Base de dados : LILACS
Pesquisa : N03.219.680 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 133 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 14 ir para página                         

  1 / 133 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1054566
Autor: Ocké-Reis, Carlos Octávio; Sampaio Fiuza, Eduardo Pedral; Herig Coimbra, Pedro Henrique.
Título: Inflação dos planos de saúde - 2000-2018.
Fonte: Brasília; IPEA; 2019. 20 p. graf. (Nota Técnica / IPEA. Disoc, 54).
Idioma: pt.
Resumo: Esta Nota Técnica tem por objetivo examinar a evolução dos preços dos planos de saúde no período compreendido entre 2000 e 2018. Constatou-se que a taxa de inflação acumulada dos planos foi superior à taxa de inflação da economia e da saúde. Isso explica, em parte, o fato de a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) ter aprovado recentemente a nova metodologia de cálculo do reajuste dos planos individuais e familiares em dezembro de 2018.
Descritores: Inflação
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Saúde Suplementar
Setor de Assistência à Saúde
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
339.07; 339.07; BR1541.1


  2 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1150812
Autor: Urtasun, Martin; Cañás, Martin; Venturini, Nasim Iusef; Prozzi, Guillermo Rafael; Dorati, Cristian Matías; Marín, Gustavo Horacio; Trionfetti, Mariángeles; Rivadulla, Patricia; Mordujovich-Buschiazzo, Perla; Buschiazzo, Héctor Omar.
Título: Seguridad social y medicamentos Mecanismos de cobertura de dos obras sociales en contexto de inflación 2011-2019 / Social security and medicines: coverage mechanisms of two health insurance organizations in the context of inflation, 2011-2019
Fonte: Rev. argent. salud publica;13:1-8, 5/02/2021.
Idioma: es.
Resumo: INTRODUCCIÓN: La elevada inflación argentina puede comprometer el acceso a los medicamentos, incluso con cobertura de la seguridad social. El objetivo de este estudio fue describir la evolución entre 2011 y 2019 de la cobertura del Instituto Nacional de Servicios Sociales para Jubilados y Pensionados (INSSJyP, también conocido como PAMI) y del Instituto de Obra Médico Asistencial (IOMA) para una selección de medicamentos de uso ambulatorio, fuera de patente, de consumo frecuente en patologías prevalentes, y evaluar si la evolución del ingreso de los beneficiarios acompañó el aumento del gasto de bolsillo para estos fármacos. MÉTODOS: Se registró la evolución del precio de venta al público (PVP) y de la cobertura por INSSJyP y por IOMA en los cuatrienios 2011-2015 y 2015-2019 para una selección de 10 fármacos utilizados en enfermedades crónicas de alta prevalencia. Se calculó la evolución del gasto de bolsillo para las presentaciones promedio, más barata y más cara de cada fármaco, y se comparó con la evolución de los ingresos de los beneficiarios. RESULTADOS: La cobertura promedio del INSSJyP para los fármacos estudiados subió de 63% en 2011 a 73% en 2019. La cobertura del PVP promedio por el IOMA fue de 55% en 2011 y descendió a 36% en 2019, debido a la demora en la actualización de los montos fijos. Para los beneficiarios de ambas instituciones el gasto de bolsillo creció menos que el ingreso en 2011-2015 pero lo superó ampliamente en 2015-2019. DISCUSIÓN: El sistema de cobertura por monto fijo tiene ventajas conceptuales, pero requiere una actualización oportuna de los valores con la inflación
Descritores: Argentina
Preço de Medicamento
Acesso a Medicamentos Essenciais e Tecnologias em Saúde
Planos de Assistência de Saúde para Empregados
Inflação
Responsável: AR650.1 - Biblioteca


  3 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055753
Autor: Tejada, Cesar Augusto Oviedo; Triaca, Lívia Madeira; Liermann, Nathiéle Hellwig; Ewerling, Fernanda; Costa, Janaína Calu.
Título: Crises econômicas, mortalidade de crianças e o papel protetor do gasto público em saúde / Economic crises, child mortality and the protective role of public health expenditure
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;24(12):4395-4404, dez. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo do estudo foi analisar como as crises econômicas afetam a saúde infantil a nível global e entre subgrupos de países com diferentes níveis de renda. Foram utilizados dados do Banco Mundial e da OMS para 127 países entre os anos de 1995 e 2014. Foi utilizado um modelo de efeitos fixos, avaliando o efeito da mudança em indicadores macroeconômicos (PIB per capita, taxa de desemprego e de inflação, e taxa de desconforto) na taxa de mortalidade neonatal, infantil, e de menores de cinco anos. Adicionalmente, avaliou-se a modificação do efeito da associação de acordo com a renda dos países e também a influência do gasto público em saúde nessa relação. As evidências mostraram que piores indicadores econômicos (menor PIB per capita e maiores inflação, taxa de desemprego e taxa de desconforto) estão associados com maiores taxas de mortalidade infantil. Nas subamostras por estrato de renda, observa-se a mesma relação, porém com efeitos de maior magnitude entre os países de renda baixa e média. Verificou-se ainda que um maior percentual nos gastos públicos em saúde ameniza os efeitos dos indicadores econômicos nas taxas de mortalidade infantil. Desta forma, é necessário aumentar a atenção aos efeitos nocivos das crises macroeconômicas para garantir melhorias na saúde infantil.

Abstract The aim of the study was to analyze how economic crises affect child health globally and between subgroups of countries with different levels of income. Data from the World Bank and the World Health Organization were used for 127 countries between 1995 and 2014. A fixed effects model was used, evaluating the effect of the change on macroeconomic indicators (GDP per capita, unemployment and inflation rates and misery index) in neonatal, infant and under-five mortality rates. Moreover, we evaluated whether there was a change in the association effect according to the income of the countries and also analyzed the role of public health expenditure in this association. Evidence has shown that worse economic indicators (lower GDP per capita, higher inflation, unemployment rates and misery index) are associated with higher child mortality rates. In the subsamples by income strata, the same association is observed, but with effects of greater magnitude for low- and middle-income countries. We also verified that a higher percentage in public health expenditures alleviates the effects of economic indicators on child mortality rates. Thus, more attention needs to be paid to the harmful effects of the macroeconomic crises to ensure improvements in child health.
Descritores: Mortalidade Infantil
Saúde Pública/economia
Saúde Global/economia
Recessão Econômica
-Pobreza/economia
Desemprego/estatística & dados numéricos
Países Desenvolvidos/economia
Saúde Global/estatística & dados numéricos
Análise de Regressão
Gastos em Saúde
Países em Desenvolvimento/economia
Produto Interno Bruto
Inflação
Limites: Humanos
Gravidez
Recém-Nascido
Lactente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-728979
Autor: Rosa, Chennyfer Dobbins Paes da; Fávero, Luiz Paulo Lopes; Zucchi, Paola.
Título: Economic and health indicators: correlation between inflation and mortality / Indicadores econômicos e de saúde: a relação entre inflação e mortalidade / Indicadores económicos y de salud: correlación entre inflación y mortalidad
Fonte: Rev. baiana saúde pública;37(3), jul.-set. 2013. tab.
Idioma: pt.
Resumo: The hypothesis that economic downturn periods have contributed to increase the overall mortality rate has been discussed by several authors. There is an immeasurable literature that associates socioeconomic levels with the individual´s health status. This paper seeks to analyze the correlation between mortality and the variables inflation, unemployment and income in Brazil in the period 1980?2009, examining whether the economic instabilities affect the individuals´ health status. This is an empirical-analytic study of historical series of Health Indicators (overall, infant, maternal mortality, and external causes) and Macroeconomic Indicators (Inflation, Unemployment and Income) in the period 1980 to 2009 in Brazil. The hypothesis corroboration was developed through regression analysis. The theoretical rationale of the results is based on Philips´ theory, whereby the lower the inflation rate is, the higher the unemployment becomes, or vice versa. Regression analysis performed suggests that the IPCA decrease and unemployment increase raise the overall mortality rate. The correlation of mortality with income was positive, confirming the hypothesis of some authors that high income leads to increased mortality due to factors such as stress, traffic accidents, among others. The mortality pattern follows the general behavior of the economic variables chosen. Based on Philips´ theory, the inflation drop raises unemployment levels; moreover, worse living and health conditions increase mortality rates.

A hipótese de que períodos de recessão econômica tem contribuido com o aumento da mortalidade geral tem sido discutida por diversos autores. Existe uma vasta literatura que correlaciona os níveis socioeconômicos com o estado de saúde do indivíduo. O presente trabalho busca analisar a correlação entre a mortalidade geral com as variáveis inflação, desemprego e renda no Brasil, no período de 1980?2009, analisando-se as instabilidades econômicas interferem na saúde dos indivíduos. Trata-se de um estudo empirico-analítico de séries históricas dos Indicadores de Saúde (mortalidade geral, infantil, materna e causas externas) e dos Indicadores Macroeconômicos (Inflação, desemprego e renda) no período de 1980 a 2009 no Brasil. A prova da hipótese foi desenvolvida por meio da Análise de Regressão. A fundamentação teórica dos resultados tem como base a teoria de Philips, segundo a qual quanto menor a taxa de inflação, maior a taxa de desemprego, ou vice-versa. As análises de regressão efetuadas sugerem que a diminuição do IPCA e o aumento do desemprego elevam a mortalidade geral. A correlação da mortalidade com a renda foi positiva, comprovando a hipótese de alguns autores, em que elevada renda gera aumento da mortalidade, devido a fatores como estresse, acidente de trânsito, entre outros. O comportamento da mortalidade geral acompanha o comportamento das variáveis econômicas escolhidas. Com base na teoria de Philips, a queda da inflação, eleva os níveis de desemprego; ademais, piores condições de vida e saúde majoram as taxas de mortalidade.

La hipótesis de que las crisis económicas han contribuido al aumento de la mortalidad general ha sido discutida por varios autores. Existe una vasta literatura que correlaciona los niveles socioeconómicos con el estado de salud del individuo. Este estudio tiene como objetivo analizar la correlación entre la mortalidad global y las variables inflación, desempleo y renta en Brasil, durante el período 1980?2009, analizando si las inestabilidades económicas afectan a la salud de las personas. Este método es un estudio empírico-analítico de series históricas de los Indicadores de Salud (mortalidad general, infantil, materna y causas externas) y de los Indicadores Macroeconómicos (inflación, desempleo y renta) en el período 1980?2009 en Brasil. La prueba de la hipótesis fue desarrollada a través del Análisis de Regresión. La fundamentación teórica de los resultados se basa en la teoría de Philips, según la cual lo más baja sea la tasa de inflación, mas alta será la tasa de desempleo, o viceversa. Los análisis de regresión realizados sugieren que la reducción del IPCA y el aumento del desempleo aumentan la mortalidad general. La correlación de la mortalidad con la renta fue positiva, lo que confirma la hipótesis de algunos autores, que una renta alta genera aumento de la mortalidad debido a factores como el estrés, los accidentes de tráfico, entre otros. El comportamiento de la mortalidad general acompaña el comportamiento de las variables económicas escogidas. Basado en la teoría de Philips, la caída de la inflación eleva los niveles de desempleo; además, las peores condiciones de vida y salud aumentan las tasas de mortalidad.
Descritores: Desemprego
Análise de Regressão
Indicadores Básicos de Saúde
Mortalidade
Renda
Inflação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  5 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-855
Autor: Woodward, Robert S.
Título: Atención médica en Brasil durante un período de recesión económica / Health care in Brazil during economic recession
Fonte: Bol. Oficina Sanit. Panam;98(2):107-116, feb. 1985. tab.
Idioma: es.
Resumo: El examen de la financiacion de los servicios publicos de atención médica en Brasil durante un período de dificultades economicas causadas por la deuda externa, la inflacion y la recesion permite hacer diversas observaciones interesantes. El sistema brasileno de atención médica incluye el Instituto Nacional de Assistencia Medica de Previdencia Social (INAMPS), el cual presta servicios a las personas empleadas y a sus familias; los servicios del Ministerio de Salud en beneficio principalmente de los pobres y desempleados; los servicios de las administraciones locales y estatales; y los hospitales particulares y otros grupos del tipo de las Organizaciónes de Mantenimiento de la Salud que operan con fines lucrativos. En lo que respecta a los servicios de atención médica financiados con fondos federales, el INAMPS absorbio mas del 90 por ciento del total de las asignaciones presupuestarias del Ministerio de Salud y del INAMPS correspondientes a 1982. En cuanto a los presupuestos federales recientes, el presupuesto del INAMPS se mantuvo en el mismo nivel en relacion con el producto bruto domestico o interno bruto (PIB) durante el período de recesion 1981-1982; en cambio, el presupuesto del Ministerio de Salud aumento en un 23 por ciento en relacion con el PBI en 1982, despues de una serie de reducciones relativas en el período 1978-1981...
Descritores: Sistema Único de Saúde
Assistência Médica
Cuidados Médicos
Inflação/tendências
-Brasil
Gastos em Saúde/tendências
Tipo de Publ: Relatório Técnico
Responsável: US1.1 - HQ Library


  6 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-898
Autor: Feldman, Saul.
Título: Enfermedad mental y economia / Mental disease and economics
Fonte: Bol. Oficina Sanit. Panam;98(3):201-210, mar. 1985.
Idioma: es.
Descritores: Transtornos Mentais
Inflação
-Gastos em Saúde
Serviços de Saúde Mental
Fatores Socioeconômicos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-992096
Autor: Santos, Cláudio Hamilton Matos dos; Amitrano, Cláudio Roberto; Pires, Manoel Carlos de Castro; Carvalho, Sandro Sacchet de; Ferreira, Ennio; Esteves, Fernando Henrique de Araújo; Yannick, Kolai Zagbai Joel; Lima, Lucikelly dos Santos.
Título: A Natureza da inflação de serviços no Brasil: 1999-2014.
Fonte: Rio de Janeiro; IPEA; 2016. 41 p. graf. (Texto para Discussão / IPEA).
Idioma: pt.
Resumo: "Analisa a dins do índice desde 1999, e propôs-se um tradutor entre esses subitens e os conceitos da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), versão 2.0. Com base no referido tradutor, foi possível extrair dados da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e da Relação Anual das Informações Sociais (Rais) sobre a composição do valor da produção, das ocupações e dos rendimentos do trabalho dos vários setores de serviços que compõem o IPCA. Os dados analisados corroboram visões preexistentes sobre o tema e as estendem, propondo, em particular, que seja dada atenção a alguns poucos setores de serviços com taxas excepcionais de crescimento da produção e/ou do número de ocupados e rendimentos desses trabalhadores e que demandam políticas públicas específicas.
Descritores: Inflação
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Serviços de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; 330.908, TD2169


  8 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-992067
Autor: Martinez, Thiago Sevilhano.
Título: Inflação e o padrão de crescimento brasileiro: considerações a partir da desagregação do IPCA / Texto para Discussão (TD) 1804: Inflação e o padrão de crescimento brasileiro: considerações a partir da desagregação do IPCA.
Fonte: Brasília; IPEA; 2012. 36 p. graf. (Texto para Discussão / IPEA).
Idioma: pt.
Resumo: Discute a trajetde Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
Descritores: Inflação
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Preparações Farmacêuticas
Serviços de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; 330.908, I59 TDI1804


  9 / 133 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-992037
Autor: Martinez, Thiago Sevilhano; Cerqueira, Vinícius dos Santos.
Título: Estrutura da inflação brasileira: determinantes e desagregação do IPCA / Texto para Discussão (TD) 1634: Estrutura da inflação brasileira: determinantes e desagregação do IPCA.
Fonte: Rio de Janeiro; IPEA; 2011. 69 p. graf. (Texto para Discussão / IPEA).
Idioma: pt.
Resumo: Discute os determinantes e a decomposi
Descritores: Inflação
Modelos Econométricos
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Serviços de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; 330.908, I59 TDI1634


  10 / 133 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-992035
Autor: Martinez, Thiago Sevilhano.
Título: A Dinâmica da inflação brasileira: considerações a partir da desagregação do IPCA / Comunicados do Ipea 101 : A dinâmica da inflação brasileira : considerações a partir da desagregação do IPCA.
Fonte: Brasília; IPEA; 2011. 21 p. graf. (Comunicados do Ipea).
Idioma: pt.
Resumo: Discute a dinr relacionados às mudanças recentes na trajetória de crescimento da economia brasileira.
Descritores: Inflação
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Preparações Farmacêuticas
Serviços de Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1



página 1 de 14 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde