Base de dados : LILACS
Pesquisa : 471344 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 LILACS  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471344
Autor: Pires, Marcelle Cristina da Silva; Frota, Karla de Sousa; Martins Junior, Paulo de Oliveira; Correia, Amabel Fernandes; Cortez-Escalante, Juan José; Silveira, Celeste Aída.
Título: Prevalência e suscetibilidades bacterianas das infecções comunitárias do trato urinário, em Hospital Universitário de Brasília, no período de 2001 a 2005 / Prevalence and bacterial susceptibility of community acquired urinary tract infection in University Hospital of Brasília, 2001 to 2005
Fonte: Rev. Soc. Bras. Med. Trop;40(6):643-647, nov.-dez. 2007. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: A infecção do trato urinário é uma das afecções mais comuns da clínica médica, sendo mandatório o conhecimento epidemiológico da mesma e do perfil de sensibilidade dos agentes etiológicos. O estudo teve como objetivo identificar os agentes etiológicos mais freqüentes e o perfil de sensibilidade aos antimicrobianos das bactérias isoladas de uroculturas de pacientes ambulatoriais atendidos no Hospital Universitário de Brasília no período de 2001 a 2005. Foram analisadas 2.433 uroculturas positivas realizadas no laboratório de microbiologia do Hospital Universitário de Brasília. A Escherichia coli foi a bactéria mais isolada (62,4 por cento), seguida de Klebsiella pneumoniae (6,8 por cento) e Proteus mirabillis (4,7 por cento). A Escherichia coli apresentou maior sensibilidade à amicacina (98,6 por cento), gentamicina (96,2 por cento), nitrofurantoína (96,3 por cento), e às quinolonas ciprofloxacina (90,9 por cento) e norfloxacina (89,8 por cento), com baixa sensibilidade ao sulfametoxazol-trimetoprima (50,6 por cento). As outras bactérias apresentaram similar padrão de sensibilidade. Em conclusão, a Escherichia coli foi a bactéria mais isolada, sendo altamente sensível aos amiglicosídeos, nitrofurantoína e quinolonas.

Urinary tract infection is among the most common infectious diseases in clinical medicine, and knowledge of its epidemiology and the sensitivity profile of the etiological agents is mandatory. The aim of this study was to identify the most frequent etiological agents and the profile of sensitivity to antimicrobial agents of the bacteria isolated from urine cultures from outpatients at the University Hospital of Brasília between 2001 and 2005. From analyses at the hospital's microbiology laboratory, there were 2,433 positive urine cultures. Escherichia coli was the most commonly isolated bacteria (62.4 percent), followed by Klebsiella pneumoniae (6.8 percent) and Proteus mirabilis (4.7 percent). Escherichia coli showed the highest sensitivity to amikacin (98.6 percent), gentamicin (96.2 percent), nitrofurantoin (96.3 percent) and the quinolones ciprofloxacin (90.9 percent) and norfloxacin (89.8 percent), with low sensitivity to sulfamethoxazole-trimethoprim (50.6 percent). The others bacteria presented similar sensitivity profiles. In conclusion, Escherichia coli was the most commonly isolated bacteria, and it was highly sensitive to aminoglycosides, nitrofurantoin and quinolones.
Descritores: Antibacterianos/farmacologia
Bactérias Gram-Negativas/efeitos dos fármacos
Bactérias Gram-Positivas/efeitos dos fármacos
Infecções Urinárias/epidemiologia
-Antibacterianos/uso terapêutico
Brasil/epidemiologia
Infecções Comunitárias Adquiridas/tratamento farmacológico
Infecções Comunitárias Adquiridas/epidemiologia
Infecções Comunitárias Adquiridas/microbiologia
Testes de Sensibilidade Microbiana
Prevalência
Infecções Urinárias/tratamento farmacológico
Infecções Urinárias/microbiologia
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde