Base de dados : LILACS
Pesquisa : N03.219.521.576.343 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 630 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 63 ir para página                         

  1 / 630 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-961791
Autor: Pavone, Margarita Petrera; Sánchez, Eduardo Jiménez.
Título: Determinantes del gasto de bolsillo en salud de la población pobre atendida en servicios de salud públicos en Perú, 2010-2014 / Determinants of out-of-pocket spending on health among the poor population served by public health services in Peru, 2010-2014 / Determinantes da despesa por conta própria em saúde da população pobre atendida em serviços públicos de saúde, Peru, 2010-2014
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;42:e20, 2018. tab.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Objetivo El objetivo de este estudio fue averiguar qué factores afectan el gasto de bolsillo en servicios de salud prestados por el MINSA y los gobiernos regionales a la población en condiciones de pobreza monetaria relativa entre 2010 y 2014. Materiales y métodos Estudio transversal descriptivo econométrico con cortes anuales (2010-2014) a nivel nacional con información de encuestas de hogares. La variable dependiente fue el gasto de bolsillo en salud de las personas en situación de pobreza monetaria relativa para costear su atención médica en servicios de salud públicos. Las variables independientes fueron la afiliación al Seguro Integral de Salud (SIS), el nivel de gasto familiar per capita, el grupo de edad (0-5 años), ser mujer en edad fértil (15-49 años), ser persona adulta mayor (mayor de 60 años)), la carga familiar (cuyo indicador proxy fue el número de miembros en el hogar), y el nivel de complejidad del prestador de servicios. Resultados Sólo 5% de la población rural objeto de estudio fue atendida en centros de mayor nivel de complejidad (hospital) frente a 16% de la del medio urbano. Los medicamentos concentraron el mayor gasto de hogares: 44% en los asegurados en el SIS y 62% en los no asegurados (2014). El gasto de bolsillo en salud se asoció positivamente con no estar afiliado en el SIS, el mayor nivel de complejidad del prestador, el nivel del gasto familiar per capita y ser adulto mayor. Conclusiones La afiliación al SIS es una variable de política relevante para disminuir el gasto de bolsillo en hogares pobres. El menor gasto de bolsillo de la población rural pobre, especialmente vulnerable, está fuertemente asociado con el uso casi exclusivo de servicios provistos por prestadores del primer nivel de atención. Se necesitan políticas específicas de protección de la población adulta mayor en condiciones de pobreza. Para lograr la cobertura universal en salud, Perú necesita políticas más intensivas de protección financiera y de reestructuración de su oferta pública.

ABSTRACT Objective To ascertain which factors affect out-of-pocket spending on health services provided by the Ministry of Health of Peru and regional governments to the population living in relative poverty between 2010 and 2014. Materials and methods Cross-sectional, descriptive, nationwide, econometric, year-on-year (2010-2014) study using information from household surveys. The dependent variable was out-of-pocket spending by people in relative poverty to pay for medical care at public health services. The independent variables were affiliation to the Comprehensive Health Insurance (SIS) scheme, level of family expenditure per capita, age group 0-5 years, being a woman of childbearing age (15-49 years), being an older adult (over age 60 years), family burden (using the number of members of the household as a proxy indicator), and the level of complexity of the service provider. Results Only 5% of the rural population in the study were treated at higher-complexity facilities (hospitals), compared to 16% of the population in urban centers. Drugs accounted for the majority of household expenditures: 44% among those insured via SIS and 62% among the uninsured (2014). Out-of-pocket spending on health was positively associated with not being insured via SIS, higher level of provider complexity, level of family spending per capita, and being an older adult. Conclusions Comprehensive Health Insurance coverage is a relevant policy variable to reduce out-of-pocket spending in poor households. The lower out-of-pocket spending among the rural poor--an especially vulnerable group--was strongly associated with near-exclusive use of services delivered by primary health care providers. Specific policies are needed to protect older adults living in poverty. To achieve universal health coverage, Peru needs to implement more intensive financial protection policies and restructure its public service offering.

RESUMO Objetivo Examinar os fatores que influem na despesa por conta própria em serviços de saúde prestados pelos governos federal (Ministério da Saúde) e regionais à população em situação de relativa pobreza entre 2010 e 2014. Materiais e métodos Estudo transversal descritivo econométrico com recortes anuais (2010-2014) realizado em nível nacional com dados de pesquisas domiciliares. A variável dependente foi despesa por conta própria em saúde de pessoas em situação de relativa pobreza para custear o atendimento médico em serviços públicos de saúde. As variáveis independentes foram ser segurado do Seguro Integral de Saúde (SIS) da rede pública, despesa familiar per capita, faixa etária (0-5 anos), ser mulher em idade reprodutiva (15-49 anos), ser idoso (acima de 60 anos), carga familiar (cujo indicador substituto foi o número de pessoas por domicílio) e nível de complexidade do prestador de serviços. Resultados Apenas 5% da população rural estudada foram atendidos em centros com nível de complexidade mais alto (hospitais) em comparação a 16% da população urbana. Os medicamentos representaram o maior gasto das famílias: 44% para os segurados do SIS e 62% para não segurados (2014). A despesa por conta própria em saúde foi positivamente associada a não ser segurado do SIS, nível de complexidade mais alto do prestador de serviços, nível de gasto familiar per capita e ser idoso. Conclusões Ser segurado do SIS é uma variável de política importante para reduzir a despesa por conta própria em famílias pobres. A menor despesa por conta própria na população rural pobre, particularmente vulnerável, está muito associada ao uso quase exclusivo de serviços de atenção primária. Fazem-se necessárias políticas específicas de proteção da população idosa vivendo em situação de pobreza. Para alcançar a cobertura universal de saúde, o Peru precisa de políticas mais firmes de proteção financeira e reestruturação da oferta pública.
Descritores: Gastos em Saúde
Cobertura Universal
Seguro Saúde
-Peru
Pobreza
Cobertura de Serviços de Saúde
Seguro Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-721602
Autor: Manso, Maria Elisa Gonzalez; Silveira, Rafael Silva Martins; Godoy, Mahiti Cândio; Lima, Marcelo.
Título: Programa para cessação de tabagismo em uma operadora de planos de saúde - relato de experiência / Smoking cessation program in a health plan provider - experience report
Fonte: RBM rev. bras. med;71(5), maio 2014.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho visa descrever um Programa Piloto para Cessação de Tabagismo do qual participaram segurados fumantes vinculados a uma operadora de planos de saúde na cidade de São Paulo. O programa se embasou na metodologia cognitivo-comportamental, tendo sido executado por equipe multiprofissional mediante palestras, atendimento individuais, atividades grupais e monitoramento telefônico mensal durante o período de seis meses. Constatou-se que ao fim do programa houve redução significativa do número de cigarros consumidos diariamente. Discute-se a motivação para a parada ou diminuição do consumo como a principal variável relatada pelos participantes como favorecedora da adesão ao tratamento. Conclui-se que um programa com a finalidade deste piloto deve contemplar a fomentação de instrumentos que auxiliem a abstinência dentro do contexto geral de vida dos sujeitos...
Descritores: Abandono do Uso de Tabaco
Doença Crônica
Seguro Saúde
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  3 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1005727
Autor: Oliveira, Silvando Carmo de; Almeida, Renan Moritz Varnier Rodrigues de.
Título: Modelo de Cox para análise da sobrevida das empresas de plano de saúde no Brasil / Cox model for survival analysis of health insurance companies in Brazil
Fonte: J. bras. econ. saúde (Impr.) = Braz. j. health econ.;11(1):57-63, Abril/2019.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: No Brasil, estudos sobre o tempo de vida das operadoras de planos de saúde são escassos. Assim, o artigo tem o objetivo de investigar fatores econômicos que explicam a sobrevida de empresas de plano de saúde. Métodos: Foi utilizada a técnica estatística denominada análise de sobrevivência, por meio do modelo semiparamétrico de Cox. Os dados foram obtidos no site da ANS (agência reguladora do setor) e referem-se a 929 operadoras de todas as regiões do país, em 2011-2018. As seguintes variáveis foram analisadas: Beneficiário (número médio de beneficiário por operadora), Porte (Porte 1: até 20 mil beneficiários, Porte 2: entre 20 mil e 100 mil beneficiários, Porte 3: acima de 100 mil beneficiários), Tempo no Mercado (quantidade de trimestres que a operadora permaneceu no mercado), Receita/Despesa (Muito baixa, Baixa, Alta e Muito alta), Lucro (Operadoras que lucraram e Operadoras que não lucraram), Tipo de Gestão (Gestão sem fins lucrativos e Gestão empresarial) e por último tem-se a variável (dependente) Falência, que indica se a operadora solicitou o encerramento das suas atividades. Resultados: Observou-se uma taxa de mortalidade para operadoras de pequeno porte maior comparativamente às demais, com probabilidade de não sobrevivência no mercado duas vezes menor em relação às empresas de médio porte e três vezes menor se comparada às de grande porte. Conclusões: Empresas de pequeno porte encontram-se em grande desvantagem no panorama brasileiro de operadoras de planos de saúde, qualquer que seja seu tempo de vida no mercado.

Objective: In Brazil, studies on the survival time of health insurance providers are scarce. Thus, this article aims to investigate economic factors that explain the survival of these companies. Methods: The statistical technique survival analysis was used (Cox semi-parametric model). Data were obtained from the ANS (regulatory agency) website and refer to 929 operators from all regions of the country, 2011-2018. The following variables were analyzed: Beneficiaries (average number of beneficiaries per provider), Size (Size 1: Up to 20 thousand beneficiaries, Size 2: Between 20 thousand and 100 thousand beneficiaries, Size 3: Above 100 thousand beneficiaries) Time in market (Number of quarters that the provider remained in the market), Revenue/Expenses (Very Low, Low, High and Very High), Profit (Providers that profited and providers that did not profit), Type of Management (Nonprofit Management and For profit/Business Management) and lastly the (dependent) Bankruptcy variable, which indicates if the operator requested the ending of its activities. Results: A higher mortality rate was observed for small providers compared to the others, with a probability of non-survival in the market two times smaller in relation to medium-sized companies and three times lower than the large ones. Conclusions: Small businesses are at a great disadvantage in the Brazilian panorama of health insurance providers, regardless of their life time in the market.
Descritores: Análise de Sobrevida
Organizações
Seguro Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR600 - DESD - Departamento de Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento


  4 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-749420
Autor: Azevedo, Bruno Del Sarto; Biondo, Chrisne Santana; Sena, Edite Lago da Silva; Boery, Rita Narriman Silva de Oliveira; Yarid, Sérgio Donha.
Título: Reflexão bioética sobre o acesso à saúde suplementar no Brasil / Reflexión bioética sobre el acceso a la salud complementaria en el Brasil / Bioethical reflection regarding access to supplemental health in Brazil
Fonte: Acta bioeth;21(1):117-125, jun. 2015. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Trata-se de uma revisão integrativa que objetiva desenvolver uma reflexão bioética a partir do que a literatura científica tem pesquisado sobre o acesso da população brasileira à saúde suplementar. Realizou-se uma busca na Biblioteca Virtual em Saúde, utilizando descritores, dos Descritores em Ciências da Saúde, relacionados à temática estudada, resultando na seleção de sete artigos. Evidenciou-se que o acesso aos serviços da saúde suplementar é conseguido apenas por grupos específicos de pessoas, o que representa um dado sintomático do mal-estar que vive a sociedade brasileira em razão do sucateamento do setor público e da elitização dos serviços particulares. Fato estequeconduz à consequente transgressão de princípios bioéticos como igualdade, justiça e equidade. Faz-se mister, então, a incorporação de reflexões bioéticas nas discussões sobre o respeito à autonomia do indivíduo, com total direito de buscar o acesso a planos privados como meio de ver seus problemas de saúde resolvidos,e sobre a responsabilidade do Estado quantoà implementação de um acesso à saúde equitativo e de qualidade aos cidadãos.

Se trata de una revisión integradora que objetiva desarrollar una reflexión bioética a partir de lo que la literatura científica ha pesquisado sobre el acceso de la población brasileña a la salud complementaria. Se realizó una búsqueda en la Biblioteca Virtual en Salud, utilizando descriptores, de los Descriptores en Ciencias de la Salud, relacionados al tema estudiado, resultando en la selección de siete artículos. Se ha evidenciado que el acceso a los servicios de la salud complementaria es logrado solo por grupos específicos de personas, lo que representa un dato sintomático del malestar que vive la sociedad brasileña debido al achatarramiento del sector público y del uso de servicios privados. Facto este que conduce a la consecuente transgresión de principios bioéticos como igualdad, justicia y equidad. Se hace necesario, entonces, la incorporación de reflexiones bioéticas en las discusiones sobre el respecto a la autonomía del individuo, con total directo de buscar el acceso a planes privados como medio de ver sus problemas de salud resueltos, y sobre la responsabilidad del Estado cuanto a la implementación de un acceso a la salud equitativo y de calidad a los ciudadanos.

It is an integrative review that aims to develop a bioethical reflection based onwhat the scientific literature has been researching about the Brazilian population's access to supplemental health. A search was conducted in the Virtual Health Library, using descriptors, from Health Sciences Descriptors, related to the studied theme, resulting in the selection of seven articles. It was evidenced that access to supplemental health services is fully achieved only by specific groups of people, which is symptomatic of a certain malaise that plagues the Brazilian society,due to the subpar conditions of the public sector and the elitism of the particular services. This fact leads to the consequent transgression of bioethical principles such as equality, justice and equity. As such, it becomes apparentthat bioethical reflections on discussions about the respect for individual autonomy, with full right to seek access to private insurances as a means of seeing one's health problems solved, and on the responsibility of the State as the implementation of an equitable access to health care and quality service to citizens, must be incorporated.
Descritores: Acesso aos Serviços de Saúde
Bioética
Saúde Suplementar
Seguro Saúde
-Brasil
Cobertura de Serviços Privados de Saúde
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  5 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-959576
Autor: Ferrante, Alfredo.
Título: Responsabilidad civil médica y contrato de seguro: sobre las cláusulas de delimitación temporal / Medical liability and insurance contract: about claims made clause
Fonte: Rev. chil. radiol;24(2):48-54, jul. 2018.
Idioma: es.
Resumo: Resumen: El presente artículo tiene por objeto dar a conocer un particular tipo de cláusula que puede encontrarse en las pólizas de seguro por actividades profesionales: la cláusula de delimitación temporal llamada claims made. Ésta presenta múltiples problemáticas desde el punto de vista jurídico, que tienen directa incidencia en el ámbito práctico de la responsabilidad médica. Una de ellas, se produce en aquellos casos en que los siniestros no reciben cobertura de la compañía, aun estando vigente y debidamente pagada la póliza por el asegurado, debiendo asumirse el pago de la indemnización por el propio médico frente a la víctima.

Abstract: The purpose of this paper is to present a particular type of clause that can be found in an insurance contract related to professional activities: the claims made clause. This clause presents multiple legal problems which have a direct impact on the practical application in the medical liability. One of these occurs in cases where the damage is not covered by the insurance company even if the policy has been properly paid by the insured, and the compensation must be paid by the doctor to the victim.
Descritores: Responsabilidade Legal
Responsabilidade Civil
Seguro Saúde/legislação & jurisprudência
Seguro Médico Ampliado/legislação & jurisprudência
-Chile
Cobertura do Seguro/legislação & jurisprudência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CL30.1 - Biblioteca


  6 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-2248 LILACS-Express
Autor: Borges, Hugo(aut); Abrão, Nathércia(aut); Almeida, Carlos Rafael(aut).
Título: Sinistralidade em cooperativas médicas
Fonte: HU rev;31(1/2):52-57, jan.-ago. 2005.
Idioma: pt.
Resumo: No presente artigo, os autores se debruçarão sobre a questão da sinistralidade, que aqui conceituam como a proporção entre o quanto as empresas gastam com os atendimentos aos seus usuários e o quanto arrecadam com as mensalidades dos planos. Entendem que o índice de sinistralidade é um fator preocupante para o setor de seguros e planos de saúde e apontam dados de especialistas que recomendam que esse índice fique, no máximo, ao redor dos 75%, para que as operadoras possam dispor dos recursos necessários para arcar com as despesas de comercialização, financeiras e administrativas. Para dar desenvolvimento à discussão que postulam, os autores partirão de uma descrição da situação atual do mercado brasileiro de planos de saúde, passando depois a analisar a questão dos recursos de uma cooperativa médica. A seguir, estudarão com mais detalhes e baseados em exemplos concretos o problema mais específico da sinistralidade, mostrando, inclusive, a situação prática de tal problemática no Sistema UNIMED e na UNIMED Juiz de Fora, uma das Singulares que fazem parte desse complexo empresarial. Concluirão analisando a participação do médico, enquanto sócio, na geração de despesas e sua responsabilidade na racionalização da sinistralidade.
-Revisão da Utilização de Seguros
Saúde Suplementar
Seguro Saúde/organização & administração
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  7 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: lil-719522
Autor: Hernández-Vásquez, Akram; Rubilar-González, Juan; Pisfil-Benites, Nilthon.
Título: Financiamiento de enfermedades raras o huérfanas: una tarea pendiente / Financing for rare or orphan diseases: a thing to do
Fonte: Rev. peru. med. exp. salud publica;31(2):393-393, abr.-jun. 2014.
Idioma: es.
Descritores: Apoio Financeiro
Seguro Saúde/economia
Doenças Raras
-Seguro Saúde/legislação & jurisprudência
Peru
Doenças Raras/diagnóstico
Doenças Raras/terapia
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-35879
Autor: Castro, Cláudio de Moura; Romeu, Nilton; Vianna, Solon Magalhäes.
Título: A mäo invisível nos serviços de saúde: será que ela cura? / The invisible hand in health services: does it heal?
Fonte: Cad. saúde pública;1(4):[418-31], out.-dez. 1985.
Idioma: pt.
Descritores: Assistência à Saúde
Serviços de Saúde
-Padrões de Prática Médica
Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde
Seguro Saúde
SETIMMEDIATE$0.FACIESERYTHROCYTE INCLUSIONSMICE, JIMPYANTIBODIES, VIRAL$ABORTION, CRIMINAL
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 630 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-961768
Autor: Mendoza-Arana, Pedro Jesús; Río, Germán Rivera-Del; Gutiérrez-Villafuerte, César; Sanabria-Montáñez, César.
Título: El proceso de reforma del sector salud en Perú / The process of health sector reform in Peru / Processo de reforma da saúde no Peru
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;42:e74, 2018.
Idioma: es.
Projeto: PE CNT.
Resumo: RESUMEN Objetivos Caracterizar el proceso de la Reforma del Sector Salud (RSS) en Perú expresada públicamente en 2013, identificando los principales avances en su implementación y los desafíos pendientes desde la perspectiva de los actores participantes. Métodos Se trata de un estudio de sistematización de la experiencia en el cual se realizaron entrevistas semiestructuradas a 21 informantes clave, incluyendo a tres exministros de salud, y empleando como marco temporal el decenio 2005-2015. Se analizaron bases de datos oficiales para comprobar las variaciones de los indicadores de salud. Resultados La propuesta se basa en la expansión del aseguramiento con predominio de un seguro público en salud bajo el modelo del pluralismo estructurado, con una clara separación entre las funciones de prestación, intermediación financiera, regulación y gobierno. Los principales avances de la RSS identificados son: haber trascendido el criterio de pobreza para el aseguramiento público, el refuerzo de la inversión física y de recursos humanos, el fortalecimiento de una superintendencia orientada a los derechos del usuario, y el del papel del Ministerio de Salud en la salud pública. Y los principales desafíos, la cobertura poblacional del aseguramiento no vinculada con la pobreza, la dotación de recursos humanos especializados y la reducción de gasto de bolsillo. Conclusiones La RSS en el decenio examinado es un proceso que se construye sobre avances de años precedentes al periodo analizado, que consolida en el país un modelo de aseguramiento encaminado a la cobertura poblacional universal sobre la base de un seguro público de salud, y que se expresa en un incremento demostrable del gasto público y de la cobertura, aunque sus avances se ven limitados principalmente en la dotación de recursos humanos especializados y en el gasto de bolsillo, que todavía es muy elevado.

ABSTRACT Objective To characterize the process of health sector reform (HSR) in Peru (launched publicly in 2013), identifying the principal advances in its implementation and the pending challenges from the perspective of the participating actors. Methods This study systematizes experiences through semi-structured interviews conducted with 21 key informants, including three ex-ministers of health, using the decade 2005-2015 as the time frame. Official databases were analyzed to verify variations in health indicators. Results The proposed reform was based on expanding insurance coverage (predominantly public health insurance), following the structured pluralism model, with clear separation between the functions of delivery, financing, regulation, and governance. The main progress in HSR identified by this study involves: having transcended the poverty criterion for public insurance, strengthening investments in infrastructure and human resources, strengthening the National Health Authority with a focus on the rights of users, and reinforcing the public health role of the Ministry of Health. The main challenges involve providing non-poverty-related insurance coverage for the population, having sufficient specialized human resources, and reducing out-of-pocket expenditure. Conclusions In the 10 years under analysis, HSR is a process that builds on the progress made in prior years; a process that consolidates an insurance model aimed at universal coverage based on public health insurance and that has led to a demonstrable increase in public spending and population coverage. However, progress has been limited mainly due to insufficient provision of specialized human resources and out-of-pocket expenditure, which remains very high.

RESUMO Objetivo Descrever o processo de reforma da saúde no Peru como manifestado publicamente em 2013, identificando os principais avanços na execução e os desafios a ser vencidos do ponto de vista dos atores envolvidos. Métodos Estudo conduzido com a metodologia de sistematização de experiências com base em entrevistas semiestruturadas realizadas com 21 principais atores envolvidos, inclusive três ex-ministros da Saúde, e usando o período de 10 anos de 2005 a 2015 como quadro temporal. Bases de dados oficiais foram consultadas para confirmar a variação nos indicadores de saúde. Resultados A proposta de reforma da saúde se baseia na expansão do seguro com o predomínio de um seguro de saúde público segundo o modelo de pluralismo estruturado, com clara separação entre as funções de prestação de serviços, intermediação financeira, regulamentação e governo. Os principais avanços da reforma da saúde identificados foram: transpor o critério de pobreza para o seguro público, estimular o investimento físico e de recursos humanos e reforçar uma direção voltada aos direitos do usuário e ao papel do Ministério da Saúde em saúde pública. Entre os principais desafios estão a cobertura do seguro da população não vinculada à pobreza, a provisão de recursos humanos especializados e a redução da despesa por conta própria. Conclusões A reforma da saúde no período de 10 anos considerado é um processo edificado sobre conquistas obtidas em anos anteriores ao período analisado, que consolida no país um modelo de seguro visando a cobertura universal da população por meio de um seguro de saúde público, e que se expressa em um crescimento demonstrável do gasto público e da cobertura, apesar de os avanços serem limitados sobretudo na provisão de recursos humanos especializados e na despesa por conta própria, ainda muito elevada.
Descritores: Reforma dos Serviços de Saúde
Planos de Sistemas de Saúde
Seguro Saúde
-Peru
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 630 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: lil-341989
Autor: Anon.
Título: Multifaceted media campaign focuses attention on persons without health insurance in the United States of America
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;14(1):70-73, jul. 2003. tab.
Idioma: en.
Resumo: De una población de alrededor de 288 millones de personas que viven en los Estados Unidos de América, más de 41 millones no poseen seguro de salud, lo que pone en peligro la salud de familias y personas y provoca pérdidas económicas al país. La difícil situación de esas personas sin seguro fue el centro de una amplia e intensa campaña de los medios de comunicación masiva a principios del año 2003, la cual culminó en varios eventos nacionales y locales durante la llamada "Semana por el Aseguramiento de los no Asegurados", que transcurrió del 10 al 16 de marzo. Cada día de esa semana se dedicó a un tipo de actividad diferente. El lunes 10 de marzo se dedicó a reuniones locales con toda la comunidad. El martes, las actividades se centraron en las universidades. El miércoles se celebraron más de 550 "ferias de salud" por todo el país, con la participación de médicos, estomatólogos, personal de enfermería, hospitales, centros de salud comunitarios y clínicas, que brindaron sus servicios y realizaron tamizajes gratuitamente. Además, inscribieron a las familias y niños sin seguro de salud en los programas públicos de aseguramiento para los cuales eran elegibles. El jueves, líderes locales, tanto comerciantes como jefes de organizaciones laborales, resaltaron el interés que esos dos sectores comparten en aras de lograr que todas las personas que viven en los Estados Unidos puedan estar protegidas por un seguro de salud al alcance de sus posibilidades. Las actividades realizadas desde el viernes hasta el domingo se centraron en eventos organizados por varios grupos religiosos. La falta de seguro de salud de millones de personas en los Estados Unidos debe mantenerse como tema de actualidad en el país y debe ser parte de las campañas presidenciales del 2004
Descritores: Seguro Saúde/estatística & dados numéricos
Seguro Saúde/estatística & dados numéricos
-Estados Unidos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 63 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde