Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP3.001.041 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 668 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 67 ir para página                         

  1 / 668 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Leite, Isabel Cristina Gonçalves
Texto completo
Id: lil-556349
Autor: Kitamura, Elisa Shizuê; Leite, Isabel Cristina Gonçalves.
Título: Correlação entre índice de desenvolvimento humano e cárie dentária em uma amostra de municípios mineiros: implicações para a inclusão da odontologia na estratégia saúde da família / Correlation between human development index and dental caries in a sample of cities of minas gerais state: implications for the inclusion of oralhealth in the family health strategy
Fonte: Rev. APS;12(2), abr.-jun. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: O presente estudo ecológico investigou a correlação entre prevalência de cárie e fatores socioeconômicos no Estado de Minas Gerais, Brasil, para o ano de 2000. Dois tipos de informações foram reunidas: (1) dados sobre prevalência de cárie dentária (CPO-D aos 12 anos) para os municípios do Estado, dividido em suas mesorregiões; (2) dados relativos às condições socioeconômicas, utilizando o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). Com base em análise de regressão linear simples demonstrouse correlação estatisticamente significativa, embora de fraca magnitude, entre CPO-D e IDH-M. Nesse sentido,discutiu-se a importância da inserção do cirurgião-dentista na Estratégia Saúde da Família como uma das ferramentas na busca da equidade. Dessa forma, o grande desafio que se apresenta ao profissional inserido na Equipe de Saúde Bucal é a real reversão do sistema de atenção em saúde,antes meramente curativista, para um modelo voltado para as necessidades regionais, de acordo com o perfil epidemiológico local, capaz de reorganizar a estrutura de funcionamento, os métodos e os processos de trabalho buscando reduzir as iniquidades.

This ecologic study investigated the correlation betweendental caries prevalence and socioeconomic factors in theState of Minas Gerais, Brazil, in the year 2000. Two groupsof information were collected: (1) data on caries prevalence(DMFT at 12 years-old) in the State municipalities, by mesoregion;(2) data related to the socioeconomic conditionsaccording to the Municipal Human Development Index(MHDI). Based on simple linear regression analysis, thestudy demonstrated a significant correlation, although ofsmall magnitude, between the DMFT index and the MHDI.The importance of the inclusion of the dental surgeonin the Health Family Strategy, as a tool towards equity, isdiscussed. The great challenge for dental professionals isthe change from a curative system to an epidemiologicallybasedone, meeting regional needs and able to reorganizethe working practice and processes.
Descritores: Cárie Dentária
-Saúde Bucal
Saúde da Família
Disparidades nos Níveis de Saúde
Iniquidade Social
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  2 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1049510
Autor: López, Enzo Javier; Chena, Marina; Sala, Claudia Mabel; Rivarola Padrós, Pablo; Maeca, Juan Pablo.
Título: Sentidos acerca del etiquetamiento y la estigmatización en contextos de expulsión social en jóvenes que asisten a un centro socioeducativo / Senses about labeling and stigmatization in contexts of social expulsion in young people attending a socio-educational center.
Fonte: Córdoba; s.n; 2015. 86 p.
Idioma: es.
Descritores: Psicologia
Vulnerabilidade Social
Iniquidade Social
Limites: Seres Humanos
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: AR304.2 - Biblioteca
AR304.2; aTF PSC 100


  3 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-904038
Autor: Sosa-Sánchez, Itzel Adriana; Erice, Joaquina Erviti.
Título: Narrativas sobre género y sexualidad en médicos mexicanos. Sus implicaciones sobre las regulaciones corporales, sexuales y reproductivas / Narrativas sobre gênero e sexualidade em médicos mexicanos. Suas implicações sobre as regulações corporais, sexuais e reprodutivas / Narratives of Mexican physicians on gender and sexuality. Its implications to body, sexuality and reproduction regulations
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(27):46-65, set.-dez. 2017.
Idioma: es.
Resumo: Resumen A partir de un estudio cualitativo, exploramos los vínculos entre discursos médicos sobre género y sexualidad, y las regulaciones corporales, sexuales y reproductivas en los espacios de salud reproductiva. Entrevistamos a médicos de servicios públicos de salud en México e indagamos sobre las prácticas reproductivas y sexuales de las usuarias, así como sobre las asignaciones sociales y profesionales de cuidado del cuerpo en las relaciones sexuales. Los testimonios revelan cómo los discursos y normatividades sobre género y sexualidad legitiman, en los espacios de salud reproductiva, las desigualdades sociales, especialmente las de género, y la doble moral sexual imperantes en la sociedad mexicana. Las mujeres emergen como saturadas de una sexualidad "desordenada" que debe ser controlada a través de diversas regulaciones corporales, sexuales y reproductivas. Estas regulaciones inciden en el reconocimiento de su autonomía sexual y reproductiva, e impactan negativamente en sus derechos.

Resumo A partir de um estudo qualitativo, exploramos os vínculos entre discursos médicos sobre gênero e sexualidade e as regulações corporais, sexuais e reprodutivas nos espaços de saúde reprodutiva. Entrevistamos médicos de serviços públicos de saúde no México e indagamos sobre as práticas reprodutivas e sexuais das usuárias, assim como sobre as designações sociais e profissionais do cuidado do corpo nas relações sexuais. Os testemunhos revelam como os discursos e normatividades sobre gênero e sexualidade legitimam as desigualdades sociais nos espaços de saúde reprodutiva, especialmente as de gênero, e a dupla moral sexual imperante na sociedade mexicana. As mulheres emergem como saturadas de uma sexualidade "desordenada" que deve ser controlada através de diversas regulações corporais, sexuais e reprodutivas. Estas regulações incidem no reconhecimento de sua autonomia sexual e reprodutiva e impactam negativamente nos seus direitos.

Abstract This qualitative study explores the links between medical discourses about gender and sexuality and the body, sexual and reproductive regulations displayed in the reproductive health medical settings. Using in-depth interviews with medical practitioners working in public health services in Mexico, we explored the reproductive and sexual practices of the users of these services and the social and professional assignation regarding body care related with sexual relations. The narratives reveal how gender and sexuality discourses and normativities legitimize in the reproductive health services diverse social inequalities, especially those of gender, and those regarding the double sexual standard prevailing in the Mexican society at large. The women emerge in the narratives as saturated of an often "chaotic" sexuality that must be controlled through diverse corporal sexual and reproductive regulations. These regulations impact negatively the recognition of women's sexual and reproductive autonomy and their sexual and reproductive rights as well.
Descritores: Médicos
Saúde Pública
Sexualidade
Autonomia Pessoal
Pesquisa Qualitativa
Direitos Sexuais e Reprodutivos
Iniquidade Social
FURSULTIAMIN9
Identidade de Gênero
México
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Entrevista
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  4 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-979348 LILACS-Express
Autor: Facchini, Regina; Pinheiro, Thiago Félix; Calazans, Gabriela Junqueira.
Título: Prevenção de HIV/aids, produção de diferenças e processos de mudança social
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(29):253-262, mayo-ago. 2018.
Idioma: pt.
-Brasil
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida/prevenção & controle
HIV
Sexualidade
Vulnerabilidade Social
Iniquidade Social
Epidemias
Identidade de Gênero
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  5 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-552172
Autor: Riquinho, Deise Lisboa; Gerhardt, Tatiana Engel.
Título: Doença e incapacidade: dimensões subjetivas e identidade social do trabalhador rural / Illness and disability: rural workers' subjective dimensions and social identities
Fonte: Saúde Soc;19(2):320-332, jun. 2010.
Idioma: pt.
Projeto: MCT/CNPq/MS-SCTIE-DECIT; . MS/ CNPq/ FAPERGS – PPSUS II.
Resumo: Este artigo aborda a interface entre os determinantes sociais de saúde, as condições de vida e as concepções de saúde e doença de moradores de uma localidade rural no sul do Brasil. O objetivo é conhecer e compreender as necessidades em saúde, por meio das concepções de doença, considerando as desigualdades sociais presentes na localidade rural do Rincão dos Maia, Canguçu-RS. Utilizou-se a triangulação de métodos. No desenho qualitativo entrevistaram-se 20 sujeitos. A amostra foi intencional, ilustrativa das diferentes situações de vida. Os resultados referem-se à doença como incapacidade ou restrição de locomoção, uso de remédios e trabalho ou, ainda, como resultante do comportamento cotidiano, de perdas e exposição a diversas temperaturas na lavoura, da alimentação e da presença de enfermidade, geralmente "doenças metáforas". Apesar das desigualdades socioeconômicas, não se observaram diferenças nas concepções de saúde e doença, possivelmente devido ao contexto cultural comum e à matriz de trabalhador rural. Evidenciou-se a relevância de se conhecer os determinantes sociais em saúde, por meio das condições de vida materiais e dos aspectos subjetivos dos processos cotidianos, como forma de aproximação da construção de saberes e lógicas locais.
Descritores: Iniquidade Social
Saúde Pública
Saúde da População Rural
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  6 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1013117
Autor: Fernandes, Renata Cordeiro; Manera, Fernanda; Boing, Larissa; Höfelmann, Doroteia Aparecida.
Título: Socioeconomic, demographic, and obstetric inequalities in food insecurity in pregnant women / Desigualdades socioeconômicas, demográficas e obstétricas na insegurança alimentar em gestantes
Fonte: Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. (Online);18(4):815-824, Oct.-Dec. 2018. tab.
Idioma: en.
Projeto: CAPES.
Resumo: Abstract Objectives: to estimate the prevalence of Food Insecurity (FI) in pregnant women and to identify its association with demographic, socioeconomic, obstetric, and anthropometric variables in female users of Family Health Units (FHUs) in the city of Colombo, state of Paraná, South Region of Brazil. Methods: a cross-sectional study of a representative sample of pregnant women from 17 FHUs in Colombo. We used the short version of the Brazilian Household Food Insecurity Measurement Scale (EBIA). In addition, we used Poisson Regression Models with robust, crude, and adjusted variance to investigate the association between FI and exposure variables. Results: 316 pregnant women participated in the study. The prevalence of FI was 45.1% (CI95% = 39.6-50.6). Adjusted analysis showed higher prevalence of FI in pregnant women with 30 years of age or older (PR = 1.66; IC95% = 1.02-2.69), with black skin or indigenous background (PR= 1.39; CI95%= 1.08-1.79), with 7 years of education or less (PR = 1.58; CI95% = 1.14-2.19), and with lower income (PR = 2.07; CI95% = 1.36-3.14). Conclusions: There was a high prevalence of FI among pregnant women, particularly among those of older age and with worse socioeconomic conditions, a group that should be considered a priority for actions aimed at promoting food security.

Resumo Objetivos: estimar a prevalência da insegurança alimentar (IA)em gestantes e identificar sua associação com variáveis demográficas, socioeconômicas, obstétricas e antropométricas em usuárias de Unidades de Saúde da Família (USFs) em Colombo, PR. Métodos: estudo transversal com amostra representativa de gestantes de 17 USFs do município. Utilizou-se a versão curta da Escala Brasileira de IA. Modelos de Regressão de Poisson com variância robusta, brutos e ajustados foram utilizados para investigar associação entre IA e variáveis de exposição. Resultados: participaram da pesquisa 316 gestantes. A prevalência de IA foi de 45,1% (IC95%= 39,6-50,6). Após análise ajustada, apresentaram maiores prevalências de IA as gestantes com 30 anos ou mais (RP= 1,66; IC95%= 1,02-2,69), de cor/raça negra e indígena (RP= 1,39; IC95%= 1,08-1,79), com até sete anos de estudo (RP= 1,58; IC95%= 1,14-2,19) e de menor renda (RP= 2,07; IC95%= 1,36-3,14). Conclusões: verificou-se elevada prevalência de IA entre as gestantes, especialmente entre aquelas com maior idade e piores condições socioeconômicas, grupo que deve ser considerado prioritário para ações que visem promover segurança alimentar.
Descritores: Centros de Saúde
Gestantes
Segurança Alimentar e Nutricional
Iniquidade Social
-Brasil
Distribuição de Poisson
Antropometria
Estudos Transversais
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR663.1 - Biblioteca da Saúde da Mulher e da Criança


  7 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-991665
Autor: Vale, Aléxa Rodrigues do; Vecchia, Marcelo Dalla.
Título: "UPA é nós aqui mesmo": as redes de apoio social no cuidado à saúde da população em situação de rua em um município de pequeno porte / "We are the UPA ourselves": social support networks on the health care for the homeless in a smalltown
Fonte: Saúde Soc;28(1):222-234, jan.-mar. 2019. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (Capes).
Resumo: Resumo A população em situação de rua (PSR) constitui-se como um público crescente nas cidades, refletindo processos sociais desiguais e excludentes. Entre as barreiras para o acesso aos direitos sociais básicos, destaca-se a negação do direito à saúde a essas pessoas. Poucos estudos buscam conhecer as estratégias desenvolvidas pela PSR diante da carência de serviços públicos e das barreiras de acesso aos existentes. Diante disso, buscou-se identificar e analisar os itinerários terapêuticos da PSR em um município de pequeno porte. Foi utilizada a triangulação de métodos qualitativos para a coleta de informações por meio de observações participantes e entrevistas semiestruturadas. Foram entrevistados sete homens e uma mulher, e o conjunto de dados foi analisado com base na análise temática. Ressalta-se, nos relatos, a utilização de redes de apoio social como fonte prioritária de cuidado, por intermédio do autocuidado, da automedicação, do uso da medicina popular e da mudança na rotina da vida nas ruas para recuperação da saúde. Tais redes também são alternativos à garantia de acesso aos serviços públicos. Evidencia-se a negação do direito à saúde decorrente do processo de exclusão social a que estão submetidos. Destaca-se o compartilhamento de uma visão de saúde ampliada, relacionada aos determinantes sociais do processo saúde-doença. Diante desse panorama, é fundamental que o setor profissional de cuidado à saúde promova ações que permitam o cuidado contínuo e integral da PSR.

Abstract The homeless is a growing public in cities, which reflects unequal and excluding social processes. Among the obstacles to access basic social rights is the denial of this public's right to health care. Few studies seek to identify the strategies developed by the homeless due to the lack of public services and the barrier to access existing ones. Therefore, we sought to identify and analyze the therapeutic itineraries of this population in a small city. Triangulation of qualitative methods was used to collect research data through participant observations and semi-structured interviews. Seven men and one woman were interviewed, and the data set was analyzed through thematic analysis. The reports highlight the use of social support networks as a central source of health care through self-care, self-medication, use of popular medicine and day-by-day routine adjustments in the streets for health recovery. Such networks are also alternatives to the guarantee to access public services. The denial of the right to health, due to the process of social exclusion to which they are submitted, is evidenced. We emphasize the sharing of an expanded health vision, related to the social determinants of the health-disease process. Given this scenario, it is fundamental that the professional health care sector promote actions to allow the continuous and integral care of the homeless.
Descritores: Apoio Social
Direito à Saúde
Pessoas em Situação de Rua
Equidade em Saúde
Serviços de Saúde
Medicina Tradicional
-Aceitação pelo Paciente de Cuidados de Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Iniquidade Social
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-985034
Autor: Tiensoli, Sabrina Daros; Felisbino-Mendes, Mariana Santos; Velasquez-Melendez, Gustavo.
Título: Avaliação da não realização do exame Papanicolaou por meio do Sistema de Vigilância por inquérito telefônico / Evaluación de la no realización del examen Papanicolaou por medio del Sistema de Vigilancia por encuesta telefónica / Evaluation of non-attendance for Pap test through the Surveillance System by telephone survey
Fonte: Rev. Esc. Enferm. USP;52:e03390, 2018. tab, graf.
Idioma: en; pt.
Projeto: Ministério da Saúde.
Resumo: RESUMO Objetivo Estimar a prevalência do exame Papanicolaou e analisar fatores associados à sua não realização pelas mulheres brasileiras. Método Estudo transversal, de base populacional, que utilizou dados do Vigitel e incluiu mulheres na faixa etária alvo do rastreio. Avaliaram-se a cobertura e a prevalência de não realização do rastreamento segundo características sociodemográficas, comportamentais e de saúde. Resultados Foram incluídos dados de 22.580 mulheres. Cerca de 17,1% das mulheres não realizaram o exame nos últimos 3 anos. Mulheres nas faixas etárias de 35 a 44, 45 a 54 e 55 a 64 anos, apresentaram maior prevalência de realização quando comparadas às de 25 a 34 anos (p<0,05). Os fatores associados à não realização do exame foram: mulheres com menos de 12 anos de estudo (p<0,05), que declararam não ter companheiro (p<0,0001), residentes nas regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte (p<0,05), desnutridas (p=0,017), que autoavaliaram sua saúde como negativa e que apresentaram pelo menos um comportamento negativo em saúde (p<0,0001). Conclusão Apesar da elevada cobertura do exame, ela ainda é insatisfatória em subgrupos populacionais, como mulheres que vivem sem companheiro, com baixa escolaridade, desnutridas, que autoavaliam seu estado de saúde como negativo e que possuem pelo menos um comportamento negativo em saúde.

RESUMEN Objetivo Estimar la prevalencia del examen Papanicolaou y analizar los factores asociados con su no realización por la mujeres brasileñas. Método Estudio transversal, de base poblacional, que utilizó datos del Vigitel e incluyó a mujeres en el rango de edad blanco del rastreo. Se evaluaron la cobertura y la prevalencia de no realización del rastreo según los rasgos sociodemográficos, sanitarios y de comportamiento. Resultados Fueron incluidos datos de 22.580 mujeres. Un 17,1% de las mujeres no realizaron el examen los últimos tres años. Mujeres en los rangos de edad de 35 a 44, 45 a 54 y 55 a 64 años presentaron mayor prevalencia de realización cuando comparadas con las de 25 a 34 años (p<0,05). Los factores asociados con la no realización del examen fueron: mujeres con menos de 12 años de estudio (p<0,05), quienes manifestaron no tener a compañero (p<0,0001), residentes en las regiones Nordeste, Centro Oeste y Norte (p<0,05), desnutridas (p=0,017), que autoevaluaron su salud como negativa y que presentaron por lo menos un comportamiento negativo en salud (p<0,0001). Conclusión Pese a la elevada cobertura del examen, todavía es insatisfactoria en subgrupos poblaciones, como mujeres que viven sin compañero, con baja escolaridad, desnutridas, que autoevaluaron su estado de salud como negativo y que tienen por lo menos un comportamiento sanitario negativo.

ABSTRACT Objective To estimate the prevalence of the Pap test and analyze the factors associated with its non-attendance by Brazilian women. Method Cross-sectional, population-based study in which were used Vigitel (Surveillance System for Protective and Risk Factors for Chronic Diseases by Telephone Survey ) data and were included women in the target age range of the screening. The coverage and prevalence of non-screening were assessed according to sociodemographic, behavioral and health characteristics. Results Data from 22,580 women were included. About 17.1% of women did not take the Pap test in the three previous years. Women in the age groups of 35-44, 45-54 and 55-64 years showed a higher prevalence of having the test compared to those aged 25-34 years (p<0.05). The following factors were associated with the non-attendance: women with less than 12 years of study (p<0.05), who declared not having a partner (p<0.0001), residents of Northeast, Midwest and North regions (p<0.05), malnourished (p=0.017), who self-assessed their health as negative and presented at least one negative health behavior (p<0.0001). Conclusion Despite the high coverage of this screening, it remains unsatisfactory in population subgroups, such as women living without a partner, with low educational level, malnourished, who self-assessed their health status as negative, and with at least one negative health behavior.
Descritores: Neoplasias do Colo do Útero/diagnóstico
Fatores de Risco
Teste de Papanicolaou/estatística & dados numéricos
-Enfermagem Oncológica
Brasil
Estudos Transversais
Saúde da Mulher
Iniquidade Social
Limites: Seres Humanos
Feminino
Adulto
Meia-Idade
Responsável: BR41.1 - Biblioteca Wanda de Aguiar Horta


  9 / 668 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-955467
Autor: Marinho, Gerson L; Caldas, Aline Diniz Rodrigues; Santos, Ricardo Ventura.
Título: Indígenas residentes em domicílios "improvisados" segundo o Censo Demográfico 2010 / Indigenous residents in "improvised" households according to the 2010 Brazilian National Census
Fonte: Physis (Rio J.);27(1):79-102, jan.-mar. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro.
Resumo: Resumo Os censos nacionais brasileiros empregam uma classificação de domicílios que se baseia nas categorias de "permanente", "improvisado" e "coletivo". Tal categorização é relevante para o campo da saúde, pois informações detalhadas sobre saneamento são coletadas somente para domicílios classificados como "permanentes". Este estudo descreve características sociodemográficas dos indígenas (sexo, idade, alfabetização, rendimento e etnia) que residiam em domicílios "improvisados" segundo o Censo Demográfico de 2010. A ocorrência de indígenas em domicílios "improvisados" (3,3 por mil indígenas) foi o dobro daquela observada para o país como um todo (1,5 por mil pessoas). Comparados aos indígenas em domicílios "permanentes", aqueles em "improvisados" apresentaram menores proporções de pessoas alfabetizadas e menores rendimentos, sobretudo em áreas urbanas e fora de terras indígenas. Guarani Kaiowá e Kaingang residentes fora de terras indígenas apresentaram as mais expressivas ocorrências de residentes em domicílios "improvisados" (82,0 e 90,9 por mil, respectivamente). Argumenta-se que, ao mesmo tempo que a caracterização de uma moradia indígena como "improvisada" pode decorrer de problemas na definição e aplicação das categorias, é possível que, sobretudo no contexto urbano e fora de terras indígenas, os indígenas residentes em domicílios "improvisados" apresentem maior vulnerabilidade socioeconômica.

Abstract Brazilian national censuses classify households according to three categories: "permanent", "improvised", and "collective". This classification scheme is relevant for analysis of health profiles because detailed sanitation data are only collected for the subset of "permanent" households. Based on data from the 2010 Brazilian National Census, in this paper we investigate sociodemographic characteristics (sex, age, literacy, per capita income, and ethnic affiliation) of Indigenous persons residing in households classified as "improvised". The occurrence of indigenous residents in "improvised" households (3.3 per thousand Indigenous individuals) was twice that observed for non Indigenous persons (1.5 per thousand individuals). Indigenous persons residing in "improvised" households presented lower literacy rates and per capita income, especially in urban areas and outside Indigenous reserves. Guarani Kaiowá e Kaingang in urban areas and outside Indigenous reserves had greater proportions of individuals residing in "improvised" households (82.0 and 90.9 per thousand, respectively). While the higher frequencies of Indigenous persons living in "improvised" households may involve problems in defining and applying these categories, it is possible that Indigenous persons living in "improvised" households, especially in urban areas and outside indigenous reservations, are more socioeconomically vulnerable.
Descritores: Brasil
Distribuição Espacial da População
Saneamento
Censos
Saúde de Populações Indígenas
Iniquidade Social
Habitação
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  10 / 668 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Id: lil-485456
Autor: Agência de Notícias dos Direitos da Infância.
Título: Infância na mídia: a criança e o adolescente no olhar da imprensa brasileira? Relatório 2003/2004 / Childhood on the media: child and adolescent under Brazilian's press view.
Fonte: Brasília; Agência de Notícias dos Direitos da Infância; jul. 2005. 56 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Descritores: Adolescente
Criança
Imprensa
Problemas Sociais
Responsabilidade Social
-Brasil
Defesa da Criança e do Adolescente
Iniquidade Social
Maus-Tratos Infantis
Meios de Comunicação de Massa/ética
Violência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Relatórios Anuais
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3988.00; BR1782.1; REL302.23, A271i, 2005



página 1 de 67 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde