Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP8.473.654.587.652.551 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2 [refinar]
Mostrando: 1 .. 2   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 2 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965413
Autor: Cunha, João Paulo Arantes Rodrigues da; Pereira, Júlia Nunes Paniago; Barbosa, Lucas Andrade; Silva, Cláudio Ricardo da.
Título: Pesticide application windows in the region of Uberlândia-MG, Brazil / Janelas de aplicação de produtos fitossanitários na região de Uberlândia-MG, Brasil
Fonte: Biosci. j. (Online);32(2):403-411, mar./abr. 2016. ilus, tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: The success of the pesticide application is subject to meteorological conditions. The objective of this work was to determine the application windows suitable for carrying out the application of pesticides, using as parameters the analysis of historical data (2009-2014) of air temperature, relative air humidity, wind speed, and rainfall of Uberlândia-MG. With an electronic spreadsheet, and using the ideal meteorological conditions for applying pesticides (an air temperature above 30°C, relative air humidity above 55%, wind speed between 3 and 12 km h-1, and rainfall data lower than 0.2 mm h-1) as a parameter, the data were crossed with the aim to determine the times of day that weather conditions were ideal to obtain better efficiency in the application. According to the results, the relative air humidity was the main restricting criterion for the application windows, which are concentrated, on average, between 18:00 and 12:00 in the summer, and between 24:00 and 9:00 in the winter. The number of viable hours for a good application varied from 35 in the first fortnight of September to 198 in the second fortnight of March, demonstrating the great variability among the application windows throughout the year, which makes the generic recommendations of spraying time inadequate if the month of the year is not taken into consideration.

O sucesso das aplicações de produtos fitossanitários está condicionado às condições meteorológicas. Com este trabalho objetivou-se determinar as janelas de aplicação adequadas para a realização das aplicações de produtos fitossanitários, tendo como parâmetros a análise dos dados históricos da temperatura e umidade relativa do ar, velocidade do vento e ocorrência de chuva, para a região de Uberlândia-MG, no período de 2009 a 2014. Com o auxílio de uma planilha eletrônica, e tendo como parâmetro as condições meteorológicas ideais para a realização das aplicações de fitossanitários (temperatura abaixo de 30°C, umidade relativa acima de 55%, velocidade do vento entre 3 e 12 km h-1 e dados de pluviosidade menores que 0,2 mm h-1), fez-se o cruzamento dos dados com o intuito de verificar em quais horas do dia as quatro condições climáticas estavam dentro dos intervalos recomendados para se ter uma melhor eficiência nas aplicações. De acordo com os resultados, pôde-se concluir que a umidade relativa do ar foi o critério principal de restrição para as janelas de aplicação, que estão concentradas, em média, entre as 18 h e 12 h no verão, e entre as 24 h e 9 h no inverno. O número de horas viáveis para uma boa aplicação variou de 35 na primeira quinzena de setembro a 198 na segunda quinzena de março, demonstrando a grande variabilidade das janelas de aplicação ao longo do ano, o que torna as recomendações genéricas de horário para pulverização inadequadas se não for levado em consideração o mês do ano.
Descritores: Praguicidas
Temperatura
Evaporação
Controle de Pragas
Velocidade do Ar
Umidade
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  2 / 2 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-432532
Autor: Cargnelutti Filho, Alberto; Matzenauer, Ronaldo; Maluf, Jaime Ricardo Tavares.
Título: Variabilidade temporal e espacial do tamanho de amostra da temperatura mínima do ar no Rio Grande do Sul, Brasil / Spatial and temporal variability of sample size to minimum air temperature in Rio Grande do Sul State, Brazil
Fonte: Ciênc. rural;36(4):1156-1163, jul.-ago. 2006. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Com o objetivo de verificar a existência de variabilidade temporal e espacial do tamanho de amostra da temperatura mínima do ar média mensal de trinta e sete municípios do Rio Grande do Sul, utilizaram-se os dados de temperatura mínima do ar do período de 1931 a 2000. Determinou-se o tamanho de amostra da temperatura mínima do ar média mensal em cada mês e município. Realizou-se análise de agrupamento dos meses e dos municípios pelo método hierárquico "vizinho mais distante". Há variabilidade do tamanho de amostra (número de anos) para a estimativa da temperatura mínima do ar média mensal no Estado do Rio Grande do Sul no tempo e no espaço. Maior tamanho de amostra, no Estado do Rio Grande do Sul, é necessário nos meses de maio, junho e julho, com diminuição gradativa em direção a janeiro e dezembro. Há variabilidade do tamanho de amostra entre os municípios do Estado do Rio Grande do Sul.
Descritores: Ar
Evaporação
Granizo
Gelo
Neve
Radiação Solar
Análise Estatística
Temperatura
Velocidade do Ar
Responsável: BR409.1 - Biblioteca



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde