Base de dados : LILACS
Pesquisa : M01.965 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 612 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 62 ir para página                         

  1 / 612 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1289862
Autor: Mayer-Foulkes, David; Serván-Mori, Edson; Nigenda, Gustavo.
Título: The Sustainable Development Goals and Technological Capacity / Los Objetivos de Desarrollo Sostenible y las capacidades tecnológicas / Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a capacidade tecnológica
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;45:e81, 2021. graf.
Idioma: en.
Resumo: SUMMARY In order to achieve the Sustainable Development and Health Goals, it is essential to increase the technological capacity of the most disadvantaged populations. In the 21st century, the necessary technologies for this exist. The gap in technological capacity reflects the existence of a technological gradient between large- and small-scale production, due to an absence of incentives for innovation and a lack of technological dissemination in small businesses and communities. Technological change is central to development, but it is a public good that the market economy does not provide efficiently. Providing it requires the implementation of public policies aimed at technological innovation and dissemination. Reducing the technological gradient is therefore a major part of the United Nations 2030 Agenda for Sustainable Development and the Pan American Health Organization's 2018-2030 Sustainable Health Agenda for the Americas. This also applies to the development of health systems, which function as a redistribution mechanism to break poverty traps. In addition, experiences in these systems are relevant to the implementation of policies that increase technological capacities aimed at reducing poverty, improving social determinants of health, and thereby reducing the scale of the human development trap.

RESUMEN Para lograr los objetivos de desarrollo y salud sostenibles, es esencial incrementar las capacidades tecnológicas de las poblaciones más desfavorecidas. Entrado el siglo XXI, existen las tecnologías necesarias para ello. El déficit en capacidades tecnológicas se debe a la existencia de un gradiente tecnológico entre la producción de gran y de pequeña escalas, debido a la falta de incentivos para la innovación y la difusión en empresas y comunidades pequeñas. En estos ámbitos el cambio tecnológico, punto medular del desarrollo, es un bien público que la economía de mercado no provee eficientemente. Su provisión requiere la aplicación de políticas públicas de innovación y difusión tecnológicas. La reducción del gradiente tecnológico constituye, pues, parte medular de la Agenda 2030 para el Desarrollo Sostenible, de las Naciones Unidas, y la Agenda de Salud Sostenible para las Américas 2018-2030, de la Organización Panamericana de la Salud. Esto es aplicable, así mismo, al desarrollo de los sistemas de salud, que funcionan también como mecanismos de redistribución para romper las trampas de pobreza. Asimismo, las experiencias en esos sistemas tienen relevancia para aplicar políticas de incremento de capacidades tecnológicas que disminuyan la pobreza, mejoren los determinantes sociales de la salud y, con ello, reduzcan la magnitud de la trampa de desarrollo humano.

RESUMO Para alcançar os objetivos de desenvolvimento e saúde sustentáveis, é fundamental aumentar a capacidade tecnológica das populações mais desfavorecidas. Com a entrada do século XXI, há tecnologias necessárias para isso. O déficit em capacidade tecnológica decorre de um gradiente tecnológico entre a produção em pequena e larga escala pela falta de incentivos à inovação e difusão em empresas e comunidades pequenas. Nestas esferas, a evolução tecnológica, que é o eixo do desenvolvimento, é um bem público que não é provido de forma eficiente pela economia de mercado. Políticas públicas de inovação e difusão tecnológicas são necessárias. Diminuir o gradiente tecnológico constitui, portanto, a base da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, da Agenda das Nações Unidas e da Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030 da Organização Pan-Americana da Saúde. Requer também o desenvolvimento dos sistemas de saúde que servem como mecanismos de redistribuição para romper com as armadilhas da pobreza. Ademais, a experiência adquirida nesses sistemas é indispensável para instituir políticas de aumento da capacidade tecnológica que diminuam a pobreza, melhorem os determinantes sociais da saúde e, assim, reduzam a dimensão da armadilha do desenvolvimento humano.
Descritores: Desenvolvimento Tecnológico
Desenvolvimento Sustentável
-Populações Vulneráveis
Ciência, Tecnologia e Sociedade
Equidade
Determinantes Sociais da Saúde
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1050744
Autor: Galeano, Giovana Barbieri; Guareschi, Neuza Maria de Fátima; Scisleski, Andrea Cristina Coelho.
Título: Políticas de pesquisa e resistências em tempos de acirramento dos processos de violência / Research policies and resistance policies in times of incitement of violence processes / Políticas de investigación y resistencia en tiempos de intensificación de los procesos de violencia
Fonte: Psicol. ciênc. prof;39(2,n.esp):19-32, ago.-nov. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Neste artigo, tomamos os estudos de Hannah Arendt, Walter Benjamin e Giorgio Agamben para problematizar a Psicologia e as demandas que lhe são dirigidas em termos de empreender a produção de estratégias contra práticas violentas que tem crescido no contexto brasileiro contemporâneo. Para a presente discussão, designamos três analisadores principais: o primeiro é uma cena vivenciada em um parque da cidade de Porto Alegre - RS, cuja função como cenário é discutir como a Psicologia aborda questões relacionadas ao cotidiano no que tange a produção de conhecimento; o segundo considera os movimentos realizados por diversos grupos em todo o Brasil sob a hashtag "#elenão"; finalmente, o terceiro focaliza o período após o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018, quando o espaço público foi usado para dialogar sobre as propostas presidenciais dos candidatos para o segundo turno. A aposta ético-epistemológica e política de nossa pesquisa está ligada às lutas que constituem um espaço de resistência em relação às práticas violentas incitadas cotidianamente. Argumentamos que as lutas não dizem respeito apenas à afirmação da possibilidade de existência/vida, mas, principalmente, sobre a impossibilidade de não lutar...(AU)

In this article, we take Hannah Arendt, Walter Benjamin and Giorgio Agamben's studies to problematize psychology and the direct demands to produce strategies against violent practices that have been escalating in the contemporary Brazilian context. We designate three main analyzers to the present discussion: the first is a scene experienced in a park in the city of Porto Alegre - Rio Grande do Sul, which serves as an example to discuss how psychology approaches these daily-life issues of vulnerability related to knowledge production; the second regards to movements performed by several groups throughout Brazil, during the election period, under the hashtag "#elenão"; finally, the third analyzer focuses on the campaign period for the second term of the 2018's presidential election when the public space was used to discuss candidates' presidential proposals. The ethical-epistemological and political bet of our research is linked to daily struggles that constitute a space of resistance to violent practices incited on a daily basis. We argue that struggles are not only related to the affirmation of the possibility to exist in society, but also to the impossibility of not struggling...(AU)

En este artículo, tomamos los estudios de Hannah Arendt, Walter Benjamin y Giorgio Agamben para problematizar la psicología y las demandas que se le dirigen en términos de emprender la producción de estrategias contra prácticas violentas que han crecido en el contexto brasileño contemporáneo. Para la presente discusión, designamos tres analizadores principales: el primero es una escena vivida en un parque de la ciudad de Porto Alegre ­ Rio Grande do Sul, cuya función como escenario es discutir cómo la psicología aborda temas relacionados con la vida cotidiana en términos de producción de conocimiento; el segundo analizador considera los movimientos realizados por diversos grupos en todo Brasil bajo el hashtag "#elenão"; Por último, el tercer analizador se centra en el período posterior a la primera votación de las elecciones presidenciales de 2018, cuando se utilizó el espacio público para dialogar sobre las propuestas presidenciales de los candidatos para la segunda votación. La apuesta ético-epistemológica y política de nuestra investigación está vinculada a las luchas que constituyen un espacio de resistencia en relación a las prácticas violentas incitadas cotidianamente. Argumentamos que las luchas no se refieren sólo a la afirmación de la posibilidad de existencia/vida, sino principalmente a la imposibilidad de no luchar...(AU)
Descritores: Psicologia
Psicologia Social
Comportamento Social
Violência
Poder Psicológico
Estado
Populações Vulneráveis
Marginalização Social
Relações Interpessoais
-Política
Relações Raciais
Violência Étnica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1552.1 - Biblioteca Central


  3 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1128991
Autor: Associação Brasileira de Saúde Coletiva; .Centro Brasileiro de Estudos de Saúde; .Associação Brasileira Rede Unida; .Associação Brasileira de Economia em Saúde; .Associação Brasileira de Saúde Mental; .Associação Brasileira de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora; .Associação Brasileira de Enfermagem; .Sociedade Brasileira de Virologia; .Sociedade Brasileira de Bioética; .Conselho Nacional de Saúde (Brasil); .Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; .Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente; .Rede de Médicas e Médicos Populares; .Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia; .Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.
Título: Plano nacional de enfrentamento à pandemia da COVID-19: frente pela vida / National plan to combat the COVID-19 pandemic: facing life.
Fonte: Brasília; s.n; 15 jul. 2020. 111 p. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Para enfrentar a pandemia da COVID-19, o Estado brasileiro tem a obrigação moral e constitucional de coordenar ações emergenciais para controlá-la, superá-la e reduzir impactos econômicos e sociais sobre a nação brasileira. Infelizmente, constata-se irresponsabilidade e inércia das autoridades federais, demonstrada pelo fato de o Brasil entrar no quinto mês da pandemia sem qualquer plano oficial geral para seu enfrentamento. Frente a essa omissão e diante da necessidade e da vontade da sociedade brasileira de superar a crise sanitária e todas as suas consequências, apresenta-se aqui uma contribuição, com base em conhecimento científico, expertise técnica e intensa mobilização social, para a sistematização de Plano Nacional de Enfrentamento da COVID-19. O panorama epidemiológico da pandemia no Brasil mostra-se bastante complexo. Em meados de julho, já haviam sido registrados mais de 2 milhões de casos e 75 mil óbitos que fazem da COVID-19 a principal causa de morte no país, concentrada em áreas de periferia urbana e em grupos sociais vulnerabilizados. Nessa fase recente, a epidemia avança para o interior dos estados, ameaçando particularmente pequenas cidades, territórios indígenas, quilombolas e populações ribeirinhas. A diversidade e iniquidade na sociedade brasileira, uma das mais desiguais do mundo, representam fatores cruciais a serem considerados na implementação de propostas e estratégias de superação da pandemia e seus impactos. Face à contagiosidade da COVID-19, na ausência de vacinas e medicamentos, medidas não farmacológicas de controle epidemiológico são importantíssimas, como distanciamento físico, uso de máscaras e higiene. Para tornar efetivo o enfrentamento da pandemia, a Organização Mundial da Saúde recomenda forte engajamento da sociedade. No Brasil, a Constituição Federal de 1988 garante a participação da sociedade na gestão de políticas e programas e institui a participação social como princípio organizativo do SUS, tendo o Conselho Nacional de Saúde (CNS) como instância máxima do controle social. É imperioso fortalecer as instâncias de participação social, assegurando a representação da sociedade civil em toda sua diversidade e representatividade. No plano da atenção à saúde, é preciso um processo de renovação do Sistema Único de Saúde (SUS), desenvolvendo-o à sua plena potência, para que alcance a universalidade e as capacidades necessárias que a pandemia e os demais problemas de saúde estão a exigir dos sistemas de saúde. Ao lado de estratégias urgentes e emergenciais para o enfrentamento da pandemia, é fundamental superar, de forma estruturante, o subfinanciamento do SUS. Acesso universal e integralidade da atenção demandam organização sistêmica, efetivada mediante a celebração de pactos federativos pautados na cooperação e na solidariedade. Nesse aspecto, a irresponsabilidade do governo federal tem provocado conflitos federativos, chegando-se ao ponto de o Supremo Tribunal Federal ter que ratificar a autonomia dos governos subnacionais em legislar no âmbito da saúde pública. De modo ainda mais dramático, o Ministério da Saúde (MS) demonstra incapacidade de aplicar efetivamente recursos destinados ao controle da pandemia. A pandemia atingiu o Brasil em meio a uma agenda de reformas centrada na austeridade fiscal e na redução do papel do Estado que resultou em desfinanciamento do SUS e fragilização das políticas sociais. Diante do quadro de recessão mundial e nacional causado pela pandemia, são necessárias medidas de promoção e geração de emprego e renda e de proteção social à população. De modo imediato, é necessário contemplar os grupos sob maior risco de adoecimento e morte, como pessoas idosas, e vulnerabilidade socioeconômica, como trabalhadores precarizados, população negra, povos indígenas, população LGBTI+, pessoas em situação de rua, ciganos, migrantes e refugiados, pessoas com deficiência, populações privadas de liberdade.
Descritores: Sistemas de Saúde/organização & administração
Monitoramento Epidemiológico
SARS-CoV-2
COVID-19/epidemiologia
-Isolamento Social
Sistema Único de Saúde/organização & administração
Brasil/epidemiologia
Temas Bioéticos
Populações Vulneráveis
/políticas
ESOPHAGOGASTRIC JUNCTIONABBREVIATIONS AS TOPIC/políticas
Limites: Humanos
Tipo de Publ: GOVERNMENT PUBLICATIONS
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1149701
Autor: Sousa, Anderson Reis; Cerqueira, Caio Felipe Campos; Porcino, Carle; Simões, Kleber José Fonseca.
Título: Pessoas LGBTI+ e a covid-19: para pensarmos questões sobre saúde / Personas LGBTI+ y la covid-19: para pensar en cuestiones de salud / The LGBTI+ people and covid-19: for us to think about health issues
Fonte: Rev. baiana enferm;35:e36952, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo refletir teórica e criticamente o cenário da situação de saúde de pessoas LGBTI+ frente ao Covid-19 em contexto de pandemia no Brasil. Método Estudo teórico e reflexivo estruturado a partir do arcabouço teórico e analítico de gênero e dos achados empíricos sobre a pandemia do novo Coronavírus, causadora da Covid-19. Realizou-se a decomposição não estruturada dos achados publicados na mídia digital e nas bases de dados científicos sobra a Covid-19, bem como a interseção com a saúde de pessoas LGBTI+, especialmente no Brasil. Resultados Há repercussões negativas geradas pela Covid-19 à saúde de pessoas LGBTI+ que são intensificadas por ações biopolíticas determinantes de exposição humana à vulnerabilidade, negação de direitos, discriminação, violências e iniquidades, que potencializam a degradação da saúde e a condição humana. Conclusão O surgimento da Covid-19 precipita e intensifica as vulnerabilidades e iniquidades em saúde de pessoas LGBTI+, conduzindo-as à marginalização e ao risco expressivo à vida.

Objetivo reflejar teórica y críticamente el escenario de la situación de salud de las personas LGBTI+ frente al Covid-19 en el contexto de una pandemia en el Brasil. Método Un estudio teórico y reflexivo estructurado en el marco teórico y analítico del género y los hallazgos empíricos sobre la pandemia del nuevo Coronavirus, que causa el Covid-19. Se realizó la descomposición no estructurada de los hallazgos publicados en los medios digitales y en las bases de datos científicas sobrantes de Covid-19, así como la intersección con la salud de las personas LGBTI+, especialmente en Brasil. Resultados Hay repercusiones negativas generadas por el Covid-19 en la salud de las personas LGBTI+, que se intensifican por las acciones biopolíticas que determinan la exposición humana a la vulnerabilidad, la negación de derechos, la discriminación, la violencia y las desigualdades, que potencian la degradación de la salud y la condición humana. Conclusión La aparición del Covid-19 precipita e intensifica las vulnerabilidades y desigualdades en la salud de las personas LGBTI+, lo que las lleva a la marginación y a un riesgo significativo para la vida.

Objective to reflect theoretically and critically the scenario of the health situation of LGBTI+ people in face of the Covid-19 in the context of a pandemic in Brazil. Method A theoretical and reflective study structured on the theoretical and analytical framework of gender and empirical findings on the pandemic of the new Coronavirus, causing the Covid-19. It was carried out the unstructured decomposition of findings published in digital media and scientific databases on Covid-19, as well as the intersection with the health of LGBTI+ people, especially in Brazil. Results There are negative repercussions generated by Covid-19 on the health of LGBTI+ people, which are intensified by biopolitical actions that determine human exposure to vulnerability, denial of rights, discrimination, violence and inequalities, which potentialize health degradation and the human condition. Conclusion The appearance of Covid-19 precipitates and intensifies the vulnerabilities and inequities in the health of LGBTI+ people, leading them to marginalization and expressive risk to life.
Descritores: Infecções por Coronavirus
Populações Vulneráveis
Minorias Sexuais e de Gênero
-Pandemias
Diversidade de Gênero
Identidade de Gênero
Limites: Humanos
Responsável: BR342.1 - Biblioteca Universitária de Saúde


  5 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1116097
Autor: Macedo, Jane Keyla Souza dos Santos; Costa, Lays Pedrosa dos Santos; Lima, Ana Flávia Silva; Lima, José Leandro Ramos de; Vasconcelos, Bianca Maria Vieira de; Santos, Amuzza Aylla Pereira dos.
Título: Vulnerabilidade e suas dimensões: reflexões sobre os cuidados de enfermagem aos grupos humanos / Vulnerability and its dimensions: reflections on nursing care for human groups / Vulnerabilidad y sus dimensiones: reflexiones sobre los cuidados de enfermería a los grupos humanos
Fonte: Rev. enferm. UERJ;28:e39222, jan.-dez. 2020.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: desenvolver uma reflexão teórica-reflexiva acerca da vulnerabilidade e suas dimensões nos cuidados de enfermagem aos grupos humanos. Conteúdo: Trata-se de uma análise reflexiva, fundamentada no referencial de vulnerabilidade e direitos humanos, que promoveu uma reflexão acerca do tema proposto, com o propósito de uma aprendizagem prática- reflexiva a partir da imersão nos contextos práticos-teóricos sobre o tema, para tecer uma análise de como as dimensões da vulnerabilidade podem ser trabalhadas com os cuidados de enfermagem aos diversos grupos humanos. Considerações finais: Verifica-se, a partir desse estudo, que a vulnerabilidade envolve a combinação de elementos que refletem na dimensão individual, social e programática e estão associadas às experiências de facilidade e dificuldades impostas pelo processo saúdedoença relacionadas ao modo de vida de cada grupo e aos cuidados de enfermagem prestados.

Objective: to develop a reflective and theoretical discussion about vulnerability and its dimensions in nursing care for human groups. Content: this reflective analysis, framed by reference to vulnerability and human rights, conducted group thinking on the proposed theme, with a view to practical and theoretical learning through immersion in related practical and theoretical contexts, so as to build an analysis of how dimensions of vulnerability can be addressed by nursing care for diverse human groups. Final considerations: this study found that vulnerability involves a combination of components reflected in the individual, social and programmatic dimensions and associated with experiences of difficulties and solutions imposed by the health-disease process. related to the lifestyle of each group and the nursing care provided.

Objetivo: desarrollar una discusión reflexiva y teórica sobre la vulnerabilidad y sus dimensiones en el cuidado de enfermería para grupos humanos. Contenido: este análisis reflexivo, enmarcado en referencia a la vulnerabilidad y los derechos humanos, realizó un pensamiento grupal sobre el tema propuesto, con miras al aprendizaje práctico y teórico a través de la inmersión en contextos prácticos y teóricos relacionados, a fin de construir un análisis de cómo las dimensiones de La vulnerabilidad puede ser abordada por el cuidado de enfermería para diversos grupos humanos. Consideraciones finales: este estudio encontró que la vulnerabilidad implica una combinación de componentes reflejados en las dimensiones individuales, sociales y programáticas y asociados con experiencias de dificultades y soluciones impuestas por el proceso de salud-enfermedad. relacionado con el estilo de vida de cada grupo y la atención de enfermería brindada.
Descritores: Populações Vulneráveis
Vulnerabilidade em Saúde
Relações Enfermeiro-Paciente
Cuidados de Enfermagem/tendências
-Equidade em Saúde
Acolhimento
Limites: Humanos
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)


  6 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1116093
Autor: Sá Neto, José Antonio de; Silva, Aline Cerqueira Santos Santana da; Knupp, Virginia Maria de Azevedo Oliveira; Souza, Aryane Chagas de; Góes, Fernanda Garcia Bezerra; Silva, Ítalo Rodolfo.
Título: Diagnóstico situacional de mortalidade entre adolescentes em condição de vulnerabilidade / Situational diagnosis of mortality among adolescents in conditions of vulnerability / Diagnóstico situacional de mortalidad entre adolescentes en condiciones de vencibilidad
Fonte: Rev. enferm. UERJ;28:e39729, jan.-dez. 2020.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: identificar as principais causas de óbito entre adolescentes de 10 a 19 anos em um município no interior do estado do Rio de Janeiro. Método: estudo descritivo, exploratório de abordagem quantitativa, a partir do levantamento de dados em registros de óbitos do município de Rio das Ostras. O desfecho foi causa básica do óbito. Os dados foram processados no Programa R. Resultados: foram observados 84 (100%) óbitos, com maior prevalência entre adolescentes de 17 a 19 anos, 49 (58,3%), do sexo masculino, 71 (84,5%) e de cor parda, 38 (45,2%). As principais causas de óbitos foram homicídio/perfuração por arma de fogo, 35 (41,7%), e acidentes, 32 (38,1%). Conclusão: o reconhecimento dessa vulnerabilidade configura importante caminho para o enfrentamento e resolução desse grave problema, sobretudo municípios localizados longe de centros urbanos, parece muitas vezes esquecido, no que tange o cumprimento de estatutos e políticas públicas a favor desse grupo etário.

Objective: to identify the main causes of death among adolescents aged 10 to 19 years in a municipality in the state of Rio de Janeiro. Method: in this exploratory, descriptive, quantitative study, based on data collected from death records in the municipality of Rio das Ostras, the basic cause of death was the outcome. The data were processed in the statistics software, R. Results: of the 84 (100%) deaths observed, prevalence was higher among adolescents aged 17 to 19 years (49; 58.3%), males (71; 84.5%), and pardos (38; 45.2%). The main causes of deaths were firearm Injury / homicide (35; 41.7%) and accidents (32; 38.1%). Conclusion: one important step towards confronting and solving this serious problem is to acknowledge this vulnerability, especially in municipalities distant from urban centers, which often seem neglected as regards compliance with statutes and public policies in favor of this age group.

Objetivo: identificar las principales causas de muerte entre adolescentes de 10 a 19 años en un municipio del estado de Río de Janeiro. Método: en este estudio exploratorio, descriptivo, cuantitativo, basado en los datos recopilados de los registros de defunciones en el municipio de Rio das Ostras, la causa básica de la muerte fue el resultado. Los datos se procesaron en el programa estadístico R. Resultados: de las 84 (100%) muertes observadas, la prevalencia fue mayor entre los adolescentes de 17 a 19 años (49; 58.3%), varones (71; 84.5%) y pardos (38; 45,2%). Las principales causas de muerte fueron lesiones por arma de fuego / homicidio (35; 41.7%) y accidentes (32; 38.1%). Conclusión: un paso importante para enfrentar y resolver este grave problema es reconocer esta vulnerabilidad, especialmente en municipios alejados de los centros urbanos, que a menudo parecen descuidados en cuanto al cumplimiento de los estatutos y las políticas públicas a favor de este grupo de edad.
Descritores: Acidentes/estatística & dados numéricos
Causas de Morte
Populações Vulneráveis/estatística & dados numéricos
Homicídio/estatística & dados numéricos
-Brasil
Epidemiologia Descritiva
Fatores Etários
Vulnerabilidade Social
Mortalidade Prematura
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)


  7 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Abegg, Claídes
Texto completo
Id: biblio-979232
Autor: Blanco, Silvana; Laurino, Carolina González; Toassi, Ramona Fernanda Ceriotti; Abegg, Claides.
Título: Assistência odontológica em programas sociais para populações socialmente vulneráveis na perspectiva do programa Uruguay Trabaja / Dental care in social programs for socially vulnerable populations on the perspective of the Uruguay Trabaja program
Fonte: Saúde Soc;27(4):1164-1173, Out.-Dez. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este trabalho discute características do subprograma da saúde bucal do programa Uruguai Trabaja (UT), em Montevidéu, e identifica os tratamentos odontológicos iniciados, completados e abandonados de 2008 a 2015. Por meio de análise documental, o UT é discutido a partir de dois níveis categóricos. O primeiro refere-se ao contexto macrossocial, relacionando-se à expansão da cobertura da assistência odontológica integrada nos sistemas de proteção social, enquanto o segundo se origina da observação sistemática da assistência odontológica inserida em programas de acompanhamento social. UT é um programa social anual de nove meses de duração dirigido a pessoas de 18 a 65 anos em situação de vulnerabilidade socioeconômica e desempregadas há muito tempo. Seu propósito é melhorar a empregabilidade e a integração social dos participantes. Assistência odontológica integral é um dos benefícios do programa, a qual não é disponibilizada pelo Sistema Nacional Integrado de Saúde. Dos 2.592 tratamentos odontológicos iniciados, 941 (36,3%) não chegaram ao final. Programas focalizados como o UT, enquanto dispositivos de proteção social, devem estar articulados funcionalmente a políticas sociais universais que devem responder adequadamente as necessidades da população. A saúde bucal, nesse contexto, deve ser incluída no Sistema Nacional Integrado de Saúde do Uruguai, garantindo o direito à saúde.

Abstract This paper discusses the characteristics of the oral health subprogram 'Uruguay Trabaja' (UT), in Montevideo, and identifies finished, unfinished, and abandoned dental treatments from 2008 to 2015. The implementation of the UT, its characteristics, and the subprogram aimed at oral health are described through documentary analysis. The Program is conceptually discussed according to two categorical levels. The first refers to the macro-social context, related to the expansion of dental care coverage integrated into social protection systems, while the second one is based on the systematic observation of the dental care included in social programs. The UT is a nine-month social program which occurs every year for people between 18 and 65 years old, in social and economic vulnerability situations and unemployed for a long term. It aims at improving employment chances and the participants' social integration. Comprehensive dental care is one of the benefits of the program, as it is not available at the National Integrated Health System. Of the 2.592 dental treatments initiated, 941 (36,3%) were completed. Focused programs such as the UT should be articulated to universal social policies, which must adequately meet the needs of the entire population. Comprehensive dental care should be included into the National Integrated Health System, to ensure the right to oral health.
Descritores: Política Pública
Saúde Bucal
Assistência Odontológica
Populações Vulneráveis
Programas Sociais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Abegg, Claídes
Texto completo
Id: biblio-1012439
Autor: Blanco, Silvana; Toassi, Ramona Fernanda Ceriotti; Laurino, Carolina González; Abegg, Claides.
Título: Abandono de la atención odontológica en programas sociales desde la perspectiva de participantes y operadores sociales: el caso Uruguay Trabaja / Abandono à assistência odontológica em programas sociais na perspectiva de participantes e especialistas sociais: o caso do Uruguay Trabaja / Dental treatment dropout in social programs from the perspective of participants and social operators: the Uruguay Trabaja case
Fonte: Interface (Botucatu, Online);23:e180482, 2019. tab.
Idioma: es.
Resumo: Uruguay Trabaja (UT) es un programa socio-laboral de integración social para adultos desempleados pertenecientes a hogares en situación de vulnerabilidad socio-económica. Durante nueve meses reciben acompañamiento de expertos de Organizaciones de la Sociedad Civil (OSC) pudiendo recibir una asistencia odontológica no disponible usualmente en el Sistema de Salud del país. La tercera parte de los beneficiarios de UT inicia el tratamiento y lo abandona. El fenómeno del abandono al tratamiento odontológico fue estudiado a partir del análisis de contenido de entrevistas a participantes y expertos de las OSC. Basados en los conceptos de habitus de Bourdieu y de individualización de las protecciones de Castel, la complejidad de la vida cotidiana; ausencia de vínculo dentistas-participantes y el escaso tiempo de acompañamiento para sostener los procesos de socialización, son aspectos a considerar para comprender los abandonos de este derecho transitorio a la asistencia.(AU)

Uruguay Trabaja (UT) é um programa sociolaboral de integração social para adultos desempregados moradores de áreas em situação de vulnerabilidade socioecômica. Durante nove meses, os participantes recebem acompanhamento social de especialistas vinculados às Organizações da Sociedade Civil (OSC), podendo receber assistência odontológica, a qual não é disponibilizada rotineiramente pelo Sistema de Saúde uruguaio. Um terço dos beneficiários do UT inicia o tratamento e o abandona. O fenômeno do abandono ao tratamento odontológico foi estudado a partir da análise de conteúdo de entrevistas dos participantes do UT e especialistas das OSC. Baseados nos conceitos de habitus de Bordieu e individualização das proteções de Castel, a complexidade da vida cotidiana, ausência de vínculo dentistas-participantes e o curto tempo de acompanhamento do Programa para sustentar processos de socialização, são aspectos a serem considerados na compreensão do abandono deste direito ocasional à assistência odontológica..(AU)

Uruguay Trabaja (UT) is a socio-labor integration program for unemployed adults belonging to households in socio-economic vulnerability. During nine months they receive support from experts from Civil Society Organizations (CSO), and are entitled to comprehensive dental care not routinely provided by the Health System of Uruguay. A third of beneficiaries of UT initiate the treatment, abandoning it afterwards. The phenomenon of dropping out dental treatment was studied based on the content analysis of interviews with participants and experts from CSOs. Based on the concepts of habitus de Bourdieu and Castel's individualized protections, the complexity of everyday life; absence of dentist-participant bonding and the short time of accompaniment of UT to sustain the processes of socialization, are aspects to be considered in order to understand the abandonment of this transitory right to assistance..(AU)
Descritores: Pacientes Desistentes do Tratamento
Assistência Odontológica
-Uruguai
Populações Vulneráveis
Programas Sociais
Responsável: UY20.1 - Departamento de Documentación y Biblioteca


  9 / 612 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-960110
Autor: Tamayo Martínez, Nathalie; Rincón Rodríguez, Carlos Javier; de Santacruz, Cecilia; Bautista Bautista, Nubia; Collazos, Jaime; Gómez-Restrepo, Carlos.
Título: Problemas mentales, trastornos del afecto y de ansiedad en la población desplazada por la violencia en Colombia, resultados de la Encuesta Nacional de Salud Mental 2015 / Mental Problems, Mood and Anxiety Disorders in The Population Displaced by Violence in Colombia; Results of The National Mental Health Survey 2015
Fonte: Rev. colomb. psiquiatr;45(supl.1):113-118, dic. 2016. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Introducción: Colombia tiene una gran población expuesta a la violencia, con una cifra importante de desplazados por esta, quienes se encuentran en mayor riesgo de vulnerabilidad, por lo que es necesario evaluar en ellos problemas y trastornos mentales para definir intervenciones específicas necesarias. Objetivos: Determinar la prevalencia de problemas y trastornos mentales de la población colombiana desplazada por el conflicto armado interno. Métodos: Datos emanados de la Encuesta Nacional de Salud Mental 2015. Se realizó la entrevista diagnóstica internacional compuesta (CIDI-CAPI) y el Cuestionario de Síntomas (SRQ) como indicador de posible enfermedad psiquiátrica; el consumo de alcohol se evaluó con el test de identificación de trastornos por consumo de alcohol (AUDIT); se diseñó una encuesta basada en la Prueba de Detección de Consumo de Alcohol, Tabaco y Sustancias (ASSIST); se modificó la Lista de Chequeo de Estrés Postraumático (PCL-C) para determinar posible estrés postraumático y se aplicó el Índice Multidimensional de Pobreza (IPM) y el APGAR familiar a los datos generales del individuo y del hogar. Resultados: Se detectó a 943 personas desplazadas por la violencia. Se presenta SQR positivo en el 16,4% (intervalo de confianza del 95% [IC95%], 13,2%-20,1%); la prevalencia de cualquiera de los trastornos mentales medidos (CIDI-CAPI) alguna vez en la vida es del 15,9% (IC95%, 11,9%-21,1%); la de ideación suicida es del 12,5% (IC95%, 9,0%-17,1%); la de consumo de alcohol excesivo, del 10,1% (IC95%, 7,2%-13,9%); el 35,6% (IC95%, 30,7%-40,8%) de las personas reportan que han vivido o presenciado o les han contado que alguien cercano ha tenido un evento traumático relacionado con el conflicto armado; se reporta un mayor riesgo de estrés postraumático en personas desplazadas que han reportado por lo menos un evento traumático (3,6%; IC95%, 2,2%-5,9%); la disfunción familiar en desplazados es ausente (74,8%; IC95%, 70,4%-78,8%). Conclusiones: La población desplazada tiene una alta prevalencia de problemas y trastornos mentales, lo que ratifica la situación de desventaja en que se encuentran

Abstract Introduction: Colombia has a large population exposed to violence. Our data suggest a significant number displaced by the conflict. As there is an increased risk of vulnerability, their problems and mental disorders need to be assessed in order to determine specific treatments. Objectives: To determine the prevalence of problems and mental disorders in those internally displaced by the conflict. Methods: Data was obtained from the National Mental Health Survey 2015. The diagnostic tools used were the composite international diagnosis interview (CIDI-CAPI), Self-reporting questionnaire (SQR). Alcohol consumption was assessed with the Alcohol Use Disorders Identification test (AUDIT). A survey based on the Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test (ASSIST) was developed. The modified Post-traumatic Stress Disorder (PTSD) Checklist-Civilian version (PCL-C) was used to determine possible post-traumatic stress Disorder. Multidimensional poverty index (MPI) and Family-Apgar questionnairewere applied to general individual and household data. Results: A total of 943 persons displaced by the conflict were reported, with self-report of symptoms in 16.4 (95% CI, 13.2-20.1). The prevalence of any of the measured mental disorders (CIDI-CAPI) ever in life was 15.9% (95% CI, 11.9-21.1), with a suicidal ideation of 12.5% (95%CI, 9.0-17.1), and excessive alcohol consumption in 10.1% (95% CI, 7.2-13.9). More than one-third (35.6%, (95% CI, 30.7-40.8) of people report having experienced, witnessed, or been told that someone close had had a traumatic event related to the armed conflict. An increased risk of PTSD is reported by 3.6% (95% CI, 2.2-5.9) displaced people that had reported at least one traumatic event. Family dysfunction in the displaced population is absent (74.8% (95%.CI, 70.4-78.8). Conclusions: The displaced population has a high prevalence of problems and mental disorders, which confirms their disadvantaged situation.
Descritores: Conflitos Armados
Transtornos Mentais
-Refugiados
Consumo de Bebidas Alcoólicas
Saúde Mental
Prevalência
Inquéritos e Questionários
Colômbia
Populações Vulneráveis
Alcoolismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: CO78 - Asociación Colombiana de Psiquiatría


  10 / 612 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-991109
Autor: Sarmiento-Rubiano, Luz Adriana; García, Yina; Fillot, Margarita; Gómez, Lucila; Becerra, Jimmy E.
Título: Parasitismo intestinal en poblaciones con alto grado de vulnerabilidad del Caribe colombiano / Intestinal parasitism in populations with a high degree of vulnerability in the Colombian Caribbean
Fonte: Rev. cuba. med. trop;70(3):92-101, set.-dic. 2018. tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: Los parásitos intestinales tienen alto impacto en la salud de la población mundial y pueden constituir un factor más de riesgo en poblaciones en alto grado de vulnerabilidad por desplazamientos humanos a causa de la pobreza, violencia o catástrofes naturales. Objetivo: Evaluar el parasitismo intestinal en los habitantes de dos asentamientos humanos en alto grado de vulnerabilidad. Métodos: estudio descriptivo de corte transversal, en el que se analizaron 367 muestras fecales de los habitantes de dos asentamientos humanos en estado de vulnerabilidad del departamento del Atlántico-Colombia, durante los años 2015 y 2016. Se realizó examen directo de las heces en solución salina, lugol y concentración con el método formol-éter. Se estableció la frecuencia absoluta y relativa de los parásitos presentes y se compararon los resultados entre los dos lugares de muestreo. Resultados: el 91,28 por ciento de la población analizada tenía parásitos intestinales. Las helmintiasis presentaron una frecuencia del 52,32 por ciento. Los parásitos más frecuentes fueron Blastocystis sp. (49,05 por ciento) y Trichuris trichiura (44,96 por ciento). Conclusiones: La alta prevalencia de parásitos en las poblaciones vulnerables analizadas, plantea la necesidad de implementar estrategias para el control del parasitismo intestinal dentro de los planes de prevención y mitigación de riesgos(AU)

Introduction: Intestinal parasites have high impact in the health of the world population and can constitute another risk factor in populations with a high degree of vulnerability by human displacements because of poverty, violence or natural catastrophes. Objective: To evaluate intestinal parasitism in inhabitants of two populations with high degree of vulnerability. Methods: Cross sectional, descriptive study in which 367 stool samples were analyzed from the inhabitants of two populations with high vulnerability's degree, in Atlántico-Colombia department during the years 2015 and 2016. The parasitological analysis was performed by direct examination of the stool samples in saline, lugol and concentration solutions by the formalin-ether method. The absolute and relative frequencies of the parasites present were established and the results between the sampled places were compared. Results: 91.28 percent of the population was infected with intestinal parasites. Helminthiasis showed a frequency of 52.32 percent. The most frequents parasites were Blastocystis sp. (49.05 percent) and Trichuris trichiura (44.96 percent). Conclusions: The high prevalence of parasites in the analyzed populations with a high degree of vulnerability expresses the need of implementing strategies for the control of intestinal parasitism in the prevention and risk's mitigation planning(AU)
Descritores: Populações Vulneráveis
Fezes/parasitologia
Enteropatias Parasitárias/epidemiologia
-Epidemiologia Descritiva
Estudos Transversais
Desastres Naturais
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional



página 1 de 62 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde