunofluorescência
Neoplasias Colorretais Hereditárias sem Polipose
Reparo do DNA
Limites: Humanos
Responsável: BR30.1 - Biblioteca
BR30.1


  2 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-667392
Autor: Silva, Felipe Cavalcanti Carneiro da.
Título: Frequência de mutações nos genes MSH6, PMS1, PMS2, TP53 e CHEK2 em pacientes suspeitos de Síndrome de Lynch / Frequency of mutations in MSH6, PMS1, PMS2, TP53 and CHEK2 in patients with hereditary nonpolyposis colorectal cancer.
Fonte: São Paulo; s.n; 2011. 105 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Antônio Prudente para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: A síndrome de Lynch (SL) ou Câncer colorretal hereditário sem polipose (HNPCC) é uma doença autossômica dominante que predispõe ao câncer colorretal e risco aumentado para câncer de endométrio, estômago, intestino delgado, sistema hepatobiliar, rim, ureter, ovário, tumores de glândulas sebáceas, entre outros. Mutações germinativas nos genes de reparo de DNA (MMR) MLH1, MSH2, MSH6, PMS1 e PMS2, são conhecidos por causar síndrome de Lynch (SL). Além disso, mutações herdadas em CHEK2 e TP53 também influenciam o risco de câncer colorretal. Mutações, no primeiro, tem sido identificadas em pacientes com SL, incluindo 1100delC, I157T e IVS2 +1 G> A e, no segundo, tem sido associadas com o câncer gástrico e colorretal no contexto da síndrome de Li-Fraumeni. Objetivo- O objetivo deste estudo foi determinar a frequência de tumores extracolônicos em famílias com os critérios de Amsterdam e de mutações nos genes MSH6, PMS1, PMS2, TP53 e CHEK2 em pacientes suspeitos de SL. Material e Métodos- A fim de avaliar a frequência de tumores colorretais e extracolônicos na SL, foram incluídas 60 famílias não relacionadas que preenchiam, exclusivamente, os critérios de Amsterdam I e II. Para a análise da frequência de mutações nos genes MSH6, PMS1, PMS2, TP53 e CHEK2, 71 famílias não relacionadas, negativas para mutações em MLH1 e MSH2, foram incluídas. Resultados- Para a frequência de tumores avaliados, um total de 2095 indivíduos foram analisados e o câncer colorretal foi encontrado em 334 casos. Tumores extracolônicos foram encontrados em 200 indivíduos, dos quais o câncer de mama (32 casos) foi a manifestação extracolônica mais frequentemente encontrada. Da análise de mutações, observou-se seis novas mutações patogênicas. ...
Descritores: Mutação
Neoplasias Colorretais Hereditárias sem Polipose
Reparo do DNA
Limites: Humanos
Responsável: BR30.1 - Biblioteca
BR30.1


  3 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-553369
Autor: Dominguez, Mev Valentin.
Título: Caracterização de mutações por meio de sequenciamento dos genes hMLH1 e hMSH2 em pacientes com suspeita de Síndrome de Lynch / Characterization of mutations by sequencing of hMLH1 and hMSH2 in suspected Lynch syndrome patients.
Fonte: São Paulo; s.n; 2009. 118 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Antônio Prudente para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução - A Síndrome de Lynch (SL) tem padrão de herança autossômico dominante com alta penetrância (aproximadamente 70%- 80%). Predispõe ao desenvolvimento precoce de câncer colorretal (CCR), endométrio, ovário, intestino delgado, estômago e trato urinário. Os antecedentes familiares de câncer podem identificar indivíduos e famílias sob risco. Os principais critérios clínicos utilizados para a suspeita diagnóstica são os de Amsterdam e de Bethesda. Os genes de reparo de DNA, MSH2 e MLH1 são responsáveis por mais de 85% das mutações germinativas conhecidas em pacientes portadores de SL. Objetivos - O objetivo geral deste trabalho foi a pesquisa de mutações germinativas nos genes MLH1 e MSH2 em indivíduos com suspeita clinica de SL. Casuística e Métodos – Foram estudados 99 pacientes não relacionados, portadores de CCR com os principais critérios clínicos para suspeita de SL. Os DNAs dos pacientes foram obtidos a partir de sangue periférico e submetidos a PCR para análise de todos os exons e regiões intron-exons dos genes. Foram então submetidos a sequenciamento direto em ambos os sentidos. Resultados – Foram encontradas 32 (30%) mutações patogênicas nos genes MLH1 ou MSH2, sendo 21/41 (51,2%) dos pacientes com critérios de Amsterdam e 9/58 (15,5%) dos pacientes com critérios de Bethesda. Foram descritas pela primeira vez 13 mutações patogênicas nos genes MLH1 ou MSH2. Conclusão – Nossos resultados foram concordantes com os encontrados na literatura tanto na porcentagem de mutações encontradas, como na proporção em cada um dos genes de reparo estudados. Além disso, observamos maior especificidade dos critérios de Amsterdam na detecção de indivíduos portadores da mutação germinativa. O sequenciamento automático é uma metodologia eficaz na detecção de alterações pontuais e de pequenas deleções, inserções e duplicações.

Introduction ­ Lynch syndrome (LS) presents an autosomal dominant inheritance pattern with a high penetrance (approximately 70% - 80%). LS predisposes to early development of colorectal cancer (CRC), endometrium, ovary, small intestine, stomach and urinary tract. Family history of cancer could identify individuals and families at risk. The main clinical criteria for diagnosis are Amsterdam and Bethesda Criteria. The mismatch repair genes, MSH2 and MLH1 are responsible for more than 85% of known germline mutations in patients with SL. Objectives ­ To study germline mutations in MLH1 and MSH2 genes in patients with clinically suspected SL. Material and Methods ­ Here, described 99 unrelated patients suffering of CRC with the major clinical criteria for suspicion of SL. The DNAs of the patients were obtained from peripheral blood and subjected to PCR for analysis of all exons and intron-exon regions of genes. Then, they were directed sequenced in both directions. Results - We found 32 (30.4%) pathogenic mutations in MLH1 or MSH2 genes, and among them, 21/41 (51.27%) of patients with Amsterdam criteria and 9/58 (15.5%) of patients with Bethesda criteria. We described, for the first time, 13 pathogenic mutations in MLH1 or MSH2 genes. Conclusions - Our results were consistent with literature in the percentage of mutations found, as well as in the proportion of each mismatch repair genes studied. Moreover, we observed a higher specificity of the Amsterdam criteria for the detection of individuals carrying the germline mutation. The automated sequencing is an effective methodology for detection of substitutions, small deletions, insertions and duplications.
Descritores: Síndromes Neoplásicas Hereditárias
Mutação/genética
Neoplasias Colorretais Hereditárias sem Polipose
Reparo do DNA
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR30.1 - Biblioteca
BR30.1


  4 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-943272
Autor: Nepomuceno, Thales da Costa.
Título: Avaliação do papel de CDK9 no reparo ao dano de DNA / [Evaluation of the role of CDK9 in repairing DNA damage].
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2016. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: BRCA1 (BReast CAncer 1) foi o primeiro gene supressor de tumor relacionado à susceptibilidade ao câncer de mama; a proteína homônima desempenha importante papel resposta ao dano de DNA (RDD). BRCA1 encerra dois domínios BRCT em tandem (tBRCT) em sua região C-terminal, que se comportam como uma única unidade estrutural com a capacidade de reconhecer e se ligar a fosfopeptídeos. As 12 proteínas que encerram domínios tBRCT, codificadas pelo genoma humano, encontram-se envolvidas com vias de RDD. Em 2012, nosso grupo descreveu uma rede de interação proteica que identificou putativos parceiros de interação de sete domínios tBRCTs de diferentes proteínas. A cinase CDK9 foi identificada como putativa parceira de interação com os tBRCTs de BRCA1 e BARD1 (principal parceiro de interação de BRCA1). CDK9 participa, como unidade catalítica, do complexo b de alongamento da transcrição (P-TEFb), além de apresentar um papel importante na resposta ao estresse replicativo. Nosso objetivo nesse trabalho foi caracterizar essas interações no contexto da RDD. A confirmação das interações observadas foi realizada através de ensaios de interação proteína-proteína (GST-pulldown e rotinas de co-imunoprecipitação em células humanas). O recrutamento de CDK9 para sítios de dano ao DNA, no contexto de RDD, foi analisado por microscopia confocal. Para a caracterização funcional das interações observadas, células humanas da linhagem MCF7 tiveram a expressão de CDK9 reduzida através do silenciamento gênico por RNA de interferência (shRNA). As células interferidas foram avaliadas quanto a capacidade de recrutamento de BRCA1 e γ-H2AX para os sítios de dano ao DNA, novamente por microscopia confocal...

BRCA1 (BReast CAncer 1) was the first tumor suppressor gene related to breast cancer susceptibility; the homonymous protein plays an important role in the DNA damage response (DDR). BRCA1 encloses two tandem BRCT (tBRCT) domains in its C-terminal region, that act as a single structural unit being able to recognize and bind to phosphopeptides. The 12 tBRCT-containing proteins, encoded by the human genome, are linked to DDR pathways. In 2012, our group described the protein interaction network and identified putative interaction partners of seven different tBRCT-containing proteins. The kinase CDK9 was identified as a putative interaction partner of BRCA1 and BARD1 (major BRCA1 interaction partner) tBRCTs. CDK9 is the catalytic unit of the positive transcription elongation complex b (P-TEFb), and plays an important role in the replication stress response. This work's goal is the charactarization of these interactions in the DDR context. All interactions were confirmed using protein-protein interaction analysis (GST-pulldown and co-immunoprecipitation assays in human cells)...
Descritores: Quinase 9 Dependente de Ciclina
Reparo do DNA
Genes BRCA1
Neoplasias
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I
BR440.1


  5 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-943726
Autor: Laclette, João de Séllos Rocha.
Título: Avaliação do papel de BCCIP na via de reparo de dano ao DNA: sua associação a BRCA1 E BARD1 / Assessment of the role of BCCIP in the DNA damage repair pathway: association with BRCA1 and BARD1.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2014. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: BARD1 (BRCA1 associated RING domain 1) foi identificada originalmente como uma proteína de interação de BRCA1 (breast cancer 1, early onset) através de ensaio de dois híbridos em levedura (Y2H). Foi descrito que a formação do heterodímero BRCA1/BARD1 éessencial para que BRCA1 exerça sua função supressora de tumor. Ambas as proteínas interagem através de seus domínios RING N-terminais para formar o heterodímero BRCA1/BARD1 com atividade E3 ubiquina ligase, o que constitui a principal atividade catalítica deste complexo. A porção C-terminal de BRCA1 contém dois domínios BRCT em tandem (tBRCT), característicos de uma grande família de proteínas envolvidas no controle da estabilidade genômica. Esses domínios tBRCT medeiam a associação com uma plêiade de proteínas com papel importante no controle do reparo de dano ao DNA (RDD), transcrição gênica e ciclo celular. A fim de identificar novas proteínas de interação com BARD1 foi realizado Y2H utilizando o tBRCT (554-777aa) de BARD1 e uma biblioteca de cDNA de testículo humano. Como resultado, foi identificado, dentre outras proteínas, o cDNA que codifica para a porção C-terminal de BCCIP (BRCA2 and CDKN1A Interacting Protein) (240-322aa). BCCIP foi descrito por seu envolvimento em vias de RDD e controle do ciclo celular. BCCIP interage com BRCA2 e ambas são importantes para a formação defoco de RAD51 após o dano por radiação ionizante. BCCIP interage com p21, potencializando a inibição de CDK2, além de regular a atividade transcricional de p53 na região promotora de p21...

BARD1 (BRCA1 associated RING domain 1) was originally identified in a yeast-two-hybrid (Y2H) screen as a binding partner of BRCA1 (breast cancer 1, early onset). The functional heterodimer BRCA1/BARD1 is required for several of the cellular and tumor-suppressorfunctions of BRCA1. Both proteins interact through the N-terminal RING domain to form aheterodimeric E3 ubiquitin ligase that constitutes the major catalytic activity of the BRCA1-BARD1 complex. The carboxy terminus of BRCA1 is highly acidic and contains two tandemBRCA1 C-terminal (tBRCT) domains, which are characteristic of members of a large familyof proteins involved in genome stability. These domains are protein-protein interactingregions that mediate the association with a number of other proteins with a role in DNAreplication, DNA damage repair (DDR) pathway, transcription and cell cycle control. In orderto identify putative interaction-proteins with BARD1 C-terminal region our group performed aY2H assay using BARD1 tBRCT (aa 554-777) to screen a human testis cDNA library. Asresult, we identified, among other hits, a cDNA coding for BCCIP (BRCA2 and CDKN1 Ainteracting protein) C-terminal region, residues 240-322. BCCIP is known for its involvementin DDR and cell cycle control. BCCIP interacts with BRCA2, and both proteins are importantfor RAD51 focus formation after ionizing radiation and homologous recombination (HR)repair of double-strand-breaks (DSBs). BCCIP enhances the p21 suppression activitytowards CDK2 and its downregulation reduces p21 expression by abrogating p53transcription activity. The aim of this study is to analyze the role of BCCIP in the DDRpathway. We confirmed the BARD1/BCCIP interaction by pull-down and co-immunoprecipitation (co-IP) analyzes of ectopically expressed BARD1 and BCCIP...
Descritores: Neoplasias da Mama
Dano ao DNA
Reparo do DNA
Genes BRCA1
-Proteína BRCA1
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I
BR440.1


  6 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1102465
Autor: Santiago, Karina Miranda.
Título: Perfil genômico da síndrome do xeroderma pigmentoso no Brasil: avaliação de alterações germinativas e somáticas / Genomic profile of xeroderma pigmentosum syndrome in Brazil: assessment of germline and somatic alterations.
Fonte: São Paulo; s.n; 2020. 99 p. figuras, tabelas.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Antônio Prudente para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: A síndrome do Xeroderma Pigmentoso (XP) ocorre frente à herança monogênica e bialélica de variantes germinativas patogênicas de perda ou redução de função em genes das vias de reparo por excisão de nucleotídeos ou síntese translesão. Consequentemente, é estabelecida deficiência na correção de lesões induzidas, principalmente por radiação ultravioleta, favorecendo alta sensibilidade à radiação solar e risco aumentado para o desenvolvimento de múltiplas lesões cutâneas pré-malignas e malignas. Visto que a heterogeneidade na manifestação clínica da síndrome é uma questão em discussão na literatura, para investigar este aspecto propusemos avaliar o perfil de variantes germinativas e variantes somáticas de tumores cutâneos e não cutâneos de indivíduos portadores de XP. Foi realizado o sequenciamento de alto desempenho utilizando a plataforma NextSeq (Illumina) para avaliar as regiões codificantes de 114 genes selecionados pela sua relevância em desordens dermatológicas, tumorigênese e fisiologia cutânea e resposta de dano ao DNA. Seis pacientes com fenótipo clínico da síndrome do XP e portadores de variantes germinativas clinicamente relevantes nos genes XPC ou POLH/XPV foram avaliados no estudo. Variantes germinativas de significado incerto foram identificadas, em heterozigose, no DNA de leucócito de cinco dos seis pacientes avaliados ocorrendo nos genes DNAH11, PCDHB3, RGS22, SLC27A5, TTN e UGT2B10 e nenhuma das variantes identificadas apresentou perda de heterozigose do alelo selvagem nos tecidos tumorais. O polimorfismo de risco para carcinoma basocelular de pele (CBC) rs3769823[A] no gene CASP8 não foi identificado em apenas um caso do estudo, o qual desenvolveu o menor número de tumores. O polimorfismo de risco rs1126809[A] no gene TYR foi detectado apenas no caso que apresentou o maior número de CBC. Amostras de DNA de nove CBCs de tecido armazenado em parafina e duas amostras de tumor gástrico de uma mesma peça cirúrgica, de tecido armazenado em parafina e congelado a fresco, foram avaliadas de forma pareada com o DNA de leucócito correspondente, para pesquisa de variantes somáticas. Variantes somáticas não foram identificadas na amostra de CBC da paciente XP-C com fenótipo menos agressivo da síndrome. O total de 235 variantes missense e 29 variantes de perda de função foram identificadas em 71 genes para sete amostras de CBC, mínimo de 11 e máximo de 127 variantes por amostra, com 85,2% destas apresentando frequência alélica ≥20%. Com exceção de um CBC, mais de 95% das variantes somáticas identificadas representam alterações tipicamente fotoinduzidas (C:G>T:A e G:C>T:A). Embora pacientes XP acumulem maior número de mutações devido deficiência no mecanismo de reparo, não observamos carga mutacional diferente do observado em CBCs esporádicos. Vinte e sete genes apresentaram variantes somáticas em mais de uma amostra de CBC. Nenhum gene foi compartilhado entre as sete amostras de CBC. Entre os genes alterados em maior número de tumores estão incluídos genes drivers de CBC (LATS1, NOTCH2, PTCH1, PTPN14 e TP53), bem como genes não clássicos na carcinogênese do CBC (APC, FLG e TTN). Uma variante driver em SMO foi recorrente em três CBCs de um mesmo paciente. Duas variantes somáticas foram identificadas no tumor gástrico de tecido congelado a fresco ocorrendo nos genes GLI3 e RB1, não sendo as mesmas detectadas no tecido armazenado em parafina. Nesse trabalho, ressalta-se a heterogeneidade na manifestação clínica da síndrome do XP e a identificação de dois polimorfismos de risco, bem como destaca-se o papel central das vias Sonic Hedgehog e Hippo na carcinogênese do CBC de pacientes XP (AU)

The Xeroderma Pigmentosum (XP) syndrome occurs on base of biallelic inheritance of pathogenic germline variants of loss of function or function reduction in genes that plays role in nucleotide excision repair and translesion synthesis. Consequently, patients are deficient in correct DNA lesions mainly induced by ultraviolet radiation, present high sensitivity to solar radiation and increased risk for the development of multiple premalignant and malignant skin lesions. Since the heterogeneity in the clinical manifestation is under constantly discussion in the literature, to investigate it we proposed to explore the profile of germline variants and somatic variants in skin and non-skin tumors from XP patients. High-performance sequencing using the NextSeq (Illumina) platform was performed to assess the coding regions of 114 genes selected for their relevance in dermatological disorders, skin carcinogenesis, cutaneous physiology and DNA damage response. Six patients with clinical phenotype of XP syndrome and carriers of clinically relevant germline variants in the XPC or POLH/XPV genes were evaluated in the study. Heterozygous germline variants of uncertain significance were identified in the leukocyte DNA from five of the six patients occurring in DNAH11, PCDHB3, RGS22, SLC27A5, TTN and UGT2B10 genes. None of the identified variants showed loss of heterozygosity of the wild allele in tumor tissues. The CASP8 risk polymorphism for basal cell carcinoma of the skin (BCC) rs3769823[A] was not identified in only one case of the study which developed the minor number of tumors. The TYR risk polymorphism rs1126809[A] was detected only in the case with the highest number of BCC. Somatic variants were investigated in DNA from nine samples of BCCs (tissue stored in paraffin) and two samples of gastric tumor from the same surgical (tissue stored in paraffin and fresh frozen), all paired with the corresponding leukocyte DNA. Somatic variants were not identified in the BCC sample of XP-C patient with a less aggressive syndrome phenotype. A total of 235 missense variants and 29 loss of function variants were identified in 71 genes for seven BCC samples. A minimum of 11 and a maximum of 127 variants per sample were detected, with 85.2% showing an allelic frequency ≥20%. Except for one BCC, more than 95% of the identified somatic variants represented typically photoinduced mutations (C:G>T:A and G:C>T:A). Although XP patients accumulate a greater number of mutations due to deficiency in the repair mechanism, we did not observe different mutational load compared with sporadic BCCs. Twenty-seven genes showed somatic variants in more than one BCC sample. Genes shared between the seven BCC samples were not found. Among the altered genes in a greater number of tumors, it was identified BCC driver genes (LATS1, NOTCH2, PTCH1, PTPN14 and TP53), as well as genes non-classical for BCC carcinogenesis (APC, FLG and TTN). A driver variant in SMO was recurrent in three BCCs from the same patient. Two somatic variants in GLI3 and RB1 genes were identified occurring only in the fresh frozen tissue of gastric tumor, not in the tissue stored in paraffin. In this work, the heterogeneous clinical manifestation of XP syndrome is highlighted, as well as the identification of two risk polymorphisms. In addition, this work emphasizes the central role of the Sonic Hedgehog and Hippo pathways in BCC carcinogenesis of XP patients.
Descritores: Neoplasias Cutâneas
Neoplasias Gástricas
Xeroderma Pigmentoso
Carcinoma Basocelular
Reparo do DNA
Sequenciamento de Nucleotídeos em Larga Escala
-Raios Ultravioleta
Limites: Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR30.1 - Biblioteca
BR30.1


  7 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-442313
Autor: Costa, Sandra; Medeiros, Rui; Schimitt, Fernando.
Título: DNA Signalling/Repair Genetic Polymorphisms and BreastCancer Risk: a Review
Fonte: Appl. cancer res;25(4):161-180, Oct.-Dec. 2005.
Idioma: en.
Resumo: Breast cancer is the leading cause of death among women in developing countries. In Portugal, it presents the highestincidence and mortality rates in women diseases. About 10% of breast cancer is inherited, presenting a family pattern ofincidence, and have been attributable to mutations in high penetrance susceptibility genes, such as BRCA1 and BRCA2.However, BRCA1 and BRCA2 mutations account only for around 25% of families with inherited breast cancer. Many environmentalfactors have been associated with risk of breast cancer development, such as ionized radiation, chemical carcinogens (diet andenvironment). These mutagens sources, together with endogenous and exogenous estrogens, produce a range of DNA lesionssuch as reactive oxygen species, oxidized bases, bulky DNA adducts and DNA strand breaks. Therefore, DNA repair capacitydetermines cellular susceptibility to endogenous and exogenous substances and factors. The response of cells to DNA damageand their ability to maintain genomic instability by DNA repair are crucial in preventing cancer initiation and progression. Somestudies have demonstrated a strong association of higher levels of DNA damage and lower DNA repair capacity in breast cancerpatients and healthy women with a positive family history of breast cancer. Several polymorphisms have been described in DNAsignalling and repair genes. Therefore, although each polymorphism may be associated with a small increased risk for breastcancer in an individual, the risk attributable in the population as a whole is likely to be higher than for rare, high-penetrancesusceptibility genes. In this review, we intend to illustrate the state of the art in studies concerning DNA signalling or repairgenetic polymorphisms and breast cancer susceptibility.
Descritores: Dano ao DNA
Reparo do DNA
Polimorfismo Genético
-Neoplasias da Mama/diagnóstico
Neoplasias da Mama/epidemiologia
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR30.1 - Biblioteca


  8 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-960877
Autor: Pandolfi Blanco, Anamarys; Fernández García, Sergio; Riverón Forment, Gretel; Gutiérrez Gutiérrez, Reinaldo; Pupo Balboa, Judith; de Armas Santiesteban, Aimara; Lemus Molina, Gisselle; López Izada, Yanet.
Título: Daño al ADN y capacidad de reparación en pacientes con carcinoma de pulmón de células no pequeñas tratados con poliquimioterapia / DNA damage and repair capacity in patients with non-small cell lung cancer treated with polychemotherapy
Fonte: Rev. habanera cienc. méd;17(2):178-189, mar.-abr. 2018. ilus.
Idioma: es.
Descritores: Dano ao DNA
Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas/tratamento farmacológico
Reparo do DNA
Quimioterapia Combinada/métodos
-Epidemiologia Descritiva
Estudos Prospectivos
Estudos Longitudinais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  9 / 86 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: lil-721312
Autor: Pupo Balboa, Judith Beatriz; Gutiérrez Guriérrez, Reinaldo; Lantigua Cruz, Araceli; Suárez Pérez, Neysi Luisa; Acosta Sánchez, Tatiana; Pandolfi Blanco, Anamarys; de Armas Santiesteban, Aimara.
Título: Fenotipo de la reparación por escisión de nucleótidos en pacientes cubanos con hipersensibilidad al sol / Phenotype of the nucleotide excision repair in Cuban sun-hypersensitive patients
Fonte: Rev. cuba. pediatr;86(2):134-146, abr.-jun. 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: INTRODUCCIÓN: deficiencias en los mecanismos de reparación del ácido desoxirribonucleico constituyen un factor de riesgo para el desarrollo del cáncer, como ocurre en el xeroderma pigmentoso. OBJETIVOS: evaluar el fenotipo de la reparación por escisión de nucleótidos en pacientes cubanos con una elevada hipersensibilidad al sol, y la sospecha clínica de xeroderma pigmentoso en la fase eritematopigmentaria, mediante la variante alcalina del ensayo cometa. MÉTODOS: se estudiaron 28 pacientes, con predominio de las edades pediátricas. Como inductor del daño al ácido desoxirribonucleico se utilizó la radiación ultravioleta C (254 nm) a una dosis de 40 J/m². El daño del ácido desoxirribonucleico se cuantificó inmediatamente, después de irradiar las células (tiempo 0 minutos) y un tiempo después de la irradiación, incubado a 37 ºC en medio de cultivo, enriquecido con suero fetal al 10 % (tiempo 45 min). Con estos datos se determinó el por ciento de la diferencia en las unidades arbitrarias (UA) entre ambos momentos. RESULTADOS: no se obtuvieron diferencias significativas (p= 0,080976) entre el grupo de pacientes (224,23 UA) y el grupo de sujetos controles (195,43 UA). Los pacientes reconocieron y escindieron el daño inducido en el ácido desoxirribonucleico por luz ultravioleta C, con una eficiencia similar a la de los controles. CONCLUSIONES: el ensayo cometa alcalino acoplado a radiación ultravioleta C permitió identificar, claramente y de forma indirecta, el funcionamiento de los mecanismos de reparación por escisión de nucleótidos, donde actúan las proteínas XPA a XPG. Los sujetos en estudio fueron excluidos de presentar la forma clásica de la enfermedad.

INTRODUCTION: deficiencies in the deoxyribonucleic acid repair mechanisms are a risk factor for cancer as is the case of xeroderma pigmentosum. OBJECTIVES: to evaluate the phenotype of nucleotide excision repair in Cuban sun hypersensitive patients with clinical suspicion of xeroderma pigmentosum at erythematopigmentary phase, by using the Comet assay alkaline variant. METHODS: twenty eight patients mainly at pediatric ages were studied. The used DNA damage inducer was ultraviolet radiation C (254 nm) at 40 J/m2 dose. The DNA damage was quantified immediately after cell irradiation (0 minutes) and some time afterwards, then cultured at 37 ºC and enriched with 10 % fetal serum (45 minutes). This data allowed determining the percentage of difference in arbitrary units (AU) between both moments. RESULTS: there was no significant differences (p= 0.080976) between the group of patients (224.23 AU) and the control group (195.43 UA). The UV-C induced DNA damage was recognized and excised in the patients with similar effectiveness to that of the controls. CONCLUSIONS: the UV-C radiation-coupled alkaline comet assay allowed clearly and indirectly identifying the functioning of the nucleotide excision repair mechanisms in which XPA to XPG proteins influence. The studied subjects did not show the classical form of this disease.
Descritores: Luz Solar/efeitos adversos
Terapia Ultravioleta/métodos
DNA
Reparo do DNA/fisiologia
Distúrbios no Reparo do DNA/prevenção & controle
Hipersensibilidade/diagnóstico
Limites: Humanos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  10 / 86 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-870799
Autor: Francisco, Guilherme.
Título: Eixo p53-hHR23B-XPC na modulação das vias de reparo de DNA em melanomas: Evidências para processos de carcinogênese, progressão e quimioresistência / p53-hHR23B-XPC axis modulates DNA repair pathways in melanomas: Evidences to carcinogenesis, progression and chemoresistance process.
Fonte: São Paulo; s.n; 2014. [235] p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O reparo de lesões genômicas tem papel critico na supressão da transformação maligna. Para melanomas, tipo de câncer de pele, lesões causadas por UV são responsáveis pela aquisição do fenótipo maligno. A via de reparo por excisão de nucleotídeos (NER) exerce função importante na correção destas lesões, sendo na proteína XPC um dos seus principais agentes atuantes no reconhecimento das lesões. Enquanto mutações em XPC predispõem à Xeroderma Pigmentosum, modulações na função de XPC podem exercer papel critico na aquisição de mutações UV em melanomas esporádicos. A modulação pode ocorrer por ação transcricional, interação proteica ou também por fatores genéticos que possam interferir com sua expressão e/ou atividade. Para entender o papel da transcrição na modulação do reparo exercido por XPC, verificou-se o papel de p53 neste contexto. Comparando-se linhagens com diferentes status funcionais de p53 frente a lesões UVB, os resultados indicaram seu papel quanto a diferenças na sensibilidade à exposição, expressão de proteínas de reparo e cinética de reparo de lesões CPD. Além disso, caracterizou-se a expressão de proteínas envolvidas com apoptose e a ativação de caspase 3/7, além da expressão de espécies reativas de oxigênio produzidas após UVB, as quais sugeriram um efeito pró-sobrevivência após neutralização destas moléculas. Com relação à modulação de XPC quanto a seu principal partner, hHR23B, procurou-se verificar seu papel na biologia de melanomas. Análise da expressão de hHR23B em amostras de tecido de séries névicas, melanomas primários e metástases, demonstrou grande heterogeneidade de marcação principalmente em nevus e melanomas primários. Dados apresentados demonstraram que hHR23B esta relacionado à estabilidade e acúmulo de XPC, consequentemente alterando a eficiência de reparo de DNA para lesões UVB. O silenciamento de hHR23B modulou a morte celular após UVB de maneira a diminuir sua taxa, porém a longo prazo, tal sobrevivência não foi...

The repair of genomic lesions plays a critical role in the suppression of malignant transformation. For melanoma, a type of skin cancer, lesions caused by UV are responsible for the acquisition of the malignant phenotype. The nucleotide excision repair (NER) pathway has an important role in the repair of these lesions and XPC protein in one of its main active agents in lesion recognition. While mutations in XPC predispose to Xeroderma Pigmentosum, modulations in XPC function may play critical role in the acquisition of UV mutations in sporadic melanomas. The modulation may occur either by transcriptional activity, protein interaction or also by genetic factors that may interfere with their expression and / or activity. To understand the role of the transcription in modulating the DNA repair exerted by XPC, we verified the role of p53 in this context. Comparing cells lines with different p53 functional status after UVB injury, the results indicated its role regarding the differences in sensitivity, expression of repair proteins and DNA repair kinetics of CPD lesions. Moreover, we characterized the expression of proteins involved in apoptosis and the activation of caspase 3/7, besides the analysis of the expression of reactive oxygen species produced after UVB exposure. Such molecules suggested a pró-survival effect after UVB exposure due to results observed after neutralization. Regarding the modulation of XPC by its main partner, hHR23B, we verified its role in the biology of melanoma. HHR23B expression analysis in tissue samples series of nevus, primary melanoma and metastases showed critical heterogeneity stainning, especially in nevi and primary melanomas samples. Results indicated that hHR23B play a role in XPC stability and accumulation, altering the efficiency of DNA repair to UVB injury. Knocking-down of hHR23B by siRNA modulated cell death after UVB by decreasing its rate, but the long-term survival has not been demonstrated so. The knocking-down of...
Descritores: Biomarcadores Tumorais
Reparo do DNA
GENES PDIPETALONEMA INFECTIONS
Melanoma
Polimorfismo Genético
Raios Ultravioleta
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1



página 1 de 9 ir para página                      
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde