× Atenção: Esta versão do sistema de pesquisa será desativada em 28/02/2023. Recomendamos a utilização da nova versão disponível em pesquisa.bvsalud.org | deixe sua opinião


Base de dados : ADOLEC
Pesquisa : 123244 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 ADOLEC  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Matsudo, Sandra Marcela Mahecha
Matsudo, Victor Keihan Rodrigues
Id: 123244
Autor: Matsudo, Sandra Marcela Mahecha; Matsudo, Victor Keihan Rodrigues.
Título: Validade da auto-avaliaçäo na determinaçäo da maturaçäo sexual / Validity of self-assessment on determination of sexual maturation
Fonte: Rev. bras. ciênc. mov;5(2):18-35, abr. 1991. tab.
Idioma: Pt.
Resumo: Devido à dificuldade que se tem para avaliar a maturaçäo sexual mediante exame físico feito pelo médico, tem surgido a preocupaçäo de procurar um método mais simples e que näo invada a privacidade do avaliado. Com este objetivo se quis verificar a validade da auto-avaliaçäo mediante o uso da técnica projetiva com as pranchas dos diferentes estágios de desenvolvimento das características sexuais secundárias baseados na descriçäo de Tanner. Para isto foram avaliados 352 sujeitos de Ilha Bela, 174 do sexo feminino e 178 do masculino, de idades de 6-21 anos (x:11,5 anos) para o sexo feminino e de 6-33 anos (x:13,1 anos) para o masculino. A cada indivíduo eram apresentadas as pranchas, ele se auto-avaliava e depois era avaliado pelo médico. A análise estatística utilizada foi o coeficiente de associaçäo calculando o percentual de respostas coincidentes. Os resultados mostraram que a validade da técnica projetiva para ambos sexos foi de moderada a alta com valores de 0,60 a 0,71 para ambas as características sexuais secundárias. Maiores valores foram encontrados para a avaliaçäo dos pêlos públicos (0,70-0,71) do que a avaliaçäo das glândulas mamárias ou os genitais externos (0,60; 0,61 respectivamente). A validade näo tem influência da idade "per se", os valores dependen do estágio em que o indivíduo se encontra, sendo maiores nos estágios extremos I (infantil) e V (adulto). A partir dos resultados obtidos, podemos concluir que a técnica projetiva é simples e parece näo precisar de avaliador especial (médico). Pode ser aplicada nos dois sexos, durante as fases peripubertárias, mesmo em diferentes níveis sócio-econômicos e culturais, facilitando assim a difícil tarefa dos profissionais que trabalham com escolares nessas idades de avaliar a maturaçäo sexual (AU)
Descritores: Caracteres Sexuais
Desenvolvimento Infantil
Autoavaliação (Psicologia)
-Puberdade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde
WXIS|fatal error|unavoidable|recxref/read|