Base de dados : LILACS
Pesquisa : N01.400.388 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 12 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 12 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-995538
Autor: Szulman, Gabriela Aída.
Título: Tabaquismo prenatal: impacto respiratorio en el primer año de vida / Prenatal smoking: respiratory impact in infants during the first year of life
Fonte: Rev. Hosp. Niños B.Aires;61(272):18-24, abr. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: Los episodios de obstrucción bronquial durante el primer año de vida en los lactantes sanos, constituyen una consulta frecuente en pediatría. El objetivo es evaluar el impacto del tabaquismo prenatal como factor asociado a padecer episodios de sibilancias en el primer año de vida en lactantes sanos, sin historia familiar de asma y/o atopía. Métodos: Estudio transversal realizado entre mayo del 2012/2013 en el Hospital de Niños "Ricardo Gutiérrez", mediante una encuesta dirigida a madres de lactantes sanos de 12 a 15 meses de edad, sin antecedentes familiares de asma y /o atopía. El objetivo fue evaluar el tabaquismo prenatal como factor de riesgo asociado a padecer episodios de obstrucción bronquial en lactantes sanos, en el primer año de vida. Resultados: Se contactaron 601 madres de lactantes sanos de 12 a 15 meses de edad. Fueron elegibles 379 para completar la encuesta acerca de lo ocurrido en el primer año de vida de sus hijos. Mediante análisis multivariado, los factores de riesgo asociados a padecer al menos un episodio de sibilancia fueron: exposición prenatal (EP) al humo del tabaquismo materno (p=0.03 ODDS= 3 IC 95% 1,09 ­ 8,27), sexo masculino (p=0,002, ODDS 2,03 IC 1,29-3,20), edad del primer resfrío (p < 0,001 ODDS 0,76 IC 0,69-0,83). Conclusiones: En lactantes sanos, sin factores de riesgo para asma y/o atopía, el tabaquismo prenatal constituyó un factor de riesgo para generar sibilancias broncopulmonares e infecciones virales respiratorias a una edad más temprana.

Introduction: During the first year of life of healthy infants, bronchial obstructive episodes are a frequent reason of consultation in pediatric practice. The objective was to assess the impact of prenatal smoking as a risk factor associated to bronchospasm episodes during the first year of life in healthy infants without family history of asthma and/or atopia. Methods: Cross-sectional study performed between May, 2012 and May 2013 at Hospital de Niños "Ricardo Gutiérrez", through a survey completed by mothers of healthy infants from 12 to 15 months old without asthma and/or atopia family antecedents. Main purpose was to assess the prenatal smoking as a risk factor associated to bronchospasm episodes during the first year of life in healthy infants. Results: 601 mothers of patients 12 to 15 months old were contacted, among which 379 completed the survey in relation to what had happened during the first twelve months of their children's life. Through multivariate analysis, the risk factors associated to suffer at least one bronchial obstructive episode were: prenatal exposure to maternal smoking (p=0.03 ODDS= 3 IC 95% 1,09 ­ 8,27), male gender (p=0,002 ODDS 2,03 IC 1,29- 3,20), age at first cold (p < 0,001 ODDS 0,76 IC 0,69-0,83). Conclusions: In healthy infants, without risk factors associated to asthma y/o atopia, prenatal smoking represented a risk factor to generate bronchopulmonary wheezing and viral respiratory infections at a younger age.
Descritores: Fatores de Risco
Saúde do Lactente
-Efeitos Tardios da Exposição Pré-Natal
Poluição por Fumaça de Tabaco
Sons Respiratórios
Limites: Lactente
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: AR441.1 - Biblioteca Dr Laureano Rivas Miguez


  2 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-967860
Autor: Dames, Louise José Pereira; Alves, Valdecyr Herdy; Rodrigues, Diego Pereira; Souza, Renata Rangel Birindiba de; Medeiros, Flávia do Valle Andrade; Paiva, Eny Dórea.
Título: Conhecimento do enfermeiro acerca do manejo clínico da dor neonatal: estudo descritivo / Nurses' practical knowledge on the clinical management of neonatal pain: a descriptive study / Conocimiento de enfermería sobre el manejo clínico del dolor neonatal: estudio descriptivo
Fonte: Online braz. j. nurs. (Online);15(3):393-403, 20161111.
Idioma: en; es; pt.
Resumo: OBJETIVO: Analisar o conhecimento dos enfermeiros em sua prática assistencial no manejo clínico da dor neonatal. MÉTODO: Estudo descritivo, exploratório, qualitativo, realizado em duas maternidades públicas do município de Niterói com vinte enfermeiros atuantes em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Os dados foram coletados por intermédio de entrevista semiestruturada e analisados visando a construção de categorias temáticas. RESULTADOS E DISCUSSÃO: As categorias encontradas foram relacionadas à percepção do enfermeiro acerca da dor neonatal e o conhecimento do enfermeiro e suas ações no manejo clínico da dor neonatal. Observou-se que os enfermeiros desconhecem a prática do manejo clínico da dor, o qual não constitui uma rotina no cuidado neonatal, como também a utilização de escalas para a avaliação. CONCLUSÃO: O conhecimento científico torna-se de suma importância, pois favorece as estratégias necessárias ao cuidado neonatal com foco na qualidade ofertada e na humanização da assistência, principalmente considerando a dor como o quinto sinal vital.

AIM: to analyze the practical knowledge of nurses on clinical management of neonatal pain. METHODS: a descriptive, exploratory and qualitative study held with 20 Neonatal Intensive Care Unit nurses of two public maternity hospitals in the city of Niterói. Data were collected through semi-structured interviews and analysed targeting the construction of thematic categories. RESULTS: the categories found were associated with the perception of nurses regarding neonatal pain and their knowledge and actions regarding the clinical management of this neonatal symptom. It was found nurses lack knowledge of the clinical management of pain, which is not a part of the neonatal care daily routine, also being unaware of the application of rating scales for pain assessment. CONCLUSION: possessing scientific knowledge is crucial, as it provides required methods for neonatal care, focusing on the improvement of the quality of the health care provided and in the humanization of nursing care, considering pain as the fifth vital sign.

OBJETIVO: analizar el conocimiento de los enfermeros en su práctica asistencial en el manejo clínico del dolor neonatal. MÉTODO: estudio cualitativo, exploratorio, descriptivo, realizado en dos hospitales públicos de maternidad en la ciudad de Niteroi, con 20 enfermeras que trabajan en la unidad de cuidados neonatales intensivos. Los datos fueron recogidos mediante una entrevista semiestructurada y analizados para construir las categorías temáticas. RESULTADOS: las categorías encontradas se relacionaron con la percepción del enfermero sobre el dolor neonatal y el conocimiento del enfermero y sus acciones en el manejo clínico de este síntoma neonatal. Se observó que los enfermeros desconocen la práctica del manejo clínico del dolor, no siendo una rutina neonatal, así como el uso de escalas para la evaluación. CONCLUSIÓN: el conocimiento científico es de vital importancia, ya que favorece el cuidado neonatal que requiere de estrategias con enfoque en la calidad ofrecida y en la humanización de la atención, especialmente si se considera el dolor como quinto signo vital.
Descritores: Recém-Nascido
Enfermagem Neonatal
Conhecimento
Manejo da Dor/enfermagem
Saúde do Lactente
-Saúde da Criança
Manejo da Dor
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  3 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-972197
Autor: Organización Panamericana de la Salud.
Título: Guía de campo sobre la inmunización materna y neonatal para Latinoamérica y el Caribe.
Fonte: Washington, DC; Organización Panamericana de la Salud; 2017. 82 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La presente Guía de campode inmunización materna yneonatal de la OrganizaciónPanamericana de la Salud(OPS) pretende servir comohoja de ruta práctica paralas autoridades sanitarias,en particular las encargadasde los servicios de saludmaternoinfantil en todoslos niveles del sistema desalud, así como para losdocentes (especialmente losimplicados en programas deeducación sanitaria), con unaorientación sobre los conceptosde inmunización materna yneonatal. Además, proporcionatambién orientación dirigidaa reforzar la integración dela inmunización materna yneonatal en las plataformasexistentes del sistema de salud.
Descritores: Saúde do Lactente
Saúde Materna
Imunidade Materno-Adquirida
Programas de Imunização
Vacinas
Américas
Limites: Seres Humanos
Responsável: CU2.1 - Centro de Gestión de la Información y el Conocimiento Dr. Luis Ernesto Giraldo
L4601


  4 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-915358
Autor: Cherubim, Daiani Oliveira; Rodrigues, Andressa Peripolli; Paula, Cristiane Cardoso de; Padoin, Stela Maris de Mello; Trojahn, Tatiane Correa; Rechia, Flavia Pinhão Nunes de Souza.
Título: Representações do cuidado de enfermagem às mães para a manutenção da lactação na unidade de terapia intensiva neonatal / The nursing care meanings to mothers aiming at the lactation maintenance in a neonatal intensive care unit / Representaciones del cuidado del enfermería a las madres para la manutención de la lactación en la Unidad de Terapia Intensiva Neonata
Fonte: Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online);10(4):900-905, out.-dez. 2018. il.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: Descrever o cuidado de Enfermagem, desenvolvido pelos profissionais no cotidiano assistencial da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), para a manutenção da lactação. Método: Estudo descritivo de abordagem qualitativa, constituído por dez profissionais de Enfermagem, no período de fevereiro de 2013, e analisados por meio de categorias temáticas. Resultados: A ordenha mamária, a escuta atenta e de zelo que fazem parte dos cuidados de Enfermagem para a manutenção da lactação. As vivências e as experiências dos profissionais de Enfermagem mostraram-se influenciadoras no cuidado e na promoção da oferta do leite materno ao recém-nascido prétermo. Conclusão: O cuidado para a manutenção da lactação vai além do recém-nascido internado, sendo necessária a inclusão da mãe e de seus familiares nessa atenção, por meio de grupos de apoio entre mães, família e profissionais para o sucesso do aleitamento materno

Objective: The study's goal has been to describe the nursing care developed by professionals in their daily care practice in a neonatal intensive care unit in order to maintain the mother's lactation. Methods: It is a descriptive study with a qualitative approach, which has had ten participating nurses and has been carried out in February 2013. Data analysis was performed through thematic categories. Results: The study found that the following aspects are part of the nursing care for the lactation maintenance: mammary milking, attentive listening and meaningful care. According to the data, the nursing professional experiences may influence both the care and the promotion of breast milk supply to preterm newborns. Conclusion: The care for the maintenance of lactation goes beyond the newborns hospitalization, requiring the inclusion of the mother and her family in this process through support groups among mothers, family and professionals for successful breastfeeding accomplishment

Objetivo: Describir el cuidado de Enfermería, desarrollado por lós profesionales en el cotidiano asistencial de la Unidad de Terapia Intensiva Neonatal, para la manutención de la lactación. Método: Estudio descriptivo de abordaje cualitativo, constituido por diez profesionales de Enfermería, en el período de febrero de 2013, y analizados por medio de categorias temáticas. Resultados: El ordeño mamario, la escucha atenta y de celo que hacen parte de los cuidados de Enfermería para la manutención de la lactación. Las vivencias y experiencias influencian en el cuidado y em la promoción de la oferta del leche materno al recién nacido pre termo. Conclusión: El cuidado para la manutención de la lactación va más Allá del recién nacido internado, siendo necesaria la inclusión de la madre y SUS familiares en esa atención, por medio de grupos de apoyo entre madres, familia y profesionales para el gran éxito del amamantamiento materno
Descritores: Aleitamento Materno/métodos
Unidades de Terapia Intensiva Neonatal
Cuidados de Enfermagem/métodos
-Saúde do Lactente
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Adulto
Responsável: BR1208.1 - BSEN - Biblioteca Setorial de Enfermagem e Nutrição


  5 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-881782
Autor: Bastian, Doris Powaczruk; Terrazzan, Ana Carolina.
Título: Tempo de aleitamento materno e os fatores de risco para o desmame precoce / Breastfeeding duration and risk factors for early weaning
Fonte: Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr;40(3):278-286, set. 2015. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND: The World Health Organization (WHO) suggests exclusive breastfeeding until six months of age. However, the most recent epidemiological studies in Brazil showed increased levels of early weaning. The pacifier has been mentioned among the risk factors for breastfeeding interruption. OBJECTIVE: this study aimed to verify breastfeeding duration and risk factors to early weaning among children of private kindergarten. METHODS: We held a cross sectional study with 55 children aged between 0 and 18 months, of 5 kindergartens in Porto Alegre, RS. The families answered questionnaires with data on pregnancy, birth and breastfeeding period, as well as about the mother's socio demographics characteristics. The study was approved by the Ethical Committee of Hospital Moinhos de Vento (HMV-POA). The t student test, Qui Square, Kaplan-Meier and Poisson Regression were applied. The level of significance adopted was p< 0.05. RESULTS: The prevalence of breastfeeding at 6 months was 1.8%. The average duration of breastfeeding was 180 days and the average duration of exclusive breastfeeding was 90 days. There was a positive association between weaning and pacifier use during the first days of life (RP 2.30 IC95%[1.02 a 4.91] p= 0.030). Receiving breastfeeding counseling during pregnancy was protection factor from early weaning (RP 0.60 IC95% [0.37 a 0.94] p=0.032). CONCLUSION: The prevalence of breastfeeding was beneath those proposed by WHO. The use of pacifier was determinant for early weaning, while receiving breastfeeding counseling helped to prevent early weaning

INTRODUÇÃO: A Organização Mundial da Saúde preconiza o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida. Contudo, os últimos estudos de base epidemiológica realizados no Brasil revelam altos índices de desmame precoce. Dentre os fatores de risco para a interrupção da amamentação, o uso da chupeta vem sendo muito citado. OBJETIVO: Verificar o tempo de aleitamento materno e os fatores de risco para o desmame precoce em crianças frequentadoras de escolas particulares de educação infantil. MÉTODOS: Realizado estudo transversal com 55 crianças de 0 a 18 meses matriculadas em 4 escolas de Porto Alegre, RS. Aplicados questionários para coleta de dados sobre a gestação, nascimento, aleitamento materno e características sociodemográficas da mãe. Estudo aprovado pelo comitê de ética do Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre. Aplicados testes t Student, Qui Quadrado Kaplan-Meier e Regressão de Poisson. Aceito nível de significância p<0,05. RESULTADOS: A prevalência de Aleitamento Materno Exclusivo (AME) no sexto mês de vida foi de 1,8%. A mediana de Aleitamento Materno foi 180 dias e a mediana de aleitamento materno exclusivo foi 90 dias. Houve associação positiva entre desmame e introdução da chupeta nos primeiros dias (RP 2,30 IC95% [1,02 a 4,91] p= 0,030). Receber orientação sobre aleitamento durante a gestação foi fator importante para prevenir o desmame precoce (RP 0,60 IC95% [0,37 a 0,94] p=0,032). CONCLUSÃO: A prevalência de AME no grupo estudado foi muito aquém do preconizado pela OMS. O uso de chupeta foi determinante para desmame precoce, enquanto a orientação adequada sobre aleitamento materno interferiu para prevenir o desmame precoce
Descritores: Aleitamento Materno
Saúde do Lactente
Desmame
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Responsável: BR1600.9


  6 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-878975
Autor: Prado López, Lidia María; Aldana Raudales, Alejandra María; Corea ortega, Dulce María; Cruz Alvarado, Rafael Enrique.
Título: Prácticas de alimentación en lactantes del Hospital nacional Dr. Mario Catarino Rivas / Feeding Practices in Infants at the Dr. Mario Catarino Rivas National Hospita
Fonte: Acta pediátr. hondu;7(1):538-547, abr.- sept. 2016. graf, tab.
Idioma: es.
Resumo: Antecedentes: El desarrollo de la alimentación es una progresión aprendida de comportamientos que dependen tanto de la integridad estructural-neurológica como del temperamento del individuo y su ambiente. El objetivo primordial de la alimentación es la adquisición de nutrientes para lograr un crecimiento óptimo, la adquisición de habilidades oromotoras y hábitos alimenticios adecuados. Objeti- vo: identi car las prácticas de alimentación y estado nutricional de los menores de 24 meses. Pacientes y métodos: estudio descriptivo analítico en menores de 24 meses ingresados en la Sala de Lactantes Hospital Nacional Dr. Mario Catarino Rivas (HNMCR) durante el mes de abril a mayo del 2016. Se realizó muestreo no probabilístico por conveniencia de 148 sujetos. Resultados: El 75% de los niños recibieron lactancia materna (de forma exclusiva y no exclusiva) durante un promedio de 4 meses. Se inició con sustitutos inadecuados de leche materna en el 36% por consejo de la abuela o decisión propia de la madre. Se inició la ablactación precoz en 16% (n=23) y temprana en 40%(n=64), 13% inició la ablactación con sopa maggie o sopa de frijoles. Hubo exposición antes del año a la naranja 56%, piña (21%), mantequilla (59%) y queso (48%) entre otros. 36.5% tuvieron problemas nutricionales. La probabilidad de tener problemas nutricionales es 2 veces mayor con la ablactación precoz y el uso de leche entera. Conclusiones: las prácticas de alimentación en lactantes del HNMCR son inadecuadas, incompletas e insuficientes...(AU)
Descritores: Aleitamento Materno/métodos
Comportamento Alimentar
Métodos de Alimentação
Cuidado do Lactente
Saúde do Lactente
Limites: Seres Humanos
Lactente
Responsável: HN1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  7 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-877296
Autor: Buccini, Gabriela dos Santos.
Título: Evolução do uso de chupeta e sua influência no aleitamento materno exclusivo no Brasil, 1999-2008 / Temporal trends of pacifier use and its influence on the exclusive breastfeeding in Brazil, 1999-2008.
Fonte: São Paulo; s.n; 2017. 165 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: O impacto positivo no curto e longo prazos do aleitamento materno exclusivo (AME) na saúde da criança, da mulher que amamenta e para a sociedade estão bem documentados. Apesar da tendência secular crescente do AME no Brasil, a prevalência de 36,6 por cento constatada na última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2013, está aquém dos 50 por cento considerados satisfatórios pela Organização Mundial da Saúde. Mediante esse cenário, faz-se importante identificar fatores de risco modificáveis para reduzir a interrupção precoce do AME. Embora o uso de chupeta seja apontado como um dos múltiplos determinantes do AME, não existe consenso sobre o efeito desse hábito na interrupção precoce dessa prática. Objetivo: Analisar a associação entre uso de chupeta e interrupção do AME, bem como a evolução do uso de chupeta e sua influência no AME em menores de 6 meses nas Capitais Brasileiras e no DF, 1999- 2008. Métodos: Foram produzidos 4 manuscritos. O primeiro consistiu de uma revisão sistemática e meta-análise para investigar a associação entre uso de chupeta e interrupção do AME nos menores de 6 meses. Para tanto, realizou-se uma busca ampla em cinco bases de dados (CINAHL, Scopus, Web of Science, LILACS, Medline) sem restrição de data ou idioma de publicação, o que resultou em 1.866 estudos submetidos à critérios de exclusão e inclusão previamente estabelecidos (Protocolo PROSPERO CDR42014014527). O segundo e o terceiro manuscritos utilizaram dados provenientes da I e II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno (PPAM) nas Capitais e DF realizadas em 1999 e 2008, respectivamente. Os inquéritos, metodologicamente equivalentes, utilizaram amostras representativas com sorteio em dois estágios. Os questionários foram compostos por questões fechadas relativas ao uso de chupeta e à alimentação da criança no dia anterior à pesquisa. No manuscrito 2, para testar a associação entre o uso de chupeta e o risco de interrupção do AME, foram utilizados modelos de regressão múltipla na amostra agrupada e para cada inquérito, ajustados por covariáveis socioeconômicas, demográficas e biomédicas da mãe da criança. No terceiro manuscrito, calculou-se a fração de impacto potencial (FIP) da influência da variação temporal do uso de chupeta no declínio da interrupção do AME. O manuscrito 4 resultou do aprofundamento na metodologia aplicada no manuscrito anterior, no qual se discute como as estimativas de FIP podem ser utilizadas na análise de mudanças em desfechos populacionais à luz de variações em seus fatores determinantes, tomando como exemplo os dados de AME e uso de chupeta no Brasil. Resultados: O efeito agrupado do uso de chupeta sobre a interrupção do AME em crianças menores de 6 meses dos estudos incluídos na meta-análise foi de OR 2,48 (IC95 por cento =2,16-2,85); entretanto, constatou-se alta heterogeneidade, explicada majoritariamente pelo delineamento do estudo (40,2 por cento ). Os dois ensaios clínicos randomizados incluídos apresentam validade externa limitada e encontraram associação nula; os 44 observacionais, incluindo 20 estudos de coorte prospectivos, encontraram associação consistente (OR=2,28; IC95 por cento =1,78-2,93). Essa associação foi confirmada pela análise agrupada das amostras da I e II PPAM (manuscrito 2), revelando o uso de chupeta como o fator mais fortemente associado à interrupção precoce do AME no Brasil no período de 1999 a 2008 (OR ajustado= 2,77; IC95 por cento =2,63-2,91). Nesse período, no Brasil, houve declínio de 15,2 pontos percentuais na prevalência de interrupção do AME (passando de 74,9 por cento para 59,7 por cento ) e uma redução de aproximadamente 17 pontos percentuais no uso de chupeta (passando de 58,5 por cento para 41,6 por cento ). Um terço do declínio na interrupção precoce do AME pôde ser atribuído à variação temporal do uso de chupeta (manuscrito 3). A redução no uso de chupeta como estratégia de prevenção para interrupção do AME no cenário 1999-2008 apresentou 41 por cento de eficácia potencial, 13,3 por cento de efetividade e 18,5 por cento de eficiência (manuscrito 4). Conclusões: O uso de chupeta é um fator de risco associado à interrupção do AME em crianças menores de 6 meses, sendo um forte determinante no declínio temporal da interrupção precoce dessa prática no Brasil. Como um fator de risco modificável, revelou-se seu potencial na prevenção da interrupção precoce do AME. Estratégias preventivas com abordagem universal e seletiva para redução do uso de chupeta em crianças amamentadas exclusivamente poderiam acelerar a melhoria das taxas da AME no Brasil, rumo às recomendações internacionais

Introduction: The short- and long-term health positive impact that exclusive breastfeeding (EBF) confers to children are well documented. Despite the secular trend for EBF in Brazil has increased, the prevalence of 36 per cent observed in the last national survey conducted in 2013 is still below the 50 per cent considered satisfactory by the World Health Organization. In this scenario, it is important to identify relevant modifiable key risk factors for the premature interruption of EBF. Although pacifier use has been pointed as one of the multiple determinants of exclusive breastfeeding there is no consensus on the effect of this habit in the early interruption of EBF. Objective: To analyze the association between pacifier use and EBF interruption as well as the influence of temporal trends of pacifier use on the EBF in children under 6 months old in Brazilian state capitals and Federal District, 1999-2008. Methods: 4 manuscripts were produced. The first consisted in systematic review and meta-analysis to investigate the association between pacifier use and interruption of exclusive breastfeeding in infants less than 6 months. A wide search in 5 databases (CINAHL, Scopus, Web of Science, LILACS, Medline) from inception through 30 December 2104 without restriction of language yielded 1.866 publications submitted to predetermined inclusion/exclusion criteria peer reviewed (PROSPERO protocol CDR42014014527). In the second and third manuscripts data from 2 waves of infant feeding surveys conducted in 1999 and in 2008 in the Brazilian state capitals and Federal District (I and II PPAM) was used. Methodologically equivalent surveys used representative samples selected based on complex sampling procedures and systematic random selection of children in the queue of each selected immunization center. Questionnaires were composed of closed-ended questions regarding the pacifier use and infant feeding on the day before the survey. In the second manuscript, to find out whether or not pacifier use is an independent risk factor for the EBF interruption were used multivariate regression models in the pooled sample and for each survey wave adjusting for socioeconomic, demographic and biomedical confounders. In the third paper, we calculated the potential impact fraction (IF) of the influence of temporal trends of pacifier use on the decline of EBF interruption. Manuscript 4 resulted from methodological deepening for application of the analysis strategy applied in the previous manuscript, into it we present how estimates of IF that might be used in the analysis of variation in the population outcomes considering shift in its determinants, taking as an example the data about EBF interruption and pacifier in Brazil. Results: The meta-analysis pooled effect was OR 2.48 (CI95 per cent =2.16-2.85) for the association between pacifier use and EBF interruption. The majority heterogeneity was explained by study design (40.2 per cent ). Two RCTs with very limited external validity found a null association, but 44 observational studies, including 20 prospective cohort studies, did find a consistent association between pacifier use and EBF interruption (OR=2.28; CI95 per cent =1.78-2.93). This association was confirmed by the pooled analysis for I and II PPAM (manuscript 2) revealing pacifier use as the strongest risk factor for EBF interruption in Brazil between 1999-2008 (OR adjusted= 2.77; CI95 per cent =2.63-2.91). In this period was observed 15.2 per cent of decline in EBF interruption prevalence (from 74.9 per cent to 59.7 per cent ) and a reduction of approximately 17 per cent in pacifier use (from 58.5 per cent to 41.6 per cent ). A third of the total decline of EBF interruption could be attributed to the temporal trends of pacifier use (manuscript 3). The decrease in the pacifier use as a prevention strategy for EBF interruption in the scenario 1999-2008 showed 41 per cent of potential effectiveness, 13.3 per cent effective and 18.5 per cent efficiency (manuscript 4). Conclusion: Pacifier use is a risk factor associated with EBF interruption, being a strong determinant in the temporal trends of EBF in Brazil. As a modifiable risk factor, the pacifier proved its potential in preventing EBF interruption. Preventive public health strategies with ecological and selective approach to reduce the pacifier use in exclusive breastfed infants could accelerate the improvement of the EBF rates in Brazil, towards the international recommendations
Descritores: Aleitamento Materno/psicologia
Saúde do Lactente
Chupetas/estatística & dados numéricos
-Brasil
Inquéritos Epidemiológicos
Cuidado do Lactente
Metanálise
Revisão
Fatores de Risco
Limites: Seres Humanos
Lactente
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência
BR67.1; DR1326


  8 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-875403
Autor: Camargo, Elaine Catarina de; Soibelman, Mauro.
Título: Prevalência da doença periodontal na gravidez e sua influência na saúde do recém-nascido / Prevalence of periodontal disease during pregnancy and its influence in the newborn health status
Fonte: Rev. AMRIGS;49(1):11-15, jan.-mar. 2005. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: investigar a relação entre má qualidade de saúde bucal da gestante e condi- ções do recém-nascido através da associação entre periodontite materna, índice Apgar no 5o minuto e peso do recém-nascido. Delineamento: estudo transversal. Amostragem: após estudo-piloto, foram avaliadas 115 pacientes com idades entre 18 e 42 anos, entre os meses de abril e outubro de 2003, selecionadas por conveniência dentre as clientes da Maternidade Mário Totta (ISCMPA), que esclarecida e livremente consentiram em participar do estudo. Variável preditora ­ periodontite: critérios diagnósticos baseados na classificação da American Association of Periodontology (profundidade de sondagem e sangramento à sondagem). Variáveis dependentes ­ Índice de Apgar e peso ao nascer: conforme registro no prontuário. Resultados: Não foi encontrada associação entre a presença de periodontite na mãe, o índice de Apgar no 5o minuto e o peso do recém-nascido (α=0,05). Discussão: Diferenças metodológicas, incluindo o tipo de delineamento, a definição operacional de doença periodontal e, conseqüentemente, do grau de severidade dos casos, assim como procedimentos para controle de variáveis confundíveis, contribuem para explicar as variações observadas nos resultados dos diferentes estudos já publicados. Nesse estudo, optou-se por uma definição abrangente de doença periodontal, incluindo casos leves, podendo tal estratégia ter dificultado a identificação da associação pesquisada (AU)

Objective: to investigate the relationship between poor pregnant oral health and newborn health conditions through maternal periodontal disease and 5th minute Apgar Index and birth weight association. Design: cross-sectional study. Sampling: after a pilot study was conducted, 115 inpatients aged 18 to 42 years were selected by convenience among Maternidade Mário Totta's clients and studied from April to October 2003. All of them signed an informed consent. Predictor variable ­ periodontal disease: based upon criteria of the American Association of Periodontology (probing depth and bleeding at probing). Dependent variables ­ Apgar Index and birth weight: according to medical records. Results: No association was found between maternal periodontal disease, 5th minute Apgar Index and birth weight of the newborn (α=0,05). Discussion: methodological differences, including design, operational definition of periodontal disease and, consequently, of the severity of the cases, as much as confounding control procedures, help to explain the results' variability observed in the already published studies. In this present study, a comprehensive definition of periodontal disease, including mild cases, was adopted. The strategy may have brought difficulties to the identification of the researched association (AU)
Descritores: Saúde do Lactente
Periodontite/complicações
Complicações Infecciosas na Gravidez/epidemiologia
-Índice de Apgar
Brasil/epidemiologia
Estudos Transversais
Recém-Nascido de Baixo Peso
Triagem Neonatal
Trabalho de Parto Prematuro
Saúde Bucal
Periodontite/epidemiologia
Prevalência
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Adulto
Responsável: BR18.1 - Biblioteca FAMED/HCPA


  9 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-831481
Autor: Mariot, Márcia Dornelles Machado.
Título: Implementação da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil no município de Porto Alegre: percepções do tutor / Implementation of the strategy breastfeed and feed Brazil in the city of Porto Alegre: tutors perceptions.
Fonte: Porto Alegre; s.n; 2015. 70 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade federal do rio grande do sul. Escola de enfermagem. Programa de pós-graduação em enfermagem para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Os benefícios do aleitamento materno (AM) para a mãe e o recém-nascido são inúmeros. Da mesma forma, a introdução oportuna da alimentação complementar saudável (ACS) durante a infância influenciará na formação de hábitos alimentares saudáveis que repercutirão na saúde na vida adulta. Em 2012, o MS lançou a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB) que tem como objetivo qualificar as ações de promoção do AM e da alimentação complementar saudável para crianças menores de dois anos de idade e aprimorar as competências e habilidades dos profissionais para a promoção do AM e da ACS no seu cotidiano de trabalho nas Unidades Básicas de Saúde. A operacionalização da EAAB envolve a formação de tutores, responsáveis por disseminar e dar continuidade aos objetivos e atividades da estratégia, acompanhando o trabalho das equipes das UBS de forma continua e regular. Trata-se de um estudo qualitativo do tipo exploratório descritivo, que têm o objetivo de conhecer as percepções do tutor da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil com relação à implementação da estratégia no município de Porto Alegre. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semi estruturada com 13 tutores. Foi realizada análise de conteúdo do tipo temática. O projeto foi aprovado e registrado na Comissão de Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (nº 797.088) e ao Comitê de Ética e Pesquisa e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (nº 839.963) e com a aplicação do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, de acordo com a Resolução 466/2012. Da análise dos dados emergiram dois temas: 1- O processo de trabalho e as questões gerenciais e 2- A implementação da estratégia: avanços e desafios. (Continua)...

The benefits of breastfeeding (BF) for the mother and the newborn are countless. Similarly, the opportune introduction of healthy complementary feeding (HCF)during childhood will have influence onthe development of healthy eating habits which will have repercussions on their health in adulthood.In 2012, the MH launched the Strategy Feed and Breastfeed Brazil (EAAB) which aims to qualify the actions of the promotion of breastfeeding and healthy complementary eating for children under two years of age and to enhance the skills and abilities of professionalsfor the promotionof BF andof HCF in their daily work routine in Basic Health Units. The operationof EAABinvolves training tutors who are responsible for disseminating and maintaining the strategy's objectives and activities by continuously and regularly following the work of the Basic Health Unit teams. This is a qualitative study, of the descriptive exploratory type, which aims to better understand the perceptions that tutors have of the Strategy Feed and Breastfeed Brazil,regarding the implementation of the strategy in the city of Porto Alegre.Data was collected from semi structured interviews with 13 tutors. It was performedcontent analysis of the thematic type. The project was approved and booked inthe Research Committee of the Federal University of Nursing of Rio Grande do Sul(nº 797.088), to the Ethics and Research Committee and to the Municipality of Porto Alegre(nº 839.963), and it had the application of the Informed Consent Form, in accordance with Resolution 466/2012. From the data analysis two themes emerged: (1) the process of labor and the management issues and (2) the implementation...
Descritores: Aleitamento Materno/métodos
Atenção Primária à Saúde/normas
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente/normas
Comportamento Alimentar
Estratégias Nacionais
Saúde do Lactente/normas
-Brasil
Bem-Estar do Lactente/prevenção & controle
Epidemiologia Descritiva
Parto Humanizado
Pesquisa Qualitativa
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Responsável: BR546.1 - Biblioteca
BR546.1


  10 / 12 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Priore, Silvia Eloiza
Texto completo
Texto completo
Id: lil-784341
Autor: Freitas, Brunnella Alcantara Chagas de; Lima, Luciana Moreira; Carlos, Carla Fernanda Lisboa Valente; Priore, Silvia Eloiza; Franceschini, Sylvia do Carmo Castro.
Título: Duration of breastfeeding in preterm infants followed at a secondary referral service / Duração do aleitamento materno em prematuros acompanhados em serviço de referência secundário
Fonte: Rev. paul. pediatr;34(2):189-196, Apr.-June 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Objective: Identify and analyze variables associated with shorter duration of breastfeeding in preterm infants. Methods: Retrospective cohort of premature infants followed up at secondary referral service in the period of 2010-2015. Inclusion: first appointment in the first month of corrected age and have undergone three or more consultations. Exclusion: diseases that impaired oral feeding. Outcome: duration of breastfeeding. A total of 103 preterm infants were evaluated, accounting for 28.8% of the preterm infants born in the municipality in that period, with a power of study of 80%. Descriptive analysis, t-test, chi-square test, Kaplan-Meier curves and Cox regression were used. p-values <0.05 were considered significant. Results: The median duration of breastfeeding among preterm infants was 5.0 months. The risk of breastfeeding discontinuation among preterm infants with gestational age <32 weeks was 2.6-fold higher than for those born at 32 weeks or more and the risk of breastfeeding interruption in preterm infants who were receiving breastfeeding supplementation in the first outpatient visit was 3-fold higher when compared to those who were exclusively breastfed in the first consultation. Conclusions: The median duration of breastfeeding in preterm infants was below the recommended one and discontinuation was associated with gestational <32 weeks and the fact that the infant was no longer receiving exclusive breastfeeding in the first outpatient visit. When these two variables were associated, their negative effect on the median duration of breastfeeding was potentiated.

Objetivo: Identificar e analisar as variáveis associadas à menor duração do aleitamento materno em prematuros. Métodos: Coorte retrospectiva de prematuros acompanhados em centro de referência secundária, de 2010 a 2015. Inclusão: primeira consulta no primeiro mês de idade corrigida para prematuridade e ter feito três ou mais consultas. Exclusão: doenças que impossibilitassem a alimentação via oral. Desfecho: duração do aleitamento materno. Avaliaram-se 103 prematuros, 28,8% dos prematuros do município no período, com poder do estudo de 80%. Usaram-se análise descritiva, teste t, qui quadrado de Pearson, curvas de Kaplan-Meier e regressão de Cox. Considerou-se significativo o p-valor<0,05. Resultados: A duração mediana do aleitamento materno entre os prematuros foi de cinco meses. O risco de interrupção do aleitamento materno entre prematuros de idade gestacional inferior a 32 semanas foi 2,6 vezes maior em relação aos que nasceram com 32 semanas ou mais e o risco de interrupção do aleitamento materno em prematuros que estavam em aleitamento materno complementado na primeira consulta ambulatorial foi três vezes maior em relação aos que estavam em aleitamento materno exclusivo na primeira consulta. Conclusões: A duração mediana do aleitamento materno em prematuros encontrou-se aquém do preconizado e sua interrupção se associou à idade gestacional inferior a 32 semanas e ao fato de não estar mais em aleitamento materno exclusivo na primeira consulta ambulatorial. Quando essas duas variáveis se associaram, potencializou-se sua interferência negativa na duração mediana do aleitamento materno.
Descritores: Aleitamento Materno
Saúde do Lactente
Recém-Nascido Prematuro
Limites: Seres Humanos
Recém-Nascido
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde