Base de dados : LILACS
Pesquisa : M01.060.116.100.080 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 15221 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 1523 ir para página                         

  1 / 15221 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Rosa, Roger dos Santos
Bordin, Ronaldo
Texto completo
Id: lil-787887
Autor: Nunes, Emeline Caldana; Rosa, Roger dos Santos; Bordin, Ronaldo.
Título: Hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis in the state of Rio Grande do Sul, Brazil / Internações por colecistite e colelitíase no Rio Grande Do Sul, Brasil
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):77-80tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: The cholelithiasis is disease of surgical resolution with about 60,000 hospitalizations per year in the Sistema Único de Saúde (SUS - Brazilian National Health System) of the Rio Grande do Sul state. Aim: To describe the profile of hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis performed by the SUS of Rio Grande do Sul state, 2011-2013. Methods: Hospital Information System data from the National Health System through morbidity list for cholelithiasis and cholecystitis (ICD-10 K80-K81). Variables studied were sex, age, number of hospitalizations and approved Hospitalization Authorizations (AIH), total amount and value of hospital services generated, days and average length of stay, mortality, mortality and case fatality ratio, from health regions of the Rio Grande do Sul. Results: During 2011-2013 there were 60,517 hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis, representing 18.86 hospitalizations per 10,000 inhabitants/year, most often in the age group from 60 to 69 years (41.34 admissions per 10,000 inhabitants/year) and female (27.72 hospitalizations per 10,000 inhabitants/year). The fatality rate presented an inverse characteristic: 13.52 deaths per 1,000 admissions/year for males, compared with 7.12 deaths per 1,000 admissions/year in females. The state had an average total amount spent and value of hospital services of R$ 16,244,050.60 and R$ 10,890,461.31, respectively. The health region "Capital/Gravataí Valley" exhibit the highest total expenditure and hospital services, and the largest number of deaths, and average length of stay. Conclusion: The hospitalization and lethality coefficients, the deaths, the length of stay and spending related to admissions increased from 50 years old. Females had a higher frequency and higher values ​​spent on hospitalization, while the male higher coefficient of mortality and mean hospital stay.

RESUMO Racional: A colelitíase é doença de resolução cirúrgica com cerca de 60.000 internações por ano no Sistema Único de Saúde no estado do Rio Grande do Sul. Objetivo: Descrever o perfil das internações por colecistite e colelitíase na rede pública do estado no triênio 2011-2013. Métodos: Emprego de dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde, através da lista de morbidades para colelitíase e colecistite (CID-10 K80-K81). As variáveis estudadas foram: sexo, idade, número de internações e de Autorizações de Internação Hospitalar aprovadas, valor total e valor dos serviços hospitalares gerados, dias e média de permanência, óbitos, coeficiente de mortalidade e letalidade, a partir das regiões de saúde do estado. Resultados: No triênio ocorreram 60.517 internações por colecistite e colelitíase, o que representou 18,86 internações por 10.000 habitantes/ano, mais frequente na faixa etária dos 60 aos 69 anos (41,34 internações por 10.000 habitantes/ano) e no sexo feminino (27,72 hospitalizações por 10.000 habitantes/ano). O coeficiente de letalidade apresentou característica inversa: 13,52 óbitos para 1.000 internações/ano para o sexo masculino, contra 7,12 óbitos para 1.000 internações/ano no sexo feminino. O estado apresentou médias de valor total gasto e de valor dos serviços hospitalares de R$16.244.050,60 e R$10.890.461,31, respectivamente. A região de saúde "Capital/Vale do Gravataí" apresentou o maior valor total gasto e de serviços hospitalares, e o maior número de óbitos, média e dias de permanência. Conclusão: Os coeficientes de internação e de letalidade, os óbitos, os dias de permanência e os gastos referentes às internações aumentam a partir dos 50 anos de idade. O sexo feminino apresentou maior frequência e maiores valores gastos com a internação, enquanto o masculino maior coeficiente de letalidade e média de permanência hospitalar.
Descritores: Colelitíase/terapia
Colecistite/terapia
-Brasil
Estudos Transversais
Hospitalização/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787888
Autor: Gomes, Alexandre; Skare, Thelma Larocca; Prestes, Manoel Alberto; Costa, Maiza da Silva; Petisco, Roberta Dombroski; Ramos, Gabriela Piovezani.
Título: Conventional videoendoscopy can identify helicobacter pylori gastritis? / A videoendoscopia convencional pode identificar as gastrites por helicobacter pylori?
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):73-76tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Studies with latest technologies such as endoscopy with magnification and chromoendoscopy showed that various endoscopic aspects are clearly related to infection by Helicobacter pylori (HP). The description of different patterns of erythema in gastric body under magnification of images revived interest in identifying these patterns by standard endoscopy. Aim: To validate the morphologic features of gastric mucosa related to H. pylori infection gastritis allowing predictability of their diagnosis as well as proper targeting biopsies. Methods: Prospective study of 339 consecutive patients with the standard videoendoscope image analysis were obtained, recorded and stored in a program database. These images were studied with respect to the presence or absence of H. pylori, diagnosed by rapid urease test and/or by histological analysis. Were studied: a) normal mucosa appearance; b) mucosal nodularity; c) diffuse nonspecific erythema or redness (with or without edema of folds and exudate) of antrum and body; d) mosaic pattern with focal area of hyperemia; e) erythema in streaks or bands (red streak); f) elevated (raised) erosion; g) flat erosions; h) fundic gland polyps. The main exclusion criteria were the use of drugs, HP pre-treatment and other entities that could affect results. Results: Applying the exclusion criteria, were included 170 of the 339 patients, of which 52 (30.58%) were positive for HP and 118 negative. On the positive findings, the most associated with infection were: nodularity in the antrum (26.92%); presence of raised erosion (15.38%) and mosaic mucosa in the body (21.15%). On the negative group the normal appearance of the mucosa was 66.94%; erythema in streaks or bands in 9.32%; flat erosions 11.86%; and fundic gland polyps 11.86%. Conclusion: Endoscopic findings are useful in the predictability of the result and in directing biopsies. The most representative form of HP related gastritis was the nodularity of the antral mucosa. The raised erosion and mucosa in mosaic in the body are suggestive but not specific to the infection. The other forms were not conclusive of the presence of HP.

RESUMO Racional: Estudos com tecnologias mais recentes como endoscopia com magnificação e cromoscopia mostraram que vários aspectos endoscópicos estão claramente associados à infecção por Helicobacter pylori. A descrição de padrões diferenciados de enantema no corpo gástrico através da magnificação de imagens reavivou o interesse na identificação desses padrões pela endoscopia convencional. Objetivo: Validar os padrões morfológicos de mucosa gástrica usando videogastroendoscopia convencional relacionados à gastrite por infecção por Helicobacter pylori, permitindo previsibilidade do seu diagnóstico e o direcionamento de biópsias. Métodos: Estudo prospectivo de 339 pacientes consecutivos com análise das imagens de videogastroendoscopia obtidas, gravadas e armazenadas em banco de dados. Estas imagens foram estudadas com relação à presença ou não do Helicobacter pylori diagnosticado por teste rápido de urease e/ou por pesquisa direta por estudo anatomopatológico. Foram estudados: a) aspecto normal da mucosa; b) nodularidade da mucosa; c) enantema inespecífico difuso de antro e corpo; d) enantema em mosaico ou salpicado; e) enantema em estrias ou faixas; f) erosões elevadas; g) erosões planas; h) pólipos de glândulas fúndicas. Os principais critérios de exclusão foram o uso de medicamentos, tratamento prévio de HP e outras entidades que pudessem interferir nos resultados. Resultados: Aplicando os critérios de exclusão, incluíram-se 170 dos 339 pacientes sendo 52 (30,58%) positivos para Helicobacter pylori e 118 negativos. No grupo positivo os achados que mais se associaram com a infecção foram: nodularidade no antro (26,92%); presença de erosões elevadas (15,38%) e mucosa em mosaico no corpo (21,15%). No grupo negativo o aspecto normal da mucosa foi de 66,94%; enantema em estrias ou faixas em 9,32%; erosões planas em 11,86%; e pólipos de glândulas fúndicas 11,86%. Conclusão: Achados endoscópicos são úteis na previsibilidade de localização e direcionamento de biópsias na pesquisa do HP. A mais representativa forma de gastrite por HP foi o achado de nodularidade na mucosa antral. As erosões elevadas e mucosa em mosaico no corpo são sugestivas, mas não específicas da infecção. As demais formas não foram conclusivas da presença do HP.
Descritores: Helicobacter pylori
Infecções por Helicobacter/diagnóstico
Gastroscopia
Gastrite/microbiologia
Gastrite/patologia
-Gravação em Vídeo
Estudos Transversais
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lopes, Luiz Roberto
Andreollo, Nelson Adami
Texto completo
Id: lil-787891
Autor: Rodrigues, Marcus Vinicius Rozo; Tercioti-Junior, Valdir; Lopes, Luiz Roberto; Coelho-Neto, João de Souza; Andreollo, Nelson Adami.
Título: Breast cancer metastasis in the stomach: when the gastrectomy is indicated? / Metástases gástricas de câncer de mama: quando a gastrectomia está indicada?
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):86-89graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Breast cancer is the most common malignant neoplasm in the female population. However, stomach is a rare site for metastasis, and can show up many years after initial diagnosis and treatment of the primary tumor. Aim: Analyze a case series of this tumor and propose measures that can diagnose it with more precocity. Methods: Were analyzed 12 patients with secondary gastric tumors. Immunohistochemistry has demonstrated that primary tumor was breast cancer. We retrieved information of age, histological type, interval between diagnosis of the primary breast cancer and its metastases, immunohistochemistry results, treatment and survival. Results: The mean age was 71.3 years (ranging 40-86). Ten cases had already been underwent mastectomy in the moment of the diagnosis of gastric metastasis. Two patients had diagnosis of both primary and secondary tumors concomitantly. At average, diagnosis of gastric metastasis was seven years after diagnosis of primary breast cancer (ranging 0-13). Besides, nine cases had also metastases in other organs, being bones the most affected ones. Immunohistochemistry of the metastases has shown positivity for CK7 antibody in 83.34%, estrogen receptor in 91.67%, progesterone receptor in 66.67% and AE1AE3 antibody in 75%, considering all 12 cases. Moreover, CK20 was absent significantly (66.67%). The positivity of BRST2 marker did not present statistical significance (41.67%). Eight cases were treated with chemotherapy associated or not with hormonal blockade. Surgical treatment of gastric metastasis was performed in four cases: three of them with total gastrectomy and one with distal gastrectomy. Follow-up has shown a mean survival of 14.58 months after diagnosis of metastasis, with only two patients still alive. Conclusion: Patients with a history of breast cancer presenting endoscopic diagnosis of gastric cancer it is necessary to consider the possibility of gastric metastasis of breast cancer. The confirmation is by immunohistochemistry and gastrectomy should be oriented in the absence of other secondary involvement and control of the primary lesion.

RESUMO Racional: A neoplasia de mama é o tumor maligno mais comum na população feminina tendo o trato gastrointestinal, e mais especificamente o estômago, como local incomum para metástases. Objetivo: Analisar uma série de casos com esse tumor e propor medidas que possam diagnosticá-lo com maior precocidade. Métodos: Foram analisados retrospectivamente 12 pacientes com diagnóstico de neoplasia gástrica secundária a câncer de mama, confirmado por biópsia e imunoistoquímica. Foram analisados idade do diagnóstico, tipo histológico do tumor primário, intervalo de tempo entre o diagnóstico do tumor e a metástase, tratamento e sobrevida. Resultados: A idade média foi de 71,3 anos (40-86 anos). Em média, o diagnóstico da metástase gástrica foi de sete anos após o diagnóstico da lesão primaria (0-13 anos). Nove casos tiveram metástases em outros órgãos, sendo os ossos os locais mais acometidos. Evidenciou-se positividade de anticorpo CK7 em 90,9% casos, receptor de estrógeno em 91,67%, receptor de progesterona em 66,67% e BRST2 em 41,67%. A ausência de CK20 foi de 88,89%. Oito casos foram tratados com quimioterapia associada ou não ao bloqueio hormonal e em quatro foi indicada ressecção cirúrgica sendo em três gastrectomia total e em um caso gastrectomia subtotal. A sobrevida média foi de 14,58 meses. Conclusões: Em doentes com história prévia de câncer de mama apresentando diagnóstico endoscópico de neoplasia gástrica, é necessário considerar a possibilidade de metástase. A confirmação é feita por estudo imunoistoquímico e a gastrectomia deve ser orientada diante da ausência de outros locais de acometimento secundário e controle da lesão primária.
Descritores: Neoplasias Gástricas/cirurgia
Neoplasias Gástricas/secundário
Neoplasias da Mama/patologia
Gastrectomia
-Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787896
Autor: Lopes, Felipe de Lucena Moreira; Coelho, Fabricio Ferreira; Kruger, Jaime Arthur Pirolla; Fonseca, Gilton Marques; Araujo, Raphael Leonardo Cunha de; Jeismann, Vagner Birk; Herman, Paulo.
Título: Influence of hepatocellular carcinoma etiology in the survival after resection / Influência da causa do carcinoma hepatocelular na sobrevida de pacientes após ressecção
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):105-108tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Hepatocellular carcinoma (HCC) is the most frequent type of primary liver cancer and its incidence is increasing around the world in the last decades, making it the third cause of death by cancer in the world. Hepatic resection is one of the most effective treatments for HCC with five-year survival rates from 50-70%, especially for patients with a single nodule and preserved liver function. Some studies have shown a worse prognosis for HCC patients whose etiology is viral. That brings us to the question about the existence of a difference between the various causes of HCC and its prognosis. Aim: To compare the prognosis (overall and disease-free survival at five years) of patients undergoing hepatectomy for the treatment of HCC with respect to various causes of liver disease. Method: Was performed a review of medical records of patients undergoing hepatectomy between 2000 and 2014 for the treatment of HCC. They were divided into groups according to the cause of liver disease, followed by overall and disease-free survival analysis for comparison. Results: There was no statistically significant difference in the outcomes of the groups of patients divided according to the etiology of HCC. Overall and disease-free survival at five years of the patients in this sample were 49.9% and 40.7%, respectively. Conclusion: From the data of this sample, was verified that there was no prognostic differences among the groups of HCC patients of the various etiologies.

RESUMO Racional: O carcinoma hepatocelular (CHC) é o mais frequente tipo de câncer primário do fígado e a sua incidência vem aumentando nas últimas décadas, tornando-o hoje a terceira causa de morte por câncer no mundo. A ressecção hepática é um dos tratamentos mais eficazes para ele com taxas de sobrevida em cinco anos de 50-70%, especialmente para pacientes com nódulo único e função hepática preservada. Alguns estudos mostraram pior prognóstico para os pacientes com CHC cuja causa é a infecção por vírus B ou C. Isso leva à questão sobre a existência de possível diferença entre as diversas causas e o prognóstico. Objetivo: Comparar o prognóstico (sobrevida global e livre de doença em cinco anos) de pacientes submetidos à hepatectomia para o tratamento do CHC com relação às diversas causas da hepatopatia. Método: Foi realizado levantamento de prontuários dos pacientes submetidos à hepatectomia entre 2000 e 2014 para tratamento de CHC. Eles foram divididos em grupos de acordo com a causa da hepatopatia, sendo feita análise de sobrevida para comparação. Resultados: Não houve diferença estatisticamente significante de prognóstico entre os grupos de pacientes divididos conforme a causa do CHC. A sobrevida global e livre de doença em cinco anos foi de 49.9% e 40.7%, respectivamente. Conclusão: Pôde-se constatar que não houve diferença em relação ao prognóstico entre os grupos de pacientes das diversas causas de CHC.
Descritores: Carcinoma Hepatocelular/cirurgia
Carcinoma Hepatocelular/mortalidade
Hepatectomia
Neoplasias Hepáticas/cirurgia
Neoplasias Hepáticas/mortalidade
-Prognóstico
Taxa de Sobrevida
Carcinoma Hepatocelular/etiologia
Neoplasias Hepáticas/etiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796942
Autor: Ribeiro, Patrícia Fernanda Saboya; Kubrusly, Luiz Fernandao; Nassif, Paulo Afonso Nunes; Ribeiro, Irma Cláudia Saboya; Bertoldi, Andressa de Souza; Batistão, Venessa Caroline.
Título: Relationship between esophagitis grades and helicobacter pylori / Relação entre graus de esofagite e o helicobacter pylori
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):135-137, July-Sept. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: The Helicobacter pylori infection (HP) is related to the development of gastric lesions and lymphoma; however, it is not known if there is a relation with gastroesophageal reflux disease and reflux esophagitis. Aim: To evaluate HP's relationship with esophagitis in patients undergoing upper endoscopy. Methods: Observational, retrospective and cross-sectional study, being evaluated 9576 patients undergoing outpatient endoscopic examination during the period between January and December 2015. Were included patients with any esophageal alteration at the examination; greater than 18; of both genders; independent of the complaint or the reason for the examination, illness or drug use. Were excluded those with active bleeding during the examination and in use of anticoagulants. The variables gender, age, esophagitis and result of the urease test, were studied. For statistical analysis was used the Epi Info software 7.1.5.2. Results: Most of the samples consisted of women and the overall average age was 46.54±16.32 years. The presence of infection was balanced for gender: 1204 (12.56%) women and 952 (13.92%) men. Relating degree of esophagitis HP- and HP+ was observed that the type A was the most common (58.79%, n=1460); 604 (24.32%) had grade B; 334 (13.45%) grade C, and 85 (3.42%) grade D. In the relation between the grade of esophagitis with gender, esophagitis A was predominant in women and present in 929 (63.33%), followed by type B, 282 (46.68%), 136 C (40.71%) and D 30 (35.29%). In men 531 (36.36%) showed type A, 322 (53.31%) B, 198 (59.28%) C, and 55 (64.70%) D. Among the groups 40-50 and over 60 years there was a significant difference in whether have or not have HP+. Conclusion: There is no significant difference between HP infection and the different grades of esophagitis.

RESUMO Racional: A infecção pelo Helicobacter pylori (HP) é relacionada com o desenvolvimento de lesões e linfoma gástricos; porém, ainda não se sabe ao certo se há relação dele com a doença do refluxo gastroesofágico e esofagite de refluxo. Objetivo: Avaliar a relação do HP com as esofagites em pacientes submetidos à endoscopia digestiva alta. Métodos: Estudo observacional, retrospectivo e transversal, sendo avaliados 9576 pacientes submetidos ao exame endoscópico ambulatorial durante o período compreendido entre janeiro e dezembro de 2015. Foram incluídos pacientes que apresentaram alguma alteração esofágica ao exame; maiores que 18 anos; de ambos os gêneros; independente da queixa ou da razão para a realização do exame, doença ou uso de medicamentos. Excluíram-se os com sangramento ativo durante o exame e em uso de anticoagulantes. Foram avaliadas as variáveis gênero, idade, esofagite e resultado do teste da urease. Para a análise estatística utilizou-se o software Epi Info 7.1.5.2. Resultados: A maioria das amostras foi composta por mulheres e a idade média geral foi de 46,54±16,32 anos. A presença da infecção foi equilibrada para a variável gênero: 1204 (12,56%) mulheres e 952 (13,92%) homens. Relacionando os graus da esofagite com HP+ e HP- observou-se que o tipo A foi o mais comum (58,79% da amostra, n=1460), que 604 (24,32%) possuíam o grau B; 334 (13,45%) o grau C e 85 (3,42%) o grau D. Já na relação entre os graus de esofagite com o gênero, a esofagite A foi predominante nas mulheres e presente em 929 (63,33%), seguido pelo tipo B, com 282 (46,68%), C com 136 (40,71%) e D com 30 (35,29%) mulheres. Nos homens 531 (36,36%) apresentam o tipo A, 322 (53,31%) o B, 198 (59,28%) o C e 55 (64,70%) o D. Entre os grupos de 40 a 50 anos e acima de 60 anos houve diferença significativa em ter ou não HP+. Conclusão: Não há diferença significativa entre infecção por HP nos diferentes graus de esofagite.
Descritores: Helicobacter pylori
Infecções por Helicobacter/patologia
Esofagite/microbiologia
-Índice de Gravidade de Doença
Estudos Transversais
Estudos Retrospectivos
Esofagoscopia
Esofagite/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796944
Autor: Araujo, Sergio Eduardo Alonso; Horcel, Lucas de Araujo; Seid, Victor Edmond; Bertoncini, Alexandre Bruno; Klajner, Sidney.
Título: Long term results after stapled hemorrhoidopexy alone and complemented by excisional hemorrhoidectomy: a retrospective cohort study / Resultados tardios após hemorroidopexia mecânica isolada e complementada por operação excisional
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):159-163, July-Sept. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Stapled hemorrhoidopexy is associated with less postoperative pain and faster recovery. However, it may be associated with a greater risk of symptomatic recurrence. We hypothesized that undertaking a limited surgical excision of hemorrhoid disease after stapling may be a valid approach for selected patients. Aim: To compare long-term results after stapled hemorrhoidopexy with and without complementation with closed excisional technique. Method: In a retrospective uni-institutional cohort study, sixty-five (29 men) patients underwent stapled hemorrhoidopexy and 21 (13 men) underwent stapled hemorrhoidopexy with excision. The same surgeons operated on all cases. Patients underwent stapled hemorrhoidectomy associated with excisional surgery if symptoms attributable to external hemorrhoid piles were observed preoperatively, or if residual prolapse or bulky external disease was observed after the firing of the stapler. A closed excisional diathermy hemorrhoidectomy without vascular ligation was utilized in all complemented cases. All clinical variables were obtained from a questionnaire evaluation obtained through e-mail, telephone interview, or office follow-up. Results: The median duration of postoperative follow-up was 48.5 (6-40) months. Patients with grades 3 and 4 hemorrhoid disease were operated on more frequently using stapled hemorrhoidopexy complemented with excisional technique (95.2% vs. 55.4%, p=0.001). Regarding respectively stapled hemorrhoidopexy and stapled hemorrhoidopexy complemented with excision, there was no difference between the techniques in relation to symptom recurrence (43% and 33%, p=0.45) and median interval between surgery and symptom recurrence (30 (8-84) and 38.8 (8-65) months, p=0.80). Eight (12.3%) patients were re-operated after stapled hemorrhoidopexy and 2 (9.6%), after hemorrhoidopexy with excision (p=0.78). Patient distribution in both groups according to the degree of postoperative satisfaction was similar (p=0.97). Conclusion: Stapled hemorrhoidopexy combined with an excisional technique was effective for more advanced hemorrhoid disease. The combination may have prevented symptomatic recurrence associated to stapled hemorrhoidopexy alone.

RESUMO Racional: A hemorroidopexia com grampeador está significativamente associada a menor dor pós-operatória e recuperação mais rápida. No entanto, há evidência de que possa ter maior taxa de recorrência sintomática. A hipótese é que empreender excisão cirúrgica limitada da doença hemorroidária após o grampeamento pode ser abordagem válida para pacientes selecionados. Objetivo: Avaliar os resultados comparativos a longo prazo após a técnica de grampeamento isolada ou associada à complementação por técnica excisional fechada. Método: Coorte retrospectiva, com 65 (29 homens) pacientes submetidos à hemorroidopexia por grampeamento e 21 (13 homens) a ela complementada por técnica excisional. Os pacientes foram submetidos à complementação do grampeamento se sintomas atribuíveis às hemorróidas externas fossem observados no pré-operatório, ou se prolapso residual ou doença externa volumosa existisse após o disparo do grampeador. A hemorroidectomia excisional fechada por eletrocauterização sem ligadura vascular foi utilizada em todos os casos de complementação. Todas as variáveis ​​clínicas foram obtidos a partir de um questionário eletrônico, entrevista por telefone, ou em consulta. Resultados: A duração média do seguimento pós-operatório foi de 48,5 (6-40) meses. Os pacientes com graus hemorroidários 3 e 4 foram operados com mais frequência usando grampeamento complementado por técnica excisional (95,2% vs. 55,4% - p=0,001). Os pacientes operados por grampeamento sem e com complementação por técnica excisional, não houve diferença entre os grupos quanto a recidiva dos sintomas (43% vs. 33%, p=0,45, respectivamente) ou quanto ao intervalo médio entre a opração e a recorrência dos sintomas (30 (8-84) vs. 38,8 (8-65) meses, p=0,80). Oito (12,3%) pacientes foram reoperados após grampeamento isolado e 2 (9,6%), após grampeamento complementado por técnica excisional (p=0,78). O grau de satisfação pós-operatória foi semelhante entre as técnicas (p=0,97). Conclusão: A hemorroidopexia por grampeamento combinada com técnica excisional foi eficaz para a doença hemorróida mais avançada. A combinação pode ter impedido a recorrência sintomática associada a hemorroidopexia isolada.
Descritores: Grampeamento Cirúrgico
Hemorroidectomia/métodos
Hemorroidas/cirurgia
-Fatores de Tempo
Estudos Retrospectivos
Estudos de Coortes
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Amico, Enio Campos
Alves, Jose Roberto
Texto completo
Id: lil-796948
Autor: Amico, Enio Campos; Alves, José Roberto; João, Samir Assi; Guimarães, Priscila Luana Franco Costa; Medeiros, Joafran Alexandre Costa de; Barreto, Élio José Silveira da Silva.
Título: Immediate complications after 88 hepatectomies - brazilian consecutive series / Complicações imediatas após 88 hepatectomias - série consecutiva brasileira
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):180-184, July-Sept. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Hepatectomies have been increasingly recommended and performed in Brazil; they present great differences related to immediate complications. Aim: Assessing the immediate postoperative complications in a series of 88 open liver resections. Method: Prospective database of patients subjected to consecutive hepatectomies over nine years. The post-hepatectomy complications were categorized according to the Clavien-Dindo classification; complications presenting grade equal to or greater than 3 were considered major complications. Hepatic resections involving three or more resected liver segments were considered major hepatectomies. Results: Eighty-four patients were subjected to 88 hepatectomies, mostly were minor liver resections (50 cases, 56.8%). Most patients had malignant diseases (63 cases; 71.6%). The mean hospitalization time was 10.9 days (4-43). Overall morbidity and mortality rates were 37.5% and 6.8%, respectively. The two most common immediate general complications were intra-peritoneal collections (12.5%) and pleural effusion (12.5%). Bleeding, biliary fistula and liver failure were identified in 6.8%, 4.5% and 1.1% of the cases, respectively, among the hepatectomy-specific complications. Conclusion: The patients operated in the second half of the series showed better results, which were apparently influenced by the increased surgical expertise, by the modification of the hepatic parenchyma section method and by the increased organ preservation.

RESUMO Racional: No Brasil as hepatectomias têm sido cada vez mais indicadas e realizadas, apresentando grandes diferenças relacionadas às complicações imediatas. Objetivo: Avaliar as complicações pós-operatórias imediatas em uma série de 88 ressecções hepáticas abertas. Método: Foi utilizada uma base de dados prospectiva de pacientes submetidos à hepatectomias consecutivas em nove anos. As complicações pós-hepatectomia seguiram a Classificação de Clavien-Dindo, sendo consideradas complicações maiores aquelas as quais apresentaram grau igual ou maior que 3. Foram consideradas hepatectomias maiores as ressecções hepáticas que envolveram três ou mais segmentos hepáticos ressecados. Resultados: Oitenta e quatro pacientes foram submetidos a 88 hepatectomias, sendo a maioria ressecções hepáticas menores (50 casos; 56,8%). A maior parte dos pacientes apresentou doença maligna (63 casos; 71,6%). O tempo médio de internação foi de 10,9 dias (4-43). A taxa de morbidade e mortalidade global foi, respectivamente, de 37,5% e 6,8%. As duas complicações gerais imediatas mais frequentes foram as coleções intraperitoneais (12,5%) e o derrame pleural (12,5%). Já as complicações específicas das hepatectomias - sangramento, fístula biliar e insuficiência hepática - foram respectivamente de 6,8%, 4,5% e 1,1% dos casos. Conclusão: Os pacientes operados na segunda metade da presente casuística tiveram melhores resultados influenciados, aparentemente, pela maior experiência cirúrgica, modificação do método de secção do parênquima hepático e maior preservação do fígado.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia
Hepatectomia
-Fatores de Tempo
Brasil
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Veiga, Eugenia Velludo
Texto completo
Id: biblio-840291
Autor: Daniel, Ana Carolina Queiroz Godoy; Machado, Juliana Pereira; Veiga, Eugenia Velludo.
Título: Blood pressure documentation in the emergency department / Registro da pressão arterial em unidade de emergência
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(1):29-33, Jan.-Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To analyze the frequency of blood pressure documentation performed by nursing professionals in an emergency department. Methods This is a cross-sectional, observational, descriptive, and analytical study, which included medical records of adult patients admitted to the observation ward of an emergency department, between March and May 2014. Data were obtained through a collection instrument divided into three parts: patient identification, triage data, and blood pressure documentation. For statistical analysis, Pearson’s correlation coefficient was used, with a significance level of α<0.05. Results One hundred fifty-seven records and 430 blood pressure measurements were analyzed with an average of three measurements per patient. Of these measures, 46.5% were abnormal. The mean time from admission to documentation of the first blood pressure measurement was 2.5 minutes, with 42 minutes between subsequent measures. There is no correlation between the systolic blood pressure values and the mean time interval between blood pressure documentations: 0.173 (p=0.031). Conclusion The present study found no correlation between frequency of blood pressure documentation and blood pressure values. The frequency of blood pressure documentation increased according to the severity of the patient and decreased during the length of stay in the emergency department.

RESUMO Objetivo Analisar a frequência de registros da pressão arterial realizados por profissionais de enfermagem em uma unidade de emergência. Métodos Estudo transversal, observacional, descritivo e analítico, que incluiu registros de pacientes adultos admitidos em leitos de observação de uma unidade de emergência no período de março a maio de 2014. Os dados foram obtidos por meio de um instrumento de coleta de dados dividido em três partes: identificação do paciente, dados de triagem e registro da pressão arterial. Para a análise estatística, foi utilizado o coeficiente de correlação de Pearson, com nível de significância de α<0,05. Resultados Foram analisados 157 prontuários e realizadas 430 medidas da pressão arterial, com média de três aferições por paciente; 46,5% dos valores obtidos estavam alterados. O tempo médio de admissão até o registro da primeira pressão arterial foi de 2,5 minutos, e de 42 minutos entre as medidas subsequentes. Não foi encontrada correlação entre os valores de pressão arterial sistólica e o intervalo médio de tempo entre os registros da pressão arterial: 0,173 (p=0,031). Conclusão O presente estudo não encontrou correlação entre frequência de verificação da pressão arterial e os valores de pressão arterial. A frequência do registro da pressão arterial aumentou de acordo com a gravidade do paciente e diminuiu durante seu tempo de permanência no serviço de emergência.
Descritores: Determinação da Pressão Arterial/estatística & dados numéricos
Registros de Enfermagem/estatística & dados numéricos
Serviço Hospitalar de Emergência/estatística & dados numéricos
-Admissão do Paciente/estatística & dados numéricos
Valores de Referência
Fatores de Tempo
Índice de Gravidade de Doença
Brasil
Estudos Transversais
Medição de Risco
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 15221 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Corrêa, Luci
Texto completo
Id: biblio-840290
Autor: Pontes, Leonilda Giani; Menezes, Fernando Gatti de; Gonçalves, Priscila; Toniolo, Alexandra do Rosário; Silva, Claudia Vallone; Kawagoe, Julia Yaeko; Santos, Camila Marques dos; Castagna, Helena Maria Fernandes; Martino, Marinês Dalla Valle; Corrêa, Luci.
Título: Risk factors for mortality in ventilator-associated tracheobronchitis: a case-control study / Fatores de risco para mortalidade em traqueobronquite associada à ventilação mecânica: estudo caso-controle
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(1):61-64, Jan.-Mar. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To describe the microbiological characteristics and to assess the risk factors for mortality of ventilator-associated tracheobronchitis in a case-control study of intensive care patients. Methods This case-control study was conducted over a 6-year period in a 40-bed medical-surgical intensive care unit in a tertiary care, private hospital in São Paulo, Brazil. Case patients were identified using the Nosocomial Infection Control Committee database. For the analysis of risk factors, matched control subjects were selected from the same institution at a 1:8.8 ratio, between January 2006 and December 2011. Results A total of 40 episodes of ventilator-associated tracheobronchitis were evaluated in 40 patients in the intensive care unit, and 354 intensive care patients who did not experience tracheobronchitis were included as the Control Group. During the 6-year study period, a total of 42 organisms were identified (polymicrobial infections were 5%) and 88.2% of all the microorganisms identified were Gram-negative. Using a logistic regression model, we found the following independent risk factors for mortality in ventilator-associated tracheobronchitis patients: Acute Physiology and Chronic Health Evaluation I score (odds ratio 1.18 per unit of score; 95%CI: 1.05-1.38; p=0.01), and duration of mechanical ventilation (odds ratio 1.09 per day of mechanical ventilation; 95%CI: 1.03-1.17; p=0.004). Conclusion Our study provided insight into the risk factors for mortality and microbiological characteristics of ventilator-associated tracheobronchitis.

RESUMO Objetivo Descrever as características microbiológicas e avaliar os fatores de risco para mortalidade na traqueobronquite associada à ventilação mecânica em um estudo caso-controle de pacientes de terapia intensiva. Métodos Estudo realizado ao longo de 6 anos em uma unidade de terapia intensiva médico-cirúrgica de 40 leitos, em um hospital privado e de nível terciário em São Paulo, Brasil. O Grupo Caso foi identificado usando o banco de dados da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar. O Grupo Controle foi pareado na proporção de 1:8,8 entre janeiro de 2006 e dezembro de 2011. Resultados Quarenta episódios de traqueobronquites associadas à ventilação foram avaliados em 40 pacientes na unidade de terapia intensiva, e 354 pacientes não apresentaram traqueobronquite Grupo Controle. Foram identificados 42 microrganismos (dos quais 5% foram infecções polimicrobianas), sendo que 88,2% de todos os microrganismos eram bactérias Gram-negativas. Usando um modelo de regressão logística, encontramos os seguintes fatores de risco independentes para mortalidade em pacientes com traqueobronquites associadas à ventilação: pontuação da Acute Physiology and Chronic Health Evaluation I (odds ratio 1,18 por uma unidade de pontuação; IC95%: 1,05-1,38; p=0,01) e duração da ventilação mecânica (odds ratio 1,09 por dia de ventilação mecânica; IC95%: 1,03-1,17; p=0,004). Conclusão Nosso estudo forneceu informações sobre os fatores de risco para mortalidade e características microbiológicas da traqueobronquite associada à ventilação mecânica.
Descritores: Traqueíte/microbiologia
Traqueíte/mortalidade
Bronquite/microbiologia
Bronquite/mortalidade
Ventiladores Mecânicos/efeitos adversos
-Brasil/epidemiologia
Ventiladores Mecânicos/microbiologia
Modelos Logísticos
Análise Multivariada
Fatores de Risco
Mortalidade Hospitalar
Medição de Risco
APACHE
Bactérias Gram-Negativas/isolamento & purificação
Unidades de Terapia Intensiva
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 15221 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-840294
Autor: Campos, Cássia Lima de; Pierin, Angela Maria Geraldo; Pinho, Natalia Alencar de.
Título: Hypertension in patients admitted to clinical units at university hospital: post-discharge evaluation rated by telephone / Hipertensão arterial em pacientes internados em clínica médica de hospital universitário: avaliação pós-alta por contato telefônico
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(1):45-49, Jan.-Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To characterize hypertensive patients after admission to hospital considering the current status, compliance to treatment, habits and lifestyle, and knowledge and beliefs about the disease. Methods This was an exploratory study with 265 hypertensive patients admitted to a medical inpatients unit of a university hospital. Data were collected in an interview over the telephone. The level of significance was set as p<0.05. Results It was found that 32% of hypertensive patients had died. One hundred patients were interviewed, mean age of 64.15 (13.2) years, 51% were women, 56% non-white, 51% with primary education, 52% were retired, 13% were smokers, 38% used alcohol, 80% did not perform physical exercise, and the mean body mass index was 35.9 (15.5) kg/m2. The comorbidities were heart problem (52%), diabetes (49%) and stroke (25%). As to antihypertensive treatment, 75% were on use, 17.3% stopped taking them and 21.3% missed visits. The treatment sites were the primary care unit (49%) and hospital (36%). As for knowledge and beliefs, 25% believed hypertension is curable, 77% that treatment should last for the rest of their lives, and hypertension brings complications (84%). A total of 46.7% were controlled. The lack of control was associated (p<0.05) with non-white ethnicity and absence of heart problems. Conclusion There were significant deaths occurred after hospitalization and poor control of blood pressure, probably due to inadequate habits and lifestyles and non-compliance to antihypertensive treatment.

RESUMO Objetivo Caracterizar hipertensos após internação quanto a condição atual, adesão ao tratamento, hábitos e estilos de vida, e conhecimento e crenças sobre a doença. Métodos Estudo exploratório, com 265 hipertensos, após internação em clínica médica de hospital universitário. Os dados foram coletados em entrevista por contato telefônico. O nível de significância foi de p<0,05. Resultados Verificou-se que 32% dos pacientes faleceram. Foram entrevistados 100 hipertensos, com média de idade de 64,15 (13,2) anos, 51% eram mulheres, 56% não brancos, 51% com 1o grau de escolaridade, 52% eram aposentados, 13% tabagistas, 38% usavam bebida alcoólica, 80% não realizavam exercícios físicos e o índice de massa corporal médio foi de 35,9 (15,5) kg/m2. As comorbidades foram problema cardíaco (52%), diabetes (49%) e acidente vascular encefálico (25%). Quanto ao tratamento anti-hipertensivo, 75% estavam em uso de medicamentos, 17,3% deixaram de tomá-los e 21,3% faltaram às consultas. O tratamento era feito em unidade básica de saúde (49%) e no hospital (36%). Quanto aos conhecimentos e crenças, 25% acreditavam que hipertensão tinha cura, 77% que o tratamento deveria ser por toda a vida e 84% que a hipertensão trazia complicações. Estavam controlados 46,7% hipertensos. A ausência de controle associou se com etnia não branca e ausência de problemas cardíacos (p<0,05). Conclusão Foram expressivas as mortes ocorridas após internação e controle insatisfatório da pressão arterial, provavelmente decorrentes de hábitos e estilos de vida inadequados e não realização adequada do tratamento anti-hipertensivo.
Descritores: Alta do Paciente/estatística & dados numéricos
Hipertensão/epidemiologia
-Fatores Socioeconômicos
Telefone
Brasil/epidemiologia
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
Fatores de Risco
Hospitais Universitários/estatística & dados numéricos
Hipertensão/mortalidade
Hipertensão/terapia
Estilo de Vida
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1523 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde