Base de dados : LILACS
Pesquisa : SH1 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 73 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 8 ir para página                    

  1 / 73 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1252031
Autor: Rincón-Torres, Carlos Eduardo; Rubio, Vivian; Castro, Claudia; García, Ingrid; Cruz, Oscar Andrés; Trujillo-Trujillo, Julián; Puerto, Gloria Mercedes.
Título: Red Nacional de Gestión de Conocimiento, Investigación e Innovación en Tuberculosis en Colombia / National Network for Knowledge Management, Research, and Innovation in Tuberculosis in Colombia / Rede Nacional de Gestão do Conhecimento, Pesquisa e Inovação em tuberculose na Colômbia
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;45:e23, 2021. tab.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN El Ministerio de Salud y Protección Social de Colombia, en colaboración con el Instituto Nacional de Salud y la Organización Panamericana de la Salud, convocaron en 2018 a todos los actores asociados al Programa Nacional de Prevención y Control de la Tuberculosis (PNPCT) y el Sistema Nacional de Ciencia, Tecnología e Innovación a la conformación de una red nacional que coordinara la investigación operativa (IO) relacionada con la tuberculosis (TB) en el país. Se realizaron siete talleres en los que se llegó al consenso de establecer la Red Nacional de Gestión de Conocimiento, Investigación e Innovación en Tuberculosis en Colombia (Red TB Colombia). Con más de 180 participantes, organizados en un nodo central y cinco nodos regionales que agrupan a las 37 entidades territoriales, en 2019 la Red TB Colombia realizó cuatro jornadas de capacitación en IO y definió 65 temas priorizados de investigación, ajustados a las líneas estratégicas establecidas por el PNPCT: prevención y atención integral, con foco en los afectados por la TB (41 temas en tres módulos) y compromiso político, protección social y sistemas de apoyo (24 temas en cuatro módulos). La priorización se realizó por el método de comparación por pares. La Red TB Colombia sigue activa y contribuye a la gestión del conocimiento dirigido a eliminar la TB en el país y ha permitido avanzar en la construcción de planes y la ejecución de proyectos locales de IO que generan resultados científicamente validados para fortalecer el PNPCT y mejorar la atención de los pacientes con TB.

ABSTRACT In 2018, the Colombian Ministry of Health and Social Protection, in collaboration with the National Health Institute and the Pan American Health Organization, convened all actors associated with the National Tuberculosis Prevention and Control Program (PNPCT) and the National Science, Technology, and Innovation System to form a national network to coordinate operations research on tuberculosis (TB) in the country. Seven workshops were held and a consensus was reached to establish the National Network for Knowledge Management, Research, and Innovation in Tuberculosis in Colombia (TB Colombia Network). With more than 180 participants, a central node, and five regional nodes that bring together the country's 37 territorial entities, the TB Colombia Network conducted four days of training in operations research in 2019, defining 65 priority research topics aligned with the strategic lines in the PNPCT: prevention and comprehensive care, with a focus on people affected by TB (41 topics in three modules); and political commitment, social protection, and support systems (24 topics in four modules). The peer comparison method was used for prioritization. The TB Colombia Network remains active and contributes to knowledge management aimed at eliminating TB in Colombia. It has helped make progress in building plans and implementing local operations research projects that generate scientifically validated results to strengthen the PNPCT and improve the care of TB patients.

RESUMO O Ministério da Saúde e Previdência Social da Colômbia, em cooperação com o Instituto Nacional de Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), convocou em 2018 todas as partes interessadas vinculadas ao Programa Nacional de Prevenção e Controle da Tuberculose (PNPCT) e ao Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para formar uma rede nacional com o objetivo de coordenar a pesquisa operacional em tuberculose no país. Foram promovidos sete seminários e, deste processo, se chegou a um consenso para criar a Rede Nacional de Gestão do Conhecimento, Pesquisa e Inovação em Tuberculose na Colômbia (Rede TB Colômbia). A rede conta com mais de 180 participantes, organizados em um núcleo central e cinco núcleos regionais que congregam 37 entidades territoriais. Em 2019, a Rede TB Colômbia realizou quatro jornadas de capacitação em pesquisa operacional e definiu 65 áreas temáticas prioritárias de pesquisa harmonizadas com as linhas estratégicas estabelecidas pelo PNPCT: prevenção e atenção integral com enfoque nas pessoas com TB (41 áreas temáticas divididas em três módulos) e compromisso político, proteção social e sistemas de apoio (24 áreas temáticas divididas em quatro módulos). A priorização foi definida pelo método de comparação pareada. A Rede TB Colômbia continua ativa contribuindo para a gestão do conhecimento voltado à eliminação da tuberculose no país e possibilitando avançar na formulação de planos e execução de projetos locais de pesquisa operacional com a produção de resultados científicos validados para fortalecer o PNPCT e melhorar a atenção das pessoas com TB.
Descritores: Tuberculose/prevenção & controle
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Redes de Informação de Ciência e Tecnologia
Programas Nacionais de Saúde
-Colômbia
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1254554
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias e Inovação em Saúde.
Título: Diretrizes metodológicas: elaboração de revisão sistemática e meta-análise de ensaios clínicos randomizados [recurso eletrônico] / Methodological guidelines: elaboration of systematic review and meta-analysis of randomized clinical trials [electronic resource].
Fonte: Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; 2021.
Idioma: pt.
Resumo: DEFINIÇÃO DE REVISÃO SISTEMÁTICA: A RS sintetiza os resultados de estudos primários que se enquadram nos critérios de elegibilidade para responder uma pergunta de pesquisa3. A busca por estudos é realizada de forma sistemática, por meio de várias fontes de dados, com o uso de uma estratégia de busca ampla e sensível7 . A pergunta da pesquisa nas RS de ECR é estruturada no formato PICO (População, Intervenção, Comparador e Desfecho ­ em inglês, outcome). Esse tipo de revisão se baseia em métodos rigorosos, explícitos e reprodutíveis, para minimizar o risco de viés, entender as inconsistências dos resultados e então fornecer resultados confiáveis para a tomada de decisão. DEFINIÇÃO DE META-ANÁLISE META-ANÁLISE: é um método estatístico que pode ser realizado em RS para combinar os resultados de dois ou mais estudos independentes, que podem testar ou não a mesma pergunta/hipótese, gerando uma única estimativa de efeito8. A meta-análise pode ser em pares/ direta ou as meta-análises em rede, ou meta-análises de comparações múltiplas. Na presente diretriz, serão apresentados apenas os conceitos de meta-análise em pares. A vantagem da meta-análise é que esta pode apresentar uma estimativa mais precisa do tamanho do efeito, com considerável aumento do poder estatístico, o que é importante quando o poder do estudo primário é limitado devido ao pequeno tamanho da amostra9. Uma meta-análise pode, em alguns casos, produzir resultados conclusivos quando estudos individuais primários são inconclusivos. Uma RS não necessariamente precisa apresentar uma meta-análise para sintetizar seus resultados. Ao contrário, em alguns casos não é apropriado que elas sejam realizadas, podendo até mesmo gerar conclusões errôneas. Nesse caso, sínteses qualitativas devem ser utilizadas. IMPORTÂNCIA DAS REVISÕES SISTEMÁTICAS: A RS sintetiza os estudos primários da literatura sobre uma questão específica de pesquisa, auxiliando a tomada de decisão na saúde em torno da melhor conduta terapêutica ou profilática. Além disso, esse tipo de estudo ajuda a evitar desperdícios de pesquisa, garantindo que novas pesquisas primárias sejam realizadas com pleno conhecimento da evidência existente11. Um único estudo primário frequentemente não consegue detectar diferenças clinicamente relevantes de efeitos entre dois tratamentos, pois elaborar um ECR, com estimativas corretas para o cálculo do tamanho de amostra e poder estatístico adequados, exige, na maioria das vezes, um tamanho de amostra bastante significativo. Finalizar um ECR com um tamanho de amostra grande necessita de infraestrutura, recursos humanos especializados e recursos financeiros importantes, não disponíveis na maioria das vezes. De qualquer forma, RS com ou sem meta-análise são complementares aos estudos randomizados, por fornecerem ao profissional de saúde uma síntese do conhecimento atual disponível11. As RS também podem contribuir para aumentar a validade externa dos estudos, ou seja, contribuir para a generalização dos resultados. Em algumas situações, os achados de um estudo particular podem ser válidos apenas para uma população com as mesmas características das investigadas no estudo 10. LIMITAÇÕES E DESAFIOS DA ELABORAÇÃO DE REVISÕES SISTEMÁTICAS: As RS possuem alguns desafios, como a gestão de grande volume de informações e extração de dados, o tempo para a realização do estudo e as possíveis limitações de recursos humanos e materiais disponíveis12. As principais limitações que podem afetar a confiabilidade dos resultados de uma RS são o viés de publicação, além de dificuldades em combinar estudos que possam ter diferenças nas populações, nas intervenções, nos comparadores e na definição dos desfechos (diversidade clínica). Assim, é necessário explorar criticamente a evidência apresentada pela RS. Interpretações enganosas podem ser evitadas se princípios básicos forem observados. Nessa diretriz, serão discutidas as etapas para realização de RS de ECR, com ênfase em princípios básicos para garantir a validade dos resultados. RECURSOS NECESSÁRIOS: O conjunto de recursos, conhecimentos e habilidades da equipe envolvida é decisivo para a realização de uma RS de forma otimizada. O tempo é fator predominante e vai depender do tema e do escopo da revisão, assim como das habilidades e dos conhecimentos técnicos dos revisores. É preciso estimar o tempo que será necessário para a condução da RS e a disponibilidade que cada membro da equipe terá para trabalhar na revisão. A elaboração de um cronograma é importante, e este deve incluir todas as etapas, como treinamentos, reuniões, desenvolvimento do protocolo, busca e seleção dos estudos, extração e análise de dados etc. É importante prever gastos, como a necessidade de contratar um tradutor, para tradução de estudos em idioma não dominado pela equipe, ou comprar estudos em texto completo, não disponíveis para os revisores. Assim, sugere-se a elaboração de um orçamento, contemplando todos os itens com seus respectivos valores. Os recursos financeiros podem ser próprios ou podem ser financiados por entidades de agências de fomento à pesquisa (ex.: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico [CNPq], Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo [Fapesp] etc.), instituições responsáveis pela avaliação tecnológica (Ministério da Saúde) ou envolvidas na elaboração de diretrizes para prática clínica (sociedades brasileiras de especialidades clínicas). Recursos humanos: é importante estimar o número de pessoas que irão compor a equipe da revisão, em quais etapas, quem será o coordenador principal da revisão, a necessidade de consultoria de especialistas no assunto, além de apoio estatístico e bibliotecário (se necessário). É importante ter pelo menos três pesquisadores envolvidos para que seja possível minimizar os vieses e os erros em todos os estágios da RS7 . A equipe de pesquisa pode conter outros membros da sociedade envolvidos com o tema, os quais podem ser consultados em vários estágios da RS, como profissionais de saúde especialistas no tema pesquisado, representantes de pacientes, usuários de serviços e especialistas em métodos estatísticos7 . As habilidades e os conhecimentos são fundamentais para a garantia da qualidade metodológica da RS. Assim, conhecimentos aprofundados sobre métodos de pesquisa, epidemiologia, conhecimento clínico da questão de pesquisa, informática e domínio de língua inglesa são necessários. Além disso, a equipe deve saber utilizar as ferramentas necessárias à condução da revisão, como os gerenciadores de referência, bases de dados bibliográficas, softwares que auxiliem na condução ou no relato da revisão sistemática, programas estatísticos para meta-análise. Recursos materiais: é importante estimar todos os recursos necessários para elaboração da RS, como computadores, acesso à internet, softwares de gerenciamento de referências (por exemplo, Mendeley, Endnote, Zotero), e softwares estatísticos (RevMan, R, Stata, Comprehensive Meta-Analysis, por exemplo), além de eventual aquisição de textos completos de publicações com acesso restrito.
Descritores: Metanálise como Assunto
Ensaios Clínicos como Assunto/normas
Análise Custo-Benefício
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Órgãos Governamentais/normas
-Brasil
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1254529
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias e Inovação em Saúde.
Título: Diretrizes metodológicas: elaboração de pareceres técnico-científicos [recurso eletrônico]: 2021 / Methodological guidelines: preparation of technical-scientific opinions [electronic resource]: 2021.
Fonte: Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; 2021.
Idioma: pt.
Resumo: PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO (PTC): é um tipo de estudo para avaliação de tecnologias em saúde (ATS) com foco em respostas rápidas e com objetivo de fornecer suporte à gestão e à tomada de decisão em saúde baseada em evidências científicas. Sua execução e seu conteúdo devem ser simplificados e de linguagem acessível. Além de subsidiar a tomada de decisão, os resultados de um PTC podem sugerir a realização de novos estudos quando a evidência é insuficiente (1). Estudos de ATS que focam resposta rápida, como o PTC, têm surgido como uma opção válida para subsidiar decisões de forma mais rápida que outros tipos de estudos, como as revisões sistemáticas (2, 3). Assim como o PTC, existe grande variedade de termos para descrever estudos de ATS que se concentram em resposta rápida, como revisões rápidas, sumário da evidência, revisões breves, entre outros (4-7). Entretanto, ainda não há uma definição clara desses estudos, assim como não há padronização de como estes devem ser produzidos (8, 9). A padronização de métodos em ATS é uma preocupação constante do Ministério da Saúde (MS). Já foram elaboradas diretrizes metodológicas para pareceres técnico-científicos, revisões sistemáticas, análise de impacto orçamentário, estudos de avaliação econômica e estudos de avaliação de equipamentos (1, 10-14). A diretriz atual tem o objetivo de promover a qualidade e a uniformidade na produção de PTCs. A POLÍTICA DE GESTÃO DE TECNOLOGIAS NO BRASIL: A implantação do processo de gestão de tecnologias no sistema de saúde brasileiro, orientado pela Política Nacional de Gestão de TecO nologias em Saúde (PNGTS), norteia as ações em ATS no Brasil. Nesse caminho, as ações culminaram com a Lei n. 12.401, de 28 de abril de 2011, que dispõe sobre a assistência terapêutica e a incorporação de tecnologias em saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), e atribui à Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) a função de inclusão, exclusão ou alteração dessas tecnologias no SUS (15). A Lei n. 12.401/2011 estabelece a análise baseada em evidências como fundamental à tomada de decisão, levando em consideração aspectos como eficácia, efetividade, segurança e acurácia da tecnologia, além da avaliação econômica comparativa dos benefícios e dos custos em relação às tecnologias já existentes. Para atingir esse objetivo, o regimento interno da Conitec (Portaria GM/MS n. 2.009, de 13 de setembro de 2012) orienta que a "apresentação de evidências científicas relativas à […] tecnologia proposta […] deve se dar por meio de Revisão Sistemática ou Parecer Técnico-Científico (PTC), desenvolvido de acordo com a edição atualizada da Diretriz Metodológica de Elaboração de PTC do Ministério da Saúde". Isso reforçou a importância da elaboração de PTCs sobre as tecnologias para as quais exista demanda no sistema de saúde (15). O uso da Diretriz Metodológica de Elaboração de PTC também é aplicado em outras instâncias, como no contexto hospitalar e no fomento de pesquisa para subsidiar questões políticas, regulatórias e judiciárias. Desse modo, a presente diretriz possui dois objetivos: apresentar conceitos atualizados de avaliação de tecnologias em saúde e orientar a elaboração de pareceres técnico-científicos, de modo a garantir sua qualidade e padronização. Pesquisadores, técnicos do Ministério da Saúde e profissionais da saúde são o seu principal público-alvo. Pretende-se que as diretrizes se estabeleçam na soma dos vários esforços empreendidos para a estruturação e a disseminação da ATS no Brasil. METODOLOGIA UTILIZADA PARA ESTA ATUALIZAÇÃO DAS DIRETRIZES METODOLÓGICAS DE PARECERES TÉCNICO-CIENTÍFICOS: Estudo metaepidemiológico para análise dos Pareceres Técnico-Científicos: Para realização desta atualização das diretrizes metodológicas para elaboração de PTCs, foi realizado um estudo metaepidemiológico para avaliar a qualidade de condução e relato dos PTCs (16). Os resultados desse estudo foram utilizados para embasar as recomendações sugeridas nesta atualização. Esse estudo foi realizado pelos pesquisadores da Unidade de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. No estudo metaepidemiológico foram avaliados 103 PTCs publicados na base de dados do Sistema de Informação da Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologia em Saúde (SisRebrats), http://www.saude.gov.br/sisrebrats, e na página eletrônica da Conitec (www.conitec.gov.br) entre 2014 e 2019. Para realização da avaliação da qualidade de relato e condução dos PTCs, foi criado um formulário baseado em diretrizes e estudos de revisão rápida para avaliação de tecnologias em saúde. A avaliação dos PTCs foi realizada de forma independente por dois pesquisadores. Quando necessário, um terceiro pesquisador era solicitado para realizar o consenso da avaliação. Os principais pontos analisados foram: formato da pergunta estruturada por meio do acrônimo PICO (População, Intervenção, Comparação e Outcomes [desfecho]) ­ definição da população-alvo; definição das tecnologias comparadas; identificação de desfechos primários e secundários; justificativa para escolha dos desfechos; critérios de inclusão e exclusão com relação ao delineamento dos estudos; bases de dados utilizadas; apresentação do fluxograma de seleção; número de pesquisadores envolvidos na seleção dos estudos e extração dos dados; semelhança entre os desfechos pré-especificados no PICO e os apresentados nos resultados; forma de apresentação dos resultados; avaliação do risco de viés (ou da qualidade metodológica) dos estudos incluídos e da qualidade da evidência (16). Os resultados desse estudo serão abordados no decorrer deste documento como forma de enfatizar a necessidade das alterações sugeridas nesta nova versão das diretrizes. Checklist como guia para condução e relato de PTCs: Foi realizado, para a presente atualização das Diretrizes Metodológicas de PTC, um checklist (Anexo A) que servirá de guia para condução e relato dos PTCs. Esse checklist foi baseada nas informações obtidas a partir do estudo metaepidemiológico e na literatura científica disponível sobre o tema. Tal guia será importante para orientar os autores de PTCs com o passo a passo das informações que devem ser contempladas em cada seção do documento. Acreditamos que esse guia contribuirá para a padronização do planejamento, da condução e do relato dos PTCs e, consequentemente, para a melhoria da qualidade de tais estudos.
Descritores: Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Normas Técnicas/métodos
Órgãos Governamentais/normas
-Brasil
Análise Custo-Benefício
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-985544
Autor: Rodríguez Perón, José Miguel.
Título: Gestión de la ciencia, tecnología e innovación / Management of science, technology and innovation
Fonte: Rev. cuba. med. mil;47(4), oct.-dic. 2018.
Idioma: es.
Resumo: La Universidad de Ciencias Médicas de las Fuerzas Armadas Revolucionarias (FAR) de Cuba, es una institución docente de nivel superior, fundada hace más de 36 años, con el propósito de formar profesionales de alta competencia en diferentes áreas del conocimiento y ciudadanos/as integrales dispuestos hacia la investigación, el servicio a la sociedad y sus fuerzas armadas.1 En el contexto económico actual y sus tendencias, el conocimiento es un recurso básico y el aprendizaje permanente un proceso fundamental para alcanzar niveles de desarrollo crecientes. Esta premisa ha sido ampliamente reconocida y aparece enunciada en diversos documentos de política y en las normas que conforman el marco jurídico del Sistema Nacional de Ciencia, Tecnología e Innovación.2 La gestión de ciencia, tecnología e innovación está ineludiblemente orientada a la formación del talento humano con las competencias y el liderazgo necesarios, para articular actores, procesos y entidades que consolidan necesaria alianza entre la universidad, el Estado, el sector productivo y la sociedad, en la búsqueda del conocimiento, la innovación y la competitividad. Estos vínculos contribuyen a la solución de los problemas locales, regionales, nacionales e internacionales.3,4 Esta actividad persigue garantizar la mejora continua en la universidad, a través de los procesos y del seguimiento de una matriz de riesgos y oportunidades. Su objetivo es generar e implementar investigaciones aplicadas, sistémicas y de impacto que generen conocimiento científico relevante para los servicios médicos, esencialmente a través de tareas temáticas y proyectos de investigación y desarrollo, enmarcados en las prioridades del sistema de ciencia e innovación tecnológica de las FAR.5 El conocimiento emerge de una imperativa necesidad: es promovido y gerenciado por la institución, e integra los valores y la cultura del medio en la que se desarrolla su obtención y socialización. En la gestión del proceso de toma de decisiones científico tecnológicas de la universidad, se observan: a) Las políticas de ciencia y tecnología, toman como base el análisis de experiencias nacionales e internacionales, nuevos desafíos, instrumentos gubernamentales de planificación / gestión, cambios organizacionales, y la interrelación de los actores, sus planes y programas de investigación, la cooperación con otras entidades o centros tecnológicos afines, el rediseño de las políticas y el replanteo institucional si procede. b) La planificación e inteligencia estratégica, contienen la prospectiva como instrumento de planificación, gestión, el pensamiento y diagnóstico estratégico. c) La economía de la innovación, descansa en la revisión de los enfoques teóricos, dinámicas y modelos de análisis del proceso innovativo y los patrones de especialización internacional. d) La teoría organizacional, se crea sobre la base de objetivos, herramientas de gestión, presupuestos, gestión del capital humano, enfoques institucionales, sistemas de incentivos, grupos de intereses, la evolución de otras instituciones y el análisis de los procesos de cambio. e) Los indicadores de ciencia, tecnología e innovación están contenidos en fuentes de datos, manuales y otros indicadores (bibliométricos, de evaluación de la investigación, de impacto social de la ciencia y la tecnología, etc.).6 f) La transferencia tecnológica, explora los modelos, canales y actores del proceso de transferencia de tecnología, las fuentes oficiales, comerciales y académicas de información, el sistema de patentes, la infraestructura informativa en ciencia y tecnología, el acceso a información, el proteccionismo científico-tecnológico, el impacto de las tecnologías de la información sobre la gestión, la producción y la capacidad de absorción, como elemento determinante para la obtención de resultados en el proceso de transferencia tecnológica.7,8 La necesidad de fortalecer políticas orientadas a explotar las capacidades y competencias del sector científico, tecnológico y productivo en la institución docente, para contar con equipos, directivos/as, profesionales y técnicos dotados de herramientas conceptuales y metodológicas para tales fines, ha de seguir presumiblemente la ruta crítica antes señalada(AU)
Descritores: Escolas para Profissionais de Saúde/tendências
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Limites: Humanos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  5 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: lil-766727
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Coordenação-Geral de Gestão do Conhecimento.
Título: Diretrizes metodológicas: elaboração de pareceres técnico-científicos - 2014 / Methodological guideline: elaborating rapid HTAs / Directrices metodológicas: elaboración de informes técnico-científicos.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; nov., 2014. 79 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Problemas na utilização das tecnologias em saúde vêm sendo observados, tanto porestudos que não identificaram evidências científicas para procedimentos largamenteutilizados, quanto por aqueles que evidenciaram substancial variação no uso detecnologias sem melhorias nos resultados em saúde (OTA, 1994; GARBER, 2001). Emoutros casos, demonstrou-se que tecnologias comprovadamente sem efeito, ou comefeitos deletérios, continuam sendo amplamente utilizadas, ao passo que as eficazesapresentam baixa aplicabilidade. Outra questão frequente mostra o emprego detecnologias fora das condições e indicações para as quais produzem resultados eficazes...
Descritores: Avaliação da Tecnologia Biomédica
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Guias como Assunto/normas
Metodologia
Prova Pericial
-Gestão da Qualidade
Tecnologia Biomédica
Limites: Humanos
Tipo de Publ: GOVERNMENT PUBLICATIONS
Responsável: BR599.1 - Coordenação Geral de Documentação e Informação (CGDI)


  6 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1085905
Autor: São Paulo (Estado) Secretaria da Saúde.
Título: Política de ciência, tecnologia e inovação em saúde / Health science, technology and innovation policy.
Fonte: São Paulo; Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo; 2018. 75 p.
Idioma: pt.
Resumo: Este documento apresenta a proposta da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Desde 2014, vem sendo realizado um esforço pela Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos de Saúde (CCTIES), com apoio do Instituto de Saúde, para elaboração de documento base com os Princípios e Diretrizes dessa Política. A elaboração do documento foi feita por meio de um processo participativo, envolvendo o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação da SES-SP, o qual conta com a participação das Coordenadorias da SES, Institutos de Pesquisa e representações de Universidades, setor produtivo e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo. Foram realizadas duas Oficinas para a construção do documento.
Descritores: Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Ciência
Criatividade
Tecnologia
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação
br91.2; WA525, S239p


  7 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1102718
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde. Departamento de Ciência e Tecnologia.
Título: Programa pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde: diretrizes técnicas / SUS Research Program: health shared management: technical guidelines.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; 2020. 62 p. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As definições de responsabilidades institucionais e padronização de mecanismos e instrumentos de gestão apontadas neste documento têm o objetivo de conferir qualidade, uniformidade e estabelecem parâmetros para o devido acompanhamento e avaliação do Programa em todo o território nacional. Essas orientações devem ser entendidas como o resultado da iniciativa do MS para assegurar uma padronização mínima desses mecanismos e instrumentos de gestão, necessárias ao adequado gerenciamento do Programa
Descritores:
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Gestão do Conhecimento para a Pesquisa em Saúde
Planos e Programas de Pesquisa em Saúde
Política de Saúde
Responsável: BR599.10 - Coordenação de Evidências e Informações Estratégicas em Saúde
BR599.1


  8 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-1144729
Autor: Ponce de León Narváez, Regla; Soler Cárdenas, Silvio; Hernández Nariño, Arialys; Díaz Díaz, Alejandro Antuan; Soler Pons, Lisbet.
Título: Validez y fiabilidad de un cuestionario que evalúa competencias investigativas e innovativas / Validity and reliability of a questionnaire evaluating innovative and research competences
Fonte: Rev. medica electron;42(5):2220-2232, sept.-oct. 2020. tab.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Introducción: el desarrollo de competencias investigativas e innovativas en los profesionales, es esencial para la aplicación de resultados generados por la investigación y por la innovación. Objetivos: evaluar la validez y fiabilidad de un cuestionario destinado a cuantificar el nivel de desarrollo de competencias investigativas e innovativas de profesores de la Universidad de Ciencias Médicas de Matanzas. Materiales y métodos: se realizó un estudio de tipo evaluativo, de enero a mayo del 2019. La validación del contenido se realizó aplicando los postulados de Moriyama. Su consistencia interna por el coeficiente alfa de Cronbach y la validez de construcción lógica por análisis factorial de los componentes principales. Resultados: el Alfa de Cronbach obtenido fue de ,930. La validación de contenido permitió considerar que la formulación de los ítems, es razonable, justifican su presencia en el cuestionario. Las categorías propuestas para ser incluidas en la construcción del instrumento son adecuadas. Los resultados sugirieron la presencia de cuatro factores que explicaron el 71,16 % de la varianza acumulada por todos los factores. Conclusiones: los resultados de validez fueron favorables. Está disponible un instrumento con condiciones adecuadas y criterios válidos que justifican su uso y aplicación en el terreno investigativo (AU).

ABSTRACT Introduction: the development of research and innovative competences in the professionals is essential for the application of results generated by research and innovation. Objective: to assess the validity and reliability of a questionnaire designed to quantify the development level of research and innovative competences of professors of the University Of Medical Sciences Of Matanzas. Materials and methods: an evaluative-kind study was carried out from January to May 2019; the content validation was made applying Moriyama´s postulates, its internal consistence applying Chronbach´s alpha coefficient, and its logical construction validity applying the factorial analysis of the main components. Results: the obtained Chronbach´s alpha was ,930. The content validation allowed considering that items formulation is reasonable, justifying their presence in the questionnaire. The categories proposed to be included in the instrument construction are adequate. The results suggest the presence of four factors explaining 71.16 % of the variance accumulated by all the factors. Conclusions: the validity results are favorable. An instrument is available with adequate conditions and valid criteria justifying its use and application in the research field (AU).
Descritores: Inquéritos e Questionários/estatística & dados numéricos
Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação
-Universidades/normas
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Avaliação da Pesquisa em Saúde
Docentes/educação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: CU424.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas


  9 / 73 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-900939
Autor: Anon.
Título: Estudios métricos en ciencia, tecnología e innovación: un llamado a ampliar sus aplicaciones, bases epistemológicas y rigor analítico / Metric studies in science, technology and innovation: a call to expand their applications, epistemological bases and analytical rigor
Fonte: Rev. cub. inf. cienc. salud = Rev. cuba. inf. cienc. salud;29(1):1-4, ene.-mar. 2018.
Idioma: es.
Descritores: Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Limites: Humanos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  10 / 73 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-902283
Autor: Hernández Falcón, Larisa; Garay Crespo, María Isabel; Rodríguez Casas, Mirian Marlen; Hernández Nariño, Arialys.
Título: Retos para la Universidad de Ciencias Médicas: proyectos de investigación / Challenges for the University of Medical Sciences: research projects
Fonte: Rev. medica electron;40(1):214-216, ene.-feb. 2018. ilus.
Idioma: es.
Descritores: Competência Profissional
Universidades
Criatividade
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico
Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento
Programas Nacionais de Saúde
-Projetos de Pesquisa
Planos e Programas de Saúde
Desenvolvimento Econômico
Desenvolvimento Tecnológico
Gestão em Saúde
Ciências da Saúde
Ciência, Tecnologia e Sociedade
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Carta
Responsável: CU424.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas



página 1 de 8 ir para página                    
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde