Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.240.425.675 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 256 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 26 ir para página                         

  1 / 256 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Lana, Francisco Carlos Felix
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-907937
Autor: Gomes, Fernanda Beatriz Ferreira; Lana, Francisco Carlos Félix; Oliveira, Rodrigo Corrêa de; Rodrigues, Rayssa Nogueira.
Título: Indicadores da hanseníase no Estado de Minas Gerais e sua relação com o índice de desenvolvimento humano municipal e a cobertura da estratégia da saúde da família / Indicators of leprosy in the state of Minas Gerais and its relationship with the municipal human development index and the coverage of the family health strategy / Indicadores de lepra en el estado de minas gerais y su relación con el índice de desarrollo humano municipal y la cobertura de la estrategia salud de la familia
Fonte: REME rev. min. enferm;21:[1-8], 2017. tab, ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi analisar a relação entre os indicadores epidemiológicos da hanseníase, a cobertura da Estratégia da Saúde da Família (ESF) e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) em Minas Gerais – Brasil, no período de 1998 a 2013. Trata-se de um estudo ecológico. A forma de mensurar as condições de vida foi a partir do IDHM. Foram realizadas duas análises: uma considerando a média de cada indicador no período de 1998 a 2005, e outra de 2006 a 2013. Foi feita análise descritiva da situação epidemiológica da hanseníase, da cobertura da ESF e do IDHM em Minas Gerais. Em seguida, foi estabelecida uma relação geral entre as taxas de detecções, em menores de 15 anos e com grau 2 de incapacidade e a cobertura da ESF e o IDHM, utilizando os testes de Poisson com inflação de zeros e de Deviance. As análises foram realizadas no programa estatístico SPSS versão 19.0 e Stata versão 10.0. Os resultados sugerem redução da endemia no estado, identificado pela queda dos indicadores da doença. O aumento da cobertura da ESF contribuiu para o aumento da detecção de casos da doença, redução de casos em menores de 15 anos e com grau 2 de incapacidade. Além disso, o aumento do IDHM contribuiu para a redução de casos da doença e de incapacidade grau 2. Apesar das políticas de melhoria do acesso aos serviços de saúde e das condições de vida da população, observa-se a persistência de municípios hiperendêmicos no estado.

The objective of this study was to analyze the relationship between the epidemiological indicators of leprosy, the coverage of the Family Health Strategy(ESF) and the Municipal Human Development Index (IDHM) in Minas Gerais – Brasil, from 1998 to 2013. It is an ecological study. The way to measureliving conditions was through the IDHM. Two analysis were carried out: one considering the average of each indicator in the period from 1998 to 2005,and another from 2006 to 2013. A descriptive analysis was made of the epidemiological situation of leprosy, the coverage of the ESF and the IDHM inMinas Gerais. Next, a relationship was established between the general detection rates, in children under 15 years old and with degree 2 of disability;with the coverage of the ESF and the IDHM, using Poisson tests with zero inflation and Deviance. The analysis was performed in the statistical programSPSS version 19.0 and Stata version 10.0. The results suggest a reduction of the endemic disease in the state, identified by the decrease in the disease indicators. Increased ESF coverage has contributed to the increased detection of cases of the disease, reduction of cases in children under 15 years oldand grade 2 disability. The increase in the IDHM has contributed to the reduction of cases of the disease and disability of grade 2. Despite policies toimprove access to health services and the living conditions of the population, we observe the persistence of hyperendemic municipalities in the state.

El objetivo de este estudio fue analizar la relación entre los indicadores epidemiológicos de lepra, la cobertura de la Estrategia Salud de la Familia(ESF) y el Índice de Desarrollo Humano Municipal (IDHM) en Minas Gerais – Brasil, de 1998 a 2013. Se trata de un estudio ecológico. Las condicionesde vida se midieron a través del IDHM. Se realizaron dos análisis: uno basado en el promedio de cada indicador entre 1998 y 2005 y otro entre 2006 y2013. Se realizó el análisis descriptivo de la situación epidemiológica de lepra, de la cobertura de la ESF y del IDHM de Minas Gerais. A continuación, seestableció una relación entre las tasas de detecciones en menores de 15 años y con discapacidad grado 2 y la cobertura de la ESF y el IDHM utilizandolas pruebas de Poisson con inflación de ceros y de deviance. Los análisis se realizaron en el programa estadístico SPSS versión 19.0 y Stata versión10.0. La caída de los indicadores de enfermedad en los resultados señala que reducción de la enfermedad endémica en Minas Gerais. El aumento dela cobertura de la ESF contribuyó al aumento de detección de casos y a la reducción de casos en niños menores de 15 años y discapacidad grado 2.Además, el aumento del IDHM contribuyó a la reducción de casos de la enfermedad y de discapacidad grado 2. Se observa que, a pesar de las políticasde mejora en el acceso a los servicios de salud y en las condiciones de vida de la población, aún persisten municipios hiperendémicos en el estado.
Descritores: Assistência à Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Hanseníase/diagnóstico
Hanseníase/epidemiologia
Hanseníase/prevenção & controle
Atenção Primária à Saúde
-Fatores Socioeconômicos
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  2 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Barros, Marilisa Berti de Azevedo
Texto completo
Texto completo
Id: lil-774557
Autor: ASSUMPÇÃO, Daniela de; DOMENE, Semíramis Martins Álvares; FISBERG, Regina Mara; BARROS, Marilisa Berti de Azevedo.
Título: Social and demographic inequalities in diet quality in a population-based study / Desigualdades sociais e demográficas na qualidade da dieta em estudo de base populacional
Fonte: Rev. Nutr. (Online);29(2):151-162, jan.-abr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: Objective : To evaluate sociodemographic inequalities in the diet quality of the urban population of the city of Campinas, São Paulo, Brazil. Methods: A population-based, cross-sectional study was performed using data from a health survey conducted in the city of Campinas in 2008-2009. Diet quality was evaluated using the Brazilian Healthy Eating Index Revised. A total of 3,382 individuals aged 10 years old and older were analyzed. Results : Brazilian Healthy Eating Index Revised scores increased with age and education level. Women consumed more vegetables, fruits, and milk, and less sodium, meat and eggs, oils, saturated and solid fats, alcohol, and added sugars than men. Scores for whole grains, vegetables, and fruits also increased with age and education level. Conclusion: These findings point to sociodemographic segments that are more vulnerable to an inappropriate diet and identify the need of strategies to increase the consumption of whole grains, dark green vegetables, fruits, and milk, and decrease the consumption of sodium, solid fats, alcohol, and added sugar.

Objetivo: Avaliar as desigualdades sociodemográficas na qualidade da alimentação da população urbana do município de Campinas, São Paulo. Métodos: Trata-se de estudo transversal de base populacional que utilizou dados de inquérito de saúde realizado em Campinas entre os anos de 2008 e 2009. A qualidade da alimentação de 3.382 indivíduos com 10 anos de idade ou mais foi avaliada pelo Índice de Qualidade da Dieta Revisado. Foram estimadas as médias do Índice de Qualidade da Dieta Revisado global e de cada componente segundo as variáveis independentes. Resultados: O escore total do Índice de Qualidade da Dieta Revisado aumentou com o crescimento da idade e do nível de escolaridade. As mulheres consumiram mais vegetais, frutas e leite, e ingeriram menos sódio, carnes e ovos, óleos, gorduras saturada e sólida, álcool e açúcar de adição, quando comparadas aos homens. Com o avanço da idade e da escolaridade observou-se pontuações mais elevadas de cereais integrais, vegetais e frutas. Conclusão: Os achados apontam os segmentos sociodemográficos mais vulneráveis à alimentação inadequada e identificam a necessidade de estratégias para aumentar o consumo de cereais integrais, vegetais verdes escuros e alaranjados, frutas e leite, e diminuir o consumo de sódio e de gorduras sólidas, álcool e açúcar de adição.
Descritores: Consumo de Alimentos
Inquéritos Epidemiológicos
Disparidades nos Níveis de Saúde
Comportamento Alimentar
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR13.3 - Biblioteca das Faculdades de Odontologia e Nutrição


  3 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-785220
Autor: Carvalho, Renata Alves da Silva; Santos, Victor Santana; Melo, Cláudia Moura de; Gurgel, Ricardo Queiroz; Oliveira, Cristiane Costa da Cunha.
Título: Avaliação da adequação do cuidado pré-natal segundo a renda familiar em Aracaju, 2011 / Assessment of the adequacy of prenatal care according to family income in Aracaju, Sergipe State, Brazil, 2011 / Evaluación de la adecuación del cuidado prenatal de acuerdo a los ingresos familiares en Aracaju-SE, Brasil, 2011
Fonte: Epidemiol. serv. saúde;25(2):271-280, abr.-jun. 2016. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Resumo: OBJETIVO: avaliar a adequação do cuidado pré-natal oferecido às gestantes usuárias de serviços de saúde em Aracaju, estado de Sergipe, Brasil, segundo a renda familiar. MÉTODOS: estudo transversal com 322 mulheres residentes no município de Aracaju que tiveram filhos nascidos em novembro e dezembro de 2011; os dados foram coletados mediante aplicação de questionários, incluindo número de consultas, procedimentos técnicos e laboratoriais preconizados pelo Ministério da Saúde; a adequação do pré-natal foi avaliada segundo os critérios do Ministério; utilizou-se o teste do qui-quadrado para comparar as proporções entre as variáveis categóricas. RESULTADOS: o cuidado pré-natal foi considerado inadequado para 89,1% das mulheres estudadas, sem diferença estatística para inadequação do pré-natal segundo a renda familiar (p=0,323). CONCLUSÃO: foi evidenciada baixa adequação do cuidado pré-natal, independentemente da renda familiar da gestante, quando utilizados os parâmetros do Ministério da Saúde.

OBJECTIVE: to assess the adequacy of prenatal care offered to pregnant health service users in Aracaju, Sergipe State, Brazil, according to family income. METHODS: this was a cross-sectional study with 322 women living in the city of Aracaju whose children were born in November and December 2011; data were collected using questionnaires, including number of consultations, technical and laboratory procedures recommended by the Brazilian Ministry of Health (MoH); adequacy of prenatal care was assessed according to MoH criteria; chi-square test was used to compare proportions between categorical variables. RESULTS: prenatal care was considered inadequate for 89.1% of women, with no statistical difference for inadequacy of prenatal care according to family income (p=0.323). CONCLUSION: low adequacy of prenatal care was found when applying MoH parameters, regardless of pregnant women's family income.

OBJETIVO: evaluar la adecuación de la atención prenatal ofrecida por servicios de salud a mujeres embarazadas en Aracaju, Sergipe, Brasil, según el ingreso familiar. MÉTODOS: estudio transversal de 322 mujeres residentes de la ciudad de Aracaju que tuvieron un hijo entre noviembre y diciembre de 2011; los datos fueron colectados a través de cuestionarios, incluido el número de consultas, procedimientos técnicos y de laboratorio recomendados por el Ministerio de Salud de Brasil (MS); la adecuación de la atención prenatal se evaluó de acuerdo a los criterios del MS; se utilizó la prueba de chi-cuadrado para comparar proporciones entre variables categóricas. RESULTADOS: la atención prenatal se consideró inadecuada en 89,1% de mujeres, sin diferencia estadísticamente significativa en la adecuación de la atención prenatal por ingreso familiar (p=0,323). CONCLUSIÓN: se evidenció baja adecuación de la atención prenatal, independientemente del ingreso familiar de las mujeres embarazadas, cuando se utilizan los parámetros del MS.
Descritores: Cuidado Pré-Natal/normas
Qualidade da Assistência à Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
-Fatores Socioeconômicos
Estudos Transversais/métodos
Setor Público
Setor Privado
Renda/estatística & dados numéricos
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Celeste, Roger Keller
Texto completo
Id: lil-762999
Autor: Baumgarten, Alexandre; Peron, Tamara Barcellos; Bastos, João Luiz; Toassi, Ramona Fernanda Ceriotti; Hilgert, Juliana Balbinot; Hugo, Fernando Neves; Celeste, Roger Keller.
Título: Experiências de discriminação relacionadas aos serviços de saúde: análise exploratória em duas capitais do Sul do Brasil / Experiences of health service-related discrimination: exploratory analysis in two Southern Brazilian State capitals / Experiencias de discriminación relacionadas a los servicios de salud: análisis exploratorio en dos capitales del Sur de Brasil
Fonte: Epidemiol. serv. saúde;24(3):353-362, jul.-set. 2015. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; . Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul.
Resumo: OBJETIVO: descrever a prevalência de discriminação relacionada aos serviços de saúde, suas motivações e fatores associados. MÉTODOS: análise seccional realizada com bancos de dados oriundos de dois inquéritos realizados no município de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, com usuários de serviços de saúde, e no município de Florianópolis, Santa Catarina, com amostra representativa de universitários, entre 2010 e 2012. RESULTADOS: a prevalência de discriminação relacionada aos serviços de saúde foi de 13,6% (IC95%: 10,5-17,2) em Porto Alegre-RS e de 7,4% (IC95%: 5,8-9,1) em Florianópolis-SC; o principal motivo para a discriminação foi ser de baixa posição socioeconômica; em ambas as capitais, observou-se maior prevalência de discriminação entre fumantes, autoclassificados pretos/negros e indivíduos de 31 a 40 anos de idade. CONCLUSÃO: a prevalência de discriminação foi relativamente baixa; reforça-se a necessidade de se investigar a discriminação no âmbito dos serviços de saúde, para a provisão de cuidados adequados à população.

OBJETIVO: describir la prevalencia de discriminación relacionada a los servicios de salud, sus motivaciones y factores asociados. MÉTODOS: análisis seccional realizado con bancos de datos originarios de dos encuestas realizadas en el municipio de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, con usuarios de servicios de salud, y en el municipio de Florianópolis, Santa Catarina, con una muestra representativa de universitarios, entre 2010 y 2012. RESULTADOS: la prevalencia de discriminación relacionada a los servicios de salud fue de 13,6% (IC95%: 10,5-17,2) en Porto Alegre-RS y de 7,4% (IC95%: 5,8-9,1) en Florianópolis-SC; el principal motivo para la discriminación fue el de ser de baja posición socioeconómica; en ambas capitales, se observó una mayor prevalencia de discriminación entre fumadores, que se auto clasifican como negros e individuos de 31 a 40 años de edad. CONCLUSIÓN: la prevalencia de discriminación fue relativamente baja; se refuerza la necesidad de investigar la discriminación en el ámbito de los servicios de salud, para proveer cuidados adecuados a la población.

OBJECTIVE: to describe the prevalence of health service-related discrimination, as well as its motivations and associated factors. METHODS: this is a cross-sectional analysis based on data from two population-based surveys carried out in Porto Alegre-RS with health service users and in Florianópolis-SC with a representative sample of university students, between 2010-2012. RESULTS: the prevalence of health service-related discrimination was 13.6% (95%CI: 10.5;17.2) in Porto Alegre and 7.4% (95%CI: 5.8;9.1) in Florianopolis; the main reason for being discriminated against was being of low socioeconomic status; in both state capitals the highest prevalence of discrimination was observed among smokers, self-classified Black people, and individuals aged between 31 and 40. CONCUSION: the results show a relatively low prevalence of discrimination; the study reinforces the need to investigate discrimination in health services in order to provide adequate care to the population.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Fatores Socioeconômicos
Estudantes
Tabagismo
Sistema Único de Saúde
Brasil
Distribuição Binomial
Prevalência
Estudos Transversais/métodos
Disparidades nos Níveis de Saúde
População Residente
Discriminação Social/estatística & dados numéricos
Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Tomasi, Elaine
Texto completo
Id: lil-762992
Autor: Nunes, Bruno Pereira; Flores, Thaynã Ramos; Duro, Suele Manjourany Silva; Saes, Mirelle de Oliveira; Tomasi, Elaine; Santiago, Alitéia Dilélio; Thumé, Elaine; Facchini, Luiz Augusto.
Título: Utilização dos serviços de saúde por adolescentes: estudo transversal de base populacional, Pelotas-RS, 2012 / Adolescent use of health services: a population-based cross-sectional study Pelotas-RS, Brazil, 2012 / Uso de servicios de salud por adolescentes: estudio transversal de base poblacional Pelotas-RS, 2012
Fonte: Epidemiol. serv. saúde;24(3):411-420, jul.-set. 2015. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)/Ministério da Educação.
Resumo: OBJETIVO: descrever a prevalência e características da utilização dos serviços de saúde por adolescentes da zona urbana de Pelotas-RS, Brasil. MÉTODOS: estudo transversal descritivo de base populacional, realizado com 743 adolescentes de 10 a 19 anos; o desfecho foi a utilização de serviços de saúde nos trinta dias anteriores à entrevista. RESULTADOS: 23,0% (IC95% 19,4;26,6) dos adolescentes referiram utilizar serviços de saúde; destes, 38,0% utilizaram consultórios particulares ou de convênio e 32,2% utilizaram unidades básicas de saúde; o Sistema Único de Saúde financiou 52,1% dos atendimentos; os principais motivos para utilização foram problema de saúde (69,0%) e consultas de revisão (18,7%); as razões para escolha do serviço foram a proximidade do domicílio (23,4%), preferência por serviço geralmente utilizado (22,8%) e escolha dos pais ou responsável (21,1%). CONCLUSÃO: o uso de serviços de saúde foi frequente e suas características podem contribuir para o planejamento da atenção à saúde direcionada aos adolescentes.

OBJECTIVE: to describe the prevalence and characteristics of health service use by adolescents in the urban area of Pelotas-RS, Brazil. METHODS: a population-based cross-sectional study was conducted with 743 adolescents aged 10 to 19 years; the outcome was health service use in the thirty days preceding the interview. RESULTS: of the total sample, 23.0% (95%CI: 19.4;26.6) used health services; of these, 38% used private or health plan services and 32.2% used public health services; the SUS financed more than half (52.1%) of care; the main reasons for health service use was health problems (69.0%) and follow-up appointments (18.7%); the reasons for choosing the service were nearness to home (23.4%), preference for commonly used services (22.8%) and choice made by parents or guardians (21.1%). CONCLUSION: health service use was high and its characteristics can contribute to the planning of adolescent health care.

OBJETIVO: describir la prevalencia y características del uso de los servicios de salud por adolescentes de la zona urbana de Pelotas-RS, Brasil. MÉTODOS: estudio transversal descriptivo de base poblacional, realizado con 743 adolescentes entre 10 a 19 años; el variable dependiente fue el uso de servicios de salud en los treinta días anteriores a la entrevista. RESULTADOS: 23.0% (IC95% 19,4;26,6) de adolescentes reportó utilizar servicios de salud; de estos, 38% utilizó consultorios particulares o de seguro de salud y 32,2% unidades básicas de salud; el Sistema Único de Saúde financió 52,1% de las atenciones; los principales motivos para el uso fueron problema de salud (69,0%) y consulta de chequeo (18,7%); las principales razones para elegir el servicio fueron la proximidad del domicilio (23,4%), servicio de uso general (22,8%) y elección del padre o responsable. CONCLUSIONES: el uso de servicios de salud fue frecuente y sus características pueden contribuir a la planificación de la atención en salud dirigida a los adolescentes.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Brasil
Distribuição de Qui-Quadrado
Prevalência
Estudos Transversais/métodos
Setor Público
Setor Privado
Área Urbana
Disparidades nos Níveis de Saúde
Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-762991
Autor: Villela, Wilza Vieira; Monteiro, Simone.
Título: Gênero, estigma e saúde: reflexões a partir da prostituição, do aborto e do HIV/aids entre mulheres / Gender, stigma and health: reflections on prostitution, abortion and HIV/AIDS among women / Género, estigma y salud: reflexiones a partir de la prostitución, del aborto y del VIH/Sida entre mujeres
Fonte: Epidemiol. serv. saúde;24(3):531-540, jul.-set. 2015.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); . Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ); . Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ).
Resumo: OBJETIVO: discutir os aspectos do acesso à saúde decorrentes dos estereótipos de gênero e de estigmas específicos, entre prostitutas, mulheres que abortam e mulheres vivendo com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) no contexto brasileiro. MÉTODOS: trata-se de revisão narrativa da literatura, referente a pesquisas recentes realizadas no Brasil. RESULTADOS: as barreiras no acesso à saúde de mulheres que se prostituem, abortam ou estão infectadas pelo HIV decorrem das conexões entre agravos à saúde, estereótipos de gênero, estigma da aids e desigualdades sociais, e aumentam a vulnerabilidade social dessas mulheres. CONCLUSÃO: ações no âmbito da gestão, na esfera legislativa e em outros setores que interferem na saúde, ao lado de práticas cotidianas dos serviços de saúde, podem contribuir para ampliar esse acesso mediante intervenções centradas no reconhecimento da autonomia das mulheres e na garantia de seus direitos sexuais e reprodutivos.

OBJECTIVE: to discuss access to health as affected by aspects arising from gender stereotypes and gender-specific stigmas among women prostitutes, women who have abortions and women with HIV in Brazil. METHODS: a narrative literature review of recent Brazilian studies. RESULTS: barriers to access to health services by prostitutes, women having abortions and women living with HIV are a consequence of the connections between health problems, gender stereotypes, AIDS-related stigma and social inequalities and increase these women's social vulnerability. CONCLUSION: actions in the health management, in legislative spheres and other sectors that affect health, together with daily health service practices, may contribute to expanding access through interventions focused on recognition of women's autonomy and guarantee of their sexual and reproductive rights.

OBJETIVO: discutir los aspectos del acceso a la salud resultantes de los estereotipos de género y de estigmas específicos, entre prostitutas, mujeres que abortan y mujeres viviendo con el virus de la inmunodeficiencia humana (VIH) en el contexto brasileño. MÉTODOS: se trata de revisión narrativa de la literatura, referente a investigaciones recientes realizadas en Brasil. RESULTADOS: las barreras en el acceso a la salud de mujeres que se prostituyen, abortan o están infectadas por el VIH resultan de las conexiones entre agravamientos de la salud, estereotipos de género, estigma del Sida y desigualdades sociales, y aumentan la vulnerabilidad social de esas mujeres. CONCLUSIÓN: acciones en el ámbito de la gestión, en la esfera legislativa y en otros sectores que interfieren en la salud, al lado de prácticas cotidianas de los servicios de salud, pueden contribuir a ampliar ese acceso mediante intervenciones centradas en el reconocimiento de la autonomía de las mujeres y la garantía de sus derechos sexuales y reproductivos.
Descritores: Trabalho Sexual
Brasil
Literatura de Revisão como Assunto
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Disparidades nos Níveis de Saúde
Aborto
Estigma Social
Limites: Seres Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-991665
Autor: Vale, Aléxa Rodrigues do; Vecchia, Marcelo Dalla.
Título: "UPA é nós aqui mesmo": as redes de apoio social no cuidado à saúde da população em situação de rua em um município de pequeno porte / "We are the UPA ourselves": social support networks on the health care for the homeless in a smalltown
Fonte: Saúde Soc;28(1):222-234, jan.-mar. 2019. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (Capes).
Resumo: Resumo A população em situação de rua (PSR) constitui-se como um público crescente nas cidades, refletindo processos sociais desiguais e excludentes. Entre as barreiras para o acesso aos direitos sociais básicos, destaca-se a negação do direito à saúde a essas pessoas. Poucos estudos buscam conhecer as estratégias desenvolvidas pela PSR diante da carência de serviços públicos e das barreiras de acesso aos existentes. Diante disso, buscou-se identificar e analisar os itinerários terapêuticos da PSR em um município de pequeno porte. Foi utilizada a triangulação de métodos qualitativos para a coleta de informações por meio de observações participantes e entrevistas semiestruturadas. Foram entrevistados sete homens e uma mulher, e o conjunto de dados foi analisado com base na análise temática. Ressalta-se, nos relatos, a utilização de redes de apoio social como fonte prioritária de cuidado, por intermédio do autocuidado, da automedicação, do uso da medicina popular e da mudança na rotina da vida nas ruas para recuperação da saúde. Tais redes também são alternativos à garantia de acesso aos serviços públicos. Evidencia-se a negação do direito à saúde decorrente do processo de exclusão social a que estão submetidos. Destaca-se o compartilhamento de uma visão de saúde ampliada, relacionada aos determinantes sociais do processo saúde-doença. Diante desse panorama, é fundamental que o setor profissional de cuidado à saúde promova ações que permitam o cuidado contínuo e integral da PSR.

Abstract The homeless is a growing public in cities, which reflects unequal and excluding social processes. Among the obstacles to access basic social rights is the denial of this public's right to health care. Few studies seek to identify the strategies developed by the homeless due to the lack of public services and the barrier to access existing ones. Therefore, we sought to identify and analyze the therapeutic itineraries of this population in a small city. Triangulation of qualitative methods was used to collect research data through participant observations and semi-structured interviews. Seven men and one woman were interviewed, and the data set was analyzed through thematic analysis. The reports highlight the use of social support networks as a central source of health care through self-care, self-medication, use of popular medicine and day-by-day routine adjustments in the streets for health recovery. Such networks are also alternatives to the guarantee to access public services. The denial of the right to health, due to the process of social exclusion to which they are submitted, is evidenced. We emphasize the sharing of an expanded health vision, related to the social determinants of the health-disease process. Given this scenario, it is fundamental that the professional health care sector promote actions to allow the continuous and integral care of the homeless.
Descritores: Apoio Social
Direito à Saúde
Pessoas em Situação de Rua
Equidade em Saúde
Serviços de Saúde
Medicina Tradicional
-Aceitação pelo Paciente de Cuidados de Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Iniquidade Social
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-978850
Autor: Ramos, Antônio Carlos Vieira; Alves, Luana Seles; Berra, Thaís Zamboni; Popolin, Marcela Paschoal; Arcoverde, Marcos Augusto Moraes; Campoy, Laura Terenciani; Martoreli Júnior, José Francisco; Lapão, Luís Velez; Palha, Pedro Fredemir; Arcêncio, Ricardo Alexandre.
Título: Estratégia Saúde da Família, saúde suplementar e desigualdade no acesso à mamografia no Brasil / Family Health Strategy, private health care, and inequalities in access to mammography in Brazil / Estrategia de Salud Familiar, salud suplementaria y desigualdad en el acceso a la mamografía en Brasil
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;42:e166, 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES); . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Resumo: RESUMO Objetivo Avaliar a associação entre o acesso à mamografia no Brasil e a cobertura pela Estratégia Saúde da Família (ESF) e pela saúde suplementar. Métodos Realizou-se um estudo ecológico com dados obtidos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). A tendência da série temporal foi analisada pelo método de Prais-Winsten utilizando-se como unidades de análise as unidades federativas brasileiras. Para investigar a relação entre a variável dependente - mulheres de 50 a 69 anos que nunca realizaram exame de mamografia - e as independentes, de cobertura de ESF ou saúde suplementar e socioeconômicas, realizou-se análise de regressão linear múltipla. Resultados O Acre foi o único estado que não apresentou tendência crescente da cobertura da saúde suplementar. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba apresentaram tendência estacionária para a cobertura pela ESF, enquanto as demais unidades federativas apresentaram cobertura crescente. Observou-se associação significativa entre nunca ter realizado mamografia na idade de 50 a 69 anos e as variáveis renda média per capita e cobertura pela ESF e saúde suplementar (R2 = 0,77; P < 0,001). Conclusão A desigualdade no acesso a mamografia é uma realidade no Brasil. Tanto a saúde suplementar quanto a Estratégia Saúde da Família têm contribuído para melhoria do acesso dessas mulheres.

ABSTRACT Objective To evaluate the association between access to mammography and coverage by private health insurance or by the public healthcare system through the Family Health Strategy (FHS). Method An ecological study was performed with data obtained from the Unified Health System Data Processing Department (DATASUS). Time trends were analyzed using the Prais-Winsten method, having the Brazilian federal units as units of analysis. Multiple linear regression was used to investigate the relationship between the dependent variable - women aged 50 to 69 years who never had a mammogram - and the independent variables (coverage by the FHS or private health care and socioeconomic aspects). Results Acre was the only Brazilian state for which an increasing growth trend in private health care was not observed. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, and Paraíba showed a stable trend for FHS coverage, whereas all other federal units had increasing coverage. A significant association was observed between never having had a mammogram at 50 to 69 years of age and the variables mean per capita income and FHS and private health care coverage (R2 = 0.77; P < 0.001). Conclusion Unequal access to mammography is a reality in Brazil. Both private health care and the FHS have contributed to improve health care accessibility for Brazilian women.

RESUMEN Objetivo Evaluar la asociación entre el acceso a la mamografía en Brasil y la cobertura prestada por la Estrategia de Salud Familiar (ESF) y por la salud suplementaria. Métodos Se realizó un estudio ecológico con datos obtenidos del Departamento de Informática del Sistema Único de Salud (DATASUS). La tendencia de la serie temporal fue analizada mediante el método de Prais-Winsten utilizando como unidades de análisis las entidades federativas brasileñas. Para investigar la relación entre la variable dependiente —mujeres de 50 a 69 años que nunca se habían realizado una mamografía— y las independientes, de cobertura por la ESF o salud suplementaria y las variables socioeconómicas, se realizó un análisis de regresión lineal múltiple. Resultados Acre fue el único estado que no presentó una tendencia creciente para la cobertura por la salud suplementaria. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte y Paraíba presentaron una tendencia estacionaria para la cobertura por la ESF, mientras que las otras entidades federativas mostraron una cobertura en ascenso. Se observó una asociación significativa entre el hecho de nunca haberse realizado una mamografía entre los 50 y los 69 años y las variables renta media per cápita, cobertura por la ESF y la salud suplementaria (R2 = 0,77; P <0,001). Conclusión En Brasil, la desigualdad en el acceso a la mamografía es una realidad. Tanto la salud suplementaria como la Estrategia de Salud Familiar han contribuido a mejorar el acceso de estas mujeres a la mamografía.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Mamografia
Estratégia Saúde da Família
Disparidades nos Níveis de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 256 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Antunes, José Leopoldo Ferreira
Texto completo
Id: biblio-977760
Autor: Negrini, Etienne Larissa Duim; Nascimento, Carla Ferreira do; Silva, Alexandre da; Antunes, José Leopoldo Ferreira.
Título: Elderly persons who live alone in Brazil and their lifestyle / Quem são e como vivem os idosos que moram sozinhos no Brasil
Fonte: Rev. bras. geriatr. gerontol. (Online);21(5):523-531, Sept.-Oct. 2018. tab.
Idioma: en; pt.
Projeto: National Council of Scientific and Technological Development.
Resumo: Abstract Objective: to assess the prevalence of elderly persons living alone in Brazil, based on covariates of health status, behavior and socio-demographic characteristics. Method: data from 11,967 individuals (aged 60 or over) were obtained from the National Health Survey (Brazil, 2013). Living alone was defined as residing in a one-person household. The prevalence of individuals living alone was stratified by socio-demographic conditions and geographic region. Living alone was also assessed as a factor for outcomes of physical functioning, behavior and health conditions. Poisson regression models were used to evaluate the prevalence ratios and a 95% confidence interval was applied. Results: in Brazil, 15.3% of people aged 60 years and over live alone. This condition is more prevalent in higher income regions; however, more lower-income individuals were affected. Prevalence was higher among women and individuals aged 75 years or more. Living alone was associated with difficulties in instrumental activities of daily living (prevalence ratio 1.15; 95% confidence interval 1.04-1.28); the reporting of an illness in the two prior to the study (PR=1.35; 95%CI=1.16-1.57); watching television (five or more hours daily) (PR=1.40; 95%CI=1.26-1.56) and falls in the previous year (PR=1.35; 95%CI=1.10-1.66). Elderly persons living alone also had worse eating habits, with a less frequent intake of meat, beans and salads than their counterparts who lived with others. Conclusion: elderly persons living alone in Brazil have a worse health status and health-related habits. These findings represent a challenge and should motivate social and health policies aimed at fulfilling the greater needs of adults who grow old alone.

Objetivo: avaliar a prevalência de idosos morando sozinhos no Brasil, segundo condições de saúde, comportamento e características sociodemográficas. Método: dados de 11.967 indivíduos (60 anos ou mais) foram obtidos da Pesquisa Nacional de Saúde (Brasil, 2013). Morar sozinho foi definido por residir em domicílios unipessoais. A prevalência de indivíduos que moram sozinhos foi estratificada por condições sociodemográficas e regiões geográficas. Morar sozinho também foi avaliado como fator para resultados sobre funcionalidade física, comportamento e condições de saúde. Modelos de regressão de Poisson avaliaram razões de prevalência e intervalos de confiança (95%). Resultados: no Brasil, 15,3% das pessoas (60 anos ou mais) moram sozinhas. Essa condição foi ainda mais prevalente em regiões de renda mais elevada; mas foram mais afetados os indivíduos de baixa renda. Houve maior prevalência entre mulheres e pessoas com 75 anos ou mais. Morar sozinho foi associado a dificuldades nas atividades instrumentais da vida diária (razão de prevalência 1,15; intervalo de confiança de 95% 1,04-1,28); ao relato de alguma doença durante as duas semanas anteriores (RP=1,35; IC95%=1,16-1,57); assistir televisão (cinco ou mais horas diárias) (RP=1,40; IC95%=1,26-1,56) e quedas no último ano (RP=1,35; IC95%=1,10-1,66). Indivíduos idosos que moram sozinhos também relataram piores hábitos alimentares, menor consumo de carne, feijão e saladas do que seus colegas que moram acompanhados. Conclusão: os idosos que vivem sozinhos no Brasil apresentam pior estado de saúde e hábitos relacionados à saúde. Esses achados são desafiadores e devem impulsionar políticas sociais e de saúde para o atendimento das maiores necessidades dos adultos que envelhecem sozinhos.
Descritores: Disparidades nos Níveis de Saúde
ABDOMENACEPROMAZINEABORTIFACIENT AGENTS, STEROIDAL
Habitação
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1421.1 - Centro de Referência e Documentação sobre o Envelhecimento


  10 / 256 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-963760
Autor: World Health Organization.
Título: Declaração política do Rio sobre determinantes sociais da saúde / Rio declaration on social determinants of health.
Fonte: Rio de Janeiro; World Health Organization; 21 out. 2011. [7] p.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: World Conference on Social Determinants of Health, Rio de Janeiro, Oct. 19-21, 2011.
Descritores: Políticas Públicas de Saúde
Determinantes Sociais da Saúde
Cooperação Internacional
-Disparidades nos Níveis de Saúde
Tipo de Publ: Conferência de Consenso
Responsável: BR2260 - NETHIS - Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde



página 1 de 26 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde