Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP3.001.005.030.050.010.030 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 870 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 87 ir para página                         

  1 / 870 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135775
Autor: Fernandes, Saulo Luders; Galindo, Dolores Cristina Gomes; Valencia, Liliana Parra.
Título: Identidade quilombola: atuações no cotidiano de mulheres quilombolas no agreste de alagoas / Identidad quilombola: actuaciones en el cotidiano de mujeres quilombolas en el agreste de alagoas / Quilombola identity: actuations in daily of women quilombolas in the agreste of alagoas
Fonte: Psicol. Estud. (Online);25:e45031, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO O presente trabalho é parte de uma pesquisa de campo e caracteriza-se por um estudo de caso de caráter qualitativo exploratório, que teve por objetivo analisar a atuação da identidade quilombola no cotidiano de mulheres de um quilombo do agreste de Alagoas. A pesquisa foi realizada em quatro etapas sendo elas: 1- revisão bibliográfica; 2- inserção no campo de pesquisa; 3- coleta e análise das informações; 4- devolutiva da pesquisa às participantes e comunidade. As participantes da pesquisa foram três mulheres: uma jovem (20 anos), uma adulta (47 anos) e uma idosa (71 anos). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com dois temas: as vivências do cotidiano enquanto mulheres negras quilombolas; e os sentidos produzidos pelas entrevistadas sobre a identidade quilombola. Após transcritas, as entrevistas foram submetidas à análise de conteúdo que permitiu a produção de duas categorias temáticas: a) as vivências de opressão de mulheres negras quilombolas; b) diversidade de sentido sobre a identidade quilombola. As narrativas das mulheres permitiram compreender o quilombo como lugar de afirmação de seus modos de vida enquanto mulher negra, bem como o espaço de reprodução de lógicas de opressão frente à interseccionalidade dos marcadores étnico-raciais e de gênero. Houve também diferença geracional quanto ao modo de compreensão da identidade quilombola na vida da jovem e da idosa participante. Cabe compreender as especificidades com que cada comunidade e seus membros interpretam a identidade quilombola em seu viver e fazer, no entendimento que ela pode atuar como um potencializador na afirmação destes territórios negros.

RESUMEN El presente trabajo es parte de una investigación de campo y se caracteriza por un estudio de caso de carácter cualitativo exploratorio, que tuvo por objetivo analizar la actuación de la identidad quilombola en la cotidianidad de mujeres de un quilombo del agreste de Alagoas. La investigación fue realizada en cuatro etapas siendo ellas: 1- revisión bibliográfica; 2- inserción en el campo; 3- recolección y análisis de la información; 4- devolución de la investigación a las participantes y comunidad. Las participantes de la investigación fueron 03 mujeres: 01 joven (20 años), 01 adulta (47 años) y 01 anciana (71 años). Se realizaron entrevistas semiestructuradas con dos temas: las vivencias de lo cotidiano como mujeres negras quilombolas y los sentidos producidos por las entrevistadas sobre la identidad quilombola. Después de transcritas, las entrevistas fueron sometidas al análisis de contenido que permitió la producción de dos categorías temáticas: a) las vivencias de opresión de mujeres negras quilombolas; b) diversidad de producciones de sentido sobre la identidad quilombola. Las narrativas de las mujeres permitieron comprender el quilombo como lugar de afirmación de sus modos de vida como mujeres negras, así como, espacio de reproducción de lógicas de opresión frente a la interseccionalidad de los marcadores étnico-raciales y de género. También hubo una diferencia generacional en cuanto al modo de comprensión de la identidad quilombola en la vida de la joven y de la anciana participante. Cabe comprender las especificidades con que cada comunidad y sus miembros interpretan la identidad quilombola en su vivir y hacer, en el entendimiento que ella puede actuar como un potencializador en la afirmación de estos territorios negros.

ABSTRACT. The present study is part of a field research and is characterized by a qualitative, exploratory case study, whose objective was to analyze the performance of the quilombola identity in the daily life of women from a quilombo in the agreste of the State of Alagoas. The research was conducted in four stages: 1 - literature review; 2- insertion in the research field; 3 - collection and analysis of information; 4- feedback of the research to the participants and the community. The participants were 03 women: 01 young (20 years), 01 adult (47 years) and 01 elderly (71 years). Semi-structured interviews were conducted with two themes: daily life experiences as black quilombola women; and the meanings produced by interviewees about the quilombola identity. After transcription, the interviews were analyzed by content analysis methods and produced two thematic categories: a) experiences of oppression of black quilombola women; b) diversity of meaning about quilombola identity. Women understand the quilombo as a place of affirmation of their ways of life as black women, as well as a place of reproduction of logics of oppression against the intersectionality of ethnic-racial and gender markers. There was also a generational difference as to the way of understanding the quilombola identity in the life of the young woman and the elderly participant. It is necessary to understand the specificities with which each community and its members interpret the quilombola identity in their lives and activities, in the understanding that it can work as an enhancer in the affirmation of these black territories.
Descritores: Características Culturais
Grupo com Ancestrais do Continente Africano/psicologia
Construção Social da Identidade Étnica
-Grupos Étnicos/psicologia
Comunicação
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  2 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1099174
Autor: Ortiz-Piedrahíta, Vanessa.
Título: Subjetivación de la blanquitud por jóvenes universitarios: un estudio comparativo / Subjective construction of whiteness by Young university students: a comparative study / Subjetivação da branquitude em jovens universitários: um estudo comparativo
Fonte: Rev. latinoam. cienc. soc. niñez juv;18(1):183-206, ene.-jun. 2020.
Idioma: es.
Resumo: Resumen (analítico) Este trabajo se inscribe en los estudios interdisciplinarios y decoloniales sobre la blanquitud. Describe la construcción subjetiva de la identidad blanca por jóvenes universitarios de Brasilia y Medellín, ello a partir de categorías que se interrelacionan, como la clase social, la etnicidad y la raza. Por medio de un abordaje metodológico cualitativo y comparativo se logró captar el universo significativo de los participantes. Finalmente, se presentan algunas reflexiones sobre el proceso performativo, y a veces contradictorio, que implica el reconocerse a través de los valores y privilegios que otorga la blanquitud en espacios tanto académicos como extracurriculares.

Abstract (analytical) This article forms part of interdisciplinary and colonial studies on whiteness and uses interrelated categories such as social class, ethnicity and race to explore the subjective construction of whiteness by young university students in Brasilia and Medellín. Based on a qualitative and comparative methodological approach, it was possible to capture the significant universe of university students who participate in the study. The author presents reflections and conclusions on the performative and sometimes contradictory process that implies recognizing oneself through the values and social privileges of whiteness in academic and extra-curricular spaces.

Resumo (analítico) O artigo faz parte dos estudos interdisciplinares e de-coloniais sobre a branquitude e descreve, a partir de categorias inter-relacionadas como classe social, etnia e raça, a construção subjetiva da branquitude de jovens universitários de Brasília e Medellín. A partir de uma abordagem metodológica qualitativa-comparativa, foi possível estudar o universo significativo dos universitários que fizeram parte da pesquisa. Finalmente, são apresentadas algumas reflexões e conclusões sobre o processo performativo e às vezes contraditório que implica reconhecer-se através dos valores e privilégios sociais da blanquitude hegemônica em espaços acadêmicos e extracurriculares.
Descritores: Classe Social
Estudantes
Estudos Interdisciplinares
-Universidades
Grupos Étnicos
Responsável: CO335.1 - Centro de Estudios Avanzados en Niñez y Juventud de la Alianza CINDE


  3 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1140155
Autor: Araújo, Roberta Lima Machado de Souza; Araújo, Edna Maria de; Silva, Hilton Pereira da; Santos, Carlos Antônio de Souza Teles; Nery, Felipe Souza; Santos, Djanilson Barbosa dos; Souza, Betânia Lima Machado de.
Título: Condições de vida, saúde e morbidade de comunidades quilombolas do semiárido baiano, Brasil / Life conditions, health and morbidity of quilombolas communities from Bahia semiarid, Brazil / Condiciones de vida, salud y morbilidad de comunidades de quilombolas en el semiárido de Bahia, Brasil
Fonte: Rev. baiana saúde pública;43(1):226-246, 2019.
Idioma: pt.
Resumo: A exclusão social à qual as comunidades quilombolas estão expostas, em todo o território brasileiro, tem favorecido sua vulnerabilidade socioeconômica, ambiental, o que se traduz em precárias condições de vida e saúde. Este estudo tem como objetivo analisar as condições de vida, saúde e morbidade referidas pelas comunidades quilombolas do semiárido baiano. Trata-se de um estudo transversal realizado nas comunidades quilombolas de Matinha dos Pretos e Lagoa Grande no município de Feira de Santana (BA), com indivíduos adultos (≥ 18 anos). Os dados foram coletados por meio da aplicação de três instrumentos e analisados utilizando-se o pacote estatístico Stata 14.0. Resultados: dos 864 entrevistados, 63,0% são do sexo feminino; 47,8%, casados, apresentando uma média de idade de 42,6 anos (IC 95%: 41,1 ­ 44,2), e de escolaridade, variando de 6 a 7 anos de estudo em média. A maioria realiza trabalhos informais, especialmente nas funções relacionadas à agricultura. Em relação à vulnerabilidade ambiental, é de se destacar que 99,5% das casas não possuem rede de esgoto. Observou-se que a maioria raramente procura os serviços de saúde. As doenças de maior prevalência foram: doenças da coluna, doenças parasitárias e hipertensão arterial. Os principais agravos relacionados à saúde mental foram: ansiedade (n = 231); transtornos mentais comuns (n = 159) e fobias (n = 107). Os resultados demonstraram que as comunidades quilombolas de Feira de Santana (BA) encontram-se vulnerabilizadas, condição que revela a necessidade de intervenções sociais e de saúde, com vistas à melhoria da condição de vida e saúde dos quilombolas.

The social exclusion to which quilombola communities are exposed throughout Brazil has favored their socioeconomic and environmental vulnerability, which translates into precarious living and health conditions. This study analyzed the conditions of life, health and morbidity reported by Quilombola communities in the semiarid region of Bahia. Matinha dos Pretos and Lagoa Grande in the municipality of Feira de Santana, Bahia, with adult individuals (≥ 18 years). Data were collected through the application of three instruments and analyzed using the statistical package Stata 14.0. Results: out of the 864 respondents, 63.0% are female, 47.8% are married, with average age 42.6 years (95% CI: 41.1 ­ 44.2), and education varying from 6 to 7 years of study on average. Most carry out informal jobs, especially in functions related to agriculture. Regarding environmental vulnerability, 99.5% of the houses had no sewage system. The majority rarely sought health services. Their most prevalent diseases are: spine diseases, parasitic diseases and high blood pressure. The main problems related to mental health were: anxiety (n = 231); common mental disorders (n = 159) and phobias (n = 107). The results showed that the quilombola communities of Feira de Santana are vulnerable, which implies a need for social and health interventions to improve the living and health conditions of Quilombolas.

La exclusión social a la que están expuestas las comunidades de quilombolas, en Brasil, ha favorecido su vulnerabilidad socioeconómica y ambiental, lo que se traduce en condiciones precarias de vida y salud. Este estudio tiene como objetivo analizar las condiciones de vida, salud y morbilidad reportadas por las comunidades de quilombolas en la región semiárida de Bahía. Este es un estudio transversal realizado en las comunidades de quilombolas de Matinha dos Pretos y de Lagoa Grande en el municipio de Feira de Santana (BA), con individuos adultos (≥ 18 años). Para recolectar los datos se utilizó tres instrumentos, y para analizarlos se aplicó el software Stata 14.0. De los 864 encuestados, el 63,0% son mujeres, el 47,8% están casados, con una edad promedio de 42,6 años (IC 95%: 41,1 ­ 44,2), y el nivel de estudios varía de 6 a 7 años de estudios. La mayoría realiza trabajos informales, especialmente en funciones relacionadas con la agricultura. Respecto a la vulnerabilidad ambiental, se destaca que el 99,5% de las viviendas no cuentan con alcantarillado. Se observó que la mayoría rara vez busca servicios de salud. Las enfermedades más prevalentes fueron: enfermedades de la columna, enfermedades parasitarias y presión arterial alta. Los principales problemas relacionados con la salud mental fueron: ansiedad (n = 231); trastornos mentales comunes (n = 159) y fobias (n = 107). Los resultados mostraron que las comunidades de quilombolas de Feira de Santana-BA son vulnerables, una condición que revela la necesidad de intervenciones sociales y de salud, con miras a mejorar las condiciones de vida y salud de quilombolas.
Descritores: Doenças Parasitárias
Condições Sociais
Grupos Étnicos
Morbidade
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  4 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1147635
Autor: Eroza Solana, Enrique.
Título: Tres procedimientos diagnósticos de la medicina tradicional indígena / Three diagnostic procedures of traditional indigenous medicine
Fonte: Alteridades;6(12):19-26, 1996.
Idioma: es.
Resumo: Entre los grupos étnicos de México los conceptos de salud-enfermedad participan dentro de un campo de mayor amplitud, referido, no sólo a procesos mórbidos, propiamente dichos, sino a toda manifestación de infortunio que tiene lugar dentro de las diversas áreas de la existencia humana, por lo que dicha clase de eventos puede expresar alguna relación con aspectos de la vida social y con diversos fenómenos naturales que, dentro del pensamiento indígena, dan forma a una visión particular del mundo y constituyen por lo tanto, un amplio código de interpretación concerniente a las causas que dan origen a los procesos mórbidos.
Descritores: Técnicas e Procedimentos Diagnósticos
Medicina Tradicional
-Grupos Étnicos
Competência Cultural
México
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1128219
Autor: Oliveira, Fernando J.A. de; Rodrigues, Joslea S; Teles, Livia A. C; Nogueira, Julia A. D.
Título: Transporte ativo no trajeto escolar: uma revisão integrativa / Active transport at the school path: an integrative review
Fonte: Rev. bras. ciênc. mov;2(28):65-75, abr.-jun. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: o transporte ativo pode ser uma oportunidade para desenvolver comportamentos mais saudáveis na vida das crianças e jovens. O presente estudo busca identificar barreiras e facilitadores desse comportamento, bem como suas interfaces com a saúde dos escolares por meio de revisão de literatura. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura realizada nas bases eletrônicas BVS, Scielo e periódico Capes, utilizando os descritores mobilidade, transporte, deslocamento, ativo, sustentável, estudantes, escolares e trajeto escolar em português, inglês e espanhol. Foram incluídos estudos realizados nas Américas e publicados nos últimos cinco anos. Os 16 artigos selecionados foram desenvolvidos no Brasil, Canadá, México e Estados Unidos, sendo que a maioria deriva de pesquisas mais amplas. Os resultados indicam que a prevalência de transporte ativo no trajeto escolar variou entre 10% nos Estados Unidos e 76% no Brasil. Alguns facilitadores desse comportamento foram: pais que utilizam transporte ativo; expectativa dos pais; percepção dos pais sobre boa estrutura e segurança; crianças mais velhas, sem veículos, de grandes cidades, com menor satisfação familiar, com maior número de dias fisicamente ativos; ser homem; presença de adulto e clima. Algumas barreiras foram: distâncias; maior idade, nível de escolaridade da mãe e classe econômica; maior tempo de trabalho dos pais; posse de veículo; zona urbana; bullying; muita coisa para carregar, ausência de árvore, criminalidade; presença de animais vadios e ter etnia latina. A interface do transporte ativo no trajeto escolar com a saúde foi reportada com o nível de atividade física, obesidade/sobrepeso (saúde individual) e barreiras e facilitadores a esse tipo de deslocamento (saúde ambiental). Considerando que atitudes cultivadas na infância têm grandes chances de permanecer na vida adulta, o transporte ativo no trajeto escolar pode ser uma estratégia na criação de hábitos saudáveis e sustentáveis que contribuam para melhor qualidade de vida, desde que se considerem seus determinantes e condicionantes...(AU)

the active transport can be an opportunity to develop healthier beh av iors in t h e lives of children and young people. The present study seeks to identify barriers and facilitators of this behavior, as well as their interfaces with the students' health through a literature review. It is an integrative literature review carried out on the electronic databases BVS, Scielo and Capes periodical, using the descriptors of mobility, transport, displacement, active, sustainable, students, school and schoo l p ath in Po rtuguese, English and Spanish. Studies carried out in the Americas and published in the last five years were included. The 16 selected papers were developed in Brazil, Canada, Mexico and the United States, with most of them deriving from broader researches. The results obtained reveal t he p revalence of active transport in school path varied between 10% in the United States and 76% in Brazil. Some facilitators of this behavior were: parents or adults who use active transport; parental expectation; parents' perception of good structure and safety; older children, without vehicles, large cities, with less family satisfaction, with more days of physical activities; be a man; adult presence and climate. Some barriers were: dist an ces; older age, mother's education level and economic class; longer working time for parents; vehicle ownership; urban area; bullying; a lot to carry, few trees, crime; presence of stray anim als and having Latin ethnicity. The interface between active transport in the school path and health was rep o rted as the level of hysical activity, obesity/overweight (individual health) and barriers and facilitators to this type of displacement (environmental health). Considering that attitudes cultivated in childhood are very likely to remain in adulthood, active transportation on the school path can be a strategy in creating h ealthy and sustainable habits that contribute to a better quality of life, as long as its determinants and condit ions are considered...(AU)
Descritores: Segurança
Estudantes
Árvores
Transporte Biológico Ativo
Exercício Físico
Grupos Étnicos
Família
Saúde do Estudante
Clima
Área Urbana
Crime
Menores de Idade
Educação
Escolaridade
Bullying
Hábitos
Literatura
Mães
-Estilo de Vida Saudável
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Revisão Sistemática
Responsável: BR1552.1 - Biblioteca Central


  6 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1125358
Autor: Souza, Flávia.
Título: O dia em que a vida parou. Expressões da colonialidade em tempos de pandemia / The day life stopped. Expressions of coloniality in pandemic times
Fonte: Physis (Rio J.);30(2):e300210, 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Brasil
Grupos Étnicos
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Colonialismo
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Disparidades nos Níveis de Saúde
Iniquidade Social
Betacoronavirus
Acesso aos Serviços de Saúde
-Racismo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  7 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056968 LILACS-Express
Autor: Candido, Laise Cordeiro; Finkler, Mirelle; Bastos, João Luiz; Freitas, Sérgio Fernando Torres de.
Título: Conflitos com o paciente, cor/raça e concepções de estudantes de Odontologia: uma análise com graduandos no Sul do Brasil / Conflicts with the patient, race and conceptions held by Dental students: The case of undergraduates from Southern Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);29(4):e290410, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Os processos sócio-históricos ocorridos no Brasil resultaram em desigualdades de saúde entre diferentes grupos étnico-raciais. A fim de investigar tais desigualdades na Odontologia, este estudo buscou avaliar se concepções de seus graduandos variam em função da cor/raça de um paciente, quando confrontados com a discordância dele e a necessidade de identificar fatores responsáveis pelo insucesso do tratamento. Os dados foram coletados com um questionário autopreenchível, respondido por 166 alunos matriculados em um curso de Odontologia no Sul do Brasil. Apresentou-se um caso clínico hipotético aos estudantes em dois momentos distintos: no primeiro, o paciente foi caracterizado com a cor negra; no segundo, branca. Os casos demandavam tratamento de um problema dental idêntico, após o qual foram aplicadas perguntas abertas, cujas respostas foram examinadas por meio da Análise de Conteúdo Temática. Os resultados sugerem um comportamento menos respeitoso e menos autonomia dada ao paciente negro em relação ao branco. Os pacientes negros também foram mais responsabilizados por falhas no tratamento, quando comparados a seus pares brancos. Com base nesses resultados, sugerimos que a formação dos profissionais de saúde se concentre no tema das desigualdades raciais, para melhor equipá-los para a construção de uma sociedade menos desigual.

Abstract The socio-historical processes that occurred in Brazil resulted in health inequalities between different ethnic and racial groups. This study aimed to assess whether the conceptions held by Dental students vary according to the patient's race, when a hypothetic patient disagrees with the proposed treatment, as well as when the treatment fails. Data were collected with a self-completed questionnaire, which was administered to 166 undergraduate students living in Southern Brazil. The questionnaire was presented with a hypothetical clinical scenario on two different occasions; in the first one, the patient was black and, in the second one, white. On both occasions, the case asked about treatment decisions of a similarly affected tooth, after which the respondent had to answer some open-ended items. The answers were analyzed with Thematic Content Analysis. Results suggest a less respectful behavior towards and less autonomy given to the black patient, as compared with the white one. Black patients were also more responsible for treatment failures as compared to their white peers. Based on these results, we suggest that the training of health professionals should focus on the issue of racial inequalities, to better equip them to build a less unequal society.
Descritores: Estudantes de Odontologia
Grupos Étnicos
Temas Bioéticos
Serviços de Saúde Bucal
Disparidades nos Níveis de Saúde
Racismo
-Relações Médico-Paciente/ética
Brasil
Assistência à Saúde
Educação em Odontologia/ética
Etnocentrismo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  8 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1145536
Autor: Fardim, Karolina Aparecida Castilho; Oliveira Júnior, Eurico Candido de; Rodrigues, Rafael de Paula; Araújo, Elaine Cristina de Carvalho Béda Correa de; Gomes, João Pedro Perez; Costa, André Luiz Ferreira; Silva, Paulo Henrique Braz da; Castro Lopes, Sergio Lúcio Pereira de.
Título: Volume measurement of mandibular teeth pulp chamber as a prediction tool of gender and ethnicity in a Brazilian population / Medição do volume da câmara pulpar de dentes inferiores como ferramenta de predição de gênero e etnia em uma população brasileira
Fonte: Braz. dent. sci;24(1):1-6, 2021. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Objective: Forensic dentistry has used some methods for the human identification process. However, there is a need to study characteristics that are able to perform identification more specifically, increasing accuracy. Considering the role of dental arch assessment in prediction of gender and ethnicity, the purpose of this study was to assess the volume of pulp chamber as a mean to obtain new forensic evidence. Material and methods: For this task, 1.190 cone beam computed tomography (CBCT) images were retrospectively selected and subdivided according to the population number, gender, age and ethnicity. All DICOM files were imported to the open-source software ITK-SNAP®(http://www.itksnap.org/pmwiki/pmwiki.php). The segmentation process was performed in all pulp chamber aiming to obtain pulp tissue ́s volume. Results: As a result, the pulp chamber volume of mandibular canine teeth showed to be larger in white population than in non-white (P-value = 0.003) and in male individuals in comparison with female (P-value = 0.038). Conclusion: These results, however, must be confirmed by future studies with a larger sample size and by the assessment of other variables, including texture analysis and density of dental tissues. (AU)

Objetivo: A odontologia forense tem usado alguns métodos para o processo de identificação humana. Porém, há a necessidade de estudar características que consigam de forma mais específica realizar a identificação aumentando a precisão. Considerando o papel da avaliação da arcada dentária na predição de gênero e etnia, o objetivo deste estudo foi avaliar o volume da câmara pulpar mandibular como meio de obtenção de novas evidências periciais. Material e métodos: Foram selecionadas 1.190 imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) e subdivididas de acordo com o número da população, sexo, idade e etnia. Todos os arquivos em formato DICOM foram importados para o software de código aberto ITK-SNAP® (http://www.itksnap.org/pmwiki/pmwiki.php) onde o processo de segmentação foi realizado em todas as câmaras pulpares visando a obtenção da volumetria. Resultados: Como resultado, o volume da câmara pulpar dos caninos inferiores mostrou-se maior na população branca do que na não branca (P-valor = 0,003), no sexo masculino em comparação ao feminino (P-valor = 0,038). Conclusão: Esses resultados, entretanto, devem ser confirmados por estudos futuros com maior tamanho amostral e pela avaliação de outras variáveis, incluindo análise de textura e densidade dos tecidos dentários. (AU)
Descritores: Grupos Étnicos
Titulometria
Cavidade Pulpar
Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico
Odontologia Legal
Identidade de Gênero
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  9 / 870 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1140340
Autor: Santos, Layse Tatiane Ferreira; Lopes, Ignês Beatriz Oliveira.
Título: Educação em saúde em comunidades quilombolas: revisão de literatura / Health education in quilombola communities: a literature review / Educación en salud en comunidades quilombolas: revisión de literatura
Fonte: Rev. baiana saúde pública;43(Supl. 1):125-137, 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Um dos aportes da promoção de saúde é a educação em saúde, que visa contribuir com o aumento do conhecimento sobre saúde pela comunidade. As comunidades quilombolas são grupos étnico-raciais, minoritários dentro da população negra, que enfrentam algumas dificuldades no acesso aos serviços e ações de educação em saúde. O objetivo deste estudo é realizar uma revisão exploratória da literatura referente às ações de educação em saúde realizadas em comunidades quilombolas brasileiras. Trata-se de uma revisão de literatura, executada nas bases de dados LILACS, PubMed/Medline e SciELO, além de busca nas listas de referências de outros estudos publicados com essa temática. De maneira geral, os estudos encontrados, apontaram algumas das deficiências e necessidades das populações quilombolas, mesmo não sendo demandas espontâneas ou levantadas pela própria comunidade, a utilização de instrumentos aplicados pré e pós intervenção em alguns deles, demonstraram que as atividades contribuíram para a ampliação do conhecimento dos sujeitos sobre sua própria saúde. A educação, a informação e a comunicação em saúde são elementos constitutivos da promoção da saúde, que, segundo a concepção ampliada de saúde, é base constitutiva dos princípios do Sistema Único de Saúde. Por isso, é importante que se criem estratégias para execução de ações de educação em todos os níveis. Neste estudo, constatou-se que a literatura a respeito do tema educação em saúde ainda pode ser muito desenvolvida, principalmente quando se trata de comunidades quilombolas, especificamente.

One of the contributions of health promotion is health education, which helps increases community health knowledge. Quilombola communities are ethnic-racial groups, a minority within the black population, which face some difficulties in accessing health education services and actions. The objective of this study is to carry out an exploratory review of the literature regarding health education actions developed in Brazilian Quilombola communities. This is a review of the literature found in Lilacs, PubMed/Medline and SciELO databases, as well as from searching the reference lists of other studies published on the subject. In general, the studies found pointed out some of the deficiencies and needs of Quilombola populations, even though they were not spontaneous demands raised by the community itself, the use of instruments applied before and after intervention in some of them demonstrated that the activities contributed to the expansion of the subjects' knowledge about their own health. Health education, information and communication were shown to be constitutive elements of health promotion, which according to the broader conception of health is a constitutive basis for the principles of our Unified Health System. It is therefore important to create strategies for implementing educational actions at all levels. The literature on the topic of health education still needs to be further explored, especially when dealing with quilombola communities, specifically.

Uno de los aportes de la promoción de la salud es la educación en salud, que pretende contribuir con el aumento del conocimiento sobre salud por parte de la comunidad. Las comunidades quilombolas son grupos étnico-raciales, minoritarios dentro de la población negra, que enfrentan algunas dificultades en el acceso a los servicios y acciones de educación en salud. El objetivo de este estudio es realizar una revisión exploratoria de la literatura referente a las acciones de educación en salud realizadas en comunidades quilombolas brasileñas. Se trata de una revisión de la literatura, realizada en las bases de datos Lilacs, PubMed/Medline y SciELO, además de búsqueda en las listas de referencias de otros estudios publicados sobre esa temática. En general, los estudios encontrados señalaron algunas deficiencias y necesidades de las poblaciones quilombolas, si bien no fueron demandas espontáneas o planteadas por la propia comunidad, el uso de instrumentos aplicados pre- y posintervención en algunas de ellas demostró que las actividades contribuyeron a la expansión del conocimiento de los sujetos sobre su propia salud. La educación, la información y la comunicación en salud son elementos constitutivos de la promoción de la salud, que, según la concepción ampliada de salud, es base constitutiva de los principios de nuestro Sistema Único de Salud; por lo que es importante la creación de estrategias para ejecutar acciones de educación en salud a todos los niveles. En este estudio, se constató que la literatura acerca del tema educación en salud aún puede desarrollarse más, especialmente cuando se trata de comunidades quilombolas.
Descritores: Sistema Único de Saúde
Grupos Étnicos
Educação em Saúde
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Promoção da Saúde
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  10 / 870 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1120527
Autor: Silva, Leonildo Severino da.
Título: Práticas e Cuidados em Saúde Reprodutiva de Mulheres da Etnia Kambiwá / Practice and Care in Reproductive Health of Kambiwá Women / Prácticas y Cuidados en Salud Reproductiva de Mujeres de la Etnia Kambiwá.
Fonte: Salvador; s.n; 2014. 100P p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal da Bahia para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Características culturais da vida reprodutiva de mulheres indígenas exigem uma atenção especial, tendo em vista a produção de cuidados coerentes e adequados prestados por serviços de saúde e profissionais, especialmente por enfermeiras. Assim, os objetivos desse estudo foram: descrever as práticas em saúde reprodutiva de mulheres da etnia Kambiwá; identificar o autocuidado das mulheres Kambiwá e o cuidado oferecido por serviços de saúde, principalmente pela equipe de enfermagem, relacionado à saúde reprodutiva; e, analisar práticas e cuidados em saúde reprodutiva de mulheres da etnia Kambiwá à luz da teoria transcultural do cuidado. Trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória de abordagem qualitativa que se utilizou da etnoenfermagem, como proposta metodológica e da Teoria Transcultural do Cuidado. Foi realizada na Aldeia Baixa da Alexandra, em IbimirimPernambuco, com vinte mulheres no período de setembro de 2012 a maio de 2014. A seleção das entrevistadas ocorreu por meio de informantes gerais e informantes-chaves. Utilizamos para obtenção dos dados: formulário etnodemográfico ­ socioeconômico, técnica da Observação-Participação-Reflexão e roteiro de entrevista semiestruturado da História de Vida e Cuidados em Saúde. Os modos de vida da etnia Kambiwá, semelhantes a uma comunidade rural não indígena, com casas de alvenaria, energia elétrica, água de poço artesiano, entre outros aspectos, são de muita relevância para a manutenção das condições de sobrevivência, e, nem por isso, descaracterizam suas particularidades étnicas. A religiosidade praticada por meio dos rituais como o Praiá e os "trabalhos de mesa", é uma forma de cuidado tradicional para cura e proteção física e espiritual. As entrevistadas têm entre 22 e 85 anos de idade com escolaridade até o ensino médio. A maioria convive com parceiro sexual em domicílios com até quinze pessoas. Realizam o trabalho doméstico e praticam a agricultura de subsistência, com renda básica do Programa Bolsa Família. Têm em média seis filhos(as). A contracepção é praticada por utilização de contraceptivos modernos e práticas tradicionais como beber água antes e após a relação sexual, banhos com "água de sal" e amamentação. Identificam a gravidez por meio do entojo e da amenorreia. Os cuidados durante a gravidez estão dirigidos a manutenção gestacional, evitando o aborto: satisfazer o desejo por alimentos, não ter sustos, evitar quedas e atividades pesadas. O parto, fisiológico, é permeado por práticas xamânicas de autocuidado e pela atenção hospitalar, apresentando-se em um modelo híbrido de cuidado. No pós-parto, geralmente, permanecem em repouso por 30 dias, delegando o trabalho doméstico as parentas e companheiro, além dos cuidados relacionados à higiene pessoal, seguindo um ritual que inclui um tempo determinado para retornar às suas atividades. As práticas e cuidados de mulheres Kambiwá em relação à saúde reprodutiva mostraram que é constituída dentro de um contexto cultural no qual diferentes sistemas de saúde atuam na construção de sentidos que lhes são peculiares. A cultura é dinâmica, possui forte influência do modelo de saúde hospitalocêntrico e medicalizado, e pode interferir na manutenção do cuidado tradicional.(AU)
Descritores: Grupos Étnicos
Saúde da Mulher
Enfermagem Transcultural
Origem Étnica e Saúde
Saúde Reprodutiva
-Características Culturais
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR342.1 - Biblioteca Universitária de Saúde



página 1 de 87 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde