Base de dados : LILACS
Pesquisa : G07.203.100 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 330 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 33 ir para página                         

  1 / 330 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-781396
Autor: Piovezan-Borges, A C; Valério-Júnior, C; Gonçalves, I L; Mielniczki-Pereira, A A; Valduga, A T.
Título: Antioxidant potential of yerba mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) extracts in Saccharomyces cerevisae deficient in oxidant defense genes / Potencial antioxidante de extratos de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) em Saccharomyces cerevisiae deficientes para genes de defesa oxidante
Fonte: Braz. j. biol;76(2):539-544, Apr.-June 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Yerba-mate (Ilex paraguariensis St. Hil) is mainly consumed as “chimarrão”, a hot drink highly appreciated in Brazil, Argentina, Paraguay and Uruguay. This study evaluated the antioxidant potential of aqueous extracts of I. paraguariensis precipitated with ethanol. The leaves were processed as for tea product (TM) and oxidized (OX). The antioxidant potential was evaluated in cells of Saccharomyces cerevisiae deficient in antioxidant defense genes. Three strains evaluated were: a wild (EG) and two mutants (ctt1Δ e ctt1Δsod1Δ). These strains were pre-treated with the yerba-mate extracts (TM e OX) and submitted to oxidative stress induced by hydrogen peroxide. None of the extracts produced loss of cell viability. The extracts exerted antioxidant activity, protecting the strains (except sod1∆ctt1∆). The TM extract was more effective than OX. I. paraguariensis extracts showed a potential to be explored in the development of new products.

Resumo A erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil) é consumida principalmente como “chimarrão”, uma bebida quente muito apreciada no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Este estudo avaliou o potencial antioxidante de extratos aquosos de I. paraguariensis precipitado com etanol. Folhas de erva-mate foram processados de maneira semelhante ao processamento do chá-preto (OX) e na forma de mate (TM). O potencial antioxidante foi avaliado sobre células de Saccharomyces cerevisiae deficientes para genes de defesa antioxidante. Três linhagens celulares foram estudadas: uma selvagem (EG) e duas mutantes (ctt1Δ e ctt1Δsod1Δ). As linhagens foram pré-tratadas com os extratos de erva-mate (TM e OX) e submetidos ao estresse oxidativo induzido por peróxido de hidrogênio. Nenhum dos extratos produziu perda de viabilidade celular. Os extratos exerceram atividade antioxidante, protegendo as linhagens (exceto a sod1Δctt1Δ). O extrato TM foi mais eficaz em relação ao OX. Extratos de I. paraguariensis apresentaram potencial para ser explorado no desenvolvimento de novas formulações.
Descritores: Saccharomyces cerevisiae/efeitos dos fármacos
Saccharomyces cerevisiae/fisiologia
Bebidas
Extratos Vegetais/farmacologia
Ilex paraguariensis
-Argentina
Brasil
Sobrevivência Celular/efeitos dos fármacos
Folhas de Planta
Antioxidantes/farmacologia
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-626175
Autor: Pezo, Margot.
Título: Elaboración de una bebida de alpiste (Phalaris canariensis L) y su aplicación en ratas con hipercolesterolemia inducida experimentalmente / Development of a drink canary seed (Phalaris canariensis L) and its application in rats with experimentally induced hypercholesterolemia
Fonte: ReNut;5(16):836-849, abr.-jun. 2011. tab.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo: Elaborar una bebida de alpiste (Phalaris canariensis L.) y determinar su efecto en ratas hipercolesterolémicas inducidas experimentalmente. Método: Se elaboró una bebida de alpiste saborizada con jugo de maracuyá la cual fue utilizada cruda o sometida a cocción por 10 minutos. Esta bebida también fue sometida a almacenamiento para evaluar el impacto del mismo sobre las características físico-químicas y organolépticas. La bebida fue luego administrada a ratas hipercolesterolémicas inducidas experimentalmente. Resultados: Las características de la bebida de alpiste con cocción de diez minutos, saborizada con jugo de maracuyá y pasteurizada fueron: pH, 3.57; °BRIX, 4; Acidez, 0.59 (gr. Ácido cítrico/100ml) y color, (tinte, amarillo verde limón; iluminación, 18; y saturación, 4) y calorías, 85 kcal/250ml. El tiempo de vida útil fue de, 8 días para aquellas almacenada al medio ambiente y de 20 días cuando fue almacenada a 4°C. En la evaluación del efecto hipocolesterolémico, se trabajó con 16 ratas de experimentación (rattus norvegicus) hipercolesterolémicos, los cuales fueron separados en 4 grupos de 4 animales. Se demostró el efecto de la dosis hipocolestorolémica (1.64 ml) de la bebida de alpiste (Phalaris canariensis L.), sometido a cocción de diez minutos, saborizada con jugo de maracuyá y pasteurizada; en ratas con hipercolesterolemia inducidas experimentalmente, pues produce disminución significativa (p<0.05) de los niveles de colesterol de 90.80 mg/dl a 78.75 mg/dl, triglicéridos de 105.075 mg/dl a 78.75 mg/dl y LDL-C de 22.6 mg/dl a 8.05 mg/dl. Conclusión: Se elaboró una bebida de alpiste con cocción de diez minutos, saborizada con jugo de maracuyá y pasteurizada que mostró en efecto hipercolesterolémico en ratas hipercolesterolémicas inducidas experimentalmente.
Descritores: Anticolesterolemiantes
Bebidas
Phalaris
Ratos
Sucos
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca


  3 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1012396
Autor: Carvallo, Pamela; Carvallo, Eugenia; Barbosa-da-Silva, Sandra; Mandarim-de-Lacerda, Carlos Alberto; Hernández, Alfonso; del-Sol, Mariano.
Título: Efectos metabólicos del consumo excesivo de fructosa añadida / Metabolic effects of excessive fructose consumption added
Fonte: Int. j. morphol;37(3):1058-1066, Sept. 2019. graf.
Idioma: es.
Projeto: DIUFRO-FAPERJ.
Resumo: El consumo de fructosa ha aumentado en los últimos 50 años por la incorporación a la dieta de jarabe de maíz alto en fructosa (JMAF), presente en productos industrializados, como las bebidas azucaradas. Se puede asociar la ingesta de fructosa en altas concentraciones con el aumento de la obesidad y trastornos metabólicos. La fructosa, un azúcar natural que se encuentra en muchas frutas, se consume en cantidades significativas en las dietas occidentales. En cantidades iguales, es más dulce que la glucosa o la sacarosa y, por lo tanto, se usa comúnmente como edulcorante. Debido al incremento de obesidad entre la población joven y general y a los efectos negativos que puede tener a corto y largo plazo es importante considerar de donde provienen las calorías que se ingieren diariamente. Esta revisión describirá la relación entre el consumo de fructosa en altas concentraciones y el riesgo de desarrollar obesidad, resistencia a la insulina, lipogenesis de novo e inflamación.

The consumption of fructose has increased in the last 50 years due to the incorporation into the diet of high fructose corn syrup (HFCS), present in industrialized products, such as sugary drinks. The intake of fructose in high concentrations can be associated with the increase of obesity and metabolic disorders. Fructose, a natural sugar found in many fruits, is consumed in significant quantities in Western diets. In equal amounts, it is sweeter than glucose or sucrose and, therefore, is commonly used as a sweetener. Due to the increase of obesity among the young and general population and the negative effects that can have in the short and long term it is important to consider where the calories that are ingested daily come from. This review will describe the relationship between fructose consumption in high concentrations and the risk of developing obesity, insulin resistance, de novo lipogenesis, nonalcoholic fatty liver, inflammation and metabolic syndrome.
Descritores: Edulcorantes/efeitos adversos
Resistência à Insulina
Tecido Adiposo/efeitos dos fármacos
Frutose/efeitos adversos
Obesidade/induzido quimicamente
-Edulcorantes/metabolismo
Bebidas
Peso Corporal/efeitos dos fármacos
Lipogênese/efeitos dos fármacos
Frutose/metabolismo
Glucose/efeitos adversos
Inflamação
Limites: Humanos
Animais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  4 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-783222
Autor: Silva, Edson Pablo; Becker, Fernanda Salamoni; Silva, Flávio Alves da; Soares Junior, Manoel Soares; Caliari, Márcio; Damiani, Clarissa.
Título: Bebidas mistas de extratos de arroz com maracujá e mamão / Mixed drinks prepared with extracts of rice with passion fruit and papaya
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;74(1):49-56, 2015. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi desenvolver bebidas elaboradas com extratos de arroz (quirera, integral parboilizado e integral) com sabores de mamão e maracujá, e estudar as características físico-químicas, sensoriais e microbiológicas. Foram avaliados custo das formulações, aceitabilidade, contagem de bolores e leveduras, contagem de coliformes a 35 °C e a 45 °C, a presença de Salmonella sp e as demais características: composição centesimal, açúcares redutores, fibra alimentar, acidez titulável total, sólidos solúveis e potencial antioxidante. Todas as bebidas podem ser consideradas alimentos funcionais, em função de seus teores de fibra alimentar total. No entanto, na bebida elaborada com o extrato de arroz integral parboilizado foram detectados os maiores teores de fibra alimentar total (2,37 g.100 g-1) e solúvel (1,20 g.100 g-1). A adição de extratos de arroz integral e integral parboilizado tornou a bebida de maracujá e mamão nutricionalmente mais rico em proteínas e lipídios. Todas as bebidas foram aceitas pela população entrevistada com atributo intenção de compra de acima de 90 %, e apresentaram conformidade nos padrões microbiológicos exigidos pela legislação brasileira. A quirera, o arroz integral e o integral parboilizado podem ser utilizados como ingredientes na formulação de bebidas à base de polpa de mamão e maracujá...
Descritores: Alimento Funcional
Bebidas/análise
Composição de Alimentos
Intolerância à Lactose
Oryza
-Manipulação de Alimentos
Limites: Humanos
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  5 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-688212
Autor: Bento, Rafaela Suzuki; Scapim, Mônica Regina da Silva; Ambrósio-Ugri, Miriam Carla Bonicontro.
Título: Desenvolvimento e caracterização de bebida achocolatada à base de extrato hidrossolúvel de quinoa e de arroz / Production and characterization of the quinoa and rice water soluble extract-based chocolate drink
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;71(2):317-323, abr.-jun. 2012. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A busca por alimentos saudáveis e ricos em nutrientes tem crescido nos últimos anos. Outrossim, muitas pessoas e, principalmente, as crianças apresentam intolerância à lactose e restrição ao consumo de glúten e proteínas lácteas. Com o intuito de buscar alternativas para as crianças que têm distúrbios alimentares e pela pouca opção no mercado de bebidas achocolatadas que atendam tais pessoas, foi desenvolvida uma formulação achocolatada isenta de glúten, proteínas lácteas e lactose, preparada de extrato hidrossolúvel de arroz e de quinoa. Foram feitas três formulações (F1, F2 e F3) variando-se as proporções dos dois extratos. A avaliação destas amostras foi efetuada pelas análises química e microbiológica, e o atributo sensorial por meio de escala hedônica estruturada de nove pontos. As formulações não diferiram entre si (p > 0,05) nos teores de cinzas e fibras; porém, houve diferença significativa (p ≤ 0,05) quanto ao conteúdo proteico, umidade, lipídeos, carboidratos e valor energético. A formulação com maior quantidade de extrato de quinoa (F3) obteve a melhor aprovação no atributo sabor e a melhor nota na intenção de compra do produto. O produto achocolatado desenvolvido na presente investigação atendeu aos padrões microbiológicos exigidos pela legislação, sendo adequado para o consumo humano.
Descritores: Alimento Funcional
Bebidas
Chenopodium quinoa
Transtornos da Alimentação e da Ingestão de Alimentos
Intolerância à Lactose
Oryza
-Cacau
Responsável: BR76.1 - Biblioteca


  6 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Masson, Maria Lucia
Texto completo
Id: lil-688210
Autor: Granato, Daniel; Piekarski, Flavia Vilas Boas Wiecheteck; Masson, Maria Lucia.
Título: Assessing the ascorbic acid contents in beverages and powdered juices: comparison between the experimental data and the values displayed on the product label
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;71(2):331-336, abr.-jun. 2012. tab.
Idioma: en.
Resumo: The determination of ascorbic acid (AA) contents in beverages is a challenging and necessary task because consumers have to know the exact amount of this component in the product as displayed on the containerlabel. More over, the food industries have to add the exact (± 20%) quantity of ascorbic acid as it is statedon the label. This study aimed at evaluating 60 ready-to-drink beverages and powdered juices marketedin Curitiba (PR, Brazil). The results were compared with the values declared on the label, and in 76.7% of the samples no statistically similar values (p < 0.05) were found by comparing with those stated onthe packaging label. Moreover, the A A values found in this analysis were from 12 to 90% lower than those reported by manufacturers. For that reason, the ascorbic acid contents in these products should bemonito red by the National Health Surveillance Agency (ANVISA).
Descritores: Bebidas
Controle de Qualidade
Ácido Ascórbico/análise
Responsável: BR76.1 - Biblioteca


  7 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-500691
Autor: Caruso, Miriam S. F; Alaburba, Janete.
Título: Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos - benzo(a)pireno: uma revisão / Polycyclic aromatic hydrocarbons - benzo-(a)pyrene: a review
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;67(1):1-27, jan.-abr. 2008. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) constituem um grupo de compostos contendo dois ou mais anéis aromáticos condensados. Estes compostos são formados, principalmente, pela combustão incompleta da matéria orgânica. Os estudos em cobaias têm demonstrado que muito desses compostos, incluindo o benzo(a)pireno (BaP), são carcinogênicos e mutagênicos, sendo também considerados potencialmente genotóxicos e carcinogênicos para os humanos. O BaP é um dos HPAs mais estudados e é utilizado como indicador da presença de outros HPAs. Esse composto é um contaminante de ampla distribuição ambiental, presente em diversas matrizes, como solo, água, ar e alimentos. Na presente revisão são abordados os aspectos gerais dos HPAs, especialmente do BaP, assim como as metodologias analíticas publicadas desde a década de 1960. São apresentadas as modificações nos diferentes métodos de extração e nos solventes utilizados, as quais têm resultado numa significativa redução de tempo de análise, de volumes de solvente e de custo. São também discutidas as técnicas cromatográficas empregadas para a quantificação desses compostos, como CLAE e CGMS.
Descritores: Alimentos
Bebidas
Benzo(a)pireno
Compostos Policíclicos
Métodos de Análise
Água
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  8 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-500679
Autor: Kimura, Iracema A; Cano, Cristiane B; Martins, Maristela S; Nagato, Letícia A. F.
Título: Determinação de sucralose em néctares de frutas “light” por CLAE-IR / Determination of sucralose in light nectars by HPLC-RI
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;66(3):249-255, set.-dez. 2007. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo propor uma metodologia analítica de determinação de sucralose em amostras de néctares de frutas “light” utilizando extração em fase sólida (EFS) e cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) com detector de índice de refração (IR). Quatorze amostras de néctares de frutas “light” de diferentes marcas e sabores (uva, pêssego, morango, manga, goiaba e maracujá) foram centrifugadas a 3000rpm e extraídas em cartuchos de EFS, C18 (500mg, 3mL). Os limites dedetecção e quantificação foram respectivamente de 1,7 mg.100mL-1 e de 5,9 mg.100mL-1, e os valores de recuperação foram satisfatórios, em torno de 100%. A correção do efeito da matriz foi necessária apenas para os néctares de uva. A simplicidade, o pouco volume de solventes empregados e a facilidade de processar várias amostras de néctares ao mesmo tempo fazem com que este método possa ser utilizado na rotina dos laboratórios.
Descritores: Bebidas
Cromatografia Líquida
Edulcorantes
Frutas
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  9 / 330 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-450815
Autor: Carvalho, Joelia Marques de; Maia, Geraldo Arraes; Sousa, Paulo H. M. de; Rodrigues, Sueli.
Título: Perfil dos principais componentes em bebidas energéticas: cafeína, taurina, guaraná e glucoronolactona / Major compounds profiles in energetic drinks: caffeine, taurine, guarana, and glucoronolactone
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;65(2):78-85, maio-ago. 2006. tab.
Idioma: pt.
Resumo: As chamadas bebidas energéticas tiveram um grande crescimento no mercado nacional e internacional, principalmente entre os jovens e praticantes de atividades esportivas, seus maiores consumidores. Este trabalho apresenta uma revisão de literatura sobre os componentes mais comuns presentes nas bebidas energéticas: cafeína, taurina, guaraná e glucoronolactona, dando ênfase à legislação do Brasil, composição, ação sobre o organismo, aspectos toxicológicos e metabólicos. As pesquisas e estudos publicados demonstram que ainda há muitas divergências em relação às concentrações adequadas para o uso destes componentes na formulação destas bebidas e que se faz necessário maiores estudos sobre a interação destes componentes com outras substâncias como o álcool, uma vez que as bebidas energéticas são freqüentemente consumidas misturadas às bebidas alcoólicas com a finalidade de potencializar o efeito do álcool.
Descritores: Bebidas
Cafeína
Paullinia
Taurina
-Brasil
Legislação sobre Alimentos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  10 / 330 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Rodas, Maria Auxiliadora de Brito
Id: lil-402218
Autor: Taipina, Magda Sinigallia; Cohen, Victor Haim; Del Mastro, Nélida Lúcia; Rodas, Maria Auxiliadora de Brito; Della Torre, Jussara Carvalho de Moura.
Título: Aceitabilidade sensorial de suco de manga adicionado de polpa de banana (Musa sp) verde / Sensory acceptance of mango juice added with green banana (Musa sp) pulp
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;63(1):49-55, jan.-jun. 2004. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A aceitabilidade de suco de manga (Mangifera indica), adicionado ou não com polpa de banana (Musa sp) verde, foi avaliada utilizando escala hedônica em relação aos atributos de cor amarela, aroma, sensação na boca, sabor e doçura. Participaram dos testes sensoriais 59 consumidores de sucos de frutas, previamente avaliados quanto ao perfil de características específicas. Os dados sensoriais foram analisados estatisticamente pelo Teste t de Student, ao nível de significância de 5%. Através do perfil de características dos julgadores, observou-se, principalmente, que o hábito de consumo de sucos de frutas foi com frequëncia diária para 54% das mulheres, e semanal para 61% dos homens. A faixa etária dos julgadores variou de 20 a 60 anos, sendo que 49% dos homens e 36% das mulheres tinham concluído o nível universitário. Para a cor amarela, aroma e doçura não houve diferença significativa (p>0,05) entre os sucos de frutas avaliados. Os sucos de manga variaram entre si (p<0,05) para os atributos de sensação bucal e sabor, sendo o suco adicionado de polpa mais aceito, revelando intenção de compra satisfatória. O suco de manga adicionado de polpa de banana verde foi caracterizado como viscoso, doce e levemente adstringente
Descritores: Frutas
Comportamento Alimentar
Mangifera
Musa
-Bebidas
Modalidades Sensoriais
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação



página 1 de 33 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde