Base de dados : ADOLEC
Pesquisa : 419994 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 ADOLEC  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Coelho, Henrique Sérgio Moraes
Id: 419994
Autor: Flores, Priscila Pollo; Lemme, Eponina Maria de Oliveira; Coelho, Henrique Sérgio Moraes.
Título: Alterações da motilidade esofagiana em pacientes cirróticos com varizes de esôfago não submetidos a tratamento endoscópico / Esophageal motor disorders in cirrhotic patients with esophageal varices non-submitted to endoscopic treatment
Fonte: Arq. gastroenterol;42(4):213-220, out.-dez. 2005. tab.
Idioma: Pt.
Resumo: RACIONAL: A cirrose hepática apresenta como uma das principais causas de morbimortalidade, a hipertensão porta com o desenvolvimento de varizes esofagianas, possibilidade de hemorragia digestiva alta e agravamento da insuficiência hepática. É importante identificar fatores preditivos causais ou agravantes desta condição e se possível, preveni-los. Nos últimos anos tem se observado a associação de distúrbios motores de esôfago e de refluxo gastroesofágico em pacientes cirróticos com varizes de esôfago. OBJETIVOS: Estudar a prevalência dos distúrbios de motilidade esofagiana e, entre eles, da motilidade esofagiana ineficaz, neste grupo de pacientes e seus possíveis fatores preditivos. MÉTODOS: Avaliaram-se de maneira prospectiva, 74 pacientes com cirrose hepática e varizes esofagianas diagnosticadas por endoscopia digestiva alta, virgens de tratamento endoscópico terapêutico. Todos foram submetidos a um protocolo de investigação clínica, a esofagomanometria e 55 pacientes também realizaram pHmetria esofagiana ambulatorial. RESULTADOS: Alterações da motilidade esofagiana foram observadas em 44 pacientes (60 por cento), sendo a mais prevalente a motilidade esofagiana ineficaz, verificada em 28 por cento. Refluxo anormal foi encontrado em 35 por cento dos pacientes. Não houve correlação entre anormalidade manométrica em geral e motilidade esofagiana ineficaz, em particular, e a presença de sintomas esofagianos ou típicos de doença do refluxo, refluxo anormal, a gravidade da doença, a presença de ascite e o calibre das varizes. CONCLUSÕES: A maioria dos cirróticos com varizes esofagianas não submetidos a tratamento endoscópico apresenta distúrbios motores do esôfago, sem fatores preditivos identificáveis. A importância clínica desses achados necessita de maior aprofundamento na questão, para elucidar seu papel definitivo. (AU)
Descritores: Transtornos da Motilidade Esofágica/etiologia
Varizes Esofágicas e Gástricas/complicações
Cirrose Hepática/complicações
-Transtornos da Motilidade Esofágica/diagnóstico
Esofagoscopia
Concentração de Íons de Hidrogênio
Manometria
Prevalência
Estudos Prospectivos
Índice de Gravidade de Doença
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde