Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP8.473.981.972 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 522 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 53 ir para página                         

  1 / 522 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1098731
Autor: Caravaca-Morera, Jaime Alonso; Mata-Chavarría, Eugenia; Padilha, Maria Itayra.
Título: Corpografías nómadas: historias de callejización, desafiliaciones sociales y heterotopías / Corpografias nômades: histórias de ruas, desfiliações sociais e heterotopias / Nomady corpographies: about homelessnes stories, social challenges and heterotopies
Fonte: Rev. baiana enferm;33:e29124, 2019.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo analizar los registros corporales de la desafiliación social y el estigma a partir de las historias de vida de personas en situación de calle, usuarios de crack de la capital del Estado de Santa Catarina, Brasil. Métodos investigación cualitativa de cuño socio-histórico que utilizó las historias de vida como técnica de recolección de datos entre 20 personas en situación de calle de Florianópolis, Santa Catarina. Resultados durante el tránsito cotidiano, las personas en situación de calle, frecuentemente se apropian de espacios heterotópicos (estaciones de buses, parques, puentes y plazas) para sobrevivir. Efectivamente, la (no) importancia otorgada al cuerpo y la desafiliación social impuesta por diferentes protagonistas sociopolíticos, presentan una estrecha relación con las normas de control y dominio social. Conclusiones ante los terrores difundidos por los modos de gobernar las vidas de las personas en situación de calle tanto a nivel Estatal como microfísico es importante pensar en desdoblamientos dialógicos que se aproximen a una política social y sanitaria inclusiva, transversal, progresista y sostenible en el tiempo.

Objetivo analisar os registros corporais da desfiliação social e o estigma com base nas histórias de vida de pessoas em situação de rua, usuários de crack da capital do estado de Santa Catarina, Brasil. Métodos pesquisa qualitativa de cunho socio-histórico que utilizou as histórias de vida como técnica de coleta de dados entre 20 pessoas em situação de rua de Florianópolis, Santa Catarina. Resultados durante o trânsito cotidiano, as pessoas em situação de rua frequentemente se apropriam de espaços heterotópicos (estações de ônibus, parques, pontes e praças) para (sobre)viver. Efetivamente, a (não)importância outorgada ao corpo e a desfiliação social imposta por diferentes protagonistas sociopolíticos apresentam uma estreita relação com as normas de controle e domínio social. Conclusões diante dos terrores difundidos pelos modos de governar as vidas das pessoas em situação de rua tanto no nível Estatal como microfísico torna-se importante pensar em possibilidades praxiológicas e dialógicas que se aproximem de uma política social e sanitária inclusiva, transversal, progressista e sustentável no tempo.

Objective to analyze the body records of social disaffiliation and stigma based on the life stories of people in street situations, crack users of the state capital of Santa Catarina, Brazil. Methods a qualitative and socio-historical research that used life stories as a data collection technique among 20 people in Florianópolis, Santa Catarina. Results during the daily traffic, people in street situations often appropriate heterotopic spaces (bus stations, parks, bridges and airports) in order to survive. Indeed, the (not) importance accorded to the body and the social disaffiliation imposed by different socio-political protagonists, have a close relationship with the norms of control and social dominance. Conclusions given the terrors spread by the ways of governing the lives of people in street situations, both at the State and microphysical level, it is important to think about dialogic divisions that approximate an inclusive, transversal, progressive and sustainable social and health policy in the weather.
Descritores: Pessoas em Situação de Rua
Saúde Pública
Cocaína Crack
Vulnerabilidade Social
-Usuários de Drogas
Política de Saúde
Limites: Humanos
Responsável: BR21.2 - BVS Enfermería


  2 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1120453
Autor: Silva, Lucineide Santos.
Título: Vulnerabilidade ao HIV/Aids entre homens e mulheres de 50 a 59 anos / Vulnerability to HIV / AIDS among men and women aged 50 to 59 years.
Fonte: Salvador; s.n; 2006. 111P p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal da Bahia para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids) tem acometido progressivamente homens e mulheres que estão na faixa etária de 50 a 59 anos. Neste sentido, é importante conhecer as representações sociais dessas pessoas, para melhor compreender suas vulnerabilidades à infecção pelo HIV e o modo como agem diante desta epidemia. Este estudo pautou-se nos seguintes objetivos: identificar situações de vulnerabilidade em relação ao HIV/aids entre homens e mulheres de 50 a 59 anos, soropositivos(as) e soronegativos(as); apreender as representações sociais desses sujeitos sobre aids e, conhecer as implicações das representações sociais para aids na vulnerabilidade desses indivíduos. O estudo é quantiqualitativo, com abordagem multimétodos, fundamentado na Teoria das Representações Sociais, gênero, geração e no conceito de vulnerabilidade proposto por Mann. A pesquisa foi desenvolvida em Salvador/BA, tendo como sujeitos 85 homens e mulheres com 50 a 59 anos, soropositivos(as) e soronegativos(as) para o HIV, que compareceram entre os meses de dezembro/2005 a abril/2006 ao Centro de Referência Estadual em IST e aids. Os dados foram coletados através do Teste de Associação Livre de Palavras (TALP) e da entrevista semiestruturada, sendo os mesmos submetidos a análise fatorial de correspondência (AFC) e a análise de conteúdo temática, respectivamente. Para o TALP foram utilizados cinco estímulos indutores: aids, sexo, sexualidade, práticas sexuais e vulnerabilidade ao HIV/aids. As respostas foram processadas no software Tri-Deux-Mots, com as seguintes variáveis: sexo, opção sexual, escolaridade, idade, religião e condição sorológica para o HIV. A AFC demonstrou que só houve significância na oposição de respostas para as variáveis sexo e opção sexual. Na análise, evidenciou-se que os homens destacaram um aspecto social relacionado a aids ("preconceito"), enquanto que as mulheres enfatizaram os desconfortos orgânico e psicológico ("doença contagiosa" e "doença ruim"). Para os indivíduos que se declararam homossexuais e bissexuais, a aids remete aos aspectos negativos da doença, uma vez que esta é uma "doença contagiosa", "incurável", "ruim" e que causa "preocupação". Os condicionantes de gênero e geracionais foram identificados nas representações sociais para o sexo, sexualidade e práticas sexuais, sendo estes representados por elas como "normal" e para eles como "prazer". A soropositividade para o HIV representa para as mulheres o fim das atividades sexuais, entretanto, para os homens, não traz muitas repercussões na esfera da sexualidade. Grande parte dos sujeitos reconheceu o risco do "sexo desprotegido" e a importância da utilização da "camisinha". Constatou-se que a maioria dos soronegativos não se percebe vulnerável ao HIV/aids, sobretudo, por considerar que esta é uma "doença de jovens". As principais situações de vulnerabilidade ao HIV identificadas pelos sujeitos foram o excesso de confiança no(a) parceiro(a), a dificuldade de inserir o preservativo nas relações estáveis, relações sexuais desprotegidas com a "mulher da rua" e/ou com a "mulher de rua" e a participação em orgias. Diante dos achados, reafirma-se a importância das implicações das representações sociais na vulnerabilidade dos indivíduos que se encontram com idade entre 50 a 59 anos, sobretudo, para subsidiar atividades educativas e a formulação de políticas públicas para a prevenção e o controle da epidemia de HIV/aids nessa faixa etária.(AU)
Descritores: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Vulnerabilidade Social
Vulnerabilidade em Saúde
-Educação em Saúde
Promoção da Saúde
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR342.1 - Biblioteca Universitária de Saúde


  3 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1129217
Autor: Souza, Jeane Barros de; Heidemann, Ivonete Terezinha Schülter Buss; Geremia, Daniela Savi; Madureira, Valéria Silvana Faganello; Bitencourt, Julia Valeria de Oliveira Vargas; Tombini, Larissa Hermes Thomas.
Título: Pandemia e imigração: famílias haitianas no enfrentamento da COVID-19 no Brasil / Pandemic and immigration: haitian families facing COVID-19 in Brazil / Pandemia e inmigración: familias haitianas que enfrentan COVID-19 en Brasil
Fonte: Esc. Anna Nery Rev. Enferm;24(spe)::e20200242, ago. 2020. mapas.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: compreender a vivência do enfrentamento e repercussões da COVID-19 na perspectiva das famílias de imigrantes haitianos no Brasil. Método: estudo qualitativo, do tipo ação-participante, fundamentado no Itinerário de Pesquisa de Paulo Freire, que possui três fases: Investigação Temática; Codificação e Descodificação; Desvelamento Crítico. Foi realizado Círculo de Cultura Virtual em maio de 2020, com 10 famílias de imigrantes haitianos, residentes no oeste de Santa Catarina. Resultados: os participantes discutiram preocupações geradas no enfrentamento da pandemia: trabalho e subsistência da família no Brasil e no Haiti; incerteza do futuro; risco de contaminação e de morrer no Brasil; cancelamento das aulas dos filhos; desânimo e solidão. Desvelaram oportunidades na vivência da pandemia: ajuda recebida; força pessoal e familiar; repensar a vida; confiança em Deus e esperança. Conclusões e implicações para a prática: os imigrantes haitianos se encontram em situação de vulnerabilidade social, econômica e de saúde mental no enfrentamento da COVID-19. A identificação dessa vulnerabilidade, considerando fatores sociais, econômicos e culturais é fundamental à proposição de políticas públicas e adoção de estratégias efetivas de enfrentamento da situação. O Círculo de Cultura Virtual amplia possibilidades para a enfermagem, pois possibilita as interações necessárias à promoção da saúde, mesmo diante da pandemia

Objective: to understand the experience of coping and repercussions of COVID-19 from the perspective of Haitian immigrant families in Brazil. Method: qualitative, action-participant study, based on Paulo Freire's Research Itinerary, which has three phases: Thematic Research; Encoding and Decoding; Critical Unveiling. A Virtual Culture Circle was held in May 2020, with 10 families of Haitian immigrants residing in western Santa Catarina. Results: the participants discussed concerns generated in facing the pandemic: work and family subsistence in Brazil and Haiti; uncertainty of the future; risk of contamination and dying in Brazil; cancellation of children's classes; discouragement and loneliness. They revealed opportunities in experiencing the pandemic: help received; personal and family strength; rethinking life; trust in God and hope. Conclusions and implications for practice: Haitian immigrants are in a situation of social, economic and mental health vulnerability when facing COVID-19. The identification of this vulnerability considering social, economic and cultural factors is fundamental to the proposition of public policies and the adoption of effective strategies to face the situation. The Virtual Culture Circle expands possibilities for nursing, as it enables the interactions necessary for health promotion, even in the face of the pandemic

Objetivo: comprender la experiencia de afrontamiento y las repercusiones de COVID-19 desde la perspectiva de las familias de inmigrantes haitianos en Brasil. Método: estudio cualitativo, de tipo acción-participante, basado en el Itinerario de Investigación de Paulo Freire, que tiene tres fases: Investigación temática; Codificación y decodificación; Revelación crítica. En mayo de 2020 se realizó un Círculo de Cultura Virtual, con 10 familias de inmigrantes haitianos que residen en el oeste de Santa Catarina. Resultados: los participantes discutieron las preocupaciones generadas al enfrentar la pandemia: el trabajo y la subsistencia familiar en Brasil y Haití; la incertidumbre del futuro; el riesgo de contaminación y muerte en Brasil; la cancelación de las clases infantiles; el desánimo y la soledad. Revelaron oportunidades en la experiencia de la pandemia: la ayuda recibida; fortaleza personal y familiar; el repensar la vida; la confianza en Dios y la esperanza. Conclusiones e implicaciones para la práctica: los inmigrantes haitianos se encuentran en una situación de vulnerabilidad social, económica y de salud mental en la confrontación de COVID-19. La identificación de esta vulnerabilidad, considerando los factores sociales, económicos y culturales es fundamental para la propuesta de políticas públicas y la adopción de estrategias efectivas para enfrentar la situación. El Círculo de Cultura Virtual amplía las posibilidades de la enfermería, ya que permite las interacciones necesarias para la promoción de la salud, incluso ante la pandemia
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Emigração e Imigração
Pandemias/prevenção & controle
Betacoronavirus
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Saúde Mental/etnologia
Vulnerabilidade Social
Haiti/etnologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR442.1 - Biblioteca Setorial de Pós-Graduação


  4 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Id: biblio-1128999
Autor: Organização Pan-Americana da Saúde.
Título: Participação social na atenção integral à saúde das mulheres: experiências premiadas no laboratório de inovação sobre participação social na atenção integral à saúde das mulheres / Social participation in comprehensive health care for women: award-winning experiments in the laboratory of innovation on social participation in comprehensive health care for women.
Fonte: Brasília; OPAS; 2017. 66 p. (SUS que dá certo, 5).
Idioma: pt.
Resumo: O Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, e a Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/ OMS no Brasil), desenvolveram, no âmbito da cooperação técnica do Termo de Cooperação nº 68, o Projeto "Laboratório de Inovação sobre a Participação Social na Atenção Integral à Saúde das Mulheres", com o objetivo geral de identificar e valorizar práticas exitosas e inovadoras sobre o papel da participação social para a promoção do acesso e da qualidade da atenção à saúde de mulheres em situação de vulnerabilidade. O referido Laboratório de Inovação compôs o processo de mobilização e organização da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres (2ª CNSMu), realizada em agosto de 2017 pelo CNS, com o tema "Saúde das Mulheres: Desafios para a Integralidade com Equidade". Foi uma importante oportunidade para dar maior visibilidade a essas experiências no momento em que todos os estados debatiam a Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher na perspectiva de avaliar seus avanços e desafios com vistas a sua revisão. Dentre as experiências apresentadas, foram selecionadas seis práticas exitosas e inovadoras, alinhadas aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), em especial da integralidade e universalidade com equidade, e nas quais a participação social foi a mola propulsora e enriquecedora do processo, aliada ao compromisso da gestão local e de pesquisadores militantes da academia, demonstrando que o SUS é espaço de cuidado, mas também de cidadania e exercício de direitos. Os relatos socializados nesta publicação demonstram a pluralidade e diversidade das vidas e da saúde das mulheres, de um Brasil continental, mosaico de realidades, e reafirmam o SUS como espaço de transformação e defesa da vida e da saúde. As experiências demonstram que é possível ter uma saúde de qualidade e com acolhimento humanizado quando se tem compromisso e vontade política da gestão, compromisso dos(as) trabalhadores(as), quando as instituições formadoras assumem seu papel pedagógico considerando a realidade das populações envolvidas e a participação social é respeitada, ouvida e integrada como sujeito político e agente de mudança. Essa publicação tem o desafio de despertar corações e mentes, contribuir com reflexões sobre as práticas de gestão, de cuidado e de participação social, em defesa de um SUS integral, universal e equânime, potencializando ações e compromissos que promovam a saúde e a participação social na luta pela garantia da saúde, de direitos e em defesa do SUS.
Descritores: Saúde da Mulher
Assistência Integral à Saúde/organização & administração
Políticas Públicas de Saúde
Participação Social
-Prisões
Vulnerabilidade Social
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-962878
Autor: Arcos, Estela; Canales, Mónica; Muñoz, Luz Angélica; Toffoletto, María Cecilia; Sánchez, Ximena; Vollrath, Antonia.
Título: Invisibility of social vulnerability and social rights to a comprehensive health care in Chile / (in)visibilidade da vulnerabilidade social e do direito ao cuidado integral da saúde no Chile / In-visibilidad de la vulnerabilidad social y el derecho al cuidado de salud integral en Chile
Fonte: Texto & contexto enferm;25(4):e6150015, 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To estimate the magnitude of perception of invisibility of social vulnerability and its impact on the access to universal and specific services of the Comprehensive Childhood Protection System in Chile. Method: Cross-sectional study in 50 vulnerable dyads, who were registered in a family health care center (Metropolitan Region, Chile; 2012). After the informed consent, mothers were interviewed using a structured questionnaire. A correspondence analysis model was applied. Results: The invisibility of social vulnerability estimated for mothers (92.0%) and children (86.0%), and a better access was observed to universal services by children and to specific services by mothers. Conclusion: The invisibility of vulnerability limits the opportunities of social protection for disadvantaged groups. Therefore, public policy does not correct social inequalities, which deserve attention by the public health managers in Chile.

RESUMO Objetivo: estimar a magnitude da percepção da invisibilidade da vulnerabilidade social e suas consequências no acesso aos serviços universais e específicos do Sistema de Proteção Integral à Infância no Chile. Método: estudo transversal em 50 díades vulneráveis, registrados em um centro de saúde familiar (Região Metropolitana, Chile; 2012). Depois do consentimento informado, as mães foram entrevistadas usando um questionário estruturado. Um modelo de análise de correspondência foi aplicado. Resultados: a invisibilidade da vulnerabilidade social foi estimada para mães (92.0%) e filhos (86.0%), observando-se um melhor acesso aos serviços universais pelas crianças e aos específicos pelas mães. Conclusão: a invisibilidade da vulnerabilidade limita as oportunidades de proteção social a grupos em desvantagem. Consequentemente, a política pública não corrige as desigualdades sociais, que merecem a atenção dos gestores da saúde pública chilena.

RESUMEN Objetivo: estimar la magnitud de la percepción de la in-visibilidad de la vulnerabilidad social y sus consecuencias en el acceso a servicios universales y específicos del Sistema de Protección Integral de la Infancia en Chile. Método: estudio transversal en 50 díadas vulnerables, registradas en un centro de salud familiar (Región Metropolitana, Chile; 2012). Después de la firma de consentimiento informado, las madres fueran entrevistadas usando un cuestionario estructurado. Se aplicó un modelo de análisis de correspondencias. Resultados: la in-visibilidad de la vulnerabilidad social fue estimada para madres (92.0%) y hijos (86.0%), observándose un mejor acceso a los servicios universales a los infantes y específicos a las madres. Conclusión: la in-visibilidad de la vulnerabilidad limita las oportunidades de protección social a grupos desventajados. Como consecuencia, la política pública no corrige las desigualdades sociales, que merecen atención de los gestores de la salud pública chilena.
Descritores: Política Pública
Grupos de Risco
Vulnerabilidade Social
Disparidades nos Níveis de Saúde
Saúde Holística
Limites: Humanos
Responsável: BR17.1 - Biblioteca Setorial Centro de Ciências da Saúde (BSCCSM)


  6 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1125730
Autor: Paveltchuk, Fernanda de Oliveira; Borsa, Juliane Callegaro.
Título: A teoria do estresse de minoria em lésbicas, gays e bissexuais / Minority stress theory in lesbian, gay, and bisexual people / La teoría del estrés de minoría en lesbianas, gays y bisexuales
Fonte: Rev. SPAGESP;21(2):41-54, jul.-dez. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: A teoria do estresse de minoria (EM) defende que minorias sociais vivenciam estressores específicos adicionais aos estressores cotidianos. Fatores individuais e do meio podem funcionar como fatores de risco e/ou de proteção no comprometimento da saúde mental de pessoas LGB. O objetivo deste estudo é apresentar e discutir a teoria do EM em indivíduos LGB por meio de uma revisão narrativa. Compreender a ocorrência do EM em pessoas LGB pode auxiliar na elaboração de planos interventivos, de ordem clínica ou social, com o objetivo de minimizar os efeitos do preconceito nestes indivíduos.

The minority stress (MS) theory argues that social minorities experience specific stressors added to everyday stressors. Individual and contextual factors can function as risk and/or protective factors without compromising the mental health of LGB people. This study aims to present and discuss the theory of MS in LGB individuals through a narrative review. Understanding the occurrence of MS in LGB people can assist in the elaboration of intervention plans, of a clinical or social nature to minimize the effects of prejudice in these situations.

La teoría del estrés de minoría (EM) argumenta que las minorías sociales experimentan factores estresantes que se agregan a los factores estresantes cotidianos. Los factores individuales y contextuales pueden funcionar como factores de riesgo o protectores sin comprometer la salud mental de las personas LGB. El objetivo de este estudio es presentar y discutir la teoría de EM en individuos LGB a través de una revisión narrativa. Comprender el EM en personas LGB puede ayudar en la elaboración de planes de intervención, de naturaleza clínica o social, con el objetivo de minimizar los efectos de los prejuicios en estas situaciones.
Descritores: Preconceito
Estresse Psicológico
Saúde Mental
Risco
Vulnerabilidade Social
Narração
Compreensão
Fatores de Proteção
Minorias Sexuais e de Gênero
Angústia Psicológica
Grupos Minoritários
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  7 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-962938
Autor: Rossetti, Estefani Serafim; Terassi, Marielli; Ottaviani, Ana Carolina; Santos-Orlandi, Ariene Angelini dos; Pavarini, Sofia Cristina Iost; Zazzetta, Marisa Silvana.
Título: Fragilidade, sintomas depressivos e sobrecarga de idosos cuidadores em contexto de alta vulnerabilidade social / Fragilidad, síntomas depresivos y sobrecarga de los ancianos cuidadores en el contexto de una alta vulnerabilidad social / Frailty, depressive symptoms and overload of elderly caregivers in a context of high social vulnerability
Fonte: Texto & contexto enferm;27(3):e3590016, 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: analisar a relação entre fragilidade, sintomas depressivos e sobrecarga de idosos cuidadores em contexto de alta vulnerabilidade social. Método: estudo correlacional, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 73 idosos cuidadores primários de outros idosos cadastrados em Unidades de Saúde da Família inseridas em contextos de alta vulnerabilidade social de um município do interior paulista (Brasil). Os dados foram coletados por meio de entrevista individual, utilizando-se um questionário para caracterização sociodemográfica, o Inventário de Sobrecarga de Zarit, a Escala de Depressão Geriátrica e avaliação da Fragilidade, segundo o Fenótipo de Fried. Resultados: a maioria dos cuidadores idosos estava inserida na faixa etária de 60 a 69 anos, era do sexo feminino e apresentava de um a quatro anos de escolaridade. Em relação à fragilidade, 37% eram frágeis, 54,8% pré-frágeis e 8,2% não frágeis. Os cuidadores idosos apresentaram, em sua maioria, pequena sobrecarga (68,5%) e ausência de indícios de sintomas depressivos (67,1%). Houve correlação positiva e de moderada magnitude (r=0,460, p=0,000) entre fragilidade e sintomas depressivos, ou seja, à medida que os níveis de fragilidade aumentam, os sintomas depressivos se tornam mais prevalentes. Conclusão: houve correlação entre fragilidade e sintomas depressivos. Diante disso, faz-se necessária a abordagem dos profissionais de saúde no sentido de identificar precocemente a fragilidade e os sintomas depressivos de cuidadores idosos a fim de evitar intervenções tardias. Atenção especial deve ser dada aos cuidadores inseridos em contextos de alta vulnerabilidade social.

RESUMEN Objetivo: analizar la relación entre fragilidad, síntomas depresivos y sobrecarga de ancianos cuidadores en un contexto de alta vulnerabilidad social. Método estudio correlacional, de corte transversal y con abordaje cuantitativo realizado con 73 ancianos cuidadores primarios de otros ancianos registrados en Unidades de Salud de la Familia e insertados en contextos de alta vulnerabilidad social de un municipio del interior paulista (Brasil). Los datos fueron obtenidos por medio de entrevista individual, utilizándose un cuestionario para la caracterización sociodemográfica, el Inventario de Sobrecarga de Zarit, la Escala de Depresión Geriátrica y la evaluación de la Fragilidad según el Fenotipo de Fried. Resultados: la mayoría de los cuidadores ancianos estaba incluida en el grupo de edad de 60 a 69 años, pertenecía al sexo femenino y presentaba de uno a cuatro años de escolaridad. En relación a la fragilidad, 37% eran frágiles, 54,8% prefrágiles y 8,2% no frágiles. Los cuidadores ancianos presentaron, en su mayoría, una pequeña sobrecarga (68,5%) y ausencia de indicios de síntomas depresivos (67,1%). Hubo una correlación positiva y de magnitud moderada (r=0,460, p=0,000) entre fragilidad y síntomas depresivos, o sea, a medida que los niveles de fragilidad aumentan, los síntomas depresivos se vuelven más prevalentes. Conclusión: hubo una correlación entre fragilidad y síntomas depresivos. Así, es necesario el abordaje de los profesionales de la salud en el sentido de identificar precozmente la fragilidad y los síntomas depresivos de cuidadores ancianos a fin de evitar las intervenciones tardías. Una atención especial debe ser dada a los cuidadores insertados en contextos de alta vulnerabilidad social.

ABSTRACT Objective: to analyze the relationship between frailty, depressive symptoms and overload of elderly caregivers in a context of high social vulnerability. Method: correlational, cross-sectional study, with quantitative approach, carried out with 73 elderly primary caregivers of other elderly people enrolled in Family Health Units inserted in contexts of high social vulnerability of a city in the interior of São Paulo (Brazil). The data were collected through an individual interview, using a questionnaire for sociodemographic characterization, the Zarit Overload Inventory, Geriatric Depression Scale and Frailty Assessment, according to the Fried Phenotype. Results: the majority of the elderly caregivers were between 60 and 69 years old; they were female and had one to four years of schooling. Regarding the frailty, 37% were frail, 54.8% pre-frail and 8.2% non-frail. The elderly caregivers presented, in the majority, small overload (68.5%) and absence of indications of depressive symptoms (67.1%). There was a positive correlation and moderate magnitude (r=0.460, p=0.000) between frailty and depressive symptoms, that is, as the levels of frailty increase, the depressive symptoms become more prevalent. Conclusion: there was a correlation between frailty and depressive symptoms. Therefore, it is necessary to approach the health professionals in order to identify early the frailty and depressive symptoms of elderly caregivers in order to avoid late interventions. Special attention should be given to caregivers inserted in contexts of high social vulnerability.
Descritores: Saúde da Família
Idoso Fragilizado
Cuidadores
Vulnerabilidade Social
Enfermagem Geriátrica
Limites: Humanos
Idoso
Responsável: BR17.1 - Biblioteca Setorial Centro de Ciências da Saúde (BSCCSM)


  8 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-979401
Autor: Jesus, Isabela Thaís Machado de; Diniz, Maria Angélica Andreotti; Lanzotti, Rafaela Brochine; Orlandi, Fabiana de Sousa; Pavarin, Sofia Cristina Iost; Zazzetta, Marisa Silvana.
Título: Fragilidade e qualidade de vida de idosos em contexto de vulnerabilidade social / Fragilidad y calidad de vida de los ancianos en el contexto de vulnerabilidad social / Frailty and quality of elderly living in a context of social vulnerability
Fonte: Texto & contexto enferm;27(4):e4300016, 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: avaliar o nível de fragilidade e sua relação com a qualidade de vida de idosos cadastrados em Centros de Referência de Assistência Social em um município do interior do estado de São Paulo, Brasil. Método: estudo descritivo, correlacional e de abordagem quantitativa. Foi realizada entrevista individual com a aplicação de um instrumento de caracterização sociodemográfica, a Escala de Fragilidade de Edmonton, Whoqol-bref e o Whoqol-old, no período entre 2012 e 2016. Os dados foram submetidos à análise descritiva e de correlação com testes de Kruskal-Wallis e Levin e Fox. Resultados: participaram do estudo 217 idosos, com média de idade de 68,5 (±7,35) anos, casados (n=91) e com escolaridade de um a quatro anos (n=112). Quanto ao nível de fragilidade, 89 (41%) não apresentaram fragilidade, 46 (21,2%) se apresentaram vulneráveis e 82 (37,7%) estavam frágeis. Quanto à relação da fragilidade com a qualidade de vida dos idosos avaliados, observou-se correlação negativa, de fraca à moderada magnitude, com significância estatística com todos os domínios do Whoqol-bref e old. Conclusão: diante da relação entre o nível de fragilidade e os escores da qualidade de vida, indicando que os idosos mais frágeis apresentaram pior qualidade de vida, pode-se subsidiar práticas em saúde e políticas públicas para ações de prevenção como forma de erradicar, prevenir e retardar condições de risco.

RESUMEN Objetivo: evaluar el nivel de fragilidad y su relación con la calidad de vida de los ancianos registrados en Centros de Referencia de Asistencia Social en un municipio del interior del estado de São Paulo, Brasil. Método: estudio descriptivo, correlacional y de abordaje cuantitativo. Se realizó una entrevista individual con la aplicación de un instrumento de caracterización sociodemográfica, la Escala de Fragilidad de Edmonton, Whoqol-bref y el Whoqol-old entre los años 2012 y 2016. Los datos fueron sometidos al análisis descriptivo y de correlación con pruebas de Kruskal-Wallis y Levin y Fox. Resultados: participaron del estudio 217 ancianos con un promedio de edad de 68,5 (±7,35) años, casados (n=91) y con escolaridad de un a cuatro años (n=112). En relación al nivel de fragilidad, 89 (41%) no presentaron fragilidad, 46 (21,2%) se mostraron vulnerables y 82 (37,7%) estaban frágiles. En relación a la fragilidad con la calidad de vida de los ancianos evaluados, se observó una correlación negativa de débil a moderada magnitud y con significancia estadística en todos los dominios del Whoqol-bref y old. Conclusión: ante la relación entre el nivel de fragilidad y los resultados de la calidad de vida, que indican que los ancianos más frágiles presentaron la peor calidad de vida, es posible subsidiar prácticas de salud y políticas públicas para las acciones de prevención como forma de erradicar, prevenir y retardar las condiciones de riesgo.

ABSTRACT Objetive: to evaluate the level of frailty and its relation with the quality of life of elderly people enrolled in Reference Centers of Social Care in a city in the interior of the state of São Paulo, Brazil. Method: descriptive, correlational and quantitative approach study. An individual interview was conducted with the application of a sociodemographic characterization tool, the Edmonton Frail Scale, Whoqol-bref and the Whoqol-old, in the period between 2012 and 2016. Data were submitted to statistical analysis and correlation verified by the Kruskal-Wallis test and by the Levin and Fox tests. Results: 217 elderly peopleparticipated in the study, with anaverage age of 68.5 (±7.35) years old, married (n=91), and with one to four years of schooling (n=112). As to the level of frailty, 89 (41%) did not present frailty, 46 (21.2%) were vulnerable, and 82 (37.7%) were frail. Regarding the relationship between the frailty and the quality of life of the elderly, a negative correlation was observed, from weak to moderate magnitude, with statistical significance with all the Whoqol-bref and old domains. Conclusion: considering the relationship between the level of frailty and the quality of life scores, indicating that the more frail elderly had worse quality of life, health practices and public policies can be subsidized for prevention actions as way to eradicate, prevent and delay risk conditions.
Descritores: Qualidade de Vida
Idoso
Idoso Fragilizado
Vulnerabilidade Social
Assistência à Saúde
Limites: Humanos
Idoso
Responsável: BR17.1 - Biblioteca Setorial Centro de Ciências da Saúde (BSCCSM)


  9 / 522 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1127381
Autor: Takeiti, Beatriz Akemi; Gonçalves, Monica Villaça; Oliveira, Suellen Pataro Alves Santos de; Elisiario, Tatiane da Silva.
Título: O estado da arte sobre as juventudes, as vulnerabilidades e as violências: o que as pesquisas informam? / The State-of-the-Art on youth, vulnerabilities, and violence: what do surveys tell us?
Fonte: Saúde Soc;29(3):e181118, 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Estudos sobre as juventudes na interface das vulnerabilidades e violências já se constituem um corpus de conhecimento considerável no Brasil e na América Latina. Este levantamento objetiva identificar e descrever as publicações produzidas sobre juventude, vulnerabilidade e violência nas áreas da saúde e das ciências humanas e sociais. Trata-se de uma revisão bibliográfica de artigos produzidos no período de 2006 a 2018. O levantamento bibliográfico focalizou artigos indexados nas bases de dados: Directory of Open Access Journals, Cengage, Dialnet, Scopus e Web of Science, todas inseridas no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Foram incluídos 191 artigos, sendo 128 da área de ciências da saúde e 63 da área de ciências humanas e sociais. Para a análise dos dados, os artigos foram agrupados em dois campos temáticos: territórios das vulnerabilidades e violências juvenis, e fatores de risco e proteção às violências. As evidências deste levantamento nos permitem apontar que a temática juventude-adolescência abordada por essas áreas de conhecimento ainda expressa uma perspectiva problematizadora. Tais estudos, ao abordarem a juventude na interface com as vulnerabilidades e violências, o fazem quase sempre pelos problemas que ela apresenta, como objeto de falha ou anomia nos modos de ser e viver esta etapa da vida.

Abstract Studies on youth at the interface between vulnerabilities and violence already constitute a considerable corpus of knowledge in Brazil and Latin America. This bibliographic review identifies and describes articles published from 2006 to 2018 on youth, vulnerabilities, and violence in the fields of health and humanities and social sciences. The search included articles indexed in the databases: DOAJ, Cengage, Dialnet, Scopus, and Web of Science, all available at the CAPES periodical portal. A total of 192 articles were included: 132 from the health sciences and 60 from the humanities and social sciences. The articles were grouped into two thematic fields: territories of youth vulnerabilities and violence, and risk and protective factors against violence. Our results show the subject of youth and adolescence in the fields of knowledge is still addressed by problematic perspectives. When addressing the interface between youth vulnerabilities and violence, these fields often depict the problems arisen from this subject as an object of failure or anomie in the ways of being and living this stage of life.
Descritores: Violência
Áreas de Pobreza
Fatores de Risco
Adolescente
Vulnerabilidade Social
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  10 / 522 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-994482
Autor: Lafaurie V, María Mercedes; Castañeda C, Karen Viviana; Castro T, Diana Marcela; Laverde V, Sandra Marcela; Balaguera C, Lady Yolima; López M, Cindy Margarita; Martínez P, Evelyn Gissethd; Martínez V, Yennifer Paola; Parra D, Camila Andrea; Ramírez L, Natalia; Pardo M, Yaira Yohanna.
Título: Vivencias de gestantes con embarazo de alto riesgo / Experiences of pregnant women with high risk pregnancy
Fonte: Rev. colomb. enferm;6(1):15-28, Agosto 2011.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo general: describir y analizar, desde una\r\nperspectiva cualitativa, las vivencias de un grupo de\r\nmujeres gestantes con diagnóstico de embarazo de alto\r\nriesgo con el fin de contar con criterios para construir\r\nintervenciones de enfermería que puedan responder a\r\nsus necesidades de cuidado.\r\nMateriales y métodos: se realizó una entrevista a\r\nprofundidad, partiendo del marco teórico, a 10 mujeres\r\nde 17 a 39 años con embarazo de alto riesgo, atendidas\r\npor la Red Distrital de Salud. El análisis fue apoyado\r\npor el Atlas ti 6, basado en la Teoría Fundamentada.\r\nResultados: las situaciones asociadas al alto riesgo en\r\nel embarazo encontradas en este grupo son: intervalo\r\nintergenésico ­riesgo más frecuente­, hipertensión\r\ninducida por el embarazo, anemia, complicaciones\r\nobstétricas del embarazo anterior, antecedente de\r\naborto a repetición, obesidad, bajo peso, placenta previa,\r\ntuberculosis, isoinmunización Rh, infección urinaria a\r\nrepetición y consumo de sustancias psicoactivas (SPA).\r\nSe destacan los embarazos no planeados; la mitad de\r\nlas participantes no cuentan con apoyo económico de\r\nsu pareja; 7 perdieron su trabajo; 5 viven con parientes.\r\nLa violencia de género y la pobreza limitan la toma\r\nde decisiones y afectan su salud. Se visualizan estrés y\r\nsentimientos de ambivalencia: por un lado, entusiasmo\r\ncon su embarazo y, por otro, cambios que producen\r\ndesequilibrio y afectan la calidad de vida.\r\nConclusiones: las mujeres de este grupo social requieren\r\nde atención integral y oportuna, evitando demoras, y\r\neducación sexual y reproductiva. Enfermería debe\r\nbrindar cuidado transcultural y actividades educativas\r\npara minimizar temores y empoderar en derechos.

Overall objective: to describe and analyze, from a qualitative\r\nperspective, the experiences of a group of pregnant\r\nwomen diagnosed with high-risk pregnancy in order to\r\nhave criteria for building nursing interventions that can\r\nrespond to their felt needs.\r\nMaterials and methods: we conducted an in-depth interview\r\nconstructed from the theoretical framework and\r\nvalidated by experts with 10 women with high-risk\r\npregnancy, from 15 to 39 years, served by the District\r\nHealth Network. The software Atlas ti 6, based on\r\nGrounded Theory, supported the analysis.\r\nResults: the situations associated with high risk in pregnancy\r\nfound in this group are: birth intervals -most\r\nfrequent- pregnancy-induced hypertension, anemia,\r\nobstetric complications of previous pregnancy, history of\r\nrecurrent abortion, obesity, low birth weight, placenta\r\nprevia, tuberculosis, Rh isoimmunization, recurrent\r\nurinary tract infection and consumption of Psychoactive\r\nSubstances (PSA). The study highlights the unplanned\r\npregnancies. Half of the participants do not have financial\r\nsupport from her respective partner, 7 lost their jobs,\r\nand 5 live with relatives. Gender violence and poverty\r\nlimit decisions that affect their health. They display\r\nboth stress and feelings of ambivalence: on the one hand,\r\nenthusiasm for the pregnancy, and on the other changes\r\nthat cause imbalance and affect quality of life.\r\nConclusions: women in this social group require comprehensive\r\ncare and timely access to health services to\r\navoid delays, as well as sexual and reproductive education.\r\nTranscultural nursing care should be provided and\r\neducational activities should be developed to minimize\r\nfears and empower rights.
Descritores: Gravidez
Enfermagem Transcultural
Vulnerabilidade Social
Pesquisa Qualitativa
Gestantes
Responsável: CO120.1 - Biblioteca Juan Roa Vásquez



página 1 de 53 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde