Base de dados : LILACS
Pesquisa : 524023 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 LILACS  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-524023 LILACS-Express
Autor: Diogo, Hilda Conceição; Pires, Mario Cezar; Sapieri, Aldo; Melhem, Márcia S. C; Szeszs, Maria Walderez; Bonfietti, Lucas Xavier.
Título: Avaliação da eficácia in vitro de butenafina ante os agentes de micoses cutâneas prevalentes no Brasil / Evaluation of in vitro efficacy of butenafine on the more prevalent cutaneous mycosis in Brazil
Fonte: RBM rev. bras. med;66(6):158-168, jun. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: O tratamento de micoses cutâneas é realizado com antifúngicos orais ou tópicos. A butenafina, da classe das benzilaminas, é um novo medicamento de uso tópico com eficácia clínica comprovada em casos de dermatomicoses. O objetivo desse estudo foi investigar a atividade ?in vitro? da butenafina em dermatófitos, outros filamentosos ou leveduras, agentes de micoses de pele e unha e compará-la a outros três antifúngicos isoconazol, ciclopirox olamina e oxiconazol. A suscetibilidade aos antifúngicos foi avaliada por métodos de referência de microdiluição M38-A2 (NCCLS, 2002) e M27-A3 (CLSI-2008) para determinação da concentração inibitória mínima (MIC). Um método de triagem por disco-difusão (M44-A, CLSI, 2002) foi avaliado diante dos padrões, com vistas a sua utilização em laboratórios de rotina. Discos contendo as drogas antifúngicas foram preparados em concentrações de 0,125 a 100 µg e ensaiados, em duplicata contra todas as amostras de fungos, e os resultados foram comparados com o valor de MIC correspondente à dupla antifúngico-espécie. O disco na concentração de 2 mg permitiu identificação de perfis distintos de sensibilidade à butenafina, sendo indicado para uso em rotina. A maioria (64%) das espécies, incluindo dermatófitos (Trichophyton mentagrophytes, T. rubrum, T. violaceum, Microsporum canis), fungos não dermatófitos (Scytalidium lignicola, Fusarium) e leveduras (Candida glabrata, C.guilliermondii, C.parapsilosis), foi inibida em baixas concentrações (MIC 0,25 mg/mL), correspondendo a halos de inibição de até 60mm de diâmetro frente a butenafina. Para ciclopirox, a maioria (72%) das espécies não formou halo de inibição, com MICs acima de 0,25 µg/mL melhor resultado foi obtido com T. violaceum (MIC 0,06 mg/mL, halo 20 mm). A maior eficácia (100% de inibição) contra dermatófitos foi observada em butenafina e isoconazol oxiconazol inibiu 88,9% das amostras de dermatófitos com menor desempenho ante a T. mentagrophytes. Butenafina, isoconazol e oxiconazol foram mais ativas do que ciclopirox frente aos dermatófitos, quando verificadas as concentrações necessárias para inibir 50% e 90% (MIC50 e MIC90) das amostras. Agentes oportunistas, S. lignicola e Aureobasidium pullulans, foram sensíveis à butenafina, isoconazol e oxiconazol, não sendo inibidos por ciclopirox. Butenafina foi a única droga capaz de inibir, em baixas concentrações (MIC 0,25 mg/mL halo 14 mm), as duas amostras de Fusarium spp., fungo filamentoso não dermatófito de difícil controle terapêutico, principalmente, nos casos de onicomicose persistente os outros antifúngicos ensaiados apresentaram MIC acima de 16 mg/mL para esse gênero. Para Candida albicans, observou-se que butenafina, em altas concentrações, apresentou atividade inibitória maior se comparada a ciclopirox. Conclui-se que discos com 2 mg de butenafina permitem a classificação de fungos, filamentosos e leveduras, em categorias distintas de suscetibilidade, sendo útil para testes de triagem de cepas menos sensíveis, desde que mostrou boa correlação com os métodos de referência. Os testes de sensibilidade in vitro comprovaram a alta eficiência de butenafina contra agentes de micoses cutâneas, em particular, contra os principais agentes: dermatófitos. Estudos de correlação clínico-laboratorial poderão contribuir para um futuro consenso de critério interpretativo para valores de MIC de butenafina, definindo pontos de corte de sensibilidade.
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde