Base de dados : LILACS
Pesquisa : M01.777.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 69 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 69 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-981281
Autor: Grespan, Carla Lisboa; Goellner, Vilodre Silvana.
Título: Fallon Fox: um corpo queer no octógono / Fallon Fox: A queer body in the octagon / Un cuerpo queer en el octógono
Fonte: Movimento (Porto Alegre);20(4):1265-1282, out.-dez. 2014.
Idioma: en; pt.
Resumo: Based on gender studies and Queer Theory, this paper analyzes Fallon Fox's place as a professional athlete in Mixed Martial Arts, more specifically, Fox' fight against Allanna Jones at the semifinals of the Championship Fighting Alliance. It examines 510 comments posted on three specific cultural media related to fighting sports, seeking to understand their users' discourses about participation of a transgender athlete. By analyzing empirical data, we found that the arguments pointing out the improper nature of the dispute were based on two perspectives: the use of legal and medical discourses to prove Fallon Fox's advantage over the opponent and transphobia, understood as aversion or repulsion

Fundamentado nos estudos de gênero e na teorização queer, este texto analisa a inserção de Fallon Fox como atleta profissional do Mixed Martial Arts, mais especificamente, a luta contra Allanna Jones nas semifinais do Championship Fighting Alliance. Para tanto, analisa 510 comentários postados em três artefatos culturais específicos de lutas, buscando apreender os discursos que seus usuários produziram sobre a participação de uma atleta transgênero. Da análise dos dados empíricos, foi possível identificar que os argumentos utilizados para justificar o caráter impróprio da disputa estavam assentados em duas perspectivas: a utilização de discursos jurídicos e médicos para atestar a vantagem de Fallon Fox sobre sua oponente e a transfobia, entendida como a aversão ou repulsa a pessoas trans

Fundamentado en los estudios de género y en la teorización queer, este texto analiza la inserción de Fallon Fox como atleta profesional del Mixed Martial Arts, más específicamente la lucha contraAllanna Jones en las semifinales Championship Fighting Alliance. Por lo tanto, analiza 510 comentarios publicados en tres artefactos culturales específicos de luchas, buscando aprehender los discursos que sus usuarios produjeron sobre la participación de una atleta transgénero. Del análisis de los datos empíricos, fue posible identificar que los argumentos utilizados para justificar el carácter impropio de la disputa estaban establecidos en dos perspectivas: la utilización de discursos jurídicos y médicos para certificar la ventaja de Fallon Fox sobre su oponente y la transfobia, entendida como la aversión o repulsión a las personas trans
Descritores: Artes Marciais
Atletas
Pessoas Transgênero
-Preconceito
Transexualismo
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR553.1 - Biblioteca Edgar Sperb


  2 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-895603
Autor: Silva, Lívia Karoline Morais da; Silva, Ana Luzia Medeiros Araújo da; Coelho, Ardigleusa Alves; Martiniano, Claudia Santos.
Título: Uso do nome social no Sistema Único de Saúde: elementos para o debate sobre a assistência prestada a travestis e transexuais / Use of the social name in the Brazilian Public Health System: elements for the debate on assistance provided to transvestites and transsexuals
Fonte: Physis (Rio J.);27(3):835-846, Jul.-Set. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A discriminação e, como consequência, a exclusão social sofrida pelas travestis e transexuais pode limitar e afastar seu acesso aos serviços de saúde. Como forma de combate às discriminações contra essa população, o uso do nome social nos serviços de saúde é garantido entre os direitos dos usuários do SUS. Objetivamos discutir o uso do nome social no SUS como ferramenta para efetivação do acolhimento, humanização e integralidade da assistência a travestis e transexuais, através da elaboração de um ensaio teórico-reflexivo. Elegeram-se como categorias de análises: o acolhimento e a promoção do acesso à saúde através do nome social; o nome social como ferramenta para humanização da assistência; e o nome social como base para efetivação da integralidade. Podemos afirmar que o nome social se apresenta como a senha de acesso das travestis e transexuais ao SUS. A partir da efetivação desse direito por parte dos profissionais, respeitando e disponibilizando meios para seu uso oral e nos prontuários e documentos, facilita-se a execução das ações em saúde, fazendo valer os direitos de cidadania e de saúde destes usuários.

Abstract Discrimination and, as a consequence, social exclusion suffered by transvestites and transsexuals can limit and exclude their access also to health services. As a way to combat discrimination against this population, the use of the social name in health services is guaranteed among the rights of users of the Brazilian Public Health System (form Portuguese, SUS). We aim to discuss the use of the social name in the SUS as a tool for effecting the reception, humanization and integral care of transvestites and transsexuals through the elaboration of a theoretical-reflexive essay. The categories of analysis were chosen: the reception and promotion of access to health through the social name; The social name as a tool for the humanization of care; And the social name as the basis for integral care. We understand that the social name presents itself as the gateway of transvestites and transsexuals to the SUS. From the realization of this right by the professionals, respecting and making available means for their use orally and in the medical records and documents, the fulfilment of health actions is facilitated, asserting the rights of citizenship and health for these users.
Descritores: Preconceito
Sistema Único de Saúde
Direito à Saúde
Brasil
Pessoal de Saúde
Humanização da Assistência
Marginalização Social
Pessoas Transgênero
Integralidade em Saúde
Identidade de Gênero
Serviços de Saúde
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  3 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1021559
Autor: Rodrigues, Niki Gomes; Silva, Cícera Henrique da; Araujo, Inesita Soares de.
Título: Visibilidade de pessoas trans na produção científica brasileira / Trans people visibility in Brazilian scientific production / Visibilidad de personas trans en la producción científica brasileña
Fonte: RECIIS (Online);13(3):658-670, jul.-set. 2019. ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Como grupo social estigmatizado, pessoas transgêneras são alvo de violência e invisibilização de suas demandas. Partindo da constatação preliminar de que o discurso científico tem naturalizado e localizado a verdade sobre o gênero nas estruturas corporais, desenvolvemos uma pesquisa, no âmbito de um mestrado acadêmico, cujo objetivo foi caracterizar modos de visibilidade de pessoas trans na produção científica brasileira. A estratégia metodológica foi delinear um panorama dessa produção. O trabalho consistiu na busca de estudos na SciELO CI, na WoS e no Scopus; na análise de autores, instituições, áreas do conhecimento e países envolvidos; e na análise de assunto. O corpus identificado foi de 293 estudos. Os resultados revelam uma diversificação nas áreas de pesquisa e necessidade de atendimento integral adequado, do fomento à pesquisa, de discussão de gênero nas escolas e do cuidado ao nomear grupos estigmatizados. O objetivo do artigo é apresentar esse panorama.

As a result of being a stigmatized social group, transgender people are victmis of violence and invisibility of their demands. Based on the preliminary perception that the scientific discourse has naturalized and localized the truth about gender in the body structures, we developed a research within the scope of an academic master degree whose objective was to characterize modes of visibility of trans people in Brazilian scientific production. The methodological strategy was to outline an overview of this production. The work consisted in searching for studies in SciELO CI, WoS and Scopus; in the analysis of authors, institutions, areas of knowledge and countries involved; and in the subject analysis. The corpus identified was formed from 293 studies. The results reveal a diversification in the areas of research and the need for adequate integral care, promotion of research, gender discussion in schools and care in naming stigmatized groups. The purpose of the article is to present this overview.

Como grupo estigmatizado, las personas transgénero son objeto de violencia e invisibilización de sus demandas. A partir de la constatación preliminar de que el discurso científico ha naturalizado y localizado la verdad sobre el género en las estructuras corporales, desarrollamos una investigación durante el grado de máster académico cuyo objetivo fue caracterizar modos de visibilidad de personas trans en la producción científica brasileña. La estrategia metodológica fue delinear un panorama de esa producción. El trabajo consistió en la búsqueda de estudios en la SciELO CI, en la WoS y en el Scopus; en el análisis de autores, instituciones, áreas del conocimiento y países comprometidos; y en el análisis de asunto. Contamos con la identificación de un corpus de 293 estudios. Los resultados revelan diversificación en las áreas de investigación y necesidad de atención integral adecuada, del fomento a la investigación, de discusión de género en las escuelas y del cuidado al nombrar grupos estigmatizados. El objetivo del artículo es presentar ese panorama.
Descritores: Violência
Disparidades nos Níveis de Saúde
Estigma Social
Comunicação em Saúde
Pessoas Transgênero
Minorias Sexuais e de Gênero
-Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Atividades Científicas e Tecnológicas
Políticas Públicas de Saúde
Marginalização Social
FRAUDTEMEFOS
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  4 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-996051
Autor: Pereira, Lourenço Barros de Carvalho; Chazan, Ana Cláudia Santos.
Título: O Acesso das Pessoas Transexuais e Travestis à Atenção Primária à Saúde: uma revisão integrativa / The Access of Transsexuals and Crossdressers to the Primary Health Care: an integrative review / El Acceso de las Personas Transexuales y Travestis a la Atención Primaria de Salud: una Revisión Integradora
Fonte: Rev. bras. med. fam. comunidade;14(41):e1795, fev. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Travestis, transexuais e transgêneros (trans) fazem parte das minorias sexuais. São vítimas de estigmatização, discriminação e violência desde a infância, o que os leva muitas vezes à marginalização. Posto isso, se faz necessário políticas públicas que lhes forneçam condições para o exercício da cidadania. O presente trabalho apresenta os resultados de uma revisão integrativa sobre o acesso das pessoas trans aos serviços de saúde da atenção básica. Métodos: Coleta de dados realizada em dezembro de 2017 nas plataformas MEDLINE, SciELO e LILACS, utilizando os descritores em associação: transexual, transgênero ou travesti, acesso e atenção primária, atenção básica ou saúde. Os estudos deveriam ser publicados a partir de 2007 e estarem disponíveis gratuitamente. Resultados: Dos 578 estudos encontrados (incluídos as repetições) foram selecionados 6, provenientes do Brasil, EUA e África do Sul. Cinco com metodologia qualitativa e uma revisão sistemática. O acesso à Atenção Primária à Saúde (APS) por parte da população trans encontra barreiras multidimensionais. Há entraves políticos, socioeconômicos, organizacionais, técnicos e simbólicos, porém as barreiras técnicas são as mais impactantes ao acesso. Conclusão: Para que haja um acesso equitativo, livre de preconceitos e de discriminação, e cuidado pautados na empatia e compaixão, faz-se necessário incluir a temática diversidade sexual e de gênero na formação dos profissionais de saúde na graduação, na pós-graduação e, principalmente, na educação permanente daqueles implicados aos cuidados das pessoas trans. A APS, ao fazer valer seus atributos, mostra-se como o cenário ideal para o cuidado longitudinal destas pessoas

Introduction: Crossdressers, transsexuals and transgenders (trans) are part of the sexual minorities. They have been victims of stigmatization, discrimination and violence since childhood, which often leads to marginalization. Considering this, it is necessary to have public policies that provide them the conditions for the exercise of citizenship. The present paper presents the results of an integrative review on the access of trans people to primary health care (PHC). Methods: Data collection performed in December 2017 on the MEDLINE, SciELO and LILACS platforms, using the descriptors in association: transsexual, transgender or transvestite, access and primary care, basic care or health. The studies should be published as of 2007 and available for free. Results: Of the 578 studies found (including replicates), 06 were selected from Brazil, USA and South Africa. Five of them used qualitative methodology and one is a systematic review. Access to PHC by trans people encounters multidimensional barriers. There are political, socioeconomic, organizational, technical and symbolic obstacles, but the technical barriers are the most impacting to access. Conclusion: In order to ensure equal access, free of prejudice and discrimination, and care based on empathy and compassion, it is necessary to include the theme of sexual and gender diversity in the training of health professionals in undergraduate, postgraduate and, in the permanent education of those involved in the care of transgender people. PHC, when asserting its attributes, shows itself as the ideal setting for the longitudinal care of these people

Introducción: Travestis, transexuales y transgéneros (trans) hacen parte de las minorías sexuales. Son víctimas de estigmatización, discriminación y violencia desde la infancia, lo que los lleva a la marginación. Por eso, se hacen necesarias políticas públicas que les proporcionen condiciones para el ejercicio de la ciudadanía. El presente trabajo presenta los resultados de una revisión integrativa sobre el acceso de las personas a los servicios de salud de la atención básica (AB). Métodos: Recolección de datos para la revisión efectuada en diciembre de 2017 en las plataformas MEDLINE, SciELO y LILACS, utilizando los descriptores en asociación: transexual, transgénero o travesti, acceso y atención primaria, atención básica o salud. Los estudios deberían publicarse a partir de 2007 y estar disponibles gratuitamente. Resultados: De los 578 estudios encontrados (incluidas las repeticiones) fueron seleccionados 06. Los artículos provenían de Brasil, EE.UU. y Sudáfrica. Cinco de ellos usaron metodología cualitativa, siendo una revisión sistemática. El acceso a la AB por parte de la población trans encuentra diversas barreras, siendo multidimensionales. Hay obstáculos políticos, socioeconómicos, organizacionales, técnicos y simbólicos, pero las barreras técnicas son las más impactantes. Conclusión: Para que haya un acceso ecuánime, libre de prejuicios y de discriminación, y cuidado pautados en la empatía y compasión del paciente, se hace necesario incluir la temática diversidad sexual y de género en la formación de los profesionales de salud en la graduación, en el postgrado y, principalmente, en la educación permanente de aquellos implicados en el cuidado de las personas trans. La APS, al hacer valer sus atributos, se muestra como el escenario ideal para el cuidado longitudinal de estas personas.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Medicina de Família e Comunidade
Pessoas Transgênero
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM


  5 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1016998
Autor: Caproni Neto, Henrique Luiz; Bicalho, Renata de Almeida.
Título: Análise das violências simbólicas nas histórias orais de transgêneros de Juiz de Fora - MG / Analysis of symbolic violence in oral stories of transgender from Juiz de Fora ­ MG
Fonte: Barbarói;(52):48-70, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo visa analisar as violências simbólicas vivenciadas por sujeitos transgêneros na sociedade e no mundo do trabalho. Para embasar as análises, utilizam-se os conceitos de poder simbólico e violência simbólica, bem como diversos trabalhos de autores nacionais que têm se dedicado ao estudo da diversidade sexual nas organizações e aos estudos de transgêneros. Os dados foram coletados através de uma pesquisa qualitativa, na qual foram realizadas entrevistas de história oral com seis indivíduos transgêneros, residentes de Juiz de Fora - MG. Assim, enfatizamos a estigmatização de que são expostos tais sujeitos tendo por consequência violências e exclusão no âmbito social e organizacional.(AU)

This article aims to analyze the symbolic violence experienced by transgender subjects in society and the world of work. To support the analysis, it uses the concepts of symbolic power and symbolic violence, as well as several works of national authors who have dedicated to the study of sexual diversity in organizations and transgender studies. Data were collected through a qualitative research, in which oral history interviews were conducted with six transgender individuals from Juiz de Fora - MG. Thus, we emphasize the stigmatization of which are exposed these subjects witch result in violence and exclusion in social and organizational context.(AU)

Este artículo tiene como objetivo analizar la violencia simbólica experimentado por los sujetos transgéneros en la sociedad y el mundo del trabajo. Para apoyar el análisis, que utiliza los conceptos de poder simbólico y la violencia simbólica, así como varias obras de autores nacionales que se han dedicado al estudio de la diversidad sexual en las organizaciones y los estudios de transgénero. Los datos fueron colectados mediante una investigación cualitativa, en la que se llevaron a cabo entrevistas de historia oral con seis transexuales, residentes Juiz de Fora - MG. Por lo tanto, hacemos hincapié en la estigmatización de los que están expuestos estos temas con el resultado de violencia y exclusión en el contexto social y organizativa.(AU)
Descritores: Violência
Marginalização Social
Pessoas Transgênero
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1314.1 - Biblioteca Central


  6 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-976538
Autor: NEER, Anahí Farji.
Título: Los/as profesionales de la salud frente a la Ley de Identidad de Género argentina. Tensiones entre el saber experto y el cuidado integral / Health professionals facing Gender Identity Law. Tensions between expert knowledge and integral care in Argentina / Profissionais da saúde frente à Lei de Identidade de Gênero argentina. Tensões entre o conhecimento especializado e o atendimento integral
Fonte: Physis (Rio J.);28(3):e280318, 2018.
Idioma: es.
Resumo: Resumen El artículo analiza la recepción de la Ley de Identidad de Género por parte de profesionales de la salud del Área Metropolitana de Buenos Aires en base al análisis de un corpus de entrevistas en profundidad a profesionales de las especialidades de Salud Mental, Endocrinología y Cirugía que realizan o evalúan el ingreso a tratamientos hormonales y/o quirúrgicos solicitados por mujeres y varones trans. La Ley 26.743/12 de Identidad de Género argentina legaliza las intervenciones médicas para que travestis, transexuales, transgéneros y trans adquieran una imagen corporal acorde a su identidad de género. Dispone la cobertura de los tratamientos por parte del sistema de salud público, obras sociales y prestadores privados. A diferencia del régimen legal vigente con anterioridad, no exige requisitos diagnósticos ni judiciales para acceder a dichos tratamientos. El artículo describe los criterios adoptados tras la aprobación de la Ley de Identidad de Género por equipos y profesionales para evaluar el ingreso y resultados de dichos tratamientos. Las principales conclusiones establecen que la Ley de Identidad de Género habilitó tres desplazamientos en los discursos vigentes en el campo médico local: del diagnóstico al acompañamiento, del protocolo a la personalización-customización y de la minimización del riesgo al cálculo costo-beneficio.

Abstract This article addresses the reception of the Gender Identity Law by health professionals from the Metropolitan Area of Buenos Aires. It analyzes a corpus of in-depth interviews with health professionals specialized in gender reaffirmation treatments from the fields of Surgery, Endocrinology and Mental Health. Argentina's Gender Identity Law (26743/12) provides coverage within the Mandatory Medical Plan for surgical procedures and hormonal treatments whose aim is to align body to gender identity. Unlike the previous legal regime, it does not require a diagnostic or judicial authorization to access hormonal or surgical treatments for trans population. The article describes the transformation of discourses of health professionals regarding access to treatment and evaluation of results. The main conclusions establish that the approval of the Gender Identity Law allowed three mutations in discourses prevailing in the medical field: from diagnosis to follow-up; from protocol to customization; from risk minimization to cost-benefit calculation.

Resumo O artigo expõe os resultados de uma pesquisa qualitativa baseada em entrevistas em profundidade com profissionais da saúde das especialidades de Saúde Mental, Endocrinologia e Cirurgia, que realizam ou avaliam os ingressos nos tratamentos médicos solicitados pelas pessoas trans. Este artigo pretende trazer algumas reflexões em torno dos critérios de admissão e avaliação dos resultados dos tratamentos cirúrgicos e hormonais em pessoas trans, desde a aprovação da Lei de Identidade de Gênero, em 2012. A Lei n. 26.743, de Identidade de Gênero, legalizou as intervenções médicas para que travestis, transexuais, transgêneros e demais pessoas trans possam construir uma corporalidade conforme sua identidade de gênero. A lei estabeleceu a cobertura dos tratamentos médicos pelo sistema de saúde pública e eliminou o requisito do laudo judicial para o acesso aos procedimentos desejados. Os resultados indicam que a Lei de Identidade de Gênero permitiu três mudanças nos discursos dos profissionais da saúde: do diagnóstico ao acompanhamento; do protocolo à customização; e da minimização dos riscos ao cálculo de custo-benefício.
Descritores: Argentina
Relações Médico-Paciente
Pessoal de Saúde
Pessoas Transgênero
Serviços de Saúde para Pessoas Transgênero
Identidade de Gênero
-Procedimentos Cirúrgicos Operatórios
Pesquisa Qualitativa
Cirurgia de Readequação Sexual
Disforia de Gênero
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Entrevista
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  7 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-994547
Autor: Manica, Matheus Zamignan.
Título: Refinamentos estéticos na aparência da vulva na cirurgia de adequação genital / Esthetic refinements to the appearance of the vulva in sex reassignment surgery
Fonte: Rev. bras. cir. plást;34(1):65-72, jan.-mar. 2019. ilus, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: Introdução: A cirurgia de adequação genital tem se mostrado uma opção segura e confiável, com redução drástica na disforia e melhora da qualidade de vida das pessoas transgênero. A técnica mais estudada e utilizada é a inversão peniana com suas modificações, com aparência estética e funcionalidade adequadas, porém sem padronização da técnica cirúrgica. Índices de até 38% de satisfação parcial e 15% de insatisfação podem levar até 66% dos casos a realizar procedimentos adicionais. O objetivo é sugerir refinamentos estéticos na aparência da vulva e comparar com algumas das técnicas descritas, buscando aumentar a satisfação estética e funcional pós-operatória. Métodos: Estudo retrospectivo com 7 pacientes submetidas à cirurgia de readequação sexual entre agosto de 2017 e fevereiro de 2018. O clitóris é feito com a glande em formato de tridente, utilizando a coroa para construir os corpos cavernosos do clitóris e aumentar a área de sensação erógena. Faixa de prepúcio é usada para aumentar a cobertura do clitóris e cobrir a face interna dos pequenos lábios, que são definidos com o uso de suturas. Resultados: Sensibilidade adequada e satisfação com o resultado e capacidade de orgasmo em todas as pacientes observadas. Não houve estenose, fístula ou necrose do clitóris com essa técnica. Somente 1 caso precisou de procedimento adicional para melhor definição estética. Conclusão: A técnica apresentada tem alta satisfação das pacientes e sensibilidade erógena, com algumas vantagens em relação a outras técnicas. Porém, estudos prospectivos com número maior de pacientes são necessários para definir a técnica cirúrgica mais efetiva.

Introduction: Sex reassignment surgery is a reliable and safe option, which has drastically reduced dysphoria and improved the quality of life of transgender individuals. The most studied and used technique is penile inversion with modifications, which results in appropriate esthetic appearance and functionality, but the surgical technique has not been standardized. Partial satisfaction rates up to 38% and dissatisfaction rates of 15% may cause up to 66% of cases to undergo additional procedures. The objective is to suggest esthetic refinements to the appearance of the vulva and compare some of the techniques described, seeking to increase the postoperative esthetic and functional satisfaction. Methods: A retrospective study with 7 patients undergoing sex reassignment surgery between August 2017 and February 2018 was conducted. The clitoris is constructed with the glans in the form of a trident, using the corona to build the corpus cavernosa of the clitoris and increase the area of erogenous sensation. A section of the prepuce is used to increase the coverage of the clitoris and cover the inner surface of the labia minora, which are defined with the use of sutures. Results: Adequate sensitivity and satisfaction with the result and capacity of orgasm in all patients were observed. There was no stenosis, fistula, or necrosis of the clitoris with this technique. Only 1 case needed an additional procedure for better esthetic definition. Conclusion: The technique presented leads to high patient satisfaction and erogenous sensitivity, with some advantages compared to other techniques. However, prospective studies with larger numbers of patients are needed to define a more effective surgical technique.
Descritores: Transexualismo/cirurgia
Vulva/cirurgia
Vulva/fisiopatologia
Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/métodos
Estética
Procedimentos de Readequação Sexual/efeitos adversos
Procedimentos de Readequação Sexual/métodos
Cirurgia de Readequação Sexual/efeitos adversos
Cirurgia de Readequação Sexual/métodos
Cirurgia de Readequação Sexual/reabilitação
Pessoas Transgênero
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  8 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1016425
Autor: Rodrigues Neto, Antônio; Amorim, Antônio Leonardo.
Título: Cidadania para pessoas transgênero no Mercosul: um comparativo entre Brasil e Uruguay / Citizenship for trans people in Mercosur: a legal comparative between Brazil and Uruguay / Ciudadanía para personas transgénero en el Mercosur: un comparativo entre Brasil y Uruguay
Fonte: RECIIS (Online);13(3):471-481, jul.-set. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo tem como escopo estabelecer, a partir de pesquisa bibliográfica e documental, um comparativo legal entre o aporte jurisprudencial brasileiro (Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.275-DF, Supremo Tribunal Federal do Brasil, 2018) e o Projeto de Lei nº 816/2017 (Ley Integral para Personas Trans), recentemente aprovado pela Câmara dos Deputados do Uruguai, a fim de combater a discriminação e ampliar direitos para transexuais, transgêneros e travestis no Brasil, considerando-se a necessidade de se expandir a cidadania para essas pessoas: tradicionalmente marginalizados. Busca-se discutir sobre as legislações dos dois países selecionados como objeto de pesquisa (integrantes do Mercosul), a fim de verificar se estão promovendo Direitos Humanos à População T. Como resultado, evidencia-se que, ao passo que o Uruguai tem empreendido esforços na positivação de direitos e no reconhecimento do respeito à autodeterminação da identidade de gênero, o Brasil, ainda, tem caminhado timidamente na mesma construção, dependendo ­ prioritariamente ­ de jurisprudências e atos administrativos para tanto.

The purpose of this article is to establish, based on bibliographical and documentary research, a legal comparison between the Brazilian jurisprudential contribution (Direct Unconstitutionality Action nº 4,275-DF, Supreme Federal Court of Brazil, 2018) and Bill nº 816/2017 (Ley Integral para Personas Trans), recently approved by the Chamber of Deputies of Uruguay, in order to combat discrimination and expand rights for transsexuals, transgenders and transvestites in Brazil, considering the need to expand citizenship for these people: traditionally marginalized. The aim is to discuss the legislation of the two countries selected as an object of research (members of Mercosur), in order to verify if they are promoting Human Rights to Population T. As a result, it is evident that, while Uruguay has made efforts in the positivation of rights and in the recognition of respect for the self-determination of gender identity, Brazil has also walked timidly in the same construction, depending - primarily on jurisprudence and administrative acts for that purpose.

Este artículo tiene como objetivo establecer, a partir de investigación bibliográfica y documental, un comparativo legal entre el aporte jurisprudencial brasileño (Acción Directa de Inconstitucionalidad nº 4.275-DF, Supremo Tribunal Federal de Brasil, 2018) y el Proyecto de Ley nº 816/2017 (Ley Integral para Personas Trans), recientemente aprobado por la Cámara de Diputados de Uruguay, a fin de combatir la discriminación y ampliar derechos para transexuales, transgéneros y travestis en Brasil, considerando la necesidad de expandir la ciudadanía para esas personas: tradicionalmente marginados. Se busca discutir sobre las legislaciones de los dos países seleccionados como objeto de investigación (integrantes del Mercosur), a fin de verificar si están promoviendo Derechos Humanos a la Población T. Como resultado, se evidencia que, mientras que Uruguay ha emprendido esfuerzos en la positivación de derechos y en el reconocimiento del respeto a la autodeterminación de la identidad de género, Brasil, aún, ha caminado tímidamente en la misma construcción, dependiendo- prioritariamente - de jurisprudencias y actos administrativos para tanto.
Descritores: Uruguai
Brasil
Pessoas Transgênero
Direitos Humanos
-Participação da Comunidade
Violações dos Direitos Humanos
Sexismo
Ativismo Político
FRAUDTEMEFOS
Identidade de Gênero
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  9 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-985514
Autor: Rivera-Contreras, Oscar Eduardo; Sepúlveda-Agudelo, Janer; Wandurraga-Barón, Néstor.
Título: Laparoscopic hysterectomy in a transsexual male patient: case report and review of the literature / Histerectomía por laparoscopia en un transexual masculino: reporte de caso y revisión de la literatura
Fonte: Rev. colomb. obstet. ginecol;69(4):311-319, Oct.-Dec. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To report a case of conventional laparoscopic hysterectomy in female-to-male sex reassignment in a patient diagnosed as transsexual in Colombia, and to conduct a review of the literature on the different hysterectomy options in the context of this condition. Materials and methods: A 35-year-old transsexual patient under hormonal treatment with testosterone undecanoate undergoing laparoscopic hysterectomy for sex reassignment in a Level III complexity institution, with favorable postoperative course. A search was conducted in Medline vía PubMed, Embase and Lilacs databases, using the MESH terms "hysterectomy," "laparoscopy," "transsexualism," in English, Spanish and Czech, with no time limitation. Results: Overall, 11 studies were included in the research: 3 case series, 6 cohort studies, 1 controlled clinical trial, and 1 case report. Laparoscopic hysterectomy is the most widely used sex reassignment surgery in male transsexuals. Vaginal hysterectomy is an option considering that abdominal muscles may be required for future penile reconstruction. Conclusions: Laparoscopic hysterectomy emerges as an alternative to vaginal hysterectomy in male transsexuals undergoing sex reassignment surgery. Randomized controlled trials are needed for a better comparative assessment of the surgical options available.

RESUMEN Objetivo: reportar un caso de histerectomía por laparoscopia convencional en cambio de sexo female-to-male en Colombia, en un paciente diagnosticado como transexual, y realizar una revisión de la literatura respecto a las distintas alternativas de histerectomía en el contexto de esta condición. Materiales y métodos: paciente de 35 años, transexual, en tratamiento hormonal con undecanoato de testosterona, sometido a histerectomía laparoscópica como parte de reasignación de sexo, en una institución de III nivel de complejidad, con evolución posoperatoria favorable. Se realizó búsqueda en las bases de datos de Medline vía PubMed, Embase y Lilacs, con los términos MESH: "hysterectomy", "laparoscopy", "transsexualism", en inglés, español y checo, sin limitación de tiempo. Resultados: la investigación incluyó 11 estudios: 3 estudios de serie de casos, 6 cohortes, 1 ensayo clínico controlado y 1 reporte de caso. La histerectomía laparoscópica es la más utilizada para la reasignación de sexo en transexuales masculinos. La histerectomía vaginal es una alternativa por considerar si se requiere musculatura abdominal para futura faloplastia. Conclusiones: la histerectomía por laparoscopia surge como una alternativa a la histerectomía vaginal en pacientes transexuales masculinos sometidos a cirugía de reasignación de sexo. Se requieren ensayos controlados aleatorizados para una mejor evaluación comparativa de las alternativas quirúrgicas disponibles.
Descritores: Laparoscopia
-Procedimentos Cirúrgicos em Ginecologia
Pessoas Transgênero
Histerectomia Vaginal
Responsável: CO76


  10 / 69 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-991672
Autor: Costa-Val, Alexandre; Guerra, Andréa.
Título: Corpos trans: um ensaio sobre normas, singularidades e acontecimento político / Trans bodies: an essay on norms, singularities and political happening
Fonte: Saúde Soc;28(1):121-134, jan.-mar. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este ensaio pretende refletir sobre como a sexualidade tem sido circunscrita por alguns campos do conhecimento, sobretudo aqueles ligados à medicina, e como isso nos afeta no contexto social atual. Partindo do pressuposto de que estamos imersos em uma rede de dispositivos que se constituem como condição de nossa própria existência, examinamos especialmente as experiências relacionadas aos gêneros e às sexualidades que escapam do enquadramento normativo habitual, buscando localizar suas dimensões políticas a partir de alguns elementos extraídos das elaborações do psicanalista Jacques Lacan e dos filósofos Judith Butler e Giorgio Agamben. Pretende-se manter no horizonte a pergunta relacionada aos modos de resistência e invenções que podemos produzir estando dentro dessa rede. Adentramos na temática revisitando algumas noções incorporadas ao campo médico - sobretudo ao da psiquiatria - para, em seguida, nos debruçarmos, mais especificamente, sobre algumas experiências trans que têm ocupado espaço nos meios de comunicação de massa e redes sociais. Esses relatos, ao revelar algo que escapa a qualquer tentativa de normatização, subsidiarão propostas de formas do político, tendo como foco as singularidades com o objetivo de provocar reflexões que possam (re)orientar as nossas práticas no cotidiano.

Abstract This essay intends to reflect on how sexuality has been circumscribed by some fields of knowledge, especially those related to medicine, and how this affects us in the current social context. Based on the assumption that we are immersed in a network of devices that are a condition of our own existence, we especially examine the experiences related to genres and sexualities that escape from the established normative framework, seeking to locate its political dimensions from some elements extracted from the elaborations of the psychoanalyst Jacques Lacan and the philosophers Judith Butler and Giorgio Agamben. We intend to keep on sight the question related to the modes of resistance and inventions that we can produce being within that network. We approached the subject revisiting some notions that were incorporated into the medical field - especially that of psychiatry - and then, more specifically, we analyzed some trans experiences that have occupied space in the mass media and social networks. These reports, when revealing something that escapes any attempt of normalization, will subsidize proposals of forms of the political, focusing on the singularities to provoke reflections that can (re)orient our practices in the everyday life.
Descritores: Prática de Saúde Pública
Sexualidade
Pessoas Transgênero
Identidade de Gênero
Política de Saúde
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde