Base de dados : LILACS
Pesquisa : SP1.001.002.008 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 662 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Longo]

página 1 de 67 ir para página                         

  1 / 662 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1016356
Autor: Pinheiro, Riselia(org); Saviani, Iraci(org).
Título: Importância dos espaços lúdicos: experiências no Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância / Importance of play spaces: experiences in the São Paulo Early Childhood Program
Fonte: BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.);19(1):47-52, jul. 2018.
Idioma: pt.
Resumo: O artigo faz uma retrospectiva teórica sobre a importância do brincar e da existência de espaços lúdicos no desenvolvimento integral das crianças. As autoras também compartilham experiências práticas de municípios que receberam as formações sobre espaços lúdicos e trouxeram benefícios para famílias com crianças de 0 a 3 anos.
Responsável: BR1764.1 - Núcleo de Informação e Documentação


  2 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Chiesa, Anna Maria
Texto completo
Id: biblio-1016206
Autor: Chiesa, Anna Maria(org); Toriyama, Áurea Tamami(org); Neves, Lucila Faleiros(org); Silva, Reginalice Cera da(org).
Título: Práticas Ampliadas de Puericultura na Política São Paulo pela Primeiríssima Infância / Expanded Childcare Practices in São Paulo Early Childhood Policy
Fonte: BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.);19(1):31-36, jul. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A formação em Puericultura: Práticas Ampliadas foi realizada no contexto do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância, em 41 municípios até 2017, junto a profissionais e representantes da sociedade civil que atendem crianças e suas famílias. Os conteúdos, as estratégias pedagógicas e as avaliações durante o processo visam a sensibilizar os participantes e mobilizá-los para atuar na promoção amoroso e responsivo, valorizando o patrimônio familiar e considerando a importância da intersetorialidade e da rede social de apoio à família. Profissionais dos setores da educação, da assistência social e da saúde avaliaram positivamente a Formação, com mudanças pessoais e atitudinais, além das institucionais. Destacam-se a Caderneta de Saúde da Criança, a Ficha de Acompanhamento dos cuidados para promoção do desenvolvimento infantil e a Proteção física e emocional da criança diante da realização de procedimentos como elementos para maior articulação intersetorial. Para cada setor, buscou-se avançar em ações de caráter universal e também focal. Identificaram-se ainda desafios para a incorporação permanente dos componentes da Formação, como superação dos atendimentos prescritivos, o reconhecimento da importância da Rede Social e da articulação intersetorial, a valorização da parentalidade e da fase da vida da criança e da divulgação desses princípios para o público em geral.
Responsável: BR1764.1 - Núcleo de Informação e Documentação


  3 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Matsukura, Thelma Simöes
Texto completo
Id: biblio-1012767
Autor: Tãno, Bruna Lidia; Matsukura, Thelma Simões.
Título: Intersetorialidade e cuidado em saúde mental: experiências dos CAPSij da Região Sudeste do Brasil / Intersectoriality and care in mental health: experiences of psychosocial care centers for children and adolescents (CAPSIJ) in Brazil's Southeastern region
Fonte: Physis (Rio J.);29(1):e290108, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo do estudo foi identificar como tem sido produzido o trabalho intersetorial nos Centros de Atenção Psicossocial Infantojuvenis (CAPSij) da Região Sudeste do país, buscando compreender como se processam os contatos com a rede, bem como as potências e fragilidades das articulações intersetoriais na perspectiva dos gestores dos serviços. Trata-se de pesquisa de levantamento, orientada pela avaliação por triangulação de métodos, em sua primeira etapa referente à análise diagnóstica situacional, tendo como participantes 35 CAPSij. Os resultados indicaram que Atenção Básica, Assistência Social e Educação são os principais serviços/setores envolvidos nas situações de cuidado à população infantojuvenil acompanhada nos CAPSij. A corresponsabilização, enquanto um dos benefícios do trabalho intersetorial, foi afirmada como estratégia para a produção ampliada de saúde e qualificação da rede. Sobre desafios, os participantes apontam a falta de alinhamento em projetos comuns de cuidado, os discursos de medicalização e patologização da vida nas instituições educacionais, e a dificuldade de articulação das demandas relacionadas à Atenção Básica. Por fim, discute-se a intersetorialidade como eixo central das ações em saúde mental, possibilitando que recursos e dispositivos locais sejam potencializados para práticas de cuidado e de garantia de direitos.

Abstract The study aimed to identify how intersectoral work has been produced in Psychosocial Care Centers for Children and Adolescents (CAPSij) in Brazil's southeast region, seeking to understand how the contacts with the network are processed, as well as the strengths and weaknesses of intersectoral articulations in the perspective of service managers. This study is a survey research, guided by the triangulation of methods for results analysis, which in the first stage regards the analysis for situational diagnostic; CAPSij participated. The results indicated that Primary Care, Social Assistance and Education are the main services/sectors involved in care situations for children and adolescents assisted by the CAPSij. Co-responsibility, as one of the benefits of intersectoral work, was asserted as a strategy for expanded health production and network qualification. On challenges, the participants point out the lack of alignment in common care projects, life medicalization and pathologization discourses in educational institutions, and the difficulty of articulating demands related to Primary Care. Finally, intersectoriality is discussed as the central axis in Mental Health actions, allowing local resources and devices to be strengthened for care practices and assurance of rights.
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  4 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-882978
Autor: Soares, Daniely dos Anjos Muniz; Martins, Alberto Mesaque.
Título: Intersetorialidade e interdisciplinaridade na atenção primária: conceito e sua aplicabilidade no cuidado em saúde mental / Intersectoriality and interdisciplinarity in primary care: concept and its applicability in mental health care / Intersectorialidad e interdisciplinaridad en la atención primaria: concepto y su aplicabilidad en el cuidado de la salud mental
Fonte: Rev. baiana saúde pública;41(2):https://doi.org/10.22278/2318-2660.2017.v41.n2.a2417, abr. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: O cuidado em saúde mental tem se configurado como grande desafio para os profissionais atuantes na Atenção Primária à Saúde, tanto no que diz respeito à assistência propriamente dita como na necessidade de promoção de saúde e cidadania do sujeito em sofrimento psíquico. Nesse cenário, a interdisciplinaridade e a intersetorialidade configuram-se como possibilidade de efetivar a assistência em saúde mental na Atenção Primária à Saúde, assim como viabilizar a (re)inserção social do sujeito. Objetivou-se neste estudo, analisar as potencialidades e desafios para a aplicabilidade da interdisciplinaridade e intersetorialidade no cotidiano de trabalhos das equipes da Atenção Primária à Saúde, no que se refere ao cuidado em saúde mental. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, envolvendo estudos publicados no período entre 2011 e 2015, localizados na Biblioteca Virtual em Saúde. Foram utilizados os seguintes descritores: atenção primária à saúde, ação intersetorial e saúde mental. Ao final da busca, foram selecionados e analisados 10 artigos. Os resultados apontaram: distorções quanto ao uso dos conceitos de interdisciplinaridade e intersetorialidade; a existência do modelo biomédico, prevalência do saber médico e falta de articulação entre os serviços como desafios para sua aplicabilidade na Atenção Primária à Saúde; o apoio matricial, a interdisciplinaridade e o envolvimento dos dispositivos comunitários como possibilidades de transformação das práticas em saúde nesse nível de atenção. Concluiu-se que não há consenso quanto aos conceitos de intersetorialidade e interdisciplinaridade e que as discussões se concentraram mais nos desafios do que propriamente nas possibilidades.

Mental health care has become a major challenge for professionals working in primary health care, both in terms of care as much in regard to assistance itself as in the need to promote the health and the citizenship of the subject in psychological distress. In this scenario, interdisciplinarity and intersectoriality constitute the possibility of effecting mental health care in Primary Health Care, as well as the social (re)insertion of the subject. The objective of this study was to analyze the potentialities and challenges for the applicability of interdisciplinarity and intersectoriality in the daily work of Primary Health Care teams, regarding mental health care. It is an integrative review of the literature, involving studies published in the period between 2011 and 2015, located in the Virtual Health Library. The following descriptors were used: primary health care, intersectoral action and mental health. At the end of the search, 10 articles were selected and analyzed. The results pointed out: distortions regarding the use of the concepts of interdisciplinarity and intersectoriality; the existence of the biomedical model, the prevalence of medical knowledge and the lack of articulation between services as challenges for its applicability in Primary Health Care; matrix support, interdisciplinarity and the involvement of community devices as possibilities for transforming health practices at this level of attention. In conclusion, there is no consensus on the concepts of intersectoriality and interdisciplinarity and the discussions focused more on the challenges than on the possibilities themselves.

El cuidado en salud mental se ha configurado como gran desafío para los profesionales actuantes en la Atención Primaria a la Salud, tanto en lo que se refiere a la asistencia propiamente dicha como en la necesidad de promoción de salud y ciudadanía del sujeto en sufrimiento psíquico. En este escenario, la interdisciplinariedad y la intersectorialidad configuranse como posibilidad de efectivar la asistencia en salud mental en la Atención Primaria a la Salud, así como viabilizar la (re)inserción social del sujeto. Objetivóse, en este estudio, analizar las potencialidades y desafíos para la aplicabilidad de la interdisciplinariedad e intersectorialidad en el cotidiano de trabajos de los equipos de la Atención Primaria a la Salud, en lo que se refiere al cuidado en salud mental. Tratase de una revisión integrativa de la literatura, comprendendo estudios publicados en el período entre 2011 y 2015, localizados en la Biblioteca Virtual en Salud. Utilizaronse los siguientes descriptores: atención primaria a la salud, acción intersectorial y salud mental. Al final de la búsqueda, fueron seleccionados y analizados 10 artículos. Los resultados apuntaron: distorsiones en cuanto al uso de los conceptos de interdisciplinariedad e intersectorialidad; la existencia del modelo biomédico, la prevalencia del saber médico y la falta de articulación entre los servicios como desafíos para su aplicabilidad en la Atención Primaria a la Salud; el apoyo matricial, la interdisciplinaridad y la implicación de los dispositivos comunitarios como posibilidades de transformación de las prácticas sanitarias en ese nivel de atención. Concluyóse que no hay consenso en cuanto a los conceptos de intersectorialidad e interdisciplinaridad y que las discusiones se concentraron más en los desafíos que propiamente en las posibilidades.
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas


  5 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Ribeiro, José Mendes
Texto completo
Id: biblio-955484
Autor: Teixeira, Mirna Barros; Lacerda, Alda; Ribeiro, José Mendes.
Título: Potencialidades e desafios de uma política pública intersetorial em drogas: o Programa "De Braços Abertos" de São Paulo, Brasil / Potentialities and challenges of an intersectoral public policy on drugs: "With Open Arms" Program of São Paulo, Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);28(3):e280306, 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O Programa "De Braços Abertos" (DBA) é uma política pública de São Paulo que tem por objetivo promover a reabilitação psicossocial de usuários de drogas em situação de vulnerabilidade social por meio da oferta de um pacote de direitos e de ações assistenciais. O DBA tem o diferencial de trabalhar de forma intersetorial, sendo uma inovação no campo das políticas públicas sobre drogas. Este trabalho é fruto da pesquisa de campo do doutorado em saúde pública da ENSP/Fiocruz. Foram realizadas entrevistas com gestores e profissionais do programa de vários setores. Utilizou-se a metodologia qualitativa, apresentando a sistematização das principais "fortalezas, fragilidades, desafios e sustentabilidade" do DBA. Os resultados principais foram a redução do uso prejudicial do crack; a inserção em trabalho e a melhoria do acesso ao cuidado em saúde. Os principais desafios seriam o aprimoramento das moradias e o avanço no trabalho apoiado para a reinserção social. Conclui-se que o DBA se mostrou uma iniciativa inovadora, conseguindo a redução do consumo de drogas e promovendo a reinserção social de seus usuários. No entanto, ainda é um grande desafio fazer uma gestão intersetorial com diferentes interesses políticos e disputas de poder, mas entende-se que esse é o caminho a ser trilhado.

Abstract The "De Braços Abertos - DBA" (With Open Arms) program is a public policy of the São Paulo municipality, aiming to promote the psychosocial rehabilitation of socially vulnerable drug users, through a set of rights and assistance actions. DBA's uniqueness is the intersectorial work approach, unheard of in the drugs public policies field. This work arouse from the ENSP/Fiocruz public health doctorate research. Interviews with managers and professionals from the various sectors of the program were conducted. The qualitative method was applied, producing the main "potentiality, fragility, challenges and sustainability" system of the DBA. The main results were the reduction of abusive crack use; access to work; healthcare access improvement. The main challenges would be the improvement of housing and work development, supported by the social reinsertion. DBA is a new effective initiative, which allows the reduction of drug use and promotes social reinsertion of persons; however, a challenge still lies ahead regarding the intersectorial mangement, taking into account the different political interests and power struggles, but DBA has showed that this is the path to be followed.
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  6 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1010267
Autor: Rosa, Lucia Cristina dos Santos; Guimarães, Thaís de Andrade Alves; Lisboa, Rita de Cássia Furtado; Cruz, Ricardo Santos de Deus; Macedo, João Paulo Sales; Sousa, Lara Emanueli Neiva de; Barros, Sammia Fawsia de Deus; Nascimento, Gisele Martins.
Título: Experiências de cuidados intersetoriais aos consumidores de substâncias psicoativas no Piauí / Experiences of intersectoral care for psychoactive substance users in Piauí.
Fonte: Teresina; EDUFPI; 2016. 364 p.
Idioma: pt.
Resumo: Este livro condensa mais um dos produtos da 2ª edição da implementação das ações do plano de trabalho do Centro Regional de Referência em Formação Permanente aos Profissionais que atuam nas Redes de Atenção Integral à Saúde e de Assistência Social com Usuários de Crack e Outras Drogas do Piauí - CRR-UFPI 2ª ed., a partir do Edital nº 08/2014, lançado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas - SENAD. (AU).
Responsável: BR1782.1 - Núcleo de Informação e Documentação Cecília Minayo
BR1782.1; 614.58, E96


  7 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-599995
Autor: Fonseca, Angélica Ferreira; Martins, Carla Macedo; Pereira, Isabel Brasil.
Título: [Editorial] / Editorial
Fonte: Trab. educ. saúde;9(2):175-178, jul.-out. 2011.
Idioma: pt.
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  8 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: lil-698365
Autor: Souza, Telma de Almeida; Mattos, Flávio de Freitas.
Título: Representação social de adultos sobre tabagismo e suas implicações para a saúde: estudo realizado em comunidade rural - MG / The social representation of smoking among adults and its implications for health: study conducted in a rural community in the state of Minas Gerais
Fonte: Arq. odontol;48(3):159-165, Jul.-Sep. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Apreender a representação social de adultos de uma comunidade rural sobre o tabagismo e suas implicações para a saúde e, por conseguinte, fornecer subsídios para planejamento das ações dos serviçosde saúde. Materiais e Métodos: Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com 15 adultos (fumantes, exfumantes e não-fumantes), entre 30 a 59 anos, moradores de uma região rural em Santa Bárbara-MG e usuários do serviço de saúde municipal, para uma análise utilizando a abordagem qualitativa dos dados. Resultados:Foi possível classificar e separar os discursos em três grandes temas: Iniciação do Tabagismo; Influência naQualidade de Vida e Cessação do Hábito. Os entrevistados consideraram importante que os profissionais desaúde tenham maior ação no apoio à cessação do tabagismo. Há concordância de que é necessário não apenasmanter as propagandas antitabaco nos maços e ampliar o número de áreas restritivas ao cigarro, bem comoa intensificação destas medidas. Conclusão: Deve-se aumentar as ações direcionadas aos jovens e à família,pois ambos interferem fundamentalmente na iniciação ao fumo. A criação de grupos de convivência podeauxiliar na cessação do hábito de fumar. Diminuir as formas de pressão social aos grupos em situação devulnerabilidade social pode ajudar na diminuição do número de fumantes.
Responsável: BR365.1 - BIB - Biblioteca


  9 / 662 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-904473
Autor: Pinheiro, Aldrin de Sousa; Silva, Lucia Rejane Gomes da; Tourinho, Maria Berenice Alho da Costa.
Título: A estratégia saúde da família e a escola na educação sexual: uma perspectiva de intersetorialidade / The family health strategy and the school in sex education: an intersectoral perspective / La estrategia salud de la familia y la escuela en la educación sexual: una perspectiva de intersectorialidad
Fonte: Trab. educ. saúde;15(3):803-822, set.-dez. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A pesquisa analisou como o trabalho de educação sexual de adolescentes e jovens é desenvolvido na perspectiva da intersetorialidade de saúde e educação. Foram levantadas as características pedagógicas e metodológicas usadas por professores e profissionais da Estratégia Saúde da Família de um município do sul da Amazônia ocidental, assim como as perspectivas de interseção da escola com os serviços de saúde para a educação sexual. A pesquisa foi realizada no período de maio a setembro de 2013. Optou-se pela abordagem qualitativa. Após entrevista semiestruturada, utilizou-se a análise de conteúdo para o levantamento das categorias temáticas. O trabalho de educação sexual caracterizou-se por atividades pontuais motivadas pela demanda. A família foi considerada a principal responsável pela educação sexual, e o despreparo profissional mostrou-se fator importante para a não realização desse tipo de educação. As perspectivas intersetoriais pontuadas pelos participantes ficaram limitadas às ações já existentes na prática, como palestras e projetos, dentre outras. A intersetorialidade para o trabalho de educação sexual parece transitar no campo das ideias, amarrada aos discursos. Apesar de iniciativas governamentais a estimularem, essas perspectivas não têm dado conta da complexidade que envolve sua legitimação. É necessário que novas estratégias para o trabalho da educação sexual sejam discutidas.

Abstract The study analyzed how sex education is provided to adolescents and young people from the perspective of the intersectoriality of health and education. The pedagogical and methodological characteristics used by teachers and professionals of the Family Health Strategy of a municipality in southern western Amazônia were surveyed, as were the perspectives of intersecting the school with health services for sex education. The survey was conducted between May and September 2013. A qualitative approach was used. After a semi-structured interview, content analysis was used to survey the thematic categories. Sex education was characterized by specific activities motivated by demand. The family was considered the main element responsible for sex education, and a lack of professional preparedness proved to be an important factor for this type of education not being provided. The intersectoral perspectives pointed out by the participants were limited to the actions already existing in practice, such as lectures and projects, among others. Intersectoriality for sex education seems to transit in the field of ideas, tied to the discourses. Although government initiatives encourage it, these perspectives have failed to account for the complexity involved in its legitimation. New strategies must be discussed for sex education.

Resumen La investigación estudió cómo se desarrolla el trabajo de educación sexual de adolescentes y jóvenes desde la perspectiva de la intersectorialidad de salud y educación. Se relevaron las características pedagógicas y metodológicas usadas por profesores y profesionales de la Estrategia Salud de la Familia de un municipio del sur de la Amazonia occidental, así como las perspectivas de intersección de la escuela con los servicios de salud para la educación sexual. La investigación se realizó entre mayo y septiembre de 2013. Se optó por un enfoque cualitativo. Tras una entrevista semiestructurada, se utilizó el análisis de contenido para el relevamiento de las categorías temáticas. El trabajo de educación sexual se caracterizó por actividades puntuales motivadas por la demanda. La familia fue considerada como la principal responsable de la educación sexual, y la falta de preparación profesional se reveló un factor importante para la no realización de este tipo de educación. Las perspectivas intersectoriales indicadas por los participantes estuvieron limitadas a acciones ya existentes en la práctica, como charlas y proyectos, entre otras. La intersectorialidad para el trabajo de educación sexual parece transitar en el campo de las ideas, ligada a los discursos. A pesar de estimuladas por iniciativas gubernamentales, estas perspectivas no han logrado satisfacer la complejidad que involucra su legitimación. Es necesario que se discutan nuevas estrategias para el trabajo de la educación sexual.
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  10 / 662 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1008667
Autor: Batista, Mariangela da Silva Alves(org).
Título: Proposta de plano de ação, no âmbito do Programa Saúde na Escola, para prevenção e controle da obesidade infantil em um Município da Grande São Paulo - SP / Proposal of an action plan, within the National School Feeding Program, to prevent and control the childhood obesity in a Greater São Paulo municipality - SP
Fonte: BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.);20(1):52-58, 2019.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho teve por objetivo elaborar um plano de ação para prevenção e controle da obesidade infantil, no âmbito do Programa Saúde na Escola (PSE), para escolas municipais de ensino fundamental de um Município da Grande São Paulo - SP. Métodos: foram realizados 3 (três) encontros com gestores e profissionais das áreas da saúde e da educação para construção do plano de ação de acordo com a realidade local. Resultados: foram escolhidas 3 Unidades de Saúde da Família (1 na região central e 2 em regiões periféricas) e 5 escolas (1709 alunos) prioritárias para a proposta de repactuação do PSE. Optou-se pela potencialização das ações já realizadas por estas escolas, como, por exemplo, a Horta Escolar. Foi proposta a construção de um grupo de trabalho intersetorial para planejamento e gestão das ações. Conclusão: as discussões e reuniões com profissionais e gestores da área da saúde adequado à realidade local e especificidades das escolas e unidades básicas de saúde.
Responsável: BR1764.1 - Núcleo de Informação e Documentação



página 1 de 67 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde