Base de dados : LILACS
Pesquisa : G02.111.323 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 264 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 27 ir para página                         

  1 / 264 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-128370
Autor: Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição (Brasil).
Título: Subprograma de iodação do sal no combate ao bócio endêmico no Brasil / Sub-program of iodizing salt to fight the endemic goiter in Brazil.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; out. 1983. [104] p. tab.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Reunião Técnica, 5, Lima, 16-19 nov. 1983.
Descritores: Halogenação
Bócio
Bócio Endêmico
-Cloreto de Sódio na Dieta
Bócio/enfermagem
Bócio/prevenção & controle
Bócio Endêmico/prevenção & controle
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Publicações Governamentais
Responsável: BR599.1 - Coordenação Geral de Documentação e Informação (CGDI)
BR599.1; 66.094.415:664.41:616.441-006.5(81)(06), I59s


  2 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Morita, Maria Celeste
Texto completo
Id: lil-392452
Autor: Gonini, Cristiane de Andrade Janene; Morita, Maria Celeste.
Título: Dental fluorosis in children attending basic health units / Fluorose dentária em crianças usuárias de unidades básicas de saúde
Fonte: J. appl. oral sci;12(3):189-194, July-Sept. 2004. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJETIVOS: Estabelecer a freqüência e severidade de fluorose dentária entre pacientes de clínicas odontológicas da rede de Unidades Básicas de Saúde de Londrina. MATERIAIS E MÉTODOS: Cinco Unidades Básicas de Saúde - zona urbana - foram sorteadas e 434 pacientes das clínicas odontológicas destas unidades de saúde, nascidos entre 1986 e 1989 (9 a 12 anos de idade), foram examinados. O diagnóstico da fluorose dentária foi feito utilizando-se o Índice Thylstrup e Fejerskov (TF). Os exames bucais foram realizados por cinco cirurgiões dentistas previamente treinados, com o paciente deitado, utilizando-se iluminação artificial, tendo-se procedido profilaxia, isolamento relativo e secagem dos dentes. Dez por cento da amostra foi reexaminada, tendo-se obtido concordância quase perfeita nos critérios de diagnóstico, tanto intra-examinador como inter-examinadores (K=1.00, p< 0.0001). RESULTADOS: A freqüência de fluorose dentária verificada foi de 91.0%, com 87.8% dos indivíduos classificados como TF grau 2 ou menor. CONCLUSÕES: A alta freqüência encontrada, embora a severidade tenha sido baixa, aponta a necessidade de monitoramento periódico da fluorose dentária em Londrina, de implementação de medidas que previnam a sobre-utilização do flúor, tanto pelos profissionais quanto pela população, de vigilância sanitária dos teores de flúor na água de consumo público e de todas outras fontes de exposição além da realização de estudos para a compreensão dos fatores associados à fluorose dentária nas crianças londrinenses.
Descritores: Halogenação
Fluorose Dentária/epidemiologia
Flúor/efeitos adversos
-Centros de Saúde
Saúde Pública
Limites: Seres Humanos
Criança
Responsável: BR28.1 - Serviço de Biblioteca e Documentação Professor Doutor Antônio Gabriel Atta


  3 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-910970
Autor: Silva, C. G; Alessio, D. R. M; Knob, D. A; d'Ovidio, L; Thaler Neto, A.
Título: Influência da sanificação da água e das práticas de ordenha na qualidade do leite / Influence of water treatment and milking practices on milk quality
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);70(2):615-622, mar.-abr. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se avaliar a influência da cloração da água utilizada em salas de ordenha, assim como do manejo e da infraestrutura da ordenha, sobre a qualidade microbiológica da água e do leite. Foi instalado um equipamento para cloração de água, por duas semanas, na caixa de água de 20 propriedades leiteiras. Foram coletadas amostras de água e leite ao primeiro dia (sem cloro: controle), no sétimo e 14° dias (com cloro) e no 21º dia após a desinstalação dos cloradores (sem cloro: controle). Foram realizadas análises microbiológicas da água e do leite (contagem de células somáticas do leite, bactérias psicotróficas, mesófilas e coliformes totais), análises físico-químicas da água (pH, dureza e matéria orgânica), e aplicou-se um questionário estruturado aos produtores visando conhecer as técnicas de manejo de ordenha adotadas na propriedade. O uso de cloração na água melhorou (P<0,0001) a qualidade microbiológica da água, porém não afetou a qualidade microbiológica do leite (P>0,05). Práticas adequadas de manejo e higiene de ordenha e adequada estrutura para a ordenha estão relacionadas a baixas contagens de microrganismos no leite. Conclui-se que a cloração melhora a qualidade microbiológica da água, sem afetar a qualidade microbiológica do leite, a qual é melhorada pela adoção de boas práticas de ordenha e adequada infraestrutura.(AU)

The aim was to evaluate the influence of the use of sanitizing the water used on dairy farms, the management and the infrastructure on the dairy farm on the microbiological quality of water and milk. It was installed an equipment to chlorinate the water for a period of two weeks, in the water box of 20 dairy farms. In each dairy farm, water and milk samples were collected, being the first day (without chlorine: control), in the 7th and 14th day (chlorine), and 21 days after uninstalling the chlorinators (Chlorine-free: control). Microbiological analysis of water and milk (Somatic cell counts of milk, psychrotrophic bacteria, mesophilic and total coliforms) and physicochemical analysis of water were performed and a survey was applied to the farmers. The use of chlorine tablets in water improved (P<0.0001) the microbiological quality of water, but did not affect the microbiological quality of the milk (P>0.05). Management practices, hygiene and the structure of dairy farms are related to low microorganism counts in milk. In conclusion, chlorination of water improves the microbiological quality of water without affecting the microbiological quality of milk, which is improved by the adoption of good milking practices and adequate infrastructure.(AU)
Descritores: Colimetria
Halogenação/efeitos dos fármacos
Leite/microbiologia
-Contagem de Células
Limites: Animais
Feminino
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Armonia, Paschoal Laercio
Id: biblio-873689
Autor: Cordeiro, Meri Cleis Rodrigues; Armonia, Paschoal Laércio; Scabar, Luiz Felipe; Chelotti, Adolpho.
Título: O creme dental fluporado, a escova dental e a idade da criaça como fatores de risco da fluorose dentaria / The fluoridated toothpastes, the toothbrushes and the children's age as a risk factores of dental fluorosis
Fonte: J. Health Sci. Inst = Rev. Inst. Ciênc. Saúde;25(1):29-38, jan.-mar. 2007. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução - A crescente utilização de compostos fluoretados tem estabelecido resultados eficazes no declínio da doença cárie, o que torna a sua utilização, via sistência ou tópica, de grande valor para a Odontologia. Por outro lado, tem sido observado um aumento na prevalência de fluorose dentária, sendo o uso indiscriminado do dentifrício fluoretado uma explicação para o aumento desse distúrbio de formação dentária. Material e Métodos - O objetivo deste trabalho foi o de avaliar, experimentalmente e através de dados estimados, o risco de fluorose dentária em crianças de 3, 4, 5 e 6 anos de idade, que consomem água fluoretada com 0,7 ppm de íons flúor e usam creme dental fluorado com 1100 ppm de íons flúor, depositado em três diferentes tamanhos de escovas dentais, sem nenhum treinamento prévio. Resultados e Conclusões - Os resultados obtidos nos levaram a concluir que: nas faixas etárias consideradas, o maior risco de fluorose dentária ocorre aos três anos de idade, pois a ingestão de flúor seria menor em faixas etárias maiores; quanto maior a escova dental, maior a quantidade de creme dental utilizada; e recomenda-se implementar ações educativas individuais e coletivas, quanto ao uso dos cremes dentais fluorados
Descritores: Dentifrícios
Halogenação
Cremes Dentais
-Cárie Dentária/prevenção & controle
Fluorose Dentária
Flúor/efeitos adversos
Limites: Seres Humanos
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  5 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873504
Autor: Corrêa, Claudia Gastaldi de M M Lopes; Monteiro Júnior, Sylvio; Schroeder, Maria Dalva de Souza.
Título: Estudo da incidência de fluorose dentária na dentição permanente no município de Joinville / Evaluated the incidence of dental fluoroses in school children the public net education in Joinville
Fonte: RSBO (Impr.);2(1):33-38, maio 2005. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo avaliou a incidência de fluorose dentária em 640 escolares, de 6 a 12 anos, da rede pública de ensino. Os dados obtidos permitiram determinar e estabelecer os índices comunitário e individual de fluorose, como preconizado por Dean e Arnold (1943), a prevalência de cárie dentária e o índice de CPO-D (dentes cariados, perdidos e obturados), relacionando cárie dentária e grau de fluorose. A utilização de água de abastecimento fluoretada, somada a pastas dentais, bochechos ou suplementos fluoretados em crianças de 6 a 12 anos, determinou baixos índices de cárie em Joinville, porém uma fluorose considerada entre leve e muito leve foi constatada na população estudada. A cidade apresentou fluorose média de 0,244 e CPO-D máximo de 2,6 aos 12 anos. O estudo concluiu que a fluoretação das águas e métodos tópicos de uso do flúor são medidas eficazes de combate a doença cárie, porém existe risco de fluorose, embora baixo. É prudente a realização de mais estudos para acompanhar a prevalência e a severidade da anomalia em Joinville, bem como o controle da concentração adequada de flúor nos sistemas públicos de fornecimento de água
Descritores: Flúor
Fluorose Dentária
Halogenação
Responsável: BR39.2 - Biblioteca Professora Maria Dilma de Oliveira Gonçalves


  6 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873356
Autor: Amaral, Regiane Cristina do; Wada, Raonaldo Seichi; Sousa, Maria da Luz Rosário de.
Título: Concentração de fluoreto nas água de abastecimento público relacionada á temperatura em Pracicaba - SP / Fluoride concentration in public water supply related to temperature in Piracicaba - SP
Fonte: RFO UPF;12(3):24-28, set.-dez. 2007. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: A fluoretação da água de abastecimento público é a medida de maior abrangência na prevenção da cárie, devendo estar em níveis constantes e dentro de padrões ótimos, de acordo com a temperatura do locaç analisado. O objetivo deste estudo foi realizar o heterocontrole do flúor nas águas de abastecimento público de Piracicaba - SP, bem como verificar a possível correlação entre a concentração de flúor e a temperatura local do município. Agentes de saúde treinados coletaram amostras mensais de água (5 ml) durante dois anos (abr./4 a fev./6), em 35 pré-escolas representativas do município. As dosagens de fluoreto foram feitas no laboratório de Bioquímica da FOP/Unicamp, com um analisador de íons acoplado a um eletrodo de flúor previamente treinado. Piracicaba tem temperatura máxima de 37,5 °C e mínima de 18 ºC (Ciagri - usp) e, para análise comparativa, consideraram-se as concentrações de fluoreto dos meses mais quentes (dez./fev.) e dos meses mais frios (jun./jul.), por meio do teste de Mann Whitney, ao nível de dignificância de 5 por cento. Do total de 630 amostras, 77 (12,2 por cento) estavam acima de 0,8 ppmf E 18 (2,86 por cento), abaixo de 0,6 ppmF; a maioria das amostras estava dentro dos padrões considerados ótimos (6,6-0,8 ppmF). A média em ppmF nos meses mais frios foi de 0,73 ppmF e, nos meses mais quentes, de 0,71 ppmF, sem diferença estatística significativa (p = 0,3544). As amostras analisadas estavam dentro das faixas adequadas de fluoreto pela temperatura local, pois, entre 17,8 e 21,4 °C, os teores aceitáveis de fluoreto são 0,7 a 1,2 ppmF e, nas temperaturas acima de 32,5 ºC, os níveis adequados de fluoreto são de 0,6 a 0,8 ppmF. As águas de abastecimento público de Piracicaba estão fluoretadas dentro dos padrões ótimos, não apresentando variação de concentração em função da temperatura.
Descritores: Flúor
Halogenação
Temperatura Ambiente
Abastecimento de Água
Responsável: BR337.1 - Biblioteca


  7 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Moimaz, Suzely Adas Saliba
Texto completo
Id: biblio-873302
Autor: Saliba, Nemre Adas; Moimaz, Suzely Adas Saliba; Tiano, Ana Valéria Pagliari.
Título: Fluoride level in public water supplies of cities from the northwest region of São Paulo State, Brazil%Concentração de flúor nas águas de abastecimento público de municípios da região noroeste do estado de São Paulo, Brasil
Fonte: J. appl. oral sci;14(5):346-350, Sept.-Oct. 2006. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CNPq.
Resumo: Municípios de pequeno e médio porte podem ter dificuldades em realizar o controle da adição de flúor nas águas de abastecimento público em função da falta de infra-estrutura laboratorial e técnica. Este estudo realizou análises do teor de flúor das águas de abastecimento de 40 municípios situados na região noroeste do estado de São Paulo, durante 6 meses, para verificar se a adição ocorre de forma contínua e se os teores adicionados encontram-se dentro dos parâmetros recomendados. Mapas com a rede de distribuição de água dos municípios foram solicitados e utilizados para definir as regiões de coleta e sortear os endereços dos pontos, de forma que abrangessem todas as fontes de água tratada. Uma amostra de água de cada ponto foi coletada por mês e analisada em duplicata pelo método íon-eletrodo específico. Amostras com 0,6 a 0,8 mg F/L foram consideradas aceitáveis. Nos 38 municípios que enviaram as amostras regularmente nos 6 meses de estudo, a água de 144 pontos foi coletada, perfazendo um total de 864 amostras analisadas, das quais 61,81 por cento foram classificadas como inaceitáveis. Constatou-se que 33 destes municípios realizavam a fluoretação, sendo que em 78,79 por cento deles as concentrações de flúor variavam entre os pontos e no mesmo ponto ao longo do período. Pode-se concluir que a maioria destes municípios não mantém controle adequado sobre os níveis de flúor em sua água, pois a adição de flúor ocorre de forma descontínua e na maioria das vezes em teores fora dos parâmetros recomendados.
Descritores: Flúor/análise
Halogenação
Saúde Bucal
Abastecimento de Água
-Cárie Dentária/prevenção & controle
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Buzalaf, Marilia Afonso Rabelo
Bastos, José Roberto de Magalhäes
Texto completo
Id: biblio-873299
Autor: Lodi, Carolina Simonetti; Ramires, Irene; Buzalaf, Marília Afonso Rabelo; Bastos, José Roberto de Magalhães.
Título: Fluoride concentration in water at the area supplied by the Water Treatment Station of Bauru, SP%Concentração de fluoreto na água do setor abastecido pela Estação de Tratamento de Água de Bauru, SP
Fonte: J. appl. oral sci;14(5):365-370, Sept.-Oct. 2006. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJETIVO: Analisar a concentração de fluoreto da água de abastecimento público do setor abastecido pela Estação de Tratamento de Agua de Bauru e classificar as amostras em aceitáveis ou inaceitáveis de acordo com a concentração de flúor. MATERIAL E MÉTODOS: Foram coletadas 238 amostras de 30 bairros em duas etapas, Outubro de 2002 e Março de 2003. A concentração de fluoreto presente nas amostras foi determinada em duplicata, utilizando-se o eletrodo íon sensível (Orion 9609), acoplado ao potenciômetro (Procyon, modelo 720). As amostras com concentração de flúor variando entre 0,55 e 0,84 mg F/L foram consideradas como aceitáveis e aquelas cuja concentração estava fora do intervalo, como inaceitáveis. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva. RESULTADOS: A concentração de fluoreto das amostras de água variou entre 0,31 e 2,01 mg F/L, sendo que cerca de 56 por cento das amostras foram classificadas como aceitáveis. CONCLUSÃO: A variação na concentração de fluoreto do setor abastecido pela ETA reforça a importância de um monitoramento constante da fluoretação para a manutenção dos níveis adequados de fluoreto na água de abastecimento.
Descritores: Flúor/análise
Halogenação
Saúde Bucal
Abastecimento de Água
-Cárie Dentária/prevenção & controle
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 264 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-873296
Autor: Omena, Leila Maria F; Silva, Milton F. de A; Pinheiro, Cleone Calheiros; Cavalcante, Jairo C; Sampaio, Fábio Correia.
Título: Fluoride intake from drinking water and dentifrice by children living in a tropical area of Brazil%Ingestão de flúor pela água e creme dental por crianças residentes de uma área de clima tropical do Brasil
Fonte: J. appl. oral sci;14(5):382-387, Sept.-Oct. 2006. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJETIVOS: determinar a ingestão de flúor (F-) pela água e creme dental em crianças de 18 a 36 meses de idade que moram em uma cidade de clima tropical no Brasil e monitorar as concentrações de F- no sistema de água potável. MATERIAIS MÉTODOS: participaram deste estudo crianças (n=58), 18-36 meses, todas residentes vitalícias de Penedo (Alagoas), Brasil. As análises de F- em amostras de água foram realizadas em 7 ocasiões diferentes em semanas separadas. Durante 2 dias toda a água bebida por cada criança foi considerada. A ingestão de fluoreto para cada criança foi calculada pela média de flúor na água nas 7 ocasiões diferentes. A ingestão de F- pelo creme dental foi calculada subtraindo a saliva recuperada do expectorado pela quantidade de F- colocada na escova dental. A ingestão de F- de água e pasta de dentes foi calculada dividindo a quantia de F ingerida pelo peso de cada criança. RESULTADOS: A concentração média de F- em água potável foi de 0,94 ppm (variando de 0.78-1.12 ppm) estando acima do recomendado para esta área do Brasil que é de 0,7 ppm. A ingestão de F- total (água + creme dental) foi de 0,128 mg de F/Kg peso/dia. As médias diárias de ingestão de F- pela água e creme dental foram de 0,021 e 0,107 mg F-/Kg de peso corporal dia, respectivamente. Noventa que seis por cento das crianças demonstraram ingestão de F- superior a 0,07 mg de F-/Kg peso/dia. CONCLUSÕES: crianças em Penedo estão sob risco de desenvolver fluorose dental devido a elevada ingestão de F- pelo creme dental fluoretado. Adição de flúor à água de água mostrou baixa contribuição ao flúor total ingerido. Porém, altas concentrações de F- na água indicam a necessidade de vigilância do sistema de fluoretação artificial das águas.
Descritores: Flúor/análise
Halogenação
Cremes Dentais
-Cárie Dentária/prevenção & controle
Higiene Bucal
Odontologia Preventiva
Limites: Seres Humanos
Lactente
Pré-Escolar
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 264 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Buzalaf, Marilia Afonso Rabelo
Texto completo
Id: biblio-873191
Autor: Ramires, Irene; Olympio, Kelly Polido Kaneshiro; Maria, Andréa Gutierrez; Pessan, Juliano Pelim; Cardoso, Vanessa Eid Silva; Lodi, Carolina Simonetti; Buzalaf, Marília Afonso Rabelo.
Título: Fluoridation of the public water supply and prevalence of dental fluorosis in a peripheral district of the municipality of Bauru, SP%Fluoretação da água de abastecimento público e prevalência de fluorose dentária em bairro da periferia de Bauru, SP
Fonte: J. appl. oral sci;14(2):136-141, Apr. 2006. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJETIVOS: Avaliar a concentração de flúor na água de abastecimento público e a prevalência de fluorose dentária de escolares entre 7 e 15 anos de idade, residentes em um bairro da periferia de Bauru. MATÉRIAL E MÉTODOS: Foram coletadas 52 amostras de água durante três dias de uma semana e analisadas utilizando-se o eletrodo íon sensível (Orion 9609), acoplado a um potenciômetro (Procyon, modelo 720), com 1,0 mL da amostra à qual foi adicionado 1,0 mL de TISAB II (Orion). Para o levantamento epidemiológico de fluorose foram examinados 52 escolares entre 7 e 15 anos de idade, de ambos os gêneros, mediante a obtenção de autorização prévia dos responsáveis. Somente um examinador realizou os exames após escovação supervisionada e secagem dos dentes com rolos de algodão. O índice utilizado foi o TF, estabelecido a partir do grau máximo verificado em cada indivíduo. RESULTADOS: A concentração de flúor na água variou entre 0,62 e 1,15 mg/L, mantendo uma média de 0,9 mg/L. A prevalência de fluorose dentária verificada foi de 33 por cento, com severidade variando entre TF1 e TF4 (Kappa=0,73 e concordância de 83,33 por cento). CONCLUSÕES: Os resultados da análise das amostras de água indicam uma concentração média de flúor acima do recomendado para Bauru. O índice de fluorose dentária verificado foi maior que o esperado para um bairro da periferia, onde a água é uma das poucas fontes de ingestão de flúor
Descritores: Flúor
Halogenação
Fluorose Dentária/epidemiologia
Fluorose Dentária/prevenção & controle
Abastecimento de Água
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 27 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde