Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.261.425 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 28 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 28 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-973662
Autor: Ratowiecki, Julia; Poletta, Fernando A; Giménez, Lucas G; Güi, Juan A; Pawluk, Mariela S; López Camelo, Jorge S.
Título: Prevalencia del bajo peso al nacer en un escenario de depresión económica en Argentina / Prevalence of low birth weight in a scenario of economic depression in Argentina
Fonte: Arch. argent. pediatr;116(5):322-327, oct. 2018. graf, tab.
Idioma: en; es.
Resumo: Introducción. El bajo peso al nacer (BPN) es considerado un indicador general de salud por su relación con complicaciones en la vida del recién nacido y por ser una de las primeras causas de mortalidad infantil. Es multifactorial y, entre sus determinantes, se incluyen los socioeconómicos. Objetivo. Evaluar el impacto de la desigualdad económica sobre la prevalencia del BPN, cuantificando el efecto diferencial según edad y educación materna y nivel de atención. Población y métodos. Estudio epidemiológico de diseño transversal, en el cual se analizaron los nacimientos ocurridos en Argentina desde 2001 a 2013 con datos obtenidos del Registro Nacional de los nacimientos, perteneciente a la Dirección de Estadísticas e Información en Salud (DEIS). Se estudió la variación temporal de la prevalencia de recién nacidos con BPN (< 2500 gramos) y su relación con indicadores demográficos y socioeconómicos. Se evaluó su asociación a través de modelos de regresión logística. Resultados. Se incluyeron 9 001 960 nacimientos. Se observó un incremento en la prevalencia de recién nacidos con BPN durante la crisis económica de 2001 -de un 6% en 2002 y un 7% en 2003-. Fue heterogéneo y tuvo mayor impacto en hospitales públicos (razón de prevalencia -RP-= 1,03) y madres adolescentes (RP= 1,07) y ningún impacto sobre la educación materna baja (RP= 0,99). Conclusiones. El impacto de la desigualdad socioeconómica sobre la prevalencia de bajo peso fue significativo y heterogéneo, más importante en hospitales públicos y madres en edades extremas.

Introduction. Low birth weight (LBW) is considered a general indicator of health because it is related to complications in the life of a newborn infant and is one of the leading causes of infant mortality. It is a multifactorial indicator, and its determinants include socioeconomic factors. Objective. To assess the impact of economic inequality on the prevalence of LBW by quantifying its differential effect by maternal age, level of maternal education, and level of care. Population and methods. Epidemiological, cross-sectional study that analyzed all births occurred in Argentina between 2001 and 2013 based on data provided by the National Registry of births, corresponding to the Health Statistics and Information Department. The temporal variation in the prevalence of LBW newborn infants (< 2500 grams) and its relation to demographic and socioeconomic indicators were studied. Its association was assessed using logistic regression models. Results. A total of 9 001 960births were included. The prevalence of LBW newborn infants during the 2001 economic crisis increased -6% in 2002 and 7% in 2003- The impact was heterogeneous and higher on public hospitals (--1;PR--3; = 1.03) and adolescent mothers (PR=1.07), but no impact was observed on a low level of maternal education (PR= 0.99). Conclusions. The impact of socioeconomic inequality on the prevalence of LBW was significant and heterogeneous, especially on public hospitals and mothers at the extremes of maternal age.
Descritores: Recém-Nascido de Baixo Peso
Recessão Econômica
Mães/estatística & dados numéricos
-Fatores Socioeconômicos
Gravidez
Modelos Logísticos
Sistema de Registros
Prevalência
Fatores de Risco
Idade Materna
Escolaridade
Limites: Seres Humanos
Feminino
Recém-Nascido
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: AR94.1 - Centro de Información Pediatrica


  2 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-992111
Autor: Vianna, Solon Magalhães; Piola, Sérgio Francisco; Baptista, Lucia Pontes de Miranda; McGreevey, William Paul.
Título: Recessão e gasto social: a conta social consolidada, 1980-1986.
Fonte: Brasília; IPEA;IPLAN; 1987. 17 p. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Reúne subsídios para encontrar respostas às questões referentes ao impacto da crise no gasto federal no campo social entre 1980, ano que marca o início do período recessivo e 1986, quando o crescimento já havia sido retomado
Descritores: Gastos em Saúde
Política Pública
Recessão Econômica
Saneamento Básico
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; DEC, 2193


  3 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-992034
Autor: Castro, Jorge Abrahão de; Ribeiro, José Aparecido Carlos; Chaves, José Valente; Duarte, Bruno de Carvalho.
Título: 15 anos de gasto social federal: notas sobre o período de 1995 a 2009 / 15 anos de Gasto Social Federal.
Fonte: Brasília; IPEA; 2011. 28 p. graf. (Comunicados do Ipea).
Idioma: pt.
Resumo: Apresenta e analisa a trajetória do Gasto Social Federal (GSF), bem como os dados relativos ao total do GSF. Rememora a importância das políticas sociais no enfrentamento à crise internacional de 2008-2009. Também apresenta a trajetória do GSF desagregada área por área, percebe-se que a dinâmica das diversas políticas que integram o GSF não é homogênea.
Descritores: Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde
Gastos em Saúde
Política Pública
Recessão Econômica
Sistema Único de Saúde
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1


  4 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-991867
Autor: Vieira, Fabiola Sulpino.
Título: Crise econômica, austeridade fiscal e saúde: que lições podem ser aprendidas?.
Fonte: Brasília; IPEA; 2016. 33 p. ilus. (Nota Técnica / IPEA. Disoc).
Idioma: pt.
Resumo: Esta nota técnica tem por objetivo apresentar e discutir evidências sobre o impacto das crises econômicas e das medidas de austeridade fiscal sobre a situação de saúde das populações atingidas, assim como sobre as medidas que podem mitigar os possíveis efeitos negativos das crises para a saúde.
Descritores: Gastos em Saúde
Política Pública
Recessão Econômica
Saúde
Saúde Pública
Seguridade Social
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1


  5 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-911902
Autor: Reis, Ademar Arthur Chioro dos(ccp).
Título: O que será do Brasil e do SUS? / What will be of Brazil and SUS? / Que sera de Brasil y del SUS?
Fonte: RECIIS (Online);12(2):119-24, mar.-jun. 2018.
Idioma: en; pt.
Resumo: A nota apresenta efeitos do golpe jurídico-parlamentar de 2016 e avalia seus reflexos na profunda crise política, econômica e social que assola o Brasil. Assume a dificuldade de projetar o futuro do Sistema Único de Saúde (SUS), que completa 30 anos em outubro, nesse contexto. Reafirma o impacto do congelamento de gastos públicos nas políticas sociais estabelecidas em governos anteriores e em como as reformas confrontam diretamente com a Constituição de 1988, que introduziu o conceito de saúde como direito e dever do Estado. Por fim, relembra o papel dos atores históricos na construção do SUS e da importância da mobilização dos movimentos populares para que, perante as eleições federais e estaduais, seja possível defender o SUS que se quer. (AU)

The note presents effects of the legal-parliamentary coup of 2016 and evaluates its reflections in the deep political, economic, and social crisis that plagues Brazil. It assumes the difficulty of projecting the future of the Sistema Único de Saúde (Unified Health System ­ SUS), which turns 30 years old in October, in this context. It reaffirms the impact of the freezing of public spending on social policies established in previous governments, and on how the reforms directly confront the Constitution of 1988, which had introduced the concept of health as a right and duty of the State. Finally, the note recalls the role of historical actors in building SUS and the importance of the mobilization of popular movements so that, before federal and state elections, it is possible to defend the SUS that is wanted. (AU)

La nota presenta efectos del golpe jurídico-parlamentar de 2016 y evalúa sus reflejos en la profunda crisis política, económica y social que asola a Brasil. Asume la dificultad de proyectar el futuro del Sistema Único de Salud (SUS), que cumple 30 años en octubre, en ese contexto. Reafirma el impacto de la congelación del gasto público en las políticas sociales establecidas en gobiernos anteriores y en cómo las reformas confrontan directamente la Constitución de 1988, que introdujo el concepto de salud como derecho y deber del Estado. Por último, recuerda el papel de los actores históricos en la construcción del SUS y la importancia de la movilización de los movimientos populares para que, ante las elecciones federales y estatales, sea posible defender el SUS que se quiere. (AU)
Descritores: Financiamento da Assistência à Saúde
Sistema Único de Saúde/economia
Sistema Único de Saúde/tendências
-Brasil
Recessão Econômica/tendências
Política
Direito à Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.9 - ICICT - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde


  6 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-907415
Autor: González Calbano, Agustín.
Título: ¿Crisis de la residencia o crisis de la Medicina Familiar y General?: [Editorial] / Crisis of the residence or crisis of Family and General Medicine?: [Editorial]
Fonte: Archiv. med. fam. gen. (En línea);14(1):5-6, mayo 2017.
Idioma: es.
Descritores: Medicina Geral
Internato e Residência/tendências
Médicos de Família
-Recessão Econômica
Clínicos Gerais
Mudança Social
Determinantes Sociais da Saúde
Tipo de Publ: Editorial
Editorial
Responsável: AR338.1 - Biblioteca


  7 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-846937
Autor: Vieira, Fabiola Sulpino.
Título: Nota técnica: Crise econômica, austeridade fiscal e saúde: que lições podem ser aprendidas? / Technical note: Economic crisis, fiscal austerity and health: what lessons can be learned?.-26
Fonte: Brasília; Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA; ago. 2016. 34 p.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Nota Técnica - 2016 - agosto - Número 26 - Disoc, Brasília, 2016.
Resumo: A recente crise econômica no Brasil suscita propostas de congelamento do gasto do governo em saúde e de desvinculação das despesas, algo recorrente em momentos de ajuste fiscal. É certo que a garantia do direito fundamental à saúde, assim como outros direitos sociais previstos na Constituição de 1988, enfrenta problemas de financiamento em momentos de desequilíbrio das contas públicas. No entanto, o enfrentamento dos desequilíbrios financeiros do setor público via contenção dos gastos sociais deixa de lado discussões importantes como a definição de prioridades do gasto público em momentos de restrição de despesas e o impacto das medidas restritivas para a economia ou para a população. Esta nota técnica tem por objetivo apresentar e discutir evidências sobre o impacto das crises econômicas e das medidas de austeridade fiscal sobre a situação de saúde das populações atingidas, assim como sobre as medidas que podem mitigar os possíveis efeitos negativos das crises para a saúde. Realizou-se uma revisão de revisões sistemáticas e narrativas indexadas na base de dados Pubmed e publicadas nos últimos dez anos. Na estratégia de busca foram utilizados os seguintes termos, traduzidos para o inglês, no título ou resumo dos textos: crise financeira, crise econômica, recessão econômica, austeridade, sistema de saúde, política de saúde, estado de saúde e saúde. Recuperaram-se 43 artigos, tendo sido incluídos dezessete trabalhos ao final do processo de seleção. Os achados foram divididos em três categorias quanto às consequências das crises econômicas e das medidas de austeridade: questões sociais mais amplas, para a situação de saúde e para o sistema de saúde. Em relação à proteção social, identificaram-se medidas para mitigação dos efeitos das crises sobre a situação de saúde das populações. Entre as consequências sociais mais amplas, verifica-se que a perda do emprego e o aumento do desemprego provocam perdas financeiras e o endividamento das famílias, levando ao empobrecimento, ao aumento dos divórcios e da violência. Essas condições, associadas à insegurança quanto à manutenção do emprego, ocasionam piora da saúde mental, com elevação da incidência e prevalência de ansiedade, depressão, estresse e abuso de álcool e outras drogas. Ainda como consequências para a situação de saúde, identificaram-se o aumento dos casos de suicídio e de doenças crônicas e infecciosas. Nesse contexto, a demanda por atendimento no sistema público de saúde aumenta, tanto pela piora das condições de saúde quanto pela diminuição da capacidade de pagamento diretamente do bolso e de planos privados de saúde pelas famílias. Esta situação se agrava como consequência da adoção de medidas de austeridade fiscal, baseadas na redução do gasto com políticas sociais. A manutenção e o reforço aos programas de proteção social durante as crises econômicas são importantes medidas para reduzir o risco de desfechos negativos sobre a saúde das populações e podem promover a saúde e o bem-estar. Em conclusão, as crises econômicas e as medidas de austeridade fiscal, que reduzem o gasto com políticas sociais, pioram a situação de saúde da população. O efeito negativo das crises sobre a saúde pode ser mitigado pelas políticas de proteção social que visam preservar as rendas, bem como a saúde.
Descritores: Recessão Econômica
Direito à Saúde
Problemas Sociais
-Financiamento da Assistência à Saúde
Área Carente de Assistência Médica
Seguridade Social
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR2260 - NETHIS - Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde


  8 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843777
Autor: Simões, Pedro Henrique de Castro; Alves, José Eustáquio Diniz; Silva, Pedro Luis do Nascimento.
Título: Transformações e tendências do mercado de trabalho no Brasil entre 2001 e 2015: paradoxo do baixo desemprego? / Transformations and tendencies of the labor market in Brazil between 2001 and 2015: paradox of the low unemployment? / Cambios y tendencias en el mercado de trabajo en Brasil entre 2001 y 2015: la paradoja bajo nivel de desempleo?
Fonte: Rev. bras. estud. popul;33(3):541-566, set.-dez. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A economia brasileira, favorecida pelos superciclo das commodities, teve uma década de crescimento e relativa estabilidade macroeconômica, em que o mercado de trabalho apresentou um desempenho bastante favorável. Contudo, houve uma desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB), seguida de forte recessão em 2015 e 2016. Houve uma defasagem grande entre o início da desaceleração da economia e seus primeiros efeitos sobre o mercado de trabalho, o chamado paradoxo do baixo desemprego. O objetivo deste artigo é analisar tal fenômeno, utilizando as duas principais pesquisas que abordam o tema emprego no âmbito do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios e a Pesquisa Mensal de Emprego. Recorrendo à metodologia de decomposições da variação da taxa de desocupação, constatou-se que a parcela mais expressiva tanto da redução anterior da taxa de desocupação, quanto do seu aumento atual, ocorreu nas metrópoles, e que grande parte de seu comportamento pode ser explicado pela redução da participação dos mais jovens, das pessoas menos instruídas e pela redução no ritmo de inserção das mulheres no mercado de trabalho. O perfil etário da desocupação no país tornou-se mais jovem, o que traz preocupações quanto à emergência de uma “geração perdida”.

Abstract The Brazilian economy, boosted by the commodities super-cycle, had a decade of growth and macroeconomic stability, in which the labor market performed very favorably. However, there was a slowdown in the GDP, followed by a strong recession in 2015 and 2016. There was a large gap between the beginning of the economic slowdown and its first effects on the labor market, the so called paradox of low unemployment. The objective of this paper is to analyze this phenomenon using the two main surveys carried out by the Brazilian Geography and Statistics Institution (IBGE) that deals with this subject, the Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) and the Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Using the unemployment rate variation decomposition methodology, the results show that the most expressive part of both, the previous reduction and the current increase of the rate, took place in the metropolitan areas, and that a great part of this behavior can be explained by the reduction of the participation of both young and less educated workers and the reduction in the pace of women’ insertion in the labor market. The age profile of unemployment in Brazil has become younger, raising concerns of an emerging “lost generation”.

Resumen La economía brasileña, favorecida por el superciclo de las comodities, tuvo una década de crecimiento y estabilidad macroeconómica, en la cual el mercado laboral mostró un relativo comportamiento favorable. Sin embargo, hubo una desaceleración del producto interno bruto (PIB) seguida de una profunda recesión en 2015 y 2016. En este período, hubo un profundo desfasaje entre el inicio de la crisis económica y sus primeros efectos en el mercado de trabajo —la llamada paradoja de la baja tasa de desempleo—. El objetivo de este artículo es analizar este fenómeno, utilizando las dos encuestas principales del Instituto Brasileño de Geografía y Estadística (IBGE) que abordan el tema de empleo: la Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) y la Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Utilizando la metodología de descomposición de la variación de la tasa de desempleo, se encontró que la porción más significativa, tanto de la reducción previa de la tasa de desempleo cuanto de su actual aumento, se produjo en las regiones metropolitanas y que gran parte de su comportamiento puede ser explicado por la reducción de la participación de los más jóvenes, de los menos educados y por la reducción de la tasa de participación de las mujeres en el mercado laboral. El perfil de edad de desempleo en el país se ha rejuvenecido, lo que plantea preocupaciones acerca de la aparición de una “generación perdida”.
Descritores: Recessão Econômica
Mercado de Trabalho
Dinâmica Populacional
Desemprego/tendências
-Distribuição por Idade e Sexo
Brasil
Desemprego/estatística & dados numéricos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 28 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-833227
Autor: Rangel, Leonardo.
Título: Previdência Social na América Latina / Social Security in Latin America
Fonte: In: Rodrigues, Valdemar de Almeida. Observatório Internacional de Capacidades Humanas, Desenvolvimento e Políticas Públicas: estudos e análises 1. Brasília, UnB/ObservaRH/Nesp, 2013. p.[18].
Idioma: pt.
Descritores: Idoso
Recessão Econômica
Previdência Social
-Setor Público/economia
Seguridade Social
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR2260 - NETHIS - Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde


  10 / 28 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: lil-785253
Autor: Muntaner, Carles.
Título: Global precarious employment and health inequalities: working conditions, social class, or precariat? / Emprego precário no mundo e desigualdades em saúde: condições de trabalho, classe social ou precariado? / Empleo global precario e inequidades en salud: ¿condiciones laborales, clase social, o "precariado"?
Fonte: Cad. saúde pública = Rep. public health;32(6):e00162215, 2016.
Idioma: en.
Resumo: Abstract: Changes in employment conditions since the 1980s have been referred to as precarious employment, and terms like flexible, atypical, temporary, part-time, contract, self-employed, irregular, or non-standard employment have also been used. In this essay I review some of the current critiques to the precarious employment construct and advance some potential solutions for its use in epidemiology and public health.

Resumo: Mudanças nas condições de emprego desde os anos 1980s têm sido chamadas de "emprego precário", além de outros termos como trabalho flexível, atípico, temporário, em tempo parcial, por contrato, autônomo ou irregular. O ensaio faz uma revisão de algumas das críticas atuais em relação ao conceito de emprego precário e propõe soluções para seu uso na epidemiologia e em saúde pública.

Resumen: Tras los cambios en las condiciones laborales desde los años 1980s se ha hecho uso de conceptos como empleo precario, así como de términos como: flexible, atípico, temporal, a tiempo parcial, contrato basura, auto-empleado, irregular, o empleo no convencional. En este trabajo se realizó una revisión sobre algunas de las actuales críticas hacia el constructo del empleo precario y se avanzaron algunas soluciones potenciales para su uso en epidemiología y salud pública.
Descritores: Recessão Econômica
Emprego/normas
Saúde do Trabalhador
Serviços Terceirizados/tendências
Classe Social
Fatores Socioeconômicos
-FALSE NEGATIVE REACTIONS0
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde