Base de dados : LILACS
Pesquisa : VS1.002.005.002 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 40 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 40 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053545
Autor: Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência para resposta às emergências em saúde pública: doença respiratória 2019-nCoV / Contingency plan for responding to public health emergencies: respiratory disease 2019-nCoV.
Fonte: s.l; Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde; mar. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Os Coronavírus são um grande grupo viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, as infecções causam sintomas leves a moderados, semelhantes a gripe e sintomas intestinais, sendo altamente patogênicos. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de Saúde Pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012. O coronavírus 2019-nCoV tem causado doença respiratória com casos recentemente registrados na China, sendo que seu espectro clínico de infecção humana, padrão de letalidade, mortalidade e infectividade não estão descritos completamente. Até o momento, os casos parecem cursar com um quadro de síndrome gripal. Assim, é importante o questionamento sobre o histórico de viagem dos pacientes com sintomatologia similar. Lembrando que outros vírus respiratórios, também ocorrem sob a forma de surtos e, eventualmente, circulam ao mesmo tempo, tais como influenza, parainfluenza, rinovírus, vírus sincicial respiratório, adenovírus e outros coronavírus. As definições de caso suspeito de Doença Respiratória de 2019-nCoV são baseadas nas informações atualmente disponíveis e podem ser revisadas a qualquer momento. Todos os casos suspeitos devem ser notificados imediatamente às autoridades epidemiológicas locais através de contato telefônico, seguindo o fluxo de notificação já estabelecido: Município ­ Estado ­ Ministério da Saúde. As informações devem ser inseridas na ficha de notificação (http://bit.ly/2019-ncov) e a CID10 que deverá ser utilizada é a: B34.2 ­ Infecção por coronavírus de localização não especificada. Os casos suspeitos enquadram-se nas seguintes situações: Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (2019-nCoV), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus (2019-nCoV) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas. Dados sugerem que a transmissão pela 2019-nCoV possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas. A transmissão pessoapessoa se dá através da via respiratória, por secreções produzidas durante episódios de tosse, espirros e coriza, semelhante à transmissão do vírus da influenza. Não há vacina ou medicamento específico disponível, sendo o tratamento de suporte e inespecífico para a doença respiratória por 2019- nCoV. No entanto, deve-se levar em consideração os demais diagnósticos diferenciais pertinentes e o adequado manejo clínico. Em caso de suspeita para Influenza não retardar o início do tratamento com Fosfato de Oseltamivir, conforme protocolo de tratamento de Influenza, disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_tratamento_influenza_2017.pdf A vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos alfandegados é competência da Anvisa, por tratar-se de território federal. Ao receber comunicado de anormalidade clínica a bordo de aeronave ou embarcação (cruzeiro ou mercante), a Autoridade Sanitária Local ­ ANVISA deverá adotar o fluxo para situações de emergência para Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos alfandegados estabelecido entre ANVISA e os sistemas de Vigilância e Assistência do Estado de Santa Catarina. O Plano de Contingência da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina para a Doença Respiratória de 2019-nCoV visa minimizar o impacto na Saúde Pública provocado pela possível introdução do vírus em território estadual, bem como orientar os profissionais de saúde a identificar os possíveis casos suspeitos e realizar o adequado manejo e as medidas de prevenção e orientação a população em geral.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1103518
Autor: Mato Grosso do Sul (Estado). Secretaria de Saúde.
Título: Plano de contingência para resposta às emergências em saúde pública doença pelo SARS-COV-2 Coronavírus - COVID-19 / Contingency plan for response to public health emergencies SARS-COV-2 Coronavirus disease - COVID-19.
Fonte: Campo Grande; s.n; jun. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Em 29 de dezembro de 2019, um hospital em Wuhan admitiu quatro pessoas com pneumonia e reconheceu que as quatro haviam trabalhado no Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, que vende aves vivas, produtos aquáticos e vários tipos de animais selvagens ao público. O hospital relatou essa ocorrência ao Centro de Controle de Doenças (CDCChina) e os epidemiologistas de campo da China (FETP-China) encontraram pacientes adicionais vinculados ao mercado e, em 30 de dezembro, as autoridades de saúde da província de Hubei notificaram esse cluster ao CDC da China. A partir desse momento uma série de ações foi adotada, culminando com a ativação no dia 22 de janeiro de 2020 do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE- COVID-19), do Ministério da Saúde (MS) coordenado pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), com o objetivo de nortear a atuação do MS na resposta à possível emergência de saúde pública, buscando uma atuação coordenada no âmbito do SUS. O Brasil adota a ferramenta de classificação de emergência em três níveis, seguindo a mesma linha utilizada globalmente na preparação e resposta em todo o mundo. Portanto, Secretarias de Saúde dos Municípios, Estados e Governo Federal, bem como serviços de saúde pública ou privada, agências, empresas devem ter o plano nacional como norteador de seus próprios planos de contingência e suas medidas de resposta. Toda medida deve ser proporcional e restrita aos riscos vigentes. Este documento apresenta o Plano de Contingência Estadual para Infecção Humana pelo Coronavírus (COVID-19) para Mato Grosso do Sul, em caso de surto de COVID-19 e define o nível de resposta e a estrutura de comando correspondente a ser configurada, em cada nível de resposta.
Descritores: Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/transmissão
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública/métodos
-Brasil
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia
GOVERNMENT PUBLICATIONS
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1224731
Autor: Brasil. Ministério da Saúde.
Título: Plano de Contingência Nacional para infecção humana pelo novo Coronavírus COVID-19: Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública | COE COVID-19 [recurso eletrônico] / National Contingency Plan for human infection due to the new Coronavirus COVID-19: Emergency Operations Center in Public Health | COE COVID-19 [electronic resource].
Fonte: Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; 2021.
Idioma: pt.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública/métodos
-Brasil/epidemiologia
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1052499
Autor: Brasil. Ministério da Saúde.
Título: Plano de Contingência Nacional para infecção humana pelo novo Coronavírus COVID-19 / National Contingency Plan for human infection with the new Coronavirus (2019-nCoV).
Fonte: Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Este documento apresenta o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (COVID-19) em caso de surto e define o nível de resposta e a estrutura de comando correspondente a ser configurada, em cada nível de resposta. Em 29 de dezembro de 2019, um hospital em Wuhan admitiu quatro pessoas com pneumonia e reconheceu que as quatro haviam trabalhado no Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, que vende aves vivas, produtos aquáticos e vários tipos de animais selvagens ao público. O hospital relatou essa ocorrência ao Centro de Controle de Doenças (CDC-China) e os epidemiologistas de campo da China (FETP-China) encontraram pacientes adicionais vinculados ao mercado e, em 30 de dezembro, as autoridades de saúde da província de Hubei notificaram esse cluster ao CDC da China. A partir desse momento uma série de ações foram adotadas, culminando com a ativação no dia 22 de janeiro de 2020 do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE-COVID-19), do Ministério da Saúde (MS) coordenado pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), com o objetivo de nortear a atuação do MS na resposta à possível emergência de saúde pública, buscando uma atuação coordenada no âmbito do SUS. O Brasil adota a ferramenta de classificação de emergência em três níveis, seguindo a mesma linha utilizada globalmente na preparação e resposta em todo o mundo. Deste modo, recomenda-se que as Secretarias de Saúde dos Municípios, Estados e Governo Federal, bem como serviços de saúde pública ou privada, agências, empresas tomem nota deste plano na elaboração de seus planos de contingência e medidas de resposta. Toda medida deve ser proporcional e restrita aos riscos vigentes.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Brasil
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1095438
Autor: Guatemala. Ministerio de Salud Pública y Asistencia Social.
Título: Plan para la prevención, contención y respuesta a casos por coronavirus (Covid-19) en Guatemala / Plan for the prevention, containment and response to cases of coronavirus COVID 19 in Guatemala.
Fonte: Guatemala; MSPAS; 2020. 25 p. tab.
Idioma: es.
Resumo: El presente plan contiene los lineamientos de organización de las Estrategias de intervención los diferentes niveles de atención a nivel nacional estandarizados por el Ministerio de Salud Pública y Asistencia Social por la emergencia del Covid-19.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Betacoronavirus
-Medidas de Segurança/normas
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor
Comunicação em Saúde
Vigilância em Saúde Pública/métodos
Guatemala/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: GOVERNMENT PUBLICATIONS
Responsável: GT5.1 - Biblioteca y Centro de Documentación Dr. Julio de León Méndez


  6 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-903102
Autor: Bernal, Oscar; Latorre, Maria L; Garcia-Ubaque, Juan C; Zamora, Diana; Otero-Wandurraga, Johanna A; Palencia-Sanchez, Francisco; Caballero, Maria V; Castro, Isbelis; Castillo-Rodríguez, Liliana.
Título: Vigilancia y análisis de zonas de frontera, puertos de entrada y de población inmigrante / Surveillance and analysis of border areas, ports of entry and immigrant population
Fonte: Rev. salud pública;19(2):259-267, mar.-abr. 2017. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Objetivo Realizar una revisión de la literatura sobre los sistemas de información de vigilancia sanitaria y epidemiológica en zonas de frontera y puntos de entrada en Colombia. Materiales y Métodos Se desarrolló una revisión sistemática de literatura mediante la metodología Prisma, términos MeSH y DECS. Para ello, se consultaron, las bases de datos PubMed y BVS entre el 2000 y el 2014. Se incluyeron 51 documentos de acuerdo con los criterios de inclusión-exclusión, a partir de los cuales se discutieron las categorías propuestas: servicios de salud, salud mental, estado de salud y determinantes sociales. Resultados El análisis permite evidenciar que la vigilancia epidemiológica y sanitaria de fronteras y puntos de entrada en el ámbito mundial, está enfocado principalmente en ejes como salud mental, eventos transmisibles y eventos de condiciones no transmisibles. Adicionalmente, se da importancia a la atención integral en los servicios de salud y al análisis del estado de salud de la población inmigrante bajo el enfoque diferencial territorial, étnico y cultural. Sin embargo, hay pocas experiencias con un enfoque intersectorial, así como de determinantes sociales, en los territorios con condiciones de zonas de fronteras y/o puntos de entrada. Conclusiones Las diferencias de contexto, sistemas de salud, sistemas de información y prioridades de cada país, hacen que el intercambio y la cooperación entre las fronteras tengan serios retos. Debido a esto, es necesario contar con instrumentos de cooperación entre países limítrofes y análisis e información, con base en el modelo Determinantes Sociales de la Salud.(AU)

ABSTRACT Objective Perform a literature review about systems of sanitary and epidemiological surveillance for frontier zones and the points of entry of Colombia. Materials and Methods A systematic literature review using the Prisma methodology, MeSH and DECS terms, was developed in PubMed and BVS bibliographic databases between 2000 and 2014. We included 51 documents according to inclusion-exclusion criteria and we proposed and discussed these categories: health services, mental health, health status and social determinants. Results The analysis makes it possible to evidence that the epidemiological and sanitary surveillance of borders and entry points worldwide, focused mainly on axes such as mental health, transmissible events and events of non-communicable conditions. In addition, the importance of comprehensive care in health services, as well as the analysis of the health status of immigrant population under the territorial, ethnic and cultural differential approach. However, there are few experiences with a social determinants analysis in borders zone and / or entry points. Conclusions Differences in the context, health systems, information systems and priorities of each country make the exchange and cooperation between borders challenging. It is necessary to have instruments of cooperation between neighboring countries and a common information based on the Social Determinants of Health.(AU)
Descritores: Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Monitoramento Epidemiológico
Determinantes Sociais da Saúde
-Indicadores Básicos de Saúde
Colômbia
Emigrantes e Imigrantes
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1116782
Autor: Tocantins (Estado). Secretaria de Estado.
Título: Plano de contingência do Tocantins novo coronavírus (COVID-19): 4ª versão / Contingency plan for Tocantins new coronavirus (COVID-19): 4th version.
Fonte: Palmas; Tocantins (Estado). Secretaria de Estado; 26 jun. 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1087174
Autor: Tocantins (Estado). Secretaria de Estado.
Título: Plano de contingência do Tocantins novo Coronavírus (2019 - nCoV) / Contingency plan for the new Tocantins Coronavirus (2019 - nCoV).
Fonte: s.l; Tocantins (Estado). Secretaria de Estado; fev. 2020. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O escritório da OMS (Organização Mundial de Saúde), na China, foi informado em 31 de dezembro de 2019, sobre casos de pneumonia de etiologia desconhecida detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. De 31 de dezembro de 2019 a 3 de janeiro de 2020, um total de 44 pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida foram notificados à OMS pelas autoridades nacionais da China. Durante o período relatado o agente causal não foi identificado. Em 7 de janeiro de 2020, as autoridades chinesas, isolaram e identificaram um novo tipo de coronavírus. Nos dias 11 e 12 de janeiro a Comissão Nacional de Saúde da China repassou informações detalhadas à OMS sobre a sequência genética do novo coronavírus e de que o mesmo estava associado a exposições em um mercado de frutos do mar, localizado em Wuhan. Nos dias, 13 e 15 de janeiro, a Tailândia e o Japão, relataram o primeiro caso importado, respectivamente e ambos os casos foram confirmados laboratorialmente. Em 03 de janeiro foi detectado o rumor sobre os casos de pneumonia de etiologia desconhecida na China e dia 05 foi realizada a publicação aos Pontos Focais Nacionais do Regulamento Sanitário Internacional da OMS (PFN-RSI). A Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde (SVS/MS), dia 07 de janeiro, elaborou um informe interno sobre os casos de pneumonia de etiologia desconhecida na China e o PFN-RSI do Brasil solicitou informações sobre a veracidade do rumor detectado ao Ponto de Contato da Regional da OMS, para analisar o impacto do evento no país. Durante o período de 07 a 21 de janeiro a SVS publicou o Boletim Epidemiológico nº1 do MS, reuniões para discussão do evento foram realizadas e houveram comunicações dos Estados e Distrito Federal de casos suspeitos. Em 22 de janeiro foi ativado Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo coronavírus (COE 2019 - nCoV). A ativação desta estratégia está prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde. A partir disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) através da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), iniciou o monitoramento do evento detectando rumores, realizou a primeira reunião, dia 28 de janeiro de 2020, com técnicos das Superintendências afins da SES, Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (SEMUS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária dos Portos e Aeroportos (ANVISA) e iniciou-se a elaboração do Plano de Contingência Estadual e Municipal para o novo coronavírus. No dia 30 de janeiro de 2020 a OMS declarou como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) para todos os países, que devem estar preparados para contenção, incluindo vigilância ativa, detecção precoce, isolamento e gerenciamento de casos, rastreamento de casos, contatos e prevenção da propagação da infecção pelo 2019-nCoV e compartilhamento de dados completos com a OMS. Em continuidade a elaboração do plano de ação, as áreas técnicas da SES, reuniram para discutir o planejamento operacional da Rede de Atenção à Saúde, prioritariamente no Componente Hospitalar para a retaguarda emergencial mediante a pandemia em questão. Necessidade está de dimensionar medidas de precaução e controle para os usuários do SUS no Estado do Tocantins.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia
Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053227
Autor: Mato Grosso (Estado). Secretaria de Saúde.
Título: Plano de contingência estadual para infecção humana pelo novo Coronavírus COVID-19 / State contingency plan for human infection with the new COVID-19 Coronavirus.
Fonte: s.l; Mato Grosso (Estado). Secretaria de Saúde; fev. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Desde 31 de dezembro de 2019, a cidade chinesa de Wuhan registrou um surto de pneumonia atípica causada pelo novo coronavírus de 2019 (COVID-19). O número de infectados e doentes cresce em ritmo exponencial alcançando outros países além da China, e em 30 de janeiro de 2020 a Organização Mundial da Saúde emitiu a Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional. Até o momento foram confirmados 31.529 casos no mundo, sendo 638 óbitos e 12 países reportaram casos confirmados. Diante deste cenário o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em 3 de fevereiro, Portaria N. º 188, de 2020. A partir destes eventos a Secretaria Estadual de Saúde passou a desenvolver ações para preparação e respostas orientadas pelo Plano de Contingência Estadual, que segue os princípios utilizados pelo Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (COVID-19) em caso de surto. Este documento pauta se na estratégia de níveis de ativação e respostas: Preparação e Emergência em Saúde Pública, e orienta que os municípios se organizem segundo estas estratégias.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 40 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1103029
Autor: Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência para resposta aos interesses às emergências em saúde pública: doença pelo SARS-COV-2-COVID-19 / Contingency plan for responding to interests in public health emergencies: SARS-COV-2-COVID-19 disease.
Fonte: s.l; s.n; jul. 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/transmissão
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública/métodos
-Brasil
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde