Base de dados : LILACS
Pesquisa : M01.777.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 74 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 8 ir para página                    

  1 / 74 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1047608
Autor: Serrano, Jéssica Leite; Caminha, Iraquitan de Oliveira; Gomes, Isabelle Sena.
Título: Homens trans e atividade física: a construção do corpo masculino / Transsexual men and physical activities: the construction of the male body / Hombres trans y actividad física: la construcción del cuerpo masculino
Fonte: Movimento (Porto Alegre);25(1):e25007, jan.- dez. 2019. quadro, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Considerando a possibilidade da participação das atividades físicas na construção de características físicas como força e rigidez muscular por homens trans, este estudo buscou analisar a relação dos homens trans com as atividades físicas no processo de "masculinização". Participaram do estudo oito homens trans que fazem uso dos serviços oferecidos pelo Ambulatório de Saúde integral para Travestis e Transexuais na cidade de João Pessoa/PB, que foram submetidos a uma entrevista semiestruturada e um questionário socioeconômico, analisados com base na proposta de Bicudo para a análise fenomenológica. Este estudo concluiu que os entrevistados fazem uso das atividades físicas em busca do ganho de massa corporal e definição muscular, aspectos que na visão deles remetem a um corpo masculino, reforçando não apenas a sua masculinidade, mas ajudando na construção da sua identidade sexual

Considering the possibility of participating in physical activities to build physical characteristics such as strength and muscular rigidity by transsexual men, this study analyzed the latter's relationship with physical activities in the process of "masculinization". Subjects were eight transsexual male users of the services provided by the Total Health Care Ambulatory for Transvestites and Transsexuals in the city of João Pessoa, Paraíba. They answered socioeconomic questionnaires and semi-structured interviews, later submitted to Bicudo's Phenomenological analysis proposal. This study concluded that respondents used physical activities to increase body mass and muscle definition ­ aspects that, in their views, refer to a masculine body, not only reinforcing their masculinity but also helping them to build their sexual identity

Considerando la posibilidad de la participación de las actividades físicas en la construcción de características físicas como fuerza y rigidez muscular por hombres trans, este estudio analizó la relación de los hombres trans con actividades físicas en el proceso de "masculinización". Participaron ocho hombres que hacen uso de los servicios ofrecidos por el Ambulatorio de Salud Integral para Travestis y Transexuales en João Pessoa, Paraíba, que fueron sometidos a una entrevista semiestructurada y a un cuestionario socioeconómico, analizados con base en la propuesta de Bicudo para el análisis fenomenológico. Este estudio concluyó que los entrevistados hacen uso de las actividades físicas buscando ganar masa corporal y definición muscular, aspectos que en su visión remiten a un cuerpo masculino, reforzando no solo su masculinidad, sino ayudando en la construcción de su identidad sexual
Descritores: Transexualismo
Exercício
Pessoas Transgênero
-Corpo Humano
FRAUDTEMEFOS
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR553.1 - Biblioteca Edgar Sperb


  2 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-979351
Autor: Dias, Diego Madi.
Título: O parentesco transviado, exemplo guna (Panamá) / Perverted kinship, the guna example (Panama) / Parentesco translocado, ejemplo guna (Panamá)
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(29):25-51, mayo-ago. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo: Com base em uma etnografia realizada entre os Guna (Kuna), população ameríndia que habita a costa atlântica do Panamá, este artigo tem por objetivo refletir sobre parentesco e relacionalidade a partir de sua práxis terminológica. A análise recai sobre os usos do idioma do parentesco por pessoas que afirmam uma subjetividade em desacordo com o gênero atribuído no momento do nascimento (omeggid, categoria local traduzida por "parece mulher"). Considerando as apelações na geração de Ego (G0), especialmente aquelas que remetem à consanguinidade (irmão/sussu; irmã/iolo), o artigo demonstra que a terminologia de parentesco permite conjugar estrutura e estratégia. Chamando alguém por sussu ou iolo, as omeggids produzem para si um lugar de gênero feminino; ao mesmo tempo, em detrimento da troca matrimonial ou aliança, afirmam um "modo de vida" estruturado por relações de amizade.

Abstract: Based on ethnography carried out among the Guna (Kuna), an Amerindian population dwelling in the Atlantic coast of Panama, this article aims to reflect on kinship and relatedness from its terminological praxis. Analysis focuses on the uses of kinship vocabulary by those people who affirm a subjectivity in disagreement with the gender assigned to them at birth (omeggid, local category meaning "woman-like"). Considering the appellations in Ego's generation (G0), especially those referring to consanguinity (brother/sussu; sister/iolo), the article demonstrates that kinship terminology enables to combine structure and strategy. Calling someone by sussu or iolo, the omeggids produce for themselves a feminine gendered position; at the same time, at the expense of matrimonial exchange or alliance, they affirm a "way of life" which is structured by relations of friendship.

Resumen: Con base en una etnografía realizada entre los Guna (Kuna), pueblo amerindio que habita la costa atlántica de Panamá, este artículo tiene por objetivo reflexionar sobre parentesco y relacionalidad a partir de su praxis terminológica. El análisis recae sobre los usos del idioma de parentesco por personas que afirman una subjetividad en desacuerdo con el género atribuido en el momento del nacimiento (omeggid, categoría local traducida por "parece mujer"). Considerando las apelaciones en la generación de Ego (G0), especialmente aquellas que remiten a la consanguinidad (hermano/sussu; hermana/iolo). El artículo demuestra que la terminología de parentesco permite conjugar estructura y estrategia. Llamando a alguien por sussu o iolo, las omeggids producen para si un lugar de género femenino; al mismo tiempo, a expensas del intercambio de matrimonio o alianza, afirman un "modo de vida" estructurado por relaciones de amistad.
Descritores: Panamá
Família
Amigos
Relações Familiares
Pessoas Transgênero
Identidade de Gênero
Linguagem
Antropologia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  3 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-979352
Autor: Teixeira, Flavia do Bonsucesso; Paulino, Danilo Borges; Raimondi, Gustavo Antonio; Crovato, Cristina Apparecida dos Santos; Prado, Marco Aurélio Máximo.
Título: Entre o segredo e as possibilidades do cuidado: (re)pensando os silêncios em torno das narrativas das travestis sobre HIV/AIDS / Entre el secreto y las posibilidades del cuidado: (re)pensando los silencios en torno a las narrativas de las travestis sobre VIH / SIDA / Between the secret and the possibilities of health care: (re)thinking the silences on travesti narratives about HIV/AIDS
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(29):373-388, mayo-ago. 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir os sentidos sobre a aids que circulam, tanto entre as travestis como nos aparatos da política pública, impactando na adesão delas às ofertas oficiais de cuidado em saúde. Argumentamos que é necessário compreender os sentidos de uma política do silêncio que vem descartando as narrativas das experiências sem compreender o universo das travestis, privilegiando um modelo biomédico de política de cuidado. Esse viés tem impedido o reconhecimento da multiplicidade de sentidos atribuídos à aids que performam barreiras e dificultam enfrentar a epidemia que permanece concentrada nesse segmento.

Abstract: This work discuss the meanings about Aids that circulate, both among travestis and public policy apparatuses, impacting their adherence to official health care initiatives. We argue it is necessary to understand the meanings of a politics of silence that has been discarding travesti narratives of experiences without understanding their universe, favoring a biomedical model of care policy. This bias has prevented the recognition of the multiplicity of meanings attributed to Aids that perform barriers and make it difficult to face the epidemic that remains concentrated in this segment

Resumen: El objetivo de este trabajo es discutir los sentidos sobre el Sida que circulan, tanto entre las travestis como en los aparatos de la política pública, impactando en la adhesión de ellas a los programas medicos oficiales de cuidado en salud. Argumentamos que es necesario comprender los sentidos de una política del silencio que viene descartando las narrativas de las experiencias sin comprender el universo de las travestis, privilegiando un modelo biomédico de política de cuidado. Este sesgo ha impedido el reconocimiento de la multiplicidad de sentidos atribuidos al Sida que desempeñan barreras y dificultan enfrentar la epidemia que permanece concentrada en ese segmento.
Descritores: Política Pública
Saúde
Saúde Pública
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Confidencialidade
Sexualidade
Pesquisa Qualitativa
Pessoas Transgênero
Serviços de Saúde
-Epidemias
Limites: Seres Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  4 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046637
Autor: Maia, Gabriela Felten da.
Título: "Meu corpo foi reconhecido pelo estado": as controvérsias em torno da desjudicialização do direito à identidade / "My body was recognized by the state": the controversies surrounding the dejudicialization of the right to identity
Fonte: Barbarói;(54,n.esp):76-93, 2019.
Idioma: pt.
Resumo: O contexto brasileiro é marcado por uma lacuna legislativa para o acesso às retificações de registro civil para pessoas trans. A decisão do Supremo Tribunal Federal, em março de 2018, trouxe uma nova possibilidade diante da ausência de marco regulatório nacional para o processo de retificação de registro civil. Essa decisão modifica o cenário com a retirada da tutela jurídica e médica, possibilitando o acesso a uma gama mais ampla de sujeitos que desejam retificar, mas não necessariamente passar por cirurgia ou entrevistas diagnósticas para obter um laudo. Com isso, entende-se que se trata de um avanço no reconhecimento estatal da diversidade de gênero. Nesse sentido, o objetivo desse trabalho é apresentar algumas questões iniciais que emergem do trabalho de campo de doutorado a respeito da transformação no processo de regulação do direito à identidade. Procura-se refletir se desjudialização implica em desburocratização.(AU)

The Brazilian context is marked by a legislative gap for access to civil registry corrections for transgender people. The Supreme Court ruling in March 2018 brought a new possibility in the absence of a national regulatory framework for the civil registry rectification process. This decision changes the scenario with the removal of legal and medical tutelage, allowing access to a wider range of subjects who wish to rectify, but not necessarily undergo surgery or diagnostic interviews to obtain a report. Thus, it is understood that this is an advance in the state recognition of gender diversity. In this sense, the objective of this paper is to present some initial questions that emerge from the doctoral field work about the transformation in the process of regulation of the right to identity. We seek to reflect on whether dejudialization implies red tape.(AU)
Descritores: Registro Civil
Pessoas Transgênero
Identidade de Gênero
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1314.1 - Biblioteca Central


  5 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1043489
Autor: Rocon, Pablo Cardozo; Wandekoken, Kallen Dettmann; Barros, Maria Elizabeth Barros de; Duarte, Marco José Oliveira; Sodré, Francis.
Título: Acesso à saúde pela população trans no brasil: nas entrelinhas da revisão integrativa / Access to health by the transsexual population in brazil: between the lines of the integrative review / Acceso a la salud por la población trans en brasil: entre las líneas de la revisión integrante
Fonte: Trab. educ. saúde;18(1):e0023469, 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Neste artigo, é realizado um mapeamento da produção científica sobre o acesso à saúde pela população transexual pós-2008, ano importante para a saúde trans no Brasil, no qual foi criado o Processo Transexualizador do Sistema Único de Saúde. O objetivo desse trabalho foi realizar uma revisão integrativa da literatura sobre acesso à saúde da população transexual e travesti brasileira, empregando as bases de dados MEDLINE, LILACS e SciELO, empregando-se os seguintes descritores: 'transexualidade', 'transexualismo', 'travestismo', 'travesti' e 'transgênero', foram selecionados 22 artigos. Considerando a produção científica analisada, constatamos inúmeros desafios ao acesso da população trans no Sistema Único de Saúde, como a discriminação, a patologização da transexualidade, a falta de qualificação dos profissionais, o acolhimento inadequado, a escassez de recursos para o financiamento de políticas e programas voltados ao combate à discriminação de origem homofóbica e trans-travestifóbica, bem como a ausência da garantia de serviços específicos - como o processo transexualizador.

Abstract The article presents a mapping of the scientific production regarding the access to health by the transsexual population after 2008, an important year for trans health in Brazil, in which the Transsexualizing Process of the Brazilian Unified Health System (Processo Transexualizador do Sistema Único de Saúde, in Portuguese) was created. The goal of the present work was to conduct an integrative review of the literature regarding the access to health by the Brazilian transsexual and transvestite population in the MEDLINE, LILACS and SciELO databases, using the following descriptors: 'transsexuality,' 'transsexualism,' 'transvestitism,' 'transvestite' and 'transgendered,' and 22 articles were selected. Considering the scientific production analyzed, we verified countless challenges regarding the access of the trans population to the Brazilian Unified Health System, such as discrimination, pathologization of transsexuality, lack of training on the part of the professionals, improper embracement, lack of resources to fund policies and programs geared towards the fight against discrimination due to homophobia or tans/transvestite-phobia, as well as the lack of guarantee of specific services - such as the transsexualizing process.

Resumen En este artículo, se realiza un mapeo de la producción científica sobre el acceso a la salud por la población transexual después de 2008, un año importante para la salud trans en Brasil, en el cual se creó el Proceso Transexualizante del Sistema Único de Salud (Processo Transexualizador do Sistema Único de Saúde, en portugués). El objetivo de este trabajo fue realizar una revisión integrante de la literatura sobre el acceso a la salud de la población transexual y travesti brasileña, en las bases de datos MEDLINE, LILACS y SciELO, utilizando los siguientes descriptores: "transexualidad", "transexualismo", "travestismo", "travesti" y "transgénero", y se seleccionaron 22 artículos. Considerando la producción científica analizada, constatamos inúmeros desafíos al acceso de la población trans en el Sistema Único de Salud, como la discriminación, la patologización de la transexualidad, la falta de calificación de los profesionales, la acogida inadecuada, la escasez de recursos para el financiamiento de políticas y programas direccionados a la lucha en contra de la discriminación de origen homofóbica y trans-travestifóbica, así como la ausencia da garantía de servicios específicos - como el proceso transexualizante.
Descritores: Pessoas Transgênero
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  6 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-981281
Autor: Grespan, Carla Lisboa; Goellner, Vilodre Silvana.
Título: Fallon Fox: um corpo queer no octógono / Fallon Fox: A queer body in the octagon / Un cuerpo queer en el octógono
Fonte: Movimento (Porto Alegre);20(4):1265-1282, out.-dez. 2014.
Idioma: en; pt.
Resumo: Based on gender studies and Queer Theory, this paper analyzes Fallon Fox's place as a professional athlete in Mixed Martial Arts, more specifically, Fox' fight against Allanna Jones at the semifinals of the Championship Fighting Alliance. It examines 510 comments posted on three specific cultural media related to fighting sports, seeking to understand their users' discourses about participation of a transgender athlete. By analyzing empirical data, we found that the arguments pointing out the improper nature of the dispute were based on two perspectives: the use of legal and medical discourses to prove Fallon Fox's advantage over the opponent and transphobia, understood as aversion or repulsion

Fundamentado nos estudos de gênero e na teorização queer, este texto analisa a inserção de Fallon Fox como atleta profissional do Mixed Martial Arts, mais especificamente, a luta contra Allanna Jones nas semifinais do Championship Fighting Alliance. Para tanto, analisa 510 comentários postados em três artefatos culturais específicos de lutas, buscando apreender os discursos que seus usuários produziram sobre a participação de uma atleta transgênero. Da análise dos dados empíricos, foi possível identificar que os argumentos utilizados para justificar o caráter impróprio da disputa estavam assentados em duas perspectivas: a utilização de discursos jurídicos e médicos para atestar a vantagem de Fallon Fox sobre sua oponente e a transfobia, entendida como a aversão ou repulsa a pessoas trans

Fundamentado en los estudios de género y en la teorización queer, este texto analiza la inserción de Fallon Fox como atleta profesional del Mixed Martial Arts, más específicamente la lucha contraAllanna Jones en las semifinales Championship Fighting Alliance. Por lo tanto, analiza 510 comentarios publicados en tres artefactos culturales específicos de luchas, buscando aprehender los discursos que sus usuarios produjeron sobre la participación de una atleta transgénero. Del análisis de los datos empíricos, fue posible identificar que los argumentos utilizados para justificar el carácter impropio de la disputa estaban establecidos en dos perspectivas: la utilización de discursos jurídicos y médicos para certificar la ventaja de Fallon Fox sobre su oponente y la transfobia, entendida como la aversión o repulsión a las personas trans
Descritores: Artes Marciais
Atletas
Pessoas Transgênero
-Preconceito
Transexualismo
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR553.1 - Biblioteca Edgar Sperb


  7 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-895603
Autor: Silva, Lívia Karoline Morais da; Silva, Ana Luzia Medeiros Araújo da; Coelho, Ardigleusa Alves; Martiniano, Claudia Santos.
Título: Uso do nome social no Sistema Único de Saúde: elementos para o debate sobre a assistência prestada a travestis e transexuais / Use of the social name in the Brazilian Public Health System: elements for the debate on assistance provided to transvestites and transsexuals
Fonte: Physis (Rio J.);27(3):835-846, Jul.-Set. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A discriminação e, como consequência, a exclusão social sofrida pelas travestis e transexuais pode limitar e afastar seu acesso aos serviços de saúde. Como forma de combate às discriminações contra essa população, o uso do nome social nos serviços de saúde é garantido entre os direitos dos usuários do SUS. Objetivamos discutir o uso do nome social no SUS como ferramenta para efetivação do acolhimento, humanização e integralidade da assistência a travestis e transexuais, através da elaboração de um ensaio teórico-reflexivo. Elegeram-se como categorias de análises: o acolhimento e a promoção do acesso à saúde através do nome social; o nome social como ferramenta para humanização da assistência; e o nome social como base para efetivação da integralidade. Podemos afirmar que o nome social se apresenta como a senha de acesso das travestis e transexuais ao SUS. A partir da efetivação desse direito por parte dos profissionais, respeitando e disponibilizando meios para seu uso oral e nos prontuários e documentos, facilita-se a execução das ações em saúde, fazendo valer os direitos de cidadania e de saúde destes usuários.

Abstract Discrimination and, as a consequence, social exclusion suffered by transvestites and transsexuals can limit and exclude their access also to health services. As a way to combat discrimination against this population, the use of the social name in health services is guaranteed among the rights of users of the Brazilian Public Health System (form Portuguese, SUS). We aim to discuss the use of the social name in the SUS as a tool for effecting the reception, humanization and integral care of transvestites and transsexuals through the elaboration of a theoretical-reflexive essay. The categories of analysis were chosen: the reception and promotion of access to health through the social name; The social name as a tool for the humanization of care; And the social name as the basis for integral care. We understand that the social name presents itself as the gateway of transvestites and transsexuals to the SUS. From the realization of this right by the professionals, respecting and making available means for their use orally and in the medical records and documents, the fulfilment of health actions is facilitated, asserting the rights of citizenship and health for these users.
Descritores: Preconceito
Sistema Único de Saúde
Direito à Saúde
Brasil
Pessoal de Saúde
Humanização da Assistência
Marginalização Social
Pessoas Transgênero
Integralidade em Saúde
Identidade de Gênero
Serviços de Saúde
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  8 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1021559
Autor: Rodrigues, Niki Gomes; Silva, Cícera Henrique da; Araujo, Inesita Soares de.
Título: Visibilidade de pessoas trans na produção científica brasileira / Trans people visibility in Brazilian scientific production / Visibilidad de personas trans en la producción científica brasileña
Fonte: RECIIS (Online);13(3):658-670, jul.-set. 2019. ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Como grupo social estigmatizado, pessoas transgêneras são alvo de violência e invisibilização de suas demandas. Partindo da constatação preliminar de que o discurso científico tem naturalizado e localizado a verdade sobre o gênero nas estruturas corporais, desenvolvemos uma pesquisa, no âmbito de um mestrado acadêmico, cujo objetivo foi caracterizar modos de visibilidade de pessoas trans na produção científica brasileira. A estratégia metodológica foi delinear um panorama dessa produção. O trabalho consistiu na busca de estudos na SciELO CI, na WoS e no Scopus; na análise de autores, instituições, áreas do conhecimento e países envolvidos; e na análise de assunto. O corpus identificado foi de 293 estudos. Os resultados revelam uma diversificação nas áreas de pesquisa e necessidade de atendimento integral adequado, do fomento à pesquisa, de discussão de gênero nas escolas e do cuidado ao nomear grupos estigmatizados. O objetivo do artigo é apresentar esse panorama.

As a result of being a stigmatized social group, transgender people are victmis of violence and invisibility of their demands. Based on the preliminary perception that the scientific discourse has naturalized and localized the truth about gender in the body structures, we developed a research within the scope of an academic master degree whose objective was to characterize modes of visibility of trans people in Brazilian scientific production. The methodological strategy was to outline an overview of this production. The work consisted in searching for studies in SciELO CI, WoS and Scopus; in the analysis of authors, institutions, areas of knowledge and countries involved; and in the subject analysis. The corpus identified was formed from 293 studies. The results reveal a diversification in the areas of research and the need for adequate integral care, promotion of research, gender discussion in schools and care in naming stigmatized groups. The purpose of the article is to present this overview.

Como grupo estigmatizado, las personas transgénero son objeto de violencia e invisibilización de sus demandas. A partir de la constatación preliminar de que el discurso científico ha naturalizado y localizado la verdad sobre el género en las estructuras corporales, desarrollamos una investigación durante el grado de máster académico cuyo objetivo fue caracterizar modos de visibilidad de personas trans en la producción científica brasileña. La estrategia metodológica fue delinear un panorama de esa producción. El trabajo consistió en la búsqueda de estudios en la SciELO CI, en la WoS y en el Scopus; en el análisis de autores, instituciones, áreas del conocimiento y países comprometidos; y en el análisis de asunto. Contamos con la identificación de un corpus de 293 estudios. Los resultados revelan diversificación en las áreas de investigación y necesidad de atención integral adecuada, del fomento a la investigación, de discusión de género en las escuelas y del cuidado al nombrar grupos estigmatizados. El objetivo del artículo es presentar ese panorama.
Descritores: Violência
Disparidades nos Níveis de Saúde
Estigma Social
Comunicação em Saúde
Pessoas Transgênero
Minorias Sexuais e de Gênero
-Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Atividades Científicas e Tecnológicas
Políticas Públicas de Saúde
Marginalização Social
FRAUDTEMEFOS
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  9 / 74 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-996051
Autor: Pereira, Lourenço Barros de Carvalho; Chazan, Ana Cláudia Santos.
Título: O Acesso das Pessoas Transexuais e Travestis à Atenção Primária à Saúde: uma revisão integrativa / The Access of Transsexuals and Crossdressers to the Primary Health Care: an integrative review / El Acceso de las Personas Transexuales y Travestis a la Atención Primaria de Salud: una Revisión Integradora
Fonte: Rev. bras. med. fam. comunidade;14(41):e1795, fev. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Travestis, transexuais e transgêneros (trans) fazem parte das minorias sexuais. São vítimas de estigmatização, discriminação e violência desde a infância, o que os leva muitas vezes à marginalização. Posto isso, se faz necessário políticas públicas que lhes forneçam condições para o exercício da cidadania. O presente trabalho apresenta os resultados de uma revisão integrativa sobre o acesso das pessoas trans aos serviços de saúde da atenção básica. Métodos: Coleta de dados realizada em dezembro de 2017 nas plataformas MEDLINE, SciELO e LILACS, utilizando os descritores em associação: transexual, transgênero ou travesti, acesso e atenção primária, atenção básica ou saúde. Os estudos deveriam ser publicados a partir de 2007 e estarem disponíveis gratuitamente. Resultados: Dos 578 estudos encontrados (incluídos as repetições) foram selecionados 6, provenientes do Brasil, EUA e África do Sul. Cinco com metodologia qualitativa e uma revisão sistemática. O acesso à Atenção Primária à Saúde (APS) por parte da população trans encontra barreiras multidimensionais. Há entraves políticos, socioeconômicos, organizacionais, técnicos e simbólicos, porém as barreiras técnicas são as mais impactantes ao acesso. Conclusão: Para que haja um acesso equitativo, livre de preconceitos e de discriminação, e cuidado pautados na empatia e compaixão, faz-se necessário incluir a temática diversidade sexual e de gênero na formação dos profissionais de saúde na graduação, na pós-graduação e, principalmente, na educação permanente daqueles implicados aos cuidados das pessoas trans. A APS, ao fazer valer seus atributos, mostra-se como o cenário ideal para o cuidado longitudinal destas pessoas

Introduction: Crossdressers, transsexuals and transgenders (trans) are part of the sexual minorities. They have been victims of stigmatization, discrimination and violence since childhood, which often leads to marginalization. Considering this, it is necessary to have public policies that provide them the conditions for the exercise of citizenship. The present paper presents the results of an integrative review on the access of trans people to primary health care (PHC). Methods: Data collection performed in December 2017 on the MEDLINE, SciELO and LILACS platforms, using the descriptors in association: transsexual, transgender or transvestite, access and primary care, basic care or health. The studies should be published as of 2007 and available for free. Results: Of the 578 studies found (including replicates), 06 were selected from Brazil, USA and South Africa. Five of them used qualitative methodology and one is a systematic review. Access to PHC by trans people encounters multidimensional barriers. There are political, socioeconomic, organizational, technical and symbolic obstacles, but the technical barriers are the most impacting to access. Conclusion: In order to ensure equal access, free of prejudice and discrimination, and care based on empathy and compassion, it is necessary to include the theme of sexual and gender diversity in the training of health professionals in undergraduate, postgraduate and, in the permanent education of those involved in the care of transgender people. PHC, when asserting its attributes, shows itself as the ideal setting for the longitudinal care of these people

Introducción: Travestis, transexuales y transgéneros (trans) hacen parte de las minorías sexuales. Son víctimas de estigmatización, discriminación y violencia desde la infancia, lo que los lleva a la marginación. Por eso, se hacen necesarias políticas públicas que les proporcionen condiciones para el ejercicio de la ciudadanía. El presente trabajo presenta los resultados de una revisión integrativa sobre el acceso de las personas a los servicios de salud de la atención básica (AB). Métodos: Recolección de datos para la revisión efectuada en diciembre de 2017 en las plataformas MEDLINE, SciELO y LILACS, utilizando los descriptores en asociación: transexual, transgénero o travesti, acceso y atención primaria, atención básica o salud. Los estudios deberían publicarse a partir de 2007 y estar disponibles gratuitamente. Resultados: De los 578 estudios encontrados (incluidas las repeticiones) fueron seleccionados 06. Los artículos provenían de Brasil, EE.UU. y Sudáfrica. Cinco de ellos usaron metodología cualitativa, siendo una revisión sistemática. El acceso a la AB por parte de la población trans encuentra diversas barreras, siendo multidimensionales. Hay obstáculos políticos, socioeconómicos, organizacionales, técnicos y simbólicos, pero las barreras técnicas son las más impactantes. Conclusión: Para que haya un acceso ecuánime, libre de prejuicios y de discriminación, y cuidado pautados en la empatía y compasión del paciente, se hace necesario incluir la temática diversidad sexual y de género en la formación de los profesionales de salud en la graduación, en el postgrado y, principalmente, en la educación permanente de aquellos implicados en el cuidado de las personas trans. La APS, al hacer valer sus atributos, se muestra como el escenario ideal para el cuidado longitudinal de estas personas.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Medicina de Família e Comunidade
Pessoas Transgênero
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM


  10 / 74 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1016998
Autor: Caproni Neto, Henrique Luiz; Bicalho, Renata de Almeida.
Título: Análise das violências simbólicas nas histórias orais de transgêneros de Juiz de Fora - MG / Analysis of symbolic violence in oral stories of transgender from Juiz de Fora ­ MG
Fonte: Barbarói;(52):48-70, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo visa analisar as violências simbólicas vivenciadas por sujeitos transgêneros na sociedade e no mundo do trabalho. Para embasar as análises, utilizam-se os conceitos de poder simbólico e violência simbólica, bem como diversos trabalhos de autores nacionais que têm se dedicado ao estudo da diversidade sexual nas organizações e aos estudos de transgêneros. Os dados foram coletados através de uma pesquisa qualitativa, na qual foram realizadas entrevistas de história oral com seis indivíduos transgêneros, residentes de Juiz de Fora - MG. Assim, enfatizamos a estigmatização de que são expostos tais sujeitos tendo por consequência violências e exclusão no âmbito social e organizacional.(AU)

This article aims to analyze the symbolic violence experienced by transgender subjects in society and the world of work. To support the analysis, it uses the concepts of symbolic power and symbolic violence, as well as several works of national authors who have dedicated to the study of sexual diversity in organizations and transgender studies. Data were collected through a qualitative research, in which oral history interviews were conducted with six transgender individuals from Juiz de Fora - MG. Thus, we emphasize the stigmatization of which are exposed these subjects witch result in violence and exclusion in social and organizational context.(AU)

Este artículo tiene como objetivo analizar la violencia simbólica experimentado por los sujetos transgéneros en la sociedad y el mundo del trabajo. Para apoyar el análisis, que utiliza los conceptos de poder simbólico y la violencia simbólica, así como varias obras de autores nacionales que se han dedicado al estudio de la diversidad sexual en las organizaciones y los estudios de transgénero. Los datos fueron colectados mediante una investigación cualitativa, en la que se llevaron a cabo entrevistas de historia oral con seis transexuales, residentes Juiz de Fora - MG. Por lo tanto, hacemos hincapié en la estigmatización de los que están expuestos estos temas con el resultado de violencia y exclusión en el contexto social y organizativa.(AU)
Descritores: Violência
Marginalização Social
Pessoas Transgênero
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1314.1 - Biblioteca Central



página 1 de 8 ir para página                    
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde