Base de dados : LILACS
Pesquisa : G05.360.340.024.340.375.500.791.420 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 20 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 20 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-943274
Autor: Pereira, Cyntia Mara Brito Lins.
Título: Avaliação de Características Clínico-Patológicas e Moleculares na Resposta à Quimioterapia no Câncer de Mama Localmente Avançado / [Evaluation of Clinical, Pathological and Molecular Characteristics in Response to Chemotherapy in Locally Advanced Breast Cancer].
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2016. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: A quimioterapia neoadjuvante refere-se à administração de quimioterápico antes do tratamento locorregional, e é um tratamento padrão em tumores de mama localmente avançados. O câncer de mama é uma patologia heterogênea, onde tumores apresentam comportamento biológico e diferentes respostas à quimioterapia neoadjuvante, mesmo com estadiamentos iguais. Com base na análise concomitante da expressão do receptor-2 do fator de crescimento epidérmico humano (HER-2/c-erbB-2), da proteína Ki67 e de receptores hormonais de estrógeno e progesterona, o câncer de mama é dividido subtipos moleculares, os quais são úteis para orientar as decisões de tratamento, porém apresentam ambiguidades. Neste contexto, propusemos que os genes MYC e KRAS podem ser candidatos a biomarcadores com valor preditivo e prognóstico, visto que as suas proteínas são alvo dos sinais proliferativos dirigidos pelaproteína HER-2 em células de câncer de mama e porque a proteína MYC pode ser regulada pelos receptores de estrogênio ou progesterona. Este estudo foi dividido em duas fases, uma retrospectiva e uma prospectiva. Os resultados retrospectivos da analise de 116 amostras tumorais geraram a primeira publicação científica que descreve o significado preditivo e prognóstico das alterações dos genes MYC e KRAS em pacientes com câncer de mama localmente avançado, tratados com quimioterapianeoadjuvante padrão com antraciclina e ciclofosfamida (AC). A avaliação conjunta da idade da paciente, do grau tumoral, do subtipo molecular e das alterações dos genes MYC e KRAS revelou que a amplificação do gene MYC é um fator preditivo de quimiossensibilidade ao tratamento AC, em pacientes de idade ≤ 40 anos, com tumores de grau 1, dos subtipos luminal B e HER-2. Enquanto que a mutaçãodo códon 12 do gene KRAS foi a única variável independente observada no modelo de regressão logísticapara avaliar fatores de risco para o grau tumoral e foi interpretada como um biomarcador de mau prognóstico...

Neoadjuvant chemotherapy refers to the administration of chemotherapy prior to locoregional treatment,being a standard procedure of locally advanced breast cancer. Breast cancer is a heterogeneous disease where tumors with the same histological types and stage have different responses to neoadjuvant chemotherapy. Based on simultaneous analysis of the expression of the receptor-2, the human epidermalgrowth factor (HER-2 / c-erbB-2), the Ki67 protein and hormone receptors for estrogen and progesterone, breast cancer is divided into molecular subtypes, which are useful to guide treatment decisions, however there are ambiguities. In this context, we propose that MYC and KRAS may bebiomarkers candidates for predictive and prognostic value, since their proteins are targets of proliferativesignals driven by HER-2 protein in breast cancer cells and also, because MYC protein can be regulatedby estrogen and/or progesterone receptors. This study was divided into two phases; a retrospective anda prospective phase. Retrospective analysis of 116 tumor samples generated the first article describingthe predictive and prognostic values on MYC and KRAS changes in patients with locally advanced breast cancer treated with standard neoadjuvant chemotherapy with anthracycline and cyclophosphamide (AC). The joint assessment of the patient's age, tumor grade, molecular subtype and changes on MYC and KRAS genes revealed that the amplification of MYC gene is a predictor of chemosensitivity toACtreatment, on patients age of ≤ 40 years with tumors grade 1, luminal subtypes B and HER-2+.Mutationon codon 12 of the KRAS gene was the only independent variable observed in the logistic regression model to assess risk factors being interpreted as a biomarker of poor prognosis. In the prospective phase, we evaluated the role of described biomarkers as predictors of response to neoadjuvant chemotherapy with AC follow...
Descritores: Antraciclinas
Neoplasias da Mama
Técnicas de Laboratório Clínico
Ciclofosfamida
Genes myc
Terapia Neoadjuvante
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I
BR440.1


  2 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-943283
Autor: Robaina, Marcela Cristina da Silva.
Título: Perfil de expressão de microRNAs regulados por C-MYC no linfoma de Burkitt / [Expression profile of C-MYC-regulated microRNAs in Burkitt's lymphoma].
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2016. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O Linfoma de Burkitt (LB), subtipo de linfoma não Hodgkin B mais frequente na infância, é uma neoplasia hematológica altamente agressiva. A assinatura molecular é a translocação (8;14) ou suas variantes: t(2;8) e t(8;22). Ambas as translocações envolvem o proto-oncogene c-MYC que quando translocado é expresso constitutivamente, caracterizando a principal alteração conhecida no LB. Atualmente, tem sido demonstrado que c-MYC regula a expressão de vários miRNAs, dentre eles o cluster de miR-17-92 e a família miR-34, entreoutros. Neste contexto, o balanço entre c-MYC e miRNAs parece ser crítico para a patogênese do LB e necessita ser melhor elucidado. Nesse estudo avaliamos a expressão dos miRNAs regulados por c-MYC (cluster 17-92: miR-17, miR-19a/b, miR-20a, miR-92a e da família miR-34) em 57 amostras tumorais de LB pediátrico. Adicionalmente, avaliamos a correlação entre os níveis de miR-17, miR-19a/b, miR-20a e miR-92a e a expressão de um dos seus principais alvos, a proteína pró-apoptótica BIM. Foi observado que níveis elevados do miR-17 e miR-20a estavam associados com a ausência da expressão de BIM (p<0,001). Em sequência, observamos que o aumento do miR-17 estava fortemente correlacionado com uma sobrevida global (SG) inferior (p=0,007). A análise multivariada revelou também que miR-17 foi um preditor significativo de SG encurtada. A inibição do miR-17 em linhagem de LB resultou em aumento da proteína BIM, reforçando o papel deste miRNA na regulação deBIM...

Burkitt lymphoma (BL) is highly aggressive subtype of B-non-Hodgkin more frequent in childhood and associated with the translocation (8, 14) or its variations: t(2, 8) or t(8, 22). The proto-oncogene c-MYC is involved in all translocations and it is juxtaposed to Igs gene enhancers being expressed constitutively. It has been demonstrated that c-MYC regulates alarge number of miRNAs, including the cluster miR-17-92 and miR-34 family. Thus, the balance between Myc and miRNAs may be critical to the BL pathogenesis and needs furtherelucidation. In this study, we investigated miR-17, miR-19a, miR-19b, miR-20 and miR-92a expression levels in a series of 57 BL tumor samples. In addition, pro-apoptotic BIM proteinexpression was evaluated and then compared to miR-17, miR-19a, miR-19b, miR-20 and miR-92a levels, and patient outcomes. We found that upregulated expression of miR-17, andmiR-20a correlates with lack of pro-apoptotic BIM protein expression (p<0.001). Patients bearing tumors with upregulated miR-17 displayed decreased overall survival (OS) (p=0.007). Moreover, the multivariate analysis revealed that miR-17 was a significant predictor of shortened OS. Using hairpin inhibitor we showed that inhibition of miR-17 resulted inenhanced BIM expression in a BL cell line, suggesting the involvement of this miRNA in the regulation of BIM protein. Besides, low expression levels of miR-34a/b/c were observed in BL tumor samples. Next, we evaluated whether these miRNAs were suppressed by DNAmethylation. So, we analyzed the effect of demethylant agent 5-aza-2-deoxycytidine (decitabine) on miR-34 expression levels in BL cell lines. We observed an increase of miR-34b levels in BL41, Daudi and Raji cell lines in all decitabine concentrations. Then, we also detected that the treatment with higher concentration of decitabine resulted in the c-MYCmRNA reduction in Daudi and Raji (0.83 and 1.4 times, respectively)...
Descritores: Linfoma de Burkitt
Genes myc
MicroRNAs
Proto-Oncogenes
Sobrevida
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I
BR440.1


  3 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-985455
Autor: Martínez-Manzano, Álvaro; Balsalobre-Salmerón, María Dolores; García-López, María Aránzazu.
Título: Linfoma primario de bazo difuso de células grandes B doble hit: un subtipo de mal pronóstico / Primary splenic diffuse large B-cell lymphoma double hit: A subtype of poor prognosis
Fonte: Rev. colomb. cancerol;22(4):143-145, oct.-dic. 2018. graf.
Idioma: es.
Resumo: Resumen El linfoma difuso de células grandes B (LDCGB) es el tipo de linfoma más frecuente, constituyendo un 35% de todos los casos de linfoma no Hodgkin (LNH). El linfoma no-Hodgkin primario de bazo (LNHPB) presenta una incidencia menor al 1% de todos los linfomas. Los linfomas doble hit están relacionados con el reordenamiento del gen MYC asociado a otra alteración molecular. Tienden a presentarse en varones de edad avanzada y se caracterizan principalmente por su comportamiento agresivo.

Abstract Diffuse Large-cell Lymphoma B (DLCLB) is the most common type of lymphoma, constituting 35% of all cases of Non-Hodgkin's Lymphoma (NHL). Primary Splenic Non-Hodgkin Lymphoma (PS-NHL) has an incidence of less than 1% of all lymphomas. The ''double hit'' lymphomas are related to the rearrangement of the MYC gene associated with another molecular alteration. They used to appear in older men and are mainly characterised by their aggressive behaviour.
Descritores: Baço
Genes myc
Agressão
-Prognóstico
Linfoma não Hodgkin
Linfoma Difuso de Grandes Células B
Limites: Humanos
Masculino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CO40.1 - Biblioteca Médica


  4 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-934249
Autor: Mognol, Giuliana Patrícia.
Título: Regulação do Proto-oncogene c-myc pelo Fator de Transcrição NFAT1.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2008. XIV, 87 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt; pt.
Tese: Apresentada a Instituto Nacional de Câncer para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A família de fatores de transcrição NFAT (Fator Nuclear de Células T ativadas) tem diferentes funções regulatórias no ciclo celular, apoptose, diferenciação celular e angiogênese. O proto-oncogene c-myc, que está envolvido em todos estes mecanismos, é reprimido em alguns modelos, em resposta à Ciclosporina A, que inibe a ativação das proteínas NFAT. Dados anteriores de nosso laboratório mostraram que os linfócitos de camundongos NFAT1-/- sensibilizados com ovalbumina, apresentaram níveis aumentados de c-MYC quando comparados com os linfócitos dos camundongos NFAT1+/+. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar se o NFAT1 regula diretamente a expressão de c-MYC. Este estudo mostrou que linfócitos T de camundongos NFAT1-/- naives superexpressam c-MYC em relação aos linfócitos NFAT1+/+, através de ensaios de PCR em tempo real. Uma análise de bioinformática encontrou sete supostos sítios de ligação para NFAT no promotor de c-myc, conservados em humanos e camundongos. Três desses sítios foram confirmados por um ensaio de mudança de mobilidade eletroforética, incluindo o sítio proximal, que é regulado por NFAT2. Além disso, um ensaio de imunoprecipitação de cromatina com linfócitos murinos demonstrou que o NFAT1 se liga diretamente ao promotor de c-myc in vivo. Estes resultados sugerem que o NFAT1 tem um importante papel na regulação do promotor de c-myc, aparentemente regulando negativamente sua expressão.

The Nuclear Factor of Activated T Cells (NFAT) family of transcription factors has different regulatory functions in the cell cycle, apoptosis, cell differentiation and angiogenesis. The c-myc proto-oncogene, which is also involved in those mechanisms, is repressed, in some models, in response to Cyclosporine A that inhibits NFAT activation. Previous data of our laboratory found that lymphocytes from NFAT1-/- mice sensitized with ovalbumin presented higher levels of c-MYC mRNA when compared with the NFAT1+/+. Hence, the aim of this work was to evaluate whether the NFAT1 directly regulates the c-MYC expression. This study showed that T lymphocytes from NFAT1-/- naive mice overexpress c-MYC mRNA when compared with the NFAT1+/+ mice assessed by Real Time PCR. A bioinformatic analysis found seven putative NFAT binding sites in the c-myc promoter, conserved in human and mouse. Three of them were confirmed by an Eletrophoretic Mobility Shift Assay, including the proximal site, which is upregulated by NFAT2. Additionally, a Chromatin Immunoprecipitation Assay with mouse T lymphocytes demonstrated that NFAT1 directly binds to c-myc promoter in vivo. These findings suggest that NFAT1 plays an important role in the regulation of c-myc promoter apparently through the inhibition of this expression.
Descritores: Ciclosporina
Regulação da Expressão Gênica
Genes myc
Fatores de Transcrição NFATC
Proto-Oncogenes
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I
BR440.1


  5 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-785681
Autor: Lima, C. R. O; Faleiro, M. B. R; Rabelo, R. E; Vulcani, V. A. S; Rubini, M. R; Torres, F. A. G; Moura, V. M. B. D.
Título: Insertion of the LINE-1 element in the C-MYC gene and immunoreactivity of C-MYC, p53, p21 and p27 proteins in different morphological patterns of the canine TVT / Inserção do elemento LINE - 1 no gene C-MYC e imunorreatividade das proteinas C-MYC, p53, p21 e p27 nos diferentes padrões morfológicos do tumor TVT
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(3):658-666ilus.
Idioma: en.
Resumo: The canine transmissible venereal tumor (TVT) affects the external genitalia of dogs by the natural transplant of viable tumor cells. Thus, this research aimed to diagnose and characterize TVT morphological patterns, identify the insertion of the LINE-1 element in C-MYC gene, by means of the polymerase chain reaction (PCR), and evaluate the immunohistochemical expression of C-MYC, p53, p21 and p27 proteins. The relationship between C-MYC and p53 proteins and their interference on the expression of p21 and p27 were also studied. For that, 20 samples of naturally occurring TVT were used, subjected to cytopathological, histopathological and immunohistochemical analysis, and to molecular diagnosis of neoplasia. The increased tissue expression and the correlation among C-MYC, p53, p21 and p27 proteins indicate reduction and/or loss of their functionality in the TVT microenvironment, with consequent apoptotic suppression, maintenance of cell growth and progression of neoplasia.(AU)

O tumor venéreo transmissível canino (TVT) afeta a genitália externa de cães pelo transplante natural de células tumorais viáveis. Assim, esta pesquisa teve como objetivo diagnosticar e caracterizar TVT em padrões morfológicos, identificar a inserção do elemento LINE-1 em gene C-MYC, por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), e avaliar a expressão imuno-histoquímica do C-MYC, p53, p21 e p27. A relação entre C-MYC e as proteínas p53 e a sua interferência na expressão de p21 e p27 foram também estudadas. Para isso, foram utilizadas 20 amostras de ocorrência natural de TVT, submetido a exame citopatológico, histopatológica e imuno-histoquímica e ao diagnóstico molecular de neoplasia. A expressão aumentada do tecido e a correlação entre a C-MYC e as proteínas p53, p21 e p27 indicam redução e/ou perda de funcionalidade na TVT em seu microambiente, com consequente supressão apoptótica, manutenção do crescimento celular e progressão da neoplasia.(AU)
Descritores: Genes myc
Genitália Masculina/patologia
Células Neoplásicas Circulantes/imunologia
Tumores Venéreos Veterinários/diagnóstico
Tumores Venéreos Veterinários/imunologia
-Biologia Celular
Forma do Núcleo Celular
Testes Imunológicos/veterinária
Neoplasias/veterinária
Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-751418
Autor: Nápolis, Ana Carolina Ramos de; Alves, Flavia Araujo; Rezende, Erica Rodrigues Mariano de Almeida; Segundo, Gesmar Rodrigues Silva.
Título: Esophageal eosinophilia in pediatric patients with cerebral palsy / Eosinofilia esofágica em pacientes pediátricos com paralisia cerebral
Fonte: Einstein (Säo Paulo);13(2):232-237, Apr-Jun/2015. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To describe the clinical picture, test results, and clinical evolution of patients with cerebral palsy associated with diagnosis of eosinophilic esophagitis, monitored at tertiary centre. Methods: Cross-sectional, retrospective and descriptive study that evaluated the medical records data of pediatric patients with diagnosis of cerebral palsy and eosinophilic esophagitis in a tertiary center of pediatric gastroenterology between August 2005 and August 2013. Results: Seven out of 131 patients with cerebral palsy had the diagnosis of eosinophilic esophagitis. The mean age at diagnosis of eosinophilic esophagitis was 52.3 months and the mean number of eosinophils in esophagus was 35 per high-power field. Symptoms more frequent were recurrent vomiting and disphagia. Endoscopic alterations found were mucosal thickening, vertical lines, mucosal opacificacion and white plaques. Conclusion: The frequency of eosinophilic esophagitis found was higher than in general pediatric population. The investigation of eosinophilic esophagitis should be done regularly in those patients, once this entity could overlap other gastrointestinal diseases. .

RESUMO Objetivo: Descrever quadro clínico, resultados dos exames e evolução clínica de pacientes com paralisia cerebral associada ao diagnóstico de esofagite eosinofílica, monitorados em um centro terciário. Métodos: Estudo transversal, retrospectivo e descritivo, que avaliou os prontuários médicos de pacientes pediátricos com diagnóstico de paralisia cerebral e esofagite eosinofílica, atendidos em um centro terciário de gastrenterologia pediátrica, entre agosto de 2005 e agosto de 2013. Resultados: Dos 131 pacientes com paralisia cerebral, 7 tiveram o diagnóstico de esofagite eosinofílica no período estudado. A idade média no momento do diagnóstico de esofagite eosinofílica foi 52,3 meses, e o número médio de eosinófilos no esôfago foi de 35 por campo de grande aumento. Os sintomas mais frequentes associados foram vômitos recorrentes e disfagia. As alterações endoscópicas encontradas foram espessamento da mucosa, linhas verticais, opacificação da mucosa e as placas esbranquiçadas. Conclusão: A frequência de esofagite eosinofílica encontrada foi maior que na população pediátrica em geral. A investigação de esofagite eosinofílica deve ser realizada regularmente nos pacientes com paralisia cerebral, pois pode haver uma sobreposição de sintomas de outras doenças gastrintestinais. .
Descritores: Dano ao DNA
DNA Liase (Sítios Apurínicos ou Apirimidínicos)/metabolismo
Quadruplex G
-DNA
Transferência Ressonante de Energia de Fluorescência/métodos
Genes myc
Polietilenoglicóis/química
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-731254
Autor: Vieira, Vanessa Diniz; Vilela, Vinícius Longo Ribeiro; Feitosa, Thais Ferreira; Athayde, Ana Célia Rodrigues; Azevedo, Sérgio Santos; Souto, Diego Vagner de Oliveira; Silveira, Gian Libânio da; Melo, Lídio Ricardo Bezerra de.
Título: Sheep gastrointestinal helminthiasis in the Sertão region of Paraíba State, Northeastern Brazil: prevalence and risk factors / Helmintoses gastrintestinais de ovinos no Sertão do Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil: prevalência e fatores de riscos
Fonte: Rev. bras. parasitol. vet;23(4):488-494, Oct-Dec/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: In this study, we aimed to establish the prevalence and risk factors relating to gastrointestinal helminthiasis, and to characterize the sanitary management practiced among sheep herds in the Sertão region of the state of Paraíba, northeastern Brazil, based on factors that condition the ways of controlling these parasites in these herds. The research was carried out between April and July 2012. We visited 54 farms, where fecal and blood samples were individually collected from 465 animals. On each farm, a questionnaire was applied to gather information on variables relating to potential risk factors. The prevalence of sheep gastrointestinal helminthiasis in the region was 75.9%. At least one animal tested positive for this helminthiasis on 53 (98.1%) of the 54 farms evaluated. The eggs per gram of feces (EPG) analysis showed the following infection burdens: 51.8% with mild infection, 27.1% moderate infection, 9.9% heavy infection and 11.2% fatal infection. Among the sheep farms visited, anthelmintics were used on 81.5% (p <0.05). The most relevant risk factor in this study was the farm area, because it defines the area available for grazing animals. Properties with many animals and little pasture area, which are the most abundant type in the Sertão region of Paraíba, tend to have high prevalence of gastrointestinal helminthiasis, because the animals are more prone to reinfection. The Sertão region of Paraíba presents high prevalence of gastrointestinal helminthiasis among sheep, and the farm area is the most relevant risk factor for the development of these parasites.

Objetivou-se determinar a prevalência e os fatores de risco para as helmintoses gastrintestinais, caracterizando o manejo sanitário sob fatores condicionantes das formas de controle dessas parasitoses em rebanhos de ovinos da região do Sertão da Paraíba. A pesquisa foi desenvolvida no período de abril a julho de 2012. Foram visitadas propriedades, utilizando-se 465 animais, sendo coletadas individualmente amostras de fezes e sangue durante as visitas. Em cada propriedade, foi aplicado questionário para a coleta de informações acerca de variáveis que atuariam como possíveis fatores de risco. Observou-se que a prevalência das helmintoses gastrintestinais de ovinos na região do Sertão da Paraíba foi de 75,9%. Pelo menos um animal foi positivo para essas helmintoses, em 53 (98,1%) das 54 propriedades avaliadas. A análise de OPG (Ovos Por Gramas de Fezes) demonstrou que 51,8% dos animais apresentaram infecção leve, 27,1% infecção moderada, 9,9% infecção pesada e 11,2% infecção fatal. A utilização de anti-helmínticos ocorreu em 81,5% das propriedades (p <0,05). O fator de risco mais relevante neste estudo foi a área da propriedade, porque delimita a área de pastejo do animal. Propriedades com muitos animais e pouca área de pastejo, que são as mais abundantes no Sertão da Paraíba, tendem a apresentar alta prevalência de helmintoses gastrintestinais, pois os animais estão mais propensos à reinfecção. A região do Sertão da Paraíba apresenta uma elevada prevalência de helmintoses gastrintestinais em ovinos, e a área das propriedades é o fator de risco mais relevante para o desenvolvimento dessas parasitoses.
Descritores: Genes Supressores de Tumor/fisiologia
/fisiologia
TUMOR SUPPRESSOR PROTEIN PDIPETALONEMA INFECTIONS/fisiologia
-Aneuploidia
Apoptose/fisiologia
Caspase 9
Inibidores de Caspase
Ciclo Celular/fisiologia
Divisão Celular/fisiologia
CYCLIN-DEPENDENT KINASE INHIBITOR PABORTION APPLICANTS
Ciclinas/metabolismo
Grupo dos Citocromos c/metabolismo
Proteínas de Fluorescência Verde
Regulação Neoplásica da Expressão Gênica/genética
Regulação Neoplásica da Expressão Gênica/fisiologia
Genes Dominantes/fisiologia
Genes cdc/fisiologia
Genes myc/fisiologia
Homozigoto
Proteínas Luminescentes
Pulmão/patologia
Linfoma/metabolismo
Linfoma/patologia
Camundongos Knockout
Camundongos Transgênicos
MICE, INBRED CABDOMENABDOMINAL INJURIESBL
Mutação/genética
Neoplasias Experimentais/metabolismo
Neoplasias Experimentais/patologia
Ploidias
/metabolismo
PROTO-ONCOGENE PROTEINS C-BCL-TEMEFOS/metabolismo
Limites: Animais
Humanos
Camundongos
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Research Support, U.S. Gov't, P.H.S.
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-706177
Autor: Peres, Raquel Mary Rodrigues.
Título: Instabilidade genômica em neoplasias malignas da mama em função da concentração de alumínio intracelular / Genomic instability association with intracellular aluminum concentration in breast tumors.
Fonte: Campinas; s.n; jul. 2013. 97 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: A hipótese de que os efeitos do alumínio em células humanas podem ter implicações clínicas tem sido levantada há algum tempo, especialmente no que concerne ao câncer de mama. As evidências laboratoriais mostrando altos níveis de alumínio nos tecidos da mama e os efeitos biológicos conhecidos sobre esse metal não são suficientes para estabelecer uma relação causal entre a exposição ao alumínio e o risco aumentando para o desenvolvimento do câncer de mama. O objetivo deste estudo foi estabelecer a concentração de alumínio nas áreas centrais e periféricas de tumores de mama, assim como na área glandular normal da mama e correlacionar esses achados com a instabilidade dos genes ERBB2, C-MYC e CCND1 e a aneuploidia dos cromossomos que contêm estes genes. Métodos: Para este estudo foram incluídas 176 mulheres com diagnóstico de carcinoma invasor de mama, com tumores maiores de 1cm3, sem quimioterapia neoadjuvante, operadas enter 2008 e 2010 no Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti - Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) - UNICAMP. Para a análise da concentração de alumínio intracelular, amostras de 150 pacientes foram consideradas viáveis; para a análise da instabilidade genômica em função da concentração de alumínio, 118 amostras foram consideradas viáveis, definindo o espaço amostral de cada um dos artigos apresentados. As amostras das áreas centrais e periféricas dos tumores de mama e das áreas glandulares normais da mama foram obtidas. A quantificação do alumínio contido nos tecidos da mama foi feita através da técnica de Espectrometria de Absorção Atômica em Forno de Grafite (GFAAS). Uma lâmina de Tissue Microarray (TMA), contendo as amostras de tumor e tecido normal foi utilizado para a realização da técnica de FISH para acessar o status dos genes ERBB2, C-MYC e CCND1 e dos centrômeros dos seus respectivos cromossomos 17, 8 e 11. Os dados clínico-patológicos foram obtidos dos prontuários de pacientes...

Introduction: It has long been hypothesized if the effects of aluminum on human cells may have clinical implications, especially regarding to breast cancer. The current laboratorial evidence showing higher levels of aluminum in breast tissues and the known biological effects of this metal, are not sufficient to establish a causal relationship between aluminum exposure and increased risk of developing breast cancer. The objective of this study was to establish the aluminum concentration in the central and peripheral areas of breast tumors as well as in normal glandular area of the breast and to correlate these findings with the instability of ERBB2, C-MYC and CCND1, and aneuploidy of chromosomes harboring these genes. Methods: This study included 176 women diagnosed with invasive breast carcinoma with tumors larger than 1cm3 without neoadjuvant chemotherapy, operated between 2008 and 2010 at the Women's Hospital Professor. Dr. José Aristodemo Pinotti - Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) - UNICAMP. To analyze the intracellular concentration of aluminum, samples from 150 patients were considered viable; for the analysis of genomic instability as a function of the concentration of aluminum, 118 samples were considered viable. These figures define the sample of each of the two articles that this PhD thesis comprises. Evaluation of tissue aluminum content was carried out using Graphite Furnace Atomic Absorption Spectrometry (GFAAS). A TMA slide containing the tumor and normal samples was used in FISH assays to assess ERBB2, C-MYC and CCND1 and the respective chromosomes 17, 8 and 11 centromeres status. Clinicopathological data were obtained from patients' records. Results: The average aluminum content found in breast was 1.88 mg/kg in the central tumor areas, 2.10 mg/ kg in the peripheral tumor areas and 1.68 mg/ kg in the normal tissue areas...
Descritores: Alumínio/efeitos adversos
Neoplasias da Mama
Instabilidade Genômica
-Ciclina D1
Genes myc
GENES ERBB-TEMEFOS
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR25.1 - Biblioteca
BR25.1, P437i


  9 / 20 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Lopes, Ademar
Chammas, Roger
Id: lil-691989
Autor: Ikemori, Rafael Yamashita; Saito, Renata de Freitas.
Título: Alterações metabólicas envolvidas no desenvolvimento tumoral / Metabolic changes involved in tumor development
Fonte: In: Lopes, Ademar; Chammas, Roger; Iyeyasu, Hirofumi. Oncologia para a graduação. São Paulo, Lemar, 2013. p.142-150, tab. (Oncologia para a graduação).
Idioma: pt.
Descritores: Metabolismo
Neoplasias
Preparações Farmacêuticas
-Genes myc
Glutamina
GENES PDIPETALONEMA INFECTIONS
Fator 1 Induzível por Hipóxia
L-Lactato Desidrogenase
Responsável: BR30.1 - Biblioteca
BR30.1


  10 / 20 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-555184
Autor: Morais, Adriana; Antunes, Consuelo; Romualdo Filho, José; Soares, Andrezza B; Salles, Terezinha de J. Marques; Borges, Josenilda C; Magalhães, Mário H; Muniz, Maria T. Cartaxo; Araújo, Marcela; Pureza, Leda M. M; Freitas, Elizabete M; Morais, Vera L. L. de.
Título: Neuroblastoma intrarenal mimetizando tumor de Wilms / Intrarenal neuroblatoma mimics Wilms' tumor
Fonte: Rev. bras. cancerol;51(4):361-364, out.-dez. 2005. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: No presente trabalho, os autores relatam o caso de uma criança com neuroblastoma intrarenal, que foi, inicialmente,diagnosticado como tumor de Wilms. Pré-escolar, sexo feminino, com um ano e três meses, apresentava uma tumoração endurecida que ocupava o hipocôndrio esquerdo e se estendia até a região do mesogástrio, acompanhada de febre e palidez. O ultra-som do abdome total revelou massa intrarenal. A biópsia por agulha fina, em vários pontos de acesso tumoral, revelou um tumor de Wilms. Entretanto, não foi possível naquele momento realizar a imunohistoquímica (IHQ), face à escassez de material. Diante da gravidade da paciente, foi iniciado o protocolo SIOP por quatro semanas. Como não houve resposta clínica, foi indicada uma laparotomia exploradora, com ressecção parcial do tumor, sendo também, nesse momento, realizada punção aspirativa de medula óssea (MO). O exame histopatológico revelou neoplasia maligna de pequenas células mal diferenciadas. A IHQ foi negativa para WT-1 e positiva para NB-84, cromogranina e sinaptofisina. A biologia molecular revelou amplificação de N-myc. O mielograma identificou infiltração medular por pequenas células redondas. O neuroblastoma intrarenal é um tumor raro que se assemelha clínica e radiologicamente ao tumor de Wilms. Esse trabalho procura enfatizar a importância do emprego de análises imunohistoquímica e moleculares para o diagnóstico do neuroblastoma intrarenal.

This work reports the case history of a child with intrarenal neuroblastoma, initially diagnosed as Wilms' tumor.The patient, a one year and three months old girl, presented a hard abdominal mass on the left flank that extended to the mesogastric region, plus fever and paleness. The ultrasound of the entire abdomen revealed an intrarenal mass. Biopsy with fine needle in many points of the tumor revealed Wilms' tumor. The scarcety of the material, however, made immunohistoquemistry impossible at that moment. Because of the child's severe condition the SIOP protocol was started. As no clinical response was observed, an exploratory laparatomy was indicated with partial resection of the tumor and bone marrow aspiration (MO). The histopathologic study revealed a malignant neoplasia of small cells, poorly differentiated. IHQ was negative for WT-1 and positive for NB-84, synaptofisin, cromogranine. N-myc amplification was observed by molecular biology. The bone marrow aspiration identified matastatic small round cells infiltration. Intrarenal neuroblastoma is a rare entity that clinically and radiographicallyresembles Wilms' tumor. The objective of this case report is to show the importance of immunohistochemical andmolecular analysis in the diagnosis of intrarenal neuroblastoma.
Descritores: Neoplasias das Glândulas Suprarrenais
Neuroblastoma/diagnóstico
Neuroblastoma/terapia
Tumor de Wilms/diagnóstico
-Diagnóstico Diferencial
Genes myc
Limites: Humanos
Feminino
Lactente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde