Base de dados : LILACS
Pesquisa : M01.526.485.067.080 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 810 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 81 ir para página                         

  1 / 810 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1153780
Autor: Vieira-Meyer, Anya Pimentel Gomes Fernandes; Morais, Ana Patrícia Pereira; Campelo, Isabella Lima Barbosa; Guimarães, José Maria Ximenes.
Título: Violência e vulnerabilidade no território do agente comunitário de saúde: implicações no enfrentamento da COVID-19 / Violence and vulnerability of the Community Health Worker in the territory: implications for tackling COVID-19
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;26(2):657-668, fev. 2021. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Objetivou-se averiguar a relação da COVID-19 com variáveis de vulnerabilidade social em Fortaleza e verificar a influência da violência no trabalho do ACS e suas implicações no enfrentamento da COVID-19. Dados quantitativos primários (e.g., questionários com ACS) e secundários (e.g., IDH, homicídio, analfabetismo, cobertura do Programa Bolsa Família [PBF] e da Estratégia Saúde da Família [ESF]) foram utilizados. Observou-se relação da COVID-19 com indicadores de vulnerabilidade social, onde os casos têm relação negativa com IDH e analfabetismo; e os óbitos relação positiva com taxa de homicídios e cobertura do PBF. Regiões com altas taxas de óbito por COVID-19 e vulnerabilidade social possuem maior cobertura da ESF e menor realização de visita domiciliar pelo ACS. A atuação deste, no enfrentamento da pandemia, é limitada pela violência do território. A plena atuação do ACS, no enfrentamento da COVID-19, é dependente de políticas intersetoriais. Assim, a construção de uma política de enfrentamento da COVID-19, com participação do ACS, precisa levar em consideração, além de seu adequado treinamento na prevenção e detecção de COVID-19, ações intersetoriais para o enfrentamento e prevenção da violência no território.

Abstract The scope of the study was to investigate the relationship between COVID-19 and social vulnerability variables in Fortaleza, as well as to verify the influence of violence on the work of the Community Health Worker (ACS) and the implications for tackling COVID-19. Primary quantitative data (e.g., questionnaires with the ACS) and secondary data (e.g., HDI, homicide, illiteracy, Bolsa Família [PBF] coverage and Family Health Strategy [ESF] coverage) were used. There was a relationship between COVID-19 and indicators of social vulnerability, where cases had a negative relationship with HDI and illiteracy; and deaths had a positive relationship with the homicide rate and PBF coverage. Regions with high death rates due to COVID-19 and social vulnerability have greater FHS coverage and less home visits by the CHA. The latter's role in tackling COVID-19 is limited by the violence in the territory. The thorough performance of the ACS in confronting this pandemic is dependent on intersectoral policies. Thus, the creation of a policy to tackle COVID-19 with the participation of the ACS needs to consider intersectoral actions for curtailing and preventing violence in the territory, in addition to adequate training in the prevention and detection of COVID-19.
Descritores: Violência/prevenção & controle
Violência/estatística & dados numéricos
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Agentes Comunitários de Saúde
-Brasil/epidemiologia
Populações Vulneráveis
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890191
Autor: Wagner, Julianne; Bonamigo, Andrea Wander; Oliveira, Fabiana de; Machado, Márcia Salgado.
Título: Monitoramento da audição e da linguagem na atenção primária à saúde: projeto piloto / Monitoring of hearing and language in primary health care: project pilot
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(11):3599-3606, Nov. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo analisa a viabilidade da implantação de um programa de monitoramento do desenvolvimento auditivo e de linguagem no primeiro ano de vida. Trata-se de um estudo longitudinal prospectivo, no qual quarenta e um agentes comunitários de saúde foram convidados a monitorar mensalmente, por meio de um questionário já validado, a audição e a linguagem de crianças nascidos nas suas microáreas de atuação. Trinta e nove agentes comunitários de saúde aceitaram participar, havendo apenas duas recusas. Cinco desistiram da participação. Vinte e seis (66,66%) não realizaram o monitoramento, sete (17,94%) monitoraram de forma inadequada e apenas seis (15,38%) monitoraram adequadamente. Apenas uma criança falhou no questionário, a qual foi reencaminhada ao hospital em que realizou a triagem auditiva para reteste. Acredita-se que a elevada demanda de atividades destes profissionais foi o principal motivo para as dificuldades observadas neste projeto. Além disso, destaca-se a dificuldade no contato com as equipes de Estratégia Saúde da Família, bem como a inviabilidade de discussões presenciais permanentes e a influência dos supervisores dos agentes comunitários de saúde.

Abstract This article analyzes the feasibility of implementing a program that monitors the hearing and language development in the first year of life. It is a prospective longitudinal study, in which 41 community health workers were invited to monitor, on a monthly basis, by means of a questionnaire validated earlier, the hearing and language of children born in their micro areas of expertise. Thirty-nine community health workers agreed to participate, with only two refusals. Five gave up participating. Twenty-six (66.66%) did not perform monitoring, seven (17.94%) monitored improperly and only six (15.38%) monitored properly. Just one child failed the quiz, who was forwarded to the hospital that conducted the auditory screening for retesting. These professionals' high activity demand was considered the main reason for the difficulties encountered in this project. In addition, there is the difficulty to have contact with the Family Health Strategy teams, as well as the impossibility of permanent face-to-face discussions and the influence of the community health agents' supervisors.
Descritores: Programas de Rastreamento/métodos
Testes Auditivos/métodos
Desenvolvimento da Linguagem
-Atenção Primária à Saúde/métodos
Projetos Piloto
Estudos Prospectivos
Inquéritos e Questionários
Estudos Longitudinais
Agentes Comunitários de Saúde/normas
Agentes Comunitários de Saúde/estatística & dados numéricos
Audição/fisiologia
Limites: Humanos
Lactente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-876222
Autor: Batista, Karen; Souto, Bernardino Geraldo Alves.
Título: Percepções e práticas de agentes comunitários de saúde na atenção a usuários de drogas / Perceptions and practices of community health workers in the care of drug users
Fonte: ABCS health sci;42(3):129-136, 11 dez. 2017. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: No âmbito das políticas públicas vigentes no Brasil sobre atenção à saúde de pessoas que usam álcool e outras drogas, os agentes comunitários de saúde (ACS) da Estratégia de Saúde da Família (ESF) são profissionais de significativa importância para a busca ativa e para o cuidado dessas pessoas. No entanto, eles têm muita dificuldade em realizar tais ações, provavelmente devido à insuficiente qualificação técnica que recebem sobre abordagem adequada de usuários de drogas. OBJETIVO: Descrever as percepções e as expectativas de um grupo de ACS sobre usuários de álcool e outras drogas (UAOD), sobre as quais fundamentam suas respectivas práticas de cuidado. MÉTODOS: Pesquisa clínico-qualitativa, aprovada por Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, que entrevistou dez ACS experientes em cuidar de usuários de drogas. As entrevistas foram tratadas por estratégia ideográfica e organizadas nomoteticamente por conteúdos temáticos, os quais foram analisados sob os referenciais da clínica ampliada. RESULTADOS: Os ACS querem cuidar adequadamente dos UAOD, mas não sabem como fazê-lo porque ainda convivem com noções leigas sobre essas pessoas e não recebem formação técnica suficiente. CONCLUSÃO: Esses ACS percebem a necessidade de se qualificarem e desejam essa qualificação para cuidar melhor de pessoas que usam álcool e drogas ilícitas. Portanto, para que as políticas públicas destinadas ao cuidado de quem tem problemas com o uso de drogas sejam eficazes, é indispensável a aplicação de estratégias de educação permanente capazes de transformar as práticas e as percepções desses profissionais.

INTRODUÇÃO: In the context of public policies aimed at health care for people who use alcohol and illicit drugs in Brazil, the community health agents of the Family Health Strategy are very important for the active fetch and care of these people. However, they have difficulties to perform these actions, probably due to insuficiente technical qualification as to appropriate approach of drug users. OBJECTIVE: To describe the perceptions and expectations of a group of community health agents about drug users, on which they base their care practices. METHODS: Clinical-qualitative research approved by the Research with Human Subjects Ethics Committee, which interviewed ten community health agents experienced the care of drug users. The interviews were treated by ideographic strategy and nomothetically organized by theme,later on being analyzed under the referential of extended clinics. RESULTS: Community health agents want to take proper care of illicit drug users, but they do not know how to do it, probably because they still have lay beliefs about these people and do not receive enough technical training. CONCLUSION: These agentes perceive their need to better qualify and wish to improve so they can take care of alcohol and other drugs' users. Therefore, in order for public policies aimed at the care of drug users to be effective, it is indispensable to apply permanent education strategies capable of transforming the practices and perceptions of these professionals.
Descritores: Saúde Mental
Agentes Comunitários de Saúde
Estratégia Saúde da Família
Usuários de Drogas
Alcoólicos
Limites: Humanos
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  4 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1157016
Autor: Silva, Emily Eunice Dal Prá da; Freitas, Flávio Braga de; Metelski, Fernanda Karla; Magro, Márcia Luiza Pit Dal.
Título: Suporte em saúde mental às agentes comunitárias de saúde: o espaço protegido dos grupos interativos / Mental health support for community health agents: interactive groups as protected space / Soporte en salud mental a las agentes comunitarias de salud: el espacio protegido de los grupos interactivos
Fonte: Vínculo;17(2):46-66, jul.-dez. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As Agentes Comunitárias de Saúde colaboram com a consolidação da Política Nacional de Humanização, para o que são fundamentais questões como acolhimento, responsabilização e vínculo. Isso impõem demandas psíquicas à essas trabalhadoras e exige ações de respaldo às mesmas. Este estudo teve por objetivo compreender as contribuições de um Grupo Interativo para o suporte em saúde mental às Agentes com vistas ao cuidado humanizado. A metodologia utilizada foi o estudo de caso clínico na perspectiva psicanalítica, de um Grupo Interativo com as Agentes. A elaboração teórica do caso indica que as vivências intoleráveis e os sentimentos pessoais impensáveis e reprimidos gerados pelas experiências pessoais e do trabalho que não podiam ser expressos e elaborados, emergiam de modo inconsciente na forma de atuações, dificultando as relações laborais e o próprio cuidado inerente ao fazer das Agentes. Por sua vez, o Grupo Interativo contribuiu para as Agentes compreenderem e expressarem suas atuações, e ressignificarem vivências traumáticas. Conclui-se que o suporte em saúde mental possibilitado pelo Grupo Interativo gerou desenvolvimento das Agentes, com potencial para o cuidado humanizado.

Community Health Agents collaborate with National Humanization Policy consolidation, for which issues such as reception, accountability and bonding are fundamental. This imposes psychological demands on these workers and requires actions to support them. This study aimed to understand Interactive Group contributions as Agents' mental health support aiming for humanized care. The methodology used was clinical case study, in the psychoanalytic perspective. The theoretical elaboration of the case indicates that intolerable experiences and unthinkable and repressed personal feelings generated by personal and work experiences that could not be expressed and working-through, emerged unconsciously in the form of acting in, hindering labor relations and people health care. In turn, Interactive Group contributed to the Agents to understand and express their actions, and to re-signify traumatic experiences. It is concluded that the support in mental health made possible by the Interactive Group generated Agents' development, with the potential for humanized care.

Las Agentes Comunitarias de Salud colaboran con la consolidación de la Política Nacional de Humanización, por lo que son fundamentales cuestiones como acogimiento, responsabilidad y vínculo. Eso impone demandas psíquicas a esas trabajadoras y exige acciones de respaldo a las mismas. Este estudio tuvo por objetivo comprender las contribuciones de un Grupo Interactivo para soporte en salud mental a las Agentes con vistas al cuidado humanizado. La metodología utilizada fue el estudio de casos clínicos en la perspectiva psicoanalítica de un Grupo Interactivo con las Agentes. La elaboración teórica del caso sugiere que las vivencias intolerables y los sentimientos personales impensables y reprimidos generados por las experiencias personales y del trabajo que no se podían expresar y elaborar surgieron de modo inconsciente como actuaciones, dificultando las relaciones laborales y el propio cuidado inherente al quehacer de las Agentes. A su vez, el Grupo Interactivo contribuyó para que las Agentes comprendan y expresen sus actuaciones y den un nuevo significado a las vivencias traumáticas. Se concluye que el soporte en salud mental posibilitado por el Grupo Interactivo generó el desarrollo de las Agentes, con potencial para el cuidado humanizado.
Descritores: Relações Trabalhistas
Saúde Mental
Agentes Comunitários de Saúde
Assistência à Saúde
Políticas Públicas de Saúde
Humanização da Assistência
Acolhimento
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  5 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890228
Autor: Catanante, Guilherme Vinicius; Hirooka, Lucila Brandão; Porto, Hélio Souza; Bava, Maria do Carmo Gullaci Guimarães Caccia.
Título: Participação social na Atenção Primária à Saúde em direção à Agenda 2030 / Social participation in Primary Health Care towards the 2030 Agenda
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(12):3965-3974, Dez. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A escuta à sociedade é referência ética para responder às suas necessidades e aspirações legítimas. Tendo como pressupostos a participação social e o direito à cidade, partes da Agenda 2030, buscou-se valorizar a vocalização dos usuários que avaliaram os serviços de Atenção Primária e seus atributos. O presente estudo descritivo e de corte transversal valeu-se de dados de avaliação ministerial nacional, dela recortando região com 323 equipes de 80 municípios paulistas e 1272 usuários ouvidos pelos autores. Estes eram, na maioria, do sexo feminino, maiores de 51 anos, de baixa renda e escolaridade, evocando desafios do envelhecimento populacional e da seletividade assistencial. Do total, 93% distavam até 20 minutos do serviço de saúde, e a abertura aos sábados (43%) e à noite (38%) facilitariam o acesso. Eram recebidos sem agendamento 60% deles, e 62% não consideravam o serviço capacitado para urgências. Receberam visita dos Agentes Comunitários 85%, e de outros profissionais 40%, sugerindo diferenças na incorporação do território ao processo de produção do cuidado. Alinhando-se à Política Nacional de Atenção Básica e ao preconizado pelas conferências internacionais, valorizou-se a participação social como uma forma de enfrentamento dos múltiplos aspectos presentes na construção da saúde universal.

Abstract Listening to society is an ethical reference to respond to its legitimate needs and aspirations. Considering as presuppositions the social participation and the right to the city, which are part of the 2030 Agenda, this study sought to recognize the voice of users that evaluated PHC services and their attributes. This descriptive and cross-sectional study used national ministerial evaluation data, outlining a region with 323 teams in 80 municipalities in the state of São Paulo and 1,272 users heard by authors. Users were mostly female, over 51 years old, with low income and schooling, eliciting challenges to population aging and selective care. Around 93% were 20 minutes away from health services and opening on Saturdays (43%) and at night (38%) would facilitate access. Some 60% were received without scheduling and 62% did not consider services prepared for urgent care. Some 85% received Community Health Workers and 40% other professionals, suggesting disparities in the incorporation of the territory to the care production process. In line with National Primary Health Care Policy and what is recommended by international conferences, social participation was recognized as a way to address the multiple aspects in the construction of universal health.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à Saúde/organização & administração
Disparidades em Assistência à Saúde/estatística & dados numéricos
Política de Saúde
-Brasil
Estudos Transversais
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Determinação de Necessidades de Cuidados de Saúde
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890227
Autor: Oliveira, Rosana Therezinha Queiroz de; Ignacio, Caroline Ferraz; Moraes Neto, Antonio Henrique Almeida de; Barata, Martha Macedo de Lima.
Título: Matriz de avaliação de programas de promoção da saúde em territórios de vulnerabilidade social / Evaluation matrix for health promotion programs in socially vulnerable territories
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(12):3915-3932, Dez. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A promoção da saúde possui um conjunto de estratégias para trazer saúde e reduzir desigualdades. No entanto, tem sido um desafio avaliar a efetividade de programas de promoção de saúde. Este artigo apresenta o desenvolvimento e a aplicação de Matriz de Avaliação, construída por meio de indicadores quali-quantitativos e multidimensionais, que estão apoiados nas políticas públicas voltadas para territórios com vulnerabilidade social. Estudo transversal, com realização de programa de promoção da saúde e a finalidade de desenvolver uma Matriz de Avaliação, com possibilidade de aplicação em duas áreas de distinta vulnerabilidade socioambiental. A Matriz de Avaliação demonstrou ser de fácil aplicação e permitiu detectar os pontos fortes e fracos dos programas de promoção da saúde aplicados em diferentes territórios. Verificou-se que a adesão dos gestores, das equipes, da população e dos diversos setores da sociedade foram decisivos para o sucesso do programa. Adicionalmente, os agentes de saúde se destacaram como atores essenciais devido ao seu vínculo com a população. As contribuições incluem instrumento e metodologia para avaliar os programas de promoção da saúde, que podem ser aplicados em realidades distintas e modificados de acordo com o território.

Abstract Health promotion has a set of strategies for advancing health and reducing inequalities. However, evaluating the effectiveness of health promotion programs has been a challenge. This paper shows the development and application of the Evaluation Matrix, constructed with qualitative-quantitative and multidimensional indicators supported by public policies targeting socially vulnerable territories. This is a cross-sectional study with the implementation of a health promotion program in order to develop an Evaluation Matrix to be applied in two distinct socio-environmentally vulnerable areas. The Evaluation Matrix proved to be easily applicable and enabled the detection of strengths and weaknesses of health promotion programs applied in different territories. The participation of managers, teams, population and multiple sectors of society was decisive for the success of the program. Furthermore, community health workers stood out as essential stakeholders due to their linkages with the population. Contributions include a tool and methodology for evaluating health promotion programs to be applied in different territories and modified according to the territory.
Descritores: Política Pública
Populações Vulneráveis
Promoção da Saúde/métodos
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Avaliação de Programas e Projetos de Saúde
Estudos Transversais
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Disparidades nos Níveis de Saúde
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1150921
Autor: Oliveira, Adriano Santos Sousa; Santos, Djanilson Barbosa dos; Silva, Juliane Kely Fagundes; Estrela, Vanessa Santos; Gama, Karla Maria Martins Brito; Oliveira, Mirla Cristina Rodrigues de.
Título: Câncer bucal e papilomavírus humano na perspectiva de agentes comunitários de saúde / Oral cancer and human papilomavyrus in the perspective of community health workers / Cáncer oral y virus del papiloma humano en la perspectiva de los agentes comunitarios de salud
Fonte: Rev. baiana saúde pública;43(2):410-424, 20191212.
Idioma: pt.
Resumo: O câncer é uma doença crônica degenerativa que acomete milhares de pessoas em diferentes idades. Entretanto, o número de casos entre jovens que não fumam nem bebem em excesso, mas praticam sexo oral sem proteção, tem crescido vertiginosamente. Isso porque o Papilomavírus Humano (HPV) está diretamente associado a cada vez mais casos de câncer. Nesse contexto, profissionais de saúde devem estar atentos à população para rastrear e tratar os enfermos. O objetivo deste trabalho foi descrever o conhecimento dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) de uma região do município de Camaçari, na Bahia, sobre câncer oral e sua relação com o HPV. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, no qual aplicou-se um questionário previamente testado. Para a análise dos dados, foram empregados os recursos da estatística descritiva (frequência relativa e absoluta). Observou-se que 95,1% dos participantes do estudo já ouviram falar sobre câncer bucal e 85,4% já receberam informações sobre o HPV, entretanto apenas 48,8% relataram saber a associação do câncer bucal com o HPV. Apesar de 97,6% dos ACS acharem que o fumo cause câncer oral, essa porcentagem caiu ao se referir ao álcool (58,5%) e ao sexo desprotegido (63,4%), ambos como fatores etiológicos. Conclui-se que medidas de educação permanente devem ser bem executadas, a fim de possibilitar um melhor entendimento dos profissionais e o desenvolvimento de ações mais efetivas de promoção da saúde e prevenção de doenças.

Cancer is a chronic degenerative disease affecting thousands of people at different ages. However, the number of cases among young people that do not smoke or drink excessively, but practice oral sex without protection, has grown dramatically. It occurs because the Human Papillomavirus (HPV) is directly associated with more and more cases of cancer. In this context, health professionals should observe the population to be able to screen and treat those ill. The objective of our study was to describe the knowledge of Community Health Workers (CHW) of a region of the city of Camaçari, state of Bahia, about oral cancer and its relationship with HPV. This is a descriptive, cross-sectional study, in which a previously tested questionnaire was applied. Descriptive statistics (relative and absolute frequency) were used for data analysis. It was observed that 95.1% of the participants have heard about oral cancer and 85.4% have received information about HPV, but only 48.8% reported knowing the association of oral cancer with HPV. Although 97.6% of CHW think that tobacco causes oral cancer, this percentage decreased when referring to alcohol (58.5%) and unprotected sex (63.4%), both as etiological factors. We concluded that lifelong learning measures should be well executed to enable a better understanding of the professionals, enabling more effective actions to promote health and disease prevention.

El cáncer es una enfermedad crónico-degenerativa que afecta a miles de personas en las diferentes edades. Sin embargo, el número de casos entre los jóvenes que no fuman o beben en exceso, pero practican el sexo oral sin protección, ha crecido vertiginosamente. Esto se debe a que el virus del papiloma humano (VPH) está directamente asociado cada vez más con casos de cáncer. En este contexto, los profesionales sanitarios deben estar alerta para rastrear y tratar a los enfermos. El objetivo de este estudio fue describir el conocimiento de los agentes comunitarios de salud (ACS) de una región de la ciudad de Camaçari, Bahía, sobre el cáncer oral y su relación con el VPH. Se trata de un estudio descriptivo, transversal, en que aplicó un cuestionario previamente probado. Para analizar los datos se utilizaron las estadísticas descriptivas (absoluta y frecuencia relativa). Se observó que el 95,1% de los participantes han escuchado sobre el cáncer oral y el 85,4% han recibido información sobre el VPH, pero solo el 48,8% informó conocer la asociación de cáncer oral con el VPH. Aunque el 97,6% de los ACS piensan que el tabaco causa cáncer oral, este porcentaje descendió al referirse al alcohol (58,5%) y a las relaciones sexuales sin protección (63,4%), ambos factores etiológicos. Se concluye que las medidas de formación continua deben estar bien ejecutadas para una mejor comprensión de los profesionales y aplicación de acciones más efectivas en la atención de la salud y la prevención de la enfermedad.
Descritores: Papillomaviridae
Atenção Primária à Saúde
Neoplasias Bucais
Agentes Comunitários de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  8 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
ARAUJO, Raquel Maria Amaral
Texto completo
Id: biblio-890473
Autor: Einloft, Ariadne Barbosa do Nascimento; Cotta, Rosângela Minardi Mitre; Araújo, Raquel Maria Amaral.
Título: Promoção da alimentação saudável na infância: fragilidades no contexto da Atenção Básica / Promoting a healthy diet in childhood: weaknesses in the context of Primary Health Care
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(1):61-72, Jan. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O trabalho versa sobre a experiência da incorporação das percepções de atores sociais na investigação das fragilidades do processo de implementação de programas de promoção da alimentação saudável na infância. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada em um município brasileiro de médio porte, onde os participantes foram profissionais enfermeiros e agentes comunitários de saúde. Os dados foram coletados por meio de questionários semiestruturados e grupos focais. Os achados incluíram precarização das condições de trabalho em um contexto desfavorável à saúde infantil, onde persiste forte demanda por atendimento qualificado. Embora na realidade de países periféricos a utilização de metodologias qualitativas seja dificultada pela incipiência em avaliação de programas, sua utilização, ampliada pela perspectiva dos participantes, pode se configurar em um importante instrumento de participação e responsabilização social, minimizando efeitos de políticas e ações verticalizadas e descontínuas, auxiliando na geração de informações oportunas e adequadas ao entendimento dos diferentes contextos locais e experiências de atores sociais.

Abstract This paper reports the experience of the incorporation of perceptions of social actors in the investigation of the weaknesses of the process of implementation of programs that aim to promote a healthy diet in childhood. It involves qualitative research carried out in a medium-sized Brazilian municipality in which the participants were nurses and community health agents. The data were collected through semi-structured questionnaires as well as focus groups. The findings indicated that the quality and continuity of actions to promote a healthy diet were limited due to the precarious working conditions, hence the strong demand for adequate orientation due to the unfavorable context where child health is concerned. Although the reality of peripheral countries points to an incipience in program evaluation, the incorporation of qualitative investigation broadened by the perspective of the participants may constitute an important tool of participation and social responsibility. This minimizes political effects and verticalized and discontinuous actions, helping the generation of opportune and adequate information for the understanding of the different local contexts and social experiences.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/organização & administração
Responsabilidade Social
Dieta Saudável
Promoção da Saúde/métodos
-Brasil
Avaliação de Programas e Projetos de Saúde
Saúde da Criança
Inquéritos e Questionários
Grupos Focais
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Enfermeiras e Enfermeiros/organização & administração
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 810 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890484
Autor: Signorelli, Marcos Claudio; Taft, Angela; Pereira, Pedro Paulo Gomes.
Título: Domestic violence against women, public policies and community health workers in Brazilian Primary Health Care / Violência doméstica contra mulheres, políticas públicas e agentes comunitários de saúde na Atenção Primária Brasileira
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(1):93-102, Jan. 2018.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Domestic violence creates multiple harms for women's health and is a 'wicked problem' for health professionals and public health systems. Brazil recently approved public policies to manage and care for women victims of domestic violence. Facing these policies, this study aimed to explore how domestic violence against women is usually managed in Brazilian primary health care, by investigating a basic health unit and its family health strategy. We adopted qualitative ethnographic research methods with thematic analysis of emergent categories, interrogating data with gender theory and emergent Brazilian collective health theory. Field research was conducted in a local basic health unit and the territory for which it is responsible, in Southern Brazil. The study revealed: 1) a yawning gap between public health policies for domestic violence against women at the federal level and its practical application at local/decentralized levels, which can leave both professionals and women unsafe; 2) the key role of local community health workers, paraprofessional health promotion agents, who aim to promote dialogue between women experiencing violence, health care professionals and the health care system.

Resumo A violência doméstica (VD) cria múltiplos agravos à saúde das mulheres e é um desafio para profissionais e para os sistemas de saúde. O Brasil aprovou recentemente políticas públicas (PP) para manejo e cuidado de mulheres em situação de VD. Considerando essas PP, este estudo objetivou explorar como a VD contra mulheres é usualmente manejada na atenção primária à saúde brasileira, por meio da investigação de uma unidade básica de saúde e de sua estratégia de saúde da família. Foi adotada metodologia de pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, com análise temática de categorias emergentes, interrogando os dados com teoria de gênero e com a produção teórica do campo da saúde coletiva brasileira. A pesquisa de campo foi conduzida em uma unidade básica de saúde e em seu território adscrito, localizado na região sul do Brasil. O estudo revelou: 1) um hiato entre PP direcionadas à VD contra mulheres implantadas a nível federal e sua aplicação prática a nível local/descentralizado, que pode deixar tanto profissionais quanto mulheres em risco; 2) o papel chave de agentes comunitários de saúde, profissionais de promoção da saúde, que objetivam promover o diálogo entre as mulheres experienciando violência, profissionais de saúde e o sistema de saúde.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/organização & administração
Política Pública
Violência Doméstica
Violência de Gênero
-Relações Profissional-Paciente
Brasil
Saúde da Família
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Vítimas de Crime/psicologia
Política de Saúde
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 810 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890557
Autor: Bezerra, Yandra Raquel do Nascimento; Feitosa, Maria Zelfa de Souza.
Título: A afetividade do agente comunitário de saúde no território: um estudo com os mapas afetivos / The affection of the community healthcare agent in the territory: a study with affective maps
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(3):813-822, Mar. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O agente comunitário de saúde é um profissional essencial no contexto da Atenção Básica à Saúde, atuando no acompanhamento das famílias no território. O objetivo deste estudo foi analisar as implicações da afetividade na atuação do agente comunitário de saúde no território. As noções teóricas deste estudo estão baseadas na Psicologia Social de base histórico-cultural e na Psicologia Ambiental. A pesquisa foi realizada com dez agentes comunitários de saúde de uma Unidade Básica de Saúde em um município cearense. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cuja coleta de dados foi realizada por meio da aplicação da parte qualitativa do Instrumento Gerador dos Mapas Afetivos (IGMA). Os dados foram analisados por meio da Análise de Conteúdo Categorial e da Análise do subtexto, do sentido e do motivo. Os resultados obtidos revelaram que a possibilidade do encontro com o outro e do vínculo construído com as famílias se torna potencializador da ação dos agentes comunitários de saúde, fazendo emergir uma implicação positiva com o território, mesmo diante do contexto de dificuldades. Esperamos que esta pesquisa contribua para delinear novas perspectivas a respeito da atuação do agente comunitário de saúde no contexto da política de Atenção Básica à Saúde.

Abstract The community healthcare agent is an essential professional in the context of primary healthcare, helping to monitor the health of families in the territory. The scope of this study was to analyze the implications of affection on the performance of the community healthcare agent in the territory. The theoretical notions of this study are based on social psychology of a historical-cultural basis and environmental psychology. The survey was conducted with ten community healthcare agents at a basic health unit in a municipality of the State of Ceará. It is qualitative research, the data collection for which was carried out by applying the qualitative part of the Affective Map Generator Tool (IGMA). The data were analyzed using category content analysis and subtext, significance and motive analysis. The results revealed that the possibility of meeting each other and the bond built with families becomes a motivating force for the action of the community healthcare agents, giving rise to a positive engagement with the territory, despite the difficult context. We trust that this research will contribute to define new perspectives for the role of the community healthcare agent in the context of primary healthcare policy.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/organização & administração
Agentes Comunitários de Saúde/organização & administração
Serviços de Saúde Comunitária/organização & administração
Política de Saúde
-Brasil
Inquéritos e Questionários
Papel Profissional
Pesquisa Qualitativa
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 81 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde