Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.198.240.856.912 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 88 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 9 ir para página                      

  1 / 88 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890452
Autor: Schneider, Daniele; Signorelli, Marcos Claudio; Pereira, Pedro Paulo Gomes.
Título: Mulheres da segurança pública do litoral do Paraná, Brasil: intersecções entre gênero, trabalho, violência(s) e saúde / Public security female workers at the coast of Paraná, Brazil: intersections of gender, work, violence(s), and health
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3003-3011, Set. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo busca compreender as relações entre gênero, violências e o processo saúde-doença de mulheres que trabalham na área de segurança pública no litoral do estado do Paraná. A metodologia foi qualitativa, por meio de pesquisa etnográfica com 50 mulheres (policiais civis e militares, e agentes penitenciárias), realizada em três municípios balneários da região entre março de 2014 e março de 2015. A análise dos resultados revelou: 1) dilemas concernentes às sobrecargas de trabalho impostas pela conjuntura local, marcada pela sazonalidade; 2) exposição às violências (principalmente institucional e de gênero) e repercussão na saúde dessas mulheres; 3) relações de poder, assinaladas pelas hierarquias das corporações e assimetrias de gênero entre profissionais homens e mulheres. Esta pesquisa evidenciou: como as profissionais femininas nas instituições de segurança pública sofrem diretamente o impacto das violências e desigualdades de gênero em suas vidas pessoais e profissionais; e as resistências e rearranjos dessas mulheres nas instituições, suas reinvenções em meio a um ambiente de hegemonia tradicionalmente masculina.

Abstract This study aimed to promote visibility of women working in public security along the Parana coast, articulating issues of gender, violence(s), and the health-disease process. The methodology was qualitative, through an ethnographic research which included 50 women (civilians, military policewomen, and prison officers) from municipalities along the Parana coast, between March 2014 and March 2015. Results revealed: 1) the dilemmas that these women are subjected to, facing the seasonal dynamics in the field of public security in the region; 2) exposure to violence (mainly institutional and gender-based) and its impact on these women's health; 3) power relations, marked by corporations' hierarchies and gender asymmetries between men and women in professional settings. In summary, this research highlighted the need to promote visibility of women working in public security institutions, considering the impact of violence and gender inequalities in their personal and professional lives, including the resistance and rearrangements promoted by these women in the institutions in response to their presence in a hegemonic and traditionally male environment.
Descritores: Prisões/estatística & dados numéricos
Violência no Trabalho/estatística & dados numéricos
Violência de Gênero/estatística & dados numéricos
Militares/estatística & dados numéricos
-Brasil
Saúde da Mulher
Sexismo/estatística & dados numéricos
Ocupações/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890454
Autor: Ferreira, Marcelo José Monteiro; Macena, Raimunda Hermelinda Maia; Mota, Rosa Maria Salani; Pires Neto, Roberto da Justa; Silva, Ageo Mário Cândido da; Vieira, Luiza Jane Eyre Sousa; Kendall, Bernard Carl; Kerr, Ligia Regina Franco Sansigolo.
Título: Prevalência e fatores associados à violência no ambiente de trabalho em agentes de segurança penitenciária do sexo feminino no Brasil / Prevalence and violence-associated factors in the work environment of female prison guards in Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2989-3002, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo deste artigo é estimar a prevalência e os fatores associados à violência no trabalho em agentes de segurança penitenciária do sexo feminino no Brasil. Estudo seccional, analítico, de abrangência nacional, realizado em 15 unidades prisionais femininas nas cinco regiões do Brasil. Foi realizado o teste de qui-quadrado de Pearson. O Odds Ratio e os Intervalos de Confiança foram estimados para os fatores que apresentaram associação significativa ou mostraram-se como fatores de confundimento. A prevalência de pelo menos um episódio de violência foi de 28,4%. Chama a atenção o fato das próprias agentes serem apontadas como as principais suspeitas de praticarem roubos (74,6%), violência moral (68,1%) e assédio sexual (66,8%) contra as colegas de trabalho. Trabalhar em mais de uma unidade prisional aumentou a chance de sofrer violência (OR = 3,23; IC = 1,51 - 6,9). Os principais fatores associados são: trabalhar em casas de privação provisória, idade de ingresso no sistema prisional e baixo suporte social entre colegas de trabalho. A violência no ambiente prisional brasileiro é um fenômeno complexo e multicausal. Para o seu enfrentamento é necessária à adoção de ações intersetoriais, capazes de intervir tanto no ambiente prisional como na sociedade.

Abstract This article aims to estimate the prevalence and violence-associated factors in the work environment of female correctional officers in Brazil. A cross-sectional, analytical study was conducted in 15 female correctional facilities in Brazil's five regions. Pearson's chi-square test was performed. The Odds Ratio and Confidence Intervals were estimated for factors that showed a significant association or were confounding factors. The prevalence of having experienced at least one violent occurrence during professional duty as an officer was 28.4%. An interesting factor is fact that agents themselves are identified as the main suspects of robbery (74.6%), moral violence (68.1%) and sexual harassment (66.8%) against their co-workers. Working in more than one correctional facility increased the chance of suffering from violence (OR = 3.23; CI = 1.51 - 6.9). The main associated factors are: working in temporary detention centers, age of admission to the prison system and low social support among co-workers. Violence in the Brazilian prison environment is of great magnitude and considered a complex phenomenon with multiple causes. To combat this, it is necessary to adopt intersectoral actions, capable of intervening both in the prison environment and in society.
Descritores: Prisões/estatística & dados numéricos
Assédio Sexual/estatística & dados numéricos
Violência no Trabalho/estatística & dados numéricos
-Apoio Social
Brasil/epidemiologia
Prevalência
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Fatores Etários
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Multicêntrico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1151968
Autor: Campos, Augusto de Souza; Pierantoni, Célia Regina.
Título: Violência no trabalho em saúde: um tema para a cooperação internacional em recursos humanos para a saúde / Violence in the health care workplace: a theme for international cooperation in human resources in the health sector
Fonte: RECIIS (Online);4(1), mar. 2010. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: Entre os temas dos recursos humanos em saúde vêm recebendo maior atenção as condições de trabalho e os riscos para a saúde dos trabalhadores, dentre os quais, de acordo com o Relatório Mundial da Saúde de 2006, consta a violência no trabalho. A partir do estudo da literatura e de documentos oficiais, o presente artigo procura evidenciar a relevância do problema e identificar elementos para elaboração de estratégias de cooperação internacional nesse tema. Estudos mostram que as agressões podem ultrapassar largamente 50% dos trabalhadores. A Organização Mundial da Saúde defende que a violência seria resultado da interação complexa de diversos fatores, onde se destacam as condições e a organização do trabalho e a interação trabalhador-agressor. Unidades de saúde situadas em locais de maior vulnerabilidade podem apresentar maior risco de violência para seus trabalhadores com implicações inclusive para a fixação de profissionais nessas áreas. Limitações no conhecimento sobre o tema e diferenças regionais justificam a estratégia do estabelecimento de redes entre trabalhadores, usuários, gestores, comunidades e academia para o seu enfrentamento. No Brasil, existem diversas iniciativas dessa natureza. A internacionalização dessas experiências configura oportunidade para a potencialização tanto dessas redes como da cooperação horizontal em recursos humanos em saúde

Among the themes in concerning human resources in the health sector, major attention is being given to working conditions and health risks to workers, including, according to the 2006 World Health Report, violence in the workplace. Based on a study of the literature and official documents, this article seeks to show the problem's relevance and identify elements for creating international cooperation strategies on this theme. Studies show that aggression can affect more than 50% of workers. The World Health Organization argues that violence is the result of the complex interaction of various factors, among which working conditions and organization and worker-aggressor interaction stand out. Health care units situated in more vulnerable locations may present a greater risk of violence for its workers, affecting professionals from those areas. Limited knowledge about the theme and regional differences are the reasons for the strategy of establishing networks among workers, users, managers, communities and academy in order to confront the problem. In Brazil, there are various initiatives of this type. Internationalizing these experiences create opportunities to strengthen these networks and also the horizontal cooperation in human resources in the health sector
Descritores: Violência no Trabalho
Mão de Obra em Saúde
Cooperação Internacional
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1128451
Autor: Leite, Caroline do Nascimento; Oliveira, Elias Barbosa de; Lisboa, Marcia Tereza Luz; Penna, Lucia Helena Garcia; Oliveira, Sonia Acioli de; Rafael, Ricardo de Matos Russo.
Título: Violência na Estratégia de Saúde da Família: riscos para a saúde dos trabalhadores e ao atendimento / Violence in the Family Health Strategy: risks to workers' health and care / Violencia en la estrategia de salud de la familia: riesgos para la salud de los trabajadores y la atención
Fonte: Rev. enferm. UERJ;28:e45789, jan.-dez. 2020.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: identificar a ocorrência da violência na Estratégia de Saúde da Família e analisar as repercussões para a saúde dos trabalhadores e ao atendimento. Método: estudo qualitativo, descritivo, realizado com 27 trabalhadores de uma unidade de Estratégia de Saúde da Família localizada no município do Rio de Janeiro em 2018. Trabalhou-se com a técnica de entrevista semiestruturada mediante roteiro e para a categorização dos depoimentos a análise de conteúdo temática. Projeto de pesquisa aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: identificou-se a violência psicológica perpetrada por usuários através de ameaças, xingamentos e intimidações e a urbana com a exposição dos profissionais a tiros, assaltos e brigas durante as visitas domiciliares ocasionando repercussões na saúde mental dos trabalhadores e prejuízos para a qualidade do atendimento. Conclusão: a violência ocupacional é um risco a integridade física e psíquica dos trabalhadores e a qualidade do atendimento.

Objective: to identify the occurrence of violence in Brazil's Family Health Strategy and to analyze the repercussions on workers' health and on care. Method: this qualitative, descriptive study was conducted in 2018 with 27 workers from a Family Health Strategy unit in the city of Rio de Janeiro, using the semi-structured, scripted interview technique, and thematic content analysis to categorize interviewee discourse. The project was approved by the research ethics committee. Results: the violence identified was psychological, as perpetrated by users in threats, name calling and intimidation, and urban, in health personnel's exposure to gunfire, robbery, and fights during home visits, which had repercussions on the workers' mental health and impaired the quality of care. Conclusion: occupational violence is a risk to health workers' physical and mental integrity and to the quality of care.

Objetivo: identificar la ocurrencia de violencia en la Estrategia de Salud de la Familia de Brasil y analizar las repercusiones en la salud y la atención de los trabajadores. Método: este estudio cualitativo descriptivo se realizó en 2018 con 27 trabajadores de una unidad de Estrategia de Salud de la Familia en la ciudad de Río de Janeiro, utilizando la técnica de entrevista semiestructurada, guionizada y análisis de contenido temático para categorizar el discurso del entrevistado. El proyecto fue aprobado por el comité de ética en investigación. Resultados: la violencia identificada fue psicológica, perpetrada por los usuarios en amenazas, insultos e intimidación, y urbana, en la exposición del personal de salud a disparos, robos y peleas durante las visitas domiciliarias, lo que repercutió en la salud mental de los trabajadores y perjudicó la calidad de atención. Conclusión: la violencia laboral es un riesgo para la integridad física y mental de los trabajadores de la salud y para la calidad de la atención.
Descritores: Equipe de Assistência ao Paciente
Riscos Ocupacionais
Saúde do Trabalhador
Estratégia Saúde da Família
Violência no Trabalho
-Qualidade da Assistência à Saúde
Brasil
Centros de Saúde
Pesquisa Qualitativa
Limites: Humanos
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)


  5 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056959
Autor: Cortez, Pedro Afonso; Souza, Marcus Vinícius Rodrigues de; Salvador, Ana Paula; Oliveira, Luís Fernando Adas.
Título: Sexismo, misoginia e LGBTQfobia: desafios para promover o trabalho inclusivo no Brasil / Sexism, misogyny, and LGBTQphobia: challenges to promote inclusive work practices in Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);29(4):e290414, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo As práticas de violência permeiam diferentes contextos sociais, perpassando inclusive os espaços laborais. Nesse sentido, é fundamental promover o trabalho inclusivo, pois as práticas de dominação no trabalho relegam à marginalização diferentes atores sociais, incluindo mulheres e LGBTQs, ocasionando prejuízo à saúde psicossocial desses grupos. Com o intuito de contribuir nesse aspecto, propôs-se uma revisão crítica das produções sobre práticas de violência e dominação no contexto de trabalho voltado à população feminina e LGBTQs, a fim de identificar os desafios na proposição de trabalho inclusivo no Brasil. Foram empregados os descritores "trabalho" e "preconceito" ou "discriminação" em uma varredura da literatura entre 1995 e 2017 na base de dados Scielo, a qual permitiu a identificação de 54 estudos inclusos na presente revisão. Os resultados apontados pelos estudos revisados constataram violência com mulheres e LGBTQs nos diversos contextos laborais, praticada por chefes, colegas, clientes, entre outros sujeitos. Assim, apresenta-se como desafio para a proposição do trabalho inclusivo a implementação de intervenções educativas e assistenciais, respaldadas por legislações e políticas públicas que promovam o respeito e a equidade ao diverso como tônica nas organizações sociais e nos contextos de trabalho brasileiros.

Abstract Violent practices permeate different social contexts, including work spaces. In this sense, it is essential to promote inclusive work, as the practices of domination at work relegate to marginalization different social actors, including women and LGBTQs, causing harm to the psychosocial health of these groups. In order to contribute to this aspect, it was proposed a critical review of the productions on practices of violence and domination in the context of work aimed at the female population and LGBTQs, in order to identify the challenges in the proposition of inclusive work in Brazil. The descriptors "work" and "prejudice" or "discrimination" were used in a literature search between 1995 and 2017 in the Scielo database, which allowed the identification of 54 studies included in this review. The results pointed by the reviewed studies found violence with women and LGBTQs in the various work contexts, practiced by bosses, colleagues, clients, among other subjects. Thus, it is a challenge for the proposition of inclusive work to implement educational and assistance interventions, supported by laws and public policies that promote respect and equity to diversity as a keynote in Brazilian social organizations and work contexts.
Descritores: Mulheres
Ambiente de Trabalho
Sexismo
Violência no Trabalho
Minorias Sexuais e de Gênero
Violência de Gênero
-Condições de Trabalho
Brasil
Literatura de Revisão como Assunto
Assédio Sexual
Bullying
Estigma Social
Homofobia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  6 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1125338
Autor: Guimarães, Ana Paula Dias; Oliveira, Helian; Silva, Jandira Maciel da.
Título: Violência relacionada ao trabalho e apropriação da saúde do trabalhador: sofrimento anunciado no Sistema Único de Assistência Social / Work-related violence and appropriation of workers' health: suffering announced in the Unified Social Care System
Fonte: Physis (Rio J.);30(2):e300224, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O estudo teve como objetivo pesquisar a violência no trabalho vivenciada no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e suas repercussões na saúde psíquica do trabalhador. Trata-se de estudo descritivo, qualitativo e com referencial metodológico na fenomenologia. Após a coleta dos dados, através de entrevistas semiestruturada com os trabalhadores do SUAS, a análise seguiu as seguintes etapas: leitura global dos dados; divisão dos dados em unidade de significação; organização e enunciação dos dados brutos na linguagem do referencial teórico - saúde mental e trabalho - e a síntese dos resultados. Relatos sobre a violência que emerge do local, da organização e das relações de trabalho, assim como a violência indireta, a institucional e a patrimonial, demonstraram repercussões na saúde dos trabalhadores entrevistados. Possibilidades que foram confirmadas pela perda de sentido do trabalho que realizam, sofrimentos psíquicos, comprometimento da qualidade do trabalho ofertado, além das licenças médicas, rotatividade e absenteísmo. Recomendam-se intervenções sistematizadas do poder público no sentido de modificar e melhorar as condições de trabalho e de saúde para os trabalhadores no SUAS.

Abstract The study aimed to research the violence at work experienced in the Unified Social Care System (SUAS) and its repercussions on the psychic health of the worker. This is a descriptive, qualitative study with a methodological framework in phenomenology. After data collection, through semi-structured interviews with SUAS workers, the analysis followed the following steps: global data reading; dividing the data into units of meaning; organization and enunciation of raw data in the language of the theoretical framework - mental health and work and synthesis of results. Reports about the violence that emerges from the place, organization and work relationships, as well as the indirect, institutional and patrimonial violence, showed repercussions on the health of the interviewed workers. Possibilities that were confirmed by the loss of sense of the work they do, psychological suffering, compromised quality of the work offered, in addition to medical leave, turnover and absenteeism. Systematic interventions by the government are recommended in order to modify and improve working and health conditions for workers at SUAS.
Descritores: Condições de Trabalho
Saúde Mental
Saúde do Trabalhador
Violência no Trabalho
Angústia Psicológica
-Serviço Social/organização & administração
Trabalho
Ambiente de Trabalho
Recursos Humanos
Estresse Ocupacional
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  7 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-839746
Autor: Díaz Berr, Ximena; Mauro Cardarelli, Amalia; Ansoleaga Moreno, Elisa; Toro Cifuentes, Juan Pablo.
Título: Violencia de género en el trabajo en Chile: un campo de estudio ignorado / Gender violence at work in Chile: an ignored field of study
Fonte: Cienc. Trab;19(58):42-48, abr. 2017.
Idioma: es.
Projeto: Fondecyt.
Resumo: RESUMEN: Este artículo expone resultados del estudio “Dimensiones organizacionales de la violencia en el trabajo en Chile considerando desigual dades ocupacionales y de género” (Fondecyt Regular 2014. N° 1140060). Se focalizó en tres sectores económicos: industria del retail, bancaria y de elaboración de alimentos. Para cada uno se seleccionó una muestra no probabilística de tres actores laborales: trabajadores y trabajadoras, directivos y jefaturas, y dirigentes/as sindicales. Se aplicó una metodología cualitativa basada en entrevistas en profun didad. Los resultados indican que la violencia en el trabajo deriva de relaciones laborales caracterizadas por un fuerte desbalance de poder entre ejecutivos y trabajadores/as, y por el predominio de estilos de supervisión autoritarios que buscan disciplinar a la fuerza de trabajo. Se enmarca en el concepto de “régimen de trabajo opresivo”. La vio lencia de género en el trabajo expresa la articulación de dos formas de opresión sobre las mujeres: su bajo poder formal en las organiza ciones y su bajo poder social derivado de relaciones de género que las subordinan y discriminan. Se manifiesta en mayor exposición al maltrato asociado a ocupaciones de menor estatus y a condiciones precarias de empleo, en actitudes y conductas “machistas”, acoso sexual y discriminaciones asociadas a la maternidad.

ABSTRACT: This article presents results of the study "Organizational dimensions of violence at work in Chile considering occupational and gender inequalities" (Fondecyt Regular 2014. No. 1140060). It focused on three economic sectors: retail, banking and food processing. For each one, a non-probabilistic sample of three labor actors was selected: workers, managers and leaders, and union leaders. A qualitative methodology based on in-depth interviews was applied. The results indicate that violence at work derives from labor relations characterized by a strong imbalance of power between executives and workers, and by the predominance of authoritarian supervision styles that seek to discipline the labor force. It is part of the concept of "oppressive work regime". Gender violence at work expresses the articulation of two forms of oppression against women: their low formal power in organizations and their low social power derived from gender relations that subor dinate and discriminate against them. It manifests itself in greater exposure to ill-treatment associated with occupations of lower status and precarious employment conditions, "macho" attitudes and behav iors, sexual harassment and discrimination associated with motherhood.
Descritores: Mulheres Trabalhadoras
Violência no Trabalho
Violência de Gênero
Iniquidade de Gênero
-Relações Trabalhistas
Poder Psicológico
Chile
Entrevistas como Assunto
Poder Familiar
Assédio Sexual
Pesquisa Qualitativa
Sexismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  8 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-797325
Autor: Toro, Juan Pablo; Gómez-Rubio, Constanza.
Título: Factores facilitadores de la violencia laboral: una revisión de la evidencia científica en América Latina / Enabling factors of workplace violence: a review of the scientific evidence in Latin America
Fonte: Cienc. Trab;18(56):110-116, ago. 2016. tab.
Idioma: es.
Resumo: En el presente artículo se dan a conocer los resultados de una revisión sistemática de la literatura que reporta investigaciones en poblaciones latinoamericanas en torno a factores facilitadores de la violencia laboral. Para esto se realizó una búsqueda en las bases de Academic Search Complete (EBSCOhost), Fuente Académica Premier, PSICODOC, Scielo.org, JSTOR y SCOPUS. Se contemplaron estudios empíricos e indexados entre los años 2009 y 2014. Se trabajó con una selección de 17 artículos y se generaron cuatro categorías de análisis cualitativo: 1. Aproximación metodológica de los estudios. 2. Factores determinantes individuales. 3. Factores determinantes sociales-interpersonales. 4. Factores determinantes organizacionales. A partir del análisis se concluye que la violencia en el trabajo tiene un carácter multideterminado, transversal y multicausal, por lo cual debe existir una perspectiva sistémica para su abordaje, con el fin de abarcar toda su complejidad y profundidad.

This article discloses the results of a systematic review of the literature reporting research in Latin American populations around facilitating factors of workplace violence. For this, a search was conducted on the bases of Academic Search Complete (EBSCOhost) Academic Source Premier, PSICODOC, Scielo.org, JSTOR and Scopus. Empirical studies were contemplated and indexed between 2009 and 2014. We worked with a selection of 17 articles, and four categories of qualitative analysis were generated: 1. Methodological approach of the studies. 2. Individual determinants. 3. social-interpersonal determinants. 4. organizational determinants. The analysis concluded that violence at work has a multi-determined, transversal and multi-causal character, so there must be a systemic perspective to address them, in order to cover all its complexity and depth.
Descritores: Violência no Trabalho/estatística & dados numéricos
-Causalidade
Fatores de Risco
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  9 / 88 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1129277
Autor: Machado Pooli, Adriana; Aita Riss, Loren; Henrich, Patricia; Kieling Monteiro, Janine.
Título: Assédio moral no ámbito da justiça brasileira: fatores do cenário produtores de volência psicológica / Mobbing in the field of justice: when the scenario produces psychological / Acoso moral en el ámbito de la justicia brasileña: cuando el escenario laboral produce violencia psicológica
Fonte: Summa psicol. UST;16(2):70-78, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Desde a última década do século XX têm se intensificado as pesquisas acerca do assédio moral no trabalho. O fenômeno está inserido em diversos cenários, com implicações nas organizações e, por conseguinte, na sociedade. Este estudo objetivou analisar quais fatores do contexto laboral se relacionam à presença de Assédio Moral em Instituição Judiciária brasileira. Trata-se de estudo quantitativo, de alcance transversal e correlacional. Obtiveram-se os dados por meio de questionário biossociodemográfico e laboral, do Questionário de Atos Nega-tivos (QAN) e da escala Avaliação do Contexto de Trabalho (EACT) do Inventário sobre o Trabalho e Risco de Acidente (ITRA). Os resultados apontaram correlações significativas positivas entre as dimensões contexto de trabalho, organização do trabalho e relações socioprofisssionais e a presença de assédio moral. Como causas preponderantes do fenômeno investigado emergiram fatores relacionados ao cenário onde é desenvolvido o trabalho, caracterizado por imposição de metas e cobrança de resultados. Considerando a abrangência desse tipo de violência no cotidiano laboral, são necessárias intervenções multidimensionais, a fim de prevenção e promoção de saúde ocupacional.

Since the last decade of the 20th century, due to the repercussions on worker's health, research about bullying at work has intensified. The phenomenon is inserted in numerous contexts, with implications in organizations and therefore, in society. The objective of this study is to analyze which work-related factors relate to the presence of harassment at the Brazilian Judicial Institution, as well as what variables can be associated with the public servants' health damage. The scope of this research was transversal and correlative. Data was obtained through a bio-socio-demographic survey from the Negative Acts Questionnaire (NAQ) and the Work Context Assessment Scale (EXACT) of the Work Inventory and Accident Risk (ITRA). Statistical analysis showed that the longer a public servant works, the more susceptible is to bullying practices. There were significant correlations between the dimensions of work context, work organization, social and professional relationships and the presence of harassment. Factors related to the workplace appeared as predominant causes of the phenomenon.

Desde la última década del siglo XX, debido a las repercusiones en la salud del trabajador, las investigaciones acerca del acoso moral se han intensificado. El fenómeno está inserto en diversos escenarios, con implicaciones en las organizaciones y por consiguiente, en la sociedad. Este estudio se propuso como objetivo analizar qué factores laborales se relacionan con la presencia de acoso moral en las instituciones del sistema judicial brasileño, así como qué variables pueden estar asociadas a los daños en la salud de sus funcionarios públicos. El alcance de la investigación fue transversal y correlacional. Se obtuvieron los datos por medio de un cuestionario bio-sociodemográfico y laboral, del Cuestionario de Actos Negativos (QAN) y la escala Evaluación del Contexto de Trabajo (EACT) del Inventario Laboral y Riesgo de Accidentes (ITRA). Los análisis estadísticos evidenciaron que cuanto mayor es el tiempo de servicio, más susceptible resulta el servidor público de sufrir prácticas de acoso moral. Hubo correlaciones significativas positivas entre las dimensiones Contexto de trabajo, Organización del trabajo y Relaciones socio-profesionales, y la presencia de acoso moral. Como causas preponderantes del fenómeno investigado surgieron factores relacionados al escenario laboral donde se desarrolla el trabajo
Descritores: Setor Público
Sistema de Justiça
Violência no Trabalho/psicologia
Assédio não Sexual/psicologia
-Brasil
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Local de Trabalho
Correlação de Dados
Moral
Limites: Humanos
Responsável: CL126.2 - Biblioteca Médica Dr. Profesor Hernán Alessandri R.


  10 / 88 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1141434
Autor: Grande Ratti, María Florencia.
Título: Programas, políticas y prácticas de trabajo que reducen la agresión de los pacientes hacia los trabajadores sanitarios / Programs, policies, and work practices that reduce patient aggression towards healthcare workers
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;23(4):e002093, 2020. tab.
Idioma: es.
Descritores: Pessoal de Saúde
Violência no Trabalho/prevenção & controle
-Defesa do Paciente
Pacientes
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Metanálise como Assunto
Política Organizacional
Serviço Hospitalar de Emergência
Violência no Trabalho/estatística & dados numéricos
Revisões Sistemáticas como Assunto
Casas de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central



página 1 de 9 ir para página                      
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde