Base de dados : LILACS
Pesquisa : H02.478.676.416 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 254 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 26 ir para página                         

  1 / 254 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1040191
Autor: Menezes, Fabiana Ramos de; Reis, Gabriela Maciel dos; Sales, Aline de Abreu Silvestre; Jardim, Danubia Mariane Barbosa; Lopes, Tatiana Coelho.
Título: O olhar de residentes em Enfermagem Obstétrica para o contexto da violência obstétrica nas instituições / The obstetric nursing residents' view on obstetric violence in institutions / La visión de residentes en enfermería obstétrica para el contexto de la violencia obstétrica en las instituciones
Fonte: Interface (Botucatu, Online);24:e180664, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Este trabalho pretendeu compreender a percepção de residentes em Enfermagem Obstétrica sobre violência obstétrica em uma maternidade referência do município de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais, Brasil. Trata-se de estudo descritivo e exploratório de abordagem qualitativa. A coleta dos dados foi realizada por meio de grupo focal. Para análise dos dados foi utilizada a análise de conteúdo de Bardin, da qual emergiram três categorias: condutas inadequadas de assistência ao parto; procedimentos desnecessários com finalidades didáticas e/ou iatrogênicas; e preconceito de gênero, raça/etnia e de classe socioeconômica. O estudo aponta que as residentes reconhecem a prática da violência obstétrica no processo de formação e suas repercussões para a mulher e, ainda, evidencia a necessidade premente de investimento institucional em espaços que promovam discussões sobre a violência obstétrica.(AU)

This article aims to understand the obstetric nursing residents' perception of obstetric violence in a reference maternity hospital in the Brazilian city of Belo Horizonte. It is a descriptive, exploratory, and qualitative study. Data was collected through a focus group. Bardin's content analysis was used to analyze data, from which three categories emerged: inadequate birth assistance conducts; unnecessary procedures with educational and/or iatrogenic purposes; and gender, race/ethnicity, and socioeconomic class bias. The study indicates that residents acknowledge obstetric violence in the educational process and its repercussions to women. It also evidences the pressing need for institutional investment in spaces that foster discussions on obstetric violence.(AU)

El objetivo de este artículo es comprender la percepción de los residentes en Enfermería Obstétrica sobre la violencia obstétrica en una maternidad referencia del municipio de Belo Horizonte, Brasil. Se trata de un estudio descriptivo, exploratorio de abordaje cualitativo. La colecta de datos se realizó por medio de un grupo focal. Para el análisis de datos se utilizó el análisis de contenido de Bardín, del cual surgieron tres categorías: conductas inadecuadas de asistencia al parto; procedimientos innecesarios con finalidades didácticas y/o iatrogénicas, prejuicio de género, raza/etnia y de clase socioeconómica. El estudio señala que las residentes reconocen la práctica de la violencia obstétrica en el proceso de formación y sus repercusiones para la mujer y, también, muestra la necesidad urgente de inversión institucional en espacios que promuevan discusiones sobre la violencia obstétrica.(AU)
Descritores: Parto Humanizado
Internato e Residência
Enfermeiras Obstétricas/psicologia
-Saúde da Mulher/estatística & dados numéricos
Violência contra a Mulher
Tocologia/instrumentação
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Adulto
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  2 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-899881
Autor: Parra-Valencia, Esteban M; Urra-Canales, Andrea A.
Título: Matronas: agentes sustanciales en la disminución de la mortalidad materna prevenible / Midwives: Substantial agents in reducing preventable maternal mortality
Fonte: Rev. chil. obstet. ginecol. (En línea);82(1):87-88, feb. 2017. tab.
Idioma: es.
Descritores: Mortalidade Materna/tendências
Morte Materna/prevenção & controle
Tocologia/educação
Enfermeiras Obstétricas/educação
-Chile
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Carta
Responsável: CL126.2 - Biblioteca Médica Dr. Profesor Hernán Alessandri R.


  3 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1018244
Autor: Paraguay Ministerio de Salud Pública y Bienestar Social.
Título: Programa de Capacitación para Parteras Empíricas.
Fonte: Asunción; OPS/OMS; 1998. 42 p. ilus, tab.
Idioma: es; en.
Resumo: Trata del Programa de Capacitación de las parteras empíricas de las zonas rurales para mejorar la calidad de la atención prenatal, parto, puerperio y del recién nacido en domicilio
Descritores: Educação
Tocologia
-Monitoramento
Responsável: PY2.1 - Centro de Documentación
PY2.1/614/P/727


  4 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-904035
Autor: Alemán, Natalia Magnone.
Título: Entre lo formal y lo sustantivo: La calidad de la asistencia al parto en el Uruguay / Entre o formal e o substantivo: a qualidade da assistência ao parto no Uruguay / Between the formal and the substantive: quality of childbirth care in Uruguay
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(27):97-117, set.-dez. 2017.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Este artículo aborda una de las formas de violencia de género, la violencia en el marco de la asistencia al parto, contrastando los derechos sociales contenidos en la Ley de Salud Reproductiva uruguaya con el escenario donde se desarrolla la asistencia al parto. Para la discusión se tomaron entrevistas a personal de salud obstétrico y mujeres que han transitado por una experiencia de parto, realizadas en el marco de una maestría en sociología concluida y de un doctorado en curso. Como principal resultado aparece una distancia importante entre lo formal y lo sustantivo, siendo la violencia simbólica, expresada fundamentalmente a través de la relación médico-paciente, uno de los obstáculos para que "los derechos sean hechos". En las conclusiones se exponen propuestas para mejorar el respeto de los derechos de las mujeres en la asistencia al parto, referidos a un cambio de enfoque que resulte en la transformación del modelo de asistencia y de los/as profesionales que asisten.

Resumo O artigo refere-se a uma das formas de violência baseada no gênero: violência no contexto da assistência ao parto, contrastando os direitos sociais contidos na Lei de Saúde Reprodutiva uruguaia com o espaço onde a assistência ao parto é desenvolvida. Foram realizadas entrevistas com o pessoal da saúde obstétrica e mulheres que passaram por uma experiência de parto, no âmbito do mestrado em sociologia concluído e um doutorado em curso. O resultado principal é uma distância profunda entre os aspectos formais e os substantivos, ocorrendo violência simbólica no relacionamento médico-paciente, um dos obstáculos para que "os direitos sejam fatos". As conclusões estabelecem propostas para melhorar o respeito pelos direitos das mulheres na assistência ao parto, referindo-se a uma mudança de foco que resulta na transformação do modelo de assistência e dos profissionais que participam.

Abstract The article addresses one form of gender violence: violence in the context of childbirth care, contrasting the social rights contained in the uruguayan Reproductive Health Law with the actual scenario where childbirth attendance takes place. For the discussion, interviews with obstetrical health personnel and women who have had an experience of childbirth are taken into account, which were carried out in the context of a master's degree in sociology and an on-going doctorate. As the main result, an important distance between the formal and the substantive is revealed, where symbolic violence, expressed primarily through the doctor-patient relationship, is one of the obstacles for the rights to be respected. The conclusions offers proposals to improve respect for women's rights in childbirth care, referring to a modification in approach that can result in the transformation of the model of care and of the professionals.
Descritores: Uruguai
Medicina Defensiva
Parto
Episiotomia
Violência de Gênero
Identidade de Gênero
Tocologia
Obstetrícia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  5 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-960674
Autor: Carvajal Barona, Rocio; Gómez Gómez, Miltón César; Restrepo Acuña, Natalia; Varela Arévalo, María Teresa; Navarro Valencia, Martha Cecilia; Angulo Valencia, Eliana Sofia.
Título: Panorama académico y político que enfrentan las parteras tradicionales en América Latina / Academic and political outlook to traditional midwives in Latin America
Fonte: Rev. cuba. salud pública;44(3), jul.-set. 2018.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: Los partos de los pueblos étnicos en América Latina, siguen siendo atendidos por parteras tradicionales. La mirada conceptual y teórica de esta práctica varía entre los diferentes actores, lo que influye en las políticas e intervenciones propuestas para este gremio. Objetivo: Analizar desde una postura intercultural crítica, el panorama político que enfrentan las parteras tradicionales en América Latina. Fuente de datos: Este es un estudio de revisión de artículos académicos, documentos técnicos y normativos, que se clasificaron en temas conceptuales, de enfoques y políticos relacionados con las parteras tradicionales. Los datos se consolidaron en matrices y se analizaron a partir del método de aproximaciones sucesivas. Se realizó una triangulación entre investigadores y teórica sobre el tema. Síntesis de los datos: el sector académico realiza una diferenciación entre parteras tradicionales y parteras profesionales. Los organismos Internacionales envían a la partería tradicional solo a lugares de difícil acceso geográfico. Los Gobiernos de América Latina presentan diversas posturas desde la mirada hegemónica del modelo biomédico de salud frente a la partería tradicional. Conclusiones: Las parteras tradicionales siguen en un terreno políticamente ambiguo que debilita su rol, lo que genera la pérdida del patrimonio cultural de los países ante su no reconocimiento, no vinculación a los sistemas de salud como prestadoras de servicio y sí como actores comunitarios encargados de informar, educar, y remitir a los prestadores de servicios de salud los casos de salud materna y neonatal(AU)

Introduction: Births in ethnic populations in Latin America are still being attended by traditional midwifes. The conceptual and theoretical outlook to this practice varies among different actors, influencing on proposed policies and interventions for this group. Objectives: To analyze the political overview of traditional midwives through a critic intercultural scope. Data sources: In this descriptive study, a review of academic documents, technical documents and regulations was made, identifying conceptual, approach and political topics related to traditional midwives. The data was summarized in a matrix and analyzed through the method of consecutive approximations. Methodological triangulation was made among researchers, disciplines, techniques and information sources on the topic. Data synthesis: The academic community makes a distinction among traditional midwives and professional midwives. International organizations promote professional midwifery just for difficult geographical access locations. Latin-American governments have different positions from the hegemonic overview of the biomedical model in health toward midwifery. Conclusions: Traditional midwives remain in an ambiguous political arena undermining their role, generating a loss of the cultural heritage of the countries as they are not being recognized, not being linked to the health system as service providers, but being community actors that inform, educate and refer to the health services the maternal and neonatal cases(AU)
Descritores: Tocologia
-Região do Caribe
Características Culturais
América Latina
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  6 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Brasil
Lago, Tânia Di Giacomo do
Texto completo
Id: biblio-830870
Autor: Berquó, Elza; Lago, Tania Di Giacomo do.
Título: Atenção em saúde reprodutiva no Brasil: eventuais diferenciais étnico-raciais / Reproductive health care in Brazil: searching for ethnic differentials
Fonte: Saúde Soc;25(3):550-560, jul.-set. 2016. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo.
Resumo: Resumo Este estudo teve por objetivo comparar indicadores da atenção à saúde reprodutiva das mulheres negras e brancas. São utilizadas informações obtidas no âmbito da Pesquisa Nacional de Demografia, Saúde da Criança e da Mulher (PNDS 2006). Trata-se de uma pesquisa domiciliar por amostragem probabilística complexa com representatividade nacional. Permite inferência para cinco macrorregiões, incluindo o contexto urbano e rural. Foram estudadas 14.625 mulheres brancas e negras de 15 a 49 anos de idade, que representam, respectivamente, 40% e 54% da amostra total da pesquisa. Para análise da assistência à gestação, ao parto e ao puerpério avaliaram-se as gestações dos filhos nascidos vivos nos cinco anos anteriores à entrevista segundo seis variáveis: ter feito pelo menos uma consulta de pré-natal; ter realizado no mínimo seis consultas; o tipo de parto; ter tido a dor no parto normal aliviada; ter contado com presença de acompanhante no parto e ter feito consulta no puerpério. Além da cor, constituíram-se em variáveis independentes para cada um desses desfechos: idade da mulher na data da entrevista, macrorregião de moradia, residência urbana ou rural, estar ou não casada/unida, anos de estudo, religião atual, classificação econômica (critério Brasil) e posse ou não de convênio/plano de saúde. Na análise bivariada, mulheres negras, com menor escolaridade, pior classe econômica e não portadoras de plano de saúde apresentaram desfechos mais desfavoráveis. No entanto, após análise multivariada, as diferenças entre brancas e negras perderam significância estatística. Desigualdades sociais e econômicas mantêm-se determinantes das iniquidades na atenção em saúde reprodutiva.

Abstract This study intended to compare reproductive health care indicators between white and black women in Brazil. Data collected at the 2006 Demographic and Health Survey (DHS) were analyzed. The sample allows inferences for the country's five great regions and rural/urban residence. Among 14.625 females aged 15 to 49, white and black women accounted respectively for 40% and 54% of the total sample. Health care during pregnancy and child bearing were assessed by six indicators: attendance to at least one antenatal care visit, having attended to at least six antenatal care visits, attendance to at least one health care visit after child bearing, type of delivery, having received pain relief during a vaginal birth and having someone (relative or friend) with her during delivery. Besides skin color, the following independent variables were considered: age, region of residence, urban/rural residence, religion, marital status, schooling, economic status and having or not private health insurance. At bivariate analysis, all outcomes were unfavorable for black women, for those with low both educational level and economic status, as well for those without health private insurance. However, after multivariate analysis results showed no statistical differences between black and white women. On the other hand, social and economic inequalities remained important determinants of inequities on reproductive health services access.
Descritores: Cuidado Pós-Natal
Cuidado Pré-Natal
Gravidez
Grupos Étnicos
Assistência Perinatal
Equidade em Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Saúde Reprodutiva
Serviços de Saúde
Obstetrícia
-Sistema Único de Saúde
Sistemas de Informação
Tocologia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  7 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Brasil
Batista, Luis Eduardo
Texto completo
Id: biblio-830857
Autor: Diniz, Carmen Simone Grilo; Batista, Luís Eduardo; Kalckmann, Suzana; Schlithz, Arthur O. C; Queiroz, Marcel Reis; Carvalho, Priscila Cavalcanti de Albuquerque.
Título: Desigualdades sociodemográficas e na assistência à maternidade entre puérperas no Sudeste do Brasil segundo cor da pele: dados do inquérito nacional Nascer no Brasil (2011-2012) / Sociodemographic inequalities and maternity care of puerperae in Southeastern Brazil, according to skin color: data from the Birth in Brazil national survey (2011-2012)
Fonte: Saúde Soc;25(3):561-572, jul.-set. 2016. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Técnológico (CNPq); . Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).
Resumo: Resumo Historicamente, no Brasil, os indicadores de saúde de mães e bebês segundo cor da pele mostram quadro desfavorável às negras (pretas e pardas). Na última década, a redução das disparidades de renda e escolaridade, assim como a universalização da assistência à saúde, podem ter alterado esse quadro, em alguma medida. O objetivo deste artigo foi analisar as mudanças nas desigualdades sociodemográficas e na assistência à maternidade no Sudeste do Brasil, segundo raça/cor, na última década. Utilizamos dados do inquérito nacional Nascer no Brasil (2011-2012). Análise estatística descritiva foi realizada para a caracterização sociodemográfica, do acesso à assistência pré-natal, antecedentes clínicos e obstétricos, e características da assistência ao parto. Encontramos diferenças desfavoráveis às pretas e pardas quanto à escolaridade, renda e ao trabalho remunerado; as brancas tinham mais planos de saúde privados e maior idade. As pretas e pardas tiveram menor número de consultas, menos ultrassonografias, mais cuidado pré-natal considerado inadequado, maior paridade e mais síndromes hipertensivas. No parto, tiveram menos acompanhantes, mais partos vaginais, embora a cesárea tenha dobrado entre as negras, que com mais frequência entraram em trabalho de parto e tiveram filhos nascidos de termo pleno. Não houve diferença estatisticamente significativa quanto à situação conjugal, intercorrências da gestação, diabetes mellitus, anemias, sífilis, HIV, peregrinação para o parto, near miss materno ou neonatal e na maioria das intervenções no parto vaginal. Ainda que importantes disparidades persistam, houve alguma redução das diferenças sociodemográficas e um aumento do acesso, tanto a intervenções adequadas quanto às desnecessárias e potencialmente danosas.

Abstract Historically, in Brazil, the health indicators of mothers and babies by skin color show an unfavorable picture to black and brown-skinned women. In the last decade, the reduction of disparities in income and education, as well as the universalization of health care, may have altered this situation to some extent. The objective of this study was to analyze the changes in socio-demographic inequalities and maternity care in Southeastern Brazil, by race/color, in the last decade. We used data from the national survey Born in Brazil (2011-2012). Descriptive statistical analysis was performed in order to define socio-demographic characteristics, access to antenatal care, clinical and obstetric history, and characteristics of birth assistance. We found differences unfavorable to black and brown-skinned women in education, income, and paid work; white women had more private health insurance plans, and increased age. Black and brown women had fewer medical appointments, fewer ultrasounds, more antenatal care considered inadequate, higher parity, and more hypertensive disorders. In childbirth, they had fewer companions and more vaginal deliveries, although the cesarean rate has grown twice as high among black women. More often they went into labor and had children born full term. There was no statistically significant difference in marital status, pregnancy complications, diabetes mellitus, anemia, syphilis, HIV, pilgrimage to delivery, neonatal or maternal near miss, and most of the interventions in vaginal delivery. Although major disparities persist, there was some reduction in sociodemographic differences as well as increased access to both appropriate and unnecessary and potentially harmful interventions.
Descritores: Qualidade da Assistência à Saúde
Fatores Socioeconômicos
Grupos Étnicos
Saúde Materno-Infantil
Saúde da Mulher
Assistência Perinatal
Equidade em Saúde
Tocologia
-Cuidado Pré-Natal
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Pessoal de Saúde
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Saúde Reprodutiva
Racismo
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Brasil
Batista, Luis Eduardo
Rattner, Daphne
Texto completo
Id: biblio-830856
Autor: Batista, Luís Eduardo; Rattner, Daphne; Kalckmann, Suzana; Oliveira, Maridite Cristóvão Gomes de.
Título: Humanização na atenção à saúde e as desigualdades raciais: uma proposta de intervenção / Humanization in health care and racial inequalities: an intervention proposal
Fonte: Saúde Soc;25(3):689-702, jul.-set. 2016.
Idioma: pt.
Projeto: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral de Saúde das Mulheres. Fundo Nacional de Saúde/SES São Paulo.
Resumo: Resumo O artigo relata a proposta de ação/intervenção "Humanização do parto e nascimento: questões étnico/racial e de gênero", desenvolvida no Hospital Geral de São Mateus Dr. Manoel Bifulco em São Paulo (SP), que objetivou sensibilizar a equipe do hospital para a mortalidade materna de mulheres negras. Foram utilizados como fontes documentais relatórios de gestão, convênio estabelecido, relatórios de ordenamento de despesas e o livro Nascer com equidade. São descritas as sete etapas desenvolvidas: sensibilização e negociação na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP); negociação com o Ministério da Saúde; sensibilização e pactuação com o serviço de saúde; diagnóstico da situação; sensibilização dos profissionais para as questões de gênero e raça/cor, com a introdução do quesito "cor" nos sistemas de informação; formação dos profissionais do hospital; e formação do movimento social. O projeto teve como resultados a inclusão do quesito "cor" na Autorização de Internação Hospitalar; a sensibilização da equipe para as especificidades da saúde da mulher negra; e a mudança de percepção da equipe em relação à presença do pai na hora do nascimento, gerando a campanha "Pai não é visita". O projeto foi efetivo na abordagem de temas complexos.

Abstract The study reports the project "Humanização do parto e nascimento: questões étnico/racial e de gênero" [Humanization of childbirth care: ethnic/race and gender issues], an action/intervention research developed in the Hospital Geral de São Mateus Dr. Manoel Bifulco, in São Paulo (SP), Brazil. The objective was to sensitize the hospital team about maternal mortality among black women and discuss the impact of racism in health care. The following documents were used as documental sources: management reports, established partnerships, official letters, expenditure reports and the book Nascer com Equidade [Born with equity]. The project's seven stages were: sensitization and negotiation within the Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) [State Secretariat of Health of São Paulo]; sensitization and negotiation with the Brazilian Ministry of Health; sensitization and establishment of an agreement with the health service; diagnosis of the situation in the hospital; sensitizing the professionals towards gender and race issues, introducing the race data collection in the forms of the hospital's data bank; training hospital staff; forming social movements within the neighborhood. The project's results were: the collection of data on race became routine, and prompted the Ministry of Health to adopt this information request in all its forms; professionals were trained in women's health care and sensitized to the specificities of the black population; and there were changes in how the health care team perceives the presence of the father at birth, creating the campaign "Fathers are not visitors". The project was effective in broaching those complex issues and it may be replicated elsewhere.
Descritores: Direito à Saúde
Saúde da Mulher
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Atenção à Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Humanização da Assistência
Saúde Reprodutiva
Racismo
Tocologia
-Mortalidade Materna
Políticas Públicas de Saúde
Participação Social
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  9 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-217026
Autor: USP. Centro de Desenvolvimento da Educaçäo Médica.
Título: O ensino de clínica médica, de obstetrícia e de ginecologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Säo Paulo / Teaching of the obstetrics and gynecologic medical clinics in Faculdade de Medicina da Universidade de Säo Paulo.
Fonte: Säo Paulo; s.n; dez. 1996. 186 p. tab, graf. (Documentos CEDEM, 9).
Idioma: pt.
Descritores: Ginecologia
Obstetrícia
Medicina Clínica/educação
-Brasil
Tocologia/educação
Educação Médica/métodos
Educação Médica/tendências
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3130.00; BR66.1


  10 / 254 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1025036
Autor: Guatemala. Ministerio de Salud Pública. Unidad de Atención a la Salud de los Pueblos Indígenas e Interculturalidad.
Título: Política nacional de comadronas de los cuatro pueblos de Guatemala: 2015-2025 / National policy of midwives of the four towns of Guatemala: 2015-2025.
Fonte: Guatemala; MSPAS; UASPIIG; mar. 2015. 32 p.
Idioma: es.
Resumo: Fundamentada en la Ley para la Maternidad Saludable, considerada como prioridad nacional y amparada en el Acuerdo gubernativo: No. 102-105, esta Política Nacional quiere reconocer la labor de las comadronas, quienes por siglos han aportado a la salud de la comunidad a través de la atención materna neonatal y dado que la función de las comadronas está estrechamente vinculada a la promoción de la Maternidad Saludable. Según el INE, en el 2013 las 23,320 comadronas registradas por el MSPAS, atendieron 124,688 partos, que constituyen el 32,2 % de todos los partos atendidos en el país. Por todo ello, el MSPAS, implementará acciones para respetar, reconocer y revitalizar la labor de las comadronas en la población de Guatemala. La Política fue elaborada con base a los resultados de los 33 diálogos en los que participaron las comadronas representativas de las 29 áreas de salud de los 22 departamentos de Guatemala, en coordinación con instituciones gubernamentales, sociedad civil y agencias de cooperación internacional que trabajan en salud, lo que le da un respaldo social e institucional a la misma. Especialmente relevante es superar la incomprensión de algunos personeros de salud, debido a la desvalorización de dichas prácticas tradicionales. Por medio de esta Política no solo se quiere lograr el reconocimiento, sino establecer los ejes institucionales para el trabajo conjunto en pro del bienestar materno-infantil.
Descritores: Saúde Materno-Infantil
Políticas Públicas de Saúde
Assistência à Saúde Culturalmente Competente/legislação & jurisprudência
Saúde Materna/legislação & jurisprudência
Tocologia/legislação & jurisprudência
-População Indígena
Saúde de Populações Indígenas
Saúde Reprodutiva/legislação & jurisprudência
Direitos Culturais
Guatemala
Serviços de Saúde do Indígena/organização & administração
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Lactente
Adulto
Responsável: GT1.1 - Biblioteca y Centro de Información



página 1 de 26 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde