Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.650.940.800.575.912.250.618.050.750.066 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3 [refinar]
Mostrando: 1 .. 3   no formato [Longo]

página 1 de 1

  1 / 3 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-518336
Autor: Zárate, Néstor Antonio Heredia; Vieira, Maria do Carmo; Giuliani, Artur Renan; Helmich, Marcelo; Pontim, Bruno Cezar Álvaro; Pezzoni Filho, José Carlos.
Título: Produção e renda de taro Macaquinho, solteiro e consorciado com alface 'Salad Bowl', em solo com cobertura de cama-de-frango semidecomposta / 'Macaquinho' taro in monocrop system and intercropped with 'Salad Bowl' lettuce in soil with chicken manure mulching
Fonte: Semina ciênc. agrar;28(4):563-570, out.-dez. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este trabalho teve como objetivos estudar a produtividade e a renda do taro 'Macaquinho, em cultivo solteiro e consorciado com a alface mimosa 'Salad Bowl', em solo sem (SCF) ou com (CCF) cobertura com cama-defrango (10 t ha-1). A colheita da alface foi feita aos 64 dias após a semeadura e a do taro aos 199 dias após o plantio. Na alface obtiveram-se baixos valores para plantas com “cabeças” comerciais (média de 15.830 “cabeças” ha-1) e altos para as não comerciais (média de 89.160 “cabeças” ha-1). No taro, as maiores produções de folhas (4,89 t ha-1), rizomas-mãe (6,46 t ha-1), rizomas-filho comerciais (15,33 t ha-1) e não-comerciais (9,73 t ha-1) foram obtidas nas plantas sob cultivo solteiro e cultivadas em solo CCF. A razão de área equivalente (RAE) para o consórcio taro-alface, em solo CCF foi de 1,47 e a do consórcio em solo SCF foi de 1,82. As rendas bruta e líquida mostraram que no taro foi melhor o cultivo solteiro em solo CCF (R$ 18.936,00 e R$ 17.596,00, respectivamente). Para alface, foi melhor o consórcio com taro, em solo CCF (R$ 18.024,00 e R$ 17.224,00, respectivamente). A maior RAE não induziu as maiores rendas bruta e líquida.

This work had as aim to study yield and income of 'Macaquinho' taro in monocrop system and intercropped with 'Salad Bowl' mimosa lettuce in soil without (SCF) or with (CCF) mulching with chicken manure (10 t ha-1). Lettuce harvest was done on 64 days after sowing and taro harvest on 199 days after planting. For lettuce it was obtained low values for plants with commercial heads (average of 15,830heads ha-1) and high values for non-commercial heads (average of 89,160 heads ha-1). For taro, the highest yields of leaves (4.89 t ha-1), corms (6.46 t ha-1), commercial (15.33 t ha-1) and non-commercial (9.73 t ha-1) cormels were obtained in plants under monocrop system and that were cultivated in CCF soil. Land Equivalent Ratio (LER) for taro/lettuce intercropping, in CCF soil, was 1.47 and of intercropping in SCF soil was 1.82. Gross and net income showed that for taro it was better to use of monocrop system in CCF soil (R$ 18,936.00 and R$ 17,596.00, respectively). For lettuce, it was better to use intercrop system with taro in CCF soil (R$ 18,024.00 and 17,224.00, respectively). The highest LER did not induce the highest gross and net income.
Responsável: BR512.1 - Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde


  2 / 3 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-464840
Autor: Zárate, Néstor Antonio; Vieira, Maria do Carmo; Hiane, Priscila Aiko.
Título: Produção e composição nutritiva de taro em função do propágulo, em solo hidromórfico do Pantanal Sul-Mato-Grossense / Yield and nutritive components of taro as a function of propagule type in a hydromorfic soil of South Mato grosso Pantanal
Fonte: Semina ciênc. agrar;27(3):361-366, jul.-set. 2006. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo do trabalho foi determinar a produtividade e a composição nutritiva dos rizonas de taro, em condições de solo hidromórfico do pantanal sul-mato-grossense. Foram avaliados os taros Chinês e Macaquinho, propagados por rizomas das classes grande e pequena, como tipos inteiros e cortados no meio, arranjados em esquema fatorial 2x2x2, no delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições. A população final, altura das plantas e massa fresca das folhas e dos rizomas-mãe do taro Chinês foi significativamente superior à do macaquinho. Quanto ás classes de propágulos utilizados para a propagação, foi melhor o uso de rizomas grandes. O uso de rizomas inteiros foi significativamente melhor que dos rizomas cortados quanto à população final e produção de massa fresca dos rizomas mãe (RM) e semelhantes para altura das plantas e produções de massa fresca de folhas e dos rizomas-filho (RF). Em relação à composição nutritiva dos rizomas, os RM e os RF tiveram teores caracterísitcos do clone. Os RM e RF dos dois clones apresentaram maiores teores de resíduo mineral fixo, proteínas e carboidratos e menores teores de lipídeos e de fibras, assim como de valor calórico total-VCT, que os domilho. Os RM e RF dos dois clones tiveram menores teores de lipídeos, carboidratos e VCT em relação à farinha de trigo.
Responsável: BR512.1 - Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde


  3 / 3 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-452793
Autor: Diniz, Igor Presotti; Pirozi, Mônica Ribeiro; Quintero, Alfredto Carlos Fernandes; Paula, Cláudia Denise de.
Título: Otimização da desidratação osmótica de inhame (Colocasia esculenta) para fritura / Optimization of the osmotic dehydration of taro (Colocasia eusculenta) FOR FRYING
Fonte: Bol. Centro Pesqui. Process. Aliment;24(2):303-318, jul.-dez. 2006. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo estudar as condições ótimas para desidratação osmótica de inhame (Colocasia esculenta), submetido ao congelamento e fritura. Amostras provenientes das tres melhores condições de desidratação osmótica e uma amostra controle foram avaliadas sensorialmente. Os resulados mostraram desidratação máxima acima de 15 por cento da massa inicial, sob as seguintes condições: concentração de 8 g de cloreto de sódio e 60 g de sacarose por 100mL de solução durante 50 minutos de contato e temperaturas de 30, 60 e 70ºC. A avaliação sensorial mostrou que o inhame frito pode constituir nova alternativa para o mercado consumidor de inhame e que a desidratação osmótica influenciou beneficamente suas características
Responsável: BR16.1 - Biblioteca de Ciências da Saúde



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde