Base de dados : LILACS
Pesquisa : G10.261.360.596 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 44 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 5 ir para página              

  1 / 44 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1152629
Autor: Mariotto, Rogério; Herbella, Fernando A M; Andrade, Vera Lucia Ângelo; Schlottmann, Francisco; Patti, Marco G.
Título: Validation of a new water-perfused high-resolution manometry system / Validação de um novo sistema de manometria de alta resolução por perfusão de água
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;33(4):e1557, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: High-resolution manometry is more costly but clinically superior to conventional manometry. Water-perfused systems may decrease costs, but it is unclear if they are as reliable as solid-state systems, and reference values are interchangeable. Aim: To validate normal values for a new water-perfusion high-resolution manometry system. Methods: Normative values for a 24-sensors water perfused high-resolution manometry system were validated by studying 225 individuals who underwent high resolution manometry for clinical complaints. Patients were divided in four groups: group 1 - gastroesophageal reflux disease; group 2 - achalasia; group 3 - systemic diseases with possible esophageal manifestation; and group 4 - dysphagia. Results: In group 1, a hypotonic lower esophageal sphincter was found in 49% of individuals with positive 24 h pH monitoring, and in 28% in pH-negative individuals. In groups 2 and 3, aperistalsis was found in all individuals. In group 4, only one patient (14%) had normal high-resolution manometry. Conclusions: The normal values determined for this low-cost water-perfused HRM system with unique peristaltic pump and helicoidal sensor distribution are discriminatory of most abnormalities of esophageal motility seen in clinical practice.

RESUMO Racional: A manometria de alta resolução é mais custosa, porém clinicamente superior à manometria convencional. Sistemas por perfusão de água podem ter custo diminuído, mas não é certo se são tão eficazes quanto aos sistemas de estado sólido e se os valores de referência são intercambiáveis. Objetivo: Este estudo visa validar valores de normalidade para um novo sistema por perfusão de água. Método: Valores de normalidade para um sistema de manometria de alta resolução de 24 sensores por perfusão de água foram validados estudando 225 indivíduos submetidos à manometria de alta resolução por queixas clínicas. Pacientes foram divididos em quatro grupos: grupo 1 - doença do refluxo gastroesofágico; grupo 2 - acalasia; grupo 3 - doenças sistêmicas com possível doenças sistêmicas com comprometimento esofágico; e grupo 4 - pacientes com disfagia. Resultado: No grupo 1, esfíncter esofagiano inferior hipotônico foi encontrado em 49% dos indivíduos com pHmetria positiva e 28% daqueles com pHmetria negativa. Nos grupos 2 e 3, aperistalse foi encontrada em todos indivíduos. No grupo 4, somente um paciente (14%) tinha manometria normal. Conclusão: Os valores de normalidade definidos para este sistema de manometria de alta resolução por perfusão de água são discriminatórios da maioria das anormalidades da motilidade esofágica vistas na prática clínica.
Descritores: Esfíncter Esofágico Inferior
Esôfago/fisiologia
Motilidade Gastrointestinal/fisiologia
Manometria/métodos
-Peristaltismo
Valores de Referência
Água
Acalasia Esofágica
Refluxo Gastroesofágico
Reprodutibilidade dos Testes
Manometria/instrumentação
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-769761
Autor: Balikci, Ömer; Turunç, Tahsin; Bal, Nebil; Çelik, Hüseyin; Özkardeş, Hakan.
Título: Comparison of Cajal-like cells in pelvis and proximal ureter of kidney with and without hydronephrosis
Fonte: Int. braz. j. urol;41(6):1178-1184, Nov.-Dec. 2015. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Baskent University Institutional Review Board.
Resumo: Objectives: To evaluate effects of Cajal-like cells on human renal pelvis and proximal ureter on peristalsis. Materials and Methods: 63 patients submitted to nephrectomy due to atrophic non-functional kidney associated with hydroureteronephrosis were included as study group and 30 cases with nephrectomy due to other reasons were included as control group. Samples from renal pelvis and proximal ureters were obtained and sections of 5μ form paraffin blocks of these samples were prepared; layers of lamina propria and muscularis mucosa were examined by immune-histochemistry using CD117 in order to determine count and distribution of Cajal-like cells. Results: During immune-histochemical examinations of sections, obtained from renal pelvis and proximal ureter of hydronephrotic kidneys by CD117, Cajal-like cells number determined in lamina propria and muscularis propria was statistically significantly lower compared to control group (p<0.001). Distribution of Cajal-like cells in renal pelvis and proximal tubulus was similar under examination by light microscope, and also both groups were not different from each other regarding staining intensity of Cajal-like cells by c-kit. Conclusion: Significantly reduced number of Cajal-like cells in study group compared to control group, shows that these cells may have a key role in regulation of peristalsis at level of renal pelvis and proximal ureter in urinary system.
Descritores: Hidronefrose/patologia
Pelve Renal/patologia
Telócitos/patologia
Ureter/patologia
-Contagem de Células
Membrana Mucosa/patologia
Nefrectomia
Proteínas Proto-Oncogênicas c-kit
Peristaltismo/fisiologia
Valores de Referência
Estatísticas não Paramétricas
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Criança
Pré-Escolar
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-746476
Autor: DALMAZO, Juciléia; APRILE, Lilian Rose Otoboni; DANTAS, Roberto Oliveira.
Título: Effect of swallwwed bolus viscosity and body poition on esophageal transit, coontraction and perception of transit / Efeito da viscosidade do bolo e da posição corporal no trânsito, contrações do esôfago e na percepção do trânsito
Fonte: Arq. gastroenterol;52(1):27-31, Jan-Mar/2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Background The esophagus has a different response in relation to the characteristics of a swallowed bolus. Bolus viscosity and body position may affect esophageal contraction and transit. Objectives To investigate the effect of bolus viscosity and body position on esophageal contraction, transit and perception. Methods Esophageal contraction, transit and perception of transit were evaluated in 26 asymptomatic volunteers, 13 men and 13 women aged 18-60 years, mean: 33.6 (12.2) years. Esophageal contraction (manometry) and transit (impedance) were measured with a solid state catheter with sensors located 5, 10, 15, and 20 cm from the lower esophageal sphincter. Each volunteer swallowed in duplicate and in random sequence a 5 mL low viscous (LV) liquid bolus of an isotonic drink with pH 3.3, and a 5 mL high viscous (HV) paste bolus, which was prepared with 7.5 g of instant food thickener diluted in 50 mL of water (pH: 6.4). Results Total bolus transit time, in the sitting position, was longer with the HV bolus than with the LV bolus. Esophageal transit was longer in the supine position than in the sitting position. Bolus head advance time was longer with the HV bolus than with the LV bolus in both positions. Contraction esophageal amplitude was higher in the supine position than in the sitting position. The perception of bolus transit was more frequent with the HV bolus than with the LV bolus, without differences related to position. Conclusions The viscosity of the swallowed bolus and body position during swallows has an influence on esophageal contractions, transit and perception of transit. .

Contexto O esôfago tem resposta diferente relacionada às características do bolo deglutido. A viscosidade do bolo e a posição corporal podem afetar a contração do esôfago e o trânsito. Objetivos Investigar o efeito da viscosidade do bolo e da posição corporal sobre a contração do esôfago e no trânsito. Métodos A contração do esôfago, o trânsito e a percepção do trânsito foram avaliadas em 26 voluntários assintomáticos, 13 homens e 13 mulheres com idade entre 18 e 60 anos, média: 33,6 (12,2) anos. A contração do esôfago (manometria) e trânsito (impedância) foram medidas com um cateter de estado sólido com sensores localizados a 5, 10, 15 e 20 cm do esfíncter esofágico inferior. Cada voluntário deglutiu, em duplicata, 5 mL de bolo líquido (baixa viscosidade - BV, pH: 3,3) e 5 mL de bolo pastoso (alta viscosidade - AV, pH: 6,4). Resultados O tempo de trânsito total do bolo, na posição sentada, foi mais longo com o bolo AV do que com bolo BV. O trânsito pelo esôfago foi mais longo na posição supina do que na posição sentada. O tempo de avanço da cabeça do bolo foi mais longo com bolo AV do que com bolo BV, em ambas as posições. A amplitude da contração do esôfago foi maior na posição supina do que na posição sentada. A percepção do trânsito do bolo foi mais frequente com o bolo AV do que com o bolo BV, sem diferença relacionada com a posição. Conclusões A viscosidade do bolo deglutido e a posição do corpo durante a deglutição têm influência sobre as contrações esofágicas e no trânsito pelo esôfago. .
Descritores: Deglutição/fisiologia
Esôfago/fisiologia
Trânsito Gastrointestinal/fisiologia
-Impedância Elétrica
Manometria
Peristaltismo/fisiologia
Decúbito Dorsal
Viscosidade
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-713591
Autor: PALHETA, Michel Santos; GRAÇA, José Ronaldo Vasconcelos da; SANTOS, Armênio Aguiar dos; LOPES, Liziane Hermógenes; PALHETA JÚNIOR, Raimundo Campos; NOBRE E SOUZA, Miguel Ângelo.
Título: The participatinn of the nitrergic pathway in icreased rate of transitory relaaxation of lower esophageal sphincter induced by rectal distension in dogs / A participação da via nitrérgica no aumento da taxa de relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior induzida pela distensão retal em cães
Fonte: Arq. gastroenterol;51(2):102-106, Apr-Jun/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Context The rectal distension in dogs increases the rate of transitory lower esophageal sphincter relaxation considered the main factor causing gastroesophageal reflux. Objectives The aim of this study was evaluate the participation of the nitrergic pathway in the increased transitory lower esophageal sphincter relaxation rate induced by rectal distension in anesthetized dogs. Methods Male mongrel dogs (n = 21), weighing 10-15 kg, were fasted for 12 hours, with water ad libitum. Thereafter, they were anesthetized (ketamine 10 mg.Kg-1 + xylazine 20 mg.Kg-1), so as to carry out the esophageal motility evaluation protocol during 120 min. After a 30-minute basal period, the animals were randomly intravenous treated whith: saline solution 0.15M (1ml.Kg-1), L-NAME (3 mg.Kg-1), L-NAME (3 mg.Kg-1) + L-Arginine (200 mg.Kg-1), glibenclamide (1 mg.Kg-1) or methylene blue (3 mg.Kg-1). Forty-five min after these pre-treatments, the rectum was distended (rectal distension, 5 mL.Kg-1) or not (control) with a latex balloon, with changes in the esophageal motility recorded over 45 min. Data were analyzed using ANOVA followed by Student Newman-Keuls test. Results In comparison to the respective control group, rectal distension induces an increase in transitory lower esophageal sphincter relaxation. Pre-treatment with L-NAME or methylene blue prevents (P<0.05) this phenomenon, which is reversible by L-Arginine plus L-NAME. However, pretreating with glibenclamide failed to abolish this process. Conclusions Therefore, these experiments suggested, that rectal distension increases transitory lower esophageal sphincter relaxation in dogs via through nitrergic pathways. .

Contexto A distensão retal aumenta a taxa de relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior em cães, sendo o relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior considerado o principal fator responsável pelo refluxo gastroesofágico. Objetivos Avaliar a participação da via nitrérgica no aumento da taxa relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior induzida por distensão retal em cães anestesiados. Métodos Cães sem raça definida, machos (n = 21), pesando entre 10-15 kg, foram mantidos em jejum durante 12 horas, no entanto, com água ad libitum. Depois disso, eles foram anestesiados (cetamina 10 mg.Kg-1 + xilazina 20 mg.Kg-1), para a realização do protocolo de avaliação da motilidade esofágica durante 120 minutos. Após um período basal de 30 minutos, os animais foram aleatoriamente tratados intravenosa com: solução salina 0,15 (1 ml.Kg-1), L-NAME (3 mg.Kg-1), L-NAME (3 mg.Kg-1) + L-arginina (200 mg.Kg-1), glibenclamida (1 mg.Kg-1) e azul de metileno (3 mg.Kg-1). Quarenta e cinco minutos após os pré-tratamentos, o reto foi distendido com um balão de látex (DR, 5 mg.Kg-1) ou não (grupo controle), e as variações da motilidade esofágica foram registradas e gravadas ao longo dos 45 minutos seguintes. Os dados foram analisados utilizando-se ANOVA seguido pelo teste de Student Newman-Keuls. Resultados Em comparação com o respectivo grupo controle, a distensão retal demonstrou induzir um aumento na taxa de relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior. O pré-tratamento com L -NAME ou azul de metileno impediu (P<0,05) este fenômeno, que foi reversível após a administração de L-Arginina + L-NAME. No entanto, o pré-tratamento com a glibenclamida não ...
Descritores: Esfíncter Esofágico Inferior/fisiologia
Junção Esofagogástrica/fisiologia
Neurônios Nitrérgicos/metabolismo
Nitroarginina/farmacologia
Peristaltismo/fisiologia
Reto/fisiologia
-Motilidade Gastrointestinal/fisiologia
Manometria
Neurônios Nitrérgicos/efeitos dos fármacos
Neurônios Nitrérgicos/enzimologia
Reflexo/fisiologia
Limites: Animais
Cães
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-679162
Autor: Arquivos de Gastroenterologia; SILVA, Ana Cristina Viana da; APRILE, Lilian Rose Otoboni; DANTAS, Roberto Oliveira.
Título: Esophageal motliity in troublesome bllching / Motilidade do esofago de pacientes com eructacao supragastrica
Fonte: Arq. gastroenterol;50(2):107-110, abr. 2013. tab.
Idioma: en.
Resumo: Context Supragastric belches are the main determinants of troublesome belching symptoms. In supragastric belches, air is rapidly brought into the esophagus and is immediately followed by a rapid expulsion before it has reached the stomach. Objective To evaluate the esophageal contraction and transit after wet swallows in patients with troublesome belching. Methods Esophageal contraction and transit were evaluated in 16 patients with troublesome belching and 15 controls. They were measured at 5, 10, 15, and 20 cm from the lower esophageal sphincter (LES) by a solid state manometric and impedance catheter. Each subject swallowed five 5 mL boluses of saline. Results The amplitude, duration and area under the curve of contractions were similar in patients with troublesome belching and control subjects. The total esophageal bolus transit time was 6.2 (1.8) s in patients with troublesome belching and 6.1 (2.3) s in controls (P = 0.55). The bolus presence time was longer in controls than in patients at 5 cm from the LES [controls: 6.0 (1.1) s, patients: 4.9 (1.2) s, P = 0.04], without differences at 10, 15 and 20 cm from the LES. The bolus head advanced time was longer in patients than controls from 20 cm to 15 cm [controls: 0.1 (0.1) s, patients: 0.7(0.8)s, P = 0.01] and from 15 cm to 10 cm [controls: 0.3 (0.1) s, patients: 1.6 (2.6) s, P = 0.01] of the LES, without difference from 10 cm to 5 cm [controls: 0.7 (0.3) s, patients: 1.0 (1.1) s, P = 0.37]. There was no difference in segment transit time. Conclusion There was no difference in esophageal contractions between patients with troublesome belching and controls. The swallowed bolus went slower into the proximal and middle esophageal body in patients than in control, but cross the distal esophageal body faster in patients than in controls. .

Contexto Na eructação esofágica o ar é rapidamente trazido para o esôfago, fato imediatamente seguido pela rápida expulsão, antes de ter atingido o estômago. Objetivo Avaliar a contração e o trânsito pelo esôfago após deglutições líquidas em pacientes com eructações excessivas. Métodos Contração do esôfago e o trânsito foram avaliados em 16 pacientes com eructações excessivas e 15 controles. Elas foram medidas a 5, 10, 15 e 20 cm do esfíncter inferior do esôfago (EIE) por um cateter em estado sólido de manometria e impedância. Cada indivíduo deglutiu cinco vezes 5 mL de salina. Resultados A amplitude, duração e área sob a curva das contrações foram similares em pacientes com eructação e controles. O tempo total de trânsito esofágico foi de 6,2 (1,8) s em pacientes com eructação e 6,1 (2,3) s em controles (P = 0,55). O tempo de presença de bolus foi mais longo nos controles do que nos pacientes a 5 cm do EIE [controles: 6.0 (1.1) s, pacientes: 4.9 (1.2) s, P = 0,04], sem diferenças a 10, 15 e 20 cm do EIE. O tempo de avanço da cabeça bolo foi mais longo em pacientes do que nos controles, de 20 cm a 15 cm [controles: 0,1 (0,1) s, pacientes: 0,7 (0,8) s, P = 0,01] e de 15 cm a 10 cm [controles: 0,3 (0,1) s, pacientes: 1.6 (2.6) s, P = 0,01] do corpo esofágico, sem diferença de 10 cm a 5 cm [controles: 0,7 (0,3) s, de pacientes: 1.0 (1.1) s, P = 0,37]. Não houve diferença no tempo de trânsito segmentar. Conclusão Não houve diferença nas contrações do esôfago entre pacientes com eructação excessiva e controles. O bolo líquido deglutido teve propagação ...
Descritores: Eructação/fisiopatologia
Esôfago/fisiopatologia
Peristaltismo/fisiologia
-Estudos de Casos e Controles
Impedância Elétrica
Manometria
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-570519
Autor: Dantas, Roberto Oliveira; Alves, Leda Maria Tavares; Dalmazo, Juciléia; Santos, Carla Manfredi dos; Cassiani, Rachel de Aguiar; Nascimento, Weslania Viviane do.
Título: Effect of age on proximal esophageal response to swallowing / Influência da idade na resposta do esôfago proximal à deglutição
Fonte: Arq. gastroenterol;47(4):339-343, Oct.-Dec. 2010. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: CONTEXT: It has been demonstrated that the ageing process affects esophageal motility. OBJECTIVES: To evaluate the effect of the age on the proximal esophageal response to wet swallows. METHOD: We measured the proximal esophageal response to swallows of a 5 mL bolus of water in 69 healthy volunteers, 20 of them aged 18-30 years (group I), 27 aged 31-50 years (group II), and 22 aged 51-74 years (group III). We used the manometric method with continuous perfusion. The proximal esophageal contractions were recorded 5 cm from a pharyngeal recording site located 1 cm above the upper esophageal sphincter. The time between the onset of the pharyngeal and of the proximal esophageal recording (pharyngeal-esophageal time) and the amplitude, duration and area under the curve of the proximal esophageal contraction were measured. RESULTS: The pharyngeal-esophageal time was shorter in group I subjects than in group II and III subjects (P<0.05). The duration of proximal esophageal contractions was longer in group I than in groups II and III (P<0.001). There was no differences between groups in the amplitude or area under the curve of contractions. There were no differences between groups II and III for any of the measurements. CONCLUSION: We conclude that the age may affects the response of the proximal esophagus to wet swallows.

CONTEXTO: O processo natural de envelhecimento altera a motilidade do esôfago. OBJETIVO: Estudar o efeito da idade na resposta da parte proximal do esôfago à deglutição de água. MÉTODO: Mediu-se a resposta do esôfago proximal à deglutição de 5 mL de água em 69 voluntários saudáveis, 20 com idades de 18 a 30 anos (grupo I), 27 com idades de 31 a 50 anos (grupo II) e 22 com idades de 51 a 74 anos (grupo III). Utilizamos o método manométrico com perfusão contínua. As contrações do esôfago proximal foram medidas 5 cm distal a um registro das contrações em faringe, localizado 1 cm acima do esfíncter superior do esôfago. Foram medidos o tempo entre o início da contração em faringe e o início da contração em esôfago proximal (tempo faringoesofágico), e a amplitude, duração e área sob a curva da contração proximal. RESULTADOS: O tempo faringoesofágico teve menor duração nos sujeitos do grupo I do que naqueles dos grupos II e III (P<0,05). A duração da contração em esôfago proximal foi maior nos sujeitos do grupo I do que naqueles dos grupos II e III (P<0,001). Não houve diferenças entre os grupos na amplitude e na área sob a curva das contrações, e não houve diferenças entre os grupos II e III em todas as medidas. CONCLUSÃO: Observou-se que a idade pode alterar a resposta do esôfago proximal à deglutição de água.
Descritores: Envelhecimento/fisiologia
Deglutição/fisiologia
Esôfago/fisiologia
-Fatores Etários
Análise de Variância
Ingestão de Líquidos/fisiologia
Esôfago/anatomia & histologia
Manometria
Contração Muscular/fisiologia
Peristaltismo/fisiologia
Fatores de Tempo
Água/administração & dosagem
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-540040
Autor: Quintero Reyes, Miro Ángel; Caraballo Villalonga, Angel R; Cancini, Luis; Ferri, Felice A.
Título: Cirugía anti-reflujo laparoscópica para el tratamiento de la enfermedad por reflujo gastro-esofágico: experiencia en 125 casos / Laparoscopic anti-reflux surgery for the treatment of disease gastroesophageal reflux: experience in 125 cases
Fonte: Rev. venez. cir;57(3):121-129, sept. 2004. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Evaluar la cirugía anti-reflujo laparoscòpica para el tratamiento de la enfermedad por reflujo gastro-esofágico. Se realizaron 125 operaciones anti-reflujo en igual número de pacientes, 62 (49,6 por ciento correspondieron al sexo masculino y 63 (50,4 por ciento) al sexo femenino. Edad promedio de 46,63 años ± 7,25 años. Los síntomas más frecuentes fueron pirosis (98,4 por ciento) y regurgitación (97,6 por ciento). La mayoría de los pacientes 85 (68 por ciento), tenían 10 años o más de tratamiento médico. Se realizó la operación de Nissen modificada "Floppy Nissen" en 76 pacientes (60,8 por ciento), en 23 pacientes (18,4 por ciento) se realizó la técnica de Toupet y en 4 pacientes (3,2 por ciento) la técnica de Dor. Las patologías asociadas (29 en total) estuvieron presentes en 28 pacientes (22,4 por ciento). Todas estas patologías fueron resueltas en el mismo acto operatorio. Las complicaciones fueron leves en su mayoría (infecciones locales, seromas, etc). Hubo una perforación de la unión gastro-esofágica que ameritó conversión. Un paciente (0,8 por ciento), ameritó reintervención por disfagia severa. No hubo mortalidad post-operatoria. Centro Médico "Dr. Rafael Guerra Méndez", Valencia-Venezuela. Tasa de éxito del 91,2 por ciento para la desaparición de los síntomas. La cirugía anti-reflujo es el método más eficaz para el tratameito de la enfermedad por reflujo gastro-esofágico de curso progresivo y con respuesta deficiente al tratamiento médico. Es necesario establecer con exactitud el defecto funcional del esófago a fin de seleccionar la técnica más adecuada. La estancia hospitalaria, los costos, la morbilidad y la mortalidad se reducen con el abordaje laparoscópico.
Descritores: Fundoplicatura/métodos
Laparoscopia/métodos
Refluxo Gastroesofágico/cirurgia
Refluxo Gastroesofágico/patologia
Refluxo Gastroesofágico/terapia
-Gastroenterologia/métodos
Mucosa Gástrica/fisiopatologia
Peristaltismo/fisiologia
Salivação/fisiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Revisão
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  8 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-539622
Autor: Dantas, Roberto Oliveira; Alves, Leda Maria Tavares; Cassiani, Rachel de Aguiar.
Título: Gender differences in proximal esophageal contractions / Influência do gênero nas contrações do esôfago proximal
Fonte: Arq. gastroenterol;46(4):284-287, out.-dez. 2009. graf, tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Context: There are reports showing that gender has an influence on swallowing and on the contractions of the distal esophageal body. Objective: In this investigation we studied the effect of gender on proximal esophageal contraction. Methods: We studied 20 men (22-68 years old, median 39 years) and 44 women (18-61 years old, median 41 years) without symptoms and without gastrointestinal or respiratory diseases. We measured the time interval between the onset of pharyngeal contraction 1 cm proximal to the upper esophageal sphincter and the onset of the proximal esophageal contraction 5 cm from the pharyngeal recording. We also measured the amplitude, duration and area under the curve of the proximal esophageal contractions. The recording was performed by the manometric method with continuous perfusion. The contractions were recorded in duplicate after swallows of a 5 mL bolus of water. Results: There were no differences between men and women in the interval between the onset of pharyngeal and of esophageal contractions or in the amplitude of esophageal contractions. The duration of contractions was longer in women (2.35 ± 0.60 s) than in men (2.07 ± 0.62 s) but the difference did not reach statistical significance (P = 0.087). The area under the curve of the esophageal contraction was higher in women (130.2 ± 55.2 mm Hg x s) than in men (97.4 ± 49.4 mm Hg x s, P = 0.026). Conclusion: We conclude that there is a difference between men and women in the proximal esophageal contractions in response to wet swallows, although this difference is of no clinical relevance.

Contexto: Há trabalhos que demonstram a existência de diferenças entre homens e mulheres na deglutição e nas contrações em parte distal do esôfago. Objetivo: Neste trabalho estuda-se a influência do gênero nas contrações em parte proximal do esôfago de pessoas assintomáticas. Método: Incluíram-se 20 homens (22-68 anos, mediana 39 anos) e 44 mulheres (18-61 anos, mediana 41 anos) sem doenças gastrointestinais, neurológicas ou respiratórias. Mediu-se o intervalo de tempo entre o início da contração em faringe 1 cm proximal ao esfíncter superior do esôfago e o início da contração em esôfago proximal 5 cm distal ao registro da faringe, e a amplitude, duração e área sob a curva da contração esofágica proximal. Utilizou-se o método manométrico com perfusão contínua. As contrações foram registradas em duplicata após a deglutição de 5 mL de água. Resultados: Não se observaram diferenças entre homens e mulheres no intervalo entre a contração da faringe e do esôfago proximal, e na amplitude da contração do esôfago. A duração da contração foi maior nas mulheres (2,35 ± 0,60 s) do que nos homens (2,07 ± 0,62 s) mas o resultado não atingiu significância estatística (P = 0,087). A área sob a curva das contrações esofágicas foi maior nas mulheres (130,2 ± 55,2 mm Hg x s) do que nos homens (97,4 ± 49,4 mm Hg x s, P = 0,026). Conclusão: Observou-se que há diferença entre homens e mulheres nas contrações em esôfago proximal quando da deglutição de água, o que não deve ter importância clínica.
Descritores: Deglutição/fisiologia
Junção Esofagogástrica/fisiologia
Motilidade Gastrointestinal/fisiologia
Fatores Sexuais
-Manometria
Peristaltismo/fisiologia
Adulto Jovem
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 44 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-439781
Autor: Dantas, Roberto Oliveira; Aprile, Lilian Rose Otoboni.
Título: Comparison of esophageal motility impairment caused by Chagas' disease in two age groups / Comparação em duas faixas etárias das alterações motoras do esôfago conseqüentes à doença de Chagas
Fonte: Arq. gastroenterol;43(3):196-200, jul.-set. 2006. ilus, graf, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: BACKGROUND: Chagas' disease and the aging process cause loss of neurons of the esophageal myenteric plexus. AIM: To evaluate the esophageal motility impairment caused by Chagas' disease in two age groups. Our hypothesis was that the aging process may cause further esophageal motility impairment in patients with Chagas' disease. METHODS: We studied the esophageal motility of 30 patients with Chagas' disease and dysphagia, with esophageal retention of barium sulfate and an esophageal diameter within the normal range. Fifteen were 34 to 59 years old (younger group, median 51 years) and 15 were 61 to 77 years old (older group, median 66 years). As a control group we studied 15 subjects aged 33 to 58 years (median 42 years) and 7 subjects aged 61 to 73 years (median 66 years). The esophageal contractions were measured by the manometric method with continuous perfusion after five swallows of a 5 mL bolus of water at 2, 7, 12 and 17 cm below the upper esophageal sphincter. RESULTS: Patients with Chagas' disease had lower amplitude of contractions and fewer peristaltic, more simultaneous, and more non-conducted contractions than controls. Older patients with Chagas' disease had lower amplitude of contractions in the distal esophagus (mean ± SE: 30.8 ± 4.3 mm Hg) than younger patients (51.9 ± 8.6 mm Hg). From 12 to 17 cm, older patients had more non-conducted (41 percent) and fewer peristaltic (8 percent) contractions than younger patients (non-conducted: 16 percent, peristaltic: 21 percent). CONCLUSION: Older patients with Chagas' disease with clinical and radiological examinations similar to those of younger patients had motility alterations suggesting that the aging process may cause further deterioration of esophageal motility.

RACIONAL: Doença de Chagas e o processo do envelhecimento causam perda de neurônios do plexo mientérico do esôfago. OBJETIVO: Avaliar em duas faixas etárias as possíveis alterações da motilidade do esôfago em pacientes com doença de Chagas. A hipótese é de que o envelhecimento pode provocar aumento na intensidade das alterações motoras do esôfago conseqüentes à doença de Chagas. PACIENTES E MÉTODO: Estudou-se a motilidade do esôfago em 30 pacientes com doença de Chagas e disfagia, com retenção do meio de contraste no exame radiológico do esôfago, com diâmetro do órgão dentro dos limites normais. Quinze tinham de 34 a 59 anos (mediana: 51 anos) e 15 tinham de 61 a 77 anos (mediana: 66 anos). Como grupo controle, estudaram-se 15 pessoas com idades entre 33 e 58 anos (mediana: 42 anos) e 7 pessoas com idades entre 61 e 73 anos (mediana: 66 anos). As contrações esofágicas foram medidas pelo método manométrico com perfusão contínua, após cinco deglutições de 5 mL de água, a 2, 7, 12 e 17 cm distal ao esfíncter superior do esôfago. RESULTADOS: Pacientes com doença de Chagas tiveram menor amplitude das contrações, menor proporção de contrações peristálticas, maior proporção de contrações simultâneas e maior proporção de contrações não propagadas do que os controles. Os pacientes com doença de Chagas e mais idade tiveram menor amplitude das contrações em esôfago distal (média ± EP: 30,8 ± 4,3 mm Hg) do que os pacientes com menos idade (51,9 ± 8,6 mm Hg). Entre 12 e 17 cm do esfíncter superior do esôfago os pacientes de mais idade tiveram mais contrações não propagadas (41 por cento) e menos contrações peristálticas (8 por cento) do que os pacientes com menos idade (não propagadas: 16 por cento peristálticas 21 por cento). CONCLUSÃO: Pacientes com doença de Chagas mais idosos, com clínica e exame radiológico do esôfago similar ao de pacientes mais jovens, têm alterações motoras do esôfago que sugerem que o envelhecimento pode provocar comprometimemento...
Descritores: Envelhecimento/fisiologia
Doença de Chagas/complicações
Transtornos da Motilidade Esofágica/etiologia
Esôfago/fisiopatologia
-Distribuição por Idade
Fatores Etários
Estudos de Casos e Controles
Acalasia Esofágica/fisiopatologia
Transtornos da Motilidade Esofágica/fisiopatologia
Refluxo Gastroesofágico/fisiopatologia
Manometria
Peristaltismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 44 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-433174
Autor: Aben-Athar, C. G; Dantas, R. O.
Título: Primary and secondary esophageal contractions in patients with gastroesophageal reflux disease
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;39(8):1027-1031, Aug. 2006. graf.
Idioma: en.
Resumo: We studied the primary and secondary esophageal peristalsis in 36 patients with heartburn and acid regurgitation and in 14 asymptomatic volunteers. Primary peristalsis was elicited by ten swallows of a 5-mL bolus of water and secondary peristalsis was elicited by intra-esophageal infusion of 5, 10, and 15 mL water, 0.1 N hydrochloric acid and air. Esophageal contractions were measured by an 8-lumen manometric catheter assembly incorporating a 6-cm sleeve device. Contractions were registered at 3, 9, and 15 cm from the upper margin of the sleeve and the infusion was done through a side hole located at 12 cm. Twenty patients had normal endoscopic esophageal examination, 10 with normal (group I) and 10 with abnormal pH-metric examination (group II), and 16 had esophagitis (group III). The amplitude of contractions after swallows was lower (97.8 ± 10.0 mmHg) in the distal esophagus of group III patients than in controls (142.3 ± 14.0 mmHg). Patients of group III had fewer secondary contractions (water: 25 percent of infusion) than patients of the other groups and controls (67 percent of infusion). Patients of group III also had a lower amplitude of secondary peristalsis in the distal esophagus (water: 70.1 ± 9.6 mmHg) than controls (129.2 ± 18.2 mmHg). We conclude that patients with esophagitis have an impairment of primary and secondary peristalsis in the distal esophagus.
Descritores: Esofagite/fisiopatologia
Esôfago/fisiopatologia
Refluxo Gastroesofágico/fisiopatologia
-Esofagoscopia
Manometria
Peristaltismo/fisiologia
Limites: Adolescente
Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 5 ir para página              
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde