Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP1.001.037 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1503 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 151 ir para página                         

  1 / 1503 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Saúde Pública
Acúrcio, Francisco de Assis
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-903390
Autor: Faleiros, Daniel Resende; Acurcio, Francisco de Assis; Álvares, Juliana; Nascimento, Renata Cristina Rezende Macedo do; Costa, Ediná Alves; Guibu, Ione Aquemi; Soeiro, Orlando Mario; Leite, Silvana Nair; Karnikowski, Margô Gomes de Oliveira; Costa, Karen Sarmento; Guerra Junior, Augusto Afonso.
Título: Financing of Pharmaceutical Services in the municipal management of the Brazilian Unified Health System / Financiamento da assistência farmacêutica na gestão municipal do Sistema Único de Saúde
Fonte: Rev. saúde pública (Online);51(supl.2):14s, 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Brazilian Ministry of Health.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To discuss factors related to the financing of the Basic Component of Pharmaceutical Services within the municipal management of the Brazilian Unified Health System. METHODS The Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos no Brasil - Serviços (PNAUM - National Survey on Access, Use and Promotion of Rational Use of Medicines - Services) is a cross-sectional, exploratory, and evaluative study that performed an information survey in a representative sample, stratified by Brazilian regions It considered different study populations in the sampling plan, which represent primary health care services in the cities. Data were collected in 2015 by two methods: in person, by applying direct observation scripts and interviews with users, physicians, and professionals responsible for the dispensing of medicines in primary care services; by telephone interviews with municipal health managers and municipal professionals responsible for Pharmaceutical Services. The results were extracted from the questionnaires applied by telephone. RESULTS Of the sample of 600 eligible cities, we collected 369 interviews (61.5%) with secretaries and 507 (84.5%) with pharmaceutical services managers. 70.8% of the cities have a computerized management system; and 11.9% have qualification/training of professionals. More than half (51.3%) of the cities received funds for the structuring of pharmaceutical services, and almost 60% of these cities performed this type of spending. In 35.4% of cases, municipal secretaries of health said that they use resources of medicines from the Componente Básico da Assistência Farmacêutica (CBAF - Basic Component of Pharmaceutical Services) to cover demands of other medicines, but only 9.7% believed that these funds were sufficient to cover the demands. The existence of a permanent bidding committee exclusively for acquiring medicines was reported in 40.0% of the cities. CONCLUSIONS We found serious deficiencies in the public financing of medicines, as well as little concern about the formality in the use of public resources, expenses that meet individual demands to the detriment of the community, insufficient resources allocated to the Basic Component of Pharmaceutical Services, and exhaustion of the financing model.

RESUMO OBJETIVO Discutir fatores relacionados ao financiamento do Componente Básico da Assistência Farmacêutica no âmbito da gestão municipal do Sistema Único de Saúde. MÉTODOS A Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos no Brasil - Serviços é um estudo transversal, exploratório, de natureza avaliativa, que realizou levantamento de dados em amostra estratificada pelas regiões brasileiras, consideradas diferentes populações de estudo no plano de amostragem representativa de serviços de atenção primária em municípios. Os dados foram coletados em 2015, na forma presencial mediante a aplicação de roteiros de observação direta, entrevistas com usuários, médicos e responsáveis pela entrega dos medicamentos nos serviços de atenção primária e entrevistas telefônicas com gestores municipais de saúde e responsáveis municipais pela assistência farmacêutica. Os resultados foram extraídos dos questionários aplicados por telefone. RESULTADOS Da amostra de 600 municípios elegíveis, foram coletadas 369 entrevistas (61,5%) com secretários e 507 (84,5%) com responsáveis pela assistência farmacêutica. Em 70,8% dos municípios existe sistema informatizado de gestão; e em 11,9% qualificação/capacitação dos profissionais. Mais da metade (51,3%) dos municípios receberam recursos destinados à estruturação da assistência farmacêutica, quase 60% desses municípios realizou este tipo de gastos. Em 35,4% dos casos, secretários municipais de saúde afirmaram utilizar recursos de medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica para cobrir demandas de outros medicamentos, mas apenas 9,7% acreditam que esses recursos são suficientes para atender à demanda. A existência de comissão permanente de licitação exclusiva para a aquisição de medicamentos foi registrada em 40,0% dos municípios. CONCLUSÕES São graves as deficiências, a pouca preocupação com a formalidade na execução dos recursos públicos, os gastos ocorridos para atendimento de demandas individuais em detrimento da coletividade, a insuficiência de recursos destinados ao Componente Básico da Assistência Farmacêutica e a exaustão do modelo de financiamento.
Descritores: Assistência Farmacêutica/economia
Preparações Farmacêuticas/economia
-Atenção Primária à Saúde
Fatores Socioeconômicos
Brasil
Estudos Transversais
Entrevistas como Assunto
Inquéritos Epidemiológicos
Financiamento da Assistência à Saúde
Financiamento Governamental
Programas Nacionais de Saúde
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1129259
Autor: Brasil. Ministério da saúde. Conselho Nacional de Saúde.
Título: 1ª Conferência Nacional Livre de Juventude e Saúde, 16 a 18 de novembro de 2018: relatório final / 1st Free National Conference on Youth and Health, November 16-18, 2018: final report.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; 18 nov. 2018. 50 p.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Conferência Nacional Livre de Juventude e Saúde, 1, Brasília, 16-18 nov. 2018.
Resumo: O Conselho Nacional de Saúde (CNS) realizará, de 4 a 7 de agosto de 2019, em Brasília/DF, a Etapa Nacional da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), que terá como tema central "Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação e Financiamento do SUS", conforme aprovado na Resolução CNS nº 602, de 8 de novembro de 2018. Como uma das etapas preparatórias para esse evento, de muita importância para a participação social em saúde no Brasil, foi realizada na Universidade de Brasília (UnB), de 16 a 18 de novembro de 2018, a 1ª Conferência Nacional Livre de Juventude e Saúde (1ª CNLJS), com o intuito de mobilizar a juventude brasileira para debater e apresentar propostas aos eixos temáticos da 16ª CNS (8ª+8): saúde como direito; consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS); e financiamento adequado e suficiente para o SUS. De acordo com a Resolução CNS nº 594, de 9 de agosto de 2018, Regimento da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), as atividades preparatórias possuem caráter formativo e são integradas pelos seguintes documentos e processos: I ­ Relatório Final da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres (2ª CNSMu); II ­ 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (1ª CNVS); III ­ Fórum Social Mundial/2018; IV ­ Semana da Saúde, de 2 a 8 de abril de 2018; V ­ 13º Congresso da Rede Unida/2018; VI ­ 12º Congresso da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) 2018; VII ­ XXXIV Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde/2018; VIII ­ Atividades temáticas a serem coor denadas pelas Comissões Intersetoriais do CNS de forma articulada com as questões transversais de equidade, saúde de pessoas com patologias, ciclos de vida, promoção, proteção e práticas integrativas, alimentação e nutrição e educação permanente; IX ­ Plenárias Populares, com a participação de conselheiras e conselheiros municipais, estaduais e nacionais, entidades e movimentos sociais, populares e sindicais; X - Conferências livres, compreendidas como Debates, Encontros e Plenárias para promover a participação nas etapas Municipal, Estadual e do Distrito Federal e Nacional. O evento foi organizado pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), por meio de sua Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CIRHRT), com o apoio da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde (SE/MS), da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES/MS) e do Decanato de Extensão da Universidade de Brasília (DEX/UnB). Em 28 de setembro de 2018 a CIRHRT/CNS realizou a primeira reunião de planejamento das atividades, contando com a presença do Presidente do CNS, de Conselheiros Nacionais de Saúde representantes das Comissões Intersetoriais de Saúde Indígena (CISI) e de Atenção à Saúde nos Ciclos de Vida (CIASCV), bem como dos demais convidados, representantes jovens do movimento estudantil e de trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS).
Descritores: Sistema Único de Saúde/economia
Equidade em Saúde
ALLYLAMINE0ABDOMINAL INJURIES
Financiamento da Assistência à Saúde
Tipo de Publ: Congresso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1290469
Autor: Silva, Enid Rocha Andrade da.
Título: 2030 Agenda: SDG ­ National Targets of Sustainable Development Goals.
Fonte: Brasília; IPEA; 2019. 543 p. ilus, graf.
Idioma: en.
Resumo: O relatório apresenta a proposta de adequação das metas globais da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável à realidade brasileira, em cumprimento à atribuição recebida da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (CNODS), e em sintonia com a sua missão de fornecer suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas nacionais de desenvolvimento.
Descritores: Acesso a Medicamentos Essenciais e Tecnologias em Saúde
Controle de Doenças Transmissíveis
Desenvolvimento Econômico
Desenvolvimento Sustentável
Doença Crônica
Fatores Socioeconômicos
Financiamento da Assistência à Saúde
Indicadores Básicos de Saúde
Mortalidade Infantil
Mortalidade Materna
Política Pública
Renda per Capita
Saúde
-Brasil
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
[{"text": "BR1541.1"}]


  4 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1044726
Autor: Ocké-Reis, Carlos Octávio; Santos, Fausto Pereira dos.
Título: Mensuração dos gastos tributários em saúde: 2003-2006 / Texto para Discussão (TD) 1637: Mensuração dos gastos tributários em saúde: 2003-2006 / Português.
Fonte: Brasília; IPEA; 2011. 21 p. graf. (Texto para Discussão / IPEA, 1637)).
Idioma: pt.
Resumo: A elaboração deste texto teve início na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e contou com o apoio dos técnicos da Receita Federal do Brasil (RFB). A mensuração dos gastos tributários em saúde é um desafio para os economistas, cientistas políticos,sanitaristas e gestores da área. Neste artigo, estimamos a renúncia de arrecadação fiscalem saúde no período compreendido entre 2003 e 2006. Em particular, avaliamos os gastos tributários relacionados ao mercado de planos de saúde. Uma vez superada essa dimensão quantitativa, poderemos analisar com mais profundidade os problemas relacionados à renúncia fiscal no campo das políticas públicas, entre eles, o grau de eficiência e equidade do gasto federal em saúde.
Descritores: Financiamento Governamental
Financiamento da Assistência à Saúde
Gastos em Saúde
Isenção Fiscal
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Saúde
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
330.908; 330.908; BR1541.1


  5 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1282214
Autor: Uruguay. Ministerio de Salud Pública.
Título: Avances en la consolidación del Sistema Nacional Integrado de Salud / Progress in the consolidation of the National Integrated Health System.
Fonte: Montevideo; Ministerio de Salud; 2019. 198 p. ilus, graf.
Idioma: es.
Descritores: Pessoal de Saúde
Tecnologia Biomédica
Sistemas Nacionais de Saúde
Financiamento da Assistência à Saúde
-Uruguai
Limites: Humanos
Responsável: UY1.1 - BINAME - Biblioteca Nacional de Medicina
UY1.1; 32B, URU; UY1.1; WA540.DU7, URU


  6 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-961454
Autor: Gallegos, Eduardo; Muñoz, Alberto.
Título: Protección financiera en salud: evolución y comparación del gasto de bolsillo de los hogares chilenos / Financial protection for health care expenses provided by public and private systems in Chile
Fonte: Rev. méd. Chile;146(6):737-744, jun. 2018. tab.
Idioma: es.
Resumo: Background: People need a financial protection system to face the high costs of health care. Aim: To compare the financial protection between households affiliated to the Chilean public health financing system (FONASA) or to a private health financing system (ISAPRE). To describe the evolution of protection at the national level between 2007 and 2012. Material and Methods: As proposed by the World Bank, impact indicators to measure the equity and efficiency of the insurance systems were generated. Namely, average out-of-pocket expenses by insurance and average out-of-pocket spending as a percentage of expenditure. Also, the evolution of out-of-pocket spending by quintiles and Gini Coefficient were measured as measure of equity. To determine these, Family Budget Surveys for 2007 and 2012 were used. Results: Household out-of-pocket spending increased by 14.12%. When expressed as a percentage of total expenditure, it grew from 5.6% to 6.2%. Household Gini coefficient and per capita out-of-pocket spending decreased and the ratio between the highest and lowest quintile out-of-pocket increased at both analysis levels. Pocket expense in absolute values or expressed as a percentage of total expenses was higher among persons insured in private systems than those affiliated to the public financing service. Conclusions: Out-of-pocket spending increased for all income groups and people insured in the public system had a lower absolute and relative spending than those insured in private systems.
Descritores: Gastos em Saúde/estatística & dados numéricos
Financiamento da Assistência à Saúde
Financiamento Governamental/economia
Financiamento Pessoal/economia
Seguro Saúde/economia
-Valores de Referência
Fatores Socioeconômicos
Fatores de Tempo
Algoritmos
Chile
Características da Família
Financiamento Governamental/estatística & dados numéricos
Financiamento Pessoal/estatística & dados numéricos
Renda/estatística & dados numéricos
Seguro Saúde/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  7 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1004512
Autor: Soares, Adilson.
Título: Health system financing paradigm in the state of São Paulo: a regional analysis / Paradigma de financiamento do SUS no estado de São Paulo: uma análise regional
Fonte: Rev. saúde pública (Online);53:39, jan. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To analyze the allocation of financial resources in the Brazilian Unified Health System (SUS) in the state of São Paulo by level of care, health region, source of funds and level of government. METHODS This is an exploratory study based on 2014 data extracted from the Public Health Budget Database, presented in absolute terms, relative terms and per capita . RESULTS In 2014, R$52.1 bi were spent on public health, 58.0% having corresponded to the expenditures of the municipalities and 42.0% to those of the state government. Regional per capita spending varied from R$561.75 to R$824.85. As for the per capita spending on primary health care, which represented 37.5% of the municipalities' total expenditure, the lowest value was found in the city of São Paulo and the highest, in Araçatuba. Campinas had the highest per capita expenditure on medium and high complexity care, while Presidente Prudente had the lowest. The highest regional percentage of the current net revenue spent on health was verified in Registro, and the lowest, in the city of São Paulo. CONCLUSIONS The paradigm of the health sector's financing in São Paulo revealed that the expenditure on primary health care, level elected by health policy as strategic because it depends on coordination and integral health care in the attention networks, was not considered a priority in relation to the expenditure with the medium and high complexity, exposing the iniquities in the state's regions.

RESUMO OBJETIVO Analisar a alocação de recursos financeiros no Sistema Único de Saúde (SUS) no estado de São Paulo por nível de atenção, região de saúde, fonte de recursos e ente federado. MÉTODOS Trata-se de estudo exploratório circunscrito ao exercício de 2014. Os dados extraídos do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde estão apresentados em valores absolutos, relativos e per capita . RESULTADOS Em 2014 observou-se um gasto público com saúde de R$52,1 bi, sendo 58,0% relativos ao gasto dos municípios e 42,0% relativos ao gasto do governo do estado. O gasto regional per capita variou de R$561,75 a R$824,85. Já o gasto per capita com atenção primária à saúde, que representou 37,5% do gasto total dos municípios, foi menor na região da Grande São Paulo e maior em Araçatuba. A região de Campinas apresentou o maior gasto per capita com atenção de média e alta complexidade, enquanto Presidente Prudente teve o menor. O maior percentual regional da receita corrente líquida gasto com saúde foi verificado em Registro, e o menor na Grande São Paulo. CONCLUSÕES O paradigma de financiamento do setor da saúde em São Paulo revelou que o gasto com a atenção primária, nível eleito pela política de saúde como estratégico porque dele dependem a coordenação e o cuidado integral à saúde nas redes de atenção, não recebeu prioridade em relação ao gasto com a média e a alta complexidade, expondo as iniquidades nas regiões do estado.
Descritores: Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/economia
Gastos em Saúde/estatística & dados numéricos
Financiamento da Assistência à Saúde
Política de Saúde
Programas Nacionais de Saúde/economia
-Valores de Referência
Brasil
Orçamentos/estatística & dados numéricos
Cidades
Financiamento Governamental/economia
Financiamento Governamental/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1145052
Autor: Vieira, Fabiola Sulpino.
Título: Health financing in Brazil and the goals of the 2030 Agenda: high risk of failure / O financiamento da saúde no Brasil e as metas da Agenda 2030: alto risco de insucesso
Fonte: Rev. saúde pública (Online);54:127, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE: To examine the financing of the Unified Health System (SUS) from 2010 to 2019 and analyze the recent trends in the allocation of federal resources to large areas of operation of the system, as well as the possibility of achieving the Sustainable Development Goal (SDG) 3 of the 2030 Agenda. METHODS: Data from the budgetary and financial execution of the federation entities were obtained. Transfers from the Brazilian Ministry of Health (MH) to the municipal and state departments and their direct applications were identified according to large final areas of SUS and middle areas. Basic descriptive statistics, graphs and tables were used to analyze the execution of expenses by these areas. RESULTS: Public spending per capita on health increased between 2010 and 2018. However, compared to 2014, it reduced 3% in 2018. There was a displacement of the allocation of federal resources to the detriment of transfers to the states (−21%). There are also losses of health surveillance in favor of primary care and pharmaceuticals. In the case of primary care, the increase in spending was tied to changes in policy and the expansion of resources allocated by parliamentary amendments. In the case of pharmaceuticals, the increase was due to the incorporation of new drugs, including vaccines, judicialization, increased spending on blood products and centralization, in the MH, of the purchase of items of high budgetary impact. CONCLUSION: If there is no change in the current SUS financing framework, something unlikely under Constitutional Amendment No. 95, associated with the redefinition of health policy priorities, the risk of non-compliance with the SDG 3 of the Agenda 2030 is very high.

RESUMO OBJETIVO: Examinar o financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) de 2010 a 2019 e analisar as tendências recentes da alocação de recursos federais para grandes áreas de atuação do sistema, bem como a possibilidade de alcance das metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 3 da Agenda 2030. MÉTODOS: Dados da execução orçamentário-financeira dos entes da Federação foram obtidos. As transferências do Ministério da Saúde (MS) para as secretarias municipais e estaduais e suas aplicações diretas foram identificadas segundo grandes áreas finalísticas do SUS e áreas-meio. Estatísticas descritivas básicas, gráficos e tabelas foram utilizados para a análise da execução das despesas por essas áreas. RESULTADOS: O gasto público per capita com saúde aumentou entre 2010 e 2018. Contudo, em relação a 2014, teve redução de 3% em 2018. Constatou-se deslocamento da alocação de recursos federais em prejuízo das transferências aos estados (−21%). Também se observaram perdas da vigilância em saúde em favor da atenção básica e da assistência farmacêutica. No caso da atenção básica, o aumento do gasto veio atrelado a mudanças na política e à ampliação dos recursos alocados por emendas parlamentares. Já no caso da assistência farmacêutica, o aumento se deu pela incorporação de novos medicamentos, incluindo vacinas, pela judicialização, pelo aumento dos gastos com hemoderivados e pela centralização, no MS, da compra de itens de alto impacto orçamentário. CONCLUSÃO: Caso não haja mudança no quadro atual de financiamento do SUS, algo improvável sob a vigência da Emenda Constitucional nº 95, associada à redefinição das prioridades das políticas de saúde, o risco de não cumprimento das metas do ODS 3 da Agenda 2030 é muito alto.
Descritores: Gastos em Saúde
Financiamento da Assistência à Saúde
Financiamento Governamental
Programas Nacionais de Saúde
-Brasil
Objetivos
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1503 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1255313
Autor: Perú. Ministerio de Salud. Dirección General de Planeamiento y Presupuesto. Unidad Funcional de Estudios Económicos en Salud.
Título: Cuentas nacionales de salud, Perú 1995 - 2012 / National health accounts, Peru 1995 - 2012.
Fonte: Lima; Perú. Ministerio de Salud. Dirección General de Planeamiento y Presupuesto. Unidad Funcional de Estudios Económicos en Salud; 2015. 156 p. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La presente publicación provee información del mercado de servicios de salud público-privado y de sus interrelaciones, con lo que constituyen tanto una fuente de información como un instrumento de seguimiento, comunicación, diálogo y concertación para una efectiva rectoría sanitaria y una gestión transparente del sector, exigencia que resulta mayor en el proceso de Reforma Sanitaria emprendido, que discurre en un contexto de crecimiento económico sostenido y por ende de mayores recursos públicos así como del desarrollo del mercado privado de servicios de salud. Asimismo, abarca el estudio en el periodo 1995-2012, con lo que comprende los estudios referidos a los periodos 1995-2000 y 1995-2005 revisando y actualizando sus fuentes de información y compatibilizando la información al año base 2007
Descritores: Orçamentos
Gastos em Saúde
Reforma dos Serviços de Saúde
Controle de Custos
Financiamento da Assistência à Saúde
Planejamento em Saúde
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: PE18.1 - Biblioteca Central


  10 / 1503 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-991902
Autor: Vianna, Solon Magalhães; Piola, Sérgio Francisco.
Título: Economia da saúde: conceitos e contribuição para a gestão da saúde / Health economics: concepts and contribution to the health management.
Fonte: Brasília; IPEA; 1995. 293 p. graf. (Série IPEA).
Idioma: pt.
Resumo: Apresenta textos didáticos para iniciar profissionais de saúde, economistas e administradores nas questões básicas da economia da saúde. Trata dos aspectos conceituais, macroeconômicos, da equidade e microeconômicos da saúde
Descritores: Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde
Economia e Organizações de Saúde
Financiamento da Assistência à Saúde
Gastos em Saúde
Gestão em Saúde
Justiça Social
Política de Saúde
Serviços de Saúde
Setor de Assistência à Saúde
-Brasil
Portugal
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca
BR1541.1; 338.4361, P662



página 1 de 151 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde