Base de dados : LILACS
Pesquisa : G16.500.275.157.437 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 311 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 32 ir para página                         

  1 / 311 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Aguiar, Izonete de Jesus Araujo
Texto completo
Id: lil-574674
Autor: Souza, Maria Cristina de; Guillaumet, Jean-Louis; Aguiar, Izonete de Jesus Araujo.
Título: Ocorrência e distribuição de pteridófitas na reserva florestal Walter Egler, Amazônia Central, Brasil / Occurrence and distribution of the pteridophytes in the Walter Egler Forest reserve, Central Amazonian, Brazil
Fonte: Acta amaz;33(4):555-562, Dec. 2003. ilus, graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Na Reserva Florestal Walter Egler, localizada a 64 km de Manaus, no município de Rio Preto da Eva, foi investigada a ocorrência de Pteridófitas ao longo de uma toposseqüência. O grupo ocorre nos três ambientes observados na área (baixio, vertente e platô) com diferença tanto qualitativa quanto quantitativa. Foram registrados 375 indivíduos, distribuídos em oito famílias, 10 gêneros e 17 espécies; entre epífitas, hemiepífitas, herbáceas e arbóreas. Das 8 famílias, 4 ocorrem em todos os ambientes: Dennstaedtiaceae, Hymenophyllaceae, Dryopteridaceae e Lomariopsidaceae, enquanto, Cyatheaceae e Vittariaceae ocorrem apenas no baixio. Das 17 espécies encontradas, sete ocorrem apenas no baixio, três na vertente e cinco são comuns em todos os ambientes.

The occurrence of Pteridophytes was investigated along a transect at the Walter Egler Forest reserve, located 64 km from Manaus in the municipality of Rio Preto da Eva. The group occurs on the three landscapes observed in the area (lowland, slope and plateau) with a both qualitative and quantitative difference. Three hundred and seventy five (375) individuals were established, distributed in 8 families, 10 genera and 17 species; among epiphytes, hemepiphytes, herbaceous and arboreal. Of the 8 families, 4 occur on all landscapes: Dennstaedtiaceae, Hymenophyllaceae, Dryopteridaceae and Lomariopsidaceae, whereas, Cyatheaceae and Vittariaceae occur only on lowland. Of the 17 identified species, 7 occur only lowland, 3 on slope, and 5 are common on all landscapes.
Descritores: Florestas
Ecossistema
Traqueófitas
Estilo de Vida Saudável
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  2 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-574675
Autor: Coelho, Roberta de Fátima Rodrigues; Zarin, Daniel Jacob; Miranda, Izildinha Souza; Tucker, Joanna Marie.
Título: Análise florística e estrutural de uma floresta em diferentes estágios sucessionais no município de Castanhal, Pará / Floristic composition and structure of a forest in different successional stages in Castanhal, Pará
Fonte: Acta amaz;33(4):563-582, Dec. 2003. ilus, graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi estudar a sucessão florestal pela análise florística e estrutural de floresta em três estágios sucessionais (4, 8 e 12 anos), localizadas no município de Castanhal-PA. Consideraram-se duas classes de DAP: Classe I (DAP>1cm) e classe II (DAP<1cm). Para a classe I, foram utilizadas 12 parcelas de 10m x 10m, na floresta sucessional de 12 anos e 4 parcelas de 10m x 10m nas de 4 e 8 anos. Para a classe II, foram utilizadas 48 subparcelas de 1m x 1m na floresta de 12 anos e 16 subparcelas de 1m x 1m nas de 4 e 8 anos. Na classe I, foram identificadas 18, 30 e 73 espécies e 12, 18 e 21 indivíduos/ha, respectivamente, nas florestas de 4, 8 e 12. Na classe II, foram identificadas 17, 21 e 62 espécies; e 50, 26 e 47 indivíduos/m², também, respectivamente, nas florestas de 4, 8 e 12 anos. Na classe I, Lacistema pubescens, Vismia guianensis e Myrcia silvatica apresentaram maiores abundâncias e dominâncias relativas. Na classe II, Lacistema pubescens, Vismia guianensis, Miconia ciliata, Myrcia bracteatae Banara guianensis também apresentaram elevado número de indivíduos. Myrcia silvatica apresentou maior abundância nos três estágios. A similaridade entre as floresttas na classe I foi de aproximadamente 60 por cento e na classe II, 42 por cento. Os resultados sugerem que as florestas apresentaram características de três fases de desenvolvimento da floresta: fase de iniciação (4 anos), fase de exclusão (8 anos) e o início da fase de reiniciação do sub-bosque (12 anos).

The objective of this study is to understand secondary forest succession through florisitc and structural analysis of a forest in three successional stages (4, 8 and 12 years) located in Castanhal in the state of Pará. This study considers wood species divided into two DBH classes: class I (DBH>1cm) and class II (DBH<1cm). Class I individuals were measured in twelve 10m x 10m plots in the 12-year-old successional forest, and in four 10 x 10 m plots in the 4 and 8-year-old secondary forest stands. Class II individuals were measured in 48 subplots of 1m x 1m in the 12-year-old forest stand, and in 16 subplots in the 4 and 8-year-old forest stands. In Class I, 18, 30 and 73 species were identified; and were found 12, 18 and 21 individuals/ha in the 4, 8 and 12-year-old forests, respectively. In class II, 17, 21 and 62 species were identified; and were found 50, 26 and 47 individuals/m² in the 4, 8 and 12-year-old forests, respectively. For class I, Lacistema pubescens, Vismia guianensis and Myrcia sylvatica demonstrated the greatest abundance and relative dominance. In class II, Lacistema pubescens, Vismia guianensis, Miconia ciliata, Myrcia bracteata and Banara guianensis also displayed an elevated number of individuals. Myrcia sylvatica presented the greatest abundance in the three successional stages. Similarity among plots was approximately 60 percent for class I and 42 percent for class II. The results showed the forest with three stages of successional development: initiation phase (4 years), exclusion phase (8 years), and the beginning of the understory reinitiation phase (12 years).
Descritores: Florestas
Agricultura Florestal
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  3 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-394085
Autor: Santos, Silvio Roberto Miranda dos; Miranda, Izildinha de Souza; Tourinho, Manoel Malheiros.
Título: Análise florística e estrutural de sistemas agroflorestais das várzeas do rio Juba, Cametá, Pará / Floristic and structural analysis of agroforestry floodplain systems of the Juba river, Cametá, Pará
Fonte: Acta amaz;34(2):251-263, 2004. ilus, mapas, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Estudou-se a composição florística e a estrutura de sistemas agroflorestais (SAF) nas várzeas do rio Juba, Município de Cametá-PA. Utilizou-se sete parcelas de 0,25 ha (50 m x 50 m) em SAF tradicionais. Cada parcela foi dividida em 25 sub-parcelas de 10 m x 10 m. As espécies foram classificadas quanto aos tipos de usos e em três níveis de comercialização. Nos sete SAF foram inventariados 21060 indivíduos/ha com CAP e" 10 cm ou (média de 3009 indivíduos/ha), pertencentes a 27 famílias, 53 gêneros e 61 espécies. Cinco espécies (8 por cento) são comuns aos sete SAF. O uso energético (lenha e carvão) foi o mais freqüente (63 por cento). Os SAF apresentaram maior percentual de espécies comerciais (46 por cento). Espécies comumente encontradas nas várzeas da Amazônia brasileira foram importantes nesse estudo: Euterpe oleracea Mart., Theobroma cacao L., Virola surinamensis (Rol.) Warb., Hevea brasiliensis Muell. Arg. e Carapa guianensis Aubl. Euterpe oleracea e Theobroma cacao, juntas apresentaram Dr média de 80 por cento e IVImédio de 48 por cento. Os valores médios de abundância, área basal e IVI, bem como os percentuais de espécies potenciais e comerciais indicam grandes possibilidades de sustentabilidade se adotado manejo adequado e racional nesses importantes ecossistemas antrópicos da Amazônia Oriental.
Descritores: Florestas
Ecossistema Amazônico
Floresta Úmida
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  4 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-394087
Autor: Ivanauskas, Natália Macedo; Monteiro, Reinaldo; Rodrigues, Ricardo Ribeiro.
Título: Estrutura de um trecho de floresta Amazônica na bacia do alto rio Xingu / Structure of patch of Amazonian forest in the alto rio Xingu basin
Fonte: Acta amaz;34(2):275-299, 2004. ilus, mapas, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo apresenta a estrutura de florestas em Gaúcha do Norte-MT (13° 10'S e 53° 15' O), na borda sul-amazônica. Para o levantamento fitossociológico, três áreas amostrais de 1ha foram subdivididas em 50 parcelas de 10x20m, nas quais foram amostrados todos os indivíduos com perímetro à altura do peito (PAP) >15 cm. Para verificar a similaridade estrutural entre as áreas utilizou-se a Análise de Correspondência. As espécies indicadoras dos ambientes de interflúvio e das áreas sujeitas à inundação foram obtidas através do TWINSPAN e de um sistema de pesos. Concluiu-se que as florestas presentes na bacia do rio Pacuneiro pertencem à mesma unidade fitogeográfica, mas com subtipos florísticos e estruturais de acordo com a posição no relevo, a proximidade dos cursos d'água e o estrato analisado, apresentando predominância de algumas espécies, ou até mesmo possíveis endemismos, em determinados trechos ou estratos. A formação apresentou baixa diversidade alfa (2,91 a 3,50) e beta (3,62 a 3,86), o que não é comum em florestas amazônicas. Várias hipóteses podem explicar essa baixa diversidade, entre elas a baixa precipitação e a alta sazonalidade, o ambiente físico regional aparentemente homogêneo e favorável às espécies competidoras, ou os eventos históricos, relacionados à possível exploração por tribos indígenas ou à recente expansão dessas florestas sobre as áreas savânicas.
Descritores: Florestas
Ecossistema Amazônico
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  5 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-393984
Autor: Ivanauskas, Natália Macedo; Monteiro, Reinaldo; Rodrigues, Ricardo Ribeiro.
Título: Composição florística de trechos florestais na borda sul-amazônica / Floristic composition of forest patches in Southern Amazonia
Fonte: Acta amaz;34(3):399-413, jul.-set. 2004. ilus, mapas, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo apresenta a composição florística de trechos de uma faixa de vegetação de transição existente na região centro-leste do Estado de Mato Grosso, mais precisamente no município de Gaúcha do Norte (13° 10'S e 53° 15' O), onde dá-se o contato entre a Floresta Ombrófila e a Floresta Estacional. O levantamento florístico foi realizado em março de 1999 e bimestralmente a partir de agosto de 1999 até março de 2001, em excursões com duração média de 5 dias, por meio de caminhadas na borda e no interior de florestas, sendo coletadas fanerógamas em fase reprodutiva. Também foram incluídas amostras vegetativas de espécies arbustivo-arbóreas, que não floresceram ou frutificaram durante o período de amostragem, amostradas em 3ha destinados ao levantamento fitossociológico. O levantamento florístico resultou em 72 famílias, 168 gêneros e 268 espécies. Do total de espécies, 66 por cento apresentaram hábito arbóreo e 18 por cento foram lianas. As ervas e arbustos praticamente restringiram-se às áreas de borda ou clareiras, somando 13 por cento. Já a flora epifítica mostrou-se pouco expressiva (1 por cento), quando comparada ao restante da Amazônia, em conseqüência do clima regional mais seco. Hemiepífitas, parasitas e palmeiras constituíram o percentual restante. Constatou-se que 39 espécies amostradas em Gaúcha do Norte ainda não haviam sido depositadas em herbários que mantém coleções representativas da flora matogrossense, enfatizando a carência de coletas nas áreas florestais do Estado.
Descritores: Árvores
Florestas
Ecossistema Amazônico
Flora
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  6 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-393987
Autor: Salm, Rodolfo.
Título: Tree species diversity in a seasonally-dry forest: the case of the Pinkaití site, in the Kayapó Indigenous Area, Southeastern limits of the Amazon
Fonte: Acta amaz;34(3):435-443, jul.-set. 2004. ilus, tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Este estudo compara a florística e estrutura e a diversidade de espécies arbóreas de um palmeiral antropogênico e áreas não perturbadas na floresta sazonalmente seca da base de pesquisas ecológicas do Pinkaití, na Terra Indígena Kayapó. Esta base de estudos, administrada pela Conservation International do Brasil, é a área mais ao sudoeste até o momento floristicamente amostrada na Amazônia. Uma mancha de floresta secundária e uma floresta não perturbada adjacente foram amostradas com um grupo de 52 parcelas de 0,0625-ha (25x25-m) onde todas as árvores com DAP > 10 cm foram medidas e identificadas. As análises foram complementadas com outras duas parcelas de 1-ha (10x1000-m). Este estudo mostrou que o Pinkaití, como outras florestas sazonalmente secas, tem grande heterogeneidade na estrutura e composição da floresta, associada com características bióticas das espécies arbóreas mais importantes, perturbação natural e histórico de uso do solo. O palmeiral, moderadamente dominado pela palmeira arborescente Attalea maripa (Aubl.) Mart., apresentou alta diversidade de espécies arbóreas e é floristicamente semelhante às florestas primárias da área de estudos. É discutida a importância de palmeiras arborescentes de grande porte no processo de regeneração das florestas amazônicas sazonalmente secas.
Descritores: Florestas
Ecossistema Amazônico
Floresta Úmida
-Árvores
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  7 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Costa Rica
Texto completo
Id: biblio-1041891
Autor: Baruch, Zdravko; Nozawa, Shingo; Johnson, Erica; Yerena, Edgard.
Título: Ecosystem dynamics and services of a paired Neotropical montane forest and pine plantation / Dinámica y servicios del ecosistema en un bosque montano neotropical y un pinar sembrado
Fonte: Rev. biol. trop;67(1):24-35, Jan.-Mar. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Montane forests are one of the most decimated of Neotropical biomes even though they provide a suite of valuable ecosystem services such as provision of water to lowland settlements and prevention of erosion and mudslides. In some instances, to restore these and other ecosystem services, degraded montane forests are replaced by exotic tree plantations, which cover sizeable areas in several countries. Despite their importance for assessment of ecological services and for intrinsic ecological value, comparative studies of paired native montane forest and conifer plantation are scarce along the Northern Andean Cordillera. Additionally, extrapolations are challenging because each pair of communities is highly site specific due to environmental setting, age and density of plantation, and reforestation species. Here, we assess and compare structure, biogeochemistry and ecosystem services provided by closely positioned native forest and pine plantation from a protected montane area in Venezuela. Soil nutrients and soil carbon content were 60 and 54 % respectively higher in the forest. As consequence of pine' growth form and leaf biochemistry, aboveground biomass and litter mass, as well as nutrient content and carbon stocks, were higher in the plantation. This results in the plantation storing 30 % more MgC ha-1 than the nearby forest. Canopy structure and litter properties influence the hydrology of both ecosystems through differences in rain throughfall. Most of the ecosystem services itemized are superior in the native forest, with exception that the younger plantation sequesters more carbon. An additional service provided by plantations might be that of ecological corridors that connect fragmented native forests. Our study, a specific case of nutrient and carbon cycling dynamics in paired montane forests and pine plantations, provides another set of data for the design of policy and management of considerable areas in the Neotropics with established conservation plantations.(AU)

Resumen Los bosques montanos son uno de los biomas más devastados del Neotrópico aunque proporcionan valiosos servicios ecológicos al suministrar agua a los asentamientos humanos y proteger contra la erosión y los deslaves. En algunas instancias, para mantener esos servicios ecológicos, los bosques destruidos son reemplazados por plantaciones forestales en áreas considerables de varios países. Aunque existen unos pocos estudios comparativos en a lo largo del norte de la Cordillera Andina, las extrapolaciones son difíciles debido a que estos son altamente específicos debido al entorno ambiental, edad de las plantaciones, y a la especie de conífera dominante. Nosotros analizamos y comparamos la diversidad y estructura de la vegetación, la biogeoquímica y los servicios ecológicos proporcionados por un bosque montano y una plantación de pino adyacente en un área protegida de Venezuela. Los suelos del bosque nativo contienen 60 % más de nitrógeno y 54 % más de carbono que los de la plantación. Como consecuencia de la forma de vida de los pinos y de su composición foliar, la biomasa aérea y el contenido de nutrientes en la hojarasca seca son mayores en la plantación dando como resultado que la plantación contiene 30 % MgC ha-1 más que el bosque. La estructura del dosel influencia la hidrología de ambos ecosistemas mediante diferencias en la penetración del agua de lluvia. La mayoría de los servicios son de menor valor ecológico en la plantación de pino. Sin embargo, esta ofrece servicios que no existirían en su ausencia. En regiones montañosas, las plantaciones de coníferas fueron establecidas para mejorar la provisión de agua y estabilizar los suelos. Sin embargo, nuestros resultados sugieren que las plantaciones pueden proporcionar corredores ecológicos que conecten bosques nativos fragmentados. Nuestro estudio, al proveer un ejemplo adicional de dinámica ecológica comparada, expone las diferencias en servicios ecológicos proporcionados por un bosque montano y una plantación de pino y proporciona información para establecer políticas de conservación y manejo de recursos naturales en extensas áreas neotropicales.(AU)
Descritores: Política Pública
Cultivos Agrícolas
Florestas
Ecossistema
Conservação dos Recursos Naturais
-Venezuela
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-420232
Autor: Ferreira, Sávio J. Filgueiras; Luizão, Flávio J; Dallarosa, Ricardo L. Godinho.
Título: Precipitação interna e interceptação da chuva em floresta de terra firme submetida à extração seletiva de madeira na Amazônia Central / Throughfall and rainfall interception by an upland forest submitted to selective logging in Central Amazonia
Fonte: Acta amaz;35(1):55-62, 2005. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Em uma área de floresta de terra firme na Amazônia Central submetida à extração seletiva de madeira (6-10 árvores ou 34 m³ ha-1 de madeira), foram medidas a precipitação interna e a interceptação da água da chuva num período de mais de dois anos. No primeiro ano, os dados coletados foram contínuos; no ano seguinte, as informações foram obtidas em campanhas intensivas em diferentes épocas do ano. Procurou-se quantificar as alterações produzidas pela extração seletiva na precipitação interna e na interceptação da chuva e, conseqüentemente, no ciclo hidrológico. Na floresta intocada (controle), a precipitação interna variou de 74,2 a 87,1 por cento e nas parcelas manejadas de 86,9 a 92,9 por cento, verificando-se um aumento na precipitação interna após a extração seletiva de madeira. No entanto, as alterações provocadas pela extração seletiva na precipitação interna, que é a transferência de água da atmosfera para o solo após percolar o dossel da floresta, não foram estatisticamente significativas. Mas a interceptação da chuva, uma das partes do ciclo hidrológico, que retorna para a atmosfera e contribui para novas chuvas, foi significativamente alterada pela extração seletiva, provocando uma diminuição da quantidade de água retida pelo dossel.
Descritores: Chuva
Manejo de Espécimes
Florestas
Ecossistema Amazônico
Ciclo Hidrológico
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  9 / 311 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1146425
Autor: Lima, Antônio Raphael Silva de; Lima, Ricardo Cordeiro de; Nepomuceno, Isabel Tavares Galindo; Nascimento, Hugo Henrique Costa do; Prata, Ana Paula do Nascimento; Silva, Rafael Ricardo Vasconcelos da.
Título: Influence of edge in the structure of the vegetation of an open ombrophilous forest in Alagoas / Influência da borda na estrutura da vegetação de uma floresta ombrófila aberta em Alagoas
Fonte: Biosci. j. (Online);36(2):591-601, 01-03-2020. tab, ilus, graf.
Idioma: en.
Resumo: Understanding the influence of fragmentation on the behavior of forest essential elements in different vegetation formations is fundamental for the definition of conservation strategies. In this study, the aim was to evaluate the influence of the edge environment on the phytosociological structure of a fragment of Open Ombrophylous Forest, in Rio Largo, Alagoas. Five transects of 10.0 x 100.0 m were subdivided into ten 10.0 x 10.0 m plots to collect the data. All tree individuals with Chest Height Circumference ≥ 15 cm were sampled, measured and later identified in the herbarium of the Institute of the Environment of Alagoas. For the analysis, the phytosociological parameters Shannon-Wiener diversity (H'), Pielou equability (J') were calculated after defined the successional classes and dispersion syndromes of the species sampled. The edge effect was analyzed by comparing the richness, diversity, equability and number of individuals in the interior and at the edge of the fragment, using the Venn diagram technique. There were 581 arboreal individuals, of which 434 were identified as belonging to 20 families, 24 genera and 30 morphospecies. Among the raised species, there were higher occurrences of early secondary (46.67%) and late (23.33%), as well as those of zoocoric dispersion (53.33%). The diversity was 2.89 nats/ind., and the Pielou (J') equability was 0.8497. The edge environment did not influence the establishment of species. This may have occurred due to the environmental characteristics of the open ombrophylous forest.

Compreender a influência da fragmentação sobre o comportamento das essências florestais em diferentes formações vegetacionais é fundamental para que se possa definir estratégias de conservação. Neste trabalho,objetivou-se de avaliar a influência do ambiente de borda sobre estrutura fitossociológica de um fragmento de Floresta Ombrófila Aberta, em Rio Largo, Alagoas. Para a coleta dos dados foram alocados cinco transectos de 10,0 x 100,0 m, subdivididos em dez parcelas de 10,0 x 10,0 m. Foram amostrados todos osindivíduos arbóreos com Circunferência à Altura do Peito ≥ 15 cm, que foram mensurados e posteriormente identificados no herbário do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas. Para a análise foram calculados osparâmetros fitossociológicos, a diversidade de Shannon-Wiener (H'), a equabilidade de Pielou (J'), definidas as classes sucessionais e síndromes de dispersão das espécies amostradas. O efeito de borda foi analisado por meio de comparação da riqueza, diversidade, equabilidade e número de indivíduos no interior e na borda do fragmento, empregando-se a técnica diagrama de Venn. Foram registrados 581 indivíduos arbóreos, dos quais 434 foram identificados como pertencentes a 20 famílias, 24 gêneros e 30 morfoespécies. Entre as espécies levantadas, houve maior ocorrência de secundárias iniciais (46,67%) e tardias (23,33%), assim como de dispersão zoocórica (53,33%). A diversidade foi de 2,89 nats/ind., e a equabilidade de Pielou (J') foi de 0,8497. O ambiente de borda não influenciou no estabelecimento de espécies. Isso pode ter ocorrido em virtude das características da floresta ombrófila aberta.
Descritores: Brasil
Florestas
Conservação dos Recursos Naturais
Floresta Úmida
-Árvores
Ecossistema
Biodiversidade
Desenvolvimento Vegetal
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  10 / 311 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Costa Rica
Texto completo
Id: biblio-1041902
Autor: Jadán, Oswaldo; Cedillo, Hugo; Pillacela, Priscila; Guallpa, Darío; Gordillo, Alexandra; Zea, Pedro; Díaz, Lourdes; Bermúdez, Fernando; Arciniegas, Andrés; Quizhpe, Wilson; Vaca, Carlos.
Título: Regeneración de árboles en ecosistemas naturales y plantaciones de Pinus patula (Pinaceae) dentro de un gradiente altitudinal andino (Azuay, Ecuador) / Regeneration of trees in natural ecosystems and plantations of Pinus patula (Pinaceae), in an Andean altitudinal gradient (Azuay, Ecuador)
Fonte: Rev. biol. trop;67(1):182-195, Jan.-Mar. 2019. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Los bosques y páramos andinos poseen alta riqueza de especies, pero están amenazados constantemente por deforestación. La regeneración natural arbórea de estos ecosistemas condiciona su estructura y funcionalidad en el futuro, pero ha sido escasamente evaluada. En Los Andes del sur del Ecuador, también existen plantaciones forestales de Pinus patula (pino) abandonadas, que podrían ser escenarios para promover la regeneración natural. En un gradiente altitudinal andino, se evaluó florísticamente parámetros de la regeneración arbórea en dos escenarios de estudio: ecosistemas naturales (páramos herbáceos y bosques naturales) y plantaciones de pino. Para ello la diversidad de la regeneración fue descrita mediante la riqueza de especies, índice de Shannon y composición florística. La abundancia a través del número de individuos; estos parámetros fueron comparados en ambos escenarios. También se determinó qué variables ambientales o predictoras de: cobertura de dosel, edáficas, estructura arbórea, distancia horizontal y fisiográficas, explicaron con mayor magnitud la variación en los parámetros de la regeneración. Para ello se realizó un análisis de partición de la variación. La riqueza y diversidad de especies fueron mayores en los ecosistemas naturales, la composición florística fue diferente y su abundancia fue similar. En los ecosistemas naturales, el área basal y la densidad arbórea explicaron mayormente la variación en la riqueza, diversidad y abundancia. No así en las plantaciones de pino en donde la distancia horizontal hacia los bosques nativos fue la predictora que mayormente las explicó. La mayor diversidad de regeneración en los ecosistemas naturales (bosques) está asociada con la existencia de biotipos arbóreos, arbustivos y disponibilidad de semillas, adicionando a la eficiencia en los procesos de dispersión a nivel de micro-hábitat, aspectos que son limitantes en las plantaciones de pino, en los cuales la dispersión o disponibilidad de semillas depende de la cercanía a los ecosistemas naturales.

Abstract Andean forests and paramo have high species richness, but constantly they are threatened by deforestation. Natural arboreal regeneration of these ecosystems will condition their structure and functionality in the future, but now it has been poorly evaluated. In the Andes of Southern Ecuador, there are also abandoned Pinus patula (pine) forest plantations, which could be scenarios to promote natural regeneration. In an Andean altitudinal gradient, we evaluated floristically parameters of tree regeneration between two study scenarios: natural ecosystems (herbaceous paramos and natural forests) and pine plantations. For this, the diversity of regeneration was described by species richness, Shannon index and floristic composition. Abundance with the number of individuals; these parameters were compared between two scenarios. We determined also that environmental variables or predictors of: canopy cover, soil, tree structure, horizontal distance and physiographic explained the variation in the parameters of regeneration with greater magnitude. For this, a partition analysis of the variation was carried out. Richness and diversity of species were greater in natural ecosystems, whereas floristic composition was different and its abundance was similar. In natural ecosystems, basal area and tree density explained mainly the variation in wealth, diversity and abundance. Not so in pine plantations where horizontal distance to the native forests was the predictor that mostly explained. The greatest diversity of regeneration in natural ecosystems (forests) is associated with the existence of arboreal, shrub and seed biotypes. It is adding to this, efficiency in dispersion processes at the micro-habitat level. These aspects are limiting in plantations of pine, in which the dispersion or availability of seeds depends on the proximity to natural ecosystems.
Descritores: Regeneração
Florestas
Ecossistema Tropical
Clima de Montanha
-Equador
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 32 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde