Base de dados : LILACS
Pesquisa : 248155 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 LILACS  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Maffei, F. H. A
experimentalDocumentos relacionados
Id: 248155
Autor: Carvalho, I; Maffei, F. H. A; Thomazini, I. A; Cury, P. R.
Título: Ausência de ação antitrombótica em trombose venosa experimental / Absence of antithrombotic effect of metronidazolin experimental venous thrombosis
Fonte: Cir. vasc. angiol;12(4):180-5, dez. 1996. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Com base na utilização empírica do metronidazol no tratamento de picada de cobra e em uma possível ação fibrinolítica, alguns médicos brasileiros o usaram no tratamento de trombose venosa profunda, embora não existam estudos que justifiquem tal emprego. OBJETIVO: Verificar possível existência de efeito antitrombótico do metronidazol em modelo de trombose induzida na veia cava de ratos e uma eventual ação anticoagulante ou fibrinolítica dessa droga. MÉTODO: 71 ratos da raça Wistar foram usados em 4 experimentos. No primeiro, 29 animais foram divididos em três grupos: controle (solução salina), heparina (200UI/kg) e metronidazol (6mg/kg). 10 minutos após a injeção IV a trombose foi induzida pela ligadura da veia cava, distalmente à veia renal esquerda. Três horas depois, a veia cava era removida e aberta, e o trombo, se presente, retirado para pesagem, sendo o sangue do animal retirado para medida do TTPA, TT e TP. No segundo experimento, o sangue foi retirado dos animais (n=18) 10 minutos após a injeção das drogas, para medida dos mesmos parâmetros. No terceiro experimento os animais (n=22) foram injetados com metronidazol ou salina e o tempo de lise de euglobulina medido 3 horas após. No quarto experimento, 22 animais foram sorteados para um de dois grupos: controle, com injeção IV de 12ml de salina ou metronidazol, (12mg/kg), sendo a trombose induzida 10 minutos após. RESULTADOS: Não houve diferença entre os grupos controles e os grupod tratados com metronidazol, em relação à incidência e peso dos trombos e com relação aos parâmetros hemostáticos estudados. Nos animais tratados com heparina não houve formção de trombos, havendo aumento de TTPA e de TT aos 10 minutos, e de TT, após 3 horas. CONCLUSÄO: No modelo experimental empregado, o metronidazol não mostrou efeito antitrombótico e também ação sobre o parâmetros hemostáticos estudados, sugerindo que o uso clínico dessa droga no tratamento de trombose venosa é duvidoso, a menos que outros estudos venham demosntrar algum efeito benéfico.(AU)
Descritores: Fibrinolíticos/administração & dosagem
Metronidazol/administração & dosagem
Trombose
-Heparina
Mordeduras de Serpentes
Metronidazol/administração & dosagem
Ratos Wistar
Elapidae
Limites: Animais
Ratos
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde