Base de dados : LILACS
Pesquisa : G07.203.650.566 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 61 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 61 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-962112
Autor: Coelho, Natália de Lima Pereira; Cunha, Diana Barbosa; Esteves, Ana Paula Pereira; Lacerda, Elisa Maria de Aquino; Theme Filha, Mariza Miranda.
Título: Dietary patterns in pregnancy and birth weight / Padrão de consumo alimentar gestacional e peso ao nascer
Fonte: Rev. saúde pública (Online);49:62, 2015. tab.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: OBJECTIVE To analyze if dietary patterns during the third gestational trimester are associated with birth weight.METHODS Longitudinal study conducted in the cities of Petropolis and Queimados, Rio de Janeiro (RJ), Southeastern Brazil, between 2007 and 2008. We analyzed data from the first and second follow-up wave of a prospective cohort. Food consumption of 1,298 pregnant women was assessed using a semi-quantitative questionnaire about food frequency. Dietary patterns were obtained by exploratory factor analysis, using the Varimax rotation method. We also applied the multivariate linear regression model to estimate the association between food consumption patterns and birth weight.RESULTS Four patterns of consumption - which explain 36.4% of the variability - were identified and divided as follows: (1) prudent pattern (milk, yogurt, cheese, fruit and fresh-fruit juice, cracker, and chicken/beef/fish/liver), which explained 14.9% of the consumption; (2) traditional pattern, consisting of beans, rice, vegetables, breads, butter/margarine and sugar, which explained 8.8% of the variation in consumption; (3) Western pattern (potato/cassava/yams, macaroni, flour/farofa/grits, pizza/hamburger/deep fried pastries, soft drinks/cool drinks and pork/sausages/egg), which accounts for 6.9% of the variance; and (4) snack pattern (sandwich cookie, salty snacks, chocolate, and chocolate drink mix), which explains 5.7% of the consumption variability. The snack dietary pattern was positively associated with birth weight (β = 56.64; p = 0.04) in pregnant adolescents.CONCLUSIONS For pregnant adolescents, the greater the adherence to snack pattern during pregnancy, the greater the baby's birth weight.

OBJETIVO Analisar se padrões de consumo alimentar durante o terceiro trimestre gestacional estão associados ao peso ao nascer.MÉTODOS Estudo longitudinal realizado nos municípios de Petrópolis e Queimados, RJ, entre 2007 e 2008. Foram analisados dados da primeira e segunda onda de seguimento de uma coorte prospectiva. O consumo alimentar de 1.298 gestantes foi aferido por meio de questionário de frequência alimentar semiquantitativo. Os padrões alimentares foram obtidos por análise fatorial exploratória, utilizando o método de rotação Varimax. Aplicou-se modelo de regressão linear multivariado para estimar a associação entre padrões de consumo alimentar e peso ao nascer.RESULTADOS Foram identificados quatro padrões de consumo, que explicam 36,4% da variabilidade, compostos da seguinte forma: (1) padrão prudente, composto por leite, iogurte, queijo, frutas e suco natural, biscoito sem recheio e carne de frango/boi/peixe/fígado, que explica 14,9% do consumo; (2) padrão tradicional, composto por feijão, arroz, vegetais, pães, manteiga/margarina e açúcar, que explica 8,8% da variação do consumo; (3) padrão ocidental, composto por batata/aipim/inhame, macarrão, farinha/farofa/angu, pizza/hambúrguer/pastel, refrigerante/refresco e carne de porco/salsicha/linguiça/ovo, que explica 6,9% da variância; e (4) padrão lanche, composto por biscoito recheado, biscoitos tipo salgadinhos, chocolate e achocolatado, que explica 5,7% da variabilidade de consumo. O padrão alimentar lanche associou-se positivamente com o peso ao nascer (β = 56,64; p = 0,04) em gestantes adolescentes.CONCLUSÕES Para as gestantes adolescentes, quanto maior a adesão ao padrão alimentar lanche durante a gestação, maior o peso ao nascer do bebê.
Descritores: Trimestres da Gravidez
Peso ao Nascer/fisiologia
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Comportamento Alimentar/fisiologia
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Inquéritos sobre Dietas
Estudos Longitudinais
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Adolescente
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Cardoso, Marly Augusto
Texto completo
Id: biblio-1014535
Autor: Campos, Chiara Alzineth Silva; Malta, Maira Barreto; Neves, Paulo Augusto Ribeiro; Lourenço, Bárbara Hatzlhoffer; Castro, Marcia C; Cardoso, Marly Augusto.
Título: Gestational weight gain, nutritional status and blood pressure in pregnant women / Ganho de peso gestacional, estado nutricional e pressão arterial de gestantes
Fonte: Rev. saúde pública (Online);53:57, jan. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To evaluate whether weekly gestational weight gain is associated with anemia, vitamin A insufficiency, and blood pressure levels in the third trimester of pregnancy. METHODS A prospective study with 457 pregnant women attending primary care in Cruzeiro do Sul, Acre. The weekly gestational weight gain rate measured between the second and third trimesters was classified as insufficient, adequate, and excessive according to the recommendations of the Institute of Medicine 2009. The outcomes at the beginning of the third gestational trimester were: anemia (Hb < 110 g/L), vitamin A insufficiency (serum retinol<1.05 μmol/L) and blood pressure levels (continuous values, in mmHg). Age-adjusted prevalence ratios, schooling, and use of vitamin and mineral supplements were calculated in Poisson regression models with robust variance. RESULTS A total of 18.6% of pregnant women had insufficient weekly weight gain, and 59.1% had excessive weight gain. The frequencies of anemia, vitamin A insufficiency and hypertension (systolic blood pressure ≥ 140 mmHg or diastolic ≥ 90 mmHg) were 17.5%, 13.4%, and 0.6%, respectively. The prevalence ratios for anemia among pregnant women with insufficient and excessive weight gain were 0.41 (95%CI 0.18-0.93) and 1.00 (95%CI 0.63-1.59), respectively, when compared to pregnant women with adequate weight gain. For vitamin A insufficiency, the adjusted prevalence ratio was significantly higher among pregnant women with insufficient weight gain (2.85, 95%CI 1.55-5.24) and no difference for excessive weight gain (1.53, 95%CI 0.84-2.74) when compared to pregnant women with adequate weight gain. Pregnant women with excessive weight gain had higher mean systolic blood pressure (111.10; 95%CI 109.9-112.2) when compared to pregnant women with insufficient weight gain (107.50; 95%CI 105.4-109.6) and adequate (106.20; 95%CI 104.3-108.20). CONCLUSIONS Insufficient weekly gestational weight gain was associated with the risk of vitamin A insufficiency. Excessive weight gain, in turn, was associated with higher blood pressure values at the beginning of the third gestational trimester.

RESUMO OBJETIVO Avaliar se o ganho de peso gestacional semanal está associado à anemia, à insuficiência de vitamina A e a níveis pressóricos no terceiro trimestre gestacional. MÉTODOS Estudo prospectivo com 457 gestantes assistidas na atenção básica em Cruzeiro do Sul, Acre. A taxa de ganho de peso gestacional semanal medida entre o segundo e o terceiro trimestres foi classificada em insuficiente, adequada e excessiva segundo recomendações do Institute of Medicine 2009. Os desfechos no início do terceiro trimestre gestacional foram: anemia (Hb < 110 g/L), insuficiência de vitamina A (retinol sérico < 1,05 µmol/L) e níveis pressóricos (valores contínuos, em mmHg). Razões de prevalência ajustadas por idade, escolaridade e uso de suplementos de vitaminas e minerais foram calculadas em modelos de regressão de Poisson com variância robusta. RESULTADOS No total, 18,6% das gestantes apresentaram ganho de peso semanal insuficiente e 59,1% ganho de peso excessivo. As frequências de anemia, insuficiência de vitamina A e hipertensão (pressão arterial sistólica ≥ 140 mmHg ou diastólica ≥ 90 mmHg) foram 17,5%, 13,4% e 0,6%, respectivamente. As razões de prevalência para anemia entre gestantes com ganho de peso insuficiente e excessivo foram 0,41 (IC95% 0,18-0,93) e 1,00 (IC95% 0,63-1,59), respectivamente, quando comparadas às gestantes com ganho de peso adequado. Para insuficiência de vitamina A, a razão de prevalência ajustada foi significantemente maior entre gestantes com ganho de peso insuficiente (2,85; IC95% 1,55-5,24) e sem diferença para ganho de peso excessivo (1,53; IC95% 0,84-2,74) quando comparada às gestantes com ganho de peso adequado. As gestantes com ganho de peso excessivo apresentaram valores médios de pressão arterial sistólica maiores (111,10; IC95% 109,9-112,2) quando comparadas às gestantes com ganho de peso insuficiente (107,50; IC95% 105,4-109,6) e adequado (106,20; IC95% 104,3-108,20). CONCLUSÕES O ganho de peso gestacional semanal insuficiente foi associado ao risco para insuficiência de vitamina A. O ganho de peso excessivo, por sua vez, foi associado a valores pressóricos maiores no início do terceiro trimestre gestacional.
Descritores: Pressão Sanguínea
Estado Nutricional
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Ganho de Peso na Gestação
-Complicações na Gravidez
Terceiro Trimestre da Gravidez
Brasil/epidemiologia
Índice de Massa Corporal
Saúde da Criança
Estudos Prospectivos
Fatores de Risco
Saúde Materna
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1014536
Autor: Zuccolotto, Daniela Cristina Candelas; Crivellenti, Lívia Castro; Franco, Laércio Joel; Sarotelli, Daniela Saes.
Título: Dietary patterns of pregnant women, maternal excessive body weight and gestational diabetes / Padrões alimentares de gestantes, excesso de peso materno e diabetes gestacional
Fonte: Rev. saúde pública (Online);53:52, jan. 2019. tab.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To investigate the relationship between the dietary patterns of pregnant women with maternal excessive body weight and gestational diabetes mellitus. METHODS A cross-sectional study conducted with a convenience sample of 785 adult pregnant women attended by the Unified Health System of Ribeirão Preto, state of São Paulo, between 2011 and 2012. Two 24-hour dietary recalls, corrected by the multiple source method, were employed . For the classification of the body mass index and the diagnosis of gestational diabetes mellitus, the criteria by Atalah and the World Health Organization were used, respectively. Dietary patterns were obtained by principal component analysis using the Varimax rotation method. The relationship between adherence to patterns, overweight and obesity was analyzed by multinomial logistic regression models and the relationship with gestational diabetes mellitus by adjusted unconditional logistic regression models. RESULTS We identified four dietary patterns: "traditional Brazilian"; "snacks"; "coffee" and "healthy". Women with a higher adherence to the "Healthy" (OR = 0.52; 95%CI 0.33-0.83) and "Brazilian Traditional" patterns (OR = 0.61; 95%CI 0.38-0.96) presented a lower chance of obesity, when compared to women with lower adherence, regardless of confounding factors. After adjustment for maternal excessive body weight, there was no association between dietary patterns and gestational diabetes mellitus. CONCLUSIONS Among the pregnant women, greater adherence to "traditional Brazilian" and "healthy" patterns was inversely associated with obesity, but no relationship was identified with gestational diabetes mellitus after adjusting for excessive body weight. Prospective studies are recommended to investigate the relationship between dietary patterns, overweight and gestational diabetes mellitus, reducing the chance of reverse causality.

RESUMO OBJETIVO Investigar a relação entre os padrões alimentares de gestantes com o excesso de peso materno e o diabetes mellitus gestacional. MÉTODOS Estudo transversal conduzido em uma amostra de conveniência de 785 gestantes adultas atendidas pelo Sistema Único de Saúde de Ribeirão Preto, SP, entre 2011 e 2012. Dois inquéritos recordatórios de 24 horas, corrigidos pelo multiple source method, foram empregados . Para a classificação do índice de massa corporal e do diagnóstico do diabetes mellitus gestacional, utilizou-se os critérios de Atalah e da Organização Mundial da Saúde, respectivamente. Os padrões alimentares foram obtidos por análise de componentes principais, utilizando o método de rotação Varimax . A relação entre a adesão aos padrões e sobrepeso e obesidade foi analisada por modelos de regressão logística multinomial e a relação entre adesão aos padrões e diabetes mellitus gestacional, por modelos de regressão logística não condicional ajustados. RESULTADOS Identificamos quatro padrões alimentares: "tradicional brasileiro"; "lanches"; "café" e "saudável". Observou-se que mulheres com maior adesão ao padrão "saudável" (OR = 0,52; IC95% 0,33-0,83) e "tradicional brasileiro" (OR = 0,61; IC95% 0,38-0,96) apresentaram menor chance de obesidade que as mulheres com menor adesão, independentemente de fatores de confusão. Após ajuste pelo excesso de peso materno, não houve associação entre os padrões alimentares e o diabetes mellitus gestacional. CONCLUSÕES Entre as gestantes, a maior adesão aos padrões "tradicional brasileiro" e "saudável" foi inversamente associada à obesidade, mas nenhuma relação foi identificada com o diabetes mellitus gestacional após ajuste pelo excesso de peso. Estudos prospectivos são recomendados para investigar a relação entre padrões alimentares e excesso de peso e diabetes mellitus gestacional, reduzindo a chance de causalidade reversa.
Descritores: Diabetes Gestacional/etiologia
Dieta/efeitos adversos
Sobrepeso/complicações
Obesidade/complicações
-Brasil
Ganho de Peso
Índice de Massa Corporal
Métodos Epidemiológicos
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Comportamento Alimentar
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1020655
Autor: Mardones, Lorena; Villagrán, Marcelo; Lanuza, Fabián; Leiva, Ana María; Troncoso, Claudia; Martínez-Sanguinetti, María Adela; Petermann-Rocha, Fanny; Celis-Morales, Carlos.
Título: La trascendencia de la alimentación prenatal: desde la hambruna holandesa hasta la realidad chilena / The transcendence of prenatal feeding: from the Dutch hunger to the Chilean reality
Fonte: Rev. chil. pediatr;90(4):456-457, ago. 2019.
Idioma: es.
Descritores: Efeitos Tardios da Exposição Pré-Natal/epidemiologia
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna/fisiologia
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Pré-Natal/fisiologia
-Chile
Epigênese Genética
Países Baixos
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Carta
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  5 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1011160
Autor: Tapia-Martínez, Jorge; Franco-Colín, Margarita; Ortiz-Butron, Rocio; Pineda-Reynoso, Marisol; Cano-Europa, Edgar.
Título: Hypothyroid offspring replacement with euthyroid wet nurses during lactation improves thyroid programming without modifying metabolic programming
Fonte: Arch. endocrinol. metab. (Online);63(3):199-207, May-June 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CONACyT; . CONACyT; . CONACyT.
Resumo: ABSTRACT Objective Determine the milk quality effect during lactation on the metabolic and thyroid programming of hypothyroid offspring. Materials and methods Ten-week-old female Wistar rats were divided into two groups: euthyroid and thyroidectomy-caused hypothyroidism. The rats were matted and, one day after birth, the pups were divided into three groups: euthyroid offspring (EO), hypothyroid offspring (HO) and hypothyroid with a euthyroid replacement wet nurse (HRO). During lactation, the milk quality and offspring body length were evaluated. The body weight and energy intake were determined on a weekly basis, as well as the metabolic profile at the prepubertal (P35-36) and postpubertal (P55-56) ages. At P56, the animals were sacrificed, the adipose tissues were weighed and the thyroid glands were dissected for histological processing. Results The milk of the hypothyroid wet nurse decreases proteins (16-26%), lipids (22-29%) and lactate (22-37%) with respect to euthyroid. The HO has a lower body weight gain (23-33%), length (11-13%) and energy intake (15-21%). In addition, HO presents impaired fasting glucose and dyslipidemia, as well as a reduction in seric thyroid hormone (18-34%), adipose reserves (26-68%) and thyroid gland weight (25-34%). The HO present thyroid gland cytoarchitecture alteration. The HRO develop the same metabolic alterations as the HO. However, the thyroid gland dysfunction was partially prevented because the HRO improved under about 10% of the serum thyroid hormone concentration, the thyroid gland weight although histological glandular changes presented. Conclusions The replacement of hypothyroid offspring with a euthyroid wet nurse during lactation can improve the thyroid programming without modifying metabolic programming.
Descritores: Hormônios Tireóideos/metabolismo
Lactação/metabolismo
Hipotireoidismo Congênito/metabolismo
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
-Glândula Tireoide/patologia
Ratos Wistar
Modelos Animais de Doenças
Limites: Animais
Feminino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Monteiro, Jacqueline Pontes
Vannucchi, Hélio
Id: lil-455286
Autor: Monteiro, Jacqueline Pontes(coord); Camelo Júnior, José Simon(coord); Vannucchi, Helio(edt).
Título: Caminhos da nutrição e terapia nutricional: da concepção à adolescência / Paths on nutrition and nutricional therapy: from conception to adolescence.
Fonte: Rio de Janeiro; Guanabara Koogan; c2007. xxxi,602 p. ilus, tab, graf. (Nutrição e metabolismo).
Idioma: pt.
Descritores: Dietoterapia
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Infantil
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Pré-Natal
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Adolescente
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente
Metabolismo
Terapia Nutricional
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência
BR67.1; 612.39, 85. 48455/2007; BR191.1; QU145, C146


  7 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bonilha, Ana Lúcia de Lourenzi
Id: lil-462168
Autor: Gonçalves, Annelise de Carvalho; Bonilha, Ana Lucia de Lourenzi.
Título: Crenças e práticas da nutriz e seus familiares relacionadas ao aleitamento materno / Beliefs and practices of nursing mothers and of their families in relation to breastfeeding
Fonte: Rev. gaúch. enferm;26(3):333-344, dez. 2005.
Idioma: pt.
Resumo: Trata-se de estudo qualitativo descritivo-exploratório que teve por objetivo conhecer crenças e práticas da nutriz e de seus familiares sobre aleitamento materno. Participaram nove nutrizes e oito familiares de uma vila de Porto Alegre, Brasil. Utilizou-se a entrevista semi-estruturada como instrumento de coleta de dados. Os temas encontrados foram relacionados a crenças e práticas referentes a vantagens da amamentação ao lactente e à nutriz, muitas destas originadas da família. O estudo ressalta a importância dos profissionais de saúde conhecerem e utilizarem as crenças da nutriz e de seus familiares de modo a favorecer o sucesso do aleitamento materno
Descritores: Aleitamento Materno
Características Culturais
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente
Lactação
-Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR18.1 - Biblioteca FAMED/HCPA


  8 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-520981
Autor: Sales, Adriana Lima de; Lopes, Adriana Lima de.
Título: Indicadores clínicos de diagnósticos de enfermagem relacionados ao estado nutricional / Nursing diagnosis clinical indicators related to the nutritional state
Fonte: Rev. RENE;9(2):73-81, abr.-jun. 2008.
Idioma: pt.
Resumo: A avaliação do estado nutricional é um procedimento complexo, sobretudo no nordeste brasileiro onde predominam duas realidades distintas: a desnutrição e o sobrepeso/obesidade. Esta situação complica-se quando nos reportamos para gestantes, quando a qualidade das consultas de pré-natal realizadas por enfermeiros é de grande importância. O objetivo do estudo foi analisar os indicadores clínicos contidos nos registros de enfermagem de gestantes que apresentaram os diagnósticos de enfermagem nutrição desequilibrada que realizaram o pré-natal num Centro de Parto Natural.Foram avaliados 116 prontuários dos quais encontramos 90 registros dos diagnósticos em questão. Os resultados demonstraram que os acadêmicos e profissionais utilizaram inadequadamente a taxonomia da NANDA, construindo os diagnósticos de forma inacurada, deixando de utilizar características consideradas importantes. Conclui-se que existe a necessidade de maior atenção ao registro das características definidoras destes diagnósticos.
Descritores: Avaliação Nutricional
Diagnóstico de Enfermagem
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  9 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-841316
Autor: Melo, Larisse Rayanne Miranda de; Clemente, Heleni Aires; Bezerra, Dalila Fernandes; Dantas, Raquel Costa Silva; Ramalho, Héryka Myrna Maia; Dimenstein, Roberto.
Título: Effect of maternal supplementation with vitamin E on the concentration of α-tocopherol in colostrum / Efeito da suplementação materna com vitamina E sobre a concentração de α-tocopherolol no colostro
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);93(1):40-46, Jan.-Feb. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract: Objective: To evaluate the effect of maternal supplementation with vitamin E on the concentration of α-tocopherol in colostrum and its supply to the newborn. Method: This randomized clinical trial enrolled 99 healthy adult pregnant women; of these, 39 were assigned to the control group and 60 to the supplemented group. After an overnight fast, 5 mL of blood and 2 mL of colostrum were collected. After the first sampling (0 h milk), the supplemented group received 400 IU of supplementary vitamin E. Another 2 mL milk aliquot was collected in both groups 24 h after supplementation (24 h milk). The samples were analyzed by high-performance liquid chromatography. The α-tocopherol content provided by colostrum was calculated by considering a daily intake of 396 mL of milk and comparing the resulting value to the recommended daily intake for infants aged 0-6 months (4 mg/day). Results: The initial mean concentration of α-tocopherol in colostrum was 1509.3 ± 793.7 µg/dL in the control group and 1452.9 ± 808.6 µg/dL in the supplemented group. After 24 h, the mean α-tocopherol concentration was 1650.6 ± 968.7 µg/dL in the control group (p > 0.05) and 2346.9 ± 1203.2 µg/dL in the supplemented group (p < 0.001), increasing the vitamin E supply to the newborn to 9.3 mg/day. Initially, 18 women in the supplemented group provided colostrum α-tocopherol contents below 4 mg/day; after supplementation only six continued to provide less than the recommended amount. Conclusion: Maternal vitamin E supplementation increases the supply of the vitamin to the infant by providing more than twice the Recommended Daily Intake.

Resumo: Objetivo: Avaliar o efeito da suplementação materna com vitamina E sobre a concentração de α-tocoferol no colostro e o fornecimento dessa para o recém-nascido. Método: O estudo clínico randomizado foi feito com 99 parturientes adultas e saudáveis, 39 alocadas no grupo controle e 60 no grupo suplementado. Após jejum noturno, foram coletados 5 mL de sangue e 2 mL de colostro das parturientes. Após a primeira coleta (leite 0 h), o grupo suplementado recebeu suplementação com 400 UI de vitamina E. Foi feita nova coleta de 2 mL de colostro, em ambos os grupos, 24 h após a suplementação (leite 24 h). As amostras foram analisadas por cromatografia líquida de alta eficiência. A quantidade de α-tocoferol fornecida pelo colostro foi considerada para uma ingestão diária de 396 mL de leite e comparada com a ingestão diária recomendada para crianças de 0 a 6 meses (4 mg/dia). Resultados: A concentração média inicial de α-tocoferol no colostro foi de 1.509,3 ± 793,7 µg/dL no grupo controle e 1.452,9 ± 808,6 µg/dL no grupo suplementado. Após 24 horas a concentração média de α-tocoferol no grupo controle foi de 1.650,6 ± 968,7 µg/dL (p > 0,05) e de 2.346,9 ± 1203,2 µg/dL (p < 0,001) no grupo suplementado. Aumentou-se assim a oferta de vitamina E para o recém-nascido para 9,3 mg/dia. Inicialmente 18 mulheres do grupo suplementado forneciam valores inferiores a 4 mg/dia de α-tocoferol em seu colostro, após suplementação apenas seis continuaram a fornecer quantidade inferior ao recomendado. Conclusão: A suplementação materna com vitamina E promove o aumento do fornecimento da vitamina para o recém-nascido e fornece mais do que o dobro da ingestão diária recomendada.
Descritores: Vitamina E/análise
Vitaminas/análise
Colostro/química
alfa-Tocoferol/análise
Leite Humano/química
-Vitamina E/administração & dosagem
Vitaminas/administração & dosagem
Lactação
Suplementos Nutricionais/análise
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
Limites: Humanos
Feminino
Recém-Nascido
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 61 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-894119
Autor: Gurgel, Cristiane Santos Sânzio; Grilo, Evellyn C; Lira, Larissa Q; Assunção, Débora G F; Oliveira, Priscila G; Melo, Larisse R M de; Medeiros, Silvia V de; Pessanha, Luanna C; Dimenstein, Roberto; Lyra, Clélia O.
Título: Vitamin A nutritional status in high- and low-income postpartum women and its effect on colostrum and the requirements of the term newborn / Estado nutricional de vitamina A de puérperas de alta e baixa renda e seu efeito sobre o colostro e a necessidade do recém-nascido a termo
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);94(2):207-215, Mar.-Apr. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective To evaluate the vitamin A status in serum and colostrum of postpartum women with different socioeconomic status, comparing the colostrum retinol supply with the vitamin A requirement of the newborn. Methods Cross-sectional study conducted with 424 postpartum women. Vitamin A maternal dietary intake was estimated using a food frequency questionnaire. Colostrum and serum retinol levels were measured by high performance liquid chromatography (HPLC). Serum retinol concentrations <20 µg/dL were indicative of vitamin A deficiency (VAD). Vitamin A levels provided by colostrum <400 µgRAE/day were considered as insufficient for term newborns. Results The mean maternal vitamin A intake during pregnancy was 872.2 ± 639.2 µgRAE/day in low-income women and 1169.2 ± 695.2 µgRAE/day for high-income women (p < 0.005). The prevalence of vitamin A deficiency was 6.9% (n = 18) in the low-income group and 3.7% (n = 6) in the high-income group. The estimated mean retinol intake by infants of the high- and low-income mothers were 343.3 µgRAE/day (85.8% AI) and 427.2 µgRAE/day (106.8% AI), respectively. Conclusions Serum vitamin A deficiency was considered a mild public health problem in both populations; however, newborns of low-income women were more likely to receive lower retinol levels through colostrum when compared with newborns of high-income mothers.

Resumo Objetivo Avaliar o estado nutricional de vitamina A no soro e colostro de puérperas com diferentes condições de renda, comparando os níveis de retinol fornecido através do colostro coma necessidade de vitamina A do recém-nascido. Métodos Estudo transversal com 424 mulheres pós-parto. A ingestão de vitamina A dietética pelas mães foi estimada através de um questionário de frequência do consumo alimentar. Os níveis retinol no soro e colostro foram quantificados por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). Concentrações de retinol <20 µg/dL no soro foram indicativas de vitamin A deficiency. Os níveis de vitamina A fornecidas pelo colostro < 400 µg/RAE/dia foram considerados insuficientespara os recém-nascidos a termo. Resultados A ingestão média de vitamina A das mães durante a gravidez foi de 872,2 ± 639,2 µgRAE/dia em mulheres de baixa renda e 1169,2 ± 695,2 µgRAE/dia em mulheresde alta renda (p < 0,005). A prevalência de vitamin A deficiency foi de 6,9% (n = 18) no grupo de baixa renda e de 3,7% (n = 6) no grupo de alta renda. A estimativa dos valores médios de ingestão de retinol por lactentes de mães de baixa e alta renda foi de 343,3 µg/RAE/dia (85,8%AI) e 427,2 µg/RAE/dia (106,8% AI), respectivamente. Conclusões A vitamin A deficiency no soro foi prevalente em ambas as populações, entretanto, recém-nascidos de mães de baixa renda foram mais propensos a receberem níveis inferiores de retinol no colostro em comparação com recém-nascidos de mães de alta renda.
Descritores: Fatores Socioeconômicos
Vitamina A/sangue
Deficiência de Vitamina A/diagnóstico
Colostro/química
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Materna
-Inquéritos sobre Dietas
Estudos Transversais
Período Pós-Parto
Necessidades Nutricionais
Limites: Humanos
Feminino
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde