Base de dados : LILACS
Pesquisa : G07.345.249.845 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 16 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 16 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-949339
Autor: Romano, Catalina S; Mersich, Susana Esther.
Título: Los vectores virales y su relación con la bioseguridad en el laboratorio / Viral vectors and their relationship with biosafety in the laboratory / Vetores virais e sua relação com a biossegurança no laboratório
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;52(2):251-259, jun. 2018. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Los vectores virales constituyen un amplio grupo de agentes usados en los laboratorios de biología molecular y microbiología, para transferir ácido nucleico externo dentro de una célula "blanco". Estos laboratorios requieren medidas de bioseguridad para proteger al personal, el ambiente de trabajo y la población en general de exposiciones no intencionales a estos agentes biológicos. Esta revisión incluye definiciones y generalidades sobre los vectores más usados, así como consideraciones sobre los niveles de bioseguridad necesarios, teniendo en cuenta tanto la constitución genética del vector original, como el tipo de inserto que se quiera clonar y expresar en una determinada célula. Además se describen diferentes propiedades de los vectores como el tropismo, las distintas formas de transmisión, la estabilidad del agente viral y su persistencia, que resultan claves para determinar el grupo de riesgo. Dentro de las condiciones de trabajo adecuadas se incluyen medidas de contención, ensayos de riesgo ambiental y una breve descripción de la biocustodia. Finalmente se destaca el papel de los Comités de Bioseguridad Institucional, como elemento crítico en las actividades necesarias para impedir las exposiciones y proteger al personal del laboratorio y al medio ambiente.

Viral vectors are a broad group of agents used in molecular biology and microbiology laboratories to transfer exogen nucleic acid. These labs require biosafety measures designed to protect their staff, the population and the environment that may be unintentionally exposed to hazardous organisms. This review includes general properties of known vectors, variations in biosafety levels in relation to original vector genetics and the type of insert to be cloned and expressed in a determined cell. It is also important to consider other issues such as transmission, stability and persistence to determine the vector risk group. Under adequate working conditions, containment measures, risk assays and a short description on biosecurity are included. Finally the function of Institutional Biosafety Committees is a critical element to advise on measures needed to prevent exposures and protect laboratory workers and the environment.

Os vetores virais constituem um amplo grupo de agentes utilizados nos laboratórios de biologia molecular e microbiologia para transferir ácido nucleico externo para uma célula "alvo". Esses laboratórios exigem medidas de biossegurança para proteger o pessoal, o ambiente de trabalho e a população em geral de exposições não intencionais a esses agentes biológicos. Esta revisão inclui definições e generalidades sobre os vetores mais comumente usados, bem como considerações sobre os níveis de biossegurança necessários, levando em consideração a constituição genética do vetor original e o tipo de enxerto a ser clonado e expresso numa célula específica. Além disso, são descritas diferentes propriedades dos vetores, como o tropismo, as diferentes formas de transmissão, a estabilidade do agente viral e a sua persistência, dados-chave para a determinação do grupo de risco. As condições de trabalho adequadas incluem medidas de contenção, testes de risco ambiental e uma breve descrição da biocustódia. Finalmente, o papel das Comissões Institucionais de Biossegurança é destacado como um elemento crítico nas atividades necessárias para prevenir exposições e para proteger o pessoal de laboratório e o meio ambiente.
Descritores: Transmissão de Doença Infecciosa
Contenção de Riscos Biológicos
-Virologia
Ambiente de Trabalho
Condições de Trabalho
Fatores Biológicos
Tropismo
Riscos Ambientais
Contenção de Riscos Biológicos
Exposições como Assunto
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  2 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-619662
Autor: Zaparoli, Mayra Simioni.
Título: Caracterização molecular da região do envelope do HIV-1 em crianças e adolescentes da cidade de São Paulo, Brasil / Molecular characterization of HIV-1 envelope in children and teenager in São Paulo city, Brazil.
Fonte: São Paulo; s.n; 2011. [99] p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a São Paulo(Estado) Secretaria da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Programa de Pós Graduação em Ciências para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Introdução: O manejo de crianças vivendo com HIV/AIDS é um desafio e pode ser beneficiado com informações adicionais para subsidiar as decisões clínicas. Foram avaliados dados clínicos e laboratoriais a partir de uma coorte pediátrica em São Paulo, Brasil, visando a identificação de marcadores de prognóstico da doença. Métodos: Todas as crianças foram acompanhadas em uma unidade pediátrica de referência em São Paulo, Brasil. Todas as crianças com consentimento do estudo e informações de acompanhamento foram incluídas. Foi realizado sequenciamento parcial do gene do envelope do HIV-1 das amostra disponíveis (plasma ou PBMC). As amostras foram amplificadas por nested PCR, sequenciados com ABI3100 usando Big Dye e as sequências foram editadas manualmente. As taxas de falso positivo (FPRs, predição genotípica do tropismo viral) foram avaliadas pelo website geno2-pheno[co-receptores]. Os desfechos de evolução da doença avaliados foram: 1- aviremia (CV < 1.7cópias/mL versus viremia detectável); e 2- Progressão da doença (TCD4> 350cels/mm3 e clinicamente assintomáticos versus sintomas ou TCD4 <350cels/mm3). EpiInfo6 e Stata 8 foram utilizados para análise estatística e valores de p<0.05 foram considerados.Resultados: Das 87 crianças incluídas, 71 tiveram acompanhamento por mais de um ano. Foi observado que 45% do sexo masculino, com idade mediana de 8 anos (1-15). Na entrada, 86% apresentavam sintomas, com mediana de TCD4 e carga viral respectivamente de 454 células/mm3 e 5.1 log10. Na última avaliação, 75% eram assintomáticos, 37% avirêmicos, com mediana de linfócitos TCD4 470cels/mm3. O tropismo viral R5 na entrada foi observado em 57% dos pacientes e esteve associada a valores de TCD4 mais elevados durante o seguimento e a sintomatologia, quando comparados com pacientes X4. Aviremia foi associado ao uso de HAART como primeiro esquema, CV indetectável durante o seguimento e adesão boa ao TARV. A progressão boa da doença foi...
Descritores: HIV-1
Progressão da Doença
Tropismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação
BR91.2; W4, Z35, 2011


  3 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1048798
Autor: Caldas, Gabriela Cardoso.
Título: Modelo murino imunocompetente para estudo da infecção pelo vírus dengue sorotipo 3: aspectos morfológicos, viremia e tropismo / Immunocompetent murine model for studying dengue serotype 3 virus infection: morphological aspects, viremia and tropism.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2019. xxiii, 162 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Oswaldo Cruz para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Diversos estudos epidemiológicos já correlacionaram a infecção pelo DENV-3 a quadros graves, tanto em infecções primárias quanto secundárias e, no Brasil, este sorotipo apresenta maior associação a sinais e sintomas mais graves, incluindo choque, dor abdominal e exantema, em comparação aos demais sorotipos. O estabelecimento de modelos animais para estudos das infecções pelos DENV é de grande relevância para a pesquisa sobre patogênese, imunidade, desenvolvimento e teste de fármacos e candidatas a vacinas. Porém, para tal, são inúmeros os desafios, uma vez que os vírus epidêmicos circulantes não infectam naturalmente espécies não-humanas. Diante deste cenário, este estudo teve como objetivo principal verificar através de análises de hemograma, bioquímicas, morfológicas e moleculares possíveis alterações histopatológicas e fisiopatológicas, assim como a presença do genoma do DENV em diferentes órgãos, soro, saliva e urina de camundongos BALB/c infectados experimentalmente com o DENV-3 epidêmico e não neuroadaptado

Camundongos BALB/c machos, de 2 meses de idade foram infectados com DENV-3 pela via intravenosa e eutanasiados em 72 h.p.i, 7 e 14 d.p.i, de acordo com as análises a serem realizadas. Análises histopatológicas, ultraestruturais e histomorfométricas a partir de amostras de todos os órgãos estudados revelaram alterações semelhantes às observadas em casos humanos de DEN. Partículas semelhantes aos DENV foram detectadas em célula intersticial renal. Discretas alterações bioquímicas, como a elevação do nível de creatinina e ureia e diminuição do nível de colesterol total foram observadas nos camundongos infectados, ao longo da cinética experimental. Em relação às alterações no hemograma, foi observado aumento do hematócrito e diminuição da contagem de plaquetas nos camundongos infectados. Apesar de ter sido observada baixa viremia em camundongos 72 h.p.i, o genoma viral foi detectado em todos os órgãos testados, além da saliva. Estes resultados demonstram a suscetibilidade do camundongo BALB/c à infecção pelo DENV-3. (AU)
Descritores: Tropismo
Modelos Animais
Vírus da Dengue
Muridae
Limites: Animais
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  4 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-709629
Autor: Appolonio, Paulo Roberto; Mattar, Thiago; Costa, Alexandre Barros; Valesin Filho, Edgar Santiago; Rodrigues, Luciano Miller Reis.
Título: Thickening of spine ligamentum flavum and facet tropism / Espessamento do ligamento amarelo da coluna vertebral e tropismo facetário / Engrosamiento del ligamento amarillo de la columna vertebral y tropismo facetario
Fonte: Coluna/Columna;13(1):39-42, Jan-Mar/2014. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: This study investigated the thickening of the ligamentum flavum (LF) and its correlation with facet tropism and its severity at different levels of the spine. METHOD: This retrospective study was performed with patients with chronic back pain consecutively admitted to a specialized spinal surgery service between January 2012 and January 2013. All patients underwent magnetic resonance imaging (MRI) to measure the thickness of the LF and facet tropism severity (severe, moderate or absent) according to the spine levels (L3 -L4, L4-L5, L5-S1). The association between the thickness of LF and facet tropism was analyzed. RESULTS: During the study period, 98 consecutive patients were enrolled with a mean age of 53.6 years, most women (59.2%). There was no significant difference between the thicknesses of the ligament and the presence of tropism in different spinal levels (p > 0.05). The thickness of LF was significantly associated with the severity of tropism only in L5-S1 level (p < 0.03). CONCLUSIONS: Our results show that there is a positive relationship between severe facet tropism and increased thickness of the LF in the L5-S1 level. .

OBJETIVO: Este estudo investigou se o espessamento do ligamento amarelo (LA) está correlacionado com a presença de tropismo facetário e sua gravidade nos diferentes níveis da coluna vertebral. MÉTODO: Este estudo retrospectivo foi realizado com pacientes com dor lombar crônica, consecutivamente admitidos em serviço especializado em cirurgia da coluna vertebral entre janeiro de 2012 e janeiro de 2013. Todos foram submetidos a exames de ressonância magnética (RM) para mensurar a espessura do LA e a gravidade do tropismo facetário (grave, moderada e ausente) conforme os níveis da coluna (L3-L4, L4-L5, L5-S1). Foi analisada a associação entre a espessura do LA e o tropismo. RESULTADOS: No período do estudo, foram admitidos 98 pacientes, com média de idade de 53,6 anos, maioria de mulheres (59,2%). Não foi verificada diferença significativa entre as espessuras dos ligamentos e a presença de tropismo nos diferentes níveis (p > 0,05). A espessura do LA associou-se significativamente à gravidade do tropismo apenas no nível L5-S1 (p < 0,03). CONCLUSÕES: Os resultados do nosso estudo mostram que existe uma relação positiva entre tropismo facetário grave e aumento da espessura do LA no nível L5-S1. .

OBJETIVO: Este estudio investigó si el engrosamiento del ligamento amarillo (LA) se correlaciona con la presencia de tropismo facetario y su gravedad en diferentes niveles de la columna vertebral. MÉTODO: Estudio retrospectivo se realizó con pacientes con dolor de espalda crónico, ingresados consecutivamente al servicio especializado en cirugía de columna entre enero de 2012 y enero de 2013. Todos los pacientes fueron sometidos a una resonancia magnética (MRI) para medir el espesor del LA y la gravedad de tropismo facetario (grave, moderada o ausente) según los diversos niveles (L3-L4, L4-L5 y L5-S1). Se analizó la asociación entre el espesor del LA y el tropismo. RESULTADOS: Durante el período de estudio, 98 pacientes fueron incluidos, con edad promedio de 53,6 años, siendo la mayoría mujeres (59,2%). No hubo diferencia significativa entre los espesores de los ligamentos y la presencia de tropismo en niveles diferentes (p> 0,05). El espesor del LA se asoció significativamente con la gravedad del tropismo solo en el nivel L5-S1 (p <0,03). CONCLUSIONES: Los resultados de nuestro estudio muestran que existe una relación positiva entre la severidad del tropismo facetario y el aumento del espesor del LA en el nivel L5-S1. .
Descritores: Ligamento Amarelo/anormalidades
-Dor Lombar
Tropismo
Disco Intervertebral
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  5 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-890930
Autor: Tisot, Rodrigo Arnold; Vieira, Juliano da Silveira; Collares, Diego da Silva; Stumm, Leonardo Domingues; Fontana, Mariano Feraboli; Pasini, Augusto; Coronel, Eduardo; Scharnovski, Eduardo; Agostini, Maiara; Borin, Mateus; Kasper, Victor; Sánchez, Victor; Iserhard, Walter.
Título: Influence of facet tropism on the location of lumbar disc herniation / A influência do tropismo facetário sobre a localização da hérnia discal lombar / Influencia del tropismo facetario en la ubicación de la hernia de disco lumbar
Fonte: Coluna/Columna;17(1):23-26, Jan.-Mar. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To correlate facet tropism with the side and location of the intervertebral disc in which the lumbar disc herniation occurred. Methods: A retrospective descriptive study that evaluated Magnetic Resonance Imaging of 255 patients with lumbar disc herniation undergoing surgical treatment with the Spine Group of the Hospital Ortopédico de Passo Fundo between 2002 and 2014. The total patient number was stratified according to the side affected by the herniated disc (right or left), location of the hernia in the intervertebral disc (central, centrolateral, foraminal and extraforaminal) and demographic data, such as age, gender etc. The degree of facet joint tropism was measured by the Karakan method and classified as mild (difference less than 7º); moderate (between 7º and 15º) and severe (difference greater than 15º). Results: A statistical significant relationship (p= 0.023) was observed between the facet joint tropism and the side where the lumbar disc herniation occurred. No correlation was found between facet joint tropism and location of the herniation on the intervertebral disc. Conclusions: The degree of facet tropism presents a statistical significant correlation with the side of the intervertebral disc in which the lumbar disc herniation will develop. Level of Evidence: II. Type of study: Retrospective study.

RESUMO Objetivo: Correlacionar o tropismo facetário com o lado e local do disco intervertebral no qual ocorreu a hérnia discal lombar. Métodos: Estudo retrospectivo descritivo, no qual foram avaliados exames de Ressonância Nuclear Magnética de 255 pacientes com hérnia discal lombar submetidos a tratamento cirúrgico pelo Grupo de Coluna do Hospital Ortopédico de Passo Fundo, entre os anos de 2002 e 2014. Estratificou-se o total de pacientes pelo lado acometido pela hérnia discal (direito ou esquerdo), localização da hérnia no disco intervertebral (central, centro-lateral, foraminal e extra-foraminal) e por dados epidemiológicos, como idade, sexo etc. O grau de tropismo facetário foi mensurado pelo método de Karakan e classificado entre leve (diferença menor que 7º), moderado (entre 7º e 15º) e grave (diferença maior que 15º). Resultados: Foi verificada relação estatisticamente significativa (p= 0,023) entre o tropismo facetário e o lado em que ocorreu a hérnia discal lombar. Não foi encontrada correlação entre tropismo facetário e localização da hérnia discal no disco intervertebral. Conclusão: O grau de tropismo facetário apresenta correlação estatisticamente significativa com o lado do disco intervertebral no qual irá se desenvolver a hérnia discal. Nível de Evidência: II. Tipo de Estudo: Estudo retrospectivo.

RESUMEN Objetivo: Correlacionar el tropismo facetario con el lado y local del disco intervertebral en el cual ocurrió la hernia del disco lumbar. Métodos: Estudio retrospectivo descriptivo, en el fueron evaluados exámenes de resonancia magnética nuclear de 255 pacientes con hernia discal lumbar sometidos a tratamiento quirúrgico por el Grupo de Columna Vertebral del Hospital Ortopédico de Passo Fundo, entre los años 2002 y 2014. El número total de pacientes fue estratificado de acuerdo con el lado acometido por la hernia discal (izquierda o derecha), localización de la hernia en el disco intervertebral (central, centro-lateral, foraminal o extra-foraminal) y datos epidemiológicos como edad, sexo etc. El grado de tropismo facetario fue medido por el método de Karakan y clasificado como leve (diferencia menor que 7º), moderado (entre 7º y 15º) y grave (diferencia mayor que 15º). Resultados: Se verificó una relación estadísticamente significativa (p = 0,023) entre el tropismo facetario y el lado en que ocurrió la hernia discal lumbar. No se encontró correlación entre el tropismo facetario y la localización de la hernia en el disco intervertebral. Conclusiones: El grado de tropismo facetario presenta correlación estadísticamente significativa con el lado del disco intervertebral en el cual se desarrollará la hernia discal lumbar. Nivel de evidencia: II. Tipo de Estudio: Estudio retrospectivo.
Descritores: Tropismo
-Articulação Zigapofisária
Disco Intervertebral
Deslocamento do Disco Intervertebral
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  6 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-680729
Autor: Costa, Alexandre Barros; Mattar, Thiago; Appolonio, Paulo Roberto; Yoshino, Caio; Yonezaki, Adriano Massayuki; Rodrigues, Luciano Miller Reis.
Título: Associação entre tropismo facetário e doença degenerativa de disco lombar / Association between facet tropism and lumbar degenerative disc disease / Asociación entre tropismo facetario y enfermedad degenerativa del disco lumbar
Fonte: Coluna/Columna;12(2):133-137, 2013. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Documentar a presença de degeneração de disco e tropismo facetário em pacientes portadores de dor lombar crônica e sua distribuição por sexo e faixa etária. Avaliar também a associação de tropismo facetário e degeneração discal lombar além de avaliar a orientação das facetas de acordo com sexo e faixa etária. MÉTODOS: Estudo retrospectivo de imagens de ressonância magnética obtidas em 288 pacientes (N = 288; 118 homens e 170 mulheres) com média de idade de 53,33 anos, portadores de dor lombar crônica. As imagens foram avaliadas por dois médicos assistentes especialistas em cirurgia da coluna para avaliar e quantificar a orientação das facetas, o tropismo facetário e o grau de degeneração discal dos níveis L3-L4, L4-L5 e L5-S1. Foi analisada a associação entre tropismo facetário e doença degenerativa discal, além de associação com sexo e idade. RESULTADOS: Observa-se que 85,8% dos discos apresentam classificação de Pfirrmann superior ou igual ao Tipo III. Com relação ao grau de degeneração discal, não houve diferença entre os sexos e aumentou com o aumento da faixa etária. Com relação ao grau de tropismo, não difere entre os níveis avaliados e o sexo, aumenta de acordo com a elevação da faixa etária. Houve aumento do grau do degeneração discal com o aumento do grau de tropismo facetário. CONCLUSÃO: A maioria dos discos intervertebrais analisados de pacientes com dor lombar crônica encontram-se degenerados e grau de degeneração aumenta com a idade. O grau de tropismo facetário aumenta com a idade e se relaciona com o grau de degeneração discal.

OBJECTIVE: To document the presence of disc degeneration and facet tropism in patients with chronic low back pain and its distribution by sex and age. We also evaluated the association between facet tropism and lumbar disc degeneration and the orientation of the facets according to sex and age. METHODS: Retrospective study of MRIs obtained from 288 patients (N = 288, 118 men and 170 women) with mean age of 53.33 years, and chronic low back pain. The images were evaluated by two physicians specialized in surgery of the spine to assess and quantify the orientation of the facets, facet tropism and degree of disc degeneration at L3-L4, L4-L5 and L5-S1. We analyzed the association between facet tropism and degenerative disc disease, and association with sex and age. RESULTS: It is observed that 85.8% of the disks have Pfirrmann rating greater or equal to Type III. Concerning the degree of disc degeneration, there was no difference between sexes and increased with increasing age. There was an increase in the degree of disc degeneration with increasing degree of facet tropism. CONCLUSION: Most of the intervertebral discs analyzed in patients with chronic low back pain are degenerate and the degree of degeneration increases with age. The degree of facet tropism increases with age and is related to the degree of disc degeneration.

OBJETIVO: documentar la presencia de degeneración de disco y tropismo facetario en pacientes con dolor crónico de en la columna lumbar y su distribución por sexo y edad. También evaluamos la asociación del tropismo facetario y la degeneración del disco lumbar, además de la orientación de las facetas de acuerdo con sexo y edad. MÉTODOS: Estudio retrospectivo de imágenes de resonancia magnética obtenidas en 288 pacientes (N = 288; 118 hombres y 170 mujeres) con edad media de 53,33 años y dolor crónico en la región lumbar de columna. Las imágenes fueron evaluadas por dos médicos especialistas en cirugía de la columna vertebral para valorar y cuantificar la orientación de las facetas, el tropismo facetario y el grado de degeneración de disco en L3-L4, L4-L5 y L5-S1. Se analizó la asociación entre tropismo facetario y la enfermedad degenerativa del disco y la asociación con el sexo y la edad. RESULTADOS: Se observa que 85,8% de los discos tienen clasificación de Pfirrmann mayor o igual que Tipo III. En cuanto al grado de degeneración del disco, no fue diferente entre sexos y aumentó con la edad. En cuanto al grado de tropismo, no hay diferencia entre los niveles evaluados y el sexo y aumenta con la edad. Hubo un aumento en el grado de degeneración de disco con el aumento del grado del tropismo facetario. CONCLUSIÓN: La mayoría de los discos intervertebrales analizados en los pacientes con dolor lumbar crónico se degeneran y el grado de degeneración aumenta con la edad. El grado de tropismo facetario aumenta con la edad y se relaciona con el grado de degeneración del disco.
Descritores: Degeneração do Disco Intervertebral
-Estudos Retrospectivos
Dor Lombar
Tropismo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  7 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-678022
Autor: Andrade, Luís Gustavo Modelli de.
Título: Efeito sobre função renal de estimulantes de progenitores hematopoiéticos na nefropatia por adriamicina / Effect on renal function stimulating hematopoetic progenitors in adriamycin induced nephropathy.
Fonte: Botucatu; s.n; 2011. 125 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina de Botucatu. Programa de Pós-Graduação em Fisiologia em Clínica Médica para obtenção do grau de Doutor.
Descritores: Doxorrubicina/uso terapêutico
Eritropoetina
Insuficiência Renal Crônica/induzido quimicamente
Células-Tronco
Tropismo
-Camundongos Endogâmicos BALB C
Limites: Camundongos
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  8 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-654230
Autor: Cunha, D. M; Nascimento, C. M; Artifon, E. L; Ferrari, D; Ribeiro, L. F. C; Fontanesi, L. B; Bertolini, G. R. F.
Título: Evaluation of rats´ soleus muscle submitted to remobilization protocol with therapeutic ultrasound associated with static stretching
Fonte: Braz. j. morphol. sci = Rev. bras. ciênc. morfol;29(1):53-57, Jan.-Mar. 2012.
Idioma: en.
Resumo: Despite the deleterious effects, immobilization, is still often used in the treatment of musculoskeletal disorders, even with the occurrence of muscular atrophy, its reversal is a major challenge to rehabilitation. The aim of this study was evaluate the tropism of rats soleus muscle submitted to remobilization with static stretching, preceded by ultrasound, thermal and non thermal. We used 28 rats divided into four groups: G1‑immobilized and remobilized with static stretching, G2-remobilized with stretching preceded by ultrasound 1.0 W.cm–²; G3 – ultrasound at 0.5 W.cm–² , G4 – ultrasound with 0.2 W.cm–². All animals were immobilized in plantarflexion, producing shortening of the right soleus muscle for 15 days. For the groups subjected to remobilization with ultrasound doses were used according to the group, for 3 minutes, for 10 days with an interval of 2 days after the 5th treatment. After treatment with ultrasound (or not for the G1), the animals were subjected to 3 sets of 30 seconds, with 30 seconds interval between them, of static stretching of the soleus. The soleus were dissected, weighed and processed for preparation of histological slides in cross section, and evaluated the smallest diameter of 100 fibers per muscle. There was significant reduction in weight between left and right muscles in all groups, for diameters G3 showed no difference. Conclusion: stretching with or without ultrasound, was unable to reverse the deleterious effects of immobilization on muscle weight, but in the mean dose there was protective effect on the diameter of the fibers.
Descritores: Exercícios de Alongamento Muscular
Atrofia Muscular
Músculo Esquelético/anatomia & histologia
Músculo Esquelético/fisiologia
Músculo Esquelético
-Dissecação
Desenvolvimento Muscular
Ratos Wistar
Tropismo
Terapia por Ultrassom/veterinária
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR734.1 - Biblioteca Central Cesar Lattes - BCCL


  9 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-578911
Autor: Oliveira, Eduardo C; Almeida, Paula R; Sonne, Luciana; Pavarini, Saulo P; Watanabe, Tatiane T. N; Driemeier, David.
Título: Hepatite infecciosa canina em cães naturalmente infectados: achados patológicos e diagnóstico imuno-histoquímico / Infectious canine hepatitis in naturally infected dogs: pathological findings and immunohistochemical diagnosis
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;31(2):158-164, Feb. 2011. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Vinte e três cães com hepatite infecciosa canina (HIC) foram analisados com base nos seus dados gerais, achados clínicos, patológicos e imuno-histoquímicos. As principais lesões macroscópicas encontradas foram palidez do fígado (17/23), hepatomegalia (10/23) e hemorragia (21/23). Observou-se também edema da parede da vesícula biliar (11/23), malhas de fibrina cobrindo a superfície capsular hepática (8/23) e icterícia (6/23). Acentuada necrose hepatocelular foi encontrada associada à identificação de corpúsculos intranucleares anfofílicos e basofílicos em hepatócitos e células endoteliais (22/23) característicos de adenovírus. Identificou-se no baço e linfonodos necrose linfoide, hemorragia e menor ocorrência de corpúsculos intranucleares em células reticuloendoteliais. A imuno-histoquímica (IHQ) foi positiva para adenovírus canino tipo 1 em todos os animais analisados. Os principais órgãos positivos na IHQ foram fígado (23/23), telencéfalo (22/22), cerebelo (16/20) e rim (16/21). Maior marcação de antígenos viral foi observada em hepatócitos e no endotélio vascular do encéfalo e dos tufos glomerulares renais.

Twenty-three dogs with infectious canine hepatitis (ICH) were analyzed, based on general data, clinicopathological findings, and immunohistochemistry. The main gross lesions were hepatic paleness (17/23), hepatomegaly (10/23), and hemorrhage (21/23). Gallbladder edema (11/23), fibrinous material on the hepatic capsular surface (8/23), and jaundice (6/23) were also found. Severe hepatic necrosis was observed in association with amphophilic or basophilic intranuclear inclusions inside hepatocytes and endothelial cells (22/23). Splenic and nodal lymphoid necrosis and hemorrhage associated with small number of intranuclear inclusions inside reticuloendothelial cells were identified. Immunohistochemistry (IHC) was positive for adenovirus type 1 in all animals, with the best staining pattern occurring in the liver (23/23), brain (22/22), cerebellum (16/20), and kidney (16/21). Greater amount of viral antigen was identified in hepatocytes and vascular endothelial cells from the brain and glomerular tuft.
Descritores: Cães
Hepatite Infecciosa Canina
-Antígenos
Células Endoteliais
Endotélio Vascular
Hemorragia
Hepatócitos
Imuno-Histoquímica
Glomérulos Renais
Patologia Veterinária
Tropismo
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 16 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Chiari, Egler
Texto completo
Id: lil-560672
Autor: Andrade, Luciana O; Galvão, Lúcia MC; Meirelles, Maria de Nazareth SL; Chiari, Egler; Pena, Sergio DJ; Macedo, Andrea M.
Título: Differential tissue tropism of Trypanosoma cruzi strains: an in vitro study
Fonte: Mem. Inst. Oswaldo Cruz;105(6):834-837, Sept. 2010. graf.
Idioma: en.
Resumo: We have previously demonstrated selection favoring the JG strain of Trypanosoma cruziin hearts of BALB/c mice that were chronically infected with an equal mixture of the monoclonal JG strain and a clone of the Colombian strain, Col1.7G2. To evaluate whether cell invasion efficiency drives this selection, we infected primary cultures of BALB/c cardiomyocytes using these same T. cruzi populations. Contrary to expectation, Col1.7G2 parasites invaded heart cell cultures in higher numbers than JG parasites; however, intracellular multiplication of JG parasites was more efficient than that of Col1.7G2 parasites. This phenomenon was only observed for cardiomyocytes and not for cultured Vero cells. Double infections (Col1.7G2 + JG) showed similar results. Even though invasion might influence tissue selection, our data strongly suggest that intracellular development is important to determine parasite tissue tropism.
Descritores: Interações Hospedeiro-Parasita
Miócitos Cardíacos
Tropismo/fisiologia
Trypanosoma cruzi/crescimento & desenvolvimento
-Camundongos Endogâmicos BALB C
Camundongos Endogâmicos DBA
Fatores de Tempo
Trypanosoma cruzi
Trypanosoma cruzi
Limites: Animais
Feminino
Camundongos
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde