Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.409.775 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 171 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 18 ir para página                         

  1 / 171 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1043378
Autor: Leal, Eliane Maria Medeiros; Silva, Filipe Santana da; Oliveira, Sydia Rosana de Araujo; Pacheco, Hélder Freire; Santos, Francisco de Assis da Silva; Gurgel Júnior, Garibaldi Dantas.
Título: Razões para a expansão de consórcios intermunicipais de saúde em Pernambuco: percepção dos gestores estaduais / Reasons for the expansion of inter-municipal health consortia in Pernambuco: perception of state managers
Fonte: Saúde Soc;28(3):128-142, jul.-set. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A cooperação intergovernamental entre municípios de pequeno porte é operacionalizada por meio de consórcios de saúde, historicamente, no Sistema Único de Saúde (SUS). Tais iniciativas favoreceram a descentralização da saúde no contexto da municipalização. Entretanto, pouco se sabe sobre a sua implementação no processo de regionalização. Este estudo objetivou analisar as razões para a expansão dos consórcios intermunicipais de saúde conduzida pela autoridade sanitária estadual como um fenômeno político institucional novo na regionalização da saúde no SUS em Pernambuco. Trata-se de um estudo retrospectivo de caráter analítico com abordagem qualitativa. Realizaram-se quatro entrevistas semiestruturadas com gestores estaduais, as quais foram analisadas mediante técnica de método de condensação de significados proposta por Kvale. A Teoria das Representações Sociais guiou a análise dos dados. As razões para a indução do consorciamento intermunicipal foram: o fortalecimento da regionalização dos serviços de saúde; a ampliação de oferta e cogestão de serviços de saúde; a absorção de experiências exitosas e a necessidade da indução estadual das políticas regionais de saúde. Os consórcios se configuraram como uma possibilidade positiva na percepção dos gestores estaduais na regionalização de ações de saúde no estado; porém, estudos adicionais são necessários no que diz respeito ao impacto dos indicadores de saúde em escala regional.

Abstract Intergovernmental cooperation between small municipalities is operationalized through health consortia, historically, in the Brazilian National Health System (SUS). These initiatives favored the decentralization of health in the context of municipalization. However, little is known about its implementation in the regionalization process. The objective of this study was to analyze the reasons for the expansion of intermunicipal health consortia conducted by the state sanitary authority as a new institutional political phenomenon in the regionalization of the SUS in Pernambuco. This is a retrospective analytical study with a qualitative approach. Four semi-structured interviews with state managers were carried out and analyzed using a method of condensation of meanings proposed by Kvale. The Theory of Social Representations guided the data analysis. The reasons for the induction of intermunicipal consortium were: the strengthening of the regionalization of health services; the expansion of supply and co-management of health services; the absorption of successful experiences and the need for state induction of regional health policies. Consortia have become a positive possibility in the perception of state managers in the regionalization of health actions in the state, but additional studies are needed regarding the impact of health indicators on a regional scale.
Descritores: Política
Regionalização da Saúde
Governo Estadual
Atenção à Saúde
Consórcios de Saúde
Política de Saúde
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  2 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1224136
Autor: Almeida, Margareth Teixeira de Souza de; Santos, Tânia Cristina Franco; J-5432-2015Almeida Filho, Antonio Jose de; Peres, Maria Angélica de Almeida; Aperibense, Pacita Geovana Gama de Sousa; Abreu, Marcleyde Silva De Azevedo.
Título: Enfermeiros militares na força auxiliar do estado do Rio de Janeiro: um estudo histórico / Military nurses in the auxiliary force of the state of Rio de Janeiro: a historical study / Enfermeros militares en la fuerza auxiliar del estado de Rio de Janeiro: un estudio histórico
Fonte: Online braz. j. nurs. (Online);20:e20216486, 05 maio 2021.
Idioma: en; es; pt.
Resumo: OBJETIVO: Analisar o processo de seleção da primeira turma de Oficiais Enfermeiros do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, realizado no período de 1992 a 1993. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa histórica, do tipo documental, cujas fontes históricas diretas foram documentos escritos relativos ao tema. RESULTADOS: Foram oito vagas para oficiais enfermeiros, que se submeteram a um processo seletivo rigoroso, sendo selecionados cinco homens e três mulheres, após aprovação nas quatro etapas do concurso. DISCUSSÃO: Integrar o Corpo de Bombeiros significava submeter-se às regras que o estruturavam, e para lograr êxito era necessária a atualização do habitus dos postulantes à patente de oficiais na Corporação. CONCLUSÃO: Enfermeiros foram selecionados dentro do rigor exigido pela Instituição, cujo domínio do conhecimento na área de enfermagem deveria caminhar pari passu com boas condições de saúde e condicionamento físico, atributos fundamentais no desempenho de um bombeiro militar.

OBJECTIVE: To analyze the selective process of the first class of Nursing Officers of the Fire Department of the State of Rio de Janeiro, carried out from 1992 to 1993. METHOD: This is a historical research, a documental one, which used as direct historical sources written documents concerning the theme. OUTCOMES: There were eight vacancies for nursing officers, who were submitted to a rigorous selective process that approved five men and three women after four stages along the contest. DISCUSSION: Making part of the Fire Department meant to accept being submitted to its structural rules, and succeeding required updating the habitus of the candidates according to the ranking of the Corporation's officers. CONCLUSION: Nurses were selected under the rigorous criteria as required by the Institution. Their knowledge abilities in the nursing area should come at equal pace as good health conditions and physical fitness, fundamental performance attributes of a military officer of the Fire Department.

OBJETIVO: Analizar el proceso de selección del primer grupo de Oficiales Enfermeros del Cuerpo de Bomberos del estado de Rio de Janeiro, realizado en el período de 1992 a 1993. MÉTODO: Se trata de una investigación histórica, del tipo documental, cuyas fuentes históricas directas han sido los documentos escritos relativos al tema. RESULTADOS: Fueron ocho vacantes para oficiales enfermeros, que se sometieron a un riguroso proceso de selección. Tras aprobar en las cuatro etapas del concurso, se seleccionaron a cinco hombres y a tres mujeres. DISCUSIÓN: Formar parte del Cuerpo de Bomberos significaba someterse a las reglas que lo estructuraban, y para lograr éxito se hacía necesaria una actualización del habitus de los postulantes al rango de oficiales en la Corporación. CONCLUSIÓN: Los enfermeros se seleccionaron dentro del rigor exigido por la Institución, y su dominio del conocimiento en el área de enfermería debería caminar pari passu con las buenas condiciones de salud y acondicionamiento físico, atributos fundamentales en el desempeño de un bombero militar.
Descritores: Seleção de Pessoal
Governo Estadual
Brasil
Bombeiros/história
Enfermagem Militar/história
Limites: História do Século XX
Tipo de Publ: Artigo Histórico
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  3 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046808
Autor: Figueroa, Lucas Esteban.
Título: ¿Sirven las políticas públicas restrictivas al consumo de alcohol y de manejo responsable para disminuir las muertes por choques de vehículos? / Are restrictive public policies related to alcohol consumption effective for the reduction of motor vehicle crash fatalities?
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;22(2):e001110, sept. 2019. tab..
Idioma: es.
Descritores: Consumo de Bebidas Alcoólicas/legislação & jurisprudência
Acidentes de Trânsito/mortalidade
-Governo Estadual
Estados Unidos
Consumo de Bebidas Alcoólicas/prevenção & controle
Acidentes de Trânsito/prevenção & controle
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  4 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136977
Autor: Alves, Mário Aquino; Costa, Marcelo Marchesini da.
Título: Colaboração entre governos e organizações da sociedade civil em resposta a situações de emergência / Colaboración entre gobiernos y organizaciones de la sociedad civil en respuesta a situaciones de emergencia / The collaboration between governments and civil society organizations in response to emergency situations
Fonte: Rev. adm. pública (Online);54(4):923-935, jul.-ago. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A pandemia da COVID-19 é um exemplo de grande emergência que desafia a administração pública ocasionalmente. A despeito da variedade de eventos dessa natureza, recai sobre o governo, majoritariamente, a responsabilidade pelas ações emergenciais nesses momentos. Organizações da Sociedade Civil (OSCs) podem, no entanto, contribuir para uma resposta rápida e adequada a tais ocorrências. Neste artigo, são discutidas as características das OSCs que as habilitam a contribuir para as medidas de emergência adotadas pelos governos. Analisa-se também a possibilidade de ampliação dos arranjos colaborativos entre governos e OSCs.

Resumen La pandemia de COVID-19 es un ejemplo de gran emergencia que ocasionalmente desafía a la administración pública. A pesar de la variedad de eventos de esa naturaleza, el gobierno es el principal responsable de las acciones de emergencia en esos momentos. Sin embargo, las organizaciones de la sociedad civil (OSC) pueden contribuir a una respuesta rápida y adecuada a estas emergencias. Este artículo analiza las características de las OSC que las califican para contribuir a las medidas de emergencia adoptadas por los gobiernos. También se analiza la posibilidad de ampliación de los acuerdos de colaboración entre gobiernos y OSC.

Abstract The COVID-19 pandemic is an example of a large-scale emergency that defies public administration. There is a variety of large-scale emergency events, and the government is responsible for responding to such situations. Civil Society Organizations (CSOs) can contribute to a fast and appropriate response to these emergencies. This article discusses the characteristics of CSOs that qualify them to contribute to the government's emergency responses. We also analyze possible collaborative arrangements between governments and CSOs.
Descritores: Governo Estadual
Administração Pública
Colaboração Intersetorial
Infecções por Coronavirus
Parcerias Público-Privadas
Sociedade Civil
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  5 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136980
Autor: Lazzarini, Sérgio Giovanetti; Musacchio, Aldo.
Título: Leviathan as a partial cure? Opportunities and pitfalls of using the state-owned apparatus to respond to the COVID-19 crisis / ¿Leviatán como una cura parcial? Oportunidades y dificultades al usar el aparato estatal para responder a la crisis de COVID-19 / O Leviatã como uma cura parcial? Oportunidades e armadilhas no uso do aparato estatal para responder à crise da COVID-19
Fonte: Rev. adm. pública (Online);54(4):561-577, jul.-ago. 2020. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract While some argue that market forces are imperative to stimulate the increased supply of critical products and services to address the COVID-19 crisis, others contend that dealing with the pandemic requires coordination and rapid adjustments in supply that may be constrained by a host of factors. Although discussions have centered on policies to promote financial liquidity, we examine whether the state apparatus-not only state-owned enterprises but also development agencies and investment funds-can innovate and adjust production processes to improve infrastructure and capabilities to prevent and treat the disease. Potential actions include public-private effort addressing both discovery and coordination problems-such as a collaborative effort to develop prevention and treatment technologies, as well as state capital to stimulate retooling and expansion of strategic infrastructure. The state apparatus can also help access remote and critical areas with relatively lower private returns. In contrast, support to industries must be implemented with caution, especially for sectors whose demand may suffer permanently due to lifestyle changes. Exit strategies must be carefully crafted to avoid the risk of perpetuating unjustified and ineffective state support, establishing milestones and termination clauses based on clear performance indicators. We argue that, although using the state apparatus as a countermeasure entails a set of risks, not using it may increase the risk of extending the crisis and end with an overloaded state sector (e.g., due to massive bailouts), challenging the implementation of subsequent adjustments.

Resumen Mientras que algunos sostienen que las fuerzas del mercado son imperativas para estimular el suministro de productos y servicios críticos para enfrentar la crisis de COVID-19, otros recomiendan coordinación y ajustes rápidos en el suministro que pueden estar limitados por varios factores. Si bien las discusiones habituales se centran en políticas para promover la liquidez financiera, examinamos si el aparato estatal ‒no solo las empresas estatales, sino también las agencias de desarrollo y los fondos públicos‒ puede promover la experimentación y el ajuste en los procesos de producción. Las acciones potenciales incluyen esfuerzos público-privados que buscan el descubrimiento y la coordinación, como los esfuerzos de colaboración para desarrollar tecnologías de prevención y tratamiento, así como inyecciones de capital para estimular la expansión de la infraestructura estratégica. El aparato estatal también puede ayudar a acceder a áreas remotas y críticas, con rendimientos privados más bajos. Por otro lado, el apoyo selectivo a las industrias debe implementarse con precaución, especialmente en sectores cuya demanda puede sufrir cambios permanentes debido a un nuevo estilo de vida. Para evitar el riesgo de perpetuar el apoyo estatal injustificado, las estrategias de salida deben diseñarse cuidadosamente, con hitos y cláusulas de terminación basadas en indicadores de desempeño. Aunque usar el aparato estatal como contramedida conlleve su propio conjunto de riesgos, quizás paradójicamente no usarlo también aumente el riesgo de extender la crisis y de dar como resultado un sector estatal hinchado (por ejemplo, debido a rescates masivos), lo que dificulta la implementación de ajustes posteriores.

Resumo Enquanto alguns argumentam que as forças de mercado são imperativas para estimular a oferta de produtos e serviços críticos para lidar com a crise da COVID-19, outros recomendam coordenação e ajustes rápidos na oferta que podem ser limitados por uma série de fatores. Embora as discussões usuais coloquem foco em políticas para promover liquidez financeira, examinamos se o aparato estatal - não apenas empresas estatais, mas também agências de desenvolvimento e fundos públicos - pode promover experimentação e ajuste nos processos de produção para aumentar a infraestrutura e capacidade de prevenção e tratamento. Ações potenciais incluem esforços público-privados buscando descoberta e coordenação - como esforços colaborativos para desenvolver tecnologias de prevenção e tratamento, além de injeções de capital para estimular o reequipamento e a expansão da infraestrutura estratégica. O aparato estatal também pode ajudar a acessar áreas remotas e críticas, com retornos privados relativamente mais baixos. Por outro lado, apoio seletivo às indústrias deve ser implementado com cautela, especialmente em setores cuja demanda pode sofrer alterações permanentes devido a mudanças no estilo de vida. Para evitar o risco de perpetuar apoio estatal injustificado e ineficaz, estratégias de saída devem ser elaboradas com cuidado, com marcos e cláusulas de término com base em indicadores de desempenho. Embora o uso do aparato estatal como contramedida acarrete seu próprio conjunto de riscos, talvez paradoxalmente não utilizá-lo também aumente o risco de estender a crise e acabar com um setor estadual inchado (por exemplo, devido a resgates maciços), tornando mais difícil a implementação de ajustes subsequentes.
Descritores: Governo Estadual
Financiamento de Capital
Organizações/economia
Estratégias de Saúde
Infecções por Coronavirus
Capitalismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  6 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136991
Autor: Araújo, Fábio Resende de; Calazans, Dinara Leslye Macedo e Silva.
Título: Gestão das ações de segurança alimentar frente à pandemia pela COVID-19 / Gestión de acciones de seguridad alimentaria frente a la pandemia de COVID-19 / Management of food security actions during the COVID-19 pandemic
Fonte: Rev. adm. pública (Online);54(4):1123-1133, jul.-ago. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O presente artigo tem como objetivo analisar as estratégias de intervenção adotadas pela gestão pública frente à crise desencadeada pela COVID-19 para redução da insegurança alimentar, baseado em um estudo de caso no Rio Grande do Norte. Com abordagem qualitativa, foram utilizadas a Teoria do Programa e a abordagem dos múltiplos fluxos para análise das ações emergenciais. No estado, a pandemia confluiu para uma janela de oportunidade, evidenciando o papel importante das Políticas Públicas na agenda governamental, como o Programa Restaurante Popular, e favorecendo a elaboração de respostas rápidas e de medidas de adequação na implementação da política. Conclui-se, neste estudo, que esta pode ser considerada uma boa prática e que ela pode servir de referência a outras ações semelhantes pelo país.

Resumen Este artículo tiene como objetivo analizar las estrategias de intervención adoptadas por la administración pública frente a la crisis desencadenada por la COVID-19 para reducir la inseguridad alimentaria, con base en un estudio de caso en Río Grande do Norte. Con un enfoque cualitativo, se utilizaron la teoría del programa y el enfoque de múltiples flujos para el análisis de acciones de emergencia. En el estado, la pandemia se convirtió en una ventana de oportunidad, destacando el importante papel de las políticas públicas en la agenda gubernamental, como el Programa Restaurante Popular, y favoreciendo la elaboración de respuestas rápidas y de medidas de adecuación en la implementación de las políticas. Se concluye que esta puede ser una buena práctica y que puede ser una referencia para otras acciones similares en todo el país.

Abstract This article aims to analyze the intervention strategies adopted by public management during the COVID-19 pandemic to reduce food insecurity, based on a case study in the Brazilian state of Rio Grande do Norte. The study used a qualitative approach based on Program Theory and the multiple streams model to analyze the actions. In the state, the pandemic brought a window of opportunity, showing the importance of public policy in the government agenda, such as the program "Restaurante Popular," which offers low-cost meals, and favors quick response and adequacy of means of implementation. The study highlights best practices, inspiring actions all over the country.
Descritores: Política Pública
Governo Estadual
Infecções por Coronavirus
Gestão em Saúde
Segurança Alimentar
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  7 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1137003
Autor: Pereira, Ana Karine; Oliveira, Marília Silva; Sampaio, Thiago da Silva.
Título: Heterogeneidades das políticas estaduais de distanciamento social diante da COVID-19: aspectos políticos e técnico-administrativos / Heterogeneidades de las políticas estatales de distanciamiento social frente a la COVID-19: aspectos políticos y técnico-administrativos / Asymmetries of state government social distancing policies in the face of COVID-19: political and technical-administrative aspects
Fonte: Rev. adm. pública (Online);54(4):678-696, jul.-ago. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo tem o objetivo de analisar a liderança dos governos estaduais brasileiros na implementação de políticas de distanciamento social para o enfrentamento da disseminação da COVID-19. Pressupõe-se que as políticas de distanciamento social são heterogêneas, apesar da liderança dos governos, ou seja, apresentam certo grau de assimetria nas restrições do funcionamento do comércio e de atividades com potencial de aglomeração de pessoas. Diante disso, foram combinados os debates sobre processo de produção de políticas públicas e sobre autonomia e federalismo, para investigar a influência dos fatores políticos ou técnico-administrativos nas políticas estaduais. Os seguintes procedimentos metodológicos foram utilizados: análise de conteúdo de 134 normativas estaduais; mapeamento do alinhamento político-partidário dos governadores estaduais ao presidente da República; análise dos recursos médico-hospitalares de cada unidade da federação baseada no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O contexto emergencial revelou baixa coordenação interfederativa pelo governo federal, provocando uma competição entre entes federativos e forte liderança estadual na gestão da crise no âmbito local. A pesquisa mostra, por um lado, que as decisões sobre as políticas de distanciamento social não podem ser explicadas por fatores políticos; e por outro, a correspondência entre a capacidade do sistema de saúde local e o nível de rigor das políticas de distanciamento social. Conclui-se que, na atual situação de transtorno social intenso, preferiu-se a racionalidade técnica a barganhas políticas.

Resumen Este artículo tiene como objetivo analizar el liderazgo de los gobiernos de los estados brasileños en la implementación de políticas de distanciamiento social para enfrentar la propagación de la COVID-19. Se parte del supuesto de que, a pesar de la existencia de este liderazgo, las políticas de aislamiento social son heterogéneas, con cierto grado de asimetría en las restricciones al funcionamiento del comercio y de actividades con potencial de aglomeración de personas. Se combinaron debates sobre el proceso de producción de políticas públicas, autonomía y federalismo para investigar si los factores políticos o técnico-administrativos influyen en la naturaleza de estas políticas a nivel estatal. Se utilizaron los siguientes procedimientos metodológicos: análisis de contenido de 134 regulaciones de estados; mapeo del alineamiento político-partidario de los gobernadores estatales con el presidente de la República; y análisis de los recursos médicos y hospitalarios de cada unidad de la federación con base en el Registro Nacional de Establecimientos de Salud. El contexto de emergencia reveló una baja coordinación interfederativa del gobierno federal, lo que provocó la competencia entre entidades federales y el fuerte liderazgo estatal en la gestión de la crisis en ámbito local. Por un lado, el artículo presenta evidencia de que las decisiones sobre políticas de distanciamiento social no pueden explicarse por factores políticos; y, por otro, existe una correspondencia entre la capacidad del sistema de salud local y el nivel de rigor de las políticas de distanciamiento social. Se concluye que, en la actual situación de intenso desorden social, se prefirió la racionalidad técnica a las negociaciones políticas.

Abstract This article aims to analyze the leadership of Brazilian state governments on lockdown and social distancing policies to keep COVID-19 from spreading. It is assumed that the states' policies on this matter are heterogeneous, and their implementation regarding how commercial activities - and others that potentially involve a large concentration of people - is asymmetric. Therefore, the study observed the debates on policy-making processes and on autonomy and federalism to investigate the influence of political or technical-administrative factors on policies adopted at the state level in Brazil. The methodology used content analysis of 134 state norms, mapping the political-party alignment of state governors to the president, analysis of medical and hospital resources of each federation unit based on the National Register of Health Establishments. The emergency context revealed low inter-federative coordination by the federal government, competition among states, and states leadership in crisis management at the local level. The article presents evidence that state governments' leadership cannot be justified by political party alignment with the president. However, there is a correspondence between both the local health system capacity and the rigor of lockdown and social distancing policies, which indicates that, in an intense social disorder situation, technical rationality was preferable to political bargaining.
Descritores: Política Pública
SOCIAL DISTANCE
Governo Estadual
Infecções por Coronavirus
Autonomia Pessoal
Federalismo
-Política
Sistemas de Saúde
Tomada de Decisões
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1150845
Autor: Svierdsovski, Sidneya Marques; Santos, Carmen Cristina Moura dos; Lopes, Maria Goretti David; Sousa, Daniel Josivan de.
Título: Covid-19: 10 passos para qualificar a gestão da Atenção Primária à Saúde do Paraná / Covid-19: 10 steps to qualify primary health care management in Paraná
Fonte: Rev. Saúde Pública Paraná (Online);3(supl. 1):13-21, dez. 11, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: A Covid-19 tem representado o maior desafio sanitário do século XXI, com impactos significativos e ainda não completamente dimensionados sobre a sociedade. Assim, esta comunicação livre tem por objetivo descrever as ações e atividades para qualificar a gestão da Atenção Primária à Saúde no Paraná em resposta à pandemia Covid-19. O enfrentamento da pandemia Covid-19 depende do fortalecimento do Sistema Único de Saúde em todos os seus componentes, numa construção conjunta entre todas as esferas de governo. Qualificar a gestão da APS no enfrentamento da pandemia produzirá respostas necessárias para o controle e mitigação de seus impactos e redução das iniquidades em saúde. (AU)

This is a descriptive study that aims to elucidate the main public health measures reported by Paraná state government for the management of Covid-19 pandemic, from January 1st to June 27th, 2020, and published by official websites. Among the governmental initiatives are measures for infection control and prevention, population testing, hospital bed expansion and creation of Covid-19 exclusive areas in hospitals. Until the time of the study, the adopted government strategies maintained the number of cases within the state health system capacity. (AU)
Descritores: Organização e Administração
Atenção Primária à Saúde
Sistemas de Saúde
Infecções por Coronavirus
Prevenção e Mitigação de Desastres
-Governo Estadual
Estratégias de Saúde
Pandemias
Limites: Humanos
Responsável: BR1961 - Biblioteca


  9 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Silva, Antonio Augusto Moura da
Almeida-Filho, Naomar
Ximenes, Ricardo Arraes de Alencar
Martelli, Celina Maria Turchi
Souza, Wayner Vieira de
Barreto, Mauricio Lima
Texto completo
Id: biblio-1133177
Autor: Kerr, Ligia; Kendall, Carl; Silva, Antônio Augusto Moura da; Aquino, Estela Maria L; Pescarini, Julia M; Almeida, Rosa Lívia Freitas de; Ichihara, Maria Yury; Oliveira, Juliane F; Araújo, Thália Velho Barreto de; Santos, Carlos Teles; Jorge, Daniel Cardoso Pereira; Miranda Filho, Demócrito de Barros; Santana, Guilherme; Gabrielli, Ligia; Albuquerque, Maria de Fatima Pessoa Militão de; Almeida-Filho, Naomar; Silva, Natanael de Jesus; Souza, Rafael; Ximenes, Ricardo Arraes de Alencar; Martelli, Celina Maria Turchi; Brandão Filho, Sinval Pinto; Souza, Wayner Vieira de; Barreto, Maurício Lima.
Título: COVID-19 no Nordeste brasileiro: sucessos e limitações nas respostas dos governos dos estados / COVID-19 in Northeast Brazil: achievements and limitations in the responses of the state governments
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.2):4099-4120, Mar. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo No Brasil, a pandemia da COVID-19 tem sido severa nos estados das regiões mais pobres, como o Nordeste. A falta de políticas nacionais para controle da pandemia levou as autoridades estaduais e municipais a implementarem medidas de saúde pública. O objetivo deste estudo é mostrar o efeito dessas medidas na epidemia. A maior incidência da COVID-19 entre os nove estados do Nordeste foi registrada em Sergipe, Paraíba e Ceará. O Piauí, a Paraíba e Ceará foram os que mais testaram. Muitos estados apresentavam alta proporção de pessoas em trabalho informal. Estados com aeroportos internacionais tiveram importante papel na entrada e disseminação inicial do vírus, em especial o Ceará. Todos os estados aplicaram medidas de distanciamento social, proibição de eventos públicos e fechamento de unidades de ensino. As respostas foram o aumento significativo de distanciamento social, em especial Ceará e Pernambuco, a queda do número de reprodução (Rt) e a separação da curva dos casos observados da curva dos casos esperados sem as intervenções não medicamentosas em todos os estados. A pobreza, a desigualdade e as altas taxas de trabalho informal fornecem pistas do porquê da intensidade da COVID-19 na região. Por outro lado, as medidas de mitigação tomadas precocemente pelos governantes amenizaram os efeitos da pandemia.

Abstract The COVID-19 pandemic has been most severe in the poorest regions of Brazil, such as the states of the Northeast Region. The lack of national policies for pandemic control forced state and municipal authorities to implement public health measures. The aim of this study is to show the effect of these measures on the epidemic. The highest incidence of COVID-19 among the nine states in the Northeast was recorded in Sergipe, Paraíba and Ceará. Piauí, Paraíba and Ceará were the states that most tested. Factors associated with transmission included the high proportion of people in informal work. States with international airports played an important role in the entry of the virus and the initial spread, especially Ceará. All states applied social distancing measures, banned public events and closed schools. The response was a significant increase in social distancing, especially in Ceará and Pernambuco, a decline in the reproduction rate (Rt), and a separation of the curve of observed cases versus expected cases if the non-pharmacological interventions had not been implemented in all states. Poverty, inequality, and the high rates of informal work provide clues to the intensity of COVID-19 in the region. On the other hand, the measures taken early by the governments mitigated the effects of the pandemic.
Descritores: Pneumonia Viral
Pneumonia Viral/prevenção & controle
Política Pública
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Pandemias/prevenção & controle
Betacoronavirus
-Pneumonia Viral/transmissão
Pneumonia Viral/epidemiologia
Pobreza/estatística & dados numéricos
Governo Estadual
Abastecimento de Água
Brasil/epidemiologia
Quarentena
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/transmissão
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 171 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056962
Autor: Barbi, Lucas; Carvalho, Liliany Mara Silva; Luz, Tatiana Chama Borges.
Título: Antidepressivos, ansiolíticos, hipnóticos e sedativos: uma análise dos gastos em Minas Gerais / Antidepressive, anti-anxiety and hypnotics and sedatives agents: an analysis of public expenditure in Minas Gerais state, Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);29(4):e290407, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A alocação de recursos com a aquisição de medicamentos é um dos maiores desafios para a efetivação da assistência farmacêutica no SUS. No entanto, poucos estudos avaliam a evolução desses gastos no nível estadual, especialmente com as classes dos antidepressivos, ansiolíticos e hipnótico-sedativos. O objetivo do estudo foi analisar e identificar os determinantes dos gastos com essas classes terapêuticas em Minas Gerais. Foram utilizados dados de compras públicas do Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços (SIAD-MG) entre 2010 e 2015. Estimaram-se os gastos e volumes totais, além dos gastos com medicamentos não constantes nas listas de medicamentos essenciais. As análises de "Top 10" e de "Drug Cost 90%" identificaram os medicamentos responsáveis pelo maior gasto, e a análise de decomposição estabeleceu os determinantes da variação das despesas. Os gastos com as três classes totalizaram R$ 81 milhões e aumentaram 2,5 vezes entre 2010 e 2015, passando de R$ 7,5 milhões para R$ 18,7 milhões. Os antidepressivos representaram 89% dos gastos e 71% do volume adquirido. O preço foi o principal fator determinante do aumento das despesas, especialmente na classe dos antidepressivos. Os aumentos dos gastos ressaltam a necessidade de aprimoramento dos procedimentos de compra adotados pelo estado.

Abstract The allocation of financial resources on medicines procurement is one of the greatest challenges to the effectiveness of the Pharmaceutical Services in the Brazilian National Health System. However, there are few studies evaluating this expenditure trends at state level, especially with antidepressants, anxiolytics, hypnotics and sedatives. The study evaluated public expenditure trends and drivers for these therapeutic classes in Minas Gerais state, Brazil, by using data from SIAD database [Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços] from 2010 to 2015. Total expenditure, volume and also expenditures with medicines not included in the essential lists were estimated. The top 10 medicines in terms of expenditure and drugs accounting for 90% of the total cost were identified. Decomposition analysis was conducted to assess the drivers of expenditure. Expenditure in the period totaled R$ 81 million and increased 2.5 times from 2010 to 2015. Antidepressants accounted for 89% of expenses and 71% of volume. Price contributed positively to the expenditure variation during the period, especially in antidepressants. The results highlight the need of improvement of public procurement procedures adopted by Minas Gerais state.
Descritores: Assistência Farmacêutica
Ansiolíticos
Custos de Medicamentos
Gastos em Saúde
Alocação de Recursos
Hipnóticos e Sedativos
Antidepressivos
-Governo Estadual
Sistema Único de Saúde
Brasil
Gestão em Saúde
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C



página 1 de 18 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde