Base de dados : LILACS
Pesquisa : N03.349.650.340 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 56 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 56 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889643
Autor: Zuanazzi, Pedro Tonon; Cabral, Pedro Henrique Vargas; Stella, Milton André; Moraes, Gustavo Inácio de.
Título: O tempo de percurso a cidades polos regionais influencia na mortalidade em pequenos municípios gaúchos? / Does time spent traveling to regional hub cities to receive healthcare influence mortality in small towns in Rio Grande do Sul State, Brazil? / ¿El tiempo de desplazamiento a ciudades que son polos regionales tiene influencia en la mortalidad en los municipios pequeños del Rio Grande do Sul, Brasil?
Fonte: Cad. Saúde Pública (Online);33(12):e00187515, 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo: O presente estudo objetiva responder se o tempo de viagem a municípios polos regionais possui efeito na taxa de óbitos por causas evitáveis (TOCE) e na taxa bruta de mortalidade padronizada (TBMP) em municípios com até 5 mil habitantes do Rio Grande do Sul, Brasil. Sem a utilização de variáveis controles, o maior tempo de percurso até municípios com 100 mil habitantes ou mais está associado com um aumento de ambas as taxas. No entanto, enquanto que o comportamento da TOCE permanece similar após a inserção dos controles, a TBMP inverte seu sinal, sugerindo que, mantendo as demais características socioeconômicas e de atendimento de saúde constantes, a distância a municípios polos está associada, ao mesmo tempo, a uma redução dos óbitos por causas evitáveis e a um aumento nas demais causas de morte.

Abstract: The current study aims to determine whether the time spent travelling to regional hub cities to receive healthcare affects mortality from avoidable causes and the standardized crude mortality rate in towns with up to 5,000 inhabitants in Rio Grande do Sul State, Brazil. Without adjusting for control variables, the longest time spent to reach cities with 100,000 inhabitants or more was associated with an increase in both rates. However, while the pattern in the avoidable mortality rate was similar after including controls, the standardized crude mortality rate reversed its signal. This suggests that if other socioeconomic and healthcare characteristics are kept constant, the distance to reference cities is associated with both a reduction in deaths from avoidable causes and an increase in other causes of death.

Resumen: El objetivo del presente estudio es responder si el tiempo de viaje a municipios que son polos regionales posee un efecto en la tasa de óbitos por causas evitables y en la tasa bruta de mortalidad estandarizada en municipios con hasta 5.000 habitantes del estado de Rio Grande do Sul, Brasil. Sin la utilización de variables de control, el mayor tiempo de desplazamiento -hasta municipios con 100 mil habitantes o más- está asociado con un aumento de ambas tasas. No obstante, mientras que el comportamiento de la tasa de óbitos evitables permanece similar tras la inclusión de los controles, la tasa bruta de mortalidad estandarizada invierte su señal, sugiriendo que manteniendo constantes las demás características socioeconómicas y de atención de salud, la distancia a municipios polos regionales está asociada simultáneamente a una reducción de los óbitos por causas evitables y a un aumento en las demás causas de muerte.
Descritores: Viagem/estatística & dados numéricos
Causas de Morte
Cidades/estatística & dados numéricos
Acesso aos Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
-Valores de Referência
Fatores Socioeconômicos
Fatores de Tempo
Serviços Centralizados no Hospital
Brasil
Estudos Transversais
Censos
Área Carente de Assistência Médica
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Santos, Leonor Maria Pacheco
Texto completo
Id: biblio-1020766
Autor: Silva, Everton Nunes da; Ramos, Maíra Catharina; Santos, Wallace; Rasella, Davide; Oliveira, Aimê; Santos, Leonor Maria Pacheco.
Título: Cost of providing doctors in remote and vulnerable areas: Programa Mais Médicos in Brazil / El costo de dotar de médicos a las zonas remotas y vulnerables: Programa "Mais Médicos" en el Brasil / O custo da provisão de médicos para áreas remotas e vulneráveis: Programa Mais Médicos no Brasil
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;42:e11, 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Council for Scientific and Technological Development (CNPq) - Chamada MCTI/CNPq/CT-Saúde/MS/SCTIE/Decit.
Resumo: ABSTRACT Objective To evaluate the Programa Mais Médicos (More Doctors Program; PMM) in Brazil by estimating the proportional increase in the number of doctors in participating muni­cipalities and the program costs, stratified by cost component and funding source. Methods Official data from the 2013 edition of Demografia Médica no Brasil (Medical Demography in Brazil) was used to estimate the number of doctors prior to PMM. The number of doctors at the end of the fourth PMM recruiting cycle (July 2014) was obtained from the Ministry of Health. Cost components were identified and estimated based on PMM legislation and guidelines. The participating municipalities were chosen based on four criteria, all related to vulnerability. Results The PMM provided an additional 14 462 physicians to highly vulnerable, remote areas in 3 785 municipalities (68% of the total) and 34 Special Indigenous Sanitary Districts. There was a greater increase of physicians in the poorest regions (North and Northeast). The estimated annual cost of US$ 1.1 billion covered medical provision, continuing education, and supervision/mentoring. Funding was largely centralized at the federal level (92.6%). Conclusion The cost of PMM is considered relatively moderate in comparison to its potential benefits for population health. The greater increase of doctors for the poorest and most vulnerable met the target of correcting imbalances in health worker distribution. The PMM experience in Brazil can contribute to the debate on reducing physician shortages.

RESUMEN Objetivo Evaluar el Programa "Mais Médicos" en el Brasil mediante el cálculo del aumento proporcional del número de médicos en los municipios participantes y los costos del programa, con estratificación por componente del costo y fuente de financiamiento. Métodos Se utilizaron datos oficiales de la edición del 2013 de Demografia médica no Brasil [demografía médica en el Brasil] para calcular el número de médicos antes del Programa "Mais Medicos". El número de médicos al final del cuarto ciclo de reclutamiento del programa (julio del 2014) se obtuvo del Ministerio de Salud. Se determinaron y calcularon los componentes de costos sobre la base de la legislación y las directrices del programa. Se eligieron los municipios participantes según cuatro ­criterios, todos relacionados con la vulnerabilidad. Resultados Mediante el Programa "Mais Médicos" se destinaron 14 462 médicos más a zonas sumamente vulnerables y remotas en 3 785 municipios (68% del total) y 34 distritos sanitarios indígenas especiales. El aumento del número de médicos fue mayor en las zonas más pobres (al Norte y Nordeste). El costo anual estimado de US$ 1 100 millones incluyó la dotación de médicos, la educación continua y la supervisión y tutoría. El financiamiento estuvo principalmente centralizado en el nivel ­federal (92,6%). Conclusiones Se considera que el costo del Programa "Mais Médicos" es relativamente moderado en relación con los posibles beneficios para la salud de la población. Con el mayor aumento de la dotación de médicos en las poblaciones más pobres y vulnerables se cumplió el objetivo de corregir los desequilibrios en la distribución del personal de salud. La experiencia de este programa en el Brasil puede contribuir al debate sobre cómo paliar la escasez de médicos.

RESUMO Objetivo Avaliar o Programa Mais Médicos (PMM) no Brasil estimando o aumento proporcional do número de médicos nos municípios participantes e os custos do ­programa, estratificado pelo componente de custo e fonte de financiamento. Métodos Os dados oficiais da edição de Demografia médica no Brasil de 2013 foram usados para estimar o número de médicos anterior ao PMM. O número de médicos ao final do quarto ciclo de recrutamento do PMM (julho de 2014) foi fornecido pelo Ministério da Saúde. Os componentes de custo foram identificados e calculados de acordo com a legislação e as diretrizes do PMM. Os municípios participantes foram selecionados segundo quatro critérios relacionados à vulnerabilidade. Resultados O PMM proveu um adicional de 14.462 médicos para áreas remotas ­bastante vulneráveis em 3.785 municípios (68% do total) e 34 distritos sanitários especiais indígenas. Houve aumento maior do número de médicos nas regiões mais pobres (Norte e Nordeste). O custo anual estimado de US$ 1,1 bilhão cobriu provisões ­médicas, educação continuada e supervisão/mentoria. O financiamento foi em grande parte centralizado ao nível federal (92,6%). Conclusão Considera-se que o custo do PMM seja relativamente moderado em relação aos benefícios em potencial à saúde da população. O aumento maior no número de médicos para atender a população mais pobres e vulnerável alcançou a meta de corrigir a má distribuição de profissionais da saúde. A experiência do PMM no Brasil pode subsidiar o debate visando reduzir a escassez de médicos.
Descritores: Economia da Saúde
Assistência à Saúde
Área Carente de Assistência Médica
-Brasil
Custos e Análise de Custo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-875931
Autor: Stralen, Ana Cristina Sousa Van; Massote, Alice Werneck; Carvalho, Cristiana Leite; Girardi, Sabado Nicolau.
Título: Percepção de médicos sobre fatores de atração e fixação em áreas remotas e desassistidas: rotas da escassez / Physician's perception on attracting and retaining factors in remote and underserved areas: shortage route
Fonte: Physis (Rio J.);27(1):147-172, jan.-mar. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A escassez e a má distribuição geográfica de médicos são problemas graves e persistentes no Brasil. Conhecer o que atrai e principalmente o que retém esses profissionais em áreas remotas e desassistidas é essencial para orientar políticas públicas. Neste trabalho, investigaram-se os principais fatores de atração e retenção em munícipios que apresentavam escassez de médicos, compondo as denominadas "rotas da escassez". Foram realizadas entrevistas em profundidade com 51 médicos em 10 rotas que abrangeram as cinco regiões do Brasil. Na análise de conteúdo, foram identificadas seis categorias: remuneração, vínculo de trabalho, condições de trabalho, fatores profissionais, fatores locais e fatores pessoais, divididas em 27 subcategorias, com destaque para os itens de salário, flexibilidade da jornada de trabalho, infraestrutura da unidade de saúde, origem do profissional, infraestrutura e opções de lazer do município. Os resultados evidenciam a importância de combinar diferentes incentivos, financeiros e não financeiros, para atrair médicos para áreas remotas e desassistidas.(AU)

The shortage and the maldistribution of physicians are severe and persistent problems in Brazil. Knowning what attracts and especially what retains these professionals in remote and underserved areas is essential to guide public policies aimed at this issue. This study investigated the main factors that attract and retain physicians in municipalities with shortage of physicians, composing the so-called "Shortage Routes"; 51 doctors in 10 routes covering the five regions of Brazil were in-depth interviewed. The content analyses identified six categories: wages, employment relationship, working conditions, work-related factors, local factors and personal factors, disaggregated in 27 subcategories; highlighting items as salary, flexibility of working hours, health facilities infrastructure, origin of the professional and infrastructure and leisure options in the city. The results show the importance of combining different incentives, financial and nonfinancial to attract doctors to remote and underserved areas.(AU)
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Distribuição de Médicos
Área Carente de Assistência Médica
-Brasil
Programas Nacionais de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-984559
Autor: Aguiar, Raphael Augusto Teixeira de; Macedo, Harineide Madeira.
Título: The More Doctors Program in remote areas: the experience of the Special Supervision Group in Pará, Brazil / O Programa Mais Médicos em áreas remotas: a experiência do Grupo Especial de Supervisão no Pará, Brasil / El Programa Más Médicos en áreas remotas: la experiencia del Grupo Especial de Supervisión en el estado de Pará, Brasil
Fonte: Interface (Botucatu, Online);23(supl.1):e180042, 2019. ilus.
Idioma: en.
Resumo: The More Doctors Program encompasses an academic supervision carried out by supervisory institutions that have signed an agreement with the Ministry of Education (MEC). Academic supervision is part of the educational offers and implies periodic and regular visits to participant doctors. However, due to the difficulties of some institutions in the North region to fulfill their responsibilities under the Project More Doctors for Brazil, MEC created the Special Supervision Group (GES), which has been operating since 2014 in that region. This article records the GES experience in the state of Pará from January 2015 to May 2017. Its main contribution is to enable the provision of care for the population that inhabits a vast region where there is shortage of doctors, as the supervision of the professionals is mandatory and if it did not occur, the Program would not be allowed in Pará.(AU)

O Programa Mais Médicos (PMM) abrange, no eixo provimento, a supervisão acadêmica, realizada por instituições supervisoras (IS) que firmaram termo de adesão com o Ministério da Educação (MEC). A supervisão é parte das ofertas educacionais e implica visita periódica e regular aos médicos participantes do PMM. Entretanto, devido às dificuldades de algumas IS da região Norte cumprirem o que lhes cabe no âmbito do Projeto Mais Médicos para o Brasil (PMMB), o MEC criou o Grupo Especial de Supervisão (GES), que atua desde 2014 nessa região. Este artigo registra a experiência do GES no estado do Pará no período de janeiro de 2015 a maio de 2017. Sua principal contribuição é possibilitar o atendimento à população habitante de uma região vasta e com notória escassez de médicos, uma vez que a supervisão dos profissionais é obrigatória e, caso ausente, inviabilizaria o programa no Pará.(AU)

El Programa Más Médicos (PMM) abarca la supervisión académica realizada por las Instituciones Supervisoras (IS) que hayan firmado documento de adhesión con el Ministerio de la Educación (MEC). La supervisión académica es parte de las ofertas educativas e implica una visita periódica y regular a los médicos del PMM. Sin embargo, debido a las dificultades de algunas IS de la región Norte para cumplir sus responsabilidades en el ámbito del PMMB, el MEC creó el Grupo Especial de Supervisión (GES), que actúa desde 2014 en la región. Este artículo registra la experiencia del GES en el estado de Pará en el período de enero de 2015 a mayo de 2017. Su contribución es hacer posible la asistencia a una población que habita una vasta región con notable escasez de médicos, una vez que la supervisión de los profesionales es obligatoria y si no la hubiera inviabilizaría el Programa en el Estado de Pará.(AU)
Descritores: Médicos
Atenção Primária à Saúde
Consórcios de Saúde
Visitas com Preceptor
Área Carente de Assistência Médica
-Brasil
Limites: Humanos
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  5 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Poz, Mario Roberto Dal
Texto completo
Id: biblio-880547
Autor: Oliveira, Ana Paula Cavalcante de; Poz, Mario Roberto Dal; Craveiro, Isabel; Gabriel, Mariana; Dussault, Gilles.
Título: Fatores que influenciaram o processo de formulação de políticas de recursos humanos em saúde no Brasil e em Portugal: estudo de caso múltiplo / Factores que influenciaron el proceso de formulación de políticas de recursos humanos en salud en Brasil y Portugal: estudio de caso múltiple / Factors that influence human resources for health policy formulation: a multiple case study in Brazil and Portugal
Fonte: Cad. Saúde Pública (Online);34(2), 2018. ilus, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: O estudo objetiva analisar o processo em que as políticas de recursos humanos em saúde (RHS), que visam melhorar a distribuição geográfica dos médicos, são (ou não) informadas por evidência científica no Brasil e em Portugal. Foi realizado um estudo de caso-múltiplo sobre o processo de decisão das políticas de RHS no Brasil e em Portugal. Para compor os estudos de caso, as políticas escolhidas foram o Programa Mais Médicos (PMM) e a estratégia de contratação de médicos estrangeiros por acordos bilaterais para o trabalho no Serviço Nacional de Saúde (SNS) português. Foram entrevistados 27 atores-chave no processo de formulação das políticas em análise nos seguintes tópicos: fatores que influenciaram a formulação, atores que eram esperados ganhar ou perder, evidências científicas e os dados disponíveis utilizados para a formulação, entre outros. Os fatores mais evidentes identificados nas entrevistas como sendo influenciadores do PMM foram: Instituições; Fatores Externos (eleições presidenciais); Interesses de grupos (por exemplo, associações de profissionais médicos), governos (brasileiro e cubano), organização internacional e sociedade civil; e Ideias (evidência científica). Os fatores mais listados em Portugal foram: Instituições e Interesses dos governos (português e envolvidos nos acordos bilaterais), sociedade civil e grupos (associações de profissionais médicos). Ao contrário do que se verificou no estudo de caso do Brasil, em que reconhecidamente a evidência teve um papel importante na formulação da política em análise, em Portugal a evidência científica não foi identificada como contributo para a formulação da intervenção em estudo.(AU)

El estudio tiene por objetivo analizar el proceso en el que las políticas de recursos humanos en salud (RHS), que tienen como fin la mejora de la distribución geográfica de los médicos, son (o no) informadas por evidencias científicas en Brasil y en Portugal. Se trata de un estudio de caso-múltiple sobre el proceso de decisión de las políticas de RHS en Brasil y en Portugal. Para configurar los estudios de caso, las políticas elegidas fueron el Programa Más Médicos (PMM) y la estrategia de contratación de médicos extranjeros mediante acuerdos bilaterales para el trabajo en el Servicio Nacional de Salud (SNS) portugués. Se entrevistaron a 27 actores-clave en el proceso de formulación de las políticas en el análisis en los siguientes asuntos: factores que influenciaron la formulación, actores que se esperaba ganar o perder, evidencias científicas y datos disponibles utilizados para la formulación, entre otros. Los factores más evidentes, identificados en las entrevistas como de influencia en el PMM, fueron: instituciones; factores externos (elecciones presidenciales); intereses de grupos (por ejemplo, asociaciones de profesionales médicos), gobiernos (brasileño y cubano), organización internacional y sociedad civil; e ideas (evidencia científica). Los factores más registrados en Portugal fueron: instituciones e intereses de los gobiernos (como el portugués y los involucrados en los acuerdos bilaterales), sociedad civil y grupos (asociaciones de profesionales médicos). Al contrario de lo que se verificó en el estudio de caso de Brasil, donde se reconoció que la evidencia tuvo un papel importante en la formulación de la política en análisis, en Portugal la evidencia científica no fue identificada como una contribución para la formulación de la intervención en estudio.(AU)

This study aims to analyze whether the process by which policies for human resources for health that aim to improve the geographic distribution of physicians have been informed by scientific evidence in Brazil and Portugal. This was a multiple case study on a decision-making process for human resources for health in Brazil and Portugal. The respective case studies were based on Brazil's More Doctors Program (Programa Mais Médicos - PMM) and Portugal's strategy of hiring foreign physicians through bilateral agreements, to work in the country's National Health Service (SNS). We interviewed 27 key actors in the policy-making process on the following topics: factors that influenced the policy decisions, actors that were expected to win or lose from the policy, and the scientific evidence and available data used in the policy-making, among others. The most evident factors appearing in the interviews as having influenced the PMM were: institutions; external factors (Presidential elections); group interests (e.g. physicians' professional associations), governments (Brazil and Cuba), international organizations, and civil society; and ideas (scientific evidence). The most frequently cited factors in Portugal were: institutions and interests of government (from Portugal and the countries involved in the bilateral agreements), civil society, and groups (physicians' professional associations). Contrary to the case study in Brazil, where the evidence was reported to having played an important role in the policy decisions, in Portugal, scientific evidence was not identified as contributing to the specific policy process.(AU)
Descritores: Formulação de Políticas
Políticas Públicas de Saúde
Mão de Obra em Saúde/organização & administração
Acesso aos Serviços de Saúde
Área Carente de Assistência Médica
-Portugal
Brasil
Programas Nacionais de Saúde
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-877998
Autor: Rojas Gualdrón, Diego Fernando; Caicedo Velásquez, Beatriz.
Título: Accesibilidad geográfica al cuidado obstétrico y neonatal y su efecto en la mortalidad neonatal temprana en Colombia 2012-2014 / Geographical Accessibility to Obstetric and Neonatal Care and its Effect on Early Neonatal Mortality in Colombia, 2012-2014
Fonte: MedUNAB;20(1):7-18, 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Introduction: The distribution of health resources influences early neonatal mortality, granting access to obstetric care which is a major public health problem. However, the geographical dimension of this influence has not been studied in Colombia. Objective: To describe the geographical accessibility to obstetric and neonatal care beds and its association with early neonatal mortality in Colombia and its municipalities. Method: An ecological study at municipal level was carried out. Ordinary least squares (OLS) regression and a geographically weighted regression (GWR) were used to explore statistical and spatial associations. Results: The municipalities in Colombia with Higher mortality tend to have lower geographical accessibility to obstetric and neonatal beds after controlling the fertility and economic characteristics of these municipalities. This association is significant only in municipalities of the west coast. The strength of this association decreases in inner municipalities. Discussion: The centralization of obstetric and neonatal beds in major municipalities around the central region leaves municipalities with high risk of mortality underserved. The decentralization of obstetric and neonatal healthcare resources is a mandatory issue in order to reduce geographical disparities in mortality and to improve neonatal survival, and a healthy beginning of life...(AU)

Introducción: La distribución de los recursos de salud influencia la mortalidad neonatal temprana, garantizar el acceso atención obstétrica es un problema de salud pública. Sin embargo, la dimensión geográfica de esta influencia no ha sido estudiada en Colombia. Objetivo: Describir la accesibilidad geográfica a camas obstétricas y neonatales y su asociación con la mortalidad neonatal temprana en Colombia por municipios. Método: Se realizó un estudio ecológico a nivel municipal. Se recurrió a regresión por mínimos cuadrados y a regresión geográficamente ponderada para explorar las asociaciones estadísticas y espaciales. Resultados: Municipios con mayores tasas de mortalidad tienden a mostrar menor accesibilidad geográfica a camas obstétricas y neonatales, después de controlar las características municipales, económicas y de fecundidad. Esta asociación solo es significativa en municipios de la costa oeste. La fuerza de la asociación disminuye en municipios del interior. Discusión: Centralizar las camas obstétricas y neonatales en ciudades principales de la región central deja desatendidos a los municipios con mayor mortalidad. La descentralización de recursos de cuidado obstétrico y neonatal es un asunto obligatorio para reducir desigualdades geográficas en mortalidad, aumentar la supervivencia neonatal y lograr un inicio de vida saludable...(AU)

Introdução: A distribuição dos recursos da saúde tem influência na mortalidade precoce do neonatal, garantir o acesso aos cuidados obstétricos é um problema da saúde pública. A pesar de que, a dimensão geográfica desta influência não foi estudada na Colômbia. Objetivo: Descrever a acessibilidade geográfica aos leitos obstétricos e neonatos e, a sua associação com a mortalidade neonatal precoce na Colômbia, nos municípios. Método: O estudo ecológico foi realizado nos municípios. A regressão de mínimos quadrados e a regressão geograficamente ponderada foram utilizadas para explorar as associações estatísticas e espaciais. Resultados: Os municípios com taxas de mortalidade mais elevadas tendem a mostrar menor acessibilidade geográfica aos leitos obstétricos e neonatos após o controle das características municipais, econômicas e da fertilidade. Esta associação é apenas significativa nos municípios do litoral oeste. A força da associação diminui nos municípios do interior. Discussão: A centralização de camas obstétricas e neonatas nas principais cidades da região central, deixa os municípios não atendidos com a maior taxa de mortalidade. A descentralização dos recursos dos cuidados obstétricos e neonatos é uma questão obrigatória para reduzir as desigualdades geográficas na mortalidade, aumentar a sobrevivência neonatal e alcançar um bom início de vida saudável...(AU)
Descritores: Disparidades em Assistência à Saúde
Acesso aos Serviços de Saúde
Área Carente de Assistência Médica
-Serviços de Saúde Materno-Infantil
Mortalidade Neonatal Precoce
Análise Espacial
Limites: Humanos
Responsável: CO179.9 - Facultad de Medicina


  7 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-788893
Autor: Torres-Quevedo, Rodrigo.
Título: Déficit de médicos especialistas en las regiones y en el sistema público / Deficit specialists in regions and public system
Fonte: Rev. chil. cir;68(4):279-280, jul. 2016.
Idioma: es.
Descritores: Médicos/provisão & distribução
Área Carente de Assistência Médica
-Chile
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  8 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Santos, Leonor Maria Pacheco
Texto completo
Id: biblio-883779
Autor: Silva, Everton Nunes da; Ramos, Maíra Catharina; Santos, Wallace; Rasella, Davide; Oliveira, Aimê; Santos, Leonor Maria Pacheco.
Título: Cost of providing doctors in remote and vulnerable areas: Programa Mais Médicos in Brazil / El costo de dotar de médicos a las zonas remotas y vulnerables: Programa Mais Médicos en el Brasil / O custo da provisão de médicos para áreas remotas e vulneráveis: Programa Mais Médicos no Brasil
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;42, 2018. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Objective. To evaluate the Programa Mais Médicos (More Doctors Program; PMM) in Brazil by estimating the proportional increase in the number of doctors in participating municipalities and the program costs, stratified by cost component and funding source. Methods. Official data from the 2013 edition of Demografia Médica no Brasil (Medical Demography in Brazil) was used to estimate the number of doctors prior to PMM. The number of doctors at the end of the fourth PMM recruiting cycle (July 2014) was obtained from the Ministry of Health. Cost components were identified and estimated based on PMM legislation and guidelines. The participating municipalities were chosen based on four criteria, all related to vulnerability. Results. The PMM provided an additional 14 462 physicians to highly vulnerable, remote areas in 3 785 municipalities (68% of the total) and 34 Special Indigenous Sanitary Districts. There was a greater increase of physicians in the poorest regions (North and Northeast). The estimated annual cost of US$ 1.1 billion covered medical provision, continuing education, and supervision/mentoring. Funding was largely centralized at the federal level (92.6%). Conclusion. The cost of PMM is considered relatively moderate in comparison to its potential benefits for population health. The greater increase of doctors for the poorest and most vulnerable met the target of correcting imbalances in health worker distribution. The PMM experience in Brazil can contribute to the debate on reducing physician shortages.(AU)

Objetivo. Evaluar el Programa "Mais Médicos" en el Brasil mediante el cálculo del aumento proporcional del número de médicos en los municipios participantes y los costos del programa, con estratificación por componente del costo y fuente de financiamiento. Métodos. Se utilizaron datos oficiales de la edición del 2013 de Demografia médica no Brasil [demografía médica en el Brasil] para calcular el número de médicos antes del Programa "Mais Medicos". El número de médicos al final del cuarto ciclo de reclutamiento del programa (julio del 2014) se obtuvo del Ministerio de Salud. Se determinaron y calcularon los componentes de costos sobre la base de la legislación y las directrices del programa. Se eligieron los municipios participantes según cuatro criterios, todos relacionados con la vulnerabilidad. Resultados. Mediante el Programa "Mais Médicos" se destinaron 14 462 médicos más a zonas sumamente vulnerables y remotas en 3 785 municipios (68% del total) y 34 distritos sanitarios indígenas especiales. El aumento del número de médicos fue mayor en las zonas más pobres (al Norte y Nordeste). El costo anual estimado de US$ 1 100 millones incluyó la dotación de médicos, la educación continua y la supervisión y tutoría. El financiamiento estuvo principalmente centralizado en el nivel federal (92,6%). Conclusiones. Se considera que el costo del Programa "Mais Médicos" es relativamente moderado en relación con los posibles beneficios para la salud de la población. Con el mayor aumento de la dotación de médicos en las poblaciones más pobres y vulnerables se cumplió el objetivo de corregir los desequilibrios en la distribución del personal de salud. La experiencia de este programa en el Brasil puede contribuir al debate sobre cómo paliar la escasez de médicos.(AU)

Objetivo. Avaliar o Programa Mais Médicos (PMM) no Brasil estimando o aumento proporcional do número de médicos nos municípios participantes e os custos do programa, estratificado pelo componente de custo e fonte de financiamento. Métodos. Os dados oficiais da edição de Demografia médica no Brasil de 2013 foram usados para estimar o número de médicos anterior ao PMM. O número de médicos ao final do quarto ciclo de recrutamento do PMM (julho de 2014) foi fornecido pelo Ministério da Saúde. Os componentes de custo foram identificados e calculados de acordo com a legislação e as diretrizes do PMM. Os municípios participantes foram selecionados segundo quatro critérios relacionados à vulnerabilidade. Resultados. O PMM proveu um adicional de 14.462 médicos para áreas remotas bastante vulneráveis em 3.785 municípios (68% do total) e 34 distritos sanitários especiais indígenas. Houve aumento maior do número de médicos nas regiões mais pobres (Norte e Nordeste). O custo anual estimado de US$ 1,1 bilhão cobriu provisões médicas, educação continuada e supervisão/mentoria. O financiamento foi em grande parte centralizado ao nível federal (92,6%). Conclusão. Considera-se que o custo do PMM seja relativamente moderado em rela- ção aos benefícios em potencial à saúde da população. O aumento maior no número de médicos para atender a população mais pobres e vulnerável alcançou a meta de corrigir a má distribuição de profissionais da saúde. A experiência do PMM no Brasil pode subsidiar o debate visando reduzir a escassez de médicos.(AU)
Descritores: Custos e Análise de Custo
Assistência à Saúde/estatística & dados numéricos
Economia da Saúde/estatística & dados numéricos
Área Carente de Assistência Médica
Programas Nacionais de Saúde
Avaliação de Programas e Projetos de Saúde
-Brasil
Distribuição de Médicos/estatística & dados numéricos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-870378
Autor: Rodrigues, Débora Cristina Bandeira.
Título: Conhecimentos tradicionais e mecanismos de proteção: estudo de caso nas comunidades de Ebenézer e Mucajá em Maués/AM / Traditional knowledge and protection mechanisms: a case study in Ebenezer and Mucajá communities in Maués / AM.
Fonte: Manaus; EDUA; 2015. 212 p.
Idioma: pt.
Descritores: Ecossistema Amazônico
Biodiversidade
Área Carente de Assistência Médica
Medicina Tradicional
Plantas Medicinais
-Conservação dos Recursos Naturais
Gestão do Conhecimento
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública
BR526.1; 615.321, R696c


  10 / 56 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bonachela, Wellington Cardoso
Id: biblio-851857
Autor: Kaiser, Osvaldo Bazzan; Bonachela, Wellington Cardoso; Hamata, Marcelo Matida; Kaizer, Rosane de Oliveira Fortes.
Título: Como entender o tratamento odontológico de idosos com deficiências / How to understand dental treatment of elderly people with deficiency
Fonte: JBG J. bras. odonto;2(4):08-19, jan.-mar. 2006. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Apesar da necessidade de uma maior atenção à odontologia em nosso país, tendo em vista o crescente aumento da população de idosos, a maioria das faculdades de odontologia não incluiu, até o presente momento, esta ciência em seus currículos. De tal forma, a maioria dos profissionais encontra-se ainda despreparada para prestar um atendimento ideal à população de terceira idade, especialmente aos idosos portadores de deficiências. Este artigo irá abordar aspectos importantes sobre pacientes idosos com dificuldades visuais, auditivas, mentais, ortopédicas ou de fonação, além de fornecer indicações para montagem de uma clínica mais adequada para servir estes pacientes com necessidades especiais
Descritores: Saúde Bucal
Odontologia Geriátrica
Pessoas com Deficiência
-Anamnese Homeopática
Área Carente de Assistência Médica
Odontologia Geriátrica/educação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR501.1 - Biblioteca de Ciências da Saúde / Sede Botânico



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde