Base de dados : LILACS
Pesquisa : N03.219.521.346.506.564 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 794 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 80 ir para página                         

  1 / 794 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1001657
Autor: Fontenelle, Leonardo Ferreira; Sarti, Thiago Dias; Camargo, Maria Beatriz Junqueira de; Maciel, Ethel Leonor Noia; Barros, Aluísio J D.
Título: Utilization of the Brazilian public health system by privately insured individuals: a literature review / Utilização do sistema público de saúde brasileiro por usuários com planos de saúde privados: uma revisão da literatura / La utilización del sistema público de salud brasileño por la población asegurada por el sistema privado: una revisión de la literatura
Fonte: Cad. Saúde Pública (Online);35(4):e00004118, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract: More than one in four Brazilians have private health insurance (PHI), even thought it covers mostly the same procedures as the Brazilian Unified National Health System (SUS). This literature review included articles and monographs published since 1990 about the utilization of SUS by privately insured individuals. Considering outpatient care and hospitalization, privately insured people in Brazil use SUS in approximately 13% of the times they receive health care, and approximately 7% of people receiving care paid by SUS are privately insured; these findings vary depending on the type of service studied and on study methods. Utilization of SUS is more frequent in less developed regions, by people with more restricted PHI plans and by people with worse health status. Privately insured people report the limitations of PHI plans as their reasons for resorting to SUS. Sometimes, beneficiaries of PHI plans owned by nonprofit hospitals (which also provide health care financed by SUS) have easier access to care than uninsured people financed by SUS. Anecdotally, privately insured people are satisfied with SUS, but not to the point of adopting SUS as their preferred source of care. In short, for privately insured people, SUS only plays a secondary role in their health care. Despite PHI taking over part of the SUS's health care demand, PHI represents a restriction of the universal, equitable character of the SUS.

Resumo: Mais de um em cada quatro brasileiros têm planos de saúde, apesar de estes planos cobrirem majoritariamente os mesmos procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS). Esta revisão da literatura incluiu artigos e monografias publicados desde 1990 sobre a utilização do SUS por indivíduos com plano de saúde. Ao considerar conjuntamente a assistência ambulatorial e hospitalar, os brasileiros com planos de saúde utilizam o SUS em aproximadamente 13% das vezes em que recebem cuidados; aproximadamente 7% das pessoas que recebem cuidados pagos pelo SUS dispõem de planos de saúde (os achados variam de acordo com o tipo de serviço analisado e com os detalhes metodológicos dos estudos). O aumento da utilização do SUS está associado a: regiões menos desenvolvidas do país, planos de saúde com pior cobertura e pessoas com pior saúde. Os brasileiros com plano de saúde citam as limitações dos planos como o motivo pelo qual recorrem ao SUS. Em alguns casos os beneficiários de planos de saúde comercializados por hospitais filantrópicos (os quais também prestam assistência financiada pelo SUS) relatam acesso mais fácil à assistência financiada pelo SUS, comparado com aqueles sem plano de saúde. Pessoas com plano de saúde eventualmente citam a satisfação com a utilização do SUS, mas não a ponto do SUS se tornar a fonte de assistência preferida. Em resumo, para os brasileiros com plano de saúde, o SUS desempenha papel secundário no financiamento dos cuidados de saúde. Embora os planos de saúde pareçam deslocar parte da demanda por assistência para fora do SUS, esses mesmos planos tendem a restringir o caráter universal e equitativo do SUS.

Resumen: Más de uno de cada cuatro brasileños tiene un seguro de salud privado (PHI), a pesar de que estos últimos cubren en su mayoría los mismos procedimientos que en el Sistema Unificado de Salud (SUS). Esta revisión de la literatura incluyó artículos y monografías publicadas desde 1990 sobre la utilización del SUS por parte de personas aseguradas mediante el sistema privado. Considerando atención ambulatoria junto a hospitalización, la población con seguro médico privado en Brasil utiliza el SUS aproximadamente un 13% de las veces que reciben atención médica; además, aproximadamente un 7% de la gente que recibe atención médica pagada a través del SUS tiene seguro privado. Los resultados varían con el tipo de servicio estudiado y con los detalles de los métodos de estudio. La frecuencia de utilización del SUS es mayor en las regiones menos desarrolladas, por parte de la población con planes de seguros de salud más limitados, y personas con peor salud. Las personas con seguros privados identifican las limitaciones de sus planes PHI como la razón por la que usan el SUS. Algunas veces, los beneficiarios de los planes PHI de hospitales sin fines de lucro (que también proveen servicios de salud financiados por el SUS) cuentan con un acceso más sencillo a los cuidados de salud sufragados por el SUS que las personas sin seguro. Anecdóticamente, la población con seguro de salud privado está satisfecha con la utilización que hacen del SUS, pero no hasta el extremo de que el SUS se trasforme en su principal vía para recibir servicios médicos. En resumen, para la población con seguro privado, el SUS juega un papel secundario en la financiación de la asistencia a sus cuidados de salud. Pese a que el PHI parece desviar del SUS parte de la demanda de cuidados de salud, el PHI representa una restricción del carácter universal y equitativo del SUS.
Descritores: Acesso aos Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
Seguro Saúde/estatística & dados numéricos
Programas Nacionais de Saúde/estatística & dados numéricos
-Brasil
Saúde Pública
Pessoas sem Cobertura de Seguro de Saúde/estatística & dados numéricos
Cobertura do Seguro/estatística & dados numéricos
Seguro Saúde/tendências
Assistência Médica/tendências
Assistência Médica/estatística & dados numéricos
Programas Nacionais de Saúde/tendências
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1079093
Autor: Escuder, Maria Mercedes Loureiro.
Título: Morbidade ambulatorial como expressão das necessidades de saúde da população / Outpatient services to reflect the health needs of the population.
Fonte: São Paulo; s.n; 1998. 79 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Departamento de Prática de Saúde Pública para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: O perfil de morbidade pode ser considerado um parâmetro básico para monitoramento das necessidades de saúde da população. A informação de morbidade pode ser obtida de diversas fontes e todas elas se mostram de alguma forma, incompletas ou parciais...
Descritores: Assistência Médica/economia
Assistência Médica/ética
Assistência Médica/normas
Assistência Médica/organização & administração
Atenção à Saúde
Morbidade
-Política de Saúde
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Responsável: BR1764.1 - Núcleo de Informação e Documentação
BR1764.1; T, Da, E73m


  3 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1074719
Autor: São Paulo(Estado) Secretaria da Saúde.
Título: Medida do nível de saúde da população e assistência médica: 2ª parte / measured level of population health and health care.
Fonte: São Paulo; s.n; s.d. 44 p. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A ação médica sobre um indivíduo, visando interferir em sua saúde, implica em algumas fases ou ações que podem ser resumidas no estabelecimento do diagnóstico, tratamento, prognóstico e avaliação do caso. O diagnóstico visa definir o desvio biológico apresentado pelo indivíduo e é feito utilizando-se o quadro-clínico e os dados dos exames complentares quando solicitados. Estabelecido esse diagnóstico é então prescrito o tratamento. A seguir é feito o prognóstico, ou seja, é estimado o resultado mais provável do caso - tempo de doença, probabilidade e grau de recuperação, etc., - em função da gravidade da doença diagnosticada, das condições gerais apresentadas pelo indivíduo, do meio em que vive e do nível e eficácia dos recursos terapêuticos exigidos e dos recursos disponíveis. A avaliação se faz (periodicamente), comparando os dados anteriores com os apresentados no momento da avaliação, visando a analisar a evolução do caso, a reação apresentada à terapêutica indicada, necessidade de mudanças na orientação dada, etc. Transportando esse exemplo para uma ação em escala populacional, ou seja, para uma ação que vise a interferir no nível de saúde de uma comunidade, vemos que esse esquema de conduta também se faz presente. Assim, ha necessidade de ser estabelecido um diagnóstico de saúde da comunidade, ou seja, a sua caracterização e a determinação da intensidade e do modo de ocorrência...
Descritores: Anuários Estatísticos
Análise Estatística
Assistência Médica
Estatística como Assunto
Estrutura dos Serviços
Morte Fetal
Nascimento Vivo
Nível de Saúde
Regionalização
Sistemas de Saúde
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação
BR91.2; 169/Cx.E4


  4 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Almeida, Célia Maria de
Texto completo
Id: biblio-992138
Autor: Almeida, Celia Maria de.
Título: O mercado privado de serviços de saúde no Brasil: panorama atual e tendências da assistência médica suplementar / Texto para Discussão (TD) 599: O mercado privado de serviços de saúde no Brasil: panorama atual e tendências da assistência médica suplementar.
Fonte: Brasília; IPEA; 1998. 81 p. (Texto para Discussão / IPEA).
Idioma: pt.
Resumo: Aborda o crescimento expressivo da assistência médica suplementar no mercado privado de saúde no Brasil. Traça um panorama da situação atual e delineia tendências baseadas em estimativas quantitativas e inferências qualitativas. Descreve as modalidades existentes no Brasil e analisa a dinâmica da expansão desse mercado. Avalia as vinculações entre o SUS e a assistência médica suplementar. Discute os pressupostos teóricos da regulação pública dos seguros privados em vista às especificações do mercado de assitência médica no Brasil comparando-a com as experiências de outros países. Analisa as tendências internacionais com ênfase nos EUA e suas inovações - "managed care e managed competition" - alertando para o fluxo dessa dinâmica no contexto nacional.
Descritores: Assistência Médica
Cuidados Médicos
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Regulamentação Governamental
Saúde Suplementar
Serviços de Saúde
Sistema Único de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; 330.908, I59 TDI599


  5 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-516281
Autor: Instituto de Previsión Social Hospital Central.
Título: Prevención y control de las infecciones respiratorias bajas asociadas a asistencia resporatoria mecanica en niños / Prevention and control of the respiratory infections low associates to mechanical attendance resporatoria in children.
Fonte: Asunción; Instituto de Previsión Social; 2008. 63 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Presenta medidas de prevención de infecciones de vías respiratorias.
Descritores: Infecções Respiratórias
Infecções
Criança
Promoção da Saúde
-Assistência Médica
Paraguai
Responsável: PY2.1 - Centro de Documentación
Py2.1; 370, 1810


  6 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-516274
Autor: Báez Maldonado, Eugenio(edt).
Título: VIH/SIDA: diagnósico, tratamiento y prevención de la infección por el VIH y sus complicaciones / AIDS: diagnos, treatment and prevention of the infection by AIDS and its complications.
Fonte: Asunción; Instituto de Previsión Social; 2005. 204 p. tab.
Idioma: es.
Resumo: Propone brindar de manera seria, clara y precisa a los médicos, en especial a aquellos que no tienen un amplio acceso a la información oportuna, para que desde sus lugares de trabajo, entiendan la enfermedad, puedan realizar el diagnóstico, tengan las bases para usar los recursos de labpratorio y estén capacitados para ofrecer la asesoría necesária a las personas infectadas por el VIH/SIDA y sus familiares.
Descritores: HIV
Doença
Promoção da Saúde
Serviços Preventivos de Saúde
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
-Assistência Médica
Serviço Social
Paraguai
Responsável: PY2.1 - Centro de Documentación
Py2.1; 616, 1803


  7 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1038418
Autor: Piccoli, Giorgina B; Alrukhaimi, Mona; Liu, Zhi-Hong; Zakharova, Elena; Levin, Adeera.
Título: Enfermedad renal en la mujer: reflexiones en el Día Mundial del Riñón 2018 / Women and kidney diseases: reflection on World Kidney Day and International Woman's Day
Fonte: Arch. argent. pediatr;116(2):273-278, abr. 2018. ilus, tab.
Idioma: en; es.
Resumo: La enfermedad renal crónica afecta al 10% de la población mundial adulta: está entre las primeras 20 causas de muerte. En 2018, el Día Mundial del Riñón y el Día Internacional de la Mujer coinciden para demostrar a la comunidad el impacto que tiene su salud renal, fomentar el conocimiento de la enfermedad y aplicarlos extensivamente. Las mujeres y las niñas representan, aproximadamente, el 50% de la población. Las diferencias de género persisten alrededor del mundo y afectan su acceso a la educación, los cuidados de salud y su inclusión en estudios clínicos. El embarazo es la oportunidad única para diagnosticar la enfermedad renal. Existen enfermedades autoinmunes y otras que afectan comúnmente a la mujer, con serias consecuencias para la madre y el feto. Las mujeres en diálisis tienen complicaciones diferentes a los hombres y son más donadoras que receptoras del trasplante renal. En esta ocasión, nos enfocamos en qué hacemos y qué no conocemos sobre la mujer, la salud y la enfermedad renal. Así, podremos aprender para mejorar sus condiciones en el mundo.

Chronic Kidney Disease affects approximately 10% of the world's adult population: it is within the top 20 causes of death worldwide, and its impact on patients and their families can be devastating. World Kidney Day and International Women's Day in 2018 coincide, thus offering an opportunity to reflect on the importance of women's health and specifically their kidney health, on the community, and the next generations, as well as to strive to be more curious about the unique aspects of kidney disease in women so that we may apply those learnings more broadly. Girls and women, who make up approximately 50% of the world's population, are important contributors to society and their families. Gender differences continue to exist around the world in access to education, medical care, and participation in clinical studies. Pregnancy is a unique state for women, offering an opportunity for diagnosis of kidney disease, but also a state where acute and chronic kidney diseases may manifest, and which may impact future generations with respect to kidney health. There are various autoimmune and other conditions that are more likely to impact women with profound consequences for child bearing, and on the fetus. Women have different complications on dialysis than men, and are more likely to be donors than recipients of kidney transplants. In this editorial, we focus on what we do and do not know about women, kidney health, and kidney disease, and what we might learn in the future to improve outcomes worldwide.
Descritores: Mulheres
FREE ASSOCIATIONABATTOIRS
Nefropatias
Assistência Médica
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Relatório Técnico
Responsável: AR94.1 - Centro de Información Pediatrica


  8 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-543906
Autor: Chehuen Neto, José Antonio; Rocha, Flávio Roberto Silva; Fernandes, Aline Halfeld; França, Luiza Meireles; Vale, Victor César de Souza; Magalhães, Gabriel Galvão Rafael.
Título: Percepção médica quanto aos protocolos clínicos / Physician perception of clinical protocols
Fonte: HU rev;35(3), jul.-set. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: Os protocolos clínicos são condutas e procedimentos desenvolvidos com suporte em evidências atualizadas e consistentes, que objetivam promover uma melhor prática da medicina. Esses protocolos vêm auxiliar o médico em decisões sobre a melhor e mais apropriada conduta em situações clínicas específicas, permitindo resolução mais rápida e eficiente das enfermidades, gerando melhor qualidade de vida aos pacientes. Neste sentido, os guidelines buscam aumento da precisão diagnóstica, qualidade da assistência médica, dos serviços de saúde e controle de custos. Em estudo, verificou-se a percepção médica em relação ao uso de protocolos, no tocante às vantagens e limitações da prática, principais beneficiados, influência nos custos e possível diferença entre os protocolos adotados nos sistemas de saúde. Aplicou-se questionário contendo nove perguntas, respondidas individualmente e voluntariamente por 80 médicos. Constatou-se que 98,75% dos médicos tem conhecimento do uso de protocolos; 95% concordam com seu uso, sendo que 83,75% dos médicos o fazem parcialmente. Os entrevistados reconheceram as limitações de sua aplicabilidade. Dentre eles, 38,75% consideram que o julgamento clínico é mais importante, e 72,5% avaliam que os protocolos trazem benefícios, sendo que 77,5% reconhecem a diminuição nos custos. Concluiu-se que, apesar de haver limitações na aplicabilidade deste recurso, o conhecimento e uso dos protocolos por parte dos médicos já são significativos, sendo, portanto, instrumentos de auxílio em um contexto, no qual a experiência clínica deve ser integrada à informação científica, de forma crítica e racional, objetivando melhorar a qualidade da assistência médica. Desta forma, os protocolos devem ser amplamente divulgados, constantemente atualizados e adequados à realidade de cada paciente.

Clinical protocols are evidence-based sets of procedures and approaches aiming to improve medical practice and inform clinical decision-taking. With a body of information about better and more appropriate approaches to specific clinical situations, clinical protocols allow for quicker and more efficient responses to disease to be made, while providing patients with better quality of life. Guidelines seek to increase diagnostic accuracy, medical care quality, health services quality and cost control. The study investigated the following items regarding medical protocols: advantages and limitations as seen by physicians; their main beneficiaries; economic impact; and possible differences among adopted protocols. A nine-question questionnaire was answered individually and voluntarily by 80 physicians. As a result it was observed that 98.75% were aware of protocol use; 95% agreed with the use of protocols, of whom 83.75% did it partially; those interviewed recognized the limitations of protocol applicability; 38.75% considered clinical judgment to be paramount; 72.5% believed the protocols to be beneficial; 77.5% recognized cost reduction with their use. In spite of limitations to their applicability, knowledge about and use of clinical protocols by physicians are already significant. Because clinical protocols are helpful tools to improve medical care, in a context in which clinical experience must be critically and rationally integrated with scientific information, they must be widely spread, constantly updated and adapted to each patient`s reality.
Descritores: Protocolos Clínicos
Protocolos
-Padrões de Prática Médica
Medicina Baseada em Evidências
Assistência Médica
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  9 / 794 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-41353
Autor: Campos, Juarez de Queiroz; Fernandes, Aloísio; Rozembojm, Jayme.
Título: Assitência médico-hospitalar no Brasil: resumo histórico, situaçäo atual e perspectivas / Medico-hospitalar assistance in Brazil: historical summary, current status and perspectives.
Fonte: s.l; Instituto de Estudos dos Problemas Contemporâneos da Comunidade; 1986. 162 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Descritores: Hospitais
Assistência Médica/tendências
-Brasil
Sistemas de Saúde
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/377.00; BR599.1; 10001005920, AG


  10 / 794 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-80559
Autor: Silveira Filho, Dartiu Xavier da.
Título: Centro de Prevençäo e Tratamento de Dependentes de Drogas - Departamento de Psiquiatria - Escola Paulista de Medicina / Center for the Prevention and Treatment of Drug Addicts - Department of Psychiatry - Paulista School of Medicine
Fonte: In: Escola Paulista de Medicina. Departamento de Psicobiologia. Centro de Pesquisa em Psicobiologia Clínica, coord. Encontro de centros brasileiros de tratamento de dependência de drogas. s.l, s.n, 1989. p.75-75.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Encontro de Centros Brasileiros de Tratamento de Dependência de Drogas, Säo Paulo, 11-12 nov. 1988.
Descritores: Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/terapia
-Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/prevenção & controle
Assistência Ambulatorial
Assistência Médica
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/1458.05; BR59.2; 613.83, C73e. 4060; BR599.1; 613.83(063), A849e, , MT, , . 10001017035/613.83(063), A849e, e.2, AG, , . 10001017045



página 1 de 80 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde