Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.655.500.608.180 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 459 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 46 ir para página                         

  1 / 459 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047483
Autor: Amado, Luiz Henrique Eloy.
Título: Autoritarismo e resistência indígena no Brasil / Authoritarianism and the indigenous resistance in Brazil / Autoritarismo y resistencia indígena en Brasil
Fonte: RECIIS (Online);13(4):702-706, out.-dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Esta nota resulta de reflexões iniciais sobre a atual conjuntura brasileira no que tange aos desafios postos aos povos indígenas, diante de um governo declaradamente anti-indígena. Considerando a perspectiva histórica da política indigenista brasileira, observam-se elementos que nos instigam a analisar a relação do Estado com os povos originários e a capacidade que o movimento indígena brasileiro tem de articulação visando à resistência. São necessários saberes e práticas que exigem, cada vez mais, o rompimento com o pensamento autoritário e colonialista tão presente no contexto brasileiro.

This text is product of the initial attempts to think about the current Brazilian conjuncture regarding the challenges posed to indigenous peoples since they are confronted with a government who have declared to be anti-indigenous. From the historical perspective of Brazilian governmental policy towards indigenous, we observe elements that push us to analyze the relationship of the State with the indigenous peoples and the Brazilian indigenous movement' capacity for interacting to resist. Knowledge and practices that demand more and more a break with the authoritarian and colonialist thinking so present in the Brazilian context are indispensable.

Esta nota resulta de reflexiones iniciales a cerca de la coyuntura brasileña actual por lo que se refiere a los desafíos que los pueblos indígenas tienen que enfrentar frente a un Gobierno que expresa clara y determinadamente ser antiindígena. Observando la perspectiva histórica de la política indigenista brasileña, hay elementos que instigan el análisis de la relación del Estado con los pueblos indígenas y la capacidad que el movimiento indígena brasileño tiene de articularse para resistir. Son necesarios saberes y prácticas que exigen cada vez más el rompimiento con el pensamiento autoritario y colonialista tan presente en el contexto brasileño.
Descritores: Autoritarismo
Brasil
Ecossistema Amazônico
População Indígena
Violência Étnica
-Incêndios Florestais/estatística & dados numéricos
Violações dos Direitos Humanos
Política Ambiental
Cultura Indígena
Mercúrio
Mineração
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  2 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1024441
Autor: Guatemala. Gobierno de la República.
Título: Política General de Gobierno: 2016-2020 / General Government Policy: 2016-2020.
Fonte: Guatemala; Gobierno de la República de Guatemala; 2016. 44 p.
Idioma: es.
Resumo: Esta Política General de Gobierno establece las prioridades y directrices que orientan la gestión pública y establece los medios para el seguimiento y evaluación de los objetivos propuestos para el período de Gobierno 2016-2020. Asume además, el Plan Nacional de Desarrollo K'atun Nuestra Guatemala 2032. Entre las urgencias que destaca de la realidad nacional, están: lograr la salud integral, la educación de calidad, la seguridad alimentaria, el desarrollo económico, la sostenibilidad ambiental y la seguridad en sus distintas dimensiones. Incluye a las demás instancias institucionales a la hora de establecer las metas que deben ser logradas por la institucionalidad pública, en general, además de las acciones específicas relacionadas con las funciones y competencias de cada entidad. Esta política orientará la planificación, la programación y la asignación de recursos presupuestarios durante los próximos cuatro años.
Descritores: Política Pública
Programas e Políticas de Nutrição e Alimentação
Políticas Públicas de Saúde
Política Ambiental
Governo
Programas Governamentais/organização & administração
-Gestão de Recursos
/legislação & jurisprudência
FURALDEHYDEABDOMEN/legislação & jurisprudência
Guatemala
Limites: Seres Humanos
Responsável: GT1.1 - Biblioteca y Centro de Información


  3 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: lil-56138
Autor: Instituto Brasileiro de Informaçäo em Ciência e Tecnologia.
Título: Fontes de informaçäo em meio ambiente no Brasil / Information sources on environment in Brazil.
Fonte: s.l; Instituto Brasileiro de Informaçäo em Ciência e Tecnologia; 1983. 147 p.
Idioma: pt.
Descritores: Política Ambiental
-Brasil
Meio Ambiente
Diretório
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.2/WA22*I59J,1983,R; BR67.1


  4 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1020568
Autor: Martine, George; Alves, José Eustáquio Diniz.
Título: Disarray in global governance and climate change chaos / Desordem na governança global e o caos nas mudanças climáticas / Desorden en la gobernanza global y el caos en el cambio climático
Fonte: Rev. bras. estud. popul;36:e0075, 2019. ilus.
Idioma: en.
Resumo: Scientists warn that human activity in the Anthropocene is causing the transgression of several planetary boundaries. The population/environment/development equation has become insoluble. This paper reviews the trajectory of climate change and discusses the shortcomings of ongoing efforts to address it. It analyzes the current crisis in global governance, fostered by widespread disenchantment with globalization, and reflects on the risks that the resulting political imbroglio presents for our environmental future. Global responses are ineffective due to crumbling multilaterism and the continuing promotion of unsustainable economic growth based on consumerism. Discontent with the consequences of globalization has destabilized national governance and, in the process, further corroded prospects for effective global governance in facing symbiotic social, political and environmental crises. Frustration with globalization is providing media populists a platform from which to attract voters with naive schemes that highlight climate change denial. Potential pathways and obstacles for multilateralism in efforts to resolve the current crisis are blurred. Blind faith in technology, negationism, and the pervasiveness of the consumer culture further hamper awareness raising. Unfortunately, voters, institutions and policies may only adjust when the intensification of climate disasters forces a sea change in outlook.

Os cientistas alertam para o fato de que a atividade humana no Antropoceno está provocando a transgressão de vários limites planetários. A equação população, meio ambiente e desenvolvimento ficou insolúvel. Este artigo revisa a trajetória das mudanças climáticas, discute as limitações dos esforços atuais para lidar com elas e analisa a atual crise na governança global, além de refletir sobre os riscos que esse imbróglio político apresenta para o nosso futuro ambiental. As respostas globais são ineficazes devido à deterioração do multilaterismo e à promoção generalizada do crescimento econômico insustentável baseado no consumismo. O descontentamento com as consequências da globalização desestabilizou a governança nacional e, no processo, corroeu ainda mais as perspectivas de uma governança global eficaz para enfrentar crises sociais, políticas e ambientais simbióticas. A frustração com a globalização está proporcionando aos populistas uma plataforma para atrair eleitores com esquemas ingênuos que incluem o negacionismo. Ao mesmo tempo, uma nova divisão do poder econômico, político e científico está surgindo com a Belt and Road Initiative da China. Discutem-se caminhos potenciais e obstáculos para o multilaterismo na tentativa de resolver esse dilema. A fé cega na tecnologia, o negacionismo e a difusão da cultura de consumo dificultam os esforços multilaterais contra as ameaças ambientais. Infelizmente, parece que eleitores, instituições e políticas só se ajustarão depois que a intensificação dos desastres climáticos forçar uma mudança radical de mentalidade.

Los científicos advierten que la actividad humana en el Antropoceno está provocando la transgresión de varios límites planetarios. La ecuación población, medio ambiente y desarrollo ha quedado insoluble. Este artículo revisa la trayectoria del cambio climático y discute las limitaciones de los esfuerzos actuales para lidiar con él. Analiza también la actual crisis en la gobernanza global y el desencanto generalizado que despierta y reflexiona sobre los riesgos que ese embrollo político presenta para nuestro futuro ambiental. Las respuestas globales son ineficaces debido al deterioro del multilaterismo y a la promoción continua del crecimiento económico insostenible basado en el consumismo. El descontento con las consecuencias de la globalización ha desestabilizado la gobernanza nacional y, en el proceso, ha corroído aún más las perspectivas de una gobernanza global eficaz para enfrentar crisis sociales, políticas y ambientales simbióticas. La frustración con las consecuencias de la globalización proporciona a los populistas una plataforma para atraer electores con esquemas ingenuos que incluyen la negación del cambio climático. Al mismo tiempo, surge una nueva división de poder económico, político e científico en torno de la Iniciativa Belt and Road de China. Se discuten caminos potenciales y obstáculos para el multilaterismo en el intento de resolver eses dilemas. La fe ciega en la tecnología, el negacionismo y la omnipresencia de la cultura de consumo dificultan la escalada necesaria de esfuerzos multilaterales. Desafortunadamente, votantes, instituciones y políticas solo se ajustarán cuando la intensificación de los desastres climáticos provocar un cambio radical de mentalidad.
Descritores: Mudança Climática
Dissidências e Disputas
Internacionalidade
Aquecimento Global
Política Ambiental
-Desastres Provocados pelo Homem
Saúde Ambiental
Políticas
Promoção da Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  5 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1022105
Autor: Ferreira, Amanda Guimarães; Carvalho, Deciane Pintanela de; Barlem, Edison Luiz Devos; Rocha, Laurelize Pereira; Silva, Mara Regina Santos da; Vaz, Marta Regina Cezar.
Título: Participação social na saúde e o papel da enfermagem: aplicação do modelo ecológico / Social participation in health and the nursing role: using the ecological mode / Participación social en la salud y papel de enfermado: aplicación del modelo ecológico
Fonte: Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online);11(5):1360-1367, out.-dez. 2019. il.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objective: This study aimed at identifying the elements of the Ecological Model by analyzing scientific publications on social participation in health and the role of nursing. Methods: This integrative literature review was carried out in June 2017. The articles were selected using pre-established inclusion and exclusion criteria, obtaining 19 studies for synthesis. Results: Individual, organizational and environmental elements of the Ecological Model were highlighted, allowing the identification of social participation in health and the role of nursing through ecological thinking, environmental and health awareness, and changes in behaviors and lifestyles. These actions were promoted by the community's involvement, health institutions, universities, and health professionals. Conclusion: Nursing professionals should encourage social participation, decision making towards the care service, and the implementation of public policies, then promoting public awareness

Objetivo: Estudo com objetivo de identificar os elementos do modelo ecológico na análise da produção científica acerca da participação social na saúde e o papel da enfermagem. Métodos: revisão integrativa realizada em junho de 2017, os artigos foram selecionados por meio de critérios de inclusão e exclusão pré-estabelecidos, obtendo-se 19 estudos para síntese. Resultados: evidenciaram-se elementos individuais, organizacionais e ambientais do Modelo Ecológico, possibilitando a identificação da participação social na saúde e o papel da enfermagem, por meio do pensamento ecológico, conscientização ambiental e de saúde, mudanças de comportamentos e estilos de vida, além do envolvimento da comunidade, instituições de saúde, universidades e profissionais de saúde nessa promoção. Conclusão: a Enfermagem deve incentivar a participação social, tomada de decisões de cuidados e implementação de políticas públicas, promovendo a conscientização

Objetivo: Estudio con el objetivo de identificar los elementos del modelo ecológico en el análisis de la producción científica acerca de la participación social en la salud y el papel de la enfermería. Métodos: la revisión integrativa realizada en junio de 2017, los artículos fueron seleccionados por medio de criterios de inclusión y exclusión preestablecidos, obteniéndose 19 estudios para síntesis. Resultados: se evidenciaron elementos individuales, organizacionales y ambientales del Modelo Ecológico, posibilitando la identificación de la participación social en la salud y el papel de la enfermería, por medio del pensamiento ecológico, concientización ambiental y de salud, cambios de comportamientos y estilos de vida, además de la participación de la comunidad, instituciones de salud, universidades y profesionales de la salud en esta promoción. Conclusión: la Enfermería debe incentivar la participación social, la toma de decisiones de cuidados y la implementación de políticas públicas, promoviendo la concientización
Descritores: Enfermagem/tendências
Ecossistema
Participação Social
-Meio Ambiente
Política Ambiental
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1208.1 - BSEN - Biblioteca Setorial de Enfermagem e Nutrição


  6 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1008477
Autor: Cavallo, Gonzalo Aguilar.
Título: Conhecimentos ecológicos indígenas e recursos naturais: a descolonização inacabada / Conocimientos ecológicos indígenas y recursos naturales: la descolonización inacabada / Indigenous ecological knowledge and natural resources: unfinished decolonization
Fonte: Estud. av;32(94):373-390, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Este trabalho pretende ressaltar o conhecimento indígena tradicional ante o conhecimento eurocentrista em matéria de preservação da natureza e do patrimônio ambiental. Ante a atual crise ambiental, o resgate do conhecimento ecológico indígena aparece como uma alternativa para o desenvolvimento diante das ineficazes fórmulas de acumulação, vestígios do colonialismo. O sistema interamericano de proteção de direitos humanos tem contribuído com um reconhecimento dos direitos coletivos dos povos indígenas sobre suas terras e recursos naturais. Esse reconhecimento contém em si mesmo a aceitação dos conhecimentos ecológicos indígenas, os quais poderão contribuir para o estabelecimento de um novo modelo de desenvolvimento.

This paper aims to highlight traditional indigenous knowledge vis-à-vis Eu-rocentric knowledge regarding the conservation of nature and the preservation of the environmental heritage. Considering the environmental crisis, the validation of indigenous ecological knowledge appears to be an alternative to development in face of the ineffective recipe of accumulation of goods and other vestiges of colonialism. The Inter-American System of Human Rights has recognized the collective rights of indigenous peoples on their land and natural resources. This recognition contains in itself an acceptance of the indigenous ecological knowledge, which could contribute to a new development model.
Descritores: Recursos Naturais
Ecologia
População Indígena
Política Ambiental
Direitos Humanos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  7 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1008310
Autor: Paiva Sobrinho, Ranulfo; Garcia, Junior Ruiz; Maia, Alexandre Gori; Romeiro, Ademar Ribeiro.
Título: Tecnologia Blockchain: inovação em pagamentos por serviços ambientais / Blockchain Technology: Innovation in Payments for Environmental Services
Fonte: Estud. av;33(95):151-175, 2019. ilus, graf, tab, mapa.
Idioma: pt.
Resumo: Os problemas socioecológicos são complexos e multidimensionais, envolvendo pelo menos a dimensão ambiental, social, econômica, política e institucional. Os problemas relacionados ao uso múltiplo dos recursos hídricos, a revitalização de bacias hidrográficas e a recuperação de rios urbanos têm colocado novos desafios para a sociedade, os quais requerem soluções inovadoras. Algumas soluções propostas, como a adoção de esquemas de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), têm por objetivo incentivar que as pessoas adotem ações direcionadas para resolver problemas específicos em troca de incentivos econômicos. Mas essas soluções possuem limitações relativas a continuidade das ações após o suprimento dos incentivos. Os PSA tradicionais são baseados na moeda oficial de um país e, consequentemente, podem ser interrompidos na ocorrência de crises econômicas. Nesse sentido, o objetivo principal deste trabalho é apresentar e discutir uma proposta geral de gestão para a Bacia Hidrográfica do Rio Jundiaí baseada na adoção de uma moeda complementar criada com suporte da tecnologia do blockchain. A moeda complementar é a criptomoeda denominada Aqua que visa incentivar ações, por exemplo, como a recuperação das áreas de proteção ambiental em áreas rurais, assim como, ações ambientais em áreas urbanas. A criptomoeda Aqua busca exercer a função de meio de troca e sua circulação ocorrerá somente dentro da rede de usuários que a aceitarem. Visando evitar o efeito negativo de ações especulativas, recomenda-se que a criptomoeda Aqua não seja conversível em reais ou outra criptomoeda.

Socioecological problems are complex and multidimensional, involving at least an environmental, socio, economic, political and institutional dimensions. Proble-ms related to multiple uses of water resources, watershed revitalization and urban river recovery have placed new challenges on society and require innovative solutions. Proposed solutions, such as payment for ecosystem services (PES), aim to encourage people to adopt actions to solve specific issues in exchange for economic incentives. These solutions have limitations related to continuity of actions after the economic incentives cease. Thus, the main goal of this paper is to introduce and discuss a proposal to manage the Jundiai River Watershed that includes the adoption of a complementary currency created with blockchain technology, the Aqua. The main purposes of this cryptocurrency arethe recovery of riparian forests in rural zones and environmental actions in urban areas. The cryptocurrency Aqua would act as a medium of exchange and circulate only within the network of establishments that accept it. Seeking to avoid the negative consequences of speculative actions, we recommend the Aqua is not convertible into Reais or other cryptocurrencies.
Descritores: Bacias Hidrográficas
Zona Rural
Conservação dos Recursos Naturais
Ecologia
Meio Ambiente
Política Ambiental
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Augusto, Lia Giraldo da Silva
Costa, André Monteiro
Texto completo
Id: biblio-962575
Autor: Medeiros, Marcílio Sandro de; Augusto, Lia Giraldo da Silva; Barca, Stefania; Sacramento, Daniel Souza; Neta, Inez Siqueira Santiago; Gonçalves, Isabela Cristina; Costa, André Monteiro.
Título: A saúde no contexto de uma reserva de desenvolvimento sustentável: o caso de Mamirauá, na Amazônia Brasileira / Health in the context of a sustainable development reserve: the case of Mamirauá, in the Brazilian Amazon
Fonte: Saúde Soc;27(1):128-148, jan.-mar. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo deste artigo é analisar as condições de vida e saúde de ribeirinhos de oito comunidades da Reserva Mamirauá, a partir da categoria de análise da Reprodução Social de Juan Samaja. Seu método é descritivo, e foram utilizados questionário estruturado, observação direta e análise documental. A pesquisa identificou baixo envolvimento dos ribeirinhos em relação ao controle social e ao apoio comunitário, o que indica problemas na interação biocomunal e política. O atendimento às demandas sociais está organizado de forma conflituosa, uma vez que várias instituições que atuam nesse território não se articulam. A interação da dimensão política com a tecnoeconômica apresentou Razão de Prevalência <1,0 nas comunidades em que o Instituto Mamirauá promoveu maior diversificação das atividades. Contudo, os rendimentos para subsistência sofrem forte variação e não alcançam a soma de 1 salário mínimo em 60,6% das famílias. Foram observadas elevadas frequências em queixas de saúde (78,8%) e acidentes de trabalho (70,9%) e, quanto à avaliação dos serviços, 54 % dos ribeirinhos deram nota inferior a 2 pontos. Concluímos que os processos sociais que determinam as situações de saúde dos ribeirinhos de Mamirauá são oriundos da estrutura de poder configurada pelas práticas territorializadas das políticas ambiental e indígena, e pelos programas de saúde pública, cuja sobreposição tem produzido interações conflituosas no que diz respeito às competências e responsabilidades com a atenção à saúde. O apoio à cogestão da Reserva foi pontual e, dessa forma, pouco alterou os resultados danosos dessa estrutura social sobre os grupos mais vulneráveis.

Abstract This article aims to analyze the living and health conditions of riverside inhabitants from eight communities within the Mamirauá Reserve, through the category of analysis of Social Reproduction by Juan Samaja. The chosen method was descriptive, and it was used a structured questionnaire, direct observation and documental analysis. The research has identified low involvement of the riverside inhabitants in social control and community support, which indicates issues regarding bio-communal and political interaction. The response to social demands is organized in a conflicting way, since various institutions that operate in this territory are not articulated. The interaction between political and techno-economic dimensions presented a Prevalence Ratio <1.0, especially in communities where the Mamirauá Institute promoted a greater diversification of its activities. However, the people's subsistence income suffers strong variations and does not reach the sum of one minimum wage in 60.6% of the families. We observed high frequencies in health complaints (78.8%) and occupational accidents (70.9%), and 54% of judged the provided health services with scores under 2. We concluded that the social processes that determine the health situation of the communities are due to the structure of power that is configured by territorial practices of environmental and indigenous policies, and by overlapped health public programs, that create conflicting situations concerning competences and responsibilities with health attention. The support to the co-management of the Reserve was punctual and, in this way, it barely affected the negative results of this social structure on the most vulnerable groups.
Descritores: Política Pública
Condições Sociais
Áreas Protegidas
Populações Vulneráveis
População Indígena
Política Ambiental
-Ecossistema Amazônico
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  9 / 459 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-997419
Autor: Cortés Landázury, Raúl(coord); Gómez, Andrés Mauricio(coord).
Título: DE LA DEGRADACIÓN HÍDRICA Y LAS INNOVACIONES INSTITUCIONALES, A LA SOCIEDAD CIVIL AMBIENTALIZADA: UN ANÁLISIS DE LA PROBLEMÁTICA DE LA CALIDAD DEL AGUA EN LA CUENCA ALTA DEL RíO CAUCA, COLOMBIA / FROM DEGRADATION OF WATER AND INSTITUTIONAL INNOVATIONS TO THE GREENING CIVIL SOCIETY: AN ANALYSIS OF THE PROBLEMS OF WATER QUALITY IN THE HIGH CAUCA RIVER BASIN, COLOMBIA
Fonte: Rev. luna azul;45:[71]-[106], octubre 20, 2017.
Idioma: es.
Resumo: Al término de la primera década del siglo XXI, las problemáticas en torno a la calidad del recurso hídrico, son cada vez más evidentes en el ámbito mundial y regional. No obstante en Colombia, bajo el influjo de la reforma ambiental de la década de 1990, el andamiaje institucional quiso conjurar la amenaza inclinándose por la gestión descentralizada de la sostenibilidad y la aplicación de instrumentos económicos como la tasa retributiva (impuesto pigouviano). El propósito de este artículo es revisar el desempeño de estos dos estandartes frente al papel de la sociedad civil en la intervención sobre la calidad del agua en la cuenca alta del río Cauca. Para ello se utiliza el análisis institucional combinado con herramientas econométricas que abarcan modelos con datos panel, ANOVA y finalmente, componentes principales. Al final, se discuten los alcances de la ciudadanía cívica en complemento o alternativa a las herramientas típicas de la administración pública regionalizada. Los resultados muestran, entre muchos otros, la inocuidad de instrumentos económicos como las tasas retributivas para atacar la contaminación hídrica, junto a la capacidad de las organizaciones sociales para regentar procesos asociativos en defensa de la calidad del agua del río.

At the end of the first decade of the 21st century, the issues surrounding the quality of water resources are increasingly evident at the global and regional levels. However, under the influence of the environmental reform of the 1990s in Colombia, the institutional framework sought to avoid the threat by leaning towards the decentralized management of sustainability and the application of economic instruments such as the compensatory rate (Pigouvian tax). The purpose of this article is to review the performance of these two standards against the role of civil society in the intervention on water quality in the high basin of the Cauca river. For this, the institutional analysis combined with econometric tools including models with panel, ANOVA and finally main components are used. In the end, the scope of civic citizenship as a complement or alternative to the typical tools of the regionalized public administration is discussed. The results show, among many others, the harmlessness of financial instruments such as compensatory rates to attack water contamination, along with the capacity of social organizations to control associative processes in defense of the river water quality.
Descritores: Organizações
Poluição Ambiental
Política Ambiental
Governança
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CO54.1 - Centro de Biblioteca e Información Científica


  10 / 459 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-981770
Autor: Romão, Rodrigo.
Título: Da Agenda ambiental à Vigilância Ambiental: um percurso histórico e biopolítico / From the Environmental Agenda to Environmental Surveillance a historical and biopolitical path.
Fonte: São Paulo; s.n; 2019. 128 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Prática de Saúde Pública para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: A presente tese se propõe a traçar uma genealogia da Vigilância Ambiental no Brasil. Partindo de um conjunto de chaves interpretativas da obra do filósofo Michel Foucault, congregamos um amplo leque de fontes documentais para compreender os primeiros sinais de uma incipiente medicina preventiva e sua agenda eminentemente ambiental, ainda em um Brasil pré-imperial, e observamos suas transformações em paridade com o desenvolvimento de nossa sociedade - buscando aí encontrar o mote biopolítico, dado que a construção da nação exigia medidas sanitárias que garantissem a saúde da população, ainda que não necessariamente por questões humanitárias. Acompanhamos a transição da agenda ambiental na saúde pública, que leva em conta os impactos do meio ambiente na existência humana para o movimento reverso, quando nos damos conta de que a humanidade está provocando danos possivelmente irreversíveis ao planeta - e como essa nova fase tem afetado nossa saúde. De maneira crítica e reflexiva, discutimos a formação e a dimensão biopolítica da Vigilância Ambiental na atualidade, dispondo de maiores e melhores recursos tecnológicos, mas atuando em uma governamentalidade neoliberal de redução de direitos - que afetam, inclusive, o direito à saúde

This thesis aims to trace the genealogy of Enviromental Surveillance in Brazil. From the standpoint a set of interpretative concepts of the philosopher Michel Foucault, we convey a vast array of documental sources to comprehend the first signs of an incipient preventive care and its respectable environmental agenda, still in a pre-imperial Brazil, and we observe its transformations parallel to the development of our society - aiming to find the biopolitical mote, given that the creation of the nation required sanitation methods that could guarantee the health of the population, even though not by strictly humanitarian reasons. We follow the transtition of the environmental agenda in our public health, which takes into consideration the impact of the environment in the human existence to the reverse movement, when we come to the realization that humanity has been causing possibly irreversible damage to the environment - and due to this also affecting our health. In a critic and self-reflecting way, we discuss the formation and the dimension of biopolitics of the Enviromental Surveillance in current day society, having access to a vast array of newer and better technological resources, but acting in a neoliberal governmentality of deprivation of rights, that also affect the right to health
Descritores: Filosofia
Administração Ambiental
Meio Ambiente
Política Ambiental/história
Genealogia e Heráldica
Política de Saúde/história
-Brasil
Saúde Ambiental
Saúde Pública
Vigilância Sanitária Ambiental
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência
BR67.1; DR1483



página 1 de 46 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde