Base de dados : LILACS
Pesquisa : N05.715.350.675 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3959 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 396 ir para página                         

  1 / 3959 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890419
Autor: Duarte, André Luís de Castro Moura; Oliveira, Felippe de Medeiros; Santos, Anderson de Andrade; Santos, Bento Fortunato Cardoso dos.
Título: Evolução na utilização e nos gastos de uma operadora de saúde / Evolution in the use and the expenditures of a healthcare provider
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(8):2753-2762, Ago. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O envelhecimento da população e o crescimento no número de pessoas expostas aos cuidados do sistema de saúde suplementar no Brasil aumentam a preocupação dos gestores públicos e privados com o crescimento dos custos da área de saúde. Neste trabalho foram analisados os custos por gênero, por tipo de gasto médico e por faixa etária de uma operadora de autogestão brasileira no período entre 2007 a 2013. Tal operadora é de grande interesse pois além de retratar uma condição única de restrição de crescimento de receita, também replica o perfil demográfico esperado para o Brasil no ano de 2050, quando aproximadamente um terço da sua população estará acima dos 60 anos. As análises corroboram a literatura vigente uma vez que demonstram um aumento na utilização do plano pelos mais idosos, e apontam para uma diferença nas taxas de internação entre os gêneros. O estudo também mostra um expressivo aumento no tempo médio de permanência nos hospitais e mostra crescimento dos gastos médicos muito acima da inflação, com destaque para materiais e medicamentos. No geral, esperamos que o presente estudo auxilie estudiosos e interessados em futuras comparações dos gastos médicos por idade e gênero e que colabore na sustentabilidade das operadoras de saúde no Brasil.

Abstract Brazil's aging population and the rising number of people reliant upon the country's supplementary healthcare system have elicited the concern of public and private managers regarding the increase in healthcare costs. In this paper, the costs per gender, per type of medical expenses and per age group of a major Brazilian self-managed healthcare provider between 2007 and 2013 were analyzed. This healthcare provider is of interest because, besides portraying a single condition of revenue growth restricted to the existing contributors, it also replicates the demographic profile expected for Brazil in 2050, when approximately one-third of its population will be over 60 years of age. The analyses confirm the current literature as they show an increase in healthcare plan usage by the elderly and the difference between admission rates by gender. They also reveal an increase in average length of stay in hospital and the increase in medical costs far above inflation, especially for materials and medicines. It is hoped that this study will help scholars and others interested in comparisons of medical expense trends, especially by age and sex, and that it encourages further collaboration on the sustainability of health insurance providers in Brazil.
Descritores: Custos de Cuidados de Saúde/tendências
Pessoal de Saúde/estatística & dados numéricos
Gastos em Saúde/tendências
Assistência à Saúde/estatística & dados numéricos
-Brasil
Envelhecimento
Fatores Sexuais
Fatores Etários
Pessoal de Saúde/economia
Assistência à Saúde/economia
Hospitalização/estatística & dados numéricos
Tempo de Internação/tendências
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890432
Autor: Zeni, Ana Lúcia Bertarello; Parisotto, Amanda Varnier; Mattos, Gerson; Helena, Ernani Tiaraju de Santa.
Título: Utilização de plantas medicinais como remédio caseiro na Atenção Primária em Blumenau, Santa Catarina, Brasil / Use of medicinal plants as home remedies in Primary Health Care in Blumenau - State of Santa Catarina, Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(8):2703-2712, Ago. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Na última década foi observado um aumento no uso de práticas terapêuticas alternativas apoiadas por políticas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), em particular o uso de plantas medicinais e de fitoterápicos. Este estudo investigou o uso de remédios caseiros pelos usuários da Atenção Primária da Saúde do município de Blumenau, em Santa Catarina. Estudo epidemiológico observacional seccional, cujos dados foram obtidos através de questionário aplicado a 701 indivíduos. Utilizou-se um modelo de regressão logística não condicional para estimar a associação entre uso de remédios caseiros e variáveis sociodemográficas e médicoassistenciais. Observou-se que 21,9% dos entrevistados utilizaram remédios caseiros, sendo as plantas medicinais obtidas no quintal das casas a principal escolha. Como as mais citadas destacaram-se erva-cidreira, camomila, hortelã e limão. O uso de remédios caseiros se mostrou associado ao sexo feminino, à idade mais avançada e à modalidade de serviço, Estratégia Saúde da Família. Os resultados mostraram que as plantas medicinais são utilizadas como alternativa terapêutica. Entretanto, é necessário que os serviços de atenção primária garantam o acesso aos produtos naturais, bem como profissionais qualificados capazes de fornecer orientações sobre sua utilização.

Abstract An increase in the use of alternative therapeutic practices has been observed in the past decade, especially in medicinal plants, herbal and home remedies, which has been supported by policies within the scope of the Unified Health System (SUS). This study investigated the use of home remedies by users of Primary Health Care in Blumenau, State of Santa Catarina. It is a cross-sectional, observational and epidemiological study, the data for which were obtained via a questionnaire applied to 701 individuals. An unconditional logistic regression model was used to estimate the association between the use of home remedies and socio-demographic and medical care variables. It was observed that 21.9% of the sample use home remedies and medicinal plants grown in the back yard are the remedies of choice. Lemon balm, chamomile, peppermint and lime were the remedies most frequently mentioned. The use of home remedies was associated with the female gender, older age and the Family Health Strategy care model. The results supported that medicinal plants are used by the population as a therapeutic alternative option. However, it is necessary that primary care services ensure both access to natural products and supply qualified professionals to give instructions regarding the correct usage of home remedies.
Descritores: Plantas Medicinais/química
Preparações de Plantas/uso terapêutico
Fitoterapia/métodos
Medicina Tradicional/métodos
-Atenção Primária à Saúde
Brasil
Modelos Logísticos
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Fatores Etários
Preparações de Plantas/química
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890457
Autor: González-Pérez, Guillermo Julián; Vega-López, María Guadalupe; Flores-Villavicencio, María Elena.
Título: El incremento de la mortalidad por armas de fuego y su relación con el estancamiento de la esperanza de vida en México / The increase of firearm mortality and its relationship with the stagnation of life expectancy in Mexico
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2861-2872, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Este estudio analiza la mortalidad por armas de fuego (AF) en México y su impacto en la esperanza de vida (EV) - comparado con otras causas de muerte- entre los trienios 2000-2002 y 2010-2012 e identifica el papel de los grupos de edad en la pérdida de años de EV por esta causa. A partir de datos oficiales se elaboraron tablas de vida abreviadas para México, por sexo, para ambos trienios; esto permitió calcular la EV temporaria entre 15 y 75 años y los años de esperanza de vida perdidos (AEVP) entre ambas edades, por causa. Entre los hombres, la mortalidad por AF pasó de ser la causa que menos AEVP provocó en 2000-2002 a ser la principal causa de AEVP entre 15 y 75 años en 2010-2012. Entre las mujeres, fueron los AEVP por esta causa los que relativamente más crecieron. En ambos sexos el mayor aumento de los AEVP por AF fue entre 20 y 34 años. Los hallazgos indican que el aumento de la mortalidad por AF, sobre todo entre los jóvenes, ha contribuido sustancialmente al estancamiento de la esperanza de vida, e incluso a su descenso entre los hombres. Esto refleja que la violencia ligada a las AF no es solo un problema de seguridad sino también un problema de salud colectiva que debe ser afrontado de forma interdisciplinaria e intersectorial si se pretende incrementar la esperanza de vida del país.

Abstract This study analyzes firearms mortality (FA) and their impact on life expectancy in Mexico -compared to other causes of deaths- during the three-year periods 2000-2002 and 2010-2012 and the weight of the different age groups in years of life expectancy lost (YLEL) due to this cause. Based on official death and population data, abridged life tables in Mexico were constructed for the three-year periods studied. Temporary life expectancy and YLEL for aged 15 to 75 by selected causes and age groups were calculated in each three-year period. Among men, FA mortality went from being the cause less YLEL caused in 2000-2002 to be the main cause of YLEL between 15 and 75 years in 2010-2012. Among women, YLEL for FA mortality had a higher relative growth. In both sexes, the greatest increase in YLEL by FA mortality was between 20 and 34 years. Findings indicate that the increase in FA mortality, especially among young people, has substantially contributed to the stagnation of life expectancy in recent years, and even his decline in the case of men. This reflects that violence linked to the FA is not only a security problem but also a collective health problem that must be copied in an interdisciplinary and intersectoral form if it is to increase the life expectancy of the country.
Descritores: Violência/estatística & dados numéricos
Armas de Fogo/estatística & dados numéricos
Expectativa de Vida/tendências
-Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Causas de Morte
Fatores Etários
México/epidemiologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890458
Autor: Malta, Deborah Carvalho; Bernal, Regina Tomie Ivata; Pugedo, Fabricia Soares Freire; Lima, Cheila Marina; Mascarenhas, Marcio Denis Medeiros; Jorge, Alzira de Oliveira; Melo, Elza Machado de.
Título: Violências contra adolescentes nas capitais brasileiras, segundo inquérito em serviços de urgência / Violence against adolescents in Brazilian capitals based on a survey conducted at emergency services
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2899-2908, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo No estudo descrevem-se as características das violências praticadas contra os adolescentes atendidos em serviços de urgência e emergência participantes do inquérito Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA), em 2014, e analisar possíveis associações entre as variáveis. Foram analisados dados de 815 adolescentes na amostra e utilizada a análise de correspondência, que consiste em análise exploratória, visando identificar variáveis associadas de forma simultânea à violência contra eles. A agressão praticada contra os adolescentes teve como vítimas mais frequentes o sexo masculino, o meio de agressão utilizado foi a arma de fogo e objeto pérfuro cortante. Na faixa etária de 15 a 19 anos, predominaram as ocorrências praticadas nas vias públicas, por agressores desconhecidos e predominaram lesões como fraturas e cortes. Entre as vítimas entre 10 e 14 anos, o local de ocorrência foi a escola e o agressor foi o amigo, por meio de ameaças. Entre as vítimas do sexo feminino, as ocorrências foram mais frequentes na residência. Conclui-se que a violência envolvendo adolescentes perpassa as mais importantes instituições socializadoras: a família, a escola, apontando a necessidade de mobilizar toda a sociedade na perspectiva do seu enfrentamento.

Abstract This study explored the characteristics of violence against adolescents who received treatment at urgent and emergency care centers participating in the 2014 Violence and Accident Surveillance System (Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes, VIVA) survey and determined the association between demographic variables and the characteristics of violent events. The sample was composed of 815 adolescents who responded to the 2014 VIVA survey. Correspondence analysis was used to determine possible associations between the variables. Victims were predominantly males and the most common form of aggression was the use of firearms and sharp objects. Among males aged between 15 and 19 years, violent acts were predominantly committed in public thoroughfares and by strangers, and the most common injuries consisted of fractures and cuts, while among younger adolescents aged between 10 and 14 years the most common form of aggression was threats made by friends at school. The most common place of occurrence among females was the home. It is concluded that violence against adolescents permeates the chief agencies of socialization - the family and school - demonstrating the need to mobilize the whole society in tackling this problem.
Descritores: Violência/estatística & dados numéricos
Violência Doméstica/estatística & dados numéricos
Serviços Médicos de Emergência/estatística & dados numéricos
-Armas de Fogo/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Fatores Etários
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Minayo, Maria Cecília de Souza
Texto completo
Id: biblio-890459
Autor: Bahia, Camila Alves; Avanci, Joviana Quintes; Pinto, Liana Wernersbach; Minayo, Maria Cecilia de Souza.
Título: Lesão autoprovocada em todos os ciclos da vida: perfil das vítimas em serviços de urgência e emergência de capitais do Brasil / Self-harm throughout all life cycles: profile of victims using urgent and emergency care services in Brazilian state capitals
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2841-2850, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Caracteriza-se o perfil das vítimas de lesão autoprovocada que procuraram atendimento em serviços de urgência e emergência nas capitais brasileiras, utilizando-se a base de dados do Viva Inquérito 2014. Foi realizada estatística descritiva das lesões autoprovocadas por sexo e análise por regressão logística. As características avaliadas foram: faixa etária, sexo, raça/cor de pele, escolaridade, zona de residência, características do evento, uso de álcool e evolução do atendimento. Os resultados mostram que quase 10% dos atendimentos por violências nos serviços de urgência e emergência pesquisados decorrem de lesões autoprovocadas, com destaque para casos que envolvem mulheres e adultos. Há diferenças entre gêneros, inclusive as relacionadas à escolha do método para cometer suicídio. Alguns fatores geralmente associados às tentativas de suicídio não puderam ser avaliados, porque as informações não estavam contidas no escopo do instrumento de coleta. Conclui-se que o serviço de emergência é muito importante para os estudos de suicídio porque constituem a porta de entrada dos casos que chegam aos serviços. No entanto, dado seu caráter pontual, as informações que emite são muito restritas. Assim, os pacientes necessitam de acompanhamento posterior para prevenção das reincidências.

Abstract The aim of the study was to characterize the profile of victims of self-inflicted injuries, who were attended at urgent and emergency care services in Brazilian state capitals, by using the "Viva Survey" database of 2014. Descriptive statistics of the self-inflicted injuries by gender, as well as logistic regression analysis, were performed. The evaluated characteristics were age, gender, race/skin color, education, area of residence, characteristics of the event, alcohol use and the outcome of the case. The results showed that almost 10% of the surveyed cases that were treated by emergency medical services in relation to violence were due to self-inflicted injuries: of particular note were the cases involving females and adults. Gender differences were found, including some that were related to the method chosen to commit suicide. It was not possible to evaluate some factors that are generally associated with suicide attempts because the necessary information was not within the scope of the instrument used for data collection. It was concluded that emergency medical services are very important in terms of studies regarding suicide because they are the gateway to such cases. However, given its sensitive nature, the information issued by emergency medical services is very restricted. Consequently, patients need appropriate follow-up to prevent further suicide attempts.
Descritores: Suicídio/estatística & dados numéricos
Tentativa de Suicídio/estatística & dados numéricos
Violência/estatística & dados numéricos
Comportamento Autodestrutivo/epidemiologia
-Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Bases de Dados Factuais
Serviços Médicos de Emergência/estatística & dados numéricos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Souza, Edinilsa Ramos de
Texto completo
Id: biblio-890462
Autor: González-Pérez, Guillermo Julián; Vega-López, María Guadalupe; Souza, Edinilsa Ramos de; Pinto, Liana Wernersbach.
Título: Mortalidad por violencias y su impacto en la esperanza de vida: una comparación entre México y Brasil / Violence deaths and its impact on life expectancy: a comparison between Mexico and Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2797-2809, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Resumen A partir de datos oficiales, se analizó la mortalidad por violencias (MV):homicidio, suicidio, eventos de intención no determinada e intervención legal, en Brasil y México y su impacto en la esperanza de vida (EV) entre los trienios 2002-04 y 2012-14, y se identificó los grupos etarios en los años de esperanza de vida perdidos (AEVP) por estas causas. Se construyeron tablas de vida abreviadas para los dos países, por sexo, para ambos trienios; esto permitió calcular la EV temporaria entre 0 y 80 años y los AEVP entre ambas edades, por causa. Entre los hombres, los homicidios fueron la principal causa de AEVP en ambos trienios en Brasil (1,5 años), y la segunda en México en 2012-14 (1 año). La MV provocó alrededor del 16% de los AEVP en Brasil y del 13% en México en 2012-14. Entre las mujeres, fueron los AEVP por homicidios y suicidios los que relativamente más crecieron en ambos países, aunque la MV causó apenas 3% del total de AEVP en 2012-14. En los dos países y en ambos sexos los AEVP por violencias fueron más altos entre 15 y 29 años. Así, en México el aumento de la MV, sobre todo en jóvenes, ha contribuido al estancamiento de la EV, en especial la masculina, mientras que en Brasil las altas tasas de MV en ambos trienios no han favorecido un mayor incremento de la EV.

Abstract Using official data, this study analyzed violent deaths (homicide, suicide, events of undetermined intent and deaths due to legal intervention) in Brazil and Mexico in the three-year periods 2002-2004 and 2012-14, the impact of these causes of death on life expectancy in both countries and the role of the different age groups in years of life expectancy lost (YLEL). Abridged life tables were constructed for both countries for both periods. Temporary life expectancy and YLEL between zero and 80 years by selected causes and age groups were calculated for each triennium. The leading cause of YLEL among men was homicide in both periods in Brazil (1.5 years) and in the second period in Mexico (one year). Violent deaths (VD) accounted for around 16% of YLEL in Brazil and 13% in Mexico in 2012-2014. Among women, YLEL due to homicides and suicides showed the greatest relative increase in both countries, although VD accounted for barely 3% of total YLEL. The highest percentage of YLEL due to VDwas found among the 15 to 29 year age groups in both countries and for both sexes. The increase in rates of VD in Mexico, above all among young people, has curbed further increases in life expectancy in recent years, especially among men. Likewise, the high rates of VD in Brazil in both periods have hindered the growth of life expectancy.
Descritores: Suicídio/estatística & dados numéricos
Violência/estatística & dados numéricos
Expectativa de Vida/tendências
Homicídio/estatística & dados numéricos
-Brasil/epidemiologia
Fatores Sexuais
Causas de Morte
Fatores Etários
México/epidemiologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890465
Autor: Souto, Rayone Moreira Costa Veloso; Barufaldi, Laura Augusta; Nico, Lucélia Silva; Freitas, Mariana Gonçalves de.
Título: Perfil epidemiológico do atendimento por violência nos serviços públicos de urgência e emergência em capitais brasileiras, Viva 2014 / Epidemiological profile of care for violence in public urgency and emergency services in Brazilian capital, Viva 2014
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2811-2823, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo As lesões e mortes decorrentes da violência constituem importante problema de saúde pública no Brasil. O artigo tem como objetivo descrever o perfil dos atendimentos por violência em serviços de urgência e emergência de capitais brasileiras. Trata-se de um estudo descritivo do inquérito de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA), realizado em emergências públicas das capitais brasileiras, de setembro a novembro de 2014, perfazendo um total de 4.406 atendimentos por agressões. Foram consideradas as seguintes categorias de análise: 1) característica sociodemográfica (sexo, faixa etária, raça/cor da pele, escolaridade, local de residência, vulnerabilidade, ingestão de álcool); 2) característica do evento (provável autor, natureza e meio da agressão) e características do atendimento (locomoção para o hospital, atendimento prévio, evolução). Do total de atendimentos por violência (n = 4406), a maior prevalência ocorreu entre jovens de 20 a 39 anos (50,2%), do sexo masculino, negros e de baixa escolaridade. Quanto às características do evento destaca-se que: 87,8% foram agressões físicas; 46,3% corte/laceração e 13,7% envolveram arma de fogo. Os resultados enfatizam a necessidade de fortalecer as ações intersetoriais visando ampliar a rede de atenção e proteção.

Abstract Injuries and deaths resulting from violence constitute a major public health problem in Brazil. The article aims to describe the profile of calls for violence in emergency departments and emergency Brazilian capitals. This is a descriptive study of Violence and Accident Surveillance System (VIVA), carried out in public emergencies Brazilian cities, from September to November 2014, a total of 4406 calls for aggression. We considered the following categories of analysis: 1) sociodemographic characteristics (gender, age, race / skin color, education, place of residence, vulnerability, alcohol intake); 2) Event feature (probable author, nature and means of aggression); and characteristics of care (getting to the hospital, prior service, evolution). Of the total calls for violence (n = 4406), the highest prevalence was among young people 20-39 years (50.2%), male, black and low education. As for the event characteristics it stands out that 87.8% were physical assaults; 46.3% cut/laceration and 13.7% involved a firearm. The results point to the need to strengthen intersectoral actions to expand the network of care and protection.
Descritores: Violência/estatística & dados numéricos
Saúde Pública
Serviços Médicos de Emergência/estatística & dados numéricos
Serviço Hospitalar de Emergência/estatística & dados numéricos
-Armas de Fogo/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Consumo de Bebidas Alcoólicas/epidemiologia
Acidentes/estatística & dados numéricos
Fatores Sexuais
Prevalência
Estudos Transversais
Fatores Etários
Agressão
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Assis, Simone Gonçalves de
Texto completo
Id: biblio-890467
Autor: Avanci, Joviana Quintes; Pinto, Liana Wernersbach; Assis, Simone Gonçalves de.
Título: Atendimento dos casos de violência em serviços de urgência e emergência brasileiros com foco nas relações intrafamiliares e nos ciclos de vida / Treatment for cases of violence by Brazilian emergency services focusing on family relationships and life cycles
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2825-2840, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O presente estudo analisa dados de violência intrafamiliar atendidos nos serviços de emergência segundo as características sociodemográficas das pessoas atendidas, do evento e a evolução do atendimento, da infância à velhice por sexo; e os fatores que diferenciam os eventos de violência intrafamiliar em comparação aos cometidos por não familiares. Foram analisados dados de 24 capitais brasileiras e do Distrito Federal, compreendendo 86 serviços de urgência e emergência e englobando um total de 4.893 indivíduos. Dentre o total de atendimentos, 26,6% sofreram violência intrafamiliar (40,0% crianças/adolescentes, 57,2% adultos e 2,8% idosos). O modelo ajustado, que compara as vítimas de violências cometidas por familiares em relação aos não familiares, mostra que ser do sexo masculino possui menor chance de sofrer violência intrafamiliar, ter menos anos de estudo tem risco aumentado e mulheres têm maior chance de cometerem violência intrafamiliar se comparado com a categoria "ambos os sexos". O estudo reforça que os profissionais de saúde precisam ser habilitados a lidar com o fenômeno da violência familiar, prestando apoio e suporte, realizando boas práticas e cuidados protocolares, cuidando das lesões e promovendo acesso a outros serviços.

Abstract This article analyzes data regarding cases of domestic violence treated by the emergency services through the following: the sociodemographic characteristics of the people who were treated; the events themselves; the evolution of care (from childhood to old age by gender); and the factors that differentiate cases of domestic violence compared to those committed by non-family members. Data from 24 Brazilian state capitals and the Federal District were analyzed, comprising 86 emergency services: a total of 4,893 individuals were surveyed. Of those people who were treated by emergency services, 26.6% suffered domestic violence: 40.0% were children/adolescents, 57.2% were adults and 2.8% were elderly. The adjusted model, which compared victims of violence committed by other family members with those who were not family members, showed that males were less likely to suffer from domestic violence; those that had fewer years of education were at increased risk; and that women were more likely to commit domestic violence compared to the category of "both genders". This study reinforces the fact that health sector professionals need to be able to deal with domestic violence by providing support, performing good practices, abiding by care protocols, taking care of injuries, and facilitating access to other services.
Descritores: Família
Violência Doméstica/estatística & dados numéricos
Serviços Médicos de Emergência/estatística & dados numéricos
Relações Familiares
-Brasil/epidemiologia
Fatores Sexuais
Inquéritos e Questionários
Fatores de Risco
Fatores Etários
Escolaridade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 3959 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890450
Autor: Bernardino, Ítalo Macedo; Barbosa, Kevan Guilherme Nóbrega; Nóbrega, Lorena Marques; Cavalcante, Gigliana Maria Sobral; Ferreira, Efigenia Ferreira e; d'Ávila, Sérgio.
Título: Violência interpessoal, circunstâncias das agressões e padrões dos traumas maxilofaciais na região metropolitana de Campina Grande, Paraíba, Brasil (2008-2011) / Interpersonal violence, circumstances of aggressions and patterns of maxillofacial injuries in the metropolitan area of Campina Grande, State of Paraíba, Brazil (2008-2011)
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3033-3044, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO O objetivo deste estudo foi determinar as circunstâncias das agressões e os padrões dos traumas maxilofaciais entre vítimas de violência interpessoal. Tratou-se de um estudo transversal e exploratório feito a partir da análise de 7.132 registros médico-legais e sociais de vítimas de violência interpessoal atendidas em um Centro de Medicina Legal e Odontologia Forense. Foi feita estatística descritiva e multivariada, usando Análise de Correspondência Múltipla. Três grupos com perfis distintos de vitimização foram identificados. O primeiro grupo foi formado majoritariamente por homens, de diferentes faixas etárias, vítimas de violência comunitária, resultando em fratura de ossos faciais ou fratura dentoalveolar. O segundo grupo foi composto essencialmente por adolescentes (10-19 anos), de ambos os sexos, vítimas de violência interpessoal e que não apresentaram um padrão específico de trauma. O terceiro grupo reuniu mulheres, adultas (≥ 20 anos), vítimas de violência doméstica, resultando em lesão de tecidos moles da face ou em outras regiões do corpo. Os resultados sugerem que as características sociodemográficas e circunstanciais são fatores importantes na vitimização por traumatismo maxilofacial e violência interpessoal.

Abstract The aim of this study was to determine the circumstances of aggressions and patterns of maxillofacial injuries among victims of interpersonal violence. This was a cross-sectional and exploratory study conducted from the analysis of 7,132 medical-legal and social records of interpersonal violence victims seen in a Forensic Medicine and Dentistry Center. Descriptive and multivariate statistics were performed using Multiple Correspondence Analysis. Three groups with different victimization profiles were identified. The first group was mainly composed of men of different age groups, victims of community violence that resulted in facial bones or dentoalveolar fracture. The second group was mainly composed of adolescents (10-19 years) of both sexes, victims of interpersonal violence and without specific pattern of injuries. The third group was composed of adult women (≥ 20 years) victims of domestic violence that resulted in injuries of soft tissues of face or other body regions. The results suggest that sociodemographic and circumstantial characteristics are important factors in victimization by maxillofacial injuries and interpersonal violence.
Descritores: Violência/estatística & dados numéricos
Violência Doméstica/estatística & dados numéricos
Vítimas de Crime/estatística & dados numéricos
Fraturas Ósseas/epidemiologia
Traumatismos Maxilofaciais/etiologia
-Brasil/epidemiologia
Projetos Piloto
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Agressão
Medicina Legal
Traumatismos Maxilofaciais/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 3959 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890449
Autor: Rodrigues, Nádia Cristina Pinheiro; O'Dwyer, Gisele; Andrade, Mônica Kramer de Noronha; Flynn, Matthew Brian; Monteiro, Denise Leite Maia; Lino, Valéria Teresa Saraiva.
Título: The increase in domestic violence in Brazil from 2009-2014 / O aumento da violência doméstica no Brasil, 2009-2014
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2873-2880, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract In recent decades, the rise violent phenomena in Brazil has reached epidemic proportions. However, the prevalence of domestic violence (DV) across different states in the country is not well established. The objective of this study was to describe the distribution of DV across Brazilian states from 2009 to 2014. An ecological study based on spatial analysis techniques was performed using Brazilian states as geographical units of analysis. A multilevel Poisson model was used to explain the risk of DV in Brazil according to age, sex, period (fixed effects), the Human Developing Index, and the victim's residence state (random effects). The overall average rate of DV almost tripled from 2009-2010 to 2013-2014. The rate of DV in Brazil in the 2013-2014 period was 3.52 times greater than the 2009-2010 period. The risk of DV in men was 74% lower than in women. The increase of DV against women during period under study occurred mainly in the Southeast, South, and Midwest. DV was more frequent in adolescence and adulthood. DV is gradually increasing in recent years in Brazil. More legislation and government programs are needed to combat the growth of violence in society.

Resumo Nas últimas décadas houve um aumento epidêmico da ocorrência de fenômenos de violência no Brasil. Entretanto, a distribuição do padrão de violência doméstica (VD) nos diferentes estados ainda não está bem estabelecida. O objetivo deste estudo foi descrever a distribuição de VD entre os estados brasileiros de 2009 a 2014. Estudo ecológico utilizando-se técnicas de análise espacial. Os estados foram utilizados como unidades de análise. Modelo de regressão multinível de Poisson foi utilizado para explicar o risco de VD segundo idade, sexo, período (fatores fixos), Índice de Desenvolvimento Humano e estado de residência (efeitos aleatórios). As taxas médias gerais de notificações de VD quase triplicaram de 2009-2010 para 2013-2014. A taxa de VD no Brasil em 2013-2014 foi 3.52 vezes maior do que em 2009-2010. O risco de VD em homens foi 74% menor do que nas mulheres. O aumento da violência doméstica nas mulheres ao longo do tempo ocorreu principalmente no sudeste, sul e centro-oeste. A VD foi mais frequente em adolescentes e na fase adulta. A VD tem aumentado gradativamente nos últimos anos. O governo brasileiro ainda precisa avançar em termos de legislação e planos de ação, no intuito de combater o crescente problema da violência.
Descritores: Violência Doméstica/estatística & dados numéricos
-Brasil/epidemiologia
Distribuição de Poisson
Fatores Sexuais
Prevalência
Fatores Etários
Análise Espacial
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 396 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde