Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP8.473.654.587.622.515 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3 [refinar]
Mostrando: 1 .. 3   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 3 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1978
Autor: Oliveira, Lílian Cíntia; Flores, Rafaela; Amorim, Maria Marta; Ferreira, Cláudia; Amaral, Daniela.
Título: Avaliação das temperaturas das preparações dos restaurantes self service do hipercentro de Belo Horizonte / MG / Evaluation of food temperature on self-service restaurants located in Belo Horizonte / MG
Fonte: HU rev;38(3/4):167-173, abr.-jun. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: O número de refeições fora do domicílio cresceu consideravelmente nos últimos anos e para atender essa demanda houve um aumento da quantidade de restaurantes self service. Com a intenção de despertar a atenção dos gerentes para a importância da qualidade das refeições servidas aos clientes, esse estudo avaliou as temperaturas das preparações servidas nos restaurantes self service localizados no hipercentro de Belo Horizonte-MG. Foram coletadas as temperaturas dos pratos principais ­ bovino e ave, arroz e feijão, duas guarnições ­ fritura e massa, quatro tipos de saladas ­ folhoso, tomate e dois legumes cozidos de 76 restaurantes self service, no início da distribuição das refeições. Utilizou-se um termômetro infravermelho direcionado para o centro da preparação por cerca de 5 segundos ou até a estabilização da temperatura. As temperaturas preconizadas pela legislação vigente, superior a 60°C para preparações quentes e abaixo de 10°C para alimentos refrigerados, foram utilizadas como parâmetro. As temperaturas médias das preparações quentes avaliadas variaram entre 36,8°C e 45,8°C e das preparações refrigeradas entre 19,08°C e 20,58°C, mostrando inadequação. Foi observado que 52,7% a 67,1% das preparações quentes encontrava-se na faixa de temperatura entre 30,1°C e 45°C enquanto 50% a 63,16% das preparações refrigeradas na faixa de 10,1°C a 20,9°C. O teste de Dunnet mostrou diferença significativa entre a temperatura de referência e as preparações pesquisadas. Faz-se necessário a fiscalização eficiente por parte dos órgãos responsáveis, a fim de se obter adequação dos estabelecimentos quanto à temperatura dos alimentos, garantindo aos consumidores preparações seguras.
Descritores: Restaurantes
Contaminação de Alimentos
-Temperatura
Higiene dos Alimentos
Gestão da Qualidade
Temperatura Mínima
Fiscalização Sanitária
Refeições
Alimentos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  2 / 3 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-655486
Autor: Sousa, Edna Pinto Pereira de.
Título: Influência das variáveis climáticas em casos de dengue nas cidades da Baixada Santista (sudeste do Brasil) e Cingapura(sudeste asiático) / Influence of climatic variables in dengue cases in the cities of Baixada Santista (southeastern Brazil) and Singapore (Southeast Asia).
Fonte: São Paulo; s.n; 2012. 155 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Neste estudo, baseado na análise de séries temporais para um período de 8 anos, correlacionou-se os casos de dengue com as variáveis climáticas das cidades da Baixada Santista (sudeste brasileiro) e de Cingapura (sudeste asiático). O estudo foi feito com o uso de um modelo de regressão de Poisson (MRP), que considera os casos de dengue como a variável dependente e as variáveis climáticas: precipitação, temperatura (máxima e mínima) e umidade relativa (máxima e mínima) como as variáveis independentes. Também foi utilizada a Análise de Componentes Principais (ACP) para escolher as variáveis que influenciam no aumento do número de casos de dengue nas cidades estudadas. A CP1 (componente principal 1) foi representada pelas temperaturas (máxima e mínima) e a precipitação e a CP2 (componente principal 2) pela umidade relativa (máxima e mínima). Calculou-se o acréscimo dos novos casos de dengue e o risco relativo de ocorrência da doença por influência de cada uma das variáveis climáticas. Na Baixada Santista, os maiores valores de precipitação e temperatura ocorrem nos meses de dezembro e janeiro (verão) e o aumento dos casos de dengue ocorre nos meses de março a maio (outono). Para Cingapura, a diminuição da precipitação e o aumento da temperatura ocorrem nos meses de março a maio (pré-monção de sudoeste), e, portanto, observa-se o aumento dos casos de dengue nos meses de junho a outubro (monção de sudoeste). Os resultados foram: em Cingapura, para 2oC a 10oC de variação na temperatura (máxima e mínima), houve um aumento médio dos casos de dengue de 22,2 por cento a 184,6 por cento (máxima) e de 26,1 por cento a 230,3 por cento (mínima). O risco relativo médio foi de 1,2 por cento a 2,9 por cento e de 1,3 por cento a 3,3 por cento, respectivamente. Para precipitação, a variação de 5mm a 55mm, houve o aumento dos casos de dengue de 5,6 por cento a 83,2 por cento, sendo e o risco relativo médio foi de 1,06 por cento a 1,83 por cento. A umidade relativa após a análise de correlação foi descartada no uso do modelo de regressão de Poisson por apresentar uma correlação...

In this study, based on time series analysis for a period of eight years, correlated dengue cases with climatic variables in the cities of Santos (southeastern Brazil) and Singapore (Southeast Asia). The study was done using a Poisson regression model (PRM), which considers the cases of dengue as the dependent variable and climatic variables: precipitation, temperature (maximum and minimum) and relative humidity (maximum and minimum) as the independent variables. Also we used the Principal Component Analysis (PCA) to select the variables that influence the increase in the number of dengue cases in the cities studied. The PC1 (principal component 1) was represented by the temperatures (maximum and minimum) and precipitation and the PC2 (principal component 2) the relative humidity (maximum and minimum). We calculated the addition of new dengue cases and relative risk of disease influenced by each variable climate. In Baixada Santista, the highest values of precipitation and temperature occur in the months of December and January (summer) and the increase in dengue cases occur in the months from March to May (autumn). For Singapore, the decrease in precipitation and temperature increase occurring in the months March to May (southwest inter-monsoon) and hence there is an increase of dengue cases in the months from June to October (southwest monsoon). The results were in Singapore for 2oC to 10oC change in temperature (maximum and minimum), there was an average increase of dengue cases from 22.2 percent to 184.6 percent (maximum) and 26.1 percent at 230 3 percent (minimum). The average relative risk was 1.2 percent to 2.9 percent and 1.3 percent to 3.3 percent, respectively. For precipitation, the range of 5mm to 55mm, there was an increase of dengue cases from 5.6 percent to 83.2 percent, with and average relative risk was 1.06 percent to 1.83 percent. The relative humidity after the correlation analysis was discarded in the use of Poisson regression model for presenting a very low correlation. For Baixada Santista, the variation of temperature...
Descritores: Precipitação Atmosférica
Dengue
Temperatura Mínima
Risco
Limites: Humanos
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1; W4.DB8, S696in, FM-2, 2012


  3 / 3 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-451297
Autor: Fonseca, Fabiana L. da; Kovaleski, Adalecio; Foresti, Josemar; Ringenberg, Rudiney.
Título: Desenvolvimento e exigências térmicas de Trichogramma pretiosum Riley (Hymenoptera: Trichogrammatidae) em ovos de Bonagota cranaodes (Meyrick) (Lepidoptera: Tortricidae) / Development and thermal requirements of Trichogramma pretiosum Riley (Hymenoptera: Trichogrammatidae) on eggs of Bonagota cranaodes (Meyrick) (Lepidoptera: Tortricidae)
Fonte: Neotrop. entomol;34(6):945-949, Nov.-Dec. 2005. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS).
Resumo: O objetivo do trabalho foi estudar o desenvolvimento do parasitóide Trichogramma pretiosum Riley em ovos de Bonagota cranaodes (Meyrick), sob diferentes temperaturas. Foram utilizadas sete temperaturas constantes (14, 18, 20, 22, 25, 28 e 30°C), umidade de 70 ± 10 por cento e fotoperíodo de 14h. Foram utilizadas 40 repetições com 20 ovos parasitados de B. cranaodes mantidos em tubos de vidro (8,5 x 2,5 cm), vedados com filme plástico transparentes. Para o cálculo do limiar inferior de temperatura (Tb) e da constante térmica (K) foi utilizado o método da hipérbole. A Tb foi de 11,9°C e a constante térmica 153,4 GD. A faixa de temperatura mais adequada para a criação de T. pretiosum situou-se entre 25°C e 30°C, quando se obteve o menor ciclo ovo-adulto, maiores taxas de emergência e o maior número de indivíduos emergidos por ovo.

The aim of this study was to evaluate the development of Trichogramma pretiosum Riley on eggs of Bonagota cranaodes (Meyrick) under different temperatures. B. cranaodes eggs were maintained under seven constant temperatures (14, 18, 20, 22, 25, 28 and 30°C), 70 ± 10 percent R.H. and, 14 h L. Forty replicates with 20 parasitized eggs each were kept in glass tubes (8.5 x 2.5 cm) covered with a plastic film. The method of hyperbole was used to calculate the temperature threshold (Tb) and the thermal constant (K). The Tb obtained was 11.9°C and to thermal constant was 153,4 DD. The most favorable temperature range was from 25°C to 30°C, at which the shortest egg-adult development period and the highest survivorship were observed.
Descritores: Temperatura Mínima
Doenças Parasitárias
Temperatura Extrema
Controle de Pragas
-Contagem de Ovos de Parasitas
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde