Base de dados : LILACS
Pesquisa : Z01.678.100.373 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 68 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Longo]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 68 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-761686
Autor: Freitas, Kátia Santana; Menezes, Igor Gomes; Mussi, Fernanda Carneiro.
Título: Validation of the Comfort scale for relatives of people in critical states of health / Validação da escala de conforto para familiares de pessoas em estado crítico de saúde / Validación de la escala de confort para familiares de personas en estado crítico de salud
Fonte: Rev. latinoam. enferm. (Online);23(4):660-668, July-Aug. 2015. tab, ilus.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Resumo: AbstractObjective: this methodological study aims to present the construct validity of the Comfort scale for family members of people in a critical state of health (ECONF).Method:this is a methodological study. The sample was made up of 274 family members of adults receiving inpatient treatment in six Intensive Care Units (ICU) in the State of Bahía responded to 62 items distributed in 7 dimensions. The validation procedures adopted were based on the techniques of the Classical Test Theory.Results: the analysis of dimensionality was undertaken through principal components analysis, a scale being obtained with 55 items distributed in four factors: Safety, Support, Family member-relative interaction and Integration with oneself and the everyday. The analysis of the items' , discriminative power, undertaken by the item-total correlation-coefficient showed a good relationship of the items with their respective factors. From the ECONF's reliability test, from the analysis of internal consistency, a raised Alpha Cronbach coefficient was obtained for the 4 factors and the general measurement.Conclusion:the comfort scale presented satisfactory psychometric parameters, thus constituting the first valid instrument for evaluating the comfort of family members of people in a critical state of health. The advance made by the study lies in its theoretical framework on comfort, and provides the health team with a scale based on empirical evidence.

ResumoObjetivo:validar a Escala de Conforto para Familiares de pessoas em estado crítico de saúde.Método:trata-se de estudo metodológico. A amostra foi constituída por 274 familiares de pessoas adultas internadas em seis unidades de terapia intensiva que responderam a 62 itens, distribuídos em 7 dimensões. Os procedimentos de validação adotados foram embasados nas técnicas da Teoria Clássica dos Testes.Resultados:a análise da dimensionalidade foi realizada por meio da análise por componentes principais, obtendo-se uma escala com 55 itens distribuídos em 4 fatores: segurança, suporte, interação familiar/ente e integração consigo e com o cotidiano. A análise do poder discriminativo dos itens, realizada pelo coeficiente de correlação item-total, mostrou boa relação dos itens com seus respectivos fatores. O exame da fidedignidade da escala, por meio da análise da consistência interna, apresentou coeficiente alfa de Cronbach elevado para os 4 fatores e a medida geral.Conclusão:a Escala de Conforto apresentou parâmetros psicométricos satisfatórios, constituindo-se no primeiro instrumento válido para a avaliação do conforto de familiares de pessoas em estado crítico de saúde. A pesquisa avançou na construção de um referencial teórico sobre o conforto, e disponibilizou à equipe de saúde uma medida pautada em evidências empíricas.

ResumenObjetivo:validar la Escala de Confort para Familiares de personas en estado crítico de salud.Método:se trata de un estudio metodológico. La muestra estuvo constituida por 274 familiares de personas adultas, internadas en seis unidades de terapia intensiva, que respondieron a 62 ítems, distribuidos en 7 dimensiones. Los procedimientos de validación adoptados fueron basados en las técnicas de la Teoría Clásica de las Pruebas.Resultados:el análisis de la dimensionalidad fue realizada por medio del análisis por componentes principales, obteniéndose una escala con 55 ítems distribuidos en 4 factores: seguridad, soporte, interacción familiar/ente e integración consigo y con lo cotidiano. El análisis del poder discriminatorio de los ítems, realizado por el coeficiente de correlación ítem-total, mostró buena relación de los ítems con sus respectivos factores. El examen de confiabilidad de la escala, realizado por medio del análisis de consistencia interna, presentó un coeficiente Alfa de Cronbach elevado para los 4 factores y la medida general.Conclusión:la Escala de Confort presentó parámetros psicométricos satisfactorios, constituyéndose en el primer instrumento válido para la evaluación del confort de familiares de personas en estado crítico de salud. La investigación avanzó en la construcción de un referencial teórico sobre el confort, y suministró al equipo de salud una medida guiada en evidencias empíricas.
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Rocha, Lys Esther
Texto completo
Id: lil-440212
Autor: Vianna, Jayme Augusto Rocha; Rocha, Lys Esther.
Título: Comparação do código de ética médica do Brasil e de 11 países / Comparison of the code of medical ethics of Brazil with those of eleven countries
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);52(6):435-440, nov.-dez. 2006. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Projeto de Bolsa de Pesquisa em Ética Médica.
Resumo: OBJETIVO: Comparar o Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina do Brasil com códigos de diferentes países com o objetivo de melhorar a compreensão da sua estrutura, contribuindo para o cumprimento de seus objetivos. MÉTODOS: Foram estudados 11 países dos cinco continentes: Argentina, Chile, Canadá, Estados Unidos, Portugal, Reino Unido, Africa do Sul, Egito, China, índia e Austrália. As informações foram obtidas na internet, pelo acesso a sites de agências reguladoras e associações médicas. Os códigos foram descritos e comparados segundo informações sobre sua organização elaboradora, abrangência espacial, obrigatoriedade, data de elaboração, organização das orientações, e documentos auxiliares. RESULTADOS: Os códigos de ética médica estudados eram: 59 por cento elaborados pela agência reguladora da medicina de seu país, 92 por cento com abrangência nacional, 67 por cento obrigatórios para todos os médicos e 73 por cento tiveram sua última reelaboração após o ano 2000. Foi observada relação entre a organização elaboradora e a obrigatoriedade e abrangência espacial dos códigos. Foi evidenciada a necessidade de atualização sistemática dos códigos, o que freqüentemente é realizado por meio de documentos auxiliares, entretanto, pode haver dificuldade de conhecimento desse conteúdo. Foi observada a possibilidade de organizar as orientações por tópicos, na forma de pequenos textos para cada tema. CONCLUSÃO: Este estudo apresentou sugestões quanto ao Código de Ética Médica do Brasil: realizar uma revisão e atualização do código; organizar suas orientações de modo a incluir explicações e justificativas; e separar as resoluções de caráter ético, melhorando sua divulgação.

OBJECTIVE: Compare the Code of Medical Ethics of the Federal Council of Medicine of Brazil with codes from 11 different countries, with the purpose of improving the comprehension of their structure and contribute to the achievement of their objectives. METHODS: Codes from five continents and 11 countries: Argentina, Chile, Canada, United States, Portugal, United Kingdom, South Africa, Egypt, China, India, and Australia were studied. Information was obtained from the Internet, by accessing sites of regulatory agencies and medical associations. Codes were described and compared according to information about the setting-up organization, spatial scope, compulsory extent, date of enforcement, organizational rules and auxiliary documents. RESULTS: The codes of ethics studied were: 59 percent created by the medical regulatory agency of the country, 92 percent of national scope, 67 percent compulsive for all physicians and 73 percent were last updated after the year 2000. A relation between the setting-up organization and the compulsory extent and spatial scope of the codes was observed. Need for systematic updating of the codes was noted. Updating is often carried out through auxiliary documents, however, there may be difficulties in making these contents known. The possibility of organizing the guidelines by topics, each followed by a small text was considered. CONCLUSION: This study presented suggestions for the Code of Medical Ethics of Brazil: conduct a review and an update of the code, organize the guidelines, including explanations and justifications, separate the ethical resolutions and finally improve its divulgation.
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1025300
Autor: Machado, Priscila Pereira.
Título: Consumo de alimentos ultraprocessados, qualidade nutricional da dieta e obesidade na população australiana / Consumption of ultra-processed foods, nutritional dietary quality and obesity in the Australian population.
Fonte: São Paulo; s.n; 2019. 134 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: Este estudo é parte do projeto temático "Consumo de alimentos ultraprocessados, perfil nutricional da dieta e obesidade em sete países". O rápido aumento nas vendas de alimentos ultraprocessados em paralelo ao aumento nas prevalências de obesidade e outras doenças crônicas não-transmissíveis (DCNTs) tem sido observado em todo o mundo, inclusive na Austrália. Objetivo: Esta tese tem como objetivo estudar o consumo de alimentos ultraprocessados e sua influência sobre a qualidade nutricional da dieta e a ocorrência de obesidade na população australiana. Métodos: Estudo transversal em que foram analisados dados de consumo alimentar de uma amostra representativa da população australiana com dois ou mais anos de idade participantes da pesquisa National Nutrition and Physical Activity Survey (2011-12) (n=12.153). Todos os itens de consumo alimentar, coletados por meio de dois recordatórios de 24-horas, foram classificados nos quatro grupos da classificação NOVA, que considera a extensão e o propósito do processamento industrial de alimentos (alimentos in natura e minimamente processados, ingredientes culinários processados, alimentos processados, e alimentos ultraprocessados). Alimentos ultraprocessados são formulações industriais de substâncias extraídas ou derivadas de alimentos, em sua maioria de uso exclusivamente industrial, contendo pouco ou nenhum alimento inteiro e tipicamente adicionados de corantes, aromatizantes e outros aditivos cosméticos. O primeiro manuscrito da tese descreve o consumo de alimentos ultraprocessados na Austrália (população >=2 anos de idade) e sua associação com a ingestão de nutrientes preditores de obesidade e outras DCNTs (i.e. açúcar livre, gorduras total, saturada e trans, fibra, sódio, potássio, e densidade energética da fração sólida da dieta). O segundo manuscrito explora a contribuição de alimentos ultraprocessados para a ingestão e o consumo excessivo (>=10% do total energético) de açúcar livre em diferentes grupos etários (crianças de 2-5 anos de idade, crianças de 6-11 anos, adolescentes (12-19 anos), adultos de 20-64 anos e idosos >=65 anos). O terceiro manuscrito analisa a associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e a ocorrência de obesidade em adultos australianos. Resultados: Alimentos ultraprocessados foram os que mais contribuíram para o consumo alimentar diário do conjunto da população (42,0% do total de energia), sendo as crianças maiores de cinco anos e adolescentes os maiores consumidores desses alimentos (53,1% e 54,3% do total energético, respectivamente). Com o aumento da participação de alimentos ultraprocessados na dieta, esses alimentos tendem a substituir os alimentos in natura e minimamente processados e suas preparações culinárias. Associações diretas, significativas (p<0,001) e relações dose-resposta foram observadas entre o consumo de alimentos ultraprocessados e o conteúdo ou probabilidade de consumo inadequado de açúcar livre, gorduras total, saturada e trans, sódio e densidade energética da dieta, ao passo que o inverso foi observado para a ingestão de fibra e potássio. Em todos os grupos etários observou-se a associação direta e estatisticamente significativa (p<0,001) entre quintos de consumo de alimentos ultraprocessados e o conteúdo de açúcar livre na dieta, bem como o consumo excessivo deste nutriente. Associações diretas, significativas (p<0,05) e relações dose-resposta foram observadas entre o consumo de alimentos ultraprocessados e indicadores de obesidade após controle para as variáveis de confusão estudadas. Adultos australianos do quintil superior de consumo de alimentos ultraprocessados apresentaram maior índice de massa corporal (0,97 kg/m², IC 95% 0,42; 1,51), maior circunferência da cintura (1,92 cm, IC 95% 0,57; 3,27) e maiores chances de serem obesos (IMC>=30kg/m2) (OR=1,61, IC 95% 1,27; 2,04) ou apresentarem obesidade abdominal (OR=1,38, IC 95% 1,10; 1,72) em comparação àqueles do quintil inferior. Conclusões: Na Austrália, a elevada contribuição de alimentos ultraprocessados na dieta impacta negativamente no consumo dos grupos de alimentos não-ultraprocessados e em todos os nutrientes preditores de DCNTs, se relaciona ao consumo excessivo de açúcares livres em todas as faixas etárias e está associado à ocorrência de obesidade em adultos. Este estudo soma ao corpo crescente de evidências que mostram que o consumo de alimentos ultraprocessados está associado a uma deterioração geral das dietas e à ocorrência ou aumento no risco de obesidade, e sugere que a diminuição do consumo de alimentos ultraprocessados pode trazer benefícios substanciais para a qualidade da dieta e indicadores de obesidade na Austrália.

Introduction: This study is part of the thematic project "Consumption of ultra-processed foods, dietary nutrient profile and obesity in seven countries". A rapid simultaneous increase in the sales of ultra-processed foods and the prevalence of obesity and other diet-related non-communicable diseases (NCDs) has been observed worldwide, including in Australia. Objective: This thesis aims to describe the consumption of ultra-processed foods, and its influence on the nutritional dietary quality and the risk of obesity in the Australian population. Methods: Cross-sectional study in which dietary intakes of a nationally representative sample of the Australian population aged 2+ years from the National Nutrition and Physical Activity Survey (2011-12) were evaluated (n=12,153). Food items collected through two 24-hour recalls were classified into the four groups of the NOVA system, a food classification based on the extent and purpose of industrial food processing (unprocessed and minimally processed foods, processed culinary ingredients, processed foods, and ultra-processed foods). Ultra-processed foods are industrial formulations of substances extracted or derived from foods, mostly of exclusive industrial use, with little if any whole food and typically added of flavours, colours and other cosmetic additives. Manuscript 1 describes the consumption of ultra-processed foods in Australia (population aged >=2 years) and its association with intake of nutrients linked to NCDs (i.e. free sugars, total, saturated and trans fats, fibre, sodium, potassium and dietary energy density). Manuscript 2 explores the contribution of ultra-processed foods to the intake and excessive intake (>=10% of total energy) of free sugars among different age groups (children aged 2-5 years, children aged 6-11 years, adolescents (12-19 years old), adults aged 20-64 years and elderly >=65 years old). Manuscript 3 assesses the association between ultra-processed food consumption and obesity indicators among Australian adults. Results: Ultra-processed foods had the highest energy contribution in the overall Australian diet (42.0% of energy intake), with older children and adolescents the highest consumers of these foods (53.1% e 54.3% of energy intake, respectively). As ultra-processed food consumption increases, these foods tend to displace unprocessed and minimally processed foods and their culinary preparations. Significant (p<0.001) direct dose- response associations were found between the dietary share of ultra-processed foods and the dietary content of or the probability of inadequate intake of free sugars, total, saturated and trans fats, sodium and the dietary energy density, whilst the inverse was found in the intake of fibre and potassium. Among all age groups, a positive and statistically significant (p<0.001) linear association was found between quintiles of ultra-processed food consumption and both the intake of free sugars and the excessive free sugars intake. Significant (p<0.05) direct dose-response associations between the dietary share of ultra-processed foods and indicators of obesity were found after adjusting for all studied confounders. Australian adults in the highest quintile of ultra-processed food consumption had higher body mass index (0.97 kg/m², 95%CI 0.42; 1.51), greater waist circumference (1.92 cm, 95%CI 0.57; 3.27), and higher odds of being obese (BMI>=30kg/m2) (OR=1.61, 95%CI 1.27; 2.04) and presenting abdominal obesity (OR=1.38, 95%CI 1.10; 1.72) compared with those in the lowest quintile of consumption. Conclusions: In Australia, the high energy contribution of ultra-processed foods impacts negatively on the intake of non-ultra-processed foods and on all nutrients linked to NCDs, drives excessive free sugars intake among all age groups, and is associated with obesity among adults. This study adds to the growing evidence that ultra-processed food consumption is associated with an overall deterioration of the nutritional quality of diets, and with or increases the risk of obesity, as well as suggests that decreasing the dietary share of ultra-processed foods would substantially improve the diet quality and obesity indicators in Australia.
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  4 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-968612
Autor: Lara, João Victor Inglês de.
Título: Diretrizes de saúde bucal nas políticas de atenção primária em cinco países selecionados: uma revisão integrativa / Oral health guidelines in the primary care policies of five selected countries an integrative review.
Fonte: São Paulo; s.n; 2018. 77 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Prática de Saúde Pública para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Introdução: Historicamente, a saúde bucal é considerada um componente à parte dos sistemas de saúde. A Atenção Primária à Saúde (APS) oferece uma oportunidade de produzir saúde de forma integral. Para tanto, diretrizes são necessárias a fim de orientar a formulação de políticas capazes de modificar a organização desses sistemas. Objetivo: Produzir uma análise comparativa sobre as diretrizes relativas ao componente saúde bucal das políticas de APS em cinco países com sistemas de saúde universal. Métodos: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura científica e cinzenta. Documentos científicos e técnicos referentes a Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Reino Unido e Brasil; do ano 2000 a 2016; em inglês, português, espanhol e francês foram considerados. Critérios de exclusão foram definidos. A análise de conteúdo foi realizada nos documentos selecionados baseada em aspectos da saúde bucal na APS. As categorias integralidade da assistência; ações de promoção da saúde e prevenção de doenças; e equipe de saúde bucal foram definidas para analisar aspectos conceituais das diretrizes. Resultados: Quarenta e dois estudos foram selecionados para compor a revisão integrativa. Os resultados indicam que Reino Unido e Brasil encontram-se em estágio mais avançado na integração da saúde bucal na APS que os demais países. Quanto à integralidade da assistência, a dimensão horizontal foi mais destacada, sugerindo sincronia da saúde bucal com outras áreas na provisão da assistência. Ações intersetoriais de promoção da saúde e prevenção de doenças são complexas, no entanto, parecem ser efetivas para expandir a atenção à saúde bucal em outros setores. Fluoretação e ações conjuntas com o setor de educação são consagradas. Equipes multiprofissionais amplas com participação dos profissionais de saúde bucal são preconizadas. Enfoque interdisciplinar, inclusão de profissionais de nível médio e educação permanente foram temas recorrentes. Conclusão: Quarenta anos após a Declaração de Alma-Ata, nota-se esforços para a integração da saúde bucal nas políticas de APS, contudo, esta ainda representa um importante desafio para os sistemas de saúde

Background: Historically, oral health is apart of the health systems. The Primary Health Care (PHC) strategy offers an opportunity for a holistic approach in health. Guidelines are needed to orient the formulation of policies and change the health systems' organization. Objective: To produce a comparative analysis of oral health perspectives in the PHC policies of five selected countries with universal health care systems. Methods: An integrative review of the scientific and grey literature was led. Scientific and technical documents from Australia, Canada, New Zealand, United Kingdom and Brazil were considered. The time limit was defined from the year 2000 until 2016. The documents should be in English, Portuguese, Spanish or French. The findings were analysed and exclusion criteria were defined. Content data analysis was performed based on aspects of oral health in PHC. The categories comprehensiveness of care; health promotion and disease prevention actions; and oral health team were defined for the conceptual analysis of the guidelines. Results: Forty-two studies were selected to compose an integrative review. The results indicate that United Kingdom and Brazil are in a more advanced stage of the integration of oral health in PHC then the other countries. In the description of the comprehensiveness of care, the horizontal dimension was more prominent, suggesting that the provision of oral care should be together with other areas of health. Health promotion and disease prevention actions in intersectoral contexts are complex, but seem to be effective to insert oral health in other sectors of health and beyond. Fluoridation and actions with the education sector are the most established ones. Multiprofessional teams with the participation of oral health professionals are recommended. Interdisciplinary approach, inclusion of mid-level professionals and permanent education were recurrent themes. Conclusion: Forty years after the Declaration of Alma-Ata, it seems that there are advances in the integration of oral health in PHC. Although, it stills represents a major challenge for the health care systems
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência
BR67.1; MTR2333; BR67.1; MTR2333 revisada


  5 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-909700
Autor: Carvalho, Maria Cristina Tommaso de.
Título: Escopo de prática de fisioterapia: similaridades, divergências e parcularidades da profissão entre países selecionados / Scope of Practice of Physiotherapy: similarities, divergencies and particularities of profession in selected countries.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2018. 252 f p. tab, graf, il.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Medicina Social para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Este estudo teve como principal objetivo identificar as similaridades, as divergências e as particularidades da profissão de fisioterapia nos países selecionados. Foram selecionados os países Reino Unido, o Canadá e a Austrália por apresentarem projetos profissionais da fisioterapia mais avançados. Uma profissão apresenta fatores constituintes que são teorizados pela sociologia como o processo de profissionalização, as formas de ingresso e de permanência no grupo profissional e o controle do exercício profissional, todos caracterizam o grau de autonomia da profissão. O avanço tecnológico, as transições demográficas e epidemiológicas reconfiguram o cenário da saúde exigindo resposta dos sistemas de saúde e dos profissionais da assistência em saúde. Neste contexto, as diferentes respostas dos países estudados foram tratadas e comparadas neste estudo. Foi possível observar que os diferentes contextos histórico sociais, geográficos e culturais não foram determinantes para uma configuração divergente da fisioterapia. Ao contrário, as similaridades são bastante significativas, com pequenas dissonâncias no ritmo da implantação das mudanças ocorridas ora em um país, ora em outro. Conclui-se que deverá haver determinantes globais de transformação que se refletem no desenho social de uma profissão, neste caso, da fisioterapia, assim como deverá haver uma transformação profissional no sentido de desenvolver o pensamento crítico sobre seu futuro e seu papel na sociedade
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C
BR433.1; 615.8:37, C313, T1685


  6 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-893218
Autor: Navarro-Sempere, A; Segovia, Y; García, M.
Título: Comparative analysis of retinal ganglion cell topography and behavioral ecology in Australian marsupials / Análisis comparativo de la topografía de las células ganglionares de la retina y ecología del comportamiento en marsupiales australianos
Fonte: Int. j. morphol;36(1):248-257, Mar. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: SUMMARY: The retina of vertebrates shows adaptations to the visual environment in which they evolve. Thus, there exists a relationship between the topographic distribution of retinal cells, the adaptive strategies employed, and habitat, so that, analyses of retinal ganglion cell topography provide information about the behavioral ecology of a species. Although these relationships are well documented in many vertebrates, including mammals, for species within the marsupial order, they are not well understood. However, marsupials represent an ideal group for comparative analyses of interspecific variations in the mammalian visual system because they contain species that vary in both lifestyle and habitat preference. In this paper the interspecific variation in retinal ganglion cell topography in 13 species of Australian marsupials is reviewed. The species that live in open habitats have well-defined elongated visual streaks. In contrast, forest-dwelling marsupials have poorly defined visual streaks and a more radially symmetrical arrangement of retinal ganglion cell (RGC) isodensity contours. However, the organization and degree of elongation of the visual streak varies considerably among species. The results indicate that the apparent interspecific variation is associated with activity pattern and habitat as opposed to the phylogenetic relationships among species.

RESUMEN: La retina de los vertebrados muestra adaptaciones al entorno visual en el que evolucionan. Por lo tanto, existe una relación entre la distribución topográfica de las células de la retina, las estrategias de adaptación empleadas y el hábitat, por lo que los análisis de la topografía de las células ganglionares de la retina proporcionan información sobre la ecología del comportamiento de una especie. Aunque estas relaciones están bien documentadas en muchos vertebrados, incluidos los mamíferos, para especies dentro del orden marsupiales, no se conocen bien. Sin embargo, los marsupiales representan un grupo ideal para análisis comparativos de variaciones interespecíficas en el sistema visual de mamíferos porque contienen especies que varían tanto en el estilo de vida como en la preferencia del hábitat. En este trabajo se revisa la variación interespecífica en la topografía de células ganglionares de la retina en 13 especies de marsupiales australianos. Las especies que viven en hábitats abiertos tienen bandas visuales alargadas bien definidas. Por el contrario, los marsupiales que habitan en el bosque tienen rayas visuales mal definidas y una disposición más simétrica radialmente de los contornos de isodensidad de los CGR. Sin embargo, la organización y el grado de elongación de la banda visual varía considerablemente entre las especies. Los resultados indican que la aparente variación interespecífica está asociada con el patrón de actividad y el hábitat en oposición a las relaciones filogenéticas entre las especies.
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  7 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Viana, Ana Luiza D'Avila
Id: biblio-870060
Autor: Negri, Barjas(org); Viana, Ana Luiza d'Ávila(org).
Título: O Sistema Único de Saúde em dez anos de desafio / The Sistema Único de Saúde in ten years of challenge.
Fonte: São Paulo; Sobravime; 2002. 630 p.
Idioma: pt.
Responsável: BR1273.1 - Biblioteca de História das Ciências e da Saúde
BR1273.1; 614.44, N386s


  8 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Pirmez, Claude
Momen, Hooman
Texto completo
Id: lil-755903
Autor: Pirmez, Claude; Brandão, Adeilton Alves; Momen, Hooman.
Título: Memórias and the Journal Citation Reports
Fonte: Mem. Inst. Oswaldo Cruz;110(5):583-583, Aug. 2015.
Idioma: en.
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 68 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-753491
Autor: Ledermann, Walter.
Título: Rudolf Krauss, Giovanni Noe y una instantánea de las enfermedades infecciosas en el Chile de 1930 / Rudolf Krauss, Giovanni Noe and a flash of infectious diseases in Chile, 1930
Fonte: Rev. chil. infectol;32(3):329-333, jun. 2015. ilus.
Idioma: es.
Resumo: When there were giants on the earth, two of them, Rudolf Kraus and Giovanni Noe, met at the ancient Bacteriological Institute of Chile, and founded together a journal representing the principles of the institution. A nostalgic glance over the papers published therein for these so named giants lets us know a little about the study of infectious diseases in the thirties, when tuberculosis and malaria were two of the biggest problems for the world’s public health... then and now.

Cuando había gigantes sobre la Tierra, dos de ellos, Rodolfo Kraus y Juan Noé, austriaco el uno e italiano el otro, coincidieron por un tiempo en el antiguo Instituto Bacteriológico de Chile. Tuvieron entonces la idea de crear una revista que representara los fines de la institución y el progreso de la microbiología. Una mirada nostálgica sobre los artículos publicados en dicha revista, nos permite saber un poco sobre el estudio de las enfermedades infecciosas en los años treinta, cuando la tuberculosis y la malaria eran dos de los mayores problemas para salud pública en el mundo... entonces y ahora.
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  10 / 68 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Alvarez, Angela Maria
Texto completo
Id: lil-752523
Autor: Alvarez, Angela Maria.
Título: A ABEn na defesa intransigente do SUS / The Brazilian Association of Nursing in the uncompromising defense of the Brazilian Unified Health System / La ABEn y su intransigente defensa del SUS
Fonte: Rev. bras. enferm;68(2):185-186, Mar-Apr/2015.
Idioma: pt.
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde