Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.198.240.748.640 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 327 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 33 ir para página                         

  1 / 327 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1283588
Autor: Trigueiro, Tatiane Herreira.
Título: Não adesão ao seguimento ambulatorial por mulheres que experienciáram a violência sexual: enfoque fenomenológico / Non-adherence to outpatient follow-up by women who have experienced sexual violence: phenomenological approach.
Fonte: São Paulo; s.n; 2015. 114 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: a atenção à mulher que experienciou a violência sexual constitui um desafio para os profissionais que a atendem. Quando essa mulher procura o serviço especializado, frequentemente, não dá continuidade ao seguimento ambulatorial preconizado. Essa evasão do serviço pode trazer consequências negativas para a sua saúde, considerando os riscos relacionados à contaminação por doenças sexualmente transmissíveis, gravidez indesejada e comprometimento da saúde mental. Objetivo: compreender os motivos da não adesão ao seguimento ambulatorial por mulheres que experienciaram a situação de violência sexual. Método: estudo fundamentado na fenomenologia social de Alfred Schütz, realizado com 11 mulheres que experienciaram a violência sexual e foram atendidas em um serviço especializado de Curitiba, Paraná. Para obtenção dos depoimentos, foi utilizado um roteiro de entrevista com as seguintes questões abertas: fale sobre a situação de você ter passado por um episódio de violência, ter iniciado o tratamento e ter faltado às consultas do seguimento ambulatorial. Depois disso tudo que aconteceu, como você está lidando com a situação? Qual a sua expectativa? A organização e análise dos dados foram realizadas com base na fenomenologia social de Alfred Schütz. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com seres humanos, sob o Parecer nº 795.072, de 16 de setembro de 2014. Resultados: a tipificação do vivido da mulher que experienciou a violência sexual e não aderiu ao seguimento ambulatorial mostrou-se como sendo aquela que, ao procurar os serviços da rede de atendimento, não se sente acolhida pelos profissionais que a atendem, revive a violência sofrida na delegacia e sente-se constrangida diante dos profissionais de saúde.Tem dificuldades para recordar a situação de violência, revelando a frágil corresponsabilização entre ela e os profissionais de saúde e dificuldades para aderir aos medicamentos prescritos, devido aos efeitos colaterais. Busca a superação da violência sofrida, contando para isso com o apoio de familiares e amigos. Espera ressignificar sua vida por meio da volta aos estudos e ao trabalho. Conclusões: as evidências produzidas neste estudo a partir da perspectiva das mulheres que experienciaram a violência sexual e não aderiram ao seguimento ambulatorial mostraram aspectos relevantes para serem discutidos por profissionais de saúde, que incluem a articulação entre os serviços que compõem a rede de atendimento e a melhoria do acolhimento no atendimento a essa mulher, valorizando a relação intersubjetiva entre a mesma e o profissional como um caminho para aumentar a adesão ao seguimento ambulatorial. Compreender tal experiência possibilita que a Enfermagem, inscrita entre os diversos núcleos de saberes necessários para o debate e enfrentamento da violência contra a mulher, possa assumir-se como prática social que se dispõe a exercer uma ação política e ética importante, no sentido de se corresponsabilizar no cuidado à mulher que experienciou a violência sexual, de modo que, acolhida, possa empoderar-se no seguimento ambulatorial preconizado para tais casos.

Introduction: Attention to woman who experienced sexual violence is a challenge for professional nursing care. When this woman looks for the specialized service, often she does not follow the recommended outpatient continuation. This avoidance of service can have negative consequences for her health, considering the contamination risks related to sexually transmitted diseases, unwanted pregnancy, and mental health compromising. Objective: This study aims to understand the reasons for non-adherence to outpatient follow-up by women who have experienced situations of sexual violence. Method: This study is based on social phenomenology from Alfred Schütz, carried out with eleven women who have experienced sexual violence and were treated at a specialized service in the city of Curitiba, State of Paraná, Brazil. For obtaining statements, an interview script with the following open questions was used: (1) Talk about the situation you have undergone a violence episode; how you have started treatment; why you have missed the outpatient follow-up appointments; (2) after all that occurred, how are you dealing with the situation?; and (3) what is your expectation? The data organization and analysis were based on the social phenomenology from Alfred Schütz. The project was approved by the Brazilian Ethics Committee in Research with human beings, under Opinion No. 795072 of 16 September 2014. Results: The characterization of the womans experience who has suffered sexual violence and did not join the outpatient follow-up proved to be the person who, when looking for such service network, does not feel welcomed by the professionals, since reviving the violence suffered at the police station, feels ashamed in front of health professionals.She has trouble remembering the violence situation, showing the delicate co-responsibility between her and healthcare professionals and difficulties to adhere to prescribed medications due to side effects. She seeks to overcome the suffered violence, counting on the support from family and friends. She hopes to reframe her life by returning to school and work." Conclusions: The produced evidence in this study, based on the perspective of women who have experienced sexual violence and did not join the outpatients follow-up, showed relevant aspects to be discussed by health professionals, including coordination among the services that make up the service network and the improving care in assisting these women, emphasizing the intersubjective relationship between them and the professional as a way to increase adherence to outpatient follow-up. To understanding this experience allows the nursing, present in various centers of necessary knowledge for debating and addressing violence against women, to position itself in a social practice prepared to engaging in an important political and ethical action of sharing responsibility for assisting the women, who has experienced sexual violence, so that, feeling acceptance, can commit themselves in follow-up services to such cases.
Descritores: Adaptação Psicológica
-Estupro
Saúde da Mulher
Pesquisa Qualitativa
Responsável: BR41.1 - Biblioteca Wanda de Aguiar Horta
BR41.1


  2 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1254702
Autor: Rocio, Lais de Mello; Henriques, Rafael Paes; Alves, Gabriela Santos.
Título: Bastidores da reportagem sobre assédios sexuais que gerou o movimento #MeToo: reflexões sobre o jornalismo com perspectiva de gênero / Behind the scenes of the sexual harassment report that spawned the #MeToo movement: reflections on the journalism from a gender perspective / Bastidores del reportaje sobre acosos sexuales que generó el movimiento #MeToo: reflexiones sobre el periodismo desde una perspectiva de género
Fonte: RECIIS (Online);15(2):346-361, abr.-jun. 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo realiza aproximações conceituais da epistemologia feminista, considerando a teoria crítica do jornalismo como forma de conhecimento social, com o objetivo de discutir a importância da perspectiva de gênero em reportagens sobre a cultura do estupro. Como corpus de análise, selecionamos o livro-reportagem Ela Disse: os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo, que retrata a produção das notícias do New York Times sobre abusos sexuais contra atrizes e funcionárias da indústria cinematográfica de Hollywood. Sistematizamos as teorias levantadas para apontar parâmetros do jornalismo com perspectiva feminista. Definimos, como aspectos e categorias de análise das reportagens, a contextualização, os desafios e estratégias de apuração da violência de gênero e cultura do estupro como formas de organização social e questões de saúde pública. Como resultados, reforçamos a necessidade da abordagem feminista no jornalismo para gerar a reflexão pela sociedade, o enfrentamento da violência e da desigualdade de gênero.

This article deals with conceptual approaches of feminist epistemology, bearing in mind the critical theory of journalism as a form of social knowledge, aiming to discuss the importance of the gender perspective in reports on the rape culture. As a corpus of analysis, we selected a book written by two investigative reporters, She said: breaking the sexual harassment story that helped ignite a movement, which portrays the New York Times production of news regarding sexual abuse and harassment of actresses and women employees by their bosses in Hollywood film industry. We have systematized the theories raised to point out parameters of journalism with a feminist perspective. We defined, as aspects and categories of analysis of the reports, the contextualization, challenges and strategies for investigating gender violence and rape culture as forms of social organization and public health issues. As a result of the study, we reinforce the need for a feminist approach in journalism to generate a reflection on these problems by society, and to confront the gender violence and inequality.

Este artículo realiza aproximaciones conceptuales de la epistemología feminista, teniendo em cuenta la teoría crítica del periodismo como forma de conocimiento social, con el objetivo de discutir la importancia de la perspectiva de género en los reportajes sobre la cultura de la violación. Como corpus de análisis, seleccionamos el libro-reportaje Ela disse: os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo [Ella ha dicho: los bastidores del reportaje que ha impulsionado el movimiento #MeToo], que retrata la producción de noticias del New York Times sobre acosos sexuales sufridos por actrices y empleadas de la industria cinematográfica de Hollywood. Hemos sistematizado las teorías planteadas para señalar parámetros del periodismo con una perspectiva feminista. Definimos, como aspectos y categorías de análisis de los reportajes, la contextualización, los desafíos y algunas estrategias de investigación de la violencia de género y la cultura de la violación como formas de organización social y cuestiones de salud pública. Como resultado, reforzamos la necesidad de un enfoque feminista en el periodismo para generar reflexión por la sociedad, y más el enfrentamiento de la violencia y de la desigualdad de género.
Descritores: Estupro
Feminismo
Jornalismo
Violência contra a Mulher
Perspectiva de Gênero
-Delitos Sexuais
Notícias
Iniquidade de Gênero
Limites: Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  3 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-979029
Autor: Valle, Rubén; Bernabé-Ortiz, Antonio; Gálvez-Buccollini, Juan Antonio; Gutiérrez, César; Martins, Silvia S.
Título: Intrafamilial and extrafamilial sexual assault and its association with alcohol consumption / Agresión sexual intrafamiliar y extrafamiliar y su asociación con el consumo de alcohol
Fonte: Rev. saúde pública (Online);52:86, 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE Analyze the prevalence of intrafamilial and extrafamilial sexual assault in adolescents of Peru and its association with alcohol consumption. METHODS We used a two-step and stratified probabilistic sampling to select male and female students in secondary education from all over Peru. The study included data from 54,756 students with information on demographics, alcohol and drug use, and sexual assault. The statistical analysis considered the complex sampling and we conducted two independent analyses by type of sexual assault (intrafamilial and extrafamilial), stratified by the sex of the victim. RESULTS The prevalence of life of intrafamilial sexual assaults (5.4%, 95%CI 5.0-5.8) was similar to that of extrafamilial sexual assaults (6.1%, 95%CI 5.6-6.6). Alcohol consumption in the past year was associated with intrafamilial and extrafamilial sexual assaults that occurred in the same period after adjusting for confounders. Alcohol consumption in the past year was associated with non-physical and physical forms of intrafamilial and extrafamilial sexual assaults in the disaggregated analysis by type of assault. Alcohol consumption in the past year was associated with extrafamilial rape only among females (ORa = 2.8; 95%CI 1.3-5.9). CONCLUSIONS Sexual assault against adolescent males and females by family members is a frequent form of victimization that is associated with alcohol consumption in Peru. It is important to examine this form of victimization among adolescents, especially those who consume alcohol.

RESUMEN OBJETIVO Analizar la prevalencia de las agresiones sexuales intrafamiliares y extrafamiliares en adolescentes del Perú y su asociación con el consumo de alcohol. MÉTODOS Se utilizó un muestreo probabilístico bietápico y estratificado para seleccionar estudiantes varones y mujeres de educación secundaria de todo el Perú. Los datos de 54,756 estudiantes que incluían información demográfica, sobre consumo de alcohol y drogas, y agresión sexual fueron incluidos en el estudio. En el análisis estadístico se consideró el muestreo complejo y se condujeron dos análisis independientes por el tipo de agresión sexual (intrafamiliar y extrafamiliar), estratificado por el sexo de la víctima. RESULTADOS La prevalencia de vida de las agresiones sexuales intrafamiliares (5.4%, IC95% 5.0-5.8) fue similar al de las agresiones extrafamiliares (6.1%, IC95% 5.6-6.6). El consumo de alcohol en el último año se asoció con las agresiones sexuales intrafamiliares y extrafamiliares que ocurrieron en el mismo periodo después de ajustar por los factores de confusión. El consumo de alcohol en el último año se asoció a las formas no físicas y físicas de agresión sexuales intrafamiliares y extrafamiliares en el análisis desagregado por tipo de agresión. El consumo de alcohol en el último año se asoció con las violaciones sexuales extrafamiliares sólo entre las mujeres (ORa = 2.8; IC95% 1.3-5.9). CONCLUSIONES La agresión sexual de adolescentes mujeres y varones por miembros familiares es una forma frecuente de victimización que se asocia al consumo de alcohol en el Perú. Es importante indagar por esta forma de victimización en adolescentes, especialmente los que consumen alcohol.
Descritores: Delitos Sexuais/estatística & dados numéricos
Consumo de Bebidas Alcoólicas/epidemiologia
Vítimas de Crime/estatística & dados numéricos
-Peru/epidemiologia
Estupro/estatística & dados numéricos
Fatores Socioeconômicos
Estudantes
Abuso Sexual na Infância/estatística & dados numéricos
Prevalência
Distribuição por Sexo
Agentes Comunitários de Saúde
Vítimas de Crime/psicologia
Populações Vulneráveis
Relações Familiares
Incesto
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1224086
Autor: Colás, Osmar Ribeiro; Rosas, Cristião Fernando; Pereira, Irotilde Gonçalves.
Título: Resgate histórico do primeiro programa público de interrupção da gestação por estupro no Brasil / Historical rescue of the first public rape pregnancy program in Brazil
Fonte: Femina;49(3):183-186, 20210331.
Idioma: pt.
Resumo: Os autores apresentam a evolução histórica dos caminhos percorridos até a criação do primeiro programa público de interrupção legal da gestação no Brasil. Mencionam o atendimento antes desse programa, que era realizado por poucos, de maneira dissimulada e sem publicidade nem publicações para a preservação das equipes. Mencionam como o Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya foi escolhido para esse desafio. Resgatam a luta das mulheres e dos movimentos feministas, e a criação da portaria que determinava a obrigatoriedade do atendimento para a realização do abortamento legal nos casos de antijuricidade, pela Prefeitura Municipal de São Paulo. Mencionam os difíceis caminhos até a constituição das equipes de atendimento e o desenrolar de uma sequência de fatos históricos, passando pelo início do atendimento imediato às vítimas no sentido de realizar as profilaxias pertinentes, a utilização de aspiração manual intrauterina (AMIU) como técnica principal para atendimento ao abortamento em todas as suas situações, os Fóruns Nacionais de Aborto Legal realizados pelo Cemicamp, Ministério da Saúde e Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), entre outros, que culminaram com tudo o que temos hoje em termos de atendimento integral à saúde da mulher, mormente no que tange aos direitos sexuais e reprodutivos, à violência sexual e à interrupção legal da gestação.(AU)

The authors present the historical evolution of the paths traveled until the creation of the First Public Program for Legal Interruption of Pregnancy in Brazil. They mention the care before this program that was carried out by a few, in a covert way and without advertisements or publications for the preservation of the team. Mention as the Municipal Hospital Dr. Arthur Ribeiro de Saboya was chosen for this challenge. They rescued the struggle of women and feminist movements, the creation of the ordinance that determined the mandatory care for the performance of legal abortion in cases of anti-juristy, by the city of São Paulo. They mention the difficult paths to the constitution of care teams and the development of a sequence of historical facts, through the beginning of immediate care to victims in order to perform the relevant prophylaxis, in the use of the AMIU as the main technique for abortion care in all its situations, the National Legal Abortion Forums held by Cemicamp, Ministry of Health and Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), among others, which culminated in all that we have today in terms of comprehensive care for women's health, especially with regard to sexual and reproductive rights, sexual violence and legal interruption of pregnancy.(AU)
Descritores: Aborto Legal/história
Aborto Legal/legislação & jurisprudência
Aborto Legal/métodos
Programas Governamentais/história
-Estupro/legislação & jurisprudência
Brasil
Bases de Dados Bibliográficas
Portarias
Violência contra a Mulher
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
História do Século XX
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  5 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1253243
Autor: Mujer y Salud en Uruguay.
Título: Violación sexual: la intervención desde el sistema de salud: importancia de un protocolo para la atención de víctimas de violaciones / Sexual rape: intervention from the health system: importance of a protocol for the care of rape victims.
Fonte: Montevideo; MYSU; c2011. 64 p. tab.
Idioma: es.
Descritores: Estupro/legislação & jurisprudência
Estupro/prevenção & controle
Estupro/psicologia
-Política Pública
Uruguai
Mulheres
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: UY1.1 - BINAME - Biblioteca Nacional de Medicina
UY1.1; 32A, VIO; UY1.1; WA1, VIO


  6 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1102827
Autor: Discacciati, Vilda; Epstein, Daniela; Musarella, Nadia; Terrasa, Sergio Adrian; Volij, Camila; Volpi, Mercedes.
Título: La interrupción legal del embarazo en Argentina / The legal termination of pregnancy in Argentina
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;23(1):e002050, 2020. ilus.
Idioma: es.
Resumo: En el contexto de la publicación por parte del Ministerio de Salud de la Nación de Argentina del Protocolo para la atenciónintegral de las personas con derecho a la interrupción legal del embarazo (ILE), resumido y comentado en este mismonúmero de EVIDENCIA, este comentario editorial ofrece: 1) una perspectiva amplia de lo que significa el aborto, desde lamirada estrictamente biologicista hasta definiciones basadas en el enfoque de género; 2) una descripción de los diferentesmarcos jurídicos respecto del aborto que imperan actualmente en Latinoamérica y Argentina, haciendo especial hincapiéen lo concerniente a las ILE; 3) información epidemiológica sobre la mortalidad materna en Argentina y la asociada alaborto inseguro; 4) estadísticas sobre la realización de ILE en la Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina.Dada la situación actual de aislamiento social preventivo obligatorio en el marco de la pandemia de Covid-19, conside-ramos quienes integramos equipos de salud debemos estar más atentos/as que nunca a las situaciones de violenciapotencial que podrían suceder en este contexto, para dar las respuestas pertinentes -entre las que se incluyen las ILE-, alas víctimas de embarazos no deseados consecutivos a situaciones de coerción. (AU)

In the context of the publication by the Argentine Ministry of Health of the Protocol for the comprehensive care of people withthe right to legal termination of pregnancy (LTP), summarized and commented on in this same issue of EVIDENCIA, thiseditorial article offers: 1) a broad perspective of what abortion means, from a strictly biological point of view to definitionsbased on the gender approach; 2) a description of the different legal frameworks regarding abortion that currently prevailin Latin America and Argentina, with special emphasis on LTP; 3) epidemiological information on maternal mortality inArgentina and that associated with unsafe abortion; 4) statistics on the realization of LTP in the Autonomous City ofBuenos Aires, Argentina.Given the current situation of mandatory preventive social isolation in the framework of the Covid-19 pandemic, we considerthat those of us who are part of health teams should be more alert than ever to situations of potential violence that couldoccur in this context, to give the relevant responses - including LTP- to victims of unwanted pregnancies following coercivesituations. (AU)
Descritores: Isolamento Social
Aborto Criminoso/legislação & jurisprudência
Aborto Legal/legislação & jurisprudência
Violência de Gênero/legislação & jurisprudência
-Argentina
Gravidez não Desejada/ética
Estupro/legislação & jurisprudência
Aborto Criminoso/estatística & dados numéricos
Aborto Criminoso/ética
Mortalidade Materna
Infecções por Coronavirus
Aborto Legal/estatística & dados numéricos
Aborto Legal/ética
Feminismo
Aborto
Gênero e Saúde/ética
Perspectiva de Gênero
Políticas Inclusivas de Gênero
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  7 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-662579
Autor: Zúquete, José Gonçalo Pais Estrela da Silveira; Noronha, Ceci Vilar.
Título: "Foi normal, não foi forçado!" versus "Fui abusada sexualmente": uma interpretação dos discursos de agressores sexuais, das suas vítimas e de testemunhas / "It was normal, it was not forced!" versus "I was sexually abused": an interpretation of the discourses of sex offenders, their victims and witnesses
Fonte: Physis (Rio J.);22(4):1357-1376, 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Os crimes sexuais contra crianças e adolescentes são uma forma de violência física que constitui uma preocupação no campo da Saúde Pública. Compreender estes crimes torna-se crucial para se poder intervir na sua prevenção e fundamentar o seu conhecimento para as políticas de saúde. Oartigo analisa as versões do crime sexual, comparando o discurso dos agressores com os depoimentos das vítimas e dos familiares registados em documento judicial. Estudo de natureza qualitativa, utilizando como técnicas de formação do corpus da pesquisa a entrevista individual com réus condenados ao regime de perda de liberdade e a análise documental das sentenças dos agressores sexuais de crianças e adolescentes. A reconstrução do delito sexual por parte dos reclusos, das vítimas e das testemunhas difere muito. Alguns dos agressores admitem o ato sexual criminoso, mas suas justificativas vão no sentido de eximir-se da responsabilidade alegando o consentimento da vítima; outros consideram seu crime uma acusação mentirosa elaborada por terceiros com o propósito de prejudicá-lo. As crenças partilhadas entre eles fazem com que minimizem seus comportamentos delituosos, declarando que o abuso sexual não tenha sido forçado, ou realizado mediante ameaças, nem traga sequelas físicas e psicológicas às vítimas. Os argumentos apresentados frequentemente pelos agressores expõem uma troca de papéis, passando do lugar de agressor ao da vítima. Esses agressores igualmente não reconhecem o fato de as vítimas ficarem com sequelas resultantes da violência sexual que poderão colocar seu futuro em causa.

Sexual crimes against children are a form of physical violence that is a concern in the field of Public Health. Understanding these crimes becomes crucial to be able to intervene in their prevention and foster knowledge on which to ground health policies. The article analyzes versions of sexual crime, comparing the speech of the attackers with the testimonies of victims and family members recorded in court document. It is a qualitative study, using techniques such as individual interviews with defendants sentenced to prison, as well as court documents pertaining to the sex crime against children and adolescents. The reconstruction of the sexual offense on the part of inmates, victims and witnesses differ much. Some of the attackers admit the sex offense, but their justifications go towards shirk responsibility by claiming the victim's consent; others consider his crime an elaborated lie concocted by third parties in order to cause harm. The shared beliefs between them make them minimize their criminal conduct, declaring that sexual abuse has not been forced under threats or that it brought physical and psychological effects on victims. The arguments presented by the sexual offenders often expose an exchange of roles; the attacker becomes the victim. These sexual offenders also do not recognize the fact that the victims are left with injuries resulting from sexual violence that may put their future in question.
Descritores: Estupro
Delitos Sexuais
Abuso Sexual na Infância
Vítimas de Crime
Criminosos
Violência de Gênero
-Violência
Pesquisa Qualitativa
Narrativa Pessoal
Abuso Físico
Experiências Adversas da Infância
Acontecimentos que Mudam a Vida
Limites: Humanos
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  8 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-997707
Autor: Ibarguen S, Marilyn.
Título: Interrupción voluntaria del embarazo por violación: conocimientos, actitudes y prácticas de los profesionales de la salud en Caquetá / Voluntary interruption of pregnancy caused by rape: a descriptive study on knowledge, attitudes and practices of health professionals in Caquetá / Interrupção voluntária da gravidez por violação sexual: conhecimentos, atitudes e práticas dos profissionais de saúde em Caquetá
Fonte: Rev. colomb. enferm;14(1):56-64, Abril de 2017.
Idioma: es.
Resumo: El objetivo de este estudio descriptivo transversal fue describir los conocimientos, actitudes y prácticas de profesionales de la salud \r\nque laboran en el departamento de Caquetá sobre la interrupción voluntaria del embarazo a causa de violación en un contexto \r\nde conflicto armado. Para ello, se realizó una encuesta a 117 profesionales de la salud (médicos y enfermeras) de diferentes insti\r\n-\r\ntuciones prestadoras de salud del departamento. Tamaño muestral calculado: 116, margen de error del 5 % y nivel de confianza \r\ndel 90 %. El 95 % de los profesionales conoce que en Colombia es legal la interrupción voluntaria del embarazo cuando este es \r\nproducto de una violación; el 17 % manifestó que la denuncia es el único requisito para acceder a dicho procedimiento. El 50 % \r\nrespondió que la aspiración manual endouterina es uno de los métodos utilizados y el 62 % consideró que la mujer embarazada a causa de violación debe hacer lo que considere correcto. El 47 % de los encuestados dijo no practicar la interrupción voluntaria del \r\nembarazo (IVE) pero sí remitir el caso. Se identificó que los profesionales tienen información relacionada con la atención a víctimas \r\nde violencia sexual. Aun así, hay algunas dificultades en el reconocimiento formal de los requisitos para prestar este servicio ya \r\nque, en zonas de conflicto armado, las pacientes refieren que su integridad física podría verse comprometida si interponen una \r\ndenuncia por violencia sexual, por lo cual la interrupción del embarazo se puede realizar bajo la causal \r\nsalud\r\n. Además, se logró \r\nevidenciar que los profesionales prefieren remitir los casos de IVE.

Objective.\r\n To describe the knowledge, attitudes and practices \r\nof health personnel of the department of Caquetá in relation \r\nto voluntary termination of pregnancy because of rape. \r\nMate\r\n-\r\nrial and methods.\r\n In this cross-sectional, descriptive study, a \r\nsurvey was carried out on knowledge, attitudes and practices \r\nin relation to the voluntary termination of pregnancy due to the \r\nrape in the context of an armed conflict. A total of 117 health \r\nprofessionals (doctors and nurses) of various health providing \r\ninstitutions in the department of Caquetá underwent a \r\nsurvey. Calculated sample size: 116, margin of error of 5 % and \r\nconfidence level of 90 %. \r\nResults.\r\n 95 % of the professionals \r\nknow that the voluntary termination of pregnancy is legal \r\nin Colombia when the pregnancy is caused by rape; filing a \r\npolice report is the only requirement to access such procedure, \r\n17 % said; 50% responded that manual vacuum aspiration is a \r\nmethod used and 62 % considered that the women impreg\r\n-\r\nnated by rape should do what she considers correct. Finally, \r\n47 % of those surveyed said they did not practice the volun\r\n-\r\ntary termination of pregnancy (IVE for its), but would refer it. \r\nConclusions.\r\n It was identified that professionals have infor\r\n-\r\nmation related to the care of victims of sexual violence. Even \r\nso, there are some difficulties in the formal recognition of the \r\nrequirements to provide this service since, in areas of armed \r\nconflict, patients report that their physical integrity could be \r\ncompromised if they file a report for sexual violence, a reason \r\nfor the interruption to be done under the cause of health. In \r\naddition, it was possible to show that professionals prefer to \r\nrefer IVE cases and not to practice them directly.

O objetivo deste estudo descritivo transversal foi descrever os \r\nconhecimentos, atitudes e práticas de profissionais de saúde \r\nque trabalham no departamento de Caquetá sobre a inter\r\n-\r\nrupção voluntária da gravidez devido à violação sexual em \r\num contexto de conflito armado. Para isso, realizou-se uma \r\npesquisa com 117 profissionais de saúde (médicos e enfer\r\n-\r\nmeiras) de diferentes instituições de saúde do departamento. \r\nTamanho da amostra calculada: 116, margem de erro de 5% \r\ne nível de confiança de 90%. 95% dos profissionais sabem \r\nque na Colômbia é aceita por lei a interrupção voluntária da \r\ngravidez quando é causada por violação sexual, 17% disseram \r\nque a denúncia é o único requisito para ter acesso a tal proce\r\n-\r\ndimento. 50% responderam que a aspiração manual a vácuo é \r\num dos métodos utilizados e 62% consideraram que a mulher \r\ngrávida devido à violação deve fazer o que considerar correto. \r\n47% dos entrevistados afirmaram não praticar a interrupção \r\nvoluntária da gravidez (IVE), mas repassam o caso. Identificou-\r\nse que os profissionais têm informações relacionadas ao \r\natendimento às vítimas de violência sexual. Porém, ainda há \r\nalgumas dificuldades no reconhecimento formal dos requisitos \r\npara prestar este serviço, uma vez que, em zonas de conflito \r\narmado, as pacientes explicam que sua integridade física pode \r\nser comprometida caso prestem queixa. O aborto, portanto, \r\npode ser realizado sob a causa saúde. Além disso, observou-se \r\nque os profissionais preferem passar para outros a responsabili\r\n-\r\ndade sobre os casos de interrupção voluntária da gravidez (IVE).
Descritores: Estupro
Delitos Sexuais
Violência
Conflitos Armados
Gestantes
Aborto
Responsável: CO120.1 - Biblioteca Juan Roa Vásquez


  9 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890447
Autor: Souto, Rayone Moreira Costa Veloso; Porto, Denise Lopes; Pinto, Isabella Vitral; Vidotti, Carlos Cezar Flores; Barufaldi, Laura Augusta; Freitas, Mariana Gonçalves de; Silva, Marta Maria Alves da; Lima, Cheila Marina de.
Título: Estupro e gravidez de meninas de até 13 anos no Brasil: características e implicações na saúde gestacional, parto e nascimento / Rape and pregnancy of girls aged up to 13 years in Brazil: characteristics and implications in health during gestation, delivery and childbirth
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2909-2918, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A violência sexual contra crianças e adolescentes representa uma grave ameaça aos direitos e à saúde integral desse grupo etário. O objetivo do presente estudo foi descrever as características de mães com até 13 anos, analisar o perfil dos casos de estupro notificado nessa mesma faixa etária e as repercussões dessa violência durante a gravidez e parto. Trata-se de estudo comparativo das características da gestação e parto de meninas de até 13 anos que tiveram filhos, sem e com notificação de estupro no Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (VIVA/SINAN). O percentual de meninas até 13 anos que tiveram filhos foi maior em negras (67,5%). A violência de repetição ocorreu em 58,2%. As vítimas de estupro notificadas tiveram maiores percentuais de cesárea, início tardio e menor número de consultas de pré-natal; e seus bebês tiveram peso ao nascer e Apagar do 1º minuto piores que das mães, sem notificação de estupro. O estupro de criança e adolescente é um fator de risco importante que repercute na gestação, em complicações no parto e no nascimento.

Abstract Sexual violence against children and adolescents is a serious threat to the rights and full health of this age group. This study aims to describe the characteristics of mothers aged up to 13, and analyze the profile of cases of notified rape in this age range and repercussions of this violence during pregnancy and childbirth. It is a comparative study of the characteristics of gestation and childbirth of girls aged up to 13 who have had children, without or with notification of rape, in the Violence & Accidents Vigilance (VIVA) System of the Brazilian Case Registry Database (Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN). A significant percentage (67.5%) of the girls aged up to 13 with children were of the black race/color category. There was repeated violence in 58.2% of cases. The notified rape victims have a higher percentage of birth by cesarean section, late onset and a lower number of prenatal consultations; and their babies had lower birthweight and lower 1-minute Apgar scores than mothers without rape notification. Rape of children and adolescents is an important risk factor that has repercussions during pregnancy, and complications in delivery and childbirth.
Descritores: Gravidez na Adolescência/estatística & dados numéricos
Estupro/estatística & dados numéricos
Abuso Sexual na Infância/estatística & dados numéricos
Resultado da Gravidez
-Complicações na Gravidez/epidemiologia
Cuidado Pré-Natal/estatística & dados numéricos
Violência/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Recém-Nascido de Baixo Peso
Cesárea/estatística & dados numéricos
Parto Obstétrico/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 327 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890577
Autor: Delziovo, Carmem Regina; Coelho, Elza Berger Salema; d'Orsi, Eleonora; Lindner, Sheila Rubia.
Título: Violência sexual contra a mulher e o atendimento no setor saúde em Santa Catarina - Brasil / Sexual violence against women and care in the health sector in Santa Catarina - Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(5):1687-1696, Mai. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Estudo da violência sexual contra a mulher em Santa Catarina, notificada no Sistema de Informações de Agravos de Notificação entre 2008 e 2013. O objetivo foi estimar a ocorrência de gravidez e infecção sexualmente transmissível (IST) decorrente da violência sexual e testar associação entre gravidez, IST e o atendimento nos serviços de saúde. Para a gravidez foram analisadas 1.230 notificações e para IST 1.316 notificações. As variáveis foram idade, escolaridade, tempo de atendimento, profilaxias para IST, contracepção de emergência, número de agressores e violência de repetição. As variáveis foram analisadas por meio de proporções e intervalos de confiança de 95%. As associações foram testadas por regressão logística não ajustada e ajustada com os valores expressos em razão de chance. A ocorrência de gravidez foi de 7,6%. Ser atendida em 72 horas e receber a contracepção de emergência foram fatores de proteção. A ocorrência de IST foi de 3,5%. Ser atendida em 72 horas e receber profilaxias não resultou em menor proporção de IST, são necessários estudos que aprofundem esta questão.

Abstract This is a study on sexual violence against women in the Brazilian State of Santa Catarina notified to the Notifiable Diseases Information System (SINAN) in the period 20082013. It aimed to estimate pregnancy and sexually transmitted infections (STIs) resulting from sexual violence and to test the association between pregnancy, STIs and care provided in health services. In total, 1,230 pregnancy notifications and 1.316 STI notifications were analyzed. Variables were age, schooling, time to receive care, STI prophylaxis, emergency contraception, number of perpetrators and recurrent violence, which were analyzed using proportions and 95% confidence intervals. Associations were tested by adjusted and non-adjusted logistic regression with values expressed in odds ratio. The occurrence of pregnancy was 7.6%. Receiving care within 72 hours and emergency contraception were protective factors. The occurrence of STIs was 3.5%. Care within 72 hours and prophylaxis did not result in lower proportions of STIs. Further studies are required regarding this issue.
Descritores: Estupro/estatística & dados numéricos
Delitos Sexuais/estatística & dados numéricos
Doenças Sexualmente Transmissíveis/epidemiologia
-Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Fatores Etários
Anticoncepção Pós-Coito/estatística & dados numéricos
Tempo para o Tratamento
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 33 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde