Base de dados : LILACS
Pesquisa : N02.278.065.900.205 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 55 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 55 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Vialle, Luiz Roberto Gomes
Texto completo
Id: biblio-1092667
Autor: Vialle, Luiz Roberto Gomes; Vialle, Emiliano Neves; Nanni, Felipe de Negreiros.
Título: A Technique for the Reconstruction of the Limbs of Osteomuscular Tissue Donors / Técnica para reconstrução de membros de doadores de tecidos osteomusculares
Fonte: Rev. bras. ortop;55(1):112-114, Jan.-Feb. 2020. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract The donation of bone and tendon tissues is an important source of biological material used in several surgical techniques. The removal of such tissues generates an important aesthetic sequel in the donor that requires limb reconstruction before returning the corpse to the relatives. The technique used by the Banco de Ossos do Paraná (Bone Bank from Paraná), Brazil, employs metal rebar, silicone tubes and nylon clamps to rebuild the limbs, it is easy to perform and has satisfactory aesthetic results.

Resumo A doação de tecidos ósseos e tendíneos é uma importante fonte de material biológico empregado em diversas técnicas cirúrgicas. A remoção destes tecidos gera uma importante sequela estética no doador, sendo necessária a reconstrução dos membros antes da devolução do corpo aos familiares. A técnica utilizada pelo Banco de Ossos do Paraná faz uso de vergalhões metálicos, tubos de silicone e abraçadeiras de náilon para reconstruir os membros, uma técnica de fácil execução e com resultado estético satisfatório.
Descritores: Materiais Biocompatíveis
Osso e Ossos
Obtenção de Tecidos e Órgãos
Cadáver
Transplante Ósseo
Bancos de Ossos
Técnicas
Limites: Humanos
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  2 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Costa Rica
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1038146
Autor: Chaves-Solano, Nefertiti.
Título: Living donor bone bank: Costa Rican experience / Banco de huesos a partir de donantes vivos: experiencia costarricense
Fonte: Acta méd. costarric;61(2):77-80, abr.-jun. 2019. tab.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Objetivo: El uso de injertos óseos es una práctica común en cirugías ortopédicas. Sin embargo, el problema diario en traumatología es el acceso limitado a injertos óseos adecuados. Estos injertos permiten proporcionar estabilidad mecánica en el área del defecto óseo, así como reparar y regenerarvlos defectos a través de sus propiedades osteoinductivas, osteogénicas y osteoconductivas. El objetivo principal de este trabajo fue proporcionar información a la población sobre las experiencias y la importancia de establecer un Banco de Huesos en Costa Rica. Metodología: Se recopiló toda la información relevante para proporcionar un breve resumen del establecimiento de un banco de huesos en Costa Rica. En primer lugar, se tomó en cuenta consideraciones legales, seguido por la definición de los criterios de exclusión de donantes de acuerdo a los estándares internacionales. Los potenciales donantes se definieron como los pacientes sometidos a reemplazo de cadera y de rodilla. Con el fin de elegir los donantes adecuados, a todos los 78 Acta méd costarric Vol 61 (2), abril-junio 2019 potenciales donantes se les realizaron pruebas de sangre para detectar enfermedades transmisibles. Los tejidos óseos se obtuvieron en sala de operaciones para, posteriormente, ser procesados bajo condiciones estrictas estandarizadas. Una vez que se procesaron los tejidos, los aloinjertos se almacenaron a -80 °C hasta que se llevó a cabo el procedimiento de trasplante. Resultados: entre los años 2016 y 2019, el Banco de Huesos tuvo un total de 69 donantes y 258 receptores de aloinjertos óseos, todos ellos pacientes del Hospital Trauma. Conclusión: El establecimiento del banco de huesos en Costa Rica ha sido un gran desafío para el Instituto Nacional de Seguros (INS). El objetivo es hacer que el mismo esté disponible para la comunidad médica en general, a fin de fortalecer la red de donación y trasplantes de tejidos en Costa Rica.

Abstract Aim: The use of bone grafts is a common practice in orthopedic surgeries. However, the daily problema in traumatology is the limited access to adequate bone grafts. These grafts provide mechanical stability in the affected area of the bone, as well as repair and regeneration of weaknesses through osteoinductive, osteogenic and osteoconductive properties. The main objective of this report is to provide information about the experiences and the importance of establishing a Bone Bank in Costa Rica. Method: All relevant information was gathered to provide a brief overview of the establishment of a Bone Bank in Costa Rica. First, legal issues were taken into consideration; followed by the definition of the donor exclusion criteria according to international standards. Potential donors were defined as all patients undergoing hip or knee replacement surgeries. In order to select the right donors, blood samples from all potential donors were tested for transmittable diseases. Bone tissues were obtained in the operating room to be processed later, under strict standardized conditions. Once the tissues were processed, allografts were stored at -80°C until the transplantat procedures were carried out. Results: Between 2016 and 2019, the bone bank had a total of 69 donors and 258 bone allograft recipients, all of them were patients at the Trauma Hospital. Conclusion: The establishment of the bone bank in Costa Rica has been a challenge for the National Insurance Institute (INS). The goal is to make the Bone Bank available to the medical community in general, in order to strengthen the tissue donation and transplant network in Costa Rica.
Descritores: Transplante Ósseo
Bancos de Ossos/organização & administração
Costa Rica
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Relatório Técnico
Responsável: CR1.1 - BINASSS - Biblioteca Nacional de Salud y Seguridad Social


  3 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Costa Rica
Texto completo
Texto completo
Id: lil-637484
Autor: Rodríguez Palomo, David; Ramírez Zamora, Juliana.
Título: Técnica de conservación de huesos en peróxido de hidrógeno / Técnica de conservación de huesos en peróxido de hidrógeno
Fonte: Med. leg. Costa Rica;26(2):117-123, sep. 2009. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Se presenta la Osteotecnia en peróxido de hidrógeno y ácido acético como una herramienta para la conservacón de material óseo para fines docentes en colegios y universidades o de exhibición en museos o instituciones afines. Esta técnica de conservación de material óseo permite además rescatar piezas y estructuras óseas de difícil adquisición. Es un método rápido y muy baja toxicidad, fácil de aplicar y de un costo relativamente bajo en comparación con otros descritos en la literatura.

An Osteotechnique is presented on hidrogen peroxide and acetic acid as a tool for the conservation of bone material with teaching purposes on high schools and colleges, museum exhibitions or similar institutions. This bone preservation technique allowds to rescue pieces and bone structures that are difficult to adquire. It`s a simple and low toxicity method, easy to apply and with relatively low cost compared to other techniques described on the literature.
Descritores: Preservação de Tecido/estatística & dados numéricos
Osso e Ossos/patologia
Bancos de Ossos
Ácido Acético
Peróxido de Hidrogênio
Responsável: CR1.1 - BINASSS - Biblioteca Nacional de Salud y Seguridad Social


  4 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-870880
Autor: Fonseca, Anna Carolina de Oliveira.
Título: Obliteração de cavidades mastoideas com aloenxerto ósseo particulado congelado em cirurgias revisionais de otite média crônica colesteatomatosa / Mastoid cavity obliteration with particulated frozen allograft bone in revisional surgery for chronic otitis media with cholesteatoma.
Fonte: São Paulo; s.n; 2016. [115] p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Avaliar o controle da supuração de cavidades mastoideas após cirurgia revisional e obliteração de mastoide com aloenxerto ósseo particulado congelado (AOPC). Desenho do estudo: Exploratório, prospectivo, tipo série de casos. Pacientes: Dez adultos selecionados entre pacientes já submetidos à cirurgia de mastoidectomia cavidade aberta ou fechada para tratamento de otite média crônica colesteatomatosa e que tinham indicação de cirurgia revisional. Intervenção: Revisão de mastoidectomia e obliteração da cavidade com AOPC, material de preenchimento de baixo custo obtido de um banco de tecidos. Desfecho(s): Desfecho primário: controle da supuração. Desfechos secundários incluem: integração do AOPC na cavidade mastoidea, presença de colesteatoma residual ou recorrente, resultados audiológicos, complicações pós-operatórias, tais como infecção e extrusão do enxerto, e qualidade de vida após o procedimento medida com a escala de resultados de Glasgow (ERG). Resultados: O tempo médio de seguimento foi de 28 meses. Sete pacientes apresentaram o ouvido seco, em média, 8 semanas após a cirurgia. Três pacientes desenvolveram exposição do enxerto ósseo seguido de infecção e extrusão do material de preenchimento. A densidade média do enxerto ósseo no local da obliteração foi de 755.35 unidades Hounsfield medida na tomografia realizada após um tempo médio pós-operatório de 31 meses. A porcentagem do volume mastoideo obliterado foi de 75 a 100% em 6 casos e de 50 a 75% em 1 caso. Nos 7 pacientes, houve um aumento na densidade óssea durante o período de seguimento. Um paciente apresentou colesteatoma epitimpânico recorrente (0,5cm) identificado na ressonância magnética 1 ano após a cirurgia, embora este não estivesse na área de obliteração. A audição foi preservada em 80% dos pacientes 12 meses após o procedimento. A qualidade de vida melhorou em todos os pacientes, com média do escore ERG de 52, em escala que varia de -100 a +100...

Assess the control of suppuration after revision surgery with mastoid obliteration for chronic otitis media (COM) with cholesteatoma using particulated frozen allograft bone (PFAB). Study Design: Exploratory, prospective, case series. Patients: Ten adults were selected from among patients who had undergone canal wall down or canal wall up mastoidectomy for COM with cholesteatoma, and had an indication for revision surgery. Intervention(s): Revision mastoidectomy with obliteration of the open cavity was performed with PFAB, a low-cost filler material obtained from a tissue bank. Main Outcome Measure(s): The main outcome measure was the control of suppuration. Secondary outcome measures included PFAB integration in the mastoid cavity, presence of recurrent or residual cholesteatoma, hearing outcomes, postoperative complications as infection and bone graft extrusion and quality of life after the procedure using the Glasgow benefit inventory (GBI) survey. Results: Mean follow-up was 28 months. Seven patients achieved a dry ear at a mean of 8 weeks postoperatively. Three patients developed bone graft exposure followed by infection and extrusion of the filler material. Mean bone density was 755.35 Hounsfield units at the obliteration site measured at computed tomography performed after a mean of 31 months postoperatively. Percentage of mastoid volume obliterated was between 75% and 100% in 6 cases and between 50% and 75% in 1 case. In all 7 patients, there was an increase in bone density postoperatively. One patient presented with recurrent epitympanic cholesteatoma (0.5 cm) at 1 year postoperatively, but it was not in the obliteration area. At 12 months postoperatively, 80% of patients had preserved hearing. All patients had an improvement of quality of life after mastoid obliteration, the average score on the GBI was 52 in a scale from -100 to +100. Conclusions: This study demonstrated that PFAB may be used to achieve a dry mastoid cavity with...
Descritores: Aloenxertos
Bancos de Ossos
Transplante Ósseo
Colesteatoma
Processo Mastoide
Otite Média Supurativa
Processo Mastoide/cirurgia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação


  5 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-867807
Autor: Coletti, Felipe Leite.
Título: Avaliação de enxerto ósseo homólogos corticais em humanos: análise tomográfica, histológica e histomorfométrica / Homologous bone grafts assessment in human cortical: tomographic analysis, histological and histomorphometric.
Fonte: Araraquara; s.n; 2013. 85 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Odontologia de Araraquara para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O uso de enxertos ósseos provenientes de bancos de tecidos, também conhecidos como enxertos homólogos, tem aumentado nos últimos anos. Seu uso é indicado na ausência de osso autólogo para captação, ou em casos aonde o paciente apresenta resistência frente à necessidade de manipulação de um segundo leito cirúrgico para captação do biomaterial autólogo. Existem poucos estudos a respeito do comportamento biológico destes enxertos, em especial comparando blocos corticais e cortico medulares, e qual a sua eficiência quando comparado aos enxertos autólogos. O objetivo desta pesquisa foi avaliar, em humanos, a incorporação dos enxertos ósseos homólogos cortical (AL C) e cortico medular (AL CM) comparativamente ao autólogo (AT), com análises tomográfica, histológica e histomorfométrica. Para tal foram avaliados 45 pacientes, sendo que 15 foram submetidos a enxertos ósseos AT, 15 a enxertos ósseos AL CM e 15 com enxerto AL C. Tomografias foram obtidas em três períodos distintos para todos os grupos(AT, AL CM e AL C), antes da cirurgia de enxerto, imediatamente após e oito meses (período final) depois da realização dos enxertos. Após o período final para cada grupo foram removidas biópsia dos enxertos. Análise histomorfométrica dos cortes descalcificados foram realizadas para avaliar a quantidade de osso vital e não vital. Os resultados da análise tomográfica demonstraram maior perda de volume ósseo no grupo AL CM. A análise histomorfométrica mostrou que o grupo AT apresentou maior quantidade de osso vital (27,6%), seguido pelo AL CM (20,3%) e pelo AL C (12,4%). As diferenças foram estatisticamente significantes. Desta forma, pode-se concluir que o osso homólogo cortical apresentou um grande atraso na remodelação óssea.
Descritores: Materiais Biocompatíveis
Bancos de Ossos
Regeneração Óssea
Implantes Dentários
Responsável: BR39.2 - Biblioteca Professora Maria Dilma de Oliveira Gonçalves
BR39.2, C698a. 2163


  6 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-847810
Autor: Mello, Bruno Freitas; Prato, Luciano Melo; Fuller, Renato; Coura, Gustavo dos Santos; Borges Jr, Ivan; Fedeli Jr, Alberto; Jayme, Sergio J; Shibli, Jamil Awad.
Título: Reabsorção de enxerto homógeno em reconstrução de maxila após 12 anos de acompanhamento ­ análise clínica, histológica e tomográfica / Resorption of allogeneic bone graft after 12 years of maxillary reconstruction ­ a clinical, histological, and tomographic follow-up analysis
Fonte: ImplantNewsPerio;1(6):1100-1108, ago.-set. 2016. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Os enxertos ósseos homógenos provenientes de bancos de ossos podem ser utilizados para o tratamento de atrofias maxilofaciais em Odontologia. A disponibilidade e a menor morbidade ao paciente, assim como as altas taxas de sucesso observadas em um curto espaço de tempo, foram importantes fatores para a popularização da técnica, entretanto, existem poucos relatos na literatura com acompanhamentos longitudinais. Neste relato clínico, foi avaliada, por um período de 12 anos de carga funcional, uma restauração implantossuportada fixa sobre implantes inseridos em área regenerada com enxerto de banco homógeno, utilizando avaliação clínica e tomográfica. Ainda, é apresentado um breve relato histológico do tecido ósseo removido previamente à inserção dos implantes, sugerindo adaptação do material homógeno junto ao leito receptor. Após 12 anos de acompanhamento clínico, evidenciou-se, mesmo com o sucesso da restauração implantossuportada, a reabsorção total do enxerto homógeno, sugerindo que o mesmo não foi incorporado pelo tecido do hospedeiro. Nas limitações deste relato de caso, sugere-se que áreas enxertadas com osso homógeno devem ser reavaliadas com precaução devido ao grande potencial de reabsorção que podem apresentar, podendo assim comprometer a longevidade da restauração implantossuportada.

The allogeneic bone tissue bank can be used to treat maxillofacial atrophic sites. Its availability and less morbidity, as well as the higher success rates in a short-term period were important to popularize this technique; however, there are few literature reports with long-term results. In this case report, after 12 years of functional loading, a fixed implant-supported restoration was examined over a bone site regenerated with this graft type upon clinical and tomographic analyses. Also, a brief histological report from the removed tissue was presented before dental implant placement, suggesting the close ada ptation of the grafting material to the recipient site. After 12 years of clinical follow-up, even in the case of a successful implant-supported restoration, total graft resorption was demonstrated suggesting deficient incorporation to the recipient host site. Within the limitations of this case, it can be said that grafted areas with allogeneic bone must be evaluated with caution since there is a great chance of resorption, which can compromise the longevity of fixed restorations.
Descritores: Bancos de Ossos
Reabsorção Óssea
Transplante Ósseo
Implantes Dentários
Tomografia Computadorizada por Raios X
Transplante Homólogo
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR510.1 - Biblioteca Central


  7 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-796650
Autor: Sallé, Marcos Ribeiro; Vieira, Rogeria Acedo; Fonseca, Alexandre Vieira.
Título: Utilização de osso homólogo em reconstrução parcial de maxila: relato de caso clínico / Use of homologous bone in partial reconstruction of the maxilla: a case report
Fonte: Dent. press implantol;9(3):90-99, July-Sept.2015. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho tem como objetivo descrever um caso clínico de utilização de enxertos ósseos homólogos na Odontologia, para reconstrução parcial de uma maxila. A diminuição da morbidade dos enxertos, quando comparados com a necessidade de um segundo sítio cirúrgico intrabucal ou extrabucal para utilização de osso autógeno, levou à escolha dessa alternativa para reconstrução óssea do paciente e se mostrou capaz de receber implantes e reabilitação protética com segurança. Métodos: foi utilizada uma porção de osso homólogo (crista ilíaca) oriundo do banco de ossos da Universidade Federal do Paraná. Parte do enxerto foi triturada e utilizada para preencher o seio maxilar, e parte foi colocada em aposição na região anterior. Resultados: a realização, após oito meses, de um exame tomográfico da região enxertada mostrou disponibilidade óssea suficiente para receber oito implantes com carga imediata. Conclusão: o resultado do enxerto com osso homólogo conseguido no caso clínico permitiu que fossem colocados oito implantes nas áreas que receberam enxertos e mostrou-se capaz de receber forças mastigatórias, estáveis e assintomáticos, com carga imediata e durante 15 meses de acompanhamento...

This study aims to report the completion of a clinical case using homologous bone graft for partial reconstruction of a maxilla. The grafts decreased morbidity, when compared to the need for a second intra- or extra oral surgical site to use autogenous bone, made us choose this alternative bone reconstruction procedure. The patient proved to have received implants and prosthetic rehabilitation safely. Methods: A portion of homologous bone (iliac crest) derived from the bone bank of Universidade Federal do Paraná (UFPR) was used. Part of the graft was ground and used to fill the maxillary sinus; additionally, it was placed in opposition to the anterior region. Results: A CT scan of the grafted area was obtained eight months after surgery and showed enough bone availability to receive eight immediately loaded implants. Conclusion: The results of homologous bone graft achieved in the clinical case reported herein allowed eight implants to be placed in areas that received grafts and proved capable of receiving masticatory forces, stable and asymptomatic, with immediate loading and during 15 months of follow-up...
Descritores: Arcada Edêntula/reabilitação
Transplante Ósseo
Retenção de Dentadura
Procedimentos Cirúrgicos Pré-Protéticos Bucais
-Bancos de Ossos
Transplante Homólogo
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)


  8 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Vasconcellos, Walison Arthuso
Id: lil-790314
Autor: Vasconcellos, Walison Arthuso.
Título: Enxerto alógeno em odontologia / Allogenic graft in dentistry.
Fonte: Belo Horizonte; s.n; 2015. 51 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Especialista.
Resumo: A reabilitação protética de pacientes com perda óssea nos maxilares é uma situação comum na clínica odontológica. Tais perdas podem estar presentes tanto na região anterior quanto na posterior, implicando na necessidade de reconstruções ósseas de tamanhos variados. Vários procedimentos clínicos são indicados para estas reconstruções, sendo os mais comuns o levantamento sinusal na região posterior da maxila e o enxerto em bloco na região anterior da maxila e na mandíbula. Vários materiais são utilizados para este fim, dentre os quais podemos citar o osso autógeno, osso alógeno, osso xenógeno (osso bovino), biomterias sintéticos (biovidros e hidroxipatitas) e as proteínas ósseas morfogenéticas. O osso autogeno é considerado o padrão ouro, visto suas propriedades osteogênicas, osteoindutoras e não antigênicas; porém tem como inconveniente a necessidade de um segundo sítio cirúrgico com grande morbidade para o paciente. O osso alógeno, proveniente de banco de ossos, representa uma alternativa aos enxertos autógenos, mostrando-se um material bastante útil para regenerar o tecido ósseo ausente...
Descritores: Aloenxertos
Aumento do Rebordo Alveolar
Transplante Ósseo
Reconstrução Mandibular
-Perda do Osso Alveolar
Regeneração Óssea
Bancos de Ossos
Responsável: BR365.1 - BIB - Biblioteca
BR365.1; D74, V331e, 2015. MP


  9 / 55 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-722691
Autor: Roos, Bruno Dutra; Roos, Milton Valdomiro; Camisa Júnior, Antero; Lima, Ezequiel Moreno Ungaretti; Pereira, Rafael Noshang; Zangirolami, Maurício Luciano; Albuquerque, Gisela Machado de.
Título: Prevalence of microbiological markers in bone tissue from live and cadaver donors in the musculoskeletal tissue bank of Passo Fundo / Prevalência de marcadores microbiológicos em tecido ósseo de doadores e cadáveres do Banco de Tecidos Musculoesqueléticos de Passo Fundo
Fonte: Rev. bras. ortop;49(4):386-390, Jul-Aug/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Objective: To conduct an epidemiological analysis on the main microbiological markers in bone tissue that was processed at the musculoskeletal tissue bank of Hospital São Vicente de Paulo, in Passo Fundo, between August 2007 and October 2011. Methods: Between August 2007 and October 2011, 202 musculoskeletal tissue samples were collected for the tissue bank. Among these, 159 samples were from living donor patients and 43 were from cadaver donors. The following serological tests were requested: hepatitis B, hepatitis C, syphilis, cytomegalovirus, Chagas disease, toxoplasmosis, HIV and HTLV. Results: Among the 159 living donors, 103 (64.75%) were men and 56 (35.25%) were women. The patients' mean age was 59.35 ± 8.87 years. Out of this total, 76 tissue samples (47.8%) from donors were rejected. There was no difference in the number of rejections in relation to sex (p = 0.135) or age (p = 0.523). The main cause of rejection was serologically positive findings for the hepatitis B virus, which was responsible for 48 rejections (63.15%). Among the 43 cadaver donors, the mean age was 37.84 ± 10.32 years. Of these, 27 (62.8%) were men and 16 (37.2%) were women. Six of the samples collected from cadaver donors were rejected (13.9%), and the main cause of rejection was serologically positive findings for the hepatitis C virus, which was responsible for three cases (50%). There was no significant difference in the number of rejections in relation to sex (p = 0.21) or age (p = 0.252). Conclusion: There were a greater number of rejections of tissues from living donors (47.8%) than from cadaver donors (13.9%). Among the living donors, the main cause of rejection was the presence of serologically positive findings of the hepatitis B virus, while among the cadaver donors, it was due to the hepatitis C virus...

Objetivo: Fazer uma análise epidemiológica dos principais marcadores microbiólogicos dos tecidos ósseos processados de agosto de 2007 a outubro de 2011 no Banco de Tecidos Musculoesqueléticos do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo. Métodos: Foram feitas 202 captações de tecidos musculoesqueléticos para o Banco de Tecidos. Desse total, 159 foram de doadores e 43 de cadáveres. Foram solicitados testes sorológicos para hepatite B, hepatite C, sífilis, citomegalovírus, doença de Chagas, toxoplasmose, HIV e HTLV. Resultados: Dos 159 doadores, 103 (64,75%) eram do sexo masculino e 56 (35,25%) do feminino. A idade média foi de 59,35 ± 8,87 anos. Foram descartados 76 (47,8%) tecidos de doadores. Não houve diferença significativa no número de descartes em relação a sexo (p = 0,135) ou idade (p = 523). A principal causa de descarte foi a sorologia positiva para o vírus da hepatite B, responsável por 48 (63,15%) descartes. Já entre os 43 cadáveres, a média de idade foi de 37,84 ± 10,32 anos. Desses, 27 (62,8%) eram do sexo masculino e 16 (37,2%) do feminino. Foram descartados seis (13,9%) cadáveres. A principal causa de descarte foi a sorologia positiva para o vírus da hepatite C, responsável por três (50%) casos. Não houve diferença significativa no número de descartes em relação a sexo (p = 0,21) ou idade (p = 252). Conclusão: Houve um número maior de descarte de tecidos de doadores (47,8%) em comparação com os cadáveres (13,9%). Nos doadores, a principal causa de descarte foi a presença de sorologia positiva para o vírus da hepatite B; nos cadáveres, para o vírus da hepatite C...
Descritores: Infecções Bacterianas
Bancos de Ossos
Transplante Homólogo/efeitos adversos
Viroses
Limites: Humanos
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  10 / 55 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-688181
Autor: Cyrino, Renata Magalhães; Lages, Eugênio José Pereira; Lages, Elizabeth Maria Bastos; Costa, Fernando de Oliveira.
Título: Revisão comparativa de terapias com enxertos autógenos e alógenos com osso fresco congelado / Comporative analysis of therapies with autogenous grafts and allogenous grafts with frozen fresh human bone
Fonte: Perionews;3(2):107-111, abr.-jun. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: Na Odontologia, os enxertos autógenos envolvem técnicas cirúrgicas que podem apresentar grande previsibilidade. Já consagrados pela literatura, são considerados o padrão ouro. Têm o objetivo de reparar a anatomia local, possibilitando a reabilitação bucal com implantes e, assim, reconstituir a estética e a função. Porém, a necessidade de uma área doadora os torna mais complexos e com maior risco de morbidade. Para os enxertos alógenos (homoenxertos ou enxertos com osso fresco congelado), o tecido doado advém de um banco de ossos que é responsável pela captação, processamento, análise, conservação e distribuição dos tecidos. Os bancos de tecidos são regulamentados pelo Ministério da Saúde e seguem orientações da American Association Tissue Bank (AATB). A normalização dos bancos de ossos é fundamental, pois toda a fase de processamento, desde a captação até a distribuição, determina sua segurança para uso: o congelamento reduz o potencial antigênico; a seleção do material, testes sorológicos e análise do doador determinam um tecido saudável livre de microorganismos. Assim, os homoenxertos, por apresentarem uma menor complexidade cirúrgica, menor risco de morbidade e por estarem apresentando resultados promissores para cirurgias pré-implantológicas, merecem mais pesquisas para que sua previsibilidade e segurança sejam também consagradas.
Descritores: Bancos de Ossos
Transplante Autólogo
Transplante Homólogo
Responsável: BR510.1 - Biblioteca Central



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde