Base de dados : LILACS
Pesquisa : I01.880.735.900.575 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 12 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 12 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Porto, Marcelo Firpo de Souza
Texto completo
Id: biblio-1055741
Autor: Porto, Marcelo Firpo de Souza.
Título: Crise das utopias e as quatro justiças: ecologias, epistemologias e emancipação social para reinventar a saúde coletiva / Crisis of utopias and the four justices: ecologies, epistemologies and social emancipation for reinventing public health
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;24(12):4449-4458, dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O artigo propõe uma leitura da crise da saúde no interior de uma crise mais ampla das utopias e da necessidade de reinventarmos a emancipação social que indique trilhas realistas de esperanças a partir do presente. Para isso propomos a articulação de quatro tipos de justiça: social, sanitária, ambiental e cognitiva. As duas primeiras são bem conhecidas do pensamento crítico e da saúde coletiva, e as duas últimas ampliam o entendimento da crise em sua natureza civilizatória, ética e planetária, marcada pelas contradições e potencial destrutivo da modernidade eurocêntrica, ocidental e capitalista. O social, na perspectiva assumida, é considerado indissociável das dimensões ecológicas, ontológicas e epistemológicas que marcarão os grandes embates na interface entre ética, política, ciência e transformação social em tempos de acirramento das várias crises, surgimento de distopias e necessária transição civilizatória. O artigo se apoia nas contribuições de três campos do conhecimento: a saúde coletiva, a ecologia política e as abordagens pós-coloniais, em especial as epistemologias do Sul de Boaventura de Sousa Santos, em torno da reinvenção da emancipação social. Ao final propomos breves reflexões para que a saúde coletiva produza alternativas sobre temas como desenvolvimento econômico, científico e tecnológico, promoção, vigilância, atenção e cuidado.

Abstract The article proposes a reinterpretation about the health crisis within a broader crisis of utopias and the need to reinvent social emancipation that can show us realistic paths of hope from the present. For this purpose, we propose the association of four types of justice: social, health, environmental and cognitive. The two first ones are well known in critical thinking and collective health, and the last two extend the understanding of the crisis in its civilizing, ethical, and planetary aspects, marked by the contradictions and destructive potential of Eurocentric, Western and capitalist modernity. The social is considered inseparable from the ecological, ontological, and epistemological dimensions in the interface between ethics, politics, science and social transformation related to the various crises and the necessary civilizational transition. The article is based on contributions from three fields of knowledge: collective health, political ecology and postcolonial approaches, especially the Epistemologies of the South, as presented by Boaventura de Sousa Santos around the reinvention of social emancipation. Finally, we propose some brief reflections for collective health to produce alternatives on topics such as economic, scientific and technological development, health promotion, surveillance, and care.
Descritores: Justiça Social
Saúde Ambiental
Saúde Pública
Liberdade
Direito à Saúde
-Violência
Guerra
Desenvolvimento Econômico
Vestuário
Colonialismo
Metáfora
Capitalismo
Marketing Social
Racismo
Violência Étnica
Desenvolvimento Sustentável/economia
Indústrias
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-902217
Autor: Romero Zepeda, Hilda; Ortega Marín, Blanca Andrea.
Título: Vulnerabilidad impuesta y violación sistemática a los derechos de las mujeres indígenas en México / Imposed vulnerability and systematic violation of the indigenous women rights in Mexico
Fonte: Rev. medica electron;39(4):933-946, jul.-ago. 2017.
Idioma: es.
Resumo: En México el reconocimiento a los derechos de las mujeres ha transitado un largo camino, acompañado muchas veces de experiencias difíciles para hacerlos valer. Desde 1930 se lucha por el reconocimiento de dichos derechos, se han signado ordenamientos, leyes nacionales e internacionales que norman todo a lo que las mujeres tienen acceso. Sin embargo, los estudios, encuestas y denuncias demuestran lo contrario. Este artículo abordó la problemática que las mujeres indígenas viven en México para que sean respetados y reconocidos sus derechos, específicamente los reproductivos y, particularmente, la esterilización impuesta, que además de violar su derecho a decidir por las instituciones encargadas de cuidar su salud, les genera problemas ginecológicos y rechazo por su pareja (AU).

Women's rights recognition in Mexico has gone through a long way, accompanied many times by difficult experiences to make them true. The fights for the recognition of those rights date back to 1930. Orders, national and international laws have been signed ruling all the rights to which women have access. However, studies, surveys and reports prove the entire contrary. This article approaches the problems affronted by the indigenous women who live in Mexico for the recognition and respect of their rights specially the reproductive ones and, particularly, the imposed sterilization, that besides the violation of their rights to decide from the part of the institutions in charge of taking care for their health, causes them gynecological problems and their couples rejection (AU).
Descritores: Direitos da Mulher/história
Violência Étnica/prevenção & controle
-Literatura de Revisão como Assunto
Direitos Sexuais e Reprodutivos/história
Direitos Sexuais e Reprodutivos/legislação & jurisprudência
Direitos Sexuais e Reprodutivos/normas
Violência Étnica/tendências
Violência de Gênero/prevenção & controle
Violência de Gênero/tendências
México
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CU424.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas


  3 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889644
Autor: Hernández-Rosete, Daniel.
Título: La violencia juvenil contra emos: análisis etnográfico de su persecución en la Ciudad de México / Bullying of emos in Mexico City: an ethnographic analysis / A violência juvenil contra os emos: análise etnográfico de sua perseguição na Cidade do México
Fonte: Cad. Saúde Pública (Online);33(12):e00080116, 2017.
Idioma: es.
Resumo: El objetivo de este artículo es describir las creencias que han alimentado el odio y las prácticas de violencia, ejercida por diversos sectores, contra varones y mujeres que se identifican a sí mismos como emos en la Ciudad de México. Se trata de un estudio etnográfico, realizado entre 2012 y 2015, apoyado en 24 entrevistas en profundidad a jóvenes estudiantes que en 2008 cursaban algún grado de bachillerato en universidades públicas en la Ciudad de México. Se privilegia la narrativa de los emos (10); sin embargo, se exploraron también los relatos de jóvenes que se consideran punks (6), darks (5) y metaleros (3). Los hallazgos sugieren que las agresiones contra emos tienen un fuerte arraigo en creencias de género, particularmente en la noción de masculinidad hegemónica. Destaca el hecho de que no sólo provienen de colectivos juveniles, también aparece la vida familiar y escolar como contextos de violencia naturalizada y construida como legítima por su vínculo con la noción de disciplina escolar. Las estrategias utilizadas por estos jóvenes para resistir la violencia sugieren posicionamientos reflexivos frente a su contexto histórico, escolar y familiar. Aunque como colectivo lograron colocar su exigencia del derecho a la educación y a la diversidad en aulas universitarias, se advierte la necesidad de diseñar políticas de prevención de violencia, particularmente en contextos escolares universitarios.

The article describes the beliefs that have fueled violence by various groups against male and female "emos" in Mexico City. This was an ethnographic study from 2012 to 2015 based on 24 in-depth interviews with young students enrolled in public universities in Mexico City in 2008. The study focused primarily on emos (10), but also included young people that described themselves as punks (6), darks (5), and rockers (3). The findings suggest that bullying of emos is deeply rooted in gender beliefs, particularly hegemonic notions of masculinity. The study highlights the fact that bullying is perpetrated not only by other youth, but also occurs in the family and school settings, where the violence is taken for granted as a legitimate construct associated with the idea of discipline in school. The strategies used by these young people to resist bullying suggest reflexive attitudes towards their historical, scholastic, and family contexts. They are able to reaffirm their collective demand for the right to education and diversity in university classes, but the situation calls for policies to prevent bullying, especially in the university community.

O artigo teve como objetivo descrever as concepções que têm alimentado o ódio e as práticas de violência, exercidas por diversos setores, contra homens e mulheres que se identificam a si mesmos como emos na Cidade do México. Trata-se de um estudo etnográfico, efetuado entre 2012 e 2015, sustentado em 24 entrevistas em profundidade a estudantes jovens que em 2008 cursavam algum grau dos últimos anos do ensino secundário nas universidades públicas da Cidade do México. Prioriza-se a narrativa dos emos (10); não entanto, se exploraram também os relatos dos jovens que se consideram punks (6), darks (5) e metaleiros (3). As conclusões sugerem que as agressões contra emos tem uma forte conexão com a percepção de gênero, particularmente ao respeito do conceito de masculinidade hegemônica. Destaca-se o fato de que não apenas emanam do coletivo juvenil, também emergem na vida familiar e escolar como contextos de violência naturalizada e construída como legítima, por causa do seu vínculo com a noção de disciplina escolar. As estratégias empregadas por estes jovens para resistir a violência sugerem posicionamentos reflexivos frente a seu contexto histórico, escolar e familiar. No entanto, como coletivo lograram colocar sua exigência ao direito a educação e a diversidade nas aulas universitárias, adverte-se a necessidade de desenhar políticas de prevenção a violência, especificamente nos contextos escolares universitários.
Descritores: Populações Vulneráveis/etnologia
Bullying
Violência Étnica/etnologia
Grupos Minoritários
-Estudantes
Fatores Sexuais
Diversidade Cultural
Antropologia Cultural
México/etnologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1050744
Autor: Galeano, Giovana Barbieri; Guareschi, Neuza Maria de Fátima; Scisleski, Andrea Cristina Coelho.
Título: Políticas de pesquisa e resistências em tempos de acirramento dos processos de violência / Research policies and resistance policies in times of incitement of violence processes / Políticas de investigación y resistencia en tiempos de intensificación de los procesos de violencia
Fonte: Psicol. ciênc. prof;39(2,n.esp):19-32, ago.-nov. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Neste artigo, tomamos os estudos de Hannah Arendt, Walter Benjamin e Giorgio Agamben para problematizar a Psicologia e as demandas que lhe são dirigidas em termos de empreender a produção de estratégias contra práticas violentas que tem crescido no contexto brasileiro contemporâneo. Para a presente discussão, designamos três analisadores principais: o primeiro é uma cena vivenciada em um parque da cidade de Porto Alegre - RS, cuja função como cenário é discutir como a Psicologia aborda questões relacionadas ao cotidiano no que tange a produção de conhecimento; o segundo considera os movimentos realizados por diversos grupos em todo o Brasil sob a hashtag "#elenão"; finalmente, o terceiro focaliza o período após o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018, quando o espaço público foi usado para dialogar sobre as propostas presidenciais dos candidatos para o segundo turno. A aposta ético-epistemológica e política de nossa pesquisa está ligada às lutas que constituem um espaço de resistência em relação às práticas violentas incitadas cotidianamente. Argumentamos que as lutas não dizem respeito apenas à afirmação da possibilidade de existência/vida, mas, principalmente, sobre a impossibilidade de não lutar...(AU)

In this article, we take Hannah Arendt, Walter Benjamin and Giorgio Agamben's studies to problematize psychology and the direct demands to produce strategies against violent practices that have been escalating in the contemporary Brazilian context. We designate three main analyzers to the present discussion: the first is a scene experienced in a park in the city of Porto Alegre - Rio Grande do Sul, which serves as an example to discuss how psychology approaches these daily-life issues of vulnerability related to knowledge production; the second regards to movements performed by several groups throughout Brazil, during the election period, under the hashtag "#elenão"; finally, the third analyzer focuses on the campaign period for the second term of the 2018's presidential election when the public space was used to discuss candidates' presidential proposals. The ethical-epistemological and political bet of our research is linked to daily struggles that constitute a space of resistance to violent practices incited on a daily basis. We argue that struggles are not only related to the affirmation of the possibility to exist in society, but also to the impossibility of not struggling...(AU)

En este artículo, tomamos los estudios de Hannah Arendt, Walter Benjamin y Giorgio Agamben para problematizar la psicología y las demandas que se le dirigen en términos de emprender la producción de estrategias contra prácticas violentas que han crecido en el contexto brasileño contemporáneo. Para la presente discusión, designamos tres analizadores principales: el primero es una escena vivida en un parque de la ciudad de Porto Alegre ­ Rio Grande do Sul, cuya función como escenario es discutir cómo la psicología aborda temas relacionados con la vida cotidiana en términos de producción de conocimiento; el segundo analizador considera los movimientos realizados por diversos grupos en todo Brasil bajo el hashtag "#elenão"; Por último, el tercer analizador se centra en el período posterior a la primera votación de las elecciones presidenciales de 2018, cuando se utilizó el espacio público para dialogar sobre las propuestas presidenciales de los candidatos para la segunda votación. La apuesta ético-epistemológica y política de nuestra investigación está vinculada a las luchas que constituyen un espacio de resistencia en relación a las prácticas violentas incitadas cotidianamente. Argumentamos que las luchas no se refieren sólo a la afirmación de la posibilidad de existencia/vida, sino principalmente a la imposibilidad de no luchar...(AU)
Descritores: Psicologia
Psicologia Social
Comportamento Social
Violência
Poder Psicológico
Estado
Populações Vulneráveis
Marginalização Social
Relações Interpessoais
-Política
Relações Raciais
Violência Étnica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1552.1 - Biblioteca Central


  5 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-998021
Autor: Moura, Rodrigo Caldeira Bagni.
Título: Um estudo comparado dos Palestras Itália de São Paulo e de Belo Horizonte (1914-1933) / A comparative study of Palestras Itália São Paulo and Belo Horizonte (1914-1933)
Fonte: Licere (Online);22(1):i:263-f:302, mar.2019.
Idioma: pt.
Resumo: No presente trabalho analisaremos em perspectiva comparada o Palestra Itália, fundado em São Paulo em 1914, que após 1942 passou a chamar-se Sociedade Esportiva Palmeiras, com o Palestra Itália de Belo Horizonte, que iniciou suas atividades em 1921 e após 1942 transformou-se em Cruzeiro Esporte Clube. Nosso objetivo central será analisar comparativamente o processo de afirmação dos dois times, buscando compreender qual a importância do futebol, no processo de inserção e pertencimento dos italianos nas duas capitais mencionadas, e qual a contribuição dos Palestras para sedimentar a noção de identidade italiana, entre os membros da colônia, no período de 1914 à 1933.

In this paper we are going to analyze in comparative perspective, the Palestra Italia, founded in São Paulo in 1914, which after 1942 became known Sociedade Esportiva Palmeiras, with the Palestra Italia in Belo Horizonte, which began its activities in 1921 and after 1942 became Cruzeiro Esporte Clube. Our main objective is to comparatively analyze the process of affirmation of the two teams, trying to understand how important soccer is in the process of inclusion and belonging of the Italians in the two aforementioned capitals, and the contribution of both Palestra teams to settle the notion of Italian identity, and members of the colony, in the period 1914 to 1933.
Descritores: Preconceito
Futebol
Grupos Étnicos
Emigração e Imigração
Violência Étnica
Itália
-I Guerra Mundial
Limites: Humanos
História do Século XX
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Artigo Histórico
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  6 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1048797
Autor: Goldstein, Mirta.
Título: Xenofobias, terror y violencia: erótica de la crueldad / Xenophobias, Terror and Violence: erotic cruelty.
Fonte: Buenos Aires; Lugar Editorial; 2006. 143 p.
Idioma: es.
Descritores: Xenofobia
-Violência Étnica
Limites: Humanos
História do Século XX
Responsável: AR659.1 - Biblioteca "Dr. Ricardo Gutiérrez"


  7 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047483
Autor: Amado, Luiz Henrique Eloy.
Título: Autoritarismo e resistência indígena no Brasil / Authoritarianism and the indigenous resistance in Brazil / Autoritarismo y resistencia indígena en Brasil
Fonte: RECIIS (Online);13(4):702-706, out.-dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Esta nota resulta de reflexões iniciais sobre a atual conjuntura brasileira no que tange aos desafios postos aos povos indígenas, diante de um governo declaradamente anti-indígena. Considerando a perspectiva histórica da política indigenista brasileira, observam-se elementos que nos instigam a analisar a relação do Estado com os povos originários e a capacidade que o movimento indígena brasileiro tem de articulação visando à resistência. São necessários saberes e práticas que exigem, cada vez mais, o rompimento com o pensamento autoritário e colonialista tão presente no contexto brasileiro.

This text is product of the initial attempts to think about the current Brazilian conjuncture regarding the challenges posed to indigenous peoples since they are confronted with a government who have declared to be anti-indigenous. From the historical perspective of Brazilian governmental policy towards indigenous, we observe elements that push us to analyze the relationship of the State with the indigenous peoples and the Brazilian indigenous movement' capacity for interacting to resist. Knowledge and practices that demand more and more a break with the authoritarian and colonialist thinking so present in the Brazilian context are indispensable.

Esta nota resulta de reflexiones iniciales a cerca de la coyuntura brasileña actual por lo que se refiere a los desafíos que los pueblos indígenas tienen que enfrentar frente a un Gobierno que expresa clara y determinadamente ser antiindígena. Observando la perspectiva histórica de la política indigenista brasileña, hay elementos que instigan el análisis de la relación del Estado con los pueblos indígenas y la capacidad que el movimiento indígena brasileño tiene de articularse para resistir. Son necesarios saberes y prácticas que exigen cada vez más el rompimiento con el pensamiento autoritario y colonialista tan presente en el contexto brasileño.
Descritores: Autoritarismo
Brasil
Ecossistema Amazônico
Grupos Populacionais
Violência Étnica
-Incêndios Florestais/estatística & dados numéricos
Violações dos Direitos Humanos
Política Ambiental
Cultura Indígena
Mercúrio
Mineração
Limites: Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  8 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-710054
Autor: Cunha, Thiago; Lorenzo, Cláudio.
Título: Bioética global na perspectiva da bioética crítica / Bioética global desde la perspectiva de la bioética crítica / Global bioethics from the perspective of critical bioethics
Fonte: Rev. bioét. (Impr.);22(1):116-125, jan.-abr. 2014.
Idioma: pt.
Resumo: Desde os anos 1990 a bioética tem se aproximado cada vez mais das discussões internacionais relacionadas à saúde e às ciências da vida, o que levou alguns autores a referir-se à "bioética global". O presente artigo analisa este conceito tal como elaborado nas perspectivas de três formulações teóricas da bioética norte-americana: a de Van Rensselaer Potter, a de Tristam Engelhardt e a de Beauchamp e Childress. Ao balancear as potencialidades e as insuficiências das abordagens destes autores, propõe a "bioética crítica" como alternativa teórica melhor capacitada para enfrentar os temas globais da bioética a partir da perspectiva histórica dos países do Sul global...

Desde la década de 1990 la bioética se ha acercado cada vez más a los debates relacionados con las ciencias de la vida y la salud internacional, lo que llevó a algunos autores a referirse a la "bioética global". En este artículo se examina este concepto desarrollado en las perspectivas teóricas de tres formulaciones de la bioética estadunidense: Van Rensselaer Potter, Tristram Engelhardt y Beauchamp y Childress. Al evaluar las fortalezas y debilidades de los enfoques de estos autores, propone la "bioética crítica" como una alternativa teórica más cualificada para hacer frente a los problemas mundiales de la bioética desde la perspectiva histórica de los países del Sur global...

Since the 1990s bioethics has increasingly approached the discussions related to international health and life sciences, which led some authors to refer to the "global bioethics". This article examines this concept as elaborated in the theoretical perspectives of three formulations of North American bioethics: Van Rensselaer Potter, the Tristram Engelhardt, and Beauchamp and Childress. By balancing the strengths and weaknesses of the approaches of these authors, it is proposed the "critical bioethics" as the best qualified alternative theoretical to address the global issues of bioethics from the historical perspective of the countries of the Global South...
Descritores: Acesso Universal aos Serviços de Saúde
Violência Étnica
Disparidades nos Níveis de Saúde
Disciplinas das Ciências Biológicas/ética
Nível de Saúde
Saúde Global/ética
-Direitos Humanos
Fatores Socioeconômicos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  9 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Assis, Simone Gonçalves de
Assis, Simone Gonçalves de
Id: biblio-967731
Autor: Assis, Simone Gonçalves de; Constantino, Patricia; Avanci, Joviana Quintes; Silva, Priscila Talita Oliveira; Souza, Flavia Faissal de; Njaine, Kathie.
Título: Estratégia de formação de educadores: reflexões sobre violência e escola / Educators' training strategy: reflections on violence and school
Fonte: In: Assis, Simone Gonçalves de; Silveira, Liane Maria Braga. O tema da violência no ensino em saúde coletiva: Articulações com pesquisa e extensão. Rio de Janeiro, E-papers, 2018. p.212-212.
Idioma: pt.
Resumo: O capítulo descreve a experiência de implementação de dois cursos voltados para o tema violência na educação: Enfrentamento da violência e defesa de direitos na escola e Impactos da Violência. Diversos são os fatores que intensificam as manifestações de violência nas escolas e nos territórios onde se localizam e do qual fazem parte, tal cenário é agravado pela falta ou ausência da problematização das questões afeitas a violência em cursos de formação de professores no país. A escola é tomada como redentora dos problemas sociais e o professor como peça chave para para o sucesso dos programas estabelecidos, sendo assim, o papel da violência impõe desafios importantes aos profissionais da educação mesmo não recebendo formação a respeito do tema durante a graduação, se faz necessário uma formação continuada como papel fundamental para atuação em situação de violência.
Descritores: Ensino de Recuperação
Violência
Educação Continuada
Professores Escolares
-Política Pública
Adaptação Psicológica
Violência Doméstica
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias
Homofobia
Violência Étnica
Violência de Gênero
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Livro-Texto
Responsável: BR1782.1 - Núcleo de Informação e Documentação Cecília Minayo
BR1782.1; 362.1040981, T278


  10 / 12 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-753866
Autor: Martins, Edna; Geraldo, Aparecida das Graças.
Título: A Influência da Família no Processo de Escolarização e Superação do Preconceito Racial: um estudo com universitários negros / The Family Influence in the Education and in the Process of Overcoming Racial Prejudice: a study with black undergraduate students / La Influencia de la Familia en el Proceso de Escolaridad y Superación del Prejuicio Racial: un estudio con universitarios negros / L'influence de la Famille dans le Processus de Scolarisation et de Maîtrise des Préjugés Raciaux: une étude de l'université noire
Fonte: Rev. psicol. polit;13(26):55-73, abr. 2013.
Idioma: pt.
Resumo: Partindo de uma perspectiva qualitativa, este artigo discute a influência da família na trajetória de escolarização do aluno negro a partir de memórias de universitários negros. A análise dos relatos dos estudantes possibilita reflexões sobre a influência da família no rompimento da exclusão escolar, assim como no enfrentamento da discriminação racial ocorrida nas interações do aluno negro no interior da escola. A pesquisa também oferece elementos que podem contribuir para a discussão das relações étnico-raciais no questionamento de situações de humilhação e racismo omitidas e silenciadas pela escola e família.

From a qualitative perspective, this paper discusses the family influence in the schooling process of black students considering the memories of undergraduate black students. The analysis of student's reports enables reflections about the family's influence in the disruption of school exclusion, as well as fighting racial discrimination that occurs in the interactions of black students within the school. The research also provides evidences that can contribute to the discussion of ethnic-racial relations in the questioning of humiliating situations and racism hidden and silenced by the school and family.

Desde una perspectiva cualitativa, este artículo analiza como la familia influye en el trayecto de escolaridad del alumno negro a partir de memorias de universitarios negros. El análisis de los informes de los estudiantes permite reflejar acerca de la influencia de la familia en el rompimiento de la exclusión escolar, bien como en la lucha contra la discriminación racial que se producen en las interacciones del alumno negro en el interior de la escuela. La investigación también ofrece evidencias que pueden contribuir para la discusión de las relaciones étnico-raciales en el cuestionamiento de situaciones de humillación y racismo omitidas y silenciadas por la escuela y por la familia.

D'un point de vue qualitatif, cet article traite de l'influence de l'histoire de la famille à la trajectoire de scolarisation de l'étudiant noir à partir des souvenirs des étudiants universitaires noirs. L'analyse des entretiens permet des réflexions sur l'influence de la famille à la rupture du processus d'exclusion scolaire, ainsi que dans la lutte contre la discrimination raciale qui s'est produite dans les interactions de l'étudiant noir à l'école Cette recherche fournit également des éléments qui peuvent contribuer à la discussion de la question ethno-raciale dans les situations d'humiliation et de racisme omis et réduits au silence par l'école et la famille.
Descritores: Preconceito
Instituições Acadêmicas
Inclusão Escolar
Família
Educação Infantil
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Discriminação Social
Violência Étnica
Relações Interpessoais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Responsável: BR85.1 - Biblioteca Dante Moreira Leite



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde