Base de dados : LILACS
Pesquisa : G07.203.300.525.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 216 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 22 ir para página                         

  1 / 216 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1281490
Autor: Stelmaszewski, E; Furelos, C.
Título: ¿Son eficaces las leches antirreflujo para el tratamiento de los síntomas ocasionados por el reflujo gastroesofásico? / Are anti-reflux formulas efficient for the treatment of symptoms caused by gastroesophageal reflux?
Fonte: Med. infant;17(4):359-365, Dic 2010. Tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El reflujo gastroesofágico es una patología frecuente en la consulta ambulatoria pediátrica. Esta revisión trata de realizar un abordaje completo del tema considerando las controversias que aún existen sobre la indicación de las leches AR. Objetivos: Evaluar la evidencia existente sobre la eficacia de las leches antirreflujo para el tratamiento de los síntomas del RGE fisiológico (vómitos, regurgitaciones) para poder recomendar o desaconsejar su uso en la práctica diaria. Material y métodos: Se realizó una revisión sistemática, utilizando las bases de datos Medline, LILACS, y Cochrane. Se utilizaron las Guías JAMA para el análisis. Se limitó la búsqueda en inglés/español, en niños/lactantes. Desde 1994 hasta 2010. Quedando ésta búsqueda actualizada hasta enero 2010. Criterios de inclusión de los estudios: ECA, niños sanos de 1 mes a 2 años. Resultados: Se analizaron 6 artículos de un total de 12, debido a que los elegidos cumplían con los criterios de inclusión;. Se excluyeron seis estudios: dos debido a que no fueron ECA ( Borrelli 1997; Chevallier 1998;), uno debido a que trató a recién nacidos ( Heacock 1992), uno debido a que comparó dos alimentos espesados diferentes (Ramirez-Mayas 2000), uno debido a que el resultado del estudio no fue un resultado de revisión primario o secundario (Fabiani 2000) y uno debido a que trató a adultos (Waterhouse 2000). Conclusiones: Las leches antirreflujo son eficaces para disminuir los síntomas de RGE como vómitos y regurgitaciones, pero no mejoran los valores de la Phmetria (Indice de Reflujo). Por otro lado, se contraindican en la ERGE o esofagitis ya que al espesar su contenido, disminuye el aclaramiento esofágico perpetuando el tiempo de permanencia del alimento y aumentando el daño a la mucosa. Las calorías aportadas por las leches AR son las necesarias para el crecimiento de los lactantes, mientras que el espesamiento de la leche con cereal de arroz genera mayor aporte de energía (AU)

Introduction: Gastroesophageal reflux (GER) is a common finding in pediatric outpatients. The present review tries to offer a comprehensive approach of GER considering the controversies that still exists on the indication of AR formulas. Objectives: To assess the existing evidence on the efficacy of anti-reflux formulas for the treatment of the symptoms of physiologic GER (vomiting, regurgitations) in order to recommend or advise against its use in the daily practice. Material and Methods: A systematic search was performed in Medline, LILACS, and Cochrane databases. JAMA Guides were used for analysis. The search was limited to English/Spanish, in children/infants between 1994 and 2010. The search was updated until January 2010. Inclusion criteria for the studies were: RCT and healthy children between 1 month and 2 years of age. Results: Six studies of a total of 12 met the inclusion criteria. Six studies were excluded for the following reasons: two were not RCTs ( Borrelli 1997; Chevallier 1998;), one was a study in newborns ( Heacock 1992), one compared two different thickened formulas (Ramirez-Mayans 2000), one because the study was not the result of a primary or secondary review (Fabiani 2000), and one because the study was performed in adult subjects (Waterhouse 2000). Conclusions: Antireflux formulas are efficient in reducing symptoms of GER, such as vomiting and regurgitations, but do not improve Ph-metry values (Reflux Index). On the other hand, AR formulas are contraindicated in GERD and esophagitis as the thickened formula diminishes esophageal clearance prolonging the permanence of the food and increasing the damage to the mucosa. Calories provided by AR formulas are necessary for the growth of the infants while rice-cereal thickening increases energy intake (AU)
Descritores: Refluxo Gastroesofágico/dietoterapia
Refluxo Gastroesofágico/prevenção & controle
Eficácia
Leite
Alimentos Infantis/efeitos adversos
Limites: Humanos
Lactente
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: AR305.1 - SID - Servicio de Información y Documentación


  2 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1058891
Autor: Silva, Karine Borges da; Oliveira, Maria Inês Couto de; Boccolini, Cristiano Siqueira; Sally, Enilce de Oliveira Fonseca.
Título: Illegal commercial promotion of products competing with breastfeeding / Promoção comercial ilegal de produtos que competem com o aleitamento materno
Fonte: Rev. saúde pública (Online);54:10, 2020. tab.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; . Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To assess if the commercialization of infant formulas, baby bottles, bottle nipples, pacifiers and nipple protectors is performed in compliance with the Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância e de Produtos de Puericultura Correlatos (NBCAL - Brazilian Code of Marketing of Infant and Toddlers Food and Childcare-related products). The commercial promotion of these products is prohibited by the Law 11,265. METHOD Cross-sectional study conducted in 2017 through a census of all pharmacies, supermarkets and department stores that sold products covered by NBCAL in the South Zone of Rio de Janeiro. Health professionals trained at NBCAL used structured electronic form for direct observation of establishments and for interviews with their managers. We created indicators to evaluate commercial practices and performed descriptive analyses. RESULTS A total of 352 commercial establishments were evaluated: 240 pharmacies, 88 supermarkets and 24 department stores, of which 88% sold products whose promotion is prohibited by NBCAL. Illegal commercial promotions were found in 20.3% of the establishments that sold the products we investigated: 52 pharmacies (21.9%), four supermarkets (7.5%) and seven department stores (33.3%). The most frequent commercial promotion strategies were discounts (13.2%) and special exposures (9.3%). The products with the highest prevalence of infractions of NBCAL were infant formulas (16.0%). We interviewed 309 managers of commercial establishments; 50.8% reported unfamiliarity with the law. More than three-quarters of the managers reported having been visited at the establishments by commercial representatives of companies that produce infant formulas. CONCLUSION More than a fifth of commercial establishments promoted infant formulas, baby bottles and nipples, although this practice has been banned in Brazil for thirty years. We think it is necessary to train those managers. Government agencies must monitor commercial establishments in order to inhibit strategies of persuasion and induction to sales of these products, ensuring mothers' autonomy in the decision on the feeding of their children.

RESUMO OBJETIVO Avaliar se a comercialização de fórmulas infantis, mamadeiras, bicos, chupetas e protetores de mamilo é realizada em cumprimento com a Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância e de Produtos de Puericultura Correlatos (NBCAL). A promoção comercial desses produtos é proibida pela Lei 11.265. MÉTODOS Estudo transversal conduzido em 2017 por meio de um censo de todas as farmácias, supermercados e lojas de departamento que comercializavam produtos abrangidos pela NBCAL na Zona Sul do Rio de Janeiro. Profissionais de saúde capacitados na NBCAL utilizaram formulário eletrônico estruturado para observação direta dos estabelecimentos e para entrevista com seus responsáveis. Foram criados seis indicadores de avaliação das práticas comerciais e realizadas análises descritivas. RESULTADOS Foram avaliados 352 estabelecimentos comerciais: 240 farmácias, 88 supermercados e 24 lojas de departamento, dos quais 88% comercializavam produtos cuja promoção é proibida pela NBCAL. Foram encontradas promoções comerciais ilegais em 20,3% daqueles que comercializavam os produtos investigados: 52 farmácias (21,9%), quatro supermercados (7,5%) e sete lojas de departamento (33,3%). As estratégias de promoção comercial mais frequentes foram os descontos (13,2%) e as exposições especiais (9,3%). Os produtos com maior prevalência de infrações à NBCAL foram as fórmulas infantis (16,0%). Foram entrevistados 309 responsáveis por estabelecimentos comerciais, 50,8% relatando não conhecer a lei. Mais de três quartos dos responsáveis relataram receber visitas nos estabelecimentos de representantes comerciais de empresas fabricantes de fórmulas infantis. CONCLUSÃO Mais de um quinto dos estabelecimentos comerciais faziam promoção comercial de fórmulas infantis para lactentes, mamadeiras e bicos, apesar de essa prática ser proibida no Brasil há trinta anos. É necessária a capacitação dos seus responsáveis. Os órgãos governamentais devem realizar fiscalização dos estabelecimentos comerciais para coibir estratégias de persuasão e indução à vendas desses produtos, garantindo às mães autonomia na decisão sobre a alimentação de seus filhos.
Descritores: Chupetas
Marketing/legislação & jurisprudência
Fórmulas Infantis/legislação & jurisprudência
Substitutos do Leite/legislação & jurisprudência
Publicidade Direta ao Consumidor
-Brasil
Aleitamento Materno
Estudos Transversais
Alimentos Infantis
Legislação sobre Alimentos
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Lactente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1058887
Autor: Ortelan, Naiá; Neri, Daniela Almeida; Benicio, Maria Helena D'Aquino.
Título: Feeding practices of low birth weight Brazilian infants and associated factors / Práticas alimentares de lactentes brasileiros nascidos com baixo peso e fatores associados
Fonte: Rev. saúde pública (Online);54:14, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To characterize complementary feeding and to analyze the influence of individual and contextual factors on dietary practices of low birth weight infants. METHODS This cross-sectional study included 2,370 low birth weight infants aged 6 to 12 months included in the Breastfeeding Prevalence Survey in Brazilian Municipalities (2008), which covered the 26 state capitals, the Federal District and 37 municipalities. Dietary practices were assessed using two indicators: I) dietary diversity, characterized by the consumption of five food groups: meat, beans, vegetables, fruit and milk; II) consumption of ultra-processed foods, characterized by the ingestion of at least one of the following foods on the day prior to the survey: soda, or processed juice, or cookie, cracker and crisps. The covariates of interest were the socioeconomic characteristics of infants, mothers and health services. The contextual factor was the "municipal prevalence of child undernutrition." The individualized effect of the study factors on outcomes was assessed by multilevel Poisson regression. RESULTS Approximately 59% of infants consumed ultra-processed foods, while 29% had diverse feeding. Mothers living in municipalities with child undernutrition prevalence below 10%, with higher education and working outside the home were more likely to offer dietary diversity. Consumption of ultra-processed foods was higher among infants living in municipalities with child undernutrition prevalence below 10%, whose mothers were younger and multiparous. CONCLUSIONS The low prevalence of diverse feeding combined with the high prevalence of ultra-processed food consumption characterizes the low quality of feeding of low birth weight Brazilian infants. Individual and contextual factors impact the feeding quality of this population, suggesting the need for effective strategies to increase the consumption of fresh and minimally processed foods and decrease the consumption of ultra-processed foods by this vulnerable population.

RESUMO OBJETIVO Caracterizar a alimentação complementar e analisar a influência de fatores individuais e contextuais sobre práticas alimentares de lactentes que nasceram com baixo peso. MÉTODOS Este estudo transversal incluiu 2.370 lactentes nascidos com baixo peso e com idade entre 6 e 12 meses incluídos na Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno em Municípios Brasileiros (2008), que abrangeu as 26 capitais, o Distrito Federal e mais 37 municípios. As práticas alimentares foram avaliadas usando dois indicadores: i) diversidade alimentar, caracterizada pelo consumo dos cinco grupos alimentares: carnes, feijão, legumes e verduras, frutas e leite; ii) consumo de alimentos ultraprocessados, caracterizado pela ingestão de pelo menos um dos seguintes alimentos no dia anterior à pesquisa: refrigerante, ou suco industrializado, ou bolacha, biscoito e salgadinho. As covariáveis de interesse corresponderam às características socioeconômicas, dos lactentes, das mães e dos serviços de saúde. O fator contextual foi a "prevalência municipal de desnutrição infantil". O efeito individualizado dos fatores de estudo sobre os desfechos foi avaliado mediante regressão de Poisson com estrutura multinível. RESULTADOS Aproximadamente 59% dos lactentes consumiram alimentos ultraprocessados, enquanto 29% apresentaram diversidade alimentar. Mães que residiam em municípios com prevalência de desnutrição infantil inferior a 10%, com maior nível de escolaridade e que trabalhavam fora de casa foram mais propensas a oferecer diversidade alimentar. O consumo de alimentos ultraprocessados foi maior entre lactentes residentes em municípios com prevalência de desnutrição infantil inferior a 10%, cujas mães eram mais jovens e multíparas. CONCLUSÕES A baixa prevalência de alimentação diversa aliada à alta prevalência do consumo de alimentos ultraprocessados caracteriza a baixa qualidade da alimentação dos lactentes brasileiros com baixo peso ao nascer. Fatores individuais e contextuais impactam a qualidade da alimentação dessa população, sugerindo a necessidade de adoção de estratégias eficazes para aumentar o consumo de alimentos in natura e minimamente processados e diminuir o consumo de alimentos ultraprocessados por esta população vulnerável.
Descritores: Aleitamento Materno/estatística & dados numéricos
Recém-Nascido de Baixo Peso
Comportamento Alimentar
Alimentos Infantis/estatística & dados numéricos
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Inquéritos sobre Dietas
Estudos Transversais
Laticínios
Alimentos Infantis/classificação
Alimentos Infantis/efeitos adversos
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1281267
Autor: Leite, Fabiane de Almeida.
Título: A notícia e o discurso: o caso da regulamentação da publicidade de alimentos infantis ultraprocessados no Brasil / The news and the discourse: the case of children ultraprocessed food publicity regulation in Brazil.
Fonte: São Paulo; s.n; 2013. 89 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Introdução - A obesidade é um problema de Saúde Pública no Brasil, onde segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009 uma em cada três crianças de 5 a 9 anos está acima do peso. No ano de 2010 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) regulamentou a propaganda de alimentos e criou regras contra abusos nos anúncios para crianças, processo iniciado em 2004 que gerou grande interesse da mídia nacional, especialmente dos jornais impressos. A resolução da ANVISA, no entanto, não está em vigor em razão de ordens judiciais obtidas pelo setor atingido pela regulamentação. Objetivo - Verificar se a regulamentação da propaganda de alimentos ultraprocessados para crianças influenciou os discursos sobre o risco de obesidade infantil veiculados na mídia brasileira, especificamente nos jornais diários. Métodos - Estudo de natureza qualitativa, descritiva e analítica, realizado sob a perspectiva da construção social do risco e por meio de levantamento da cobertura jornalística sobre a regulamentação realizada pelo jornal Folha de S. Paulo, entre os anos de 2004 e 2012. Uma amostra do material coletado foi descrita para análise do enquadramento do tema na mídia e em seguida submetemos à Análise do Discurso Crítica textos publicados anteriormente e posteriormente à regulamentação. Resultados - Foram localizados 184 textos em 143 edições, média de 23 textos por ano, e em 17 editorias. Dos textos, 28% foram publicados como opinião e 55% indicavam posição contrária à regulamentação pelo Estado. O maior número de textos sobre a regulamentação ocorreu após sua publicação e 40% das fontes ouvidas pelo jornal em reportagens tinham ligação com o mercado atingido pela regulamentação estatal e contrário a sua efetivação. Quanto mais perto o País parecia estar de uma regulamentação estatal, mais o enquadramento distanciava-se do olhar da saúde pública e aproximava-se do olhar do mercado. Houve deslocamento dos discursos sobre obesidade infantil do campo de saúde pública para o campo da liberdade de expressão. Conclusão - A regulamentação da propaganda de alimentos infantis ultraprocessados pelo governo brasileiro influenciou os discursos sobre obesidade infantil veiculados na mídia. Houve deslocamento dos discursos sobre obesidade infantil para o campo de discussões sobre a liberdade de expressão na publicidade.

Obesity is a Public Health problem in Brazil, where one in three children are fat according to a national survey. In 2010 the National Agency of Sanitary Security released a regulation on the advertisement of food and created rules to protect children. The whole process started in 2004 with great attention from the press. Nowadays the regulation is not valid because of a decision from the brazilian Justice. We aim to evaluate the construction of the obesity risk in the childhood and changes in the discourse about obesity after this regulation using the framing theory and the Analysis of Critical Discourse in texts about the regulation published in the Folha de S. Paulo newspaper. In 184 texts about the regulations checked, 28% where opinions and 55% of this were against the regulation. The most of the texts were published after 2010 and 40% of the surveys were person from the market who was the regulation's target. When the regulation was about to be released the news framing was more favorable to the market. The discourse on child obesity was moved from the Public Health area to the Market area, which main issue is the freedom in the communications of the market.
Descritores: Promoção de Alimentos
Indústria Alimentícia
Criança
Jornalismo Médico
Política Nutricional
Alimentos e Bebidas
Jornalismo
Regulamentação Governamental
Controle da Publicidade de Produtos
Publicidade de Alimentos
Obesidade Pediátrica
Alimentos
Indústria de Processamento de Alimentos
Alimentos Infantis
Legislação sobre Alimentos
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  5 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1025880
Autor: Guatemala. Ministerio de Salud Pública y Asistencia Social. Estrategia de Atención Integral de la Niñez y la Mujer.
Título: Rotafolio de consejería sobre alimentación, desarrollo y enfermedades prevenibles de la niñez / Counseling flipchart on childhood feeding, development and preventable diseases.
Fonte: Guatemala; MSPAS; 2011. 40 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: El rotafolio, como instrumento usado para la presentación de información, sirve de guía tanto para el personal de salud, como para la orientación de los pacientes, particularmente de madres con niños recién nacidos, lactantes y preescolares (menores de cinco años). En él, van paso a paso con los detalles sobre la alimentación del niño, incluyendo temas como peso, vacunación, suplementación y hasta recetas de cocina pensadas para los niños de las edades señaladas. Un instrumento didáctico de gran calidad fotográfica.
Descritores: Recém-Nascido/crescimento & desenvolvimento
Transtornos da Nutrição do Lactente
Desenvolvimento Infantil
Nutrição do Lactente
Saúde do Lactente
-Peso-Estatura
Proteção da Criança
Vacinação
Pessoal de Saúde
Suplementos Nutricionais
Soluções de Nutrição Parenteral
Alimentos Infantis/provisão & distribuição
Destreza Motora
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Responsável: GT1.1 - Biblioteca y Centro de Información


  6 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1224264
Autor: Brasil. Ministério da Saúde.
Título: Leite Materno: o primeiro contato do bebê com a comida de verdade / Breast milk: baby's first contact with real food.
Fonte: s.l; s.n; 6 ago. 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Aleitamento Materno/tendências
Neoplasias da Mama/prevenção & controle
Cuidado do Lactente
Alimentos Infantis/provisão & distribuição
Relações Mãe-Filho
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1182095
Autor: Instituto Nacional de Salud. Programa de Complementación Alimentaria para Grupos en Mayor Riesgo (Perú).
Título: Manual de capacitación de salud, alimentación infantil y complementarla para niños menores de 3 años / Manual of.
Fonte: Lima; Instituto Nacional de Salud; 1996. 84 p. ilus.
Idioma: es.
Descritores: Alimentos Infantis
Dieta
Planos e Programas de Saúde
-Peru
Limites: Criança
Responsável: PE14.1 - Biblioteca de la Sede Central
[{"text": "PE14.1", "_d": "INS-14"}]


  8 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1181396
Autor: Perú. Ministerio de Salud. Dirección de Salud DISA IV Lima Este. Dirección de Red de Salud San Juan de Lurigancho.
Título: Uhmm Qué rico: Preparando comidas ricas, nutritivas y baratas, para los niños más pequeñitos / Uhmm How rich: Preparing rich, nutritious and inexpensive meals for children littlest.
Fonte: Lima; Perú. Ministerio de Salud. Dirección de Salud DISA IV Lima Este. Dirección de Red de Salud San Juan de Lurigancho; 2014. 17 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La presente guía estudia los temas relacionados con la nutrición y la salud. Las recetas han sido elaboradas para niños más pequeñitos, considerando la cantidad de alimento, la consistencia y la presencia de un alimento de origen animal que necesitan de acuerdo a la edad. Cabe indicar que dichas recetas fueron elaboradas tomando en cuenta un diagnóstico previo recogido en hogares y en mercados locales, a conocer la disponibilidad, el acceso, así como los atributos positivos y negativos que las madres asignan a los alimentos que incorporan en la alimentación infantil
Descritores: Alimentos Infantis
Educação Alimentar e Nutricional
Nutrição da Criança
Nutrição do Lactente
Vigilância Nutricional
-Peru
Tipo de Publ: Guia
Responsável: PE18.1 - Biblioteca Central
[{"text": "PE18.1", "_a": "MINSA 1859"}]


  9 / 216 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-518924
Autor: Illia, Martha; Mira, Dora; Herwig, Graciela; Secondo, Amelia.
Título: Guías alimentarias para menores de dos años / Feeding guidelines for children under two years old.
Fonte: Montevideo; Uruguay. Ministerio de Salud Pública; 2008. 61 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La alimentación del lactante y del niño pequeño tiene dos componentes fundamentales, cuya importancia varía con la edad del niño: la alimentación láctea y la alimentación complementaria. Las Guías Alimentarias para los niños menores de dos años, se refieren a la alimentación complementaria. La alimentación complementaria está constituida por todos aquellos alimentos diferentes de la leche humana o fórmulas que reciben los niños con el fin de asemejar su alimentación a la del niño mayor y del adulto. Utilizando las mismas bases que para las Guías Alimentarias Basadas en Alimentos para mayores de 2 años (GABA), hemos identificado 10 puntos, pasos o reglas principales a seguir en la alimentación de este grupo, cuya difusión consideramos de utilidad en lapráctica diaria de pediatras, nutricionistas y personal de salud que asiste o cuida de estos niños, para profundizar en el conocimiento del tema y guiar en forma práctica la alimentacióndel niño pequeño y la información y educación dirigida a madres y cuidadores. Estos pasos, se presentan, numeradas del 1 al 10 para facilitar su reconocimiento y se acompañan de una Guía para la planificación diaria del menú y de un recetario.
Descritores: Alimentos Infantis
Fórmulas Infantis
Nutrição do Lactente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Guia
Responsável: UY4.1 - Centro de Documentación
UY4.1; WS130DU7, @


  10 / 216 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: lil-518918
Autor: Uruguay. Ministerio de Salud Pública. Programa Nacional de Nutrición.
Título: Guía para la alimentación artificial del lactante / Guidelines for artificial infant feeding.
Fonte: Montevideo; Uruguay. Ministerio de Salud Pública; 2009. 46 p. tab.
Idioma: es.
Descritores: Alimentos Infantis
Fórmulas Infantis
Leite
Nutrição do Lactente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Responsável: UY4.1 - Centro de Documentación
UY4.1; WS120DU7, @, 4



página 1 de 22 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde